Bando de Teatro Olodum apresenta X Festival de Arte Negra A Cena Tá Preta no Vila!


A CENA TÁ PRETA
NAS ENCRUZA – Ft Heraldo de Deus

 

O Bando de Teatro Olodum apresenta mais uma vez o talento dos seus integrantes, que se movimentam pelas diversas linguagens das artes cênicas. Os artistas do Bando, além de encenarem personagens típicos das ruas da Bahia nos espetáculos da companhia, brilham também como autores, produtores, encenadores e interpretando outras histórias, seja no teatro, no cinema ou na televisão. Uma mostra dessa diversidade de habilidades será apresentada no X Festival de Arte Negra A Cena Tá Preta, que acontece entre os dias 20 e 29 de setembro, no Teatro Vila Velha, com apresentações de teatro, sarau poético, exibição de filme e música.

A edição especial de dez anos será inteiramente dedicada às produções dos integrantes da companhia, que em 2020 completará 30 anos de criação, desenvolvendo uma linguagem própria, compartilhada por meio de espetáculos, oficinas, turnês e participações em diversas produções culturais. Com ingressos a preços populares (R$20,00 e R$10,00 – meia), o festival será uma oportunidade para o público conhecer o talento dos atores e atrizes em outros desafios artísticos.

A CENA TÁ PRETA
Ridson Reis e Roquildes Junior em Esqueça (foto: Fabrício Rocha

 

A abertura do Festival, dia 20 de setembro, sexta-feira, a partir das 18h, será com a intervenção artística Vila nas Encruza, que contará com grafites ao vivo do artista Samuca Santos, poesias com o escritor Nelson Maca e uma Feira Preta com afroempreendedores: Atelier de Nana França; jóias da Baraunartes de Luciana Baraúna; e a Dandakayá, que dará um workshop de maquiagem para pele negra. Às 20h, será apresentado o espetáculo solo Nas Encruza, com texto e atuação de Leno Sacramento e direção Roquildes Júnior.

“O Festival a Cena Tá Preta se consolidou como um importante espaço de valorização das artes negras do Brasil. Todos os anos, reunimos uma programação incrível com artistas e grupos que se dedicam à performance negra. Este ano, resolvemos mostrar o que nós, atores e atrizes do Bando, temos feito em outras produções, com outros artistas, levando a arte que foi desenvolvida na nossa trajetória no Bando para outros diálogos artísticos”, explica a atriz e produtora do Bando de Teatro Olodum, Valdinéia Soriano.

 

Sarauzinho da Calu – Foto Divulgação

O encerramento do Festival será no dia 29 de setembro, domingo, 19h, com o recital Vozes Negras, dirigido pelo ator, diretor, produtor cultural e afrochef Jorge Washington, que convidou atores e músicos para um recital que valoriza a rica produção literária de escritoras e escritores negros, para falar de afetos, resistência e afirmação. Características marcantes em todas as produções que estarão em cartaz neste décimo Festival A Cena Tá Preta.

 

X FESTIVAL DE ARTE NEGRA A CENA TÁ PRETA

De 20 a 29 de setembro de 2017
Teatro Vila Velha (Passeio Público, Campo Grande – Salvador / 71.3083-4600)

PROGRAMAÇÃO

NAS ENCRUZAS dia 20 20h – R$20,00 / R$10,00
Nas encruza, é inspirado no espetáculo En(cruz)ilhada, que aborda problemas recorrentes na sociedade. Com o Nas Encruza, seguimos apontando mais problemas que atingem diretamente o povo preto. Dessa vez, o julgamento precoce e suas causas, genocídio e solidão de gêneros, morte declarada aos candomblecistas. Texto e atuação de Leno Sacramento (Bando de Teatro Olodum) e direção Roquildes Júnior.

