Programa Corra pro Abraço lança o CD “Outros Caminhos São Possíveis”!


corra_pro_abraço
Foto: Camila Souza/GOVBA

 

“Outros Caminhos São Possíveis”! Esse é o objetivo e nome do álbum musical organizado pelo Programa Corra pro Abraço, da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS), que será lançado às 17h, da próxima terça-feira (18), na sala Walter da Silveira (Barris).

As canções foram escritas pelos próprios beneficiários do “Corra”, ao longo dos seus cinco anos de existência, durante as oficinas de arte-educação e redução de danos. O álbum tem como protagonistas os assistidos pelo serviço: pessoas que fazem uso abusivo de drogas em contextos de vulnerabilidade, ou afetadas por problemas relacionados a criminalização das drogas, tais como a população em situação de rua e jovens que residem e transitam em territórios com altos índices de violência. O CD, gravado em abril nos estúdios do bloco afro Ilê Aiyê, surgiu da necessidade de dar visibilidade às composições destes artistas, participantes do programa, que se encontram em contextos de vulnerabilidade.

Os 20 artistas se dividiram nas tarefas de compositores, percussionistas e cantores. Entre as faixas estão: “Maloqueiro Não”, “Sou a rua”, “Um gesto de amor”, “Meio da rua”, “Canto a vida”, “Tributo a Salvador”, “Vacilão”.

“Nunca imaginei gravar um CD. Músicas que contam a realidade da favela mesmo”, conta Lidineia Oliveira, 36, vendedora de picolé e percussionista. Cledson Braga dos Santos, 42 anos, compositor da faixa “Dom Musical”, acredita que essa é uma “oportunidade também de contar a ação feita no programa” e os impactos e transformações em suas vidas.

corra_pro_abraço
Divulgação

Ambos são assistidos pelo serviço da SJDHDS que realizou nos últimos dois anos, durante execução da oscip COMVIDA (Comunidade Cidadania e Vida), mais de 45 mil atendimentos a pessoas usuárias de substâncias psicoativas e jovens em contextos de vulnerabilidade em Salvador, Lauro de Freitas e Feira de Santana.

O evento contará com os arte-educadores: Dainho Xequerê e Merry Batista, na abertura do lançamento, que serão também os mestres de cerimônia da noite, apresentação dos cantores, compositores e percussionistas do álbum, presença de representantes governamentais, movimentos sociais, academia, entre outros convidados e apoiadores do Corra pro Abraço.

SERVIÇO

O que: Lançamento CD “Outros Caminhos São Possíveis”!

Quem: Corra pro Abraço (SJCDHS)

Quando: 18 de dezembro, 17h

Onde: Sala Walter da Silveira (Barris)

Centenário da Capoeira Regional será celebrado em Salvador!


capoeira_regional
Fto Juliana Linhares

Entre os dias 18 e 22 de dezembro, centenas de capoeiristas baianos, brasileiros e estrangeiros se reúnem para celebrar o centenário da Capoeira Regional e promover a formação e a memória do Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade reconhecido pela Unesco.

A série de atividades gratuitas, que acontece em espaços emblemáticos do Centro Histórico de Salvador, é uma realização da Fundação Mestre Bimba (FUMEB) e contempla: seminários para educadores, mesas-redondas, formatura, oficinas e, é claro, rodas de capoeira. “Em 07 de setembro de 1968 meu pai comemorou os 50 anos desse legado e nós não poderíamos deixar esta importante data da Capoeira Regional passar em vão. Por isso, essa atividade é uma forma de fortalecer todo o trabalho que centenas de pessoas realizam diariamente em busca da difusão e preservação daquilo que foi a vida dele”, ressalta Mestre Nenel, filho do Mestre Bimba.

A comemoração pelo centenário começa no dia 18, às 18h, na tradicional terça da benção, com a celebração de uma missa na Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos. No dia seguinte (19), às 14h, no Forte da Capoeira (Santo Antônio Além do Carmo), acontece o Seminário para Educadores FDB, que vai dialogar sobre o sistema de ensino nos núcleos da Filhos de Bimba Escola de Capoeira, visando perspectivas futuras de propagação da Capoeira Regional. O encerramento do dia fica por conta de uma roda de abertura.

Na quinta-feira (20), o local é a Praça Pedro Arcanjo (Pelourinho), que a partir das 14h, sedia a apresentação do Capoerê – projeto social da FUMEB voltado para o ensino da Capoeira Regional para crianças e adolescentes -, além das oficinas de maculelê e samba de roda com Dona Nalvinha (filha de Mestre Bimba), e também vivência de capoeira com Mestre Pelicano e Mestre Canguru.

No dia 21 (sexta), a programação segue na Praça Pedro Arcanjo e inicia com a oficina da manifestação afro-brasileira Puxada de Rede. Logo mais, às 14h, acontece uma vivência de capoeira com Mestre Garrincha, seguida da mesa redonda das Tijubinas – grupo que reúne as mulheres capoeiristas – coordenada pela Mestra Preguiça, que também realiza uma vivência com os presentes. O fechamento das atividades do dia será com a realização de uma roda, às 17h e com o show da banda Regionais do Forró, comandada pelo Mestre Canguru, às 20h.

O último dia da celebração do centenário, 22 de dezembro, ocorre no Teatro Sesc-Senac (Pelourinho), com a realização da formatura, às 10h, seguida de homenagens e o lançamento do livro “Bimba, um século da Capoeira Regional”, primeira publicação do Mestre Nenel e uma das principais pessoas que preserva e difunde o legado da Capoeira Regional na Bahia e no mundo.

Espero muito contentar pelo menos parte dos interesses do leitor e desde já esclareço que não sou nem quero ser dono de verdades, venho simplesmente partilhar um pouco do que concebi das lições práticas e teóricas que vivi junto com meu pai. Nesse livro quero tentar indicar esses pontos fundamentais que devem reger toda e qualquer proposta que parta da filosofia da Capoeira Regional“, destaca Mestre Nenel. O livro é uma publicação da Editora EDUFBA e estará à venda durante o lançamento.

PROGRAMAÇÃO COMPLETA

 

18 de dezembro (terça-feira)

Local: Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos (Pelourinho)

18h – Missa do Bimba

 

19 de dezembro (quarta-feira)

Local: Forte da Capoeira (Santo Antônio Além do Carmo)

14h – Seminário Educadores FdB

19h – Roda de Abertura

 

20 de dezembro (quinta-feira)

Local: Praça Pedro Arcanjo (Pelourinho)

13h – Capoerê

14h30 – Aulão de Capoeira com Mestre Pelicano

15h30 – Oficina de Maculelê

16h – Aulão de Capoeira com Mestre Canguru

17h – Roda

18h – Oficina de Samba com Dona Nalvinha seguido da apresentação de samba de roda

 

21 de dezembro (sexta-feira)

Local: Praça Pedro Arcanjo (Pelourinho)

13h – Puxada de Rede

14h – Aulão de Capoeira com Mestre Garrincha

15h – Mesa Redonda das Tijubinas com Mestra Preguiça

16h – Aulão de Capoeira com Mestre Preguiça

17h – Roda

20h – Show da Banda Regionais do Forró

 

22 de dezembro (sábado)

Local: Teatro Sesc-Senac (Pelourinho)

10h – Formatura

12h – Homenagens

12h15 – Lançamento do Livro “Bimba, um século da Regional”

Mestres e mestras do samba de roda se apresentam na 1ª edição do “Rodar: o Recôncavo em Salvador”!


Dona Nicinha

A 1ª edição do Rodar: o Recôncavo em Salvador acontece neste sábado (15), reunindo samba de roda e gastronomia. O evento começará com as Mulheres do Samba de Roda e em seguida terá uma roda de samba com os mestras e mestres convidados, além de uma feira gastronômica realizada em parceria com os estudantes de Gastronomia da UFBA.

Será às 15h, no Largo Quincas Berro D’água, Pelourinhoe terá a presença das Mulheres do Samba de Roda, das mestras Dona Nicinha, Dona Rita da Barquinha e Dona Aurinda, do Mestre Primeiro, do grupo A Corda Samba de Roda e do grupo Samba do Vai Kem Ké. Já a feira gastronômica ficará por conta dos alunos de Gastronomia da UFBA, que prepararão comidas típicas do Recôncavo baiano.

Conheça o projeto

“Rodar: o Recôncavo em Salvador” é uma ação dos alunos de Produção Cultural da Universidade Federal da Bahia. O projeto pretende realizar um intercâmbio cultural entre o Recôncavo e Salvador, através de uma aula-show de maniçoba no SENAC no dia 13 de dezembro, uma oficina de doces do Recôncavo na Escola de Nutrição da UFBA no dia 14 de dezembro e uma roda de samba acompanhada de feira gastronômica no dia 15 de dezembro no Largo Quincas Berro D’água. Esta iniciativa busca movimentar o cenário cultural soteropolitano através das manifestações culturais típicas do Recôncavo.

Serviço

O quê: Rodar: o Recôncavo em Salvador

Onde: Largo Quincas Berro D’água (Pelourinho)

Quando: 15 de dezembro (sábado), às 15h

Quanto: Gratuito

Programação:

15h – Roda de conversa com as Mulheres do Samba de Roda

17h – Roda de samba com os Mestres e Mestras

19h – A Corda Samba de Roda

20h – Samba do Vai Kem Ké

Colabore com o 6º Sarau do Coletivo Fábrica de Rimas: campanha está no ar!


Foto Marcio Caetano

 

Descentralizar as atuações e mobilizações da cultura hip-hop de Salvador. Este é o ponto de partida do Coletivo Fábrica de Rimas, criado em 2013, pelos artistas Welber Santiago e Josemar Oliveira. Para isso, os fundadores chamaram personalidades da cena alternativa da cidade para realizar um sarau, com música, dança, grafite, teatro e poesia, na praça de Vila mar, na região da Estrada Velha do Aeroporto. Desde então, foram realizadas cinco edições, que não tiveram apoio ou incentivo financeiro.

O evento já integra o calendário alternativa da capital baiana, reunindo dezenas de pessoas com diversas atrações de todo o Brasil. Para chegar a sua sexta edição, prevista para outubro, o coletivo precisa de um investimento em estrutura. Então, a estudante de comunicação Isabela Graton lançou um financiamento coletivo para captar recursos.

“A ideia surgiu a partir de trabalho de uma disciplina da faculdade. Uma amiga me indicou o coletivo e eu entrei em contato com eles, que contaram que precisavam de verba, então, criei crowdfunding para ajudá-los”, conta. A meta é de até R$ 2.900.

Como contribuir

O doador deve acessar a campanha no site da Benfeitoria, clicar em apoiar e escolher o valor desejado para a doação. Cada opção tem uma recompensa. Ao doar R$ 10, o incentivador ganha um agradecimento nas redes sociais do coletivo. Já com R$ 20, o doador ganha uma cópia da revista online Papo de Rua, idealizada por Manuela Santos e Vanessa Oliveira, além do agradecimento.

O mimo de R$ 30 é um desenho virtual produzidos por artistas parceiros do Fábrica de Rimas. Com R$ 60, o patrocinador ganha uma camiseta; R$ 90, uma shoulder bag; e a última recompensa é no valor de R$ 150, que é um kit com todos os mimos anteriores.

O pagamento pode ser feito com Paypal ou Moip (pagamento online). Há possibilidade de emitir boleto bancário ou usar o cartão de crédito. A campanha é acaba no dia 4 de fevereiro, e caso não consiga atingir a meta, o coletivo perde o que foi arrecadado.

Serviço

O quê: Financiamento coletivo do Fábrica de Rimas

Quando: até 4 de fevereiro de 2019

Onde: https://benfeitoria.com/fabricaderimas?ref=benfeitoria-pesquisa-projetos

Quanto: R$ 10 até R$ 150

Mais informações

facebook.com/fabricaderimassalvador

Contato: (71) 99207-8694 (Whatsapp) | [email protected] (Welber Santiago)

Papai Noel Desordeiro: grafiteiros arrecadam brinquedos para comunidades de Salvador!


MUSAS

O coletivo de grafiteiros Nova10ordem, em parceria com outras instituições e atores sociais, promove pelo 12º ano consecutivo a ação Papai Noel Desordeiro, arrecadação de brinquedos para distribuição entre crianças de comunidades de Salvador. A iniciativa, que ao longo da sua existência vem atendendo entre oito e 15 comunidades da capital baiana já presentou até 3 mil crianças em um mesmo ano, segundo os organizadores.

A ação já chegou a bairros como Massaranduba, Solar do Unhão, Ladeira da Preguiça, São Braz, Cidade de Plástico, entre outros.

A ideia, afirma o grafiteiro Júlio Costa, membro do Museu de Street Art Salvador (Musas), é que a mobilização seja maior em 2018, a fim de atender mais crianças. Ele destaca a importância de incluir os jovens no Natal. Foi pensando nisso, contextualiza o artista, que o também grafiteiro Marcos Prisk teve a ideia de criar o Papai Noel Desordeiro, 12 anos atrás.

“O Papai Noel Desordeiro é tipo um remédio para nós, que, quando éramos guris, ou não tínhamos presentes ou nossos amigos próximos não recebiam presente”, define o grafiteiro. A gente sabe que esse momento do Natal é uma data megacomercial, megacapitalista, mas aquela sensação de ser excluído passou pela vida de cada um de nós. Em alguns anos nossos pais tinham um dinheirinho, em outros não, além da dificuldade da ceia de Natal, de não ver a iluminação no nosso bairro, pois só existe nos bairros nobres”, afirma Julio.

As doações podem ser feitas na comunidade do Solar do Unhão, na Ladeira da Preguiça ou na loja de grafite Mil Muros, no Shopping Colonial, ao lado da Biblioteca dos Barris.

No Solar, os pontos de arrecadação ficam na sede do Musas, no Ré-Restaurante de Dona Suzana ou na casa de Vovó Luzinete, moradora da comunidade. Já na Preguiça o ponto de referência é o Centro Cultural Que Ladeira É Essa?, onde o doador deve procurar Cris, Marcelo ou Gabriel.

Doações em dinheiro também podem ser feitas para comprar os presentes, em conta Bradesco em nome de Júlio Augusto Pereira Costa, Agência 3012, Conta Poupança 0100501-4. O comprovante do depósito deve ser enviado para o WhatsApp 71 9234-2248.

Além do Musas, apoiam a iniciativa instituições como o Coletivo de Entidades Negras (CEN), o Instituto de Cultura Brasil-Itália (Icbie) e o projeto Mais Grafite, promovido em escolas da Bahia pela Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS).

 

Expo Exposição Ancestralidade e Novas Narrativas chega na Casa da Música (Abaeté)!


Ibomin

Em sua terceira etapa, a Exposição Ancestralidade e Novas Narrativas será aberta ao público neste final de semana na Casa da Música, no Abaeté. As peças estarão disponíveis para visitação na sexta, 14, das 10 às 17 horas e no sábado, 15, das 13 às 19 horas., encerrando com um sarau que será realizado pelos jovens participantes do Projeto.

A exposição compõe o projeto Ancestralidade e Novas Narrativas que é uma realização do Coletivo Cultural Ibomin e foi contemplado pelo edital ARTE TODO DIA – ANO IV, da Fundação Gregório de Mattos, Prefeitura de Salvador. As ações também contam com o apoio do Ilê Axé Ifá Olorum Babá Omi.

Essa é a última etapa das exposições. Foram 2 meses de intenso trabalho coroado com essa linda mostra de produtos que revelam a riqueza da iconografia das religiões de matriz africana, além da importância do diálogo com as linguagens juvenis contemporâneas. Esperemos poder repetir essa experiência outras vezes”, revelou Leandro Vilas Verde, Coordenador do Projeto.

As obras são resultados das oficinas de grafite realizadas com jovens negros e negras de vários bairros e regiões periféricas da cidade de Salvador. Além das oficinas, também foram realizadas rodas de diálogos sobre a relação entre as artes contemporâneas e as referências iconográficas das religiões de matriz africana.

Durante a exposição as pessoas também poderão dialogar com jovens que fazem parte do projeto e que produziram as peças expostas. Essa é a segunda edição do Projeto Ancestralidade e Novas Narrativas que já envolveu dezenas de jovens negros e negras, terreiros e espaços culturais.

Serviço:

O Quê? Exposição de artes visuais Ancestralidade e Novas Narrativas

Quando? 14/12 (das 10 às 17h) e 15/12 (das 13 as 19 horas)

Onde? Casa da Música – Abaeté

Informações: 9 9275-8751 / [email protected]

Festival de Música Negra do Ilê Aiyê chega à final no domingo (16)!


ileaiye

São 45 anos de Ilê Aiyê! E  no domingo (16) o bloco realiza a etapa final do Festival de Música Negra do Ilê Aiyê – Pássaro Preto o Cantador, elegendo seis canções que passam a fazer parte das apresentações do bloco afro mais antigo do Brasil. A apresentação das finalíssimas  será Senzala do Barro Preto (Curuzu), a partir das 14h, quando também haverá shows da banda de reggae Unidade Eu e Eu, Grupo Movimento e da anfitriã da casa, Band’Aiyê. Ingresso: 1 quilo de alimento não perecível.

Ao todo, são 17 canções finalistas, oito da categoria Poesia e nove da categoria Tema. As músicas da categoria Tema são inspiradas no tema do Ilê Aiyê para o Carnaval 2019: “Que Bloco é Esse? Eu quero saber”. Já as da Categoria Poesia são de livre inspiração. Durante o evento, enquanto as canções são apresentadas, os jurados têm o desafio de escolher as três melhores de cada categoria.

Shows – Quem for acompanhar e torcer na etapa final do Festival, vai poder curtir os shows da banda anfitriã da casa, Band’aiyê, da banda de reggae Unidade Eu e Eu e do Grupo Movimento. A ordem será assim: Unidade Eu e Eu abre a tarde; em seguida apresentações das músicas concorrentes do festival, intercaladas com apresentações da ala de canto do Ilê Aiyê, e depois show do Grupo Movimento para, então, chegar a hora mais esperada de anunciar os vencedores. Quem encerra a festa é a Band’Aiyê.

Entre os jurados, estão confirmados os cantores e regente da Band’Aiyê, Yana Marucha, Juarez Mesquita e Mario Pam, respectivamente, e o artista plástico Mundão, que assina a identidade visual do bloco. As canções vencedoras do festival já passam a ser a ser integradas ao repertório do Ilê Aiyê nos shows de verão e desfiles do Carnaval 2019.

O nome Pássaro Preto o Cantador, que batiza o festival de música do Ilê desde a sua primeira edição, é uma homenagem ao compositor Cesar Maravilha.

SERVIÇO:

45º Festival de Música Negra do Ilê Aiyê

Quando: 16 de dezembro (domingo)

Horário: a partir das 14h

Ingresso: Senzala do Barro Preto – Ladeira do Curuzu

Entrada: mediante um quilo de alimento não-perecível

Grupo Vilavox celebra 17 anos com show “Trilhas do Vilavox” este mês!


Divulgação

A celebração do encontro da música com o teatro. É assim que se define o show Trilhas do Vilavox, resgatando músicas do repertório dos espetáculos do Grupo Vilavox, com composições de Jarbas Bittencourt, Gordo Neto, Roberto Brito dos Santos e Marcio Marciano.

Assim como no passado, o Grupo Vilavox apresentará um show multimídia, que mistura “memória, sangue, suor e teimosia”, com direção musical de Leonardo Bittencourt. Além dos integrantes do Vilavox, convidados e ex integrantes do grupo, entre músicos e cantores cantam e tocam ao vivo e acompanhados por bases eletrônicas, ambientados por imagens em vídeo. Assim como na montagem de 2001, o show passeia pelas memórias e desemboca num álbum, que registrará as músicas e estará disponível nas plataformas streaming. O lançamento está previsto para o dia 15 de dezembro, após o show.

As apresentações acontecerão nos dias 6, 7, 8, 9, 13, 14, 15 e 16 de dezembro, de quinta a sábado, às 20h e aos domingos, às 19h, no Teatro da Janela, um dos novos espaços da Casa Preta (Rua Areal de Cima, nº 40 Largo Dois de Julho) , com ingressos a R$10,00 (inteira) e R$5,00 (meia entrada).

Além do show  e do álbum musical, o grupo lança também, dentro deste mesmo universo da música e do teatro, na nova edição da revista Vox da Cena. Em formato digital, com clips criados por editores de vídeo convidados, o repertório musical e cênico do grupo encontra na criação de cada editor uma nova plataforma para a fruição destes conteúdos, além de resignificá-los, somando aí música, teatro e audiovisual.  Além dos clipes, textos curtos, depoimentos e entrevistas estarão presentes na revista. O projeto é apoiado pelo Edital Setorial de Teatro da Fundação Cultural do Estado (Funceb/SecultBa).

Serviço

Show TRILHAS DO VILAVOX

Dias 6, 7, 8, 9, 13, 14, 15 e 16 de dezembro, de quinta a sábado, às 20h e aos domingos, às 19h

No Teatro da Janela – Casa Preta (Rua Areal de Cima, nº 40 Largo Dois de Julho)

Com ingressos a R$10,00 (inteira) e R$5,00 (meia entrada)

PREPARA que vai ter Marcha do Empoderamento Crespo em Salvador!


marcha_empoderamento_crespo2
Contagem regressiva para a IV Marcha do Empoderamento Crespo de Salvador, em Salvador! Será neste domingo (9), com concentração na Praça do Campo Grande, seguindo para a Praça Castro Alves.
Este ano, a Marcha traz como tema “Feminismos e Masculinidades: por uma agenda de Emancipação Crespa”, um movimento político, referenciando os movimentos negros de outrora que possuíam o cabelo natural como expressão de resistência e luta política.  A Marcha foi fundada e potencializada nas redes sociais a partir de um grupo de discussão na rede Facebook. Já conta com quase 13 mil membros participantes e a página do Facebook já obtém mais de 11 mil curtidas.
marchadoempoderamentocrespo
Por sua atuação, a Marcha recebeu, no último dia 2 de dezembro, o Troféu Periferia – premiação que promove o trabalho de empreendedores culturais, sociais e artistas que atuam nas periferias do Brasil. Também chamada de Oscar das Quebradas, a premiação existe desde 2005 e vem se consolidando com uma das principais premiações do Brasil. O Troféu  é concedido anualmente pela ONG paulista ORPAS – Obras Recreativas, Profissionais, Artísticas e Sociais.
SERVIÇO:
O QUE: IVª Marcha do Empoderamento Crespo Salvador;
QUANDO: 09/12/2018, às 13h
ONDE: Concentração na Praça do Campo Grande;

#PretasHackers – Fuxicos Futuros encerra 2018 com debate sobre a Cultura Hacker no Goethe!


pretas_hackers
Helen Nzinga

O projeto Fuxicos Futuros tem sua oitava e última edição de 2018 no dia 11 de dezembro (terça-feira), no Pátio do Goethe-Institut Salvador-Bahia e, desta vez, as Pretas Hackers Hellen Nzinga e Mari Queiroz apresentam seus processos criativos em “Tecnologias São Muitas! A Cultura Hacker Como Agente de Transformação Social”. Elas também terão como convidada a premiada diretora de cinema queniana Ng’endo Mukii, residente do Programa de Residência Artística Vila Sul do Goethe-Institut. A entrada é gratuita e a classificação é livre.

“Ser hacker é conhecer bem um sistema por experimentação. É extrapolar a norma pela excelência, saber pela prática e ressignificar pela engenhosidade, criatividade e questionamento”, explicam as Pretas Hackers. “A partir dessa definição, podemos dizer que, sendo a vida um sistema, somos hackers ao aplicarmos a ela esses conceitos. Nos tornamos hackers ao reinventarmos a vida”, concluem.

 

Com compartilhamento de conteúdos e realização de dinâmicas para estimular um debate horizontal, as Pretas Hackers propõem então apresentar pessoas e processos, e pensar como as variadas tecnologias possíveis, incluindo tecnologias digitais, podem ser ferramentas para potencializar iniciativas hackers sociais.

pretas_hackers
Mari Queiroz

NG’ENDO MUKII

Além de participar da roda de conversa, a cineasta convidada exibirá dois curtas de animação resultantes de workshops realizados por ela: “Retrato de Marielle Franco”,  produzido em agosto deste ano em Nairóbi, capital do Quênia, junto a jovens artistas que homenagearam a socióloga, ativista e vereadora brasileira, assassinada em março passado; e “Retrato de Wangarĩ Maathai”, que reverencia a queniana ativista de direitos humanos, ambientalista e feminista, ganhadora do Prêmio Nobel da Paz em 2004, resultante de oficina em Salvador, como uma demonstração de solidariedade em resposta ao primeiro filme.

FUXICOS FUTUROS

Tecnologias São Muitas! A Cultura Hacker Como Agente de Transformação Social”.

Pretas Hackers Hellen Nzinga e Mari Queiroz convidam Ng’endo Mukii

Quando: 11 de dezembro (terça-feira), 19h

Onde: Pátio do Goethe-Institut Salvador-Bahia (Av. Sete de Setembro, 1809, Corredor da Vitória)

Quanto: Gratuito

Classificação indicativa: Livre