Espetáculo marca a presença histórica de mulheres na Revolta dos Malês!


mulheres_males_sandro_sussuarana
Foto Sandro Sussuarana
Com programação diversificada, o projeto Se Mostra Interior, realizado pela Fundação do Cultural do Estado da Bahia em parceria com o Teatro Gamboa Nova, trará seis espetáculos de artes cênicas para se apresentaram durante um final de semana na capital baiana. O primeiro será “Mulheres Malês”, do Grupo Loca, com direção de Heme Costa. A peça chega aos palcos do Teatro Gamboa Nova, nos dias 27 e 28 de julho, às 19h e 17h.
“Nós queremos marcar as vozes e a luta de mulheres num lugar que foi invisibilizado, e trazer essas histórias à tona a partir da discussão racial e de gênero”, explica Heme. Para a diretora, o trabalho ganha uma força a mais no Julho das Pretas, calendário de atividades em comemoração ao dia 25 de julho, em que se comemora o dia da Mulher Negra e Latino-Americana e Caribenha.
Foi pesquisando no título “A Revolta dos Malês”, do historiador João José Reis, que Heme Costa conseguiu encontrar o nome das mulheres que estiveram presente no Levante do Rio Joanes, uma das diversas lutas que marca a grande revolta. Em 28 de fevereiro de 1814, às margens do rio, onde hoje está situado o bairro de Portão, aconteceu uma batalha em que negras e negros escravizados brigaram por sua liberdade e direito ao culto de sua religião.
Imagem:Reprodução
Estreada em 2018 no Cine Teatro Lauro de Freitas, a peça já foi apresentada no Circuito de Arte e Cultura Negra em Alagoinhas e foi indicada ao Prêmio Braskem de Teatro na categoria melhor espetáculo do Interior da Bahia. “Tenho uma imensa felicidade pela visibilidade que este trabalho tem tido, sobretudo por ampliar a pesquisa e a arte num contexto baiano. É também uma oportunidade para novos diálogos”, afirma Heme.
A Loca – O Grupo Loca é dirigido por Heme Costa, atriz e arte educadora, licenciada em Teatro pela Universidade Federal da Bahia, onde também possui especialização em Educação em Direitos Humanos. O grupo surgiu em 2014 a partir do projeto “Na Minha Comunidade?”, em que desenvolveu outros espetáculos na cidade de Lauro de Freitas. Além de Mulheres Malês, o Loca tem em seu currículo os espetáculos “Na Minha Comunidade?” (2014/2016),  “#Tô Passada” (2015) e “Levante” (2015).
Serviço:
Se Mostra Interior – Mulheres Malês
Quando: 27 e 28 de julho de 2019. Às 19h no sábado, e às 17h no domingo
Onde: Teatro Gamboa Nova – Rua Gamboa de Cima, Largo dos Aflitos, 3, Salvador – BA
Ingressos: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia)

Projeto “Mulher com a Palavra” traz Mariene de Castro e Ana Maria Gonçalves pra falar de “Maternidade”!


mariene-de-castro
Mariene de Castro

O projeto “Mulher com a Palavra” chega ao quarto ano de atividades, reunindo personalidades da cultura brasileira para debater temas inquietantes sobre os direitos das mulheres, desta vez em torno da questão “Maternidades Possíveis”. Abrindo os trabalhos, uma conversa entre a cantora Mariene de Castro e a escritora Ana Maria Gonçalves, com mediação da apresentadora Rita Batista.

A conversa vai girar em torno de perguntas como: quais as visões das mulheres de hoje para a potência da maternidade? Como enxergam as imposições relativas à educação de crianças pela sociedade? E a sacralização da figura da mãe, a quem atende? E a possibilidade de não ter filhos? A impossibilidade de escolher legalmente interromper uma gravidez?

SOBRE ELAS:

ana-maria-gonçalves

Ana Maria Gonçalves nasceu em 1970 em Ibiá, Minas Gerais. Publicitária por formação, residiu em São Paulo por treze anos. Em viagem à Bahia, encantou-se com a Ilha de Itaparica, onde fixou moradia por cinco anos e descobriu sua veia de ficcionista, passando a se dedicar integralmente à literatura e ao universo cultural da diáspora africana nas Américas.

