Wanda Chase estreia roda de conversa e convida Tatau e Alan Cordeiro para falar de amor


Foto: Divulgação

Com a proposta de ser quinzenal, a primeira roda de conversa conduzida por Wanda Chase acontece no dia 05 de junho (quarta-feira), às 19h, no Restaurante Solar Café, no Palacete das Artes, na Graça. Com a ideia de circular por outros espaços e locais de Salvador, as edições serão temáticas, começando a falar sobre Amor, e os convidados desta vez serão Tatau e Alan Cordeiro. Haverá um pocket show e relatos do cantor e compositor e do psicanalista, explorando desde os seus aspectos conjugais, suas representações sociais e as maneiras de nutrir e lidar com esse sentimento em suas várias nuances. O amor sem preconceitos. O amor na diversidade. O amor livre. Nada mais adequado ao mês em que se comemora o Dia dos Namorados. Criar esse espaço de trocas e múltiplos olhares pode inspirar e motivar pessoas a reconfigurar o seu cotidiano. A produção é do ator e jornalista Arlon Souza. Couvert: R$ 15,00

As rodas de conversa terão sempre a presença de estudiosos das diversas áreas, a exemplo de psicólogos, psicanalistas, antropólogos, professores, entre outros estudiosos. Através de uma conexão entre as experiências dos artistas, do público e a visão mais aprofundada dos especialistas, os encontros vão abordar uma série de assuntos, formando um painel leve, divertido e provocador. A participação do público será muito bem-vinda nesse papo reto e aberto sobre o assunto, por meio de relatos, comentários e perguntas.

O público ainda poderá conferir o cardápio da Chef Andréa Nascimento, que tem sua marca reconhecida pela qualidade no atendimento e foi eleito pela Revista Veja Comer e Beber Salvador, por 8 anos consecutivos, como um dos destaques gastronômicos de Salvador; além de ser destaque no Guia 4 Rodas e no Bahia International Guide. No menu, criações exclusivas e deliciosas, como petiscos, frutos do mar, risotos, pastas, filés, saladas e crepes – além de sanduíches e deliciosas sobremesas. Como o cardápio é servido o dia todo, o Solar é o lugar ideal para toda ocasião: almoço, almoço tardio, happy hour, jantar e encontros pré-balada.

SERVIÇO

Roda de Conversa com Wanda Chase convida Tatau e Alan Cordeiro

Local: Restaurante Solar Graça

Horário: 19h

End.: Rua da Graça, n 284 – Palacete das Artes – Graça

Informações e reservas: (71) 3328-3444– Solar Graça

[email protected]

Couvert: R$ 15,00

Salvador recebe Seminário Nacional Brasil Sem Racismo na próxima sexta-feira (31)


Edital Década do Afrodescendente
Foto: Divulgação

Entre os dias 31 de maio e 1º e 2 de junho, acontece em Salvador (BA) o Seminário Nacional Brasil Sem Racismo: Povo Negro em Movimento, realizado por grupos, coletivos e pessoas de referência do movimento negro brasileiro. O evento trará grandes nomes da luta antirracista e tem como objetivo analisar a conjuntura nacional sobre os principais temas cruciais para a população negra e organizar estratégias conjuntas para enfrentarmos o período que se apresenta de forma desafiadora, principalmente para o povo preto. Espera-se mobilizar mais de 300 pessoas nos três dias. As inscrições são gratuitas e podem ser feita até 31 de maio por meio de ficha de inscrição online ou presencialmente na abertura. As vagas são limitadas.

A Campanha Brasil Sem Racismo convoca vontades, corpos em luta e chama geral para dialogar e alinhar estratégias de luta. Nem escravidão, nem ditadura! 

A abertura oficial será na sexta-feira (31), no Centro Cultural da Câmara de Salvador, na Praça Municipal, no Pelourinho, com presenças da jornalista Rosane Borges, da bacharel em Letras, Lindinalva Barbosa e do ativista político Luiz Alberto, com mediação de Geovan Bantu, especialista em raça e gênero. O momento contará com apresentações culturais da cantora Nara Couto e do grupo Panteras Negras. Já nas datas 1º e 2 de junho, no Instituto Anísio Teixeira, no CAB-Paralela, serão realizadas palestras, mesas e grupos de trabalho que reunirão ativistas e especialistas de todo o país, de diversas áreas de atuação, como Saúde, Educação, Segurança Pública, Juventude, e etc. Dentre os nomes confirmados para estes dois dias estão: Edson Cardoso, Ana Luiza Flauzina, Mônica Francisco, entre outros.