SARAUZINHO DA CALU – dias 21 e 28 – 16h – R$20,00 / R$10,00
O Sarauzinho utiliza a ferramenta da poesia, música e literatura infantil para falar de representatividade, tradição, memória e identidade. Abordar a narrativa de uma menina negra, que a partir das suas histórias contadas no bloquinho cria um universo alternativo carregado de símbolos da cultura afro-brasileira. Inspirado no livro infantil Calu: uma menina cheia de histórias, escrito por Cássia Valle (Bando de Teatro Olodum) e Luciana Palmeira

ESQUEÇA dia 21 – 20h – R$20,00 / R$10,00
Bebendo na fonte do texto “A Descoberta das Américas”, de Dario Fo, o espetáculo ESQUEÇA aborda de maneira crítica e lúdica o evento do descobrimento do Brasil e o colonialismo. Os dois atores se dividem em diversos personagens, refletindo e recontando a chegada dos portugueses em solo brasileiro sob outro ponto de vista. A montagem é encenada pelos atores Ridson Reis (Bando de Teatro Olodum) e Roquildes Junior (A Outra Companhia), dirigida por Luiz Antônio Sena Junior (também d’A Outra Companhia), e tem dramaturgia assinada pelos dois atores e pelo pernambucano Giordano Castro (Grupo Magiluth).

LOS PERIFAS dia 22 – 19h – R$20,00 / R$10,00
O grupo, formado pelos três multartistas Gabriel Carneiro, Ridson Reis (Bando de Teatro Olodum) e Roquides Junior, tem seu repertório constituído pela releitura de canções de artistas como Carlinhos Brown, Martinho da Vila, Lenine, Tribalistas, dentre outros, surgiu do encontro dos artistas interessados em pesquisar e propor uma música que bebesse na fonte de ritmos latinos.

Ilha dia 26 – 19h – R$10,00 / R$5,00
Emerson, um jovem da periferia, quer fazer um filme sobre a sua história na Ilha, lugar onde quem nasce nunca consegue sair. Pra isso, ele sequestra Henrique, um premiado cineasta. Juntos, eles reencenam a própria vida, com algumas licenças poéticas. O plano começa e a partir de então não há mais limites, afinal, cinema também é jogo. No elenco do longa, cinco integrantes do Bando de Teatro Olodum: Valdinéia Soriano, Sergio Laurentino, Arlete Dias, Renan Motta e Ridson Reis. A direção é de Ary Rosa e Glenda Nicácio, os mesmos diretores do premiado Café com Canela.

V DE VIADO dia 27 – 20h – R$20,00 / R$10,00
Com atuação de Vagner Jesus e texto e direção Leno Sacramento, ambos do Bando de Teatro Olodum, V de Viado é um ritual sensível, com direito a close, glitter, riso e grito, pela recuperação das humanidades usurpadas pelas políticas de eliminação. Cada ofensa e cada julgamento atribuídos por sermos quem somos, pretos e viados, bixas pretas, se dissolvem nas afetividades, no autocuidado e no amor

SE DEUS FOSSE PRETO dia 28 – 20h – R$20,00 / R$10,00
Como seria se o deus cristão, ocidental, cultuado pela maior parte das religiões, desaparecesse? No lugar dele, um deus negro, com outros valores, outra doutrina e outro templo. O espetáculo “Se Deus Fosse Preto – O Legado de LOID” percorre inúmeras reflexões sobre a vida, a fé, a humanidade e culmina nessa situação hipotética. Com texto e atuação de Sergio Laurentino, que estreou o seu primeiro monólogo após trabalhos coletivos com o Bando desde 2001, a peça marcou também a estreia do ator e músico Jean Pedro como diretor

SARAU VOZES NEGRAS – dia 29 – 19h – R$20,00 / R$10,00
Utilizar a poesia e a rica produção literária de escritoras e escritores, para falar de amor, resistência e afirmação, é a proposta do recital “Vozes Negras”, concepção e direção de Jorge Washington, que convidou os talentosos Fábio Santana e Shirley Silva (ambos do Bando de Teatro Olodum), além de Luciana Souza, Denise Correia, e o violonista Mauricio Lourenço e ainda as participações especiais de Dão e Michaela Harrison. O recital valoriza o poder da mulher e as escritas femininas, na voz e na performance dos artistas.