Sua estreia no romance se dá em 2002, com a publicação de Ao lado e à margem do que sentes por mim – “livro terno, íntimo, vivido e escrito em Itaparica”, segundo o depoimento de Millor Fernandes. O texto teve circulação restrita, em primorosa edição artesanal. Em 2006, a autora torna-se conhecida em todo o país com o lançamento de Um defeito de cor, narrativa monumental de 952 páginas.

Mariene de Castro Mariene Bezerra de Castro, mais conhecida como Mariene de Castro, é atriz, modelo, instrumentista, bailarina, cantora e compositora brasileira, notória por destacar maracatu e samba de roda em sua obra, formada por 5 álbuns. É mãe de Bento Velloso, Pedro Velloso, João Francisco Velloso e Maria dos Santos. 

 

rita_batista_mulher_com_a_palavra_tais_araujo_salvador
Rita Batista

O “Mulher com a Palavra” é uma iniciativa da Maré Produções Culturais, em parceria com a Secretaria de Políticas para as Mulheres do Estado da Bahia (SPM-BA), com o patrocínio da Avon e da Bahiagás.

SERVIÇO

Quando: 23/07, 20h

Quanto: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia), das filas A a Z11

Onde: Teatro Castro Alves – Sala Principal (Campo Grande)

Classificação indicativa: Livre

Encontro Lendo Mulheres Negras retorna com o livro “Gabyanna Negra e Gorda” de Gabriela Rocha!


gabyanna

Está de volta o encontro Lendo Mulheres Negras, e dessa vez trazendo uma temática nova: a Gordofobia e a Solidão da Mulher Negra, com a autora Gabriela Rocha e seu livro Gabyanna Negra e Gorda.

Gabyanna é um jovem negra e gorda que tem um grande apreço pela a vida, viver bem e amar bem são suas metas na vida, porém, o amor romântico sempre foi uma pedra em seu calcanhar, e muitas vezes viu seu corpo como uma barreira para alcançá-lo. É nessas aventuras e desventuras que se insere a história do livro de Gabriela Rocha, um campo aberta para falar sobre o amor e a solidão da mulher negra.

Gabriela Rocha é formada em Contabilidade com especialização na área Tributária. Nascida em Brasília, tem 40 anos e, atualmente, vive em Oslo, na Noruega.

SERVIÇO

O que: Lendo Gabriela Rocha

Quando: 27 de julho,às 15h30

Onde: Teatro Gregório de Matos (Praça Castro Alves, Centro)

Vai ter “Tia Má com a Língua Solta” no Teatro Eva Herz este mês!


tia_ma_com_a_lingua_solta3
Foto: Andrea Magnoni

 

Celebrando o Dia Internacional da Mulher Negra, Latino-Americana e Caribenha, o stand up “Tia Má com a Língua Solta“ volta aos palcos de Salvador em apresentação única. A comédia é protagonizada pela jornalista baiana e humorista Maíra Azevedo e estará em cartaz no Teatro Eva Herz (Salvador Shopping), no dia 25 de julho, às 20h.

Instituído no ano de 1992, 25 de julho é marcado internacionalmente pelo reconhecimento da luta e resistência da mulher negra, dando visibilidade às lutas e a sua presença na sociedade. Neste sentido, Maíra comenta que sente animada em poder celebrar o Dia da Mulher Negra, Latino-Americana e Caribenha em cima do palco. “É um privilégio poder falar de nossas dores e de nossas conquistas, sempre com humor. Porque a mulher negra também tem histórias de superação para contar e a gente pode se enxergar, nas vitórias umas das outras” conclui a jornalista. 

Produzido pela Benvindo Produções, “Tia Má com a Língua Solta” está em cartaz desde 2017 e já esteve em Brasília e São Paulo, contabilizando dezenas de apresentações nestes dois anos. E ainda hoje, a comédia aborda aspectos atuais, proporcionando empatia com a plateia. O stand up é dirigido por Elísio Lopes Jr e a co-direção é de Ricardo Fagundes.

Os ingressos estão sendo vendidos na bilheteria do teatro ou pelo site Ingresso Rápido.

