“Na Rédea Curta – A Peça” segue com temporada de verão no Teatro Jorge Amado!


NaRedeaCurta_
Foto_ShaiAndrade

 

A temporada de verão de Na Rédea Curta – A Peça segue em cartaz no Teatro Jorge Amado. Os fãs de Mainha (Sulivã Bispo) e Junior (Thiago Almasy) vão poder se divertir em mais seis sessões, sempre aos sábados, às 20h, e domingos, às 19h, até dia 16 de fevereiro – exceto no final de semana dos dias 1º e 2/02.

“Nosso texto se atualiza de acordo com o contexto da cidade, de forma que a gente sempre usa o que está bombando, sendo assunto na boca das pessoas. Salvador está cheia de gringo e turista, obra por todo canto, Mainha certamente falará disso”, adianta Sulivã. Destaque para a participação dos três antagonistas, Meire (Genário Neto), Bisteca (Rodrigo Villa) e Keylane (Bárbara Bela), que se alternam nas sessões.

E se já foi uma deliciosa surpresa o sucesso que a websérie ganhou ao ser adaptada para o teatro, é grande a expectativa diante da novidade de que Junior e Mainha também estão chegando às telonas do cinema. Contemplado no edital de Produção para Cinema 2018 – Modalidade B da ANCINE e Fundo Setorial do Audiovisual, o longa metragem Na Rédea Curta inicia gravações no próximo mês de março, com previsão de lançamento para o primeiro semestre de 2021.

I SERVIÇO I

Espetáculo Na Rédea Curta

Quando: Sábado (25/1), 20h; Domingo (26/1), 19h

               Sábado (8/2), 20h; Domingo (9/2), 19h

               Sábado (15/2), 20h; Domingo (16/2), 19h

Onde: Teatro Jorge Amado

Ingressos: R$ 40 e R$ 20

Vendas: Bilheteria do teatro e IngressoRápido.com

Classificação: LIVRE

Conheça as 15 finalistas ao título de Deusa do Ébano 2020!


 

Foto: Arisson Marinho / Jornal CORREIO

 

Foi dada a largada. Já é possível conhecer as 15 candidatas ao título de Deusa do Ébano 2020. Amanda, Camila, Cátia, Carla, Geisiane, Gleiciele, Honara, Jadiele, Larissa (s), Laise, Núbia, Sabrina, Sarah e Tailane são as finalistas que subirão no palco da Senzala do Barro Preto, no próximo dia 8 de fevereiro (sábado), para dançar e emocionar o público em busca do posto de Rainha do Ilê Aiyê.

“Ser Deusa do Ébano é fazer parte dessa linda história de luta e resistência e exaltação da mulher negra nessa sociedade racista e machista”, resume a candidata Amanda Ribeiro, 19 anos. “O Ilê Aiyê é um dos maiores expoentes da afirmação da cultura afro-brasileira no país”, reforça a finalista Carla Dandara, 26 anos.

São 15 candidatas com diferentes histórias de vida, incluindo uma do Rio de Janeiro e outra de São Paulo, que agora se cruzam na reta final da conquista de um título que não apenas as reconhece como mulheres belas, mas que as elege como uma voz poderosa na luta por igualdade racial. A Noite da Beleza Negra é o mais importante concurso de beleza de mulheres negras do Brasil e acontece há 41 anos ininterruptamente.

“A Noite da Beleza Negra é uma das principais ações afirmativas do bloco Ilê Aiyê. Desde já parabenizo cada uma das candidatas pelo esforço e dedicação. A concurso de Rainha do Ilê Aiyê contribui há 41 anos para fortalecer a autoestima da mulher negra da Bahia, do Brasil e do mundo”, comenta o presidente da entidade, Antônio Carlos Vovô.

AGENDA – Até o próximo dia 8, as 15 finalistas ao título de Deusa do Ébano 2020 cumprem uma agenda de atividades promovidas pelo bloco Ilê Aiyê. Amanhã (23), às 15h30, elas participam, na Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb), da oficina Xirê das Deusas com a professora Vânia Oliveira. Na sexta-feira (24), acontecem oficinas de dança com a professora Soraia Souza, às 15h, e com a professora Amélia Conrado, às 16h30, na Senzala do Barro Preto. No domingo (26), as candidatas participam de sessão de fotos individuais, também na sede do Ilê Aiyê.

