Documentário sobre sons dos quilombos tem pré-estreia dia 15 deste mês em Salvador


GravaçõesdodocumentárioAiuê
Foto: Coletivo Caos

Tem pré-estreia no próximo dia 15 de maio (terça-feira), o documentário longa metragem “AIUÊ :Escutando o sons dos Quilombos”. O filme apresenta as sonoridades presentes no cotidiano das comunidades quilombolas de Salvador e Região Metropolitana.

Totalmente gratuita, a programação de lançamento começa às 15h,  com roda de conversa com lideranças quilombolas, dentre outros representantes da sociedade civil e política, com mediação da jornalista Donminique Azevedo, idealizadora do projeto. Às 18h, será aberta a exposição com mesmo tema do documentário, com intervenções artísticas das comunidades tradicionais. O filme será exibido às 19h. Todas as atividades ocorrerão na Sala de Cinema Walter da Silveira e no Espaço Xisto (Complexo da Biblioteca Central do Estado da Bahia).

 Realizado pelo Coletivo Cacos, o projeto foi contemplado pelo edital Arte Todo Dia – Ano III, da Fundação Gregório de Mattos, Prefeitura de Salvador. A equipe é formada por cineastas negros baianos: Donminique Azevedo (documentarista, jornalista e educadora), Danilo Umbelino (cineasta e diretor de fotografia), Leo Rocha (musicista e cineasta), e Uiran Paranhos (cineasta e técnico de som direto).

Além disso, o documentário conta com a participação do cantor Lazzo Matumbi, que empresta  a voz à trilha e canta a música-tema do filme; e da socióloga e militante do Movimento Negro Vilma Reis.

“As comunidades quilombolas foram historicamente invisibilizadas, mas ainda assim resistem por meio de muitas lutas ligadas à identidade étnica e à territorialidade. Do som ambiente aos silenciamentos, o documentário traz essa resistência por meio da incursão sonora nos quilombos, no intuito de estabelecer diálogos culturais entre as comunidades presentes no longa”, explica Donminique Azevedo, idealizadora da iniciativa.

 

Equipedodocumentário_Aiuê
Foto: Coletivo Caos

Para o musicista, cineasta, responsável pela trilha do filme, Leo Rocha, o documentário é uma estratégica oportunidade para  lançar outros olhares à pauta e agenda quilombola. “Os sons e sonoridades presentes nestes espaços expressam  resistência cultural e política. São marcados por uma pluralidade de vozes que canta e ri, mas que também clama por mais humanidade”, declara Leo Rocha.

AIUÊ

Em Kimbundo (língua da família banta), “AIUÊ” é também uma expressão de espanto, alegria, festa. Assim, partindo de uma abordagem etnográfica, linguística e musicológica, o documentário é uma experiência imersiva que revela as mais diversas expressões sonoras e musicais presentes em comunidades remanescentes de quilombos.

TRAILER OFICIAL

https://youtu.be/cm4PqgB4CCI

PROGRAMAÇÃO

15/05/2018 – Sala Walter da Silveira – Barris

 15h – Ciclos de Boa Prosa – Roda de conversa com o tema “Voz e Vez: como ampliar os sons dos quilombos”

18h – Abertura da exposição – Intervenções Culturais

19h – Pré-estreia do Filme AIUÊ

Territórios quilombolas é tema do primeiro livro do geógrafo Diosmar Santana Filho


DiosmarFilho
Foto: Ismael Silva

Os territórios quilombolas são a Rosa dos Ventos na obra A geopolítica do Estado e o território quilombola no século XXI, primeiro livro do geógrafo Diosmar Santana Filho, a ser lançado no próximo dia 14 de maio (segunda-feira), às 18h, na Livraria LDM (Espaço Itaú de Cinemas Glauber Rocha – Praça Castro Alves). A publicação, editada pela Paco Editorial, dá visibilidade ao contexto geopolítico e histórico com quais os territórios quilombolas enfrentam as desigualdades raciais nos séculos, de conquistas e perdas para a população negra brasileira.