Estão abertas inscrições para Editais Setoriais de Cultura 2019; tem Oficina pra elaboração de projetos!


editais setoriais

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Cultura (SecultBA), lança os Editais Setoriais de Cultura 2019. Com objetivo fomentar a Cultura na Bahia através das diversas modalidades, estão abertas entre os dias 09 de setembro e 08 de outubro, as inscrições para 19 Editais Setoriais.

As chamadas públicas contemplam as seguintes áreas: Apoio a Grupos e Coletivos Culturais; Apoio à Publicação de Livros por Editoras Baianas; Apoio às Bibliotecas Comunitárias; Artes Visuais; Circo; Culturas Identitárias; Culturas Populares (Capoeira, Versão Simplificada e Versão Padrão); Dança; Economia Criativa; Incentivo à leitura – Formação de Leitores e Mediadores; Literatura; Museus; Música; Patrimônio Cultural – Arquitetura e Urbanismo; Restauração, Digitalização e Promoção de Acervos Privados de Interesse Público; Teatro e Territórios Culturais. A execução é por meio das unidades vinculadas da SecultBA (Fundação Cultural do Estado da Bahia, Fundação Pedro Calmon e Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural), das superintendências de Promoção Cultural e de Desenvolvimento Territorial da Cultura, e também do Centro de Culturas Populares e Identitárias.

Inscrições – As inscrições para os Editais Setoriais poderão ser realizadas pela internet, por meio do Sistema de Gerenciamento de Fomento à Cultura – Clique Fomento, disponível no site siic.cultura.ba.gov.br. Para alguns editais, é possível se inscrever também por meio físico, através de envio de formulário devidamente preenchido, em envelope lacrado e identificado (destinatário, nome do edital e nome da proposta), por Sedex dos Correios, serviço similar, ou carta registrada com aviso de recebimento (AR), para Rua Chile, 22, Caixa Postal 51 – Agência Central Salvador, Praça da Inglaterra, s/n, Comércio, CEP 40.020-970, Salvador-BA.

Podem participar pessoas jurídicas de direito privado que tenham entre suas finalidades legais o exercício de atividades na área cultural; associações, fundações, sociedades simples, empresariais e Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (Eireli); pessoas físicas maiores de 18 anos; microempreendedores individuais (MEI); e cooperativas, grupos e coletivos culturais. O candidato precisa comprovar residência na Bahia há, pelo menos, três anos.

OFICINAS

Serão realizadas, pelo estado, oficinas paraapresentar os Editais Setoriais 2019 e de elaboração de projetos. O intuito é mobilizar e fazer com que artistas, agentes e coletivos culturais, além de cooperativas, fundações e associações que atuam na área cultural consigam participar das chamadas públicas. Ao todo são 19 editais, com investimentos de mais de R$ 15 milhões, e as inscrições ficam abertas até o dia 08 de outubro. Em Salvador será no dia 17 de setembro (terça-feira), no Instituto Anísio Teixeira (IAT), das 9h às 17h.

 

Editais Setoriais 2019
Inscrições: 09 de setembro a 08 de outubro de 2019
Acesse aqui!

Projeto musical AFROBALADA recebe os cantores Di Cerqueira e Luci Sá no Solar Boa Vista!


AFROBALADA
Di Cerqueira. Créditos_Heder Novaes

 

O Cine-Teatro Solar Boa Vista foi o local escolhido para a terceira parada do projeto musical AFROBALADA. A iniciativa busca fortalecer a música enquanto instrumento político em diversos circuitos culturais de Salvador, através de formações musicais e intercâmbios artísticos no palco e ao vivo. No próximo sábado (21), as oficinas formativas estão programadas para acontecer a partir das 9h, com inscrições gratuitas, enquanto que a apresentação musical acontece às 19h, com ingressos vendidos por R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia).

AFROBALADA
Luci Sá – Divulgação

No palco do Solar, a banda Conexão Tambor comanda a noite com um repertório de canções autorais do seu EP Sintonia Baiana, além de outros sucessos da música local. A banda traz como convidada especial a cantora Luci Sá, para trocarem experiências através do axé e do samba-reggae. A abertura fica por conta do rapper baiano Di Cerqueira, cujo trabalho apresenta batidas que misturam o trap, o funk carioca, a percussão baiana e estilos eletrônicos como a PC MUSIC.

