Olodum celebra 39 anos com festa no Pelourinho


olodum-ensaios-de-veraoSão quase quatro décadas de história, uma contribuição com essência e perfume da rosa, caminhos que levam o Olodum às estrelas e ao sol! O Bloco Afro celebra 39 anos de sucesso, uma homenagem ao “Tributo a Ranavalona III”, em grande estilo: a comemoração acontecerá na Praça Pedro Arcanjo, no dia 29 de abril, às 14 horas.

A programação contará com o melhor do Samba Reggae, com a presença de grandes nomes da música baiana, antigos vocalistas e da atual ala de canto do Olodum. E a celebração continua, abrindo as festas dos 40 anos a serem celebrados em 2019, com filme, cursos, seminários e a realização, este ano, de outros eventos na Bahia, em outros estados do país e no exterior.

O show do próximo dia 29, no Pelô, contará com repertório repleto de canções que marcam a história do grupo, desde o primeiro LP lançado, “Egito Madagascar”, entre elas: Eu Falei Faraó, Faraó; Avisá Lá; Rosa; Alegria Geral; Vem Meu Amor; Berimbau; Madagascar Olodum; Ladeira do Pelô; Protesto Olodum; Canto ao Pescador; Deusa do Amor e Jeito Faceiro. O show terá mistura de músicas com conteúdos que levam à reflexão sobre a importância de uma cultura de paz, a exemplo de: Mel Mulher, Manifesto Pela Paz, Mãe Mulher Maria Olodum, Eu Digo Jah e tantos outros hits.

 

Serviço

FESTA DE ANIVERSÁRIO DO OLODUM “Tributo a Ranavalona III”
Dia:​ ​29 de ​Abril​ (​domingo​)
Horário: ​abertura dos portões ás ​14 horas
Onde: Praça ​Pedro Arcanjo
Endereço: R. Gregório de Matos​,10​ – Pelourinho, Salvador – BA
Censura 16 anos
Ingresso: R$ ​5​0,00 (meia ​promocional​)
Vendas no local
Informações: ​(​71​)​ 3321-​5010/3321-4154

 

Oficinas de Produção Cultural e Criação Dramatúrgica abrem inscrições gratuitas em Salvador


oficina_de_teatro_grupo_finos_trapos_salvador (1)
foto: divulgação

Em continuidade às ações do Projeto Abrigo e Morada – Ano II, o Grupo de Teatro Finos Trapos abre inscrições para oficinas gratuitas. Nesta etapa da ação, ‘Ô de casa, ô de fora’, será realizada a oficina “O Avesso da Cena-Produção e Gestão Cultural”, ministrada pelo administrador, produtor e gestor cultural Rômulo Avelar (MG) e a oficina “O Espaço Cênico e Criação Dramatúrgica na Cena Contemporânea”,  ministrada pela atriz, professora e dramaturga Antonia Pereira Bezerra (BA).

Os interessados poderão se inscrever no período de 23 de abril a 02 de maio 2018, através do site. As oficinas terão a carga-horária de 16h/aula, com emissão de certificado e serão realizadas na CAS – Casa de Artes Sustentáveis. A publicação do resultado dos selecionados ocorrerá no dia 03 de maio no site do grupo.

Na oficina O Avesso da Cena-Produção e Gestão Cultural, os participantes terão acesso a informações fundamentais acerca de realização de projetos culturais e de gestão de grupos artísticos e entidades constituídas como produtoras, além de abordar as diversas fases de um projeto (pré-produção, produção e pós- produção).

oficina_de_teatro_grupo_finos_trapos_salvador (1)
foto: divulgação

A oficina será realizada nos dias 04 a 06 de maio (sexta das 19:00 às 22:00, sábado das 10:00 às 18:00 e no domingo das 09:00 às 13:00).

“Quando pesamos na formulação e execução de um projeto com essa natureza, lançamos o nosso olhar para as coisas que acreditamos, e, que de uma forma ou outra possam contribuir um pouco para as questões técnicas, tanto de criação artística quando de noções do caminho da construção e até as burocráticas que sempre estão ao redor de nosso labor”, declara Frank Magalhães, integrante do grupo.