Em seis capítulos, Diosmar, mestre em Geografia pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), aborda diversas nuances que permeiam a luta quilombola por espaço, território e identidade, sobretudo levando em consideração as mazelas deixadas pela Abolição da Escravatura, em 13 de maio de 1888.

A obra é a primeira publicação científica do autor e é fruto da pesquisa geográfica realizada no Mestrado em Geografia na UFBA. Diosmar analisa as mudanças no espaço do Estado Brasileiro a partir do protagonismo dos próprios quilombolas como sujeitos de direitos e os territórios desde Palmares modificam a geopolítica na formação do Brasil, com destaque o Estado da Bahia.

 “Os territórios quilombolas estabelecem novas estruturas e formas para um ordenamento territorial não desigual. Nesse ponto, as escalas da política no Brasil e a territorialização dos quilombos na Bahia no século XXI, contribuem para tirar da invisibilidade nos estudos geográficos os determinantes raciais que tornam o Estado brasileiro distante de um projeto Nação. Essa é uma das grandes contribuições do livro para nossa literatura científica”, ressalta o autor.

O prefácio da obra é assinado pela doutora Sandra Manuel, professora do Departamento de Arqueologia e Antropologia da Universidade Eduardo Mondlane (Moçambique). Nele, ela discorre: “Diosmar Filho nos convida a um exercício revolucionário para pensar o Estado-Nação brasileiro, retirando a posição subalterna do Quilombo, dando visibilidade aos espaços quilombolas e conceitualizando o seu papel como formas novas no espaço do Estado pela formação política e étnica, em detrimento da elite que ocupou o poder político e econômico”.

Além do lançamento na Livraria LDM, o autor também promove uma roda de diálogo sobre o livro no dia 25 de maio (Dia da África), às 19h, no espaço da loja Katuka Africanidades (Praça da Sé). Já no dia 28, ele lança o livro na Celebração da Semana da África na Faculdade São Salvador.

Sobre o autor

Diosmar Marcelino de Santana Filho é geógrafo, Mestre em Geografia pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), professor e coordenador acadêmico da Especialização EaD – Estado e Direito dos Povos e Comunidades Tradicionais (UFBA). Pesquisador dos Grupos de Pesquisa CNPq – Historicidade do Estado, Direito e Direitos Humanos e do Núcleo de Estudos e Pesquisas Urbanos e Culturais do Sul da Bahia (Nepuc/IFBA – Campus Ilhéus). Foi professor substituto do Departamento de Geografia do Instituto de Geociências (Igeo-UFBA) e do Instituto Federal de Ciência e Tecnologias da Bahia (IFBA), campus Ilhéus. Na esfera governamental, foi gestor estadual em políticas públicas nas áreas de gestão: das Águas, Desenvolvimento Social e Promoção da Igualdade Racial. Autor de capítulos de livros e artigos em revistas científicas sobre território, desigualdade sociorracial, quilombo e política pública.

Sobre a editora

A Paco Editorial foi fundada em 2009 com a missão de ser um canal relevante de difusão da produção científica brasileira, tendo em seu catálogo importantes títulos nas mais diversas áreas. Impulsionada pelo propósito de compartilhar conhecimentos, a editora vem ampliando sua atuação com a publicação de títulos em outros segmentos, sempre primando por editar livros que proporcionem ao leitor uma experiência marcante de transformação, desenvolvimento e crescimento.

 

 

SERVIÇO

O que: Lançamento do Livro A geopolítica do Estado e o território quilombola no século XXI, de Diosmar Santana Filho.