INSCRIÇÕES AQUI

Abertas inscrições para o edital Espaços Culturais Boca de Brasa – Ano II da Fundação Gregório de Mattos


Foto: Ted Ferreira

O Edital 004/2019 – Espaços Culturais Boca de Brasa da Fundação Gregório de Mattos (FGM) abriu inscrições para a concessão de aporte financeiro para propostas de aprimoramento a potencialização, dinamização, ampliação e/ou sustentabilidade de atividades desenvolvidas em espaços culturais. Serão contemplados até quatro projetos com R$150 mil cada.

No período de execução, eles passarão a ser identificados como Espaços Culturais Boca de Brasa. As propostas devem ser apresentadas exclusivamente por instituições de direito privado sem fins lucrativos, também conhecidas como organizações da sociedade civil, estabelecidas há pelo menos 01 (um) ano no Município de Salvador e que possuam finalidade cultural declarada em estatuto social, doravante denominadas proponentes.

As propostas apresentadas devem ser desenvolvidas, desde a pré-produção até a avaliação final, no período de 1º de novembro de 2019 a 31 de outubro de 2020. Serão priorizadas propostas oriundas de bairros localizados nas Zonas Especiais de Interesse Social do Município de Salvador (ZEIS) e oriundas de bairros onde não existam equipamentos culturais públicos em funcionamento.

BOCA DE BRASA

O projeto Boca de Brasa é uma iniciativa da Prefeitura de Salvador, através da Fundação Gregório de Mattos (FGM), órgão vinculado a Secretaria de Cultura e Turismo (Secult). Boca de Brasa é um dos apelidos do poeta Gregório de Mattos que dá nome a instituição responsável por desenvolver as políticas culturas municipais.

Criado em 1986, o projeto Boca de Brasa visa fomentar a cultura na periferia, com foco na promoção da cidadania, por meio do incentivo às manifestações artísticas dos bairros da capital baiana.

Em 2013, a ação recebeu um novo formato, com oficinas gratuitas de diferentes áreas artísticas, bem como formação de gestores. Até 2016, foram realizadas 21 edições, com público total de 42 mil pessoas, 120 oficinas realizadas e 2.300 agentes culturais atendidos em 20 bairros. Em 2017, a FGM lança o edital Espaços Culturais Boca de Brasa, concedendo aporte financeiro a três propostas voltadas ao aprimoramento, dinamização e/ou ampliação das atividades artístico-culturais desenvolvidas em espaços culturais já existentes.

Em 2018, a Prefeitura de Salvador constrói e inaugura o Espaço Cultural Boca de Brasa – Subúrbio 360, em Vista Alegre, e o Espaço Cultural Boca de Brasa – CEU Valéria, em Valéria, desenvolvendo oficinas e diversas atividades artísticas e culturais gratuitas, como o Cine Clube Boca de Brasa, os Diálogos Boca de Brasa e o Palco Aberto.

Inscrições e informações até o dia 26 de junho. É importante ler todo o edital antes de realizar as inscrições. 

Sistema online de inscrição aqui

Slam das Minas Bahia agita a Casa Rosada no dia 31 de maio


Foto: Divulgação

A próxima edição do Slam das Minas Bahia promete agitar a Casa Rosada (Travessa dos Barris, 30) dia 31 de maio (sexta-feira), a partir das 18h, com ingressos a R$10,00. Os poetas e poetisas que irão competir não pagam ingresso. A banda Panteras Negras fará um pocket show com convidadas. Nomeada em homenagem ao movimento revolucionário que surgiu no fim da década de 60 nos EUA contra a opressão dos negros, o grupo é formado por quatro mulheres negras que tem uma relação técnica e autodidata com a música e trazem diversas influências em seus trabalhos. Músicas nas vertentes afro, afoxés, samba reggae, rock, blues, psicodelia e afro cubanas.

 

Confira o line up:

• Discotecagem com DJ Helena Vieira;
• Pocket Show da Banda Panteras Negras
+ Convidadas (Amanda Rosa, Kainná Tawá, Ludmila Laísa e Pollyanna Menezes);
• Expositoras

Premiação

1° lugar: Uma ensaio fotográfico com Andreza Mona;
2° lugar: Um kit ecológico Flor de Maio Bio;
3° lugar: Uma camisa da Agô Nilê.