Tendo como público mais específico dramaturgos, estudantes de artes e letras, artistas e encenadores a oficina O Espaço Cênico e Criação Dramatúrgica na Cena Contemporânea propõe investigar as relações entre arquitetura teatral e espaços alternativos e a dramaturgia, trançando um panorama das principais modificações nos modelos de edifícios teatrais no decorrer da história e de como estas influenciaram a escrita cênica contemporânea.

A ministrante Antonia Pereira atualmente é professora Associada III da Universidade Federal da Bahia integra os Grupos de Pesquisa DRAMATIS e GIPE-CIT e Coordena a Área de Artes/Música na CAPES. A oficina será realizada nos dias 11 a 13 de maio (sexta das 19h às 22h, sábado das 10h às 18h e no domingo das 9h às 13h).

Serviço:

O quê:  Oficina: O Avesso da Cena-Produção e Gestão Cultural, com Rômulo Avelar (MG)

O quê:  Oficina: O Espaço Cênico e Criação Dramatúrgica na cena Contemporânea,  Antonia Pereira Bezerra (BA)

Inscrições: de 23 de abril a 02 de maio 2018

Onde: CAS – Casa de Artes Sustentáveis (Rua Democrata 21, Dois de Julho)

MAFRO apresenta exposição sobre a trajetória de inclusão e resistência


Mafro_exposição
foto: divulgação

Visando promover reflexões a respeito das violências que atingem a comunidade negra, o MAFRO/UFBA realiza o debate A violência em Corpos Negros. Para o primeiro encontro, o sociólogo Ailton Ferreira e o vereador Silvio Humberto são os convidados que dialogarão sobre o generalizado extermínio da juventude negra e ações de combate e avanços, através das políticas públicas afirmativas a favor das vidas negras.

O evento será no dia 25 de abril, as 16h30, no MAFRO e esta programação compõe as atividades da exposição “Trajetória de Inclusão e Resistência no MAFRO/UFBA (2012-2018)”. A amostra traz duas remontagens: “O MAFRO pela vida contra o genocídio da juventude negra” e “Exu: Outras Faces”. São exposições que refletem explicitamente facetas do racismo que ainda hoje atinge a comunidade negra.

A retrospectiva “Trajetória de Inclusão e Resistência no MAFRO/UFBA (2012-2018)” é o tema da Exposição que marca os últimos 6 anos de existência da MAFRO. Em consonância com as temáticas do Fórum Social Mundial e relacionada diretamente ao eixo 19 – Vidas Negras Importam, trata das ações de denúncia que o MAFRO vem fazendo nos últimos anos, articulado com os movimentos negros e a comunidade em geral.

SERVIÇO:

O que: Exposição Trajetória de Inclusão e Resistência no MAFRO/UFBA (2012-2018)

Onde: Museu Afro-Brasileiro da Universidade Federal da Bahia. Prédio da Faculdade de Medicina da Bahia, Terreiro de Jesus, s/n, Centro Histórico.

Quando: De segunda a sexta-feira, das 09 às 17h

Quanto: Gratuidade para estudantes e funcionários de qualquer instituição pública.

Contatos: 3283-5540 | [email protected]

Nara Couto apresenta seu novo EP Contipurânia


NaraCouto_divulgacaoEP
Foto: divulgação

Contipurânia faz referência à cultura oral, à forma que nossos antepassados africanos, quando chegaram ao Brasil, pronunciavam as palavras portuguesas, com um sotaque diferenciado. Essa expressão carrega ancestralidade, mas também é a mistura e o diálogo com o novo, com o desejo da artista de misturar o tradicional e o pop.

 

 Além de destacar a musicalidade contemporânea, que alimenta a cantora, proporcionando uma interpretação própria e ampliando para o público uma interpretação multifacetada, criada por letras, ritmos, melodias, texturas, cores e dança.