Quando: 14 de maio (segunda-feira), às 18h

Aonde: Na Livraria LDM (Espaço Itaú de Cinemas Glauber Rocha – Praça Castro Alves)

Entrada gratuita

Valor da publicação: R$ 46,90

A literatura ganha espaço no Palco Aberto do Espaço Cultural Boca de Brasa


Próximo domingo (06), às 16h, o Espaço Cultural Boca de Brasa – Subúrbio 360 abre as portas do para mais uma edição do Palco Aberto, trazendo a literatura como tema. A programação conta com a participação do Repentista Dé Barrense; Cia de Teatro Improviso Salvador; Contação de histórias com Luciana Ávila e Marcos Bezerra; Declamação de poesia com Marina Lima; Sarau com alunos da Oficina de Escrita Criativa; primeira edição do microfone aberto para a comunidade, abrindo espaço para apresentações espontâneas. Ao final do evento, será feito o sorteio do livro infantil “O voo da Xica” para os presentes.

 Palco Aberto integra a programação do Espaço, como uma maneira de levar entretenimento e cultura gratuitamente à comunidade do Subúrbio, além das oficinas e palestras. “A essência do Palco Aberto, como o próprio nome diz é abrir o palco para apresentações de artistas, grupos e instituições culturais do entorno do Boca de Brasa, do região do Subúrbio.”, destaca Chicco Assis, Gerente de Equipamentos Culturais da FGM.

SERVIÇO

 O que: Palco Aberto Espaço Boca de Brasa – Subúrbio 360

Quando: 06/05, às 16h

Onde: Espaço Cultural Boca de Brasa – Subúrbio 360 – Vista Alegre

Rua da Paz, s/n, Vista Alegre

GRATUITO

Teatro Vila Velha recebe a peça Ó Pai, Ó volta no mês de maio


OpaiO
foto: divulgação

Um dos maiores sucessos do teatro baiano, a peça Ó Paí, Ó, do Bando de Teatro Olodum, fará uma temporada especial no mês de maio de 2018, entre os dias 04 e 13/05, sexta e sábado, 20h e domingo, 19h, no Teatro Vila Velha. O espetáculo, que estreou em 1992 e já ganhou versões para o cinema e para a televisão, continua atual ao revelar, com humor e irreverência, as dificuldades dos moradores do Centro Histórico de Salvador, que encontram formas de resistência em meio aos conflitos de interesses econômicos, políticos e turísticos do local. 

O sucesso de Ó Paí, ó marca a trajetória do Bando de Teatro Olodum como uma das mais consolidadas companhias de teatro do país, com um corpo estável e uma linguagem própria, desenvolvida ao longo de 28 anos dedicados à arte negra e popular.  A direção de Ó Paí,óé de Márcio Meirelles, co-direção de Chica Carelli, as músicas originais e a direção musical de Jarbas Bittencourt, coreografia de Zebrinha e Iluminação de Rivaldo Rio.

Para esta temporada especial, o Bando contará com a participação de atores da montagem inicial, como Lázaro Machado, que interpreta a travesti Yolanda e Tânia Toko, que vive a comerciante Neuzão da Rocha, além de veteranos como Valdinéia Soriano (Dona Maria), Rejane Maia (Baiana), Cássia Valle (Dona Raimundo) e Jorge Washington (Seu Matias), Gerimias Mendes (Seu Gereba), Merry Batista (D. Joana) e grande elenco. Os ingressos custam R$40,00 (inteira) e R$20,00 (meia) e podem ser adquiridos na Bilheteria do teatro (Passeio Público – Campo Grande) ou pelo site.

 

SERVIÇO

Ó Paí, Ó, do Bando de Teatro Olodum

De 04 e 13/05, sexta e sábado, 20h e domingo, 19h

Teatro Vila Velha (Passeio Público, Campo Grande – Salvador / 71.3083-4619)

Ingressos: R$40/20 – Bilheteria ou AQUI. 

 

Seminário Cultura Viva abre inscrições para discutir Gestão de Projeto Cultural


culturaviva
Foto: Lucas Rosário

A primeira edição de 2018 do Seminário Cultura Viva acontece no dia 8 de maio, das 9 às 12h, no auditório do Instituto Anísio Teixeira (IAT) com transmissão ao vivo pelo Youtube e por videoconferência para outras cidades. Em seu segundo ano de realização, o seminário é uma ação da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia para a articulação, mobilização e capacitação dos gestores de Pontos de Cultura, com objetivo de realizar o alinhamento dos instrumentos institucionais, jurídicos e orçamentários disponíveis para a execução da rede de Pontos de Cultura da Bahia, que é uma importante ação da Política Nacional de Cultura Viva no estado. As inscrições podem ser realizadas através do formulário online até o dia 07 de maio.