SERVIÇO
Quando: 31 de maio (sexta-feira)
Horário: 18 horas
Ingresso: R$10,00
Onde: Casa Rosada (em frente à Biblioteca Central dos Barris)

Pelourinho recebe diversas atrações na última semana de maio


capoeira_regional
Foto: Juliana Linhares

O Pelourinho recebe, na segunda (27) e na quinta-feira (30), a Oficina de Capoeira Angola Mestre Raimundo Noronha no Largo Tereza Batista, às 16h, com entrada gratuita. Na terça-feira (28), no mesmo largo, só que às 19h, a banda percussiva Swing do Pelô irá promover o lançamento do seu CD com participação de O Pretinho com batida afro baiana. As entradas custam R$20 e R$ 10

No mesmo dia, o ‘Projeto Encontro dos Amigos’ arrastará uma galera para o largo Quincas Berro d’Água. A apresentação é comandada pela Banda Faz com Samba. O evento começa às 20h e tem entrada franca. Na quinta (30), a Roda de Samba Prá Lá de Especial, promete agitar o largo Tereza Batista, às 19h, com Bira Negros de Fé, prestando homenagem a J Zô. Entrada franca.

Serviço 

 

Oficina de Capoeira Angola – Mestre Raimundo Noronha 

Largo Tereza Batista 

Quando: 27 de maio (Segunda- feira) 16h
Ingresso: Gratuito

 

Banda Swing do Pelô – Lançamento do cd

Largo Tereza Batista

Quando: 28 de maio (Terça- feira) 19h
Ingresso:20, 10

Projeto Encontro dos Amigos – Banda Faz com Samba

Largo Quincas Berro D’Água 

Quando: 28 de maio (Terça- feira) 20h
Ingresso: Gratuito

 

Oficina de Capoeira Angola – Mestre Raimundo Noronha 

Largo Tereza Batista 

Quando: 30 de maio (Quinta- feira) 20h
Ingresso: Gratuito

Roda de Samba Prá Lá de Especial – Bira Negros de Fé

Largo Tereza Batista 

Quando: 30 de maio (Quinta- feira) 19h
Ingresso: Gratuito

Exposição e documentário ‘Candomblé – um Legado Africano’ exibido na Casa do Benin aberto ao público


Foto: Divulgação

Candomblé – um Legado Africano terá exibição de documentário e exposição até o dia 19 de junho na Casa do Benin. Produzido pela Universidade Católica de Lili na França, o longa, com autoria e criação do pai de santo Baba Leo, faz parte de uma trilogia produzida pelos diretores Erika & Bernardo Thomás, onde revelando a importância social, cultural e etnológica desse Legado para a nosso povo. O objetivo da obra é explicar os fundamentos da religião, além de apresentar formas de resistência, mostrando o hino à natureza e à vida como um legado africano.A atividade é gratuita e aberta ao público.

Totalmente gravado no Brasil, especificamente no terreiro de Candomblé Igbá Asé Ominolá (Casa das Águas da Prosperidade), em Fortaleza/CE, aberta em 2010, o audiovisual é baseado na vivência do Babalorixá Leonardo Ty Osun, nordestino, brasileiro e adepto do Candomblé. O pai de santo relata sua trajetória, os desafios de liderar um templo de matriz africana no Brasil e de manter viva as raízes afro-descendentes em meio a tanto preconceito e intolerância.

SERVIÇO

O quê: Exibição do documentário e abertura da exposição Candomblé – um Legado Africano

Quando: Exposição em cartaz até 19/06, de terça a sábado, das 9h às 17h

Onde: Casa do Benin – Rua Padre Agostinho Gomes, 17, no Pelourinho

GRATUITO

Antonio Pitanga e Rocco Pitanga estreiam Embarque Imediato na Sala do Coro do Teatro Castro Alves


Foto: Divulgação

Em texto inédito do dramaturgo Aldri Anunciação, o espetáculo Embarque Imediato uniu Antônio Pitanga e seu filho, o ator Rocco Pitanga, pela primeira vez em cena. Um encontro entre um homem mais velho africano e um jovem pesquisador brasileiro ou entre a África e a diáspora ou entre pai e filho que trata a peça, com encenação de Márcio Meirelles. Vivendo estes dois personagens que se encontram num aeroporto internacional e estabelecem um diálogo sobre a História, a estreia para o grande público será no dia 30 de maio, às 20h, na Sala do Coro do Teatro Castro Alves.