 

Entre as faixas de Contipurânia estão Brilho do Mar (Maurício Faísca e Leandro Oliveira), Filho de Rei (Mateus Aleluia), Diplomacia (Batatinha e J. Luna), Fósforo (Rafael Mike e Pedro Breder), além de Linda e Preta (Jarbas Bittencourt). O clipe de Linda e Preta, com direção de Elísio Lopes e Lázaro Ramos – primo de Nara – já conta com mais de 140 mil visualizações no YouTube.

Sobre Nara

Nara Couto é uma pesquisadora das culturas africanas e afro-brasileiras. A artista, que nasceu no bairro do Curuzu (Salvador), começou a pesquisar, ainda adolescente, sobre a relação da musicalidade baiana com o continente africano. Influenciada pelas batidas do bloco afro Ilê Aiyê, se especializou em dança afro contemporânea.
Atuou no Balé Folclórico da Bahia e viajou com grandes artistas da música, como Daniela Mercury, Ivete Sangalo e Margareth Menezes. Em 2009, ingressou na Orquestra Afrosinfônica como vocalista mezzo soprano. A pesquisa de Nara sobre o continente africano começou a se fortalecer depois da artista viajar pelo mundo e alguns países da África conhecendo a dança e a música de diferentes culturas, juntando esse tempo de estudo com a compreensão de que existe uma memória genética muito forte, que precisa ser aproximada ainda mais entre esses dois mundos/irmãos.
Confira as faixas no novo EP aqui.

Forte do Barbalho apresenta espetáculo com primeira escrita yoruba


Quaseilhas
Foto: Shai Andrade

QUASEILHAS é a primeira obra cênica autoral brasileira integralmente em um idioma africano, o yorùbá. A escrita foi estruturada do oríkì, literatura oral dos povos yorùbá, como linha de acesso aos vazios dessa memória e como ferramenta de criação dentro desses espaços vagos. Concebido e dirigido por Diego Pinheiro, esta em cartaz 12 a 29 de abril, de quinta a sábado, às 19h e aos domingos, às 18h30, no Forte do Barbalho.

A proposta é ser um espetáculo que fornece uma visita às memórias para lembrar-se do futuro e busca por sair dos limites do tempo. A obra cênica faz um trânsito entre às lacunas da memória afro-diaspórica, tendo como ponto de partida as memórias familiares do criador e dos seus colaboradores, Laís Machado, Diego Alcantara e Nefertiti Altan, mesclando visualidades, canto e performatividades.

QUASEILHAS também marca uma inspiração na teatralidade yorùbá, por meio dos alárìnjó, uma arte que envolve dança, teatro, canto e máscara para reverenciar os ancestrais e data do século XVII, sempre envolvendo o uso de máscaras, a manipulação de instrumentos musicais, virtuose física e a circulação pelos territórios, para contar histórias e nasce do culto aos Egunguns.

A experimentação na linguagem artística excederá o lugar do corpo, chegando também na cenografia, que prevê a construção de todo um espaço que evoca as antigas palafitas de Alagados, e que se concebe para facilitar os jogos atmosféricos propostos pelos Alárìnjó.

Serviço
QUASEILHAS
Espetáculo de Diego Pinheiro
De 12 a 29 de abril, de quinta a sábado, às 19h e domingo, às 18h30
Onde: Forte do Barbalho (End: Rua Mal. Gabriel Botafogo, s/n – Barbalho)
Ingressos: R$10,00 (inteira) e R$5,00 (meia entrada)

CAIXA Cultural Salvador apresenta Tributo a Itamar Assumpção com Anelis Assumpção e convidados


Itamar_Assumpção
Foto: divulgação

Entre os dias 19 e 22 e 26 a 29 de abril, a Caixa Cultural Salvador recebe a série de shows “Isso ainda dá repercussão – Tributo a Itamar Assumpção”. A temporada é uma homenagem ao músico paulista, falecido em 2003, um dos grandes nomes da música negra brasileira. As apresentações serão capitaneadas pelo músico baiano Du Txai, que também dirige o show com cerca de 30 músicas no repertório, e contarão com a presença da cantora e compositora Anelis Assumpção, filha de Itamar, além de 8 músicos baianos convidados, que se dividirão entre as datas da temporada.