Ponto de Cultura é um título de reconhecimento atribuído a instituições culturais que dinamizam e articulam a cultura local, oferecendo à comunidade oportunidade de acessar a cidadania cultural. Os 270 Pontos de Cultura da Bahia estão distribuídos em todos os 27 Territórios de Identidade.

Em 2017 ocorreram três edições do Seminário Cultura Viva, reunindo cerca de 450 participantes. O Módulo I, realizado em 22 de fevereiro, teve na sua primeira edição o tema: “Prestação de Contas face a IN MinC 08/2016”, e objetivou atualizar os gestores da rede de Pontos de Cultura sobre as mudanças na legislação que disciplina a parceria. O Módulo II, realizado em 16 de maio, apresentou como tema: “Boas práticas da Comunicação em rede” abordando diferentes pontos de vista e práticas de comunicação para a rede de Pontos de Cultura da Bahia.  Por fim, o módulo III, em 13 de dezembro, apresentou como tema “Políticas Culturais: Cidadania e Territórios”. O encontro teve como objetivo apresentar os resultados do Programa no exercício 2017 para os gestores de Pontos de Cultura, dos Centros de Cultura e da Territorialização da Cultura.

Serviço/Programação

Seminário Cultura Viva – IV Módulo

Quando: 08 de maio de 2018

Onde: Instituto Anísio Teixeira – IAT

Endereço: 5ª Avenida Nº 550, Centro Administrativo da Bahia – CAB, Salvador, Bahia, Brasil,

Inscrições: formulário online.

 

Fundadora do Blackrocks Startups ministra palestra em Salvador


MaiteLourenco_BlackRocks
Foto Reprodução

Psicóloga com atuação nas áreas de gestão de carreira, treinamento e desenvolvimento, Maitê Lourenço é convidada do Valê do Dendê para ministrar palestra inspiracionalgratuita nesta sexta-feira, 27, a partir das 19h, no Centro Cultural da Barroquinha.

Fundadora da organização BlackRocks Startups – aceleradora de startups que promove o protagonismo da população negra, sendo finalista do Startup Awards – categoria Impacto Social, Maitê Lourenço é uma das mulheres inspiradoras da Think Olga e premiada pela Revista Veja no Prêmio Veja-se, categoria diversidade (2007), sendo considerada uma das jovens mais inovadoras pelo departamento de Responsabilidade Social da Rede Globo de Televisão e homenageada através do programa Caldeirão do Huck no Especial Inspiração.

Com o desafio de capacitar 30 empreendedores criativos e mudar o ecossistema local, o Vale tem promovido capacitações e acesso à rede de networking nas áreas de tecnologia, educação e finanças, proporcionando aos novos negócios um despertar para a competitividade do mercado, crescimento em escala e participações em rodadas de aceleração.

“Nossa expectativa é que o segundo ciclo ajude a completar a caixa de ferramentas básica que os acelerados necessitam para mergulhar neste novo mundo. Ao definirmos a agenda dos dois módulos de pré-aceleração procuramos privilegiar a elevação da autoestima destes 30 guerreiros. Por isso, a absorção de insights, técnicas e conhecimentos diferenciados são vitais para que eles possam se desenvolver e fazer escolhas baseadas tanto no feeling quanto no conhecimento técnico”, afirma Rosenildo Ferreira, diretorde inovação e marketing do Vale do Dendê.

Vale_do_ Dendê
Foto: Plurais

Seguindo o ciclo de capacitações, o sábado e domingo serão marcados por orientações nas áreas de Comunicação Digital e Imprensa, com Bia Bem e Rodrigo AlmeidaSistema B para Negócios Sustentáveis, com Laura GurgelCases de Investimentos, com Braulio Barreto e Carolina Costa; e Orientações práticas em tipos de investimentos para negócios, com Adelmo Bittencourt e Gilson Barbosa. As capacitações ocorrerão ao longo dos dois dias, com acesso restrito aos acelerados.