SERVIÇO
O que: Tia Má com a Língua Solta
Onde: Teatro Eva Herz (Livraria Cultura – Salvador Shopping)
Quando: Quinta-feira, 25 de julho, 20h
Quanto: Ingressos R$ 60 (inteira) e R$ 30 (meia)

IGHB promove curso sobre a História da Bahia! Inscrições abertas!


historia-da-bahia
Foto Camila SouzaGOVBA

Interessados em conhecer a história da Bahia já podem se inscrever em curso extensivo que será promovido pelo Instituto Geográfico e Histórico da Bahia. As aulas serão realizadas em quatro módulos, entre os meses de agosto a novembro, das 14h às 18h, e serão ministradas pelos professores Fabricio Lyrio Santos e Sérgio Guerra Filho (UFRB), Alfredo Eurico Matta e Luiz Alberto Freire (UFBA).

Os especialistas irão abordar temas como “Os povos indígenas: originários do território brasileiro” (26 a 30 de agosto), “A Bahia e o Brasil nas primeiras décadas do século XIX: região, poder e rebeldias” (23 a 27 de setembro), “Compreensão histórica da Economia-Política da Bahia” (28 de outubro a 01 de novembro) e “Baianidades artísticas” (18 a 22 de novembro).

O investimento é de R$ 200 (duzentos reais), com carga horária de 80 (oitenta) horas e direito a certificação. A inscrição pode ser feita diretamente no site www.ighb.org.br

O IGHB é uma das instituições apoiadas pelo programa Ações Continuadas a Instituições Culturais, iniciativa da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA) através do Fundo de Cultura da Bahia (FCBA). Funciona de segunda a sexta, das 13h às 18h e está situado na Piedade (Avenida Joana Angélica, 43).

Módulo I – Povos Indígenas: da colônia à atualidade

Ministrante: Professor Fabricio Lyrio Santos (UFRB)

Período: 26 a 30 de agosto – das 14h às 18h

Resumo: O módulo vai tratar do estudo dos povos originários do atual território da Bahia, evidenciando sua diversidade e protagonismo, com ênfase para os processos de dominação e resistência instaurados pela colonização européia e seus desdobramentos do período colonial à atualidade.

 

Programa:

Os povos originários do território brasileiro: diversidade e ocupação territorial

O choque com os europeus: conquista, colonização e escravização dos povos indígenas

O protagonismo indígena: resistências e adaptações

Os índios e o Estado Nacional: trajetórias e confrontações no pós-Independência

Os índios na atualidade: protagonismo, conquistas e desafios

 

Módulo II – A Bahia e o Brasil nas primeiras décadas do século XIX: região, poder e rebeldias

Ministrante: Professor Sérgio Guerra Filho (UFRB)

Período: 23 a 27 de setembro – das 14h às 18h 

Resumo: O curso abordará um período da História baiana em que esta região se transformou de uma capitania do Império Português em uma província do Império do Brasil. A Bahia passou por intensas transformações durante este período – fins do século XVIII e primeiras décadas do XIX – dentre as quais, elegemos como eixo os movimentos de rebeldia acontecidos neste período para analisarmos a trajetória desta região durante o processo de formação do Estado e da Nação brasileiros.

 

Programa:

História Política, História Social e o estudo das rebeldias; A Bahia: panorama histórico no século XIX;

Crise e conflito: a Bahia chega ao Século XIX; O Movimento de 1798;

A Bahia e a Formação do Estado e da Nação Brasileiros I – a Guerra de Independência;

Revoltas Escravas e a Província; Levante dos Malês;

A Bahia e a Formação do Estado e da Nação Brasileiros II – conflitos antilusitanos e tensões federalistas; “Para onde foi a rebeldia?” – a Bahia pós-Sabinada.

  

Módulo III – Compreensão histórica da Economia-Política da Bahia

Ministrante: Professor Alfredo Eurico Matta (Ufba)

Período – 28 de outubro a 01 de novembro  

Resumo: O curso tratará de construir uma compreensão político-econômica da História da Bahia. Trataremos de desenvolver coletivamente uma compreensão sobre como, a partir de uma sociedade originalmente composta de povos indígenas, que se somou a presença de colonizadores ibéricos e de escravizados trazidos a força, e outras influências, foi se formando a sociedade colonial senhorial, que se desenvolveu depois, em lutas de classes e de ordens sociais complexas, na direção da atual sociedade hegemonicamente capitalista, com suas relações específicas de racialidade e descriminações, parte de um país dividido em ao menos dois projetos políticos antagônicos, e  em meio ao desenvolvimento de relações intercontinentais presentes desde sempre. Uma discussão histórica da Economia-Política do Estado.

