Tia Má apresenta stand up em Feira de Santana


Os ingressos estão sendo vendidos apenas no local  e as sessões estão sujeitas a lotação

 

tia_ma_com_a_lingua_solta3
Foto: Andrea Magnoni

A jornalista e youtuber Maíra Azevedo, mais conhecida como Tia Má, volta aos palcos baianos com o stand up Tia Má com a Língua Solta para dupla apresentação. A novidade é que desta vez, a humorista se apresenta na cidade de Feira de Santana, localizada a cerca de 100 km da capital Baiana, nos dias 21 e 22 de setembro, no SESC Feira de Santana.

O stand up é dirigido por Elísio Lopes Júnior e Ricardo Fagundes assina a codireção. Promovido pela Benvindo Produções, Tia Má com a Língua Solta é um sucesso de público e vem abordando temas polêmicos, mas bem comuns para quem conhece Tia Má. Racismo, homofobia, machismo e a violência contra a mulher são pautados com muito humor, mas propondo reflexão estratégica ao público presente, como as falas e comentários da baiana.

Tia Má ficou conhecida em todo Brasil por conta de seus vídeos polêmicos e aconselhadores que logo viralizaram nas redes sociais, com muita irreverencia. É com este mesmo formato que mescla humor e reflexão que Maíra leva aos palcos textos autorais que também falam sobre relacionamentos, política e autoestima, partir de suas vivências e leituras, enquanto mulher negra.

Tia Má – Eleita uma das mulheres negras mais influentes da internet pelo site Blogueiras Negras, Tia Má é consultora fixa do programa global “Encontro com Fátima Bernardes” há mais de dois anos. “Era para ser uma participação para comentar sobre um vídeo e tornou-se uma parceria, da qual me orgulho e me encho de orgulho”, comenta a Maíra, sobre sua entrada no programa em 2016. Tia Má também é conhecida pelo uso da expressão “Tira o sapatinho e põe os pés no chão”, usado para chamar atenção da pessoa, quanto ao teor da dica que ela dá.

 

SERVIÇO

O que: Tia Má com a Língua Solta
Onde: Sesc Feira de Santana

Quando: Final de Semana, 21 e 22 de setembro, 20h

Quanto: Ingressos R$ 60 (inteira) e R$ 30 (meia)

 

 

 

Os humoristas Gui Preto e Kedny Silva se apresentam em Salvador dia 21


GuiPreto2_fotodivulgacao
foto: divulgacao

Com o nome Bad Boys, os humoristas Gui Preto e Kedny Silva apresentarão stand up duplo nos palcos de Salvador, nos dia 21 de setembro. O encontro dos comediantes paulista e pernambucano ocorrerá no teatro Eva Hertz, na Livraria Cultura (shopping Salvador).

Gui e Kedny são conhecidos pelo potencial criativo que vem imprimindo nesta nova geração da comédia brasileira. Essa não é a primeira vez que eles dividem o palco, mas a apresentação marca abertura de uma turnê que pretende rodar outros Estados.

Segundo Kedny Silva, este reencontro nos palcos trará novidades específicas para os baianos. “Vamos estrear em Salvador, pois é o tipo de público que a gente gosta e imaginamos que vá consumir nossa apresentação

KendySilva_fotodivulgacao
foto: divulgacao

, no formato que queremos fazer”, explica Kedny, baseado nas experiências que ele já teve nos palcos soteropolitanos.

Diferente dele, Gui Preto nunca se apresentou na Bahia, mas já é conhecido pelo público local pelo humor rápido e ácido. Segundo ele, a proposta deste stand up é o tipo de apresentação que casa com espírito empoderado do público local. “A expectativa em Salvador é grande por conta da galera ser muito da resistência, ideal para nosso stand up. Ppr conta disso, estou até trazendo texto novo que acho que vai casar perfeitamente com o ouço sobre o perfil da plateia baiana”, adianta Gui Preto.

Sobre eles

GUI PRETO tem 30 anos e é um dos comediantes da nova geração que vem se destacando na cena da comédia atualmente. Paulista, ele foi recentemente convidado pelo canal Comedy Central, o maior canal de Comédia do mundo, para gravar a quarta temporada do programa Comedy Central Stand Up.

Kedny Silva ficou conhecido através do seu canal no youtube, que este ano, ultrapassou os 100 mil inscritos e milhões de visualizações. O humorista é pernambucano e em seus espetáculos, fala de relacionamento e acontecimentos, no mínimo inusitados da sua vida. Esse sucesso fez com que o humorista reunisse seu compilado de textos para levar ao palco com seu mais novo show solo: ” Todo Mundo Odeia o Kedny”.