 

CONHEÇA AS FINALISTAS

 

Amanda Conceição Ribeiro Santos

Idade: 19

Bairro: Santa Mônica – Salvador (BA)

Ocupação: Auxiliar de serviços administrativos

Trajetória no concurso: Concorre pela segunda vez

O que significa tornar-se Deusa do Ébano? Ser Deusa do Ébano é fazer parte dessa linda história de luta, resistência e exaltação da mulher negra do Ilê Aiyê, numa sociedade racista e machista.

 

Camila Cruz Silva

Idade: 28

Bairro: Plataforma – Salvador (BA)

Ocupação: Estética Afro

Trajetória no concurso: Concorre pela quarta vez

O que significa tornar-se Deusa do Ébano? Ser Deusa do Ébano é a realização de um sonho que representa a força dos meus ancestrais. Além disso, aliado ao movimento da dança do qual faço parte, me torna referência para jovens negras da minha da comunidade, fortalecendo a presença da mulher nos espaços de poder.

 

Carla Dandara Nascimento Pereira

Idade; 26

Bairro: Engenho Velho de Brotas – Salvador (BA)

Ocupação: Arte-educadora e esteticista

Trajetória no concurso: Concorre pela terceira vez

O que significa tornar-se Deusa do Ébano? O Ilê Aiyê é um dos maiores exponenciais de afirmação da cultura afro-brasileira no país. Além disso, esse desejo surge como concretização de um projeto e de representar a mulher negra empoderada e consciente do seu papel  na sociedade, e que acredita na força divina dos orixás  e na transformação através  da dança afro.

 

Cátia Silene Moreira Barreto

Idade: 31

Bairro: Pero Vaz – Salvador (BA

Ocupação: Promotora de Eventos e Trançadeira

Trajetória no concurso: Concorre pela primeira vez

O que significa tornar-se Deusa do Ébano? Pra mim, significa tornar-se uma mulher resistente e nobre como o Ébano. Quanto mais polida de conhecimento, mais reluzente serei. E assim, estarei pronta para reluzir em cada mulher preta que por mim será representada.

Geiseane Silva Ferreira

Idade: 25

Bairro: Aracatiba – São Sebastião do Passé (BA)

Ocupação: Manicure domiciliar

Trajetória no concurso: Concorre pela primeira vez

O que significa tornar-se Deusa do Ébano? É  a realização de um sonho, pois  nunca tive a oportunidade de estar onde estou. Na minha infância, não tive quem me representasse, nem em bonecas. Estou lutando por mais igualdade, por meu espaço.

 

Gleiciele Teixeira Oliveira 

Idade: 22

Bairro:  Curuzu – Salvador (BA)

Ocupação: Modelo e Dançarina

Trajetória no concurso: Concorre pela segunda vez

O que significa tornar-se Deusa do Ébano?  Mais que um título, significa autoafirmação, ancestralidade  identidade. É a luta para nós ganharmos mais espaço e mostrar a nossa beleza, ainda pouco valorizada. Esse concurso nos incentiva a nos enxergar como belas, levando essa autoestima nossas crianças e outras mulheres.

 

Honara Santos da Paixão

Idade: 23

Bairro: Garcia – Salvador BA

Ocupação: Atendente

Trajetória no concurso: Concorre pela terceira vez

O que significa tornar-se Deusa do Ébano? Além de ser um sonho, ser Deusa do Ébano contribui para autoafirmação da mulher negra e me aproxima da minha ancestralidade.

 

Jadiele de Oliveira Santos 

Idade: 30

Bairro: Caixa D’água – Salvador BA

Ocupação: Locutora de eventos

O que significa tornar-se Deusa do Ébano? Não se deter diante de situações difíceis, resistir e perseverar nas suas próprias conquistas, ser humilde com todos e sorrir mesmo que a vida não te dê tantas opções pra isso. Ser negra já é reinar a raça, é saber que é linda e que não importa o que dizem do cabelo nagô. Somos deusas mães desde nascença, filhas do axé, minha mente libertária não pode se amarrar, e o espelho me diz eu sou Ébano e vou brilhar.

 

Laíse da Cruz de Lima

Idade: 23

Bairro: Mata Escura – Salvador BA

Ocupação: Trançadeira

Trajetória no concurso: Concorre pela primeira vez

O que significa tornar-se Deusa do Ébano? *É uma prova de resistência e respeito à minha ancestralidade, é uma prova de autoconfiança e autocontrole. É mostrar para todos aquelas que, sim, somos capazes. Vim de um interior da Bahia chamado Terra Nova, onde não tive infância, e hoje sou influência para os jovens e todos da minha cidade natal. Ser Deusa do Ébano é um sonho que toda menina já teve. E hoje como finalista sei que posso estar representado todas essas que um dia sonhou e sonha. Representatividade importa, sim! 