“É motivador trabalhar com uma pessoa pela qual eu tenho admiração. E que essa pessoa pela qual eu admiro o talento e o caminho de vida é meu pai. Meu pai e eu moramos em extremos opostos, estávamos morando distantes e esse ano estou indo morar com ele, estamos trabalhando juntos. Passamos texto em casa, mesmo com as agendas corridas e isso está sendo muito bom” revela Rocco, que acredita que o teatro é um espaço de generosidade e criação coletiva, colaborativa.

Embarque Imediato é também a celebração dos 80 anos de Antônio Pitanga, um artista fundamental do cinema, teatro e TV brasileira, além de uma importante voz na defesa dos direitos de negros e negras no país. E esta comemoração se estendeu ao encontro artístico com o filho, Rocco Pitanga e a presença virtual de Camila Pitanga, que dá voz aos textos em off da montagem e aparições em vídeo. A atriz autorizou a exibição do documentário Pitanga, ao qual assinou a direção e que terá exibições no foyer da Sala do Coro, antes das apresentações da peça, permitindo que o público possa ver trechos do filme e conhecer melhor a trajetória do artista. 

A obra promove um debate, seguindo uma poética presente na escrita de Aldri Anunciaçao em que a cena é configurada de modo a apresentar diferentes pontos de vista e permitir que o espectador chegue às suas conclusões, a partir das reflexões e argumentações tecidas ao longo da cena. Marcio Meirelles se encantou pela dramaturgia desde 2016, quando dirigiu uma leitura dramática dentro do Festival Nova Dramaturgia da Melanina Acentuada, já com Pitanga. O diretor incentivou o dramaturgo a finalizar a obra para montar um espetáculo, trazendo para o palco as provocações sobre identidade, política, história e o tempo.

“Para mim enquanto diretor, é uma emoção muito grande fazer parte desse projeto tão afetuoso e cercado de emoção. É um encontro de família, onde cada ensaio é regado a muitas conversas e aprendizados. Ver Pitanga em cena é um prazer e um privilégio. Ele traz muito conhecimento para cena, muita energia ativa, força, memória presente. E vê-lo diante de Rocco, seu filho, um excelente ator, me dá muito orgulho” compartilha Meirelles. “A peça debate muitos assuntos que estão na ordem do dia, como origem, diáspora, consequências da história. É um texto maduro e toda encenação é pensada para tornar mais evidente essa relação entre os dois personagens e como a política afeta suas experiências, suas histórias e identidades” pontua o diretor.

“Sempre tive um carinho muito grande pela família Pitanga. Por anos fui colega na graduação de Camila, estive em inúmeros testes com Rocco e sempre que pude, convidei Pitanga para ler meus textos. Embarque Imediato é a realização de uma vontade antiga de ter Antônio em cena numa obra minha” explica Aldri, que também contará com a presença virtual do diretor Aderbal Freire Filho num dos textos em off, reproduzidos dentro do espetáculo.

Embarque Imediato conta ainda com a direção musical de Jarbas Bittencourt. Cenografia assinada por Erick Saboya e iluminação de Irma Vidal. A concepção dos figurinos é de Chico Perez, com uma das peças da estilista Goya Lopes. Todo esse conjunto de criadores se alia para colaborar numa obra que se propõe a ser arena de debate. “O teatro retoma seu lugar de importância nesse momento do país. Noto que as pessoas estão marcando sua presença nos teatros, assistindo as obras, frequentando esse espaço. Pela importância do encontro e urgência em compartilha vivencias de modo presencial. Noto que há um desejo de preservar o teatro e reconhecer a sua necessidade” afirma Meirelles.

Texto – Embarque Imediato faz parte da trilogia teatral iniciada pelo espetáculo NAMÍBIA, NÃO! (direção de Lázaro Ramos) e seguido pelo espetáculo O CAMPO DE BATALHA (direção de Márcio Meirelles e Fernando Philbert). Os espetáculos da trilogia não compõem uma mesma narrativa temática, mas têm em comum a linguagem articulada na “dramaturgia do debate do sujeito múltiplo” (pesquisa poética de autoria do autor no curso de Doutoramento em Dramaturgia no PPGAC-UFBA). Nestas obras o tema da condição dos descendentes da diáspora africana é abordado.