Banda Conexão Tambor inicia a turnê do seu projeto AFROBALADA!

No período da manhã, o grupo ministra oficinas de formação em ritmos africanos e instrumentos percussivos para crianças, jovens e adultos do Engenho Velho de Brotas, como uma forma de incentivo para que novos talentos sejam descobertos na carreira musical.

Para o vocalista Othon, a experiência do AFROBALADA tem sido de muita potência, e ele acredita que o projeto pode ser ainda maior. “Essa é nossa terceira etapa de circulação do projeto e por onde passamos sentimos que deixamos uma semente e, acreditamos, que ainda colheremos muitos frutos num futuro próximo”, aponta. Sua aposta é de que a música pode ganhar ainda mais força enquanto um espaço de resistência política e ser um dos lugares de transformação do mundo.

Conexão Tambor – A história da banda começa em 2016 quando dois amigos, Othon e Hélio Victor, decidem formar uma banda para tocar uma mistura de sons de rock, reggae, MPB, axé, entre outros ritmos. Em 2018, mais sete integrantes passam a participar da empreitada e o nome Conexão Tambor é dado ao grupo. Ao final de 2018, a banda lança seu primeiro EP “Sintonia Baiana” e seu primeiro videoclipe.

 

 

Serviço

O quê? Projeto AFROBALADA

Quando? 21 de setembro, sábado. Oficina de iniciação em percussão: 9h | Oficina de ritmos afrobrasileiros: 11h | Show: 19h

Onde? Cine-Teatro Solar Boa Vista (Engenho Velho de Brotas)

Quanto? Show: R$ 10 e 5 | Oficinas gratuitas

Realização: Avelar Produções Culturais

Concurso AfroBeautiful reunirá empreendedores e modelos em desfile no Teatro Eva Herz!


Concurso AfroBeautiful

Estão abertas as inscrições paara o Concurso AfroBeautiful, ação que tem como base ideológica o Movimento “Black is Beautiful”,  que ocorreu nos EUA na década de 60.

No Concurso, os afroempreendedorxs também terão destaque, como uma forma de disseminar e impulsionar a ideia do Black Money. O evento também contará com apresentações musicais entre elas do rapper Mr. Armeng e da cantora Vanessa Borges.
O AfroBeautiful tem como objetivo principal a valorização da beleza negra como forma de elevação da auto estima e auto valorização, bem como o fortalecimento da identidade da pessoa preta.
É um  Concurso para todos os perfis, a partir de 15  anos de idade, e a premiação será deFaixas e Book Fotográfico para o 1° lugar (feminino e masculino) e brindes dos 1º ao 5º lugares. Os (as) candidatos (as) deverão desfilar com marcas de afroempreendedores (as) a sua escolha, seja através de patrocínio, compra ou permuta. As inscrições estão abertas até 20 de setembro e o Concurso em si será no dia 27/9, no Teatro Eva Herz da Livraria Cultura – Salvador Shopping.

Quer saber mais? 

Contato: Vander Charles 71 98709-0763 / Pérola Anjos 71 98735-4238

Jovens de Pirajá e Engenho Velho de Brotas apresentam resultados de Oficinas de Performance Negra do Bando de Teatro Olodum!


Bando de Teatro Olodum
Foto de Fabrício Rocha

 

Nos próximos dias 12, 13 e 17 de setembro, os jovens dos bairros de Pirajá e Engenho Velho de Brotas apresentarão o resultado das aulas de teatro, música, expressão corporal, iluminação e memória e identidade ministradas pelo elenco do Bando de Teatro Olodum dentro do projeto Oficinas de Performance Negra.

Durante dois meses, os jovens vivenciaram a metodologia de formação do ator e da atriz da companhia que está prestes a completar 30 anos de atuação, como um dos mais importantes grupos teatrais do Brasil. As apresentações são gratuitas e tem como tema central as Mulheres Negras Latino-americanas e Caribenhas.