Os stand up estará em cartaz no dia 21 de setembro, às 20h, no Teatro Eva Herz (Livraria Cultura). O encontro desta dupla dinâmica  é  realizado pela Benvindo Produções e os ingressos estão disponíveis no site do ingressos rapidos.

No Mês da Consciência Negra, Sala do Coro do TCA destaca criação de negros e negras da Bahia!


Medeia_Negra
foto: Caio Lírio

 

Iniciada em setembro, a programação especial de retomada da Sala do Coro do Teatro Castro Alves (TCA) segue até dezembro. Neste mês, o foco está no Novembro Negro, com pautas que se engajam na negritude e na criação de negros e negras da Bahia.

 

CONFIRA PROGRAMAÇÃO (sujeita a alterações)

Informações completas em www.tca.ba.gov.br

DIAS 2, 3, 4, 9, 10 e 11, às 20h

TEATRO: MEDEIA NEGRA

A tragédia grega atualizada na voz e no corpo de uma mulher negra. Medeia Negra é um grito, épico, lírico e musical. A releitura traz a personagem trágica em um corpo bárbaro, atemporal, negro e sua relação com a versão mais conhecida do mito, do trágico Eurípides. Medeia representa as mães ancestrais que expressam a morte como transformação e reconstrução e não como o fim da vida. Nesta montagem, o mito grego é revisitado pelo processo de descolonização do pensamento patriarcal e, através dele, questiona o condicionamento social que marginaliza, julga e condena corpos considerados inadequados, estrangeiros, estranhos. Medeia Negra é o mais novo espetáculo do grupo Vilavox, primeiro solo da atriz Márcia Limma, com direção de Tânia Farias (Oi Nóis Aqui Traveiz/RS) e dramaturgia de Marcio Marciano (Coletivo de Teatro Alfenim/PB) e Daniel Arcades (Grupo NATA – Núcleo Afrobrasileiro de Teatro de Alagoinhas/BA).

Quanto: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia)

Classificação indicativa: 16 anos

 

DIA 6, às 20h

TERÇA DA MÚSICA: AIACE

Aiace apresenta o show de lançamento de “Dentro Ali”, seu primeiro disco solo. A noite conta com a participação especial do cantor Lazzo Matumbi. O álbum foi lançado digitalmente em 2017 e pode ser escutado na íntegra nas principais plataformas digitais. No show, Aiace vai apresentar as músicas que fazem parte disco, que conta com participações de nomes importantes da música brasileira como Luiz Melodia e Lazzo, além de regravações de clássicos como a música “Na Primeira Manhã”, de Alceu Valença. No palco, a cantora terá companhia da banda formada pelos músicos Alexandre Vieira (baixo), Sebastian Notini (bateria), Bruno Aranha (teclado), Théo Silva (Guitarra) e Gabi Riddim (programações eletrônicas). A direção musical fica sob o comando do multi-instrumentista Jorge Solovera.

Quanto: 20 (inteira) e R$ 10 (meia)

Classificação: Livre

DIAS 7 e 14, às 20h

issonaoeumamulatamonicasantanaubuntu
Isso Não é uma Mulata – Mônica Santana

TEATRO: ISTO NÃO É UMA MULATA

Vencedor do Prêmio Braskem de Teatro 2015, na categoria Revelação, o solo teatral “Isto Não É Uma Mulata” é uma obra que provoca reflexões sobre a representação da mulher negra, além de apontar as fragilidades do mito da democracia racial brasileira, com ironia e humor. Com criação e atuação de Monica Santana, a obra ganhou ressonância na cena teatral de Salvador por trazer uma perspectiva de discussão sobre as questões raciais, com uma linguagem aproximada com a performance, mas também incorporando elementos de cultura pop, ironia, depoimento pessoal e apontamentos de teatro épico. Partindo da famosa frase proferida por Gilberto Freyre “Branca para casar. Mulata para fornicar. Negra para trabalhar”, a artista Mônica Santana tece obras que questionam as formas de representação da mulher negra: seja a mestiça hipersexualizada, de formas exuberantes e sempre disponível para o sexo, seja a negra escura para o serviço braçal.