Saiba

Espetáculo “Namíbia, Não!” celebra 8 anos com apresentação única no Teatro Castro Alves


NamíbiaNão
foto: Diney Araújo

Em oito anos, a peça teatral escrita por Aldri Anunciação tem tido uma boa receptividade no público jovem e a encenação marcou a estreia do ator Lázaro Ramos na direção de espetáculo adulto. “Namíbia, Não!” já fez longas temporadas em São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Fortaleza, Brasília, Belo Horizonte, Vitória, Porto Alegre, Salvador e Recife, entre outras cidades brasileiras, com  sucesso de público. E para celebrar quase uma década dessa obra, o Palco Principal do Teatro Castro Alves recebe única apresentação do espetáculo, que tem direção de Lázaro Ramos, no dia 11 de maio, às 21h.

Tendo alcançado mais de 500 mil espectadores, o espetáculo já teve duas montagens internacionais, a primeira em 2013, no Theatro Nacional São João na cidade de Porto em Portugal, e em Londres, no Soho Theatre, com direção do baiano Almiro Andrade, em 2016. A dramaturgia foi traduzida para o alemão, em 2014, pela conceituada editora germânica Fischer Verlag Editora.

SERVIÇO:
Local: Teatro Castro Alves
Data: 11 de Maio de 2018
Horário: 21hs
Endereço: Campo Grande
Ingressos: R$ 40,00 e R$ 20,00 (meia)
Informações: [email protected]
Duração: 70 minutos
Classificação indicativa: 12 anos.
Comprar pela Internet através da INGRESSO RÁPIDO (www.ingressorapido.com.br)

Tia Má se apresenta no Domingo do TCA


tia_ma_com_a_lingua_solta
foto: Edgar Azevedo

Em pleno Dia das Mães, 13 de maio, o Teatro Castro Alves (TCA) traz ao Domingo no TCA ostand up “Tia Má com a Língua Solta”, com a jornalista e influenciadora digital Maíra Azevedo, a Tia Má. Sucesso de público desde a primeira temporada, a comédia traz à tona assuntos que não são brincadeira, como o racismo, o machismo e a violência contra a mulher, porém utilizando o humor como ferramenta de reflexão. A sessão começa às 11h e os ingressos custam R$ 1,00 (inteira) e R$ 0,50 (meia), vendidos apenas no dia do evento, a partir das 9h, com acesso imediato ao teatro.

Com direção de Elísio Lopes Jr e codireção de Ricardo Fagundes, e ainda Jarbas Bittencourt na direção musical, “Tia Má com a Língua Solta” propõe fazer o público rir e também refletir sobre as diversas formas de preconceito. “As pessoas podem sim dar risada e ao mesmo tempo reavaliar suas posturas. Chega de fazer piada com quem é historicamente oprimido, vamos rir do absurdo que ainda é discriminar e de como existem soluções simples para coisas que acreditamos que são complicadas”, explica Maíra Azevedo.

Sobre Maíra Azevedo e Tia Má – Jornalista, formada e diplomada há 12 anos. Em 2014, recebeu o prêmio de jornalismo Abdias do Nascimento, pelo Caderno Especial da Consciência Negra. Em 2015, foi eleita uma das 25 negras mais influentes da internet. Em vídeos curtos, de dois a três minutos, ela trata de assuntos do cotidiano, como relacionamentos, trabalho, sexo, autoestima, empoderamento feminino e mecanismos de defesa contra todas as formas de discriminação. De dentro do seu carro e com um humor incomparável, Tia Má aconselha seus “sobrinhos”, apelido dado ao seu público: são mais de 400 mil seguidores no Facebook e mais de 140 mil no Instagram.