Dessa vez, a situação dramática é o encontro em um aeroporto internacional, entre um jovem doutorando negro brasileiro e um senhor africano, descendente dos Agudás (africanos escravizados no Brasil que retornaram ao país de origem após alforria quase sempre comprada). No personagem do jovem afro-americano, a perspectiva ocidentalizada e a defesa de que houve aspectos positivos na diáspora forçada dos africanos, que aqui na América foram escravizados em diálogo com o velho senhor descendente de agudás questiona essas supostas vantagens. Ambos personagens estão confinados numa sala, por terem perdido seus passaportes durante uma conexão de voo.

Em cena, o debate sobre história, identidade e cultura. De acordo com o dramaturgo, “o encontro entre o personagem jovem e o personagem velho desenha-se de modo a extrapolar a ideia de conflito entre duas subjetividades. Propõe-se nesta situação dramática, mais um embate de forças. A personagem, ainda que identificada na unicidade da forma do sujeito, condensa em si diversos matizes como que um grande mosaico representativo de vozes múltiplas e de uma memória coletiva. Trabalha-se nessa peça a hipótese de que o sujeito diaspórico condensa na sua subjetividade uma multiplicidade de vozes oriundas da encruzilhada a qual ele foi inserido na história”.

Ambos personagens têm as idades dos atores, apontando também as diferenças geracionais na discussão sobre identidade que a peça apresenta. “É uma discussão extremamente real, tanto pela separação de idade, entre mais jovens e mais velhos. O desencontro entre a juventude e a maturidade. O meu personagem, assim como eu, tem uma ansiedade do presente, do agora. O personagem dele que é mais velho tem um entendimento do tempo e da subjetividade” acrescenta Rocco.

Para Aldri, em Embarque Imediato o desejo é “ofertar ao público uma dramaturgia que traz para o centro da cena, o conflito identitário do sujeito múltiplo e as consequências (positivas e negativas) dos trânsitos diaspóricos de séculos passados, assim como os deslocamentos estáticos em tempos de conectividade de redes virtuais, se mostra oportuna se considerarmos a malha cultural ao qual os povos de diversos blocos continentais têm se articulado” conclui o autor.

A montagem segue em cartaz até o dia 16 de junho, de quinta a domingo. O espetáculo tem apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda, Centro de Culturas Populares e Identitárias e Secretaria de Cultura da Bahia, conta com patrocínio da Bahiagás e produção da Maré Produções Culturais.

Serviço

Espetáculo Embarque Imediato

De 30 de maio a 16 de junho

De quinta a domingo, às 20h

Sala do Coro do Teatro Castro Alves

Ingressos à venda nas Bilheterias do Teatro Castro Alves, Balcões no SAC e no link

Concurso para Escritores Escolares de Poesia e Redação está com inscrições abertas


estudantes-cotas
Foto: Divulgação

Procurando estimular a escrita, a Fundação Pedro Calmon (FPC/SecultBa), por intermédio da Diretoria do Livro e da Leitura (DLL), lançou o Concurso de Poesia e Redação para Escritores Escolares, que já está na quinta edição. O concurso visa sensibilizar e mobilizar jovens a escreverem e revelar talentos. A iniciativa é da Diretoria do Livro e da Leitura da Fundação Pedro Calmon – instituição vinculada à Secretaria de Cultura do Estado da Bahia. O objetivo é estimular a prática da escrita criativa entre crianças e jovens estudantes do Ensino Fundamental I (1º ao 5º ano) e II (6º ao 9º ano), e do Ensino Médio e Médio Técnico por meio da sensibilização e premiação de textos em prosa e verso.

Em sua última edição, o Concurso teve aproximadamente 1.200 inscritos em mais de 60 cidades da Bahia, envolvendo 232 escolas distribuídas por 26 dos 27 Territórios de Identidade do estado. Como consequência desta ação, espera-se não apenas dar visibilidade e revelar novos talentos, mas que esta também seja uma forma de reconhecer, direta ou indiretamente, a convergência de ideais nos esforços de estímulo à escrita, e à leitura também, já que ambas andam juntas, postos em prática pela comunidade escolar e por familiares.