 

Programa:

Fundamentos metodológicos;

Bases para a compreensão da construção econômica e política da Bahia colonial;

A construção das regionalidades Baianas;

O desenvolvimento do Mercado em Salvador e o Final da Escravidão;

As fases da nossas história republicana e o estabelecimento da hegemonia social burguesa na Bahia;

Entendendo projetos contemporâneos de Brasil e sus relações com o contexto brasileiro e mundial

 

Módulo IV – Baianidades artísticas

Ministrante: Professor Luiz Alberto Freire (Ufba)

Período: 18 a 22 de novembro – das 14h às 18h 

 Resumo: O módulo será composto por palestras sobre temas variados da arte baiana, pesquisas que geraram comunicações em eventos científicos e que foram publicados em forma de artigos. Neles o tema predominante é a ornamentação das igrejas na Bahia do século XVIII e XIX, incluindo o trabalho de dois importantes artistas da talha e da pintura e um tema inédito acerca do modernismo artístico baiano.

 Programa:

A ornamentação da Capela de São José do Genipapo em Castro Alves.

O entalhador Vitoriano dos Anjos Figueiroa

A talha de Joaquim Francisco de Mattos Roseira

Os passos da Paixão de Cristo e suas insígnias pintados por José Joaquim da Rocha

O homoerotismo na arte de Carlos Bastos

 

SERVIÇO

Curso História da Bahia 2019

Agosto a Novembro

Carga horária: 80 (oitenta) horas

IGHB – Avenida Joana Angélica, 43 – Piedade

Abertas inscrições para programação musical da Concha Negra 2019!


conchanegra

A 2ª edição do Concha Negra está confirmada e vai apresentar, de novembro de 2019 a fevereiro de 2020, espetáculos que representam a riqueza da produção musical afro-baiana no palco da Concha Acústica do Teatro Castro Alves (TCA). Podem participar produções musicais contemplando estilos como samba, reggae, afro, afoxé, hip hop, entre as outras diversas variações deste cenário. As inscrições vão de 16 de julho a 29 de agosto de 2019.

A Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb), entidade vinculada à Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA), por meio do TCA, abre convocatória para seleção de propostas para compor esta programação, com inscrições online de 16 de julho a 29 de agosto, nos sites www.tca.ba.gov.brwww.fundacaocultural.ba.gov.br ou www.cultura.ba.gov.br.

A primeira etapa do projeto foi realizada entre setembro de 2017 e fevereiro de 2018, com shows de Filhos de Gandhy, Muzenza, Ilê Aiyê, Cortejo Afro, Olodum e Malê Debalê. Além das apresentações principais, cada espetáculo teve a participação de pelo menos um convidado especial e também uma abertura com intervenções de outras linguagens artísticas, como teatro, dança e moda.

Para esta 2ª edição, as propostas de artista(s) ou grupo(s) musicais devem ser apresentadas por meio de pessoa jurídica de direito privado, de natureza artística e cultural, sediadas na Bahia. A candidatura deve prever a inclusão de uma performance de abertura, que contemple outras manifestações artístico-culturais da negritude da Bahia, para além da música.

Acesse aqui todo REGULAMENTO.

VII Congresso Baiano de Pesquisadorxs Negrxs tem debates e atividades culturais na UFBA!


mulher_negra_pesquindo

A Universidade Federal da Bahia vai sediar, entre os dias 17 e 19 de julho, a sétima edição do Congresso Baiano de Pesquisadorxs Negrxs (CBPN). Com o tema “Políticas, saberes e tecnologias afro-diaspóricas: insurgências nas contemporaneidades negras”, o evento será realizado no Pavilhão de Aulas Glauber Rocha, no Campus de Ondina, com entrada gratuita.

O Congresso contará com conferências, mesas-redondas, minicursos, sessões de comunicação e atividades culturais, com o objetivo de fomentar diálogos com pesquisadores e instituições de pesquisas nacionais e do exterior, intensificar a ampliação de debates e divulgar trabalhos realizados por intelectuais da afro-diáspora, estimulando e fortalecendo a criação de redes de pesquisadores e pesquisadoras negros. 