O nome do tributo faz referência ao disco Isso vai dar repercussão, de 2004, em parceria com o percussionista Naná Vasconcelos, falecido em 2016. O repertório foi selecionado com o critério de ter músicas toda a discografia de Itamar (exceto do álbum Ataulfo Alves por Itamar Assumpção – Pra Sempre Agora) e realçar as nuances de sua personalidade expressas através das músicas escolhidas.

Convidados – Para celebrar a musicalidade de Itamar Assumpção, nada mais propício que convidar Anelis Assumpção, não só filha do músico como uma das artistas responsáveis por manter vivia a memória musical do pai. Com três discos autorais lançados, hoje Anelis tem uma trajetória consolidada na música independente brasileira, e será participação muito especial em todos os oitos shows desta temporada. A cada noite Anelis, Du Txai e a banda receberão um músico baiano convidado, escolhidos a dedo por sua relação musical e afetiva com Itamar Assumpção, na ordem de apresentação: JosyAra (19/04), Luedji Luna (20/04), Bruna Barreto (21/04), Dão (22/04), Giovani Cidreira (26/04), Tuzé de Abreu (27/04), Aiace (28/04) e Rebeca Matta (29/04).

 

Anelis_Assumpção
foto: divulgação

SERVIÇO
Isso ainda dá repercussão – Tributo a Itamar Assumpção
De 19 a 22 e de 26 a 29 de abril de 2018
Com Du Txai e banda, Anelis Assumpção e convidados:
JosyAra (19/04), Luedji Luna (20/04), Bruna Barreto (21/04), Dão (22/04), Giovani Cidreira (26/04), Tuzé de Abreu (27/04), Aiace (28/04) e Rebeca Matta (29/04).

Quintas a sábados às 20h, domingos às 19h
Na Caixa Cultural Salvador (Rua Carlos Gomes, 57, Centro)
Ingressos: R$ 10 (inteira) | R$ 5 (meia)
• À venda na bilheteria da Caixa Cultural Salvador a partir das 9h do dia 19/04 (para as apresentações de 19 a 22/04) e a partir das 9h do dia 26/04 (para as apresentações de 26 a 29/04)

Duração: 90 minutos
Classificação indicativa: Livre
Conveniência: estacionamento gratuito ao lado.
Informações: (71) 3421-4200

Atrizes e youtubers aderem à campanha nacional por saúde sexual e reprodutiva


JulianaAlves
foto: banco de imagens

Nos próximos dias, uma campanha por saúde sexual e reprodutiva alcançará amplamente as redes sociais colocando as mulheres e adolescentes brasileiras no centro do debate sobre saúde sexual, reprodutiva e

direitos. Inspirada na ação global “She Decides”, a campanha Ela Decide Seu Presente e Seu Futuro pretende mobilizar em todo o país ações de apoio e empoderamento das mulheres e adolescentes para tomar decisões autônomas sobre sua sexualidade – sobre engravidar ou não, quando e quantos filhos ter e sobre como vivenciar a maternidade.

Para criar ainda mais engajamento e alcançar especialmente as mulheres jovens, a iniciativa convidou para abraçar a ideia as atrizes Juliana Alves e Bella Piero (a Laura da novela “O Outro Lado do Paraíso”), além das youtubers Gabi Oliveira (DePretas) e Julia Tolezano, a Jout Jout, que atenderam ao pedido e já estão nas peças da campanha que em poucos dias chega às ruas e a internet.

A campanha é a primeira grande ação da Aliança pela saúde e pelos direitos sexuais e reprodutivos no Brasil – mobilização de organizações do setor privado e filantrópicas, em parceria com o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e com apoio da Embaixada dos Países Baixos.A Aliança, por meio do envolvimento de diversos setores da sociedade, pretende ampliar e qualificar o debate público sobre o assunto e envolver cada um dos apoiadores para contribuir técnica e financeiramente com a iniciativa.

Para o representante do Fundo de População da ONU, Jaime Nadal, o  desenvolvimento do país não é apenas uma responsabilidade do Estado, mas de vários diferentes setores, entre eles o setor privado.