 

Larissa Pereira Ramos

Idade: 23

Bairro: Mussurunga – Salvador BA

Ocupação: Graduanda em Enfermagem

Trajetória no concurso: Concorre pela primeira vez

O que significa tornar-se Deusa do Ébano? Ser Deusa do Ébano para mim é reafirmar o valor da mulher preta e se tornar uma figura de referência para outras mulheres, mostrando que elas podem ocupar qualquer lugar na sociedade, mesmo que estes nos sejam negados diariamente.

 

Larissa Silva 

Idade: 32

Bairro: Daniel Lisboa – Brotas – Salvador BA

Ocupação: Biomédica

Trajetória no concurso: Concorre pela segunda vez

O que significa tornar-se Deusa do Ébano?  Transcender a nossa cultura ancestral para os polos do mundo.

 

Núbia Ferreira 

Idade: 19

Bairro: Liberdade – Salvador BA

Ocupação: Atriz e estudante de Nutrição

Trajetória no concurso: Concorre pela primeira vez

O que significa tornar-se Deusa do Ébano? Pra mim é representar e reproduzir toda uma luta, toda uma história do nosso povo negro, é ser referência para outras mulheres que, assim como eu, vivem numa sociedade racista, Enquanto jovem, negra e periférica, é um sonho de infância. Ser Deusa do Ébano é amor, é amar

 

Sabrina Sant’Ana dos Santos 

Idade: 31

Bairro: Alto da Boa Vista – Rio de Janeiro RJ

Ocupação: Cantora e Bailarina

Trajetória no concurso: Concorre pela primeira vez

O que significa tornar-se Deusa do Ébano? Ser Deusa do Ébano para mim significa reafirmar a minha essência e meu louvor à ancestralidade como mulher negra e, através disso, poder trazer comigo outras mais para conquistarmos nosso espaço que é de direito. Ser Deusa do Ébano é meu sonho, ser Deusa do

sonho, ser Deusa do Ébano é multiplicar.

 

Sarah Odara

Idade: 30

Bairro: Simioni – Ribeirão Preto SP

Ocupação: Arte-educadora

Trajetória no concurso: Concorre pela primeira vez

O que significa tornar-se Deusa do Ébano? Ser candidata a Deusa do Ébano é representar o poder da mulher negra, é conseguir mostrar, sobretudo a mim mesma, que sou capaz de chegar em qualquer lugar que almejo, é estar em cada olhar que brilha quando vê o balé do corpo negro, é fazer parte de uma instituição que há 46 anos se mantém com força e resistência combatendo o racismo através do empoderamento total do povo preto.

 

Tailane Brito Santos. 

Idade: 18

Bairro: Pero Vaz – Salvador BA

Ocupação: Estudante de Farmácia

Trajetória no concurso: Concorre pela primeira vez

O que significa tornar-se Deusa do Ébano?  Uma luta contra o racismo e contra a invisibilidade. O poder da mulher negra.

Quilombo Educacional Vilma Reis está com inscrições abertas!


negro estudando
Imagem: Getty Images

O Quilombo Educacional Vilma Reis torna público a abertura das inscrições para o processo seletivo do curso pré-vestibular referente ao ano de 2020. O curso é voltado – preferencialmente – para JOVENS NEGROS, moradores(as) de periferia, LGBTT+, povos de axé e estudantes da rede pública.

Além dos aulões para o ENEM que acontecem às terças e quintas (das 18h30 às 21h) e sábados (das 8h às 17h), são oferecidas oficinas diversas e palestras, sempre visando o fortalecimento e o resgate dos valores ancestrais da população negra. O intuito é oferecer condições a baixo custo para que a comunidade negra possa ingressar no ensino superior, diminuindo as desigualdades.

As inscrições poderão ser realizadas até 17h do dia 30/01/2020 (quinta-feira), pagando a taxa de R$ 20. Serão oferecidas 70 (setenta) vagas e a seleção será realizada em três etapas:

1ª ETAPA: Os/As estudantes precisarão fazer inscrição online através do formulário disponível AQUI , até 30 de janeiro.