O evento é realizado pela Associação de Pesquisadores Negros das Bahia, em parceria com a Universidade Federal da Bahia, a Universidade do Estado da Bahia, a Universidade Estadual de Feira de Santana, a Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, a Universidade do Sudoeste da Bahia, a Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro- Brasileira, dentre outras instituições.

ASSOCIAÇÃO DE  PESQUISADORES NEGROS DA BAHIA – Fundada em 2004, a APNB é uma instituição civil, sem fins lucrativos, destinada ao incentivo e à valorização de pesquisas realizadas por pessoas negras e sobre temas de interesse direto dessa comunidade. Congrega e dialoga com pesquisadores/as e instituições nacionais e estrangeiras visando fortalecer uma rede de pesquisadores/as negros/as, bem como contribuir para a construção e a ampliação do conhecimento humano, numa perspectiva antirracista.

VII Congresso Baiano de Pesquisadorxs Negrxs

Quando: De 17 a 19 de julho de 2019.

Onde: Pavilhão de Aulas Glauber Rocha (PAF III) da UFBA, Ondina.

Quanto: Gratuito.

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO AQUI! 

#JulhoDasPretas – Coletivo Criôla Criô promove debate sobre Feminismos Negros Combativos!


 

No mês em que se celebra o Dia da Mulher Negra Latina e Caribenha – o 25 de Julho -, o Coletivo Criôla Criô dá início ao projeto Reflexões de Feminismos Negros Combativos, começando com uma ampla Mesa de Reflexões, a ser realizada no dia 24 de julho (quara-feira), no Museu de Arte da Bahia (Corredor da Vitória), em Salvador. O projeto pretende provocar no público reflexões e debates sobre os temas de cada ativista convidada, *Saúde Mental da Mulher Negra*, *Encarceramento Feminino*,*Violência Obstétrica e Doméstica*, e *Insubmissão Acadêmica*.

Mesa de Reflexões Feminismos Negros Combativos reunirá mulheres pesquisadoras, ativistas, para falar de temáticas como: Saúde Mental da Mulher Negra, com a psicóloga e mestranda em Mulheres, Gênero e Feminismos (UFBA), Laura AugustaEncarceramento Feminino, com a advogada, escritora e Doutora em Crítica Literária e Cultural (UFBA), Denise CarrascosaViolência Obstétrica, com a enfermeira e Doutora em Saúde Pública (UFBA), Emanuelle Aduni GóesViolência Doméstica e Assédios, com a promotora e coordenadora do Grupo de Atuação Especial de Proteção dos Direitos Humanos e Combate à Discriminação (GEDHDIS/MP-BA), Lívia Santana Vaz e Insubmissão Acadêmica, com a doutoranda em Literatura e Cultura (UFBA), Dayse Sacramento.

A atividade – aberta ao público – será certificada pelo Coletivo e vai mobilizar um público diverso, a exemplo de estudantes, professoras, jogadoras de futebol, artistas, pesquisadoras/es, parlamentares.O projeto continuará no Mês da Consciência Negra (novembro), com formações em escolas, comunidades, centros culturais de bairros periféricos de Salvador.

O COLETIVO

Coletivo Criôla Criô é uma rede feminina de articulação inclusiva que atua do planejamento a execução coletiva de projetos e ações responsáveis, pautadas na sororidade, honestidade e no respeito às diversidades, objetivando contribuir para uma sociedade mais inclusiva. Hoje é formado por três mulheres – as publicitárias Jonaire Mendonça e Ilka Danusa, e a jornalista Jamile Menezes – e é comprometido com a diversidade, com o respeito às diferenças e com a promoção da igualdade de gênero, além da potencialização de ações que fortaleçam públicos especiais como mulheres, público LGBTTQI+ e juventude. Em junho, o Coletivo lançou sua primeira ação, com o Copa com as Manas – iniciativa que reuniu mais de 150 mulheres para torcer pela Seleção Feminina de Futebol na Copa do Mundo na França.

 

SERVIÇO

O que: Mesa de Reflexões Feminismos Negros Combativos

Quem: Dra. Laura Augusta (Rede Dandaras), Dra. Denise Carrascosa (UFBA), Dra. Emanuelle Aduni Góes (UFBA), Dra. Lívia Santana Vaz (MP-BA), Ms. Dayse Sacramento (UNEB).