“Apesar dos muitos avanços no Brasil nas últimas décadas, ainda são necessários esforços de vários setores da sociedade, inclusive da iniciativa privada, para tornar o acesso à informação e aos serviços de saúde universais e integrais. Esse acesso é fundamental para assegurar que mulheres e jovens possam decidir com autonomia sobre sua sexualidade, sobre ter ou não ter filhos e o melhor momento em suas vidas para a maternidade”, afirma Jaime Nadal, representante do UNFPA no Brasil.

GabiOliveira
foto: banco de imagens

Os altos índices de gestações não planejadas, de mortes em decorrência de complicações durante a gravidez, o parto e o pós-parto (morte materna) e a elevação da incidência de infecções sexualmente transmissíveis demonstram a urgência do envolvimento de toda a sociedade para fazer frente ao problema.

Dados da pesquisa Nascer no Brasil, da Fiocruz, revelam que aproximadamente 30% das mulheres que deram à luz em hospitais selecionados disseram que não desejaram a gestação atual. No Brasil, ainda conforme a Fiocruz, a cada 100 mil bebês nascidos vivos, 143 mães morriam antes de 1990. Esse número caiu consideravelmente entre 1990 e 2015, mas, seguiu elevado e preocupante: para o mesmo número de bebês nascidos vivos, 61 mulheres vieram a óbito em 2015.

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) é a agência da ONU especializada em demografia, juventude e saúde sexual e reprodutiva. O UNFPA promove o direito de cada mulher, homem, jovem e criança a viver uma vida saudável, com igualdade de oportunidades. Também apoia os países na utilização de dados sociodemográficos para a formulação de políticas e programas de redução da pobreza. O UNFPA trabalha para assegurar que todas as gestações sejam desejadas, todos os partos sejam seguros e toda pessoa jovem alcance seu pleno potencial.

 

Amanhã (19), Quintas Gregorianas recebe Coletivo Pé Descalço


ColetivoPéDescalço
foto: divulgação

Nesta quinta-feira, 19, às 17h, o Quintas Gregorianas tem como atração um grupo formado jovens de bairros periféricos de Salvador, que levam poesia para os ônibus e diversos outros espaços socioculturais. Batizado de Pé Descalço, o coletivo mostra toda sua verve poética na Galeria da Cidade no Teatro Gregório de Mattos (TGM) tendo como ambiência inspiradora a exposição Gregórios. O Coletivo Pé Descalço busca dar visibilidade a poemas autorais de oito jovens que nem sempre tem coragem de expor seus textos, através de intervenções em colégios e saraus pela cidade.

GREGÓRIOS – Ambientada num circuito dinâmico e criativo, com diversas texturas, composta pela vasta obra creditada a Gregório de Mattos, a mostra cria uma atmosfera seiscentista da Salvador do poeta, por via da iluminação, dos sons, de imagens e objetos que transportam os visitantes àqueles tempos em que a capital da Bahia já se fazia majestosa e a mais importante cidade das Américas. Além da vida e obra do Boca de Brasa, uma linha do tempo retrata a trajetória da Fundação que leva seu nome, a Fundação Gregório de Mattos, criada em 1986 e que, ao longo de três décadas, tem sido uma instituição importante para alavancar ações e projetos culturais em Salvador.
A exposição GREGORIOS permanece em cartaz na Galeria do Teatro Gregório de Mattos até o final de abril, de 14h às 19h, com entrada gratuita. Como legado, a Galeria da Cidade ganhará um Memorial com parte do acervo exposto. A exposição Gregórios tem curadoria e conceito de Joãozito (in memorian), Lanussi Pasquali e Carla Zollinger, com cenografia de Renata Mota e Produção Executiva assinada pela Multi Planejamento Cultural.
SERVIÇO 
O que: Quintas Gregorianas com o coletivo Pé Descalço
Quando: 19/04, às 17h
Onde: Galeria da Cidade – Teatro Gregório de Mattos
Quanto: Entrada franca
Contato: TGM 3202-7888

Vale do Dendê seleciona 30 startups para estimular o empreendedorismo em Salvador