Depois de se apresentarem em suas comunidades (dia 12/09, no Centro de Cultura e Cidadania de Pirajá e no dia 13/09, no Cine Teatro Solar Boa Vista de Brotas), os jovens subirão ao palco do Teatro Vila Velha (Campo Grande), dia 17/09, às 19h, para o encerramento do projeto, apresentando o resultado de todo aprendizado adquirido nas aulas. Com esta mostra, o Bando de Teatro Olodum espera revelar novos talentos das artes cênicas, comprometidos com questões sociais e políticas, especialmente o combate às desigualdades e preconceitos.

A Oficina de Performance Negra é um projeto contemplado no Edital da Secretaria Estadual de Promoção da Igualdade Racial – Sepromi: Bahia 2019 Década Afrodescendente.

SERVIÇO:

Mostra final da Oficina de Performance Negra 2019

Dia: 12 de setembro, às 16h, Centro de Cultura e Cidadania de Pirajá – 389, Rua 24 de Agosto, 381 – Final de Linha de Pirajá Velha.
Entrada Gratuita.

Dia: 13 de setembro, às 19h, Cine Teatro Solar Boa Vista – Parque Solar Boa Vista – Engenho Velho de Brotas.
Entrada Gratuita.

Dia: 17 de setembro, às 19h, Teatro Vila Velha – Passeio Público – Campo Grande.
Entrada Gratuita

Sede do Ilê Aiyê recebe seletiva do Afro Fashion Day!


Seletiva Afro Fashion Day
Bocciaphoto

Este ano, o Ilê Aiyê se alia ao  projeto Afro Fashion Day, criado em 2015 pelo Jornal Correio. O desfile de moda chega a sua 5ª edição, tendo como temática a grandeza dos Blocos Afro.

Pelo 3º ano consecutivo, o Correio realiza seletivas abertas na busca de jovens modelos negros com identidade baiana. Em sua quarta etapa, a próxima edição acontece no dia 12 de setembro, quinta-feira, das 14h às 17h, na sede do bloco Ilê Aiyê – Senzala do Barro Preto, Curuzu.

Para participar é necessário realizar uma inscrição prévia, e gratuita, através do link http://bit.ly/afdseletivas2019. Está liberada a presença de qualquer jovem negro(a), com idade entre 13 e 24 anos, que more em Salvador ou na Região Metropolitana.

No dia da seleção, uma comissão formada por membros do Correio e do Ilê estarão presentes para caçar futuros talentos da moda. São eles Fagner Bispo – curador do evento, Dete Lima – diretora e estilista do Ilê Aiyê e os estilistas do Afro Vander Charles, da marca Black Atitude, e João Damapejú.

A parceria que estabelecemos é muito importante, precisamos celebrar a existência de ações como essa, pois mostram que a luta negra tem rendido frutos. Pra mim, que já trabalho com moda, é muito gratificante ver tantos artistas e jovens pretos construindo juntos, me orgulha demais”, revela Dete Lima.

Jorge Washington prepara mais um Culinária Musical com Sarapatel e Bacalhau Martelo!


 

Após ser adiado por conta das fortes chuvas que caíram em Salvador no último domingo (8), o projeto Culinária Musical será realizado neste domingo (15) pelo idealizador e AfroChef, Jorge Washington, das 12h às 17h30.

O local será o mesmo – – a Casa do Benin, no Pelourinho. Nesta edição, os pratos serão Bacalhau Martelo e Sarapatel, preparados com todo afeto pelo Afrochef, terá música afro, com participação especial.

Os convidados continuam sendo Denise Correia e sua banda Na Veia da Nêga, com a participação do cantor Guiguio Shewell, que fez carreira e sucesso nos vocais do bloco Ilê Ayiê. O Culinária Musical já está em sua 55ª edição, animando o público fiel à gastronomia afetiva de Jorge Washington.