Além disso, o Concurso promove a integração entre estudantes de escolas das redes de ensino, pública e privada, do Estado da Bahia. Para participar, o candidato deve estar matriculado em uma escola do Estado da Bahia, podendo se inscrever em apenas UMA das categorias previstas, POESIA ou REDAÇÃO – com ficcional ou não – apresentando texto inédito. O tema é livre. Gabriel da Silva Bastos (19), vencedor da última edição sob o tema Violência doméstica e abandono ao idoso, conta que na época estudava no 3º ano do Ensino Médio no Instituto Federal da Bahia (IFBA), em Feira de Santana, e foi incentivado pela professora de Língua Portuguesa a participar do concurso. Hoje, está na Universidade.

Segundo Gabriel, é muito importante que as pessoas participem do concurso, pois qualquer um pode ser um escritor. “O concurso estimula a gostar de literatura, e desejo que muitos se inscrevam e se animem, pois é uma ótima oportunidade para os estudantes dizerem o que pensam”, incentiva. Este pensamento também é compartilhado pela estudante Lara Ferraz (15), vencedora da categoria redação do ensino Fundamental II. Lara escreveu sobre a valorização dos trens enquanto estudava no 8º ano, no Colégio Nossa Senhora da Soledade.

Para a estudante, estimulada pelo professor de Redação a participar, o concurso é um bom incentivo para os alunos escreverem. “É importante dizer às pessoas o que a gente pensa. Além disso, estimula a imaginação e contribui para explicar o pensamento com mais clareza”, conclui. O diretor da FPC, Zulu Araújo, diz que os pais também podem estimular os filhos não apenas a ler, mas a escrever levando-os “às bibliotecas, comprando livros, estimulando a leitura e fazer disto um hábito saudável, e não uma obrigação”.

Para participar não é necessário limite de idade, basta estar matriculado nas redes públicas ou particulares de ensino. 

Quem quiser pode ainda se inscrever presencialmente nas Bibliotecas Públicas do Estado ou via postal, no endereço: Edifício Brasilgás, Avenida Sete de Setembro, 282, Dois de Julho, Salvador-BA, CEP: 40060-000. Os vencedores receberão, em conformidade com a sua classificação, prêmios tais como: tablete; kits contendo livros; pôster ilustrado em tamanho A2 do texto selecionado; leitor de e-book; entre outros.

A Diretoria do Livro e da Leitura (DLL) da FPC tem por finalidade incentivar a leitura, a formação de mediadores de leitura e fomentar e divulgar a produção de livros. Esta política é desenvolvida mediante apoio a instituições e através de editais específicos; a organização de concursos literários; e a realização de campanhas que visem incentivar a leitura, sobretudo de crianças e adolescentes. A DLL participa de festas literárias pelo Estado da Bahia com o objetivo de democratizar o acesso a leitura contemplando sua diversidade de expressões manifestadas em todos os territórios de identidade.

Serviço:

O que: Inscrições para o V Concurso de Poesia e Redação para Escritores Escolas

Quando: Até o dia 19 de junho

Onde: Site da Fundação Pedro Calmon, presencialmente nas Bibliotecas Públicas do Estado ou via postal no endereço: Edifício Brasilgás, Avenida Sete de Setembro, 282, Dois de Julho, Salvador-BA, CEP: 40060-000.

 

INSCRIÇÕES AQUI

 

IX Semana da África acontece na Universidade Federal da Bahia até 24 de maio


Foto: Ascom SecultBA

Promover diálogos entre acadêmicos, educadores, cientistas sociais, antropólogos, economistas, dramaturgos, literatos, brasileiros e africanos, sobre o futuro das cooperações sul-sul entre África e Brasil. Esse é o objetivo da IX Semana da África que acontece de 22 a 24 de maio, no Auditório do PAF -3 da Universidade Federal da Bahia (UFBA), em Ondina. O evento tem apoio da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA), por meio da Fundação Pedro Calmon (FPC) e do Centro de Culturas Populares e Identitárias (CCPI).

O debate será promovido em torno do que fazer para que a África possa seguramente construir seu desenvolvimento social e econômico, além de disseminar análises críticas e estimular a reflexão acerca das relações África-Brasil-África no âmbito da produção acadêmica, das políticas de circulação de bens simbólicos, da estética e das relações identitárias.