Quanto: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)

Classificação: 14 anos

DIA 13, às 20h

TERÇA DA MÚSICA: IGOR GNOMO GROUP

O Igor Gnomo Group, natural da cidade de Paulo Afonso (Bahia), apresenta em sua sonoridade influências do jazz rock em simbiose com a música brasileira (ijexá, baião, maracatu). Com dois trabalhos autorais lançados, passando por diversos festivais pelo Brasil e Argentina, participações ao lado de Armandinho Macêdo, Luciano Magno, André Neiva, Gabriel Pensador, Coutto Orchestra, o trio é liderado pelo guitarrista Igor Gnomo ao lado do percussionista Gildo Madeira e o baixista André Jumper. Eles trazem a Salvador o show “Afrontar”, recém-lançado em turnê na Argentina, apresentando composições autorais e releituras que passeiam por Jackson do Pandeiro, Dominguinhos, Hermeto Pascoal e Chico Science. O Igor Gnomo Group convida o violinista Marcelo Fonseca e o baterista Igor Galindo para o espetáculo.

Quanto: 20 (inteira) e R$ 10 (meia)

Classificação: 14 anos

DIA 15, às 19h

Pedro Morais Foto Divulgação
Pedro Morais Foto Divulgação

TERÇA DA MÚSICA: PEDRO MORAIS

No show “As Rosas Não Falam – Uma homenagem a Cartola”, estreado em 2009, Pedro Morais busca resgatar a irreverência que o sambista mostrava ao interpretar a singularidade da vida cotidiana e amorosa dos morros, expressa nos sambas-canções composto pelo autor e criador da Escola de Samba da Mangueira. Cartola não apenas foi um grande compositor, como também um ótimo intérprete: sua obra conseguia imprimir a marca do cronista dos morros cariocas. Nesta nova formação, Pedro Morais é acompanhado pelos músicos Maurício Azevedo (violão, cavaquinho e flauta), Eduardo Brandão (violão 7 cordas e bandolim), Ilma Nascimento (violoncelo) e Alexandre Lins (percussão).

Quanto: R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia)

Classificação indicativa: Livre

DIA 28, às 20h

Aloísio Menezes
Aloísio Menezes

 

MÚSICA: MOVIMENTO BLACK AFRO POP

Show de mistura das vozes inconfundíveis de Cida Martinez (Samba), Aloisio Menezes (Afro- Pop) e Portella Açúcar, verdadeiros representantes da cultura negra da Bahia, com repertório vasto nas músicas mais populares e contagiantes.

Quanto: A divulgar

Classificação indicativa: A divulgar

Bloco Alvorada realiza Feira e reúne afroempreendedores no Pelourinho!


RelicárioSambaMeunoAlvorada
foto: Odú Comunicação

Nos próximos dias 16, 17 e 18 deste mês, a Feira de Afroempreendedores 2018 reunirá gestores de 20 negócios no largo Quincas Berro D’Água, no Pelourinho, das 11h às 21h. A inciativa é resultado da capacitação promovida pela Sociedade Protetora dos Desvalidos (SPD) e Instituto Alvorada– mantenedora do bloco Alvorada– ao longo de seis meses.

As aulas do curso gratuito de empreendedorismo ocorreram na sede da SPD e contemplaram a formação empresarial englobando planejamento, gestão, marketing, negócios e inovação até a exposição ao mercado visando a viabilidade dos negócios.

Dentre as empresas que participam da feira estão: Cris e Rose, Candaces Moda Afro, Blackpim, Delícias da Safira, grife de roupas Sankofa Ágbára Dúdù. E, no sábado, a abertura do evento contará com desfile dos produtos dos negócios que integram o projeto, às 16h.

Durante o evento, as noites serão animadas por grupos de samba. Lu Santana e Negros de Fé com participação de Arnaldo (Samba de Cozinha) são as atrações da estreia. Partido Popular com participação de Marco Poca Olho (Samba Tororó) garantem a samba de roda do sábado e a programação será encerrada com Relicário Samba Meu com participação de Aloísio Menezes, no domingo, e Bambeia com participação de Valdélio França.