Onde: Museu de Arte da Bahia (MAB) – Corredor da Vitória, Salvador

Aberto ao público, sujeito à limitação do espaço.

Curso Tríade de Teatro abre inscrição para a nova turma de Iniciação à Interpretação Teatral!


Oficina de Teatro
Marcos Oliveira

O curso não é somente para quem deseja seguir uma carreira artística, mas para qualquer pessoa que queira desenvolver-se culturalmente, pessoalmente e socialmente. “Ele pode te ajudar a perder a sua timidez, o medo de falar em público, controlar a ansiedade, a melhorar a sua oralidade, a aprender a trabalhar em grupo, a se divertir, a estar bem e outras coisas mais que só você mesmo pode descobrir. Com o teatro, você é uma criança que adquire sabedoria sobre o mundo, fazendo de conta!”, diz o diretor Marcos Oliveira.

O curso tem início no dia 3 de agosto, com duração de 5 meses e as aulas acontecerão no Espaço Xisto Bahia (Barris, ao lado da biblioteca pública), todos os sábados, das 9h às 12h.

As aulas são ministradas pelo professor, ator e diretor teatral Marcos Oliveira, que é formado em Licenciatura em Teatro pela Universidade Federal da Bahia, com especialização em Metodologia do Ensino da Arte pela UNINTER e ministra aulas de teatro há mais de 18 anos. Atua como diretor e ator da Companhia Total de Teatro, além de lecionar teatro no SESI e fazer a direção e a preparação de atores dos espetáculos: Minha Irmã, Besame Mucho, Perfídia, Domingo no Parque, O Cidadão de Papel, A Eleição…

Ao final do curso os alunos apresentam um espetáculo Teatral e recebem certificados. A mensalidade é de R$ 170 e para participar, interessados devem entrar em contato pelo site www.triadeteatro.com  ou pelo número (71) 98868-9483.

TCA abre inscrições para curso gratuito de Música Erudita!


musica-erudita-tca

O Teatro Castro Alves abre inscrições, entre os dias 15 e 19 de julho, das 9h às 12h, para o curso “A música e os seus segredos: uma viagem pela história da música”, que propõe um mergulho na música erudita, através da escuta de vários estilos encontrados na história musical do Ocidente. Ministrada pela professora de orquestra Karina Martins Seixas, a jornada é voltada a pessoas dos mais diversos interesses, sem exigência de conhecimento prévio, para que se introduzam no conhecimento deste universo. São disponibilizadas 30 vagas, gratuitas e distribuídas em duas turmas – terças ou quintas-feiras, das 19h às 21h –, de agosto a dezembro, num total de 40 horas.

A ideia é aproximar o público comum das dinâmicas musicais, através da busca de uma escuta mais apurada dos diversos estilos encontrados desde a Idade Média até o século 21. Com a abordagem de inúmeras vertentes, o enfoque histórico dos encontros apresentará instrumentos de orquestra, até mesmo os mais antigos, além do uso de elementos da música em cada época, o contexto socioeconômico e cultural desses períodos, também destacando a vida de alguns dos mais ilustres compositores.

As inscrições se dão apenas presencialmente, no TCA, com preenchimento de formulário de candidatura. Serão inscritas até 40 pessoas, para o processo de seleção. Os selecionados serão comunicados por e-mail para confirmação de presença. Violoncelista, Karina Martins Seixas possui longa vivência em música orquestral, tendo atuado na Orquestra Sinfônica da Bahia (OSBA).

 

SERVIÇO

Curso “A música e os seus segredos: uma viagem pela história da música”

Com: Karina Martins Seixas

Onde: Sala do Memorial do Teatro Castro Alves

Inscrições: 15 a 19 de julho de 2019, 9h às 12h, no Teatro Castro Alves

Aulas: agosto a dezembro de 2019

Turma 1: terças-feiras, 19h às 21h, de 6 de agosto a 17 de dezembro de 2019

Turma 2: quintas-feiras, 19h às 21h, de 8 de agosto a 19 de dezembro de 2019

Informações: (71) 3117-4882

Quanto: Gratuito