A ideia é discutir sobre a apropriação da literatura, cinema e de outras formas de produção de conhecimento sobre a África por parte do público brasileiro, em especial por parte de educadores interessados em integrar na prática pedagógica o ensino da cultura e da história africana e afro-brasileira, na perspectiva da implementação das Leis nº 10.639/2003 e 11.645/2008, que tratam da obrigatoriedade do ensino da cultura e da história negra, afrodescendente e africana no Brasil.

Na programação, o público vai poder participar de várias atividades, como o lançamento do livro Médicas-sacerdotisas. Religiosidades ancestrais e contestação ao sul de Moçambique, apresentações artísticas, debates sobre o futuro da cooperação Sul-Sul entre África e Brasil e mostra de cinemas africanos. Integram também a Semana da África, a Feira de empreendedores Negrxs e Feira Literária, na Praça das Artes, em Ondina, e o show de Sine Calmon & Morrão Fumegante, na sexta-feira (24) às 20h, no Largo Pedro Archanjo, no Pelourinho.

A Semana da África vem sendo realizada por iniciativa de estudantes africanos na Bahia, em parceria com estudantes afro-brasileiros, em Salvador, desde maio de 2006. Nesta edição, o evento está sendo acolhido, pela UFBA, Universidade do Estado da Bahia (UNEB), Programa de Pós-Graduação em Literatura e Cultura (LitCult), Programa de Pós-Graduação em Estudos Africanos (Pós-Afro), Pró-Reitoria de Extensão da UFBA (PROEXT), Pró-Reitoria de Assistência Estudantil (PROAE), Secretaria Municipal de Reparação de Salvador (Semur), Consulado da Guiné-Bissau na Bahia, Centro Cultural Casa de Angola na Bahia, Secretaria da Promoção de Igualdade Racial (Sepromi), Centro de Culturas Populares e Indenitárias (CCPI) e Fundação Pedro Calmon (FPC) e Secretaria de Cultura da Bahia.

PROGRAMAÇÃO – IX Semana da África 

 

22/05/2019 Quarta-feira 

10h

ILUFBA/Ondina

En(Cruz)ilhada

Texto e atuação de Leno Sacramento

Auditório do Paf-3/UFBA

16h Credenciamento

16h10 Apresentações

Grupo IsaMan

Grupo Sarau da Onça

Grupo Kalunga

Outros

17h Lançamento do Livro

Médicas-sacerdotisas. Religiosidades ancestrais e contestação ao sul de Moçambique (c. 1927-1988).

Autora: Jacimara S. Santana (UNEB)

(Mando Lattes da professora)

17h40

Pausa para o Coffee Break

18h

Abertura solene

Representantes institucionais

Cássia Virginia Maciel Pró-Reitoria de Ações Afirmativas, (PROAE)

Representando a Universidade Federal da Bahia

 Universidade do Estado da Bahia (UNEB)

 Dr.ª Alvanita Almeida Santos

Programa de Pós-Graduação em Literatura e Cultura

 Dr.ª Lívia Maria Santana e Sant’Ana Vaz

Promotora de Justiça

Coordenadora do GEDEM/LGBT

 Vitor Marques

Coletivo Luíza Bairros

 Zulu de Araujo Diretor da Fundação Pedro Calmon

Secretaria de Cultura do Estado da Bahia

 Fabya Reis

Secretária de Promoção de Igualdade Racial do Estado da Bahia

 Adulai Baldé Coordenador do Evento

 18h30

Conferencia de abertura

África/Brasil: o futuro da cooperação sul-sul

Me. Miguel de Barros – (CESAC/Guiné-Bissau)

 

Dia 23 /05/2018

 

09h -12h Auditório PAF3

Mesa – 1

Cooperação Sul-Sul: Um balanço histórico

Me. Vagner Gomes Bijagó – UFAL (Guiné-Bissau)

Dr. Deolindo Nunes de Barros – UNILAB (Cabo-Verde)

Dr. Henrique Tomé – UFBA (São Tomé e Príncipe)

Debatedora: Dr. Fábio Baqueiro – UNILAB (Brasil)

14h – 16h

Mesa – 2

Mulher, politica e transformação social na África e no Brasil

Dr.ª Tatiana Emília Gomes UFBA (Brasil)

Dr.ª Patrícia Godinho – UFBA (Guiné-Bissau)

Dr.ª Rutte Tavares Cardoso Andrade – UNILAB (Cabo-Verde)