2ª ETAPA: Os/As estudantes que fizeram a inscrição no formulário terão que realizar o pagamento da taxa de inscrição e entregar uma CARTA DE INTENÇÕES apresentando os motivos que o/a levaram a querer participar do Quilombo Educacional Vilma Reis. O pagamento e a entrega da Carta deverá ser realizado pelo próprio estudante ou pelos responsáveis (caso seja menor de 18 anos) na Faculdade de Educação da UFBA, situada na Av. Reitor Miguel Calmon (Vale do Canela), s/n, Sala térreo, nos dias 31 de janeiro (9h às 14h) e 01 de fevereiro (9h às 17h).

A lista de nomes dos candidatos/as classificados/as será postada no dia 5 de fevereiro nas páginas do Facebook e na página do Instagram: @quilombovilmareis.

Qualquer esclarecimentos, entrar em contato com a página do Quilombo Educacional Vilma Reis ou pelo email: [email protected]

Festival Internacional de Capoeiragem acontece em Salvador!


Filipe Sampaio

 

Arte, esporte, música, cultura. A Capoeira reúne elementos que encantam e fascinam por gerações e a 8ª edição do Festival Internacional de Capoeiragem vai mostrar tudo isso de 29 de janeiro a 02 de fevereiro, no Forte da Capoeira – Santo Antônio Além do Carmo. O evento, que reúne participantes de mais de 15 países, conta com mestres, contramestres, professores e capoeiristas que vão participar de oficinas, palestras, vivências, tour capoeirístico, entre outras atividades.

O Festival tem entrada gratuita para visitantes, mas para participar das experiências, com direito a certificado, é necessário adquirir um dos pacotes, Berimbau, Pandeiro ou Agogô, que estão à venda no Sympla ou no site www.festivalcapoeiragem.com.br.

Serviço:

8ª Edição do Festival Internacional da Capoeiragem
Local: Forte da Capoeira
Endereço: Largo de Santo Antônio Além do Carmo, s/n – Santo Antonio, Salvador – BA, 40301-330

Data: de 29 de janeiro a 2 de fevereiro
Atividades: Palestras, aulas, oficinas, vivências na Capoeira
Horários: Dia 29 – às 19h
De 30/01 e 31/01 – A partir das 14h
Dia – 01/02 – Tour Capoeirístico – 8h30, no Centro Histórico e a partir das 14h no Forte da Capoeira

Endereço: Largo de Santo Antônio Além do Carmo, s/n – Santo Antonio, Salvador – BA, 40301-330
Dia 02/02 –  Evento Dia de Yemanjá
Entrada Gratuita

Projeto Coro Oyá Igbalé seleciona 10 cantoras voluntárias! INSCREVA-SE!


O Projeto Coro Oyá Igbalé do Departamento de Educação do Campus I da UNEB seleciona (única seleção a ser realizada em 2020dez cantoras voluntárias (mulheres) de todos os naipes que serão integradas ao grupo a partir do dia 15 de fevereiro.  As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas até 03 de fevereiro.

Inscrição!

A seleção será entre 6 e 7 de fevereiro, das 14h às 17h, na sala 21 do Pavilhão Multidisciplinar de Ensino (PAM) do Campus I da Universidade do Estado da Bahia (UNEB). Podem se inscrever pessoas com idade mínima de 18 anos, não precisam ter experiência em canto ou ter participado de outros corais.

Os ensaios regulares acontecem sempre às quintas-feiras das 13h30 às 17h  e aos sábados de manhã, das 8h às 12h na sala 21 do Pavilhão Multidisciplinar de Ensino (PAM) do Campus I da Uneb. Os ensaios extras e demais atividades nos outros dias da semana. O projeto não paga ajuda de custo, pro labore, bolsa, prêmio em dinheiro ou qualquer tipo remuneração.

 

ASSISTA AQUI!

 

 

Cineasta baiana seleciona atores para piloto de série!


A cineasta Camila de Moraes, desde meados do mês de novembro, desenvolve o projeto “Bíblia Seriada – A arte da ficção” de residência artística na Califórnia, nos Estados Unidos com o apoio financeiro do Edital de Mobilidade Cultural 2019, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA). Para a conclusão deste projeto, abre inscrições para que artistas baianos participem da gravação do piloto da série “Nós Somos Pares” que irá ocorrer em fevereiro de 2020 em Salvador, Bahia.