 

A entrada é gratuita para visitação dos stands com produtos nas áreas de moda, artesanato, gastronomia e serviços, além de shows com grupos de samba a partir das 18h (sexta e sábado) e às 17h (domingo).

formaçãodocurso
foto: Odú Comunicação

SERVIÇO
O que: Feira de Afroempreendedores 2018
Quando: 16, 17 e 18 de novembro, das 11h às 21h
Quanto: gratuito
Onde: Largo Quincas Berro D’Água, Pelourinho

Programação de shows
Sexta-feira, 16 de novembro
18h – Lu Santana
19h – Negros de Fé com participação de Arnaldo (Samba de Cozinha)
Sábado, 17 de novembro
18h – Partido Popular com participação de Marco Poca Olho (Samba Tororó)
Domingo, 18 de novembro
17h – Relicário Samba Meu com participação de Aloísio Menezes
19h – Bambeia com participação de Valdélio França

NATA encerra temporada de “OXUM” este mês no Teatro Vila Velha!


Foto Adeloya Magnoni

O Núcleo Afrobrasileiro de Teatro de Alagoinhas (NATA) encerra as atividades do projeto OROAFROBUMERANGUE, aprovado no Edital de Apoio a Grupos e Coletivos Culturais da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb), com mais cinco apresentações do espetáculo Oxum, de 22 a 25 de novembro, no Teatro Vila Velha, de quinta a sábado, às 20h, e domingo, às 19h, com ingressos a R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia).

No dia 25, ocorre uma sessão especial às 16h, com preço popular (R$ 20 inteira e R$ 10 meia). Além da montagem, o NATA realiza nesse mesmo dia 25 de novembro, às 17h, o V IPADÊ – Fórum NATA de Africanidade, com a temática “Cadê a mulher negra para a gente ver? Feminilidades e representatividade”. O evento se estabelece como uma atividade “teórico-interacional” entre os estudos dos artistas do grupo, a Comunidade de axé, a comunidade em geral e os acadêmicos com temáticas afins ao debate de raça e identidade.

Participam do encontro Adriana Quilombos, mulher negra, ekedi filha de Oxum e historiadora formada pela Universidade Estadual de Santa Cruz – UESC; e Fran Demétrio, mulher trans, negra, filha de Oxum, doutora em Saúde Coletiva pelo ISC/UFBA, professora adjunta e pesquisadora da UFRB. Este encontro coroará todo o processo de pesquisa sobre feminismo negro e a divindade Oxum desenvolvido para a montagem Oxum.

Para Oxum, o NATA convidou mais três atrizes – Fernanda Silva, Ive Carvalho e Tatiana Dias -, que foram selecionadas através de audição. Fazem parte do elenco os integrantes do grupo: Fabíola Nansurê, Antônio Marcelo, Daniel Arcades, Thiago Romero – que assina a direção de arte – e Nando Zâmbia, que assina a iluminação e a coordenação técnica da peça. Para completar o quadro de interpretes, o grupo traz a cantora Joana Boccanera, que também assina a preparação vocal.

Serviço

O quê: Oxum

Quando: 11 a 21 de outubro; e 22 a 25 de novembro – de quinta a sábado, às 20h, e domingo, às 19h

Onde: Teatro Vila Velha

Ingresso: R$30 (inteira) e R$15 (meia) – venda no www.ingressorapido.com.br

Dão faz pocket show na abertura da 2ª edição do EPA! Encontro Periférico de Artes!


dão anderson
Dão – Divulgação

A 2ª edição do EPA! Encontro Periférico de Artes já tem data marcada para acontecer, e quem comanda a abertura é o cantor baiano Dão. O dia da abertura já começa com a oficina de contos, corporalidade e performances negras, da Mestre em Educação e Contemporaneidade, Hildália Fernandes,  das 09 às 12h, na escola de dança da Funceb, no Pelourinho. Na noite de abertura, além das três atrações confirmadas, a direção do EPA! promete ainda algumas surpresas especiais.

As atrações integram a programação do EPA!. O encontro será realizado de 12 a 18 de novembro, com atividades gratuitas em diversos espaços como Estação da Lapa, Escola Nelson Mandela, em Periperi, Espaço Xisto, Escolas de Dança da Funceb e da UFBa e Teatro Gregório de Mattos. O EPA! tem como proposta propagar e difundir a arte negra e periférica. A programação gratuita vai contar com Literatura Negra, Cinema, Exposição, Dança, Oficinas, Performances, Intervenções e a tradicional Batalha do Pagode.

EPA! Encontro recebe artistas nacionais e internacionais

Neste ano, o EPA vai promover o intercâmbio entre  artistas de várias origens e trajetórias, trazendo convidados do Ceará, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Paraguai. As atividades evidenciam a pluralidade artística do evento,  com diversas ações e atrações, sempre buscando fomentar a produção das artes negras.

O EPA! é mais uma realização da ExperimentandoNus Cia de Dança e conta com a direção artística de Bruno de Jesus e Inah Irenam.