Debatedora: Me. Hilda França UBFA (Brasil)

17h Apresentação Artística

18h – 20h

Mesa – 3

Literatura, memória e ancestralidade

Dr. Henrique Freitas – UFBA (Brasil)

Dr.ª Fatima Ribeiro – UFBA (Brasil)

Dr. Zulu de Araujo – FPC (Brasil)

Moderadora: Dr.ª Suely Santana – UNEB (Brasil)

 

Dia 24 /05/2018

 

09h-12h

Mesa – 4

Conhecimento e ensino da África no Brasil

Dr.ª Denise Carrascosa França UFBA – (Brasil)

Dr.ª Fabya Reis – SEPROMI (Brasil)

Dr. Wilson Mattos – UNEB (Brasil)

Debatedor: Me. Daniel dos Santos – UFBA (Brasil)

14h -15h30

Mesa – 5

Estado, juventude e violência no Brasil e na África 

Dr. Detoubab Ndiaye – UNEB (Senegal)

Me. Laís da Silva Avelar – UNB (Brasil)

Me. Jorge Augusto – UFBA

Moderadora: Me. Maria Dolores Sosin Rodriguez – UFBA (Brasil)

15h30 -17h30

Mesa – 6

O retorno da raça no cenário da globalização

Dr. Carlos Subuhana – UNILAB (Moçambique)

Dr.ª Florentina de Silva Souza – UFBA (Brasil)

Dr. Pedro Acosta Leyva – UNILAB (CUBA)

Debatedora: Me. Dayse Sacramento – IFBA (Brasil)

18h

Conferencia de encerramento

África/Brasil: Discutindo as questões religiosas e interculturais

Babalawo Falere Okunlola (Nigéria)

Apresentação do projeto memórias de leitura no início e final de cada mesa do debate

Gts: comunicação

 

Dias 23-24/05/2019

 

09h -12h (Sala a ser definida)

Eixo temáticos

Eixo 1. Produções intelectuais e culturais africanas e afro-diaspórica, identidade cultural e memória.

Eixo 2. Cultura, artes, estilos de vida e poder na África e na diáspora.

Eixo 3. Tensões sociais, relações internacionais e integração em/entre territorialidades afetas.

Eixo 4. Outros Aportes Temáticos.

14h -18h

Mostra de cinemas africanos (curtas e longas metragens)

Drª. Juciele de Oliveira

Dr. Alex França

 

Dias 22, 23 e 24/05/2019

Feira de empreendedores Negrxs (Praça das Artes, Ondina)

Feira Literária (Praça das Artes, Ondina)

 

24/05/2019

20h/ 00h

Noite Cultural (Largo Pedro Archanjo, no Pelourinho)

Atração principal

Sine Calmon & Morrão Fumegante

Revista Afirmativa lança terceira edição em Cachoeira


Foto: Divulgação

A 3ª edição impressa da Revista Afirmativa, do coletivo de mídia negra, foi lançada no dia 22 de maio no auditório do Centro de Artes Humanidades e Letras (Cahl – UFRB) – Cachoeira, em parceria com o Programa de Pós-graduação em Comunicação (PPGCOM – UFRB). Além da distribuição gratuita da revista, durante a programação houve uma roda de diálogo com o tema: “Mídias negras – disputas de narrativas e imaginários pelo enfrentamento ao racismo”.

Para provocar o debate, teremos a presença do doutor em antropologia e professor convidado da UFRB, Kabenguele Munanga; da jornalista e doutora em comunicação Rosane Borges; do Jornalista, doutor em educação e fundador do Jornal Irohin, Edson Cardoso; e da jornalista e doutora em comunicação, Jussara Maia.

A 3ª edição da revista é dedicada as Juventudes Negras, e aborda questões como violência, genocídio contra o povo negro, formas de luta, resistência e bem-viver. A Revista Afirmativa, além da versão impressa, funciona na plataforma virtual online e em todas as redes sociais. O projeto nasceu em março de 2014 e foi concebida e produzida por estudantes negras e negros do curso de jornalismo da UFRB, em Cachoeira.

 

SERVIÇO

O QUÊ: Lançamento da Revista Afirmativa, em Cachoeira – Ba.

QUANDO: 22 de maio, às 18h

ONDE: Auditório do Centro de Artes Humanidades e Letras da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (CAHL – UFRB)

 

Faça o download da Revista Afirmativa