Para participar é preciso preencher o formulário online até o dia 28 de janeiro. O resultado será divulgado nas redes sociais da série no dia 31 de janeiro. Os ensaios e gravação irão ocorrer entre os dias 03 e 21 de fevereiro. Podem se inscreverem atrizes, atores, músicos, além de profissionais da área do audiovisual.

Na trama de “Nós Somos Pares”, as protagonistas, seis amigas negras, irão apresentar ao espectador o poder de acreditar em si mesma e nunca desistir de seus sonhos, de saber que são capazes de tudo reconhecendo o valor de outras mulheres, atém da importância de uma amizade verdadeira. Após a gravação deste piloto, a proposta é vender a primeira temporada para canais de TV ou plataformas digitais. 

“A gravação deste piloto vai ser feito de forma colaborativa, da mesma forma que a minha carreira de cineasta vem sendo construída, pelo “nós por nós”. E, ao vermos o resultado dessas ações é possível perceber a diferença que estamos fazendo dentro da estrutura do audiovisual brasileiro”, afirma Camila.

 

INSCRIÇÕES AQUI!

Prazo: 28 de janeiro de 2020

Resultado: 31 de janeiro de 2020

Ensaio e Gravações: 03 a 21 de fevereiro de 2020

 

Pele Negra, Máscaras Brancas faz temporada em SP e realiza Conversando com Fanon em Salvador!


pelesnegrasmascara
Foto: Adeloyá Magnoni

 

O espetáculo Pele Negra, Máscaras Brancas mobilizou, em 2019, um público de cerca de 12 mil espectadores em apenas oito meses, três temporadas (Teatro Martim Gonçalves; Espaço Cultural da Barroquinha e no Teatro do Goethe Institut), duas apresentações esgotadas no projeto Domingo no TCA e uma no Festival Internacional de Artes Cênicas (FIAC-2019).
Agora, de 24 de janeiro a 02 de fevereiro fará seis apresentações no Sesc Belenzinho, em São Paulo, de sexta a domingo, teatro reconhecido por sua programação diversa, de qualidade e acessível para todos.
Desde o início do processo criativo, a produção, diretores, atuantes, artistas criadores e dramaturgo buscaram formas de externar socialmente a filosofia de Frantz Fanon através do Conversando com Fanon, que volta gratuitamente dias 16, 17 e 20 de janeiro, na Casa d’Itália (Campo Grande). Antes do bate-papo, o público poderá assistir ensaios abertos da montagem. Ação ocorrerá das 10 às 13h, com retirada de senha meia hora antes. 
 “É uma oportunidade do espectador ter acesso aos pensamentos e a poesia que orientam as áreas criativas do espetáculo. Além de enriquecer a compreensão dos atuantes, uma vez que equipe e elenco compartilham conhecimento”, explica Onisajé, diretora do espetáculo , que é uma realização da Cia de Teatro da Ufba e produção Da Gente Produções.
Programação do Conversando com Fanon
16/01  – Aldri Anunciação (Dramaturgia) e Joana Bocannera (Voz/Canto)
[17/01 – Edileuza Santos (Corpo/Coreografia), Thiago Romero e Tina Mello (Direção de arte), Luciano Bahia (Direção musical/Trilha) e Nando Zâmbia (Iluminação)
20/01 – Onisajé e Licko Turle (Direção), Rafael Brito/ Thèátrê Comunicação (Comunicação), Luiz Antônio Sena Jr., Anderson Dantas e Berg Nunes (Produção)
*Os ensaios abertos ao público serão das 10 ás 11:30 e o Conversando com Fanon das 11:30 ás 13h

Concha Negra: Lazzo Matumbi canta seus grandes sucessos no show “O Nosso Jeito de Ser”!


Lazzo Matumbi
Foto de Paola Alfamor

O Nosso Jeito de Ser” é um baile dançante que traz grandes sucessos da carreira do cantor e compositor Lazzo MatumbiConsiderado um dos grandes intérpretes do Brasil, o evento inicia o ciclo de comemorações pelos seus 40 anos de carreira. No show, composições como “Me Abraça e Me Beija”, “Alegria da Cidade”, “Do Jeito Que Seu Nego Gosta”, “14 de Maio”, entre outras músicas que estarão no disco que o artista irá lançar este ano.