O evento com entrada gratuita será aberto oficialmente no dia 12 de novembro, no Teatro Gregório de Mattos, a partir das 19h. No mesmo palco, o público vai contar com apresentação do espetáculo Buque da Áttomos Cia de Dança- BA.

Salvador Hip Hop acontece dia 11 de novembro no Parque da Cidade!


SalvadorHipHop
foto: Jeferson S. Photography

 

Vai rolar pela segunda vez o projeto Salvador Hip Hop – no próximo dia 11 de novembro, das 9h30 às 17h – no Parque da Cidade. O evento gratuito vai levar ao público diversas manifestações da cultura Hip Hop, como batalhas de MC´S, grafite, dança de rua, discotecagem e shows. A celebração é para o Dia Mundial do Hip Hop!

Previsto para começar às 9h30, a primeira ação do Salvador Hip Hop ocorrerá em parceria com a Ação H2.NA, que atua no Nordeste de Amaralina, com eles, será feito um painel de grafite no acesso entre a comunidade e o Parque da Cidade. Para a ação, serão convidados alunos das escolas do Nordeste de Amaralina e jovens da comunidade.

Após o grafite, o público poderá conferir uma verdadeira Batalha de MC’s no Anfiteatro Dorival Caymmi, na parte interna do Parque. Participam da batalha os MC’s selecionados nas oito principais batalhas que acontecem durante o ano em Salvador. Os vencedores ainda levam para casa um prêmio em dinheiro. Serão os prêmios: R$ 500 para o primeiro colocado, R$ 300 para o segundo e R$ 200 para o terceiro.

Marcado para às 12h30, também no Anfiteatro, está a apresentação de dança de rua com o grupo Unidade All Star Crew. Os dançarinos prometem agitar o público presente com muito swing e personalidade. Após a apresentação, o DJ Leandro & DJ Nai Sena fazem o som rolar no local com muita qualidade e talento.

Os shows musicais estão programados para o período da tarde, a primeira a subir ao palco, partir das 14h, é a rapper Janaina Noblah. Campeã de freestyle nacional feminina em 2016 a jovem promete arrasar no palco. Em seguida quem comanda é o rapper e produtor musical Mr. Armeng, o premiado artista soteropolitano com toda certeza deixará o projeto ainda mais empolgante. O músico Vandal entra em seguida fazendo um som especial. Por fim, o último show fica por conta da banda Nova Era, referência do Rap em Salvador.

A cultura hip hop tem sido um espaço de guarda de tradições e inovações em salvador, a cultura atrai atenção de jovens e adultos, que se identificam como agentes de preservação e do desenvolvimento dessa cultura. Projetos como o salvador hip hop permitem que os próprios artistas e adeptos da cultura local desenvolvam ações estratégicas de produção, empreendedorismo, divulgação e manutenção dessa cultura que atrai milhares de pessoas”, argumenta o rapper, produtor e curador do projeto Mr. Armeng.

PROGRAME-SE !

9h30 – Pintura do muro com Marcos Costa e crianças do Nordeste de Amaralina

11h30 – Batalha de MC’s
12h30 – Apresentação de dança de rua com Unidade All Star Crew
13h – Discotecagem com DJ Leandro & DJ Nai Sena
14h – Show de Janaina Noblah
14h50 – Show Mr. Armeng
15h30 – Show Vandal
16h30 – Show Grupo Nova Era

#FlicaPreta – Fundação Pedro Calmon leva artistas e literatura preta pra Cachoeira!


Juliana Ribeiro
foto: Dôra Almeida

De 11 e 14 de outubro, a Festa Literária Internacional de Cachoeira (Flica) chega a sua 8ª edição e, na oportunidade, a Fundação Pedro Calmon (FPC), órgão vinculado à Secretaria de Cultura da Bahia (SecultBA), leverá uma programação que refletirá o pensamento negro contemporâneo.

No dia 11, será relançada a edição comemorativa de Cadernos Negros 40 anos, a mais longeva antologia poética afro-brasileira. Na ocasião, o público terá um recital com os autores baianos que fizeram parte dessa edição comemorativa, às 15h30, na casa Educar para Transformar (Quintal Hansen).

No dia 12, terá  o bate- papo “Leitura e sua influência no processo de escrita para o digital influencer”, com participações de Maíra Azevedo, conhecida como Tia Má, e o influencer youtuber Sulivã Bispo. O bate-papo que acontece às 16h, na Casa Educar para Transformar (Quintal Hansen).