SERVIÇO

O que: Culinária Musical convida Denise Correia e Guiguio Shewell

Quando: 15 de Setembro (domingo), das 12h às 17h30

Onde: Casa do Benin, Rua Padre Agostinho Gomes, 17, Pelourinho

Quanto: R$20 (entrada em espécie); Prato R$30 (o local aceita cartão de débito e crédito)

guiguio_do_ile
Guiguio Foto Edgar de Souza

SERVIÇO

O que: Culinária Musical convida Denise Correia e Guiguio Shewell

Quando: 15 de Setembro, das 12h às 17h30

Onde: Casa do Benin, Rua Padre Agostinho Gomes, 17, Pelourinho

Quanto: R$20 (entrada em espécie); Prato R$30 (o local aceita cartão de débito e crédito)

Espetáculo de Dança “Calabouço” volta em cartaz no Teatro Vila Velha!


calabouco
Credito_Gabriela Kliemann

 

Depois de duas temporadas com casa lotada Calabouço retorna aos palcos, dessa vez do Teatro Vila Velha, durante os dias 13,14 e 15 de setembro – sexta e sábado às 20h e domingo às 19h. Será uma curta temporada do mais recente espetáculo da Katharsis Companhia de Dança. Calabouço explora um lado incógnito do ser humano na busca por libertação. A primeira apresentação do espetáculo no dia 13, será direcionada a profissionais da área de saúde mental, com um bate papo ao fim da sessão.

 
Seis intérpretes-criadores no palco constroem a atmosfera sombria do carcere, que serve como metáfora para tratar das prisões individuas dos mesmos. Frustração, raiva e desejo permeiam as cenas desse espetáculo que traz como referência a linguagem do jazz contemporâneo, área de formação do diretor e coreógrafo da Companhia, e o universo cinematográfico.


As palavras que norteiam o espectador para o espetáculo são quatro. Solitário: Em meio a sensação de luto, culpa e desejo. Sujo: Prisioneiro do medo de ficar só. Condenado: Um calabouço como metáfora sobre nossas próprias prisões. Livre: Um mergulho em si para sair da superfície.
 
Para o diretor e coreógrafo da Companhia, Filipe Monte Verde, o espetáculo é especial por trabalhar na dança um tema que por muitas vezes é tido como inacessível, complexo e desconhecido no ser humano. Monte Verde afirma que trará novidades para essas três apresentações “sempre que você retorna a esse lugar pouco acessado é uma nova experiência e essa é a proposta do espetáculo, novas experiencias sempre. Dessa vez teremos novo elenco, novas cenas, novidade até mesmo para quem já viu”.
 
Serviço
O que:  Espetáculo de Dança ‘Calabouço’
Quando: 13, 14 e 15 de setembro (sexta e sábado às 20h e domingo às 19h)
Onde: Teatro Vila Velha
Quanto: Ingresso R$ 15 (meia entrada) e 30 inteira. 
Classificação: 16 anos.
Os ingressos podem ser adquiridos através dos perfis: @lipemonteverde ou @ciakatharsis no instagram. Ou através da bilheteria online: https://www.ingressorapido.com.br/event/32384-1

 EPA! Encontro Periférico de Artes: abertas as inscrições para 3ª edição da Batalha do Pagode!


Batalha do Pagode
Foto Alice Rodrigues

 

Você gosta de pagode, de quebrar até o chão? Então, não pode ficar de fora do EPA! Encontro Periférico de Artes, dedicado a valorização e a difusão de manifestações dos universos da arte negra e da periferia.

As inscrições vão até o dia 27 de setembro de 2019. Candidatas e candidatos devem acessar e preencher todo o formulário com os dados solicitados, no link: https://forms.gle/1bz6gby8BfGdaDL16.

Em sua 3ª edição, o evento é idealizado pela ExperimentandoNUS, companhia que atua e produz dança de forma independente e ininterrupta há 11 anos no estado da Bahia.
Assim como nas edições anteriores, a deste ano vai contar com 12 dançarinas e 12 dançarinos solos para a competição. Não serão aceitas inscrições de duplas, trios ou grupos.