 

DOMINGO NO TCA

Tia Má com a Língua Solta

Produção: Benvindo Produções

Onde: Sala Principal do Teatro Castro Alves

Quando: 13 de maio (domingo), 11h

Quanto*: R$ 1,00 (inteira) e R$ 0,50 (meia)

Vendas somente no dia, a partir de 9h, com acesso imediato do público.

FGM divulga Resultado Final da Avaliação e Seleção de Propostas – Prêmio Samba Junino


sambajunino
foto: divulgação

Foi publicado no Diário Oficial do Município de hoje (24), o Resultado Final da Avaliação e Seleção das propostas inscritas no processo seletivo do Prêmio Samba Junino da Prefeitura de Salvador. O resultado e as devidas orientações estão disponíveis no www.dom.salvador.ba.gov.br. A partir da data desta publicação, os proponentes têm 05 (cinco) dias úteis para apresentar a documentação exigida e assinar o Termo de Compromisso. Importante ler atentamente as orientações no DOM, bem como o cumprimento do prazo.

Edital Prêmio Samba Junino

O Prêmio é voltado à salvaguarda do Samba Junino, de acordo às diretrizes de política cultural do município e do Registro Especial do Samba Junino como Patrimônio Cultural de Salvador.  Serão contempladas 06 (seis) propostas que incentivem o fortalecimento, a manutenção e dinamização do Samba Junino no município de Salvador, além das suas formas de produção e reprodução, através da realização de ensaios, festivais, concursos, apresentações, “arrastões”, entre outras, no período junino, através de um aporte financeiro no valor de R$ 30 mil para cada projeto selecionado.

SERVIÇO

O que: Divulgado o Resultado Final da Avaliação e Seleção das propostas inscritas no processo seletivo do Prêmio Samba Junino, da Fundação Gregório de Mattos (FGM), Prefeitura de Salvador

Quando: 24/04

Onde: Diário Oficial do Município (DOM) – www.dom.salvador.ba.gov.br   ou no site da FGM www.cultura.salvador.ba.gov.br.

Olodum celebra 39 anos com festa no Pelourinho


olodum-ensaios-de-veraoSão quase quatro décadas de história, uma contribuição com essência e perfume da rosa, caminhos que levam o Olodum às estrelas e ao sol! O Bloco Afro celebra 39 anos de sucesso, uma homenagem ao “Tributo a Ranavalona III”, em grande estilo: a comemoração acontecerá na Praça Pedro Arcanjo, no dia 29 de abril, às 14 horas.

A programação contará com o melhor do Samba Reggae, com a presença de grandes nomes da música baiana, antigos vocalistas e da atual ala de canto do Olodum. E a celebração continua, abrindo as festas dos 40 anos a serem celebrados em 2019, com filme, cursos, seminários e a realização, este ano, de outros eventos na Bahia, em outros estados do país e no exterior.

O show do próximo dia 29, no Pelô, contará com repertório repleto de canções que marcam a história do grupo, desde o primeiro LP lançado, “Egito Madagascar”, entre elas: Eu Falei Faraó, Faraó; Avisá Lá; Rosa; Alegria Geral; Vem Meu Amor; Berimbau; Madagascar Olodum; Ladeira do Pelô; Protesto Olodum; Canto ao Pescador; Deusa do Amor e Jeito Faceiro. O show terá mistura de músicas com conteúdos que levam à reflexão sobre a importância de uma cultura de paz, a exemplo de: Mel Mulher, Manifesto Pela Paz, Mãe Mulher Maria Olodum, Eu Digo Jah e tantos outros hits.

 

Serviço

FESTA DE ANIVERSÁRIO DO OLODUM “Tributo a Ranavalona III”
Dia:​ ​29 de ​Abril​ (​domingo​)
Horário: ​abertura dos portões ás ​14 horas
Onde: Praça ​Pedro Arcanjo
Endereço: R. Gregório de Matos​,10​ – Pelourinho, Salvador – BA
Censura 16 anos
Ingresso: R$ ​5​0,00 (meia ​promocional​)
Vendas no local
Informações: ​(​71​)​ 3321-​5010/3321-4154