ValeDoDende
foto: divulgação

Afrobox é a primeira rede multimarcas afro-colaborativa do Brasil, reunindo uma diversidade de produtos criativos e inovadores da moda e arte afro-brasileira em pontos físicos de Salvador. Criada por Yan Ragede, 27 anos, a startup foi um dos trinta projetos selecionados pela aceleradora Vale do Dendê para participar da primeira turma de inovação. “É o primeiro ano do programa e recebemos 107 inscrições de projetos potentes, promissores e de alto nível. Foi difícil para a comissão fazer a seleção”, afirma Ítala Herta, diretora de operações da Vale do Dendê.

Vale do Dendê é uma organização que tem como objetivo incentivar o empreendedorismo na periferia e no Centro Histórico de Salvador, o Pelourinho. O nome foi inspirado no Vale do Silício, na Califórnia, onde nasceram algumas das maiores empresas de tecnologia do mundo. “Em Salvador temos uma economia criativa e pulsante, que passa pela moda, arte, beleza, tecnologia e serviços de ponta. Esses empreendedores precisam ser apoiados para que seus negócios possam prosperar com mais rapidez”, diz Rosenildo Ferreira, diretor de inovação e marketing da Vale do Dendê, lembrando que as regiões foco da aceleradora nunca contaram com ações coordenadas de apoio e desenvolvimento inclusivo.

aceleradora, criada oficialmente em novembro de 2017, na prática vai funcionar como um guarda-chuva de conhecimento e integração para impulsionar os novos negócios. Em abril, os empreendedores dos 30 projetos selecionados participarão de workshop e treinamento visando prepará-los para defender seus projetos a uma banca composta por integrantes da academia, executivos, empresários e representantes dos patrocinadores: Fundação Alphaville e Itaú Social.

Em maio, dez projetos selecionados terão a oportunidade de apresentar sua ideia e defender a viabilidade financeira e os benefícios para a sociedade. Ganharão também espaço de trabalho gratuito por seis meses. Os três finalistas terão direito a participar de uma missão em São Paulo e receberão apoio para encontrar investidores.

http://www.valedodende.org/parceiros/

FONTE Vale do Dendê

Adão Negro confirma participação no Flow


AdaoNegro
foto: divulgação

A banda baiana de reggae, Adão Negro , é uma das atrações confirmadas para o Flow, evento que acontece neste sábado, a partir das 16 horas, no Trapiche Barnabé. Com mais de 20 anos de carreira, formada por Serginho, Aurelino e Guima, apresenta canções que marcaram historia da banda. Esta ér a sexta edição do evento. No local também haverá shows de Adão Negro, Os My Friends, Prince Addamo e DJ BBzão. Estarão presentes no show músicas como Bota um, Vence Tudo, Reggae  me Leve e Anjo Bom e Afrodescendente. O evento é inspirado nos movimentos que ocorreram na Califórnia na década de 1970, com música, arte, design e cinema ao ar livre.

Os ingressos custam R$ 40 (3º lote) e podem ser adquiridos através do site www.sympla.com.br ou nas lojas da The Finds Store (Rio Vermelho), Soul Dila (Pituba , Jardim Apipema, Shopping Barra e Salvador Shopping) e Rua (Ladeira da Barra).

Adão Negro – Fundado em meados do ano de 1996, o Adão Negro gravou dois anos depois o primeiro disco. Impulsionado pelos amantes do reggae, o grupo começou a tornar-se conhecido nas grandes capitais do país. Na discografia da banda liderada por Serginho, álbuns como ‘Adão Negro’ e ‘Pele Negra’ se tornaram os grandes sucessos, trazendo músicas como ‘Anjo Bom’, ‘Eu Lovei’, ‘Louco Louco’, ‘Bota Um’, ‘Boa Malandragem’, ‘Feed Back’, ‘Pele Negra’ e muitos outros.

 

 

​Serviço​

 Flow

​Quando e horário:​ Sábado, 14 de abril, a partir das 16h

​Onde:​ Trapiche Barnabé, Comércio – Salvador (BA)

​Valor:​ R$ 40