O encontro reúne diversas linguagens artísticas, como dança, oficinas, debates, exposições, performances, literatura, audiovisual. Um dos momentos mais esperado do evento é a Batalha do Pagode, realizada nos dias 06 de outubro de 2019, no Teatro Gregório de Mattos, às 14 horas. A competição vai reunir os 24 selecionados.

Premiação
O participantes competem entre si, onde somente 4 mulheres e 4 homens seguem para a Semi Final e a Final. Para a premiação serão definidos dois ganhadores femininos e dois masculinos. O prêmios serão os seguintes:
1º Lugar Feminino receberá o prêmio de R$ 700,00
2º Lugar Feminino receberá o prêmio de R$ 400,00
1º Lugar Masculino receberá o prêmio de R$ 700,00
2º Lugar Masculino receberá o prêmio de R$ 400,00

O projeto tem apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura da Bahia.

Grupo Teatral Ayá segunda edição da Feira de Artes Pretas Raízes!


Acontece neste sábado, 14 de setembro de 2019, das 9h às 20hs, a segunda edição da Feira de Artes Pretas Raízes, no Centro Cultural Casa de Angola, em frente ao Corpo de Bombeiros da Barroquinha. Entrada R$5, classificação etária livre. Com uma variada programação, durante todo o dia terá exposições e vendas de artesanato, turbantes, bijuterias, comidas e bebidas, apresentações artísticas e muito mais.

Realizada pelo Grupo Teatral Ayá, a Feira de Artes Pretas Raízes é uma feira que reverencia e exalta o matriarcado africano como base estrutural na repatriação mental e intelectual do povo preto, portanto em cada edição homenageia duas figuras de importante representatividade preta.

A ideia principal é impulsionar a economia criativa para os/as microempreendedores/as, que pertencem a população de baixa renda e periférica, cuja maioria da população é negra e afrodescendente. São 20 expositores por para que a feira fortaleça o máximo de empreendedores e empreendedoras possíveis. A feira é realizada em dois dias (exceto esta edição), e para alcançar e abraçar as inúmeras expressões afro artísticas, também contamos com pocket show musicais, discotecagem, performances de dança, performances teatrais e poéticas, manifestações folclóricas, artes visuais, culinária baiana, mesa com jogos africanos de tabuleiro e oficinas.
A variedade de produtos da nossa feira também é algo que chama atenção pois temos: Bio cosméticos, sabonetes artesanais, massagens, doces caseiros, arte em macramê, bolsas artesanais, bijuterias, bonecas pretas, afro literatura, cadernos artesanais, acessórios com temas de orixás, bonés com temas de orixás, acessórios e roupas com tecido africano, artigo em decoração e muito mais.
.
Programação – sábado, 14 de setembro de 2019 – Casa de Angola

Roda de oralidade: Maternidade Raiz

Horário: 09:00 às 10:10
Oradora: Gisele Soares, Mariza Carvalho e Rilton Júnior
Mediadora: Luz Marques

Descrição: a maternidade africana na diáspora foge dos padrões embanquecidos de família, dada a valorização da oralidade, da tradição, de costumes oriundos do matriarcado, da forma com que o conhecimento é introduzido no âmbito familiar. Vamos trazer a tona a contribuição da herança do matriarcado africano na formação política do povo preto em ascenção.
10:30 às 11:30h – A poética do Grupo Teatral Ayá com participação especial de Grazi Drew
11:30h – Venda de almoço – GASTRONOMIA AFRO BAIANA e Som de Voz e Violão com Moisés Viola Negra
13:30 às 14h – Roda de Oralidade Afro Empreendedora – Cada expositor vai falar um pouco do seu produto
14:00 às 14:30hs – Performance ITÃNS História e Memória – contação de histórias para crianças
14:40 às 15:40h – OFICINA DE PANDEIRO com ritmos nordestinos com a percussionista Mercedes Garros do Varal de Cordel
15:50 às 16:40h – Pocket Show do Máfia Suave com o Dj e MC JayRedlay
17:50 às 18:50h – Pocket Show de reggae com Gabi Santana e Dj Belle
19:00 às 19:40h – ENCERRAMENTO – Pocket Show de rap com MADAMMA