“Sempre trago informações, através da arte, que falam dos afro-brasileiros e da diversidade e a partir daí construo meus personagens com politização e humor”, afirmou ele. Para Tia Má, “mesmo que os meus vídeos não sejam roteirizados, tenho inúmeras escritoras nessa temática que me inspiram e colaboram para a produção do conteúdo sobre racismo, relacionamento, entre outros”, destacou a jornalista.

Valdineia Soriano
foto: divulgação

Violão e a Palavra – No sábado, 13 de outubro, será a vez do projeto O Violão e A Palavra que é um bate-papo musical com a cantora, compositora e historiadora Juliana Ribeiro, mediado pela produtora e atriz Valdineia Soriano. A apresentação será na Escadaria da Câmara e Cadeia, das 18h às 19h. O projeto busca unir música e poesia com o objetivo de demonstrar a força da palavra cantada.

 

 

Serviço
O que: Festa Literária oferece programações com temática negra;
Onde: Festa Literária Internacional de Cachoeira (Flica) – Escadaria da Câmara e Cadeia;
Quando: 11 a 14 de outubro de 2018.

Se ligue! Vai rolar o IV Encontro Anual do Coletivo Cacheadas e Crespas de Salvador!


Valorização da mulher, a luta contra o assédio, a violência e o feminicídio.

Esses são motes principais do IV Encontro Anual do Coletivo Cacheadas e Crespas de Salvador, que acontecerá em 22 de setembro (domingo), a partir das 9h, na Praça Pedro Arcanjo no Pelourinho. 

O evento terá apresentação da blogueira Nay Nega e do jornalista Raoni Oliveira; terá ainda oficinas, mesas redondas e palestras, a participação de outros digital influencers e sorteios de brindes.

bia_loren
Bia Loren

“Quando uma mulher toma conhecimento do seu poder e do seu lugar no mundo, ela entende o empoderamento como uma atitude social. Por isso as reflexões devem ser construídas coletivamente (sobretudo em razão da representatividade que já conquistamos no cenário baiano)”, Sâmara Azevedo, idealizadora do Coletivo.

SOBRE O COLETIVO – O Coletivo Cacheadas e Crespas de Salvador foi idealizado em 2014 pela professora da rede pública Sâmara Azevedo. Originado nas redes sociais, foi pensado como espaço de fortalecimento da identidade feminina, sobretudo sob o prisma da aceitação do próprio cabelo. Após quatro ano, reúne mais de 103.000 membros, meninas e mulheres.

Os encontros presenciais ocorrem desde a fundação do Coletivo, e em 2017, no mercado IAÔ, uniu cerca de 3.000 pessoas. A proposta, em 2018, é promover o conhecimento mútuo, a troca de experiência, abrir espaços de fala e oportunizar o empreendedorismo feminino.

 

Festival HYPE: Inscrições para Palco Sounds até dia 1º


Festival Hype_Curadores_
Foto Reprodução

O Festival Hype, que vem ocupando praças, ruas e celebrando a criação artística da Bahia, abre as inscrições gratuitas para novos talentos mostrarem o seu trabalho no Palco Sounds. Até o dia 1º de setembro, os artistas baianos podem acessar o www.festivalhype.com.br , efetuar suas inscrições online e as atrações escolhidas ainda recebem ajuda de custo para se apresentarem no dia do evento.

Em cada edição, são sete selecionados para o Palco Sounds, sendo que uma infantil, por uma curadoria artística assinada por Juliana Ribeiro, Duda Diamba e Morotó Slim, responsáveis pelo garimpo curatorial e revelação de novos talentos da musica local. Já o Mercadão da Música, que também está com as inscrições abertas, tem a curadoria realizada pelos jornalistas Isa Lorena e Luciano Matos.mentar a economia criativa e artistas de rua da região do Subúrbio.

Programado para acontecer em oito edições – entre os meses de junho/2018 e janeiro/2019, o Festival Hype é uma experiência de resgate e conexão com a cultura de rua, transformada em um grande espaço de celebração, como forma de melhorar a relação da população com os espaços públicos. Além do Palco Sounds e Mercadão da Música com oficinas, o Festival receberá o Coreto Hype dentro do evento com gastronomia, moda e artesanato para movimentar ainda mais a economia criativa.

Inscrições até 1° de Setembro, www.festivalhype.com.br !

Festival Hype 22 e 23 de setembro – São Tomé Paripe