Lazzo também levará ao palco releituras e canções de nomes que são referências na sua própria trajetória artística. A proposta é enaltecer, fortalecer e dar visibilidade às culturas negras e à musicalidade afro-baiana. A abertura da noite será com a sonoridade jamaicana do Ministereo Público, formado pelos DJs Raiz e Pureza, além do Dubmaster Regivan Santa Bárbara; e incluindo a participação de dançarinos. O artista ainda recebe o grupo de rap Opanijé e as cantoras Aiace e Michaela Harrison como convidados. Dia 25 de janeiro, às 18h30, na Na Concha Acústica do Teatro Castro Alves (TCA). Os ingressos custam R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia), à venda na bilheteria do TCA, nos SACs dos shoppings Barra e Bela Vista ou pelos canais da Ingresso Rápido.

Concha Negra – Show “O Nosso Jeito de Ser” – Lazzo Matumbi

Artistas Convidados: Aiace, Opanijé e Michaela Harrison

Show de Abertura: Ministereo Público

Quando: 25 de janeiro de 2020 (sábado), 18h30

Onde: Concha Acústica do Teatro Castro Alves

Quanto: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia)

Vendas: Bilheteria do Teatro Castro Alves, SACs do Shopping Barra e do Shopping Bela Vista ou canais da Ingresso Rápido. Acesse página de vendas em http://site.ingressorapido.com.br/tca.

Classificação indicativa: Livre

Jann Souza apresenta Poket Show no Circuito Casas!


A cantora Jann Souza apresentará seu pocket show completo neste sábado (11) na Casa Rosada dos Barris, às 16h. O primeiro show do ano da cantora compõe a “2ª edição do Circuito CASAS”, onde espaços alternativos, que integram cinco casas artísticas do Centro de Salvador, trarão uma intensa programação de oficinas, performances, rodas de conversas e palestras este mês.

A iniciativa acontecerá nos dias 10, 11 e 12 de janeiro, sexta a domingo, na Casa Rosada Barris, Casa Charriot, Casa Preta, PachaMãe LatinoAmerica, Casa d’A Outra e Coletivo Ponto Art, em projeto contemplado pelo Edital Arte Todo Dia – Ano V, da Fundação Gregório de Mattos, Prefeitura de Salvador.

Casas artísticas de Salvador realizam circuito de programação cultural!

“O Pocket Show é um formato diferenciado de espetáculo pois reúne suas músicas autorais, além da contação de história sobre cada uma delas, permitindo uma troca e participação do público, proporcionando um show mais intimista” , Contou Jann Souza convidando o público para prestigiar a sua apresentação.

SERVIÇO

Show de Jann Souza
Onde: Casa Rosada dos Barris
Horário:  16h às 17h
Ingresso: R$ 5

Com apenas 10 anos, Bruna MC fala sobre representatividade feminina em novo videoclipe!


“Garotas no poder” é o nome da nova música de Bruna MC que será lançada nesta segunda (13), no youtube da artista.  A música conta com as participações da MC Sulbaiana, Má Reputação e a MC feirense Tulipa Negra, que também compõe o grupo “A vez das Minas”.

Ao ritmo de trap, o videoclipe ganha ainda mais peso com a presença de artistas de diversos elementos do hip-hop, ilustrando a representatividade e a luta das mulheres para ocupar todos os espaços.

“Quem disse que as mina não tem história?”. Essa é a pergunta de Bruna MC que, apesar da pouca idade já tem três faixas lançadas e um repertório autoral conhecido no cenário do hip-hop baiano. Idealizadora da música, Bruninha, como é carionhasamente chamada, cita algumas de suas referências e fala da responsabilidade de ter o microfone na mão. Quando a pergunta é “quem domina?” A resposta tá na ponta da língua: é as mina!

Já a MC Má Reputação inicia seus versos denunciando o silenciamento imposto às mulheres, um dos motivos que justificam seu nome artístico. Ela também fala da importância de ser referência para outras crianças como a sua “guria Sofia”, que também aparece no videoclipe. Ela encerra seus versos resgatando lutas históricas para reforçar a necessidade de mulheres e homens darem as mãos na defesa do povo preto.

A feirense Tulipa Negra fala sobre a importância de versos que conscientizem o público e do compromisso com o rap. Ela também destaca a valorização da autoestima e da união entre as mulheres. “As mulheres não estão mais tolerando falação”, lembra ela, mostrando todo seu potencial.

O videoclipe é também um registro histórico, pois conta com algumas imagens gravadas na primeira plenária do Fórum de Mulheres do Hip-Hop BA realizada em novembro, no Teatro Plataforma. Quem assina a produção musical é Jaderbeats. A captação e edição de iage é do “Rima Foto”.