Felícia de Castro estreia “Tudo Que Você Precisa é Amor” na Sala do Coro do TCA!


Felícia_de_Castro
Foto Nina La Croix

 

O acontecimento cênico Tudo Que Você Precisa é Amor estreia no próximo dia 27 de setembro, uma criação da artista Felícia de Castro – fruto de 20 anos em pesquisas e experiências no campo das artes cênicas. Em cartaz até 30 de setembro na Sala do Coro do Teatro Castro Alves, a obra traz como norte dramatúrgico o ensinamento budista que aborda a busca incessante do ser humano por satisfação e a possibilidade da felicidade ser encontrada dentro de si.

Bafuda Orgância é uma palhaça que nasce do riso que habita o ventre da terra e convoca-nos a um encontro tragicômico de luzes e sombras. Partindo da mitologia pessoal da artista à mitologia arquetípica de deusas das antigas culturas matriarcais, o espetáculo é uma celebração da vida, da morte e do amor como a grande revolução.

A obra é uma homenagem ao rito da palhaçaria e às mulheres cômicas, pesquisa aprimorada há 10 anos por Felícia de Castro através do projeto Palhaças, Bem-Vindas Sois Vóis.

“Estas experiências estão na minha carne e na dramaturgia do espetáculo. Todas nós, infelizmente e inevitavelmente, trazemos as feridas e as marcas da violência, opressão e domesticação sexual. Nosso corpo foi o primeiro território a ser colonizado. Nosso ato político é a coragem de encarar nossas profundezas, descolonizar este corpo e ser quem somos em sua máxima potência. Subvertendo a ordem. Assim eu encaro a palhaçaria feminina e a função sagrada do riso. O riso que liberta as emoções presas, afasta o medo, desperta o prazer, e assim é subversivo”, enfatiza Felícia.

Tudo Que Você Precisa É Amor propõe através da palhaçaria um olhar para a criança e para a mulher a partir das dores que foram provocadas nessa era patriarcal e que nos trouxe desequilíbrios graves enquanto humanidade. É um ato mágico que chama para uma reflexão/tomada de consciência que concilie o que foi com o que precisa ser.

 

Serviço

O quê? Tudo Que Você Precisa é Amor – Texto e atuação de Felícia de Castro e direção de Alê Casali

Quando? 27 a 30 de setembro – quinta a sábado, às 20h, e domingo, às 19h

Onde? Sala do Coro do Teatro Castro Alves – Praça Dois de Julho, Campo Grande – Salvador, BA

Ingressos? R$20 (inteira) e R$10 (meia) – www.ingressorapido.com.br

Projeto Afrikadelic acontece neste sábado (15) no Mercadão.CC!


afrikadelic
Divulgação

 

A fusão de diversos estilos e conceitos, música afrofuturista: tudo isso estará no “Mercadão.CC”, ali no Rio Vermelho (Idearium). O Afrikadelic será neste sábado (15), com setlists cheios de influências das diásporas negras: africanas, jamaicanas e da música afro-brasileira.

O projeto Afrikadelic foi criado e desenvolvido a partir das pesquisas dos DJs em torno da música negra e as suas relações com as diásporas negras. Dessa fusão de diversos estilos e conceitos, entre eles as novas linguagens da música afrofuturista o projeto foi criado 2013 e vem se apresentando e disseminando as suas pesquisas em torno das diásporas negras.

Influencias musicais: Os Tincoãs; Fela Kuti; Jorge Ben; Lee Perry; Moacir Santos; Bob Marley; Rumpilezz; Mad Professor; Gilberto Gil; Orchestra Poly Ritmo De Contonu; Scientist; Djalma Corrêa; King Tubby; Afrika Bambaataa; King Sunny Ade; Abayomi Afrobeat Orquestra; Grand Master Flash; Nação Zumbi; Augustus Pablo; Baden Powell & Vinicius de Moraes; Funkadelic; Orquestra Afro-Brasileira; James Brown entre outros.

Não conhece o Mercadão!?

O Mercadão é um hub de cultura, tendo como eixo a oferta de atividades culturais e criativas, lojas, música, espaço para exposições e bar. O ecossistema do Mercadão é compartilhado por empreendedores ligados aos segmentos de discos, livros, filmes, moda, cerveja artesanal e cozinha simples, reunindo, também, artistas e promotores culturais.

Afrikadelic no Mercadão.CC
Quando: Sábado 15 de setembro
Abertura da Casa 19h
Horário: A partir das 22h
Onde: Mercadão. CC embaixo do antigo Idearium Bar
Rua Guedes Cabral, 20 – Rio Vermelho
Atrações: DJ GUG + DJ RIFFS

Entrada: colaboração consciente.

 

Festival Melanina Acentuada começa com “Isto é Um Negro?” e “Namíbia, não!”


De 14 a 23 de setembro, Salvador vai receber uma programação especial pautando a dramaturgia negra produzida no Brasil. É o Festival Melanina Acentuada, idealizado pelo ator, apresentador, dramaturgo e pesquisador Aldri Anunciação. O evento contará com leituras dramáticas, ateliês para produção escrita e reflexão sobre práticas e poéticas, espetáculos teatrais, compartilhamento e o lançamento da plataforma Melanina Digital, um catálogo virtual inédito que reúne a produção de dramaturgos negros contemporâneos.

Toda programação do Festival – uma homenagem aos 90 anos do ator Mário Gusmão – se dividirá entre o Goethe-Institut Salvador e a Sala do Coro do Teatro Castro Alves. 

I Fórum Negro das Artes Cênicas

Festival Melanina Acentuada trará, também, entrevistas públicas com os dramaturgos, criando um especial momento para conhecer o processo criativo dos autores, seus procedimentos de trabalho, poética. O evento também contará com dois momentos de compartilhamento de processos criativos com autores, recebendo o baiano Diego Pinheiro, autor do espetáculo Quaseilhas e Mirella Façanha e Tarina Querino (SP), da obra Isto É Um Negro?.

A programação ainda contará com duas rodas de conversa com estudiosas da dramaturgia e da cena negra brasileira, a Prof. Dra. Leda Maria Martins (18 de setembro, às 14h) e a cineasta Glenda Nicácio (17 de setembro, às 14h)

Plataforma Digital

Na plataforma Melanina Digital, o usuário encontrará todo conteúdo reunido ao longo das edições anteriores e atuais do Melanina Acentuada, a exemplo de entrevistas públicas, palestras, rodas de discussão, mini-biografia dos dramaturgos, textos dramáticos disponibilizados, vídeos, artigos entre outros. A noite de abertura do festival (14/09, às 20h) será marcada pelo lançamento da Plataforma.  Acesse aqui!

Serviço

Festival Dramaturgias da Melanina Acentuada

Sala do Coro do Teatro Castro Alves

Dias 14 e 15 de setembro, sexta e sábado, às 20h – Lançamento da Plataforma Melanina Digital e espetáculo Isto É Um Negro?

Dia 16 de setembro, às 20h – Namíbia, Não?

 

Isto é Um Negro?

Classificação etária: 18 anos

Duração: 1h40

Datas de apresentação | Horário: 14 e 15 de setembro de 2018 (sexta e sábado) às 20h

Local de apresentação: Sala do Coro do Teatro Castro Alves

Ingressos: R$ 20,00 (inteira) | R$ 10,00 (meia entrada)

Sinopse

Um estudo sobre práticas e temporalidades que incorporam e desincorporam a “carne mais barata do mercado”, numa luta contra formas de destituição da fala, produzindo outros corpos, redesenhando outros mapas na medida em que esses corpos se movem. Se a exceção produz lugares e, neles, antagonismos – olhe: isto não é seu nego. Isto é um negro?

 

Namíbia, Não!

Classificação etária: 14 anos

Duração: 1h

Datas de apresentação | Horário: 16 de setembro de 2018 (domingo) às 20h

Local de apresentação: Sala do Coro do Teatro Castro Alves

Ingressos: R$ 20,00 (inteira) | R$ 10,00 (meia entrada)

Sinopse

Em 2016, o Governo brasileiro decretou uma Medida Provisória obrigando que todos os de ‘melanina acentuada’ sejam capturados e enviados imediatamente à África, provocando, em pleno século XXI, o revés da diáspora vivida pelo povo africano do Brasil escravocrata. A medida é uma ação de reparação social aos danos causados pela União. Mas, para não incorrer no crime de “Invasão a Domicílo”, eles só podem ser capturados na rua. Assim, André e Antônio passam o dia trancados no apartamento, debatendo as questões sociais e econômicas da vida atual, seus anseios pessoais e as consequências de um iminente retorno à África-mãe.

Toda programação aqui!

De Camarões para a Bahia: cantor camaronês Richard Bona se apresenta no TCA!


Divulgação

 

De Camarões para a Bahia! O cantor camaronês Richard Bona se apresenta próximo dia 19 de setembro (quarta-feira) no Teatro Castro Alves.. O show, em data única, é uma realização da Ambah – AMBAH- Academia de Música da Bahia. Considerado hoje um dos grandes baixistas da atualidade, Bona está entre os raros artistas da música mundial que habitam passado e futuro. Ele mistura ritmos africanos e latinos, além de usar a música para abordar questões internacionais.

Bona tem hoje posição de destaque entre músicos mais talentosos e procurados da sua geração. Já excursionou com Quincy Jones, Herbie Hancock, Pat Metheny e tem participações em dois álbuns de Bobby McFerrin. Seu álbum Tiki  (2007) foi indicado ao Grammy de “Melhor Álbum Contemporâneo World Music” e traz John Legend na faixa “Please Don´t Stop”. Na sua trajetória musical, está o coletivo “Toto, Bona, Lokua” (2004), quando se juntou à estrela congolesa Lokua Kanza e ao cantor e compositor Antillais Gerald Toto.

O artista já gravou a canção “Manyaka O Brasil” com Djavan e participou do DVD Acústico MTV Ao Vivo de Lenine na canção “Medida da Paixão”, além da indicação ao Grammy de “Melhor Álbum Contemporâneo World Music” em 2007.

 “A música é para fazer-nos dançar e rir e chorar, para nos ajudar a entender a nós mesmos e ao outro, para nos lembrar que vivemos em um enorme universo cheio de maravilhas, para nos encher de alegria”, diz Bona, conhecido como “The Sting Africano”.

SERVIÇO:

RICHARD BONA

Local: Teatro Castro Alves (TCA) – Pça 2 de Julho, s/n, Campo Grande

Data: 19 de setembro (quarta-feira)

Horário: 20h

Ingresso: Fileiras A a P: R$ 170 (inteira)  e R$ 85 (meia)/ Q a Z5: R$ 150 (inteira) e R$ 75 (meia)/ Z6 a Z11: R$ 130 (inteira), R$ 65 (meia)

Vendas: – Bilheteria do TCA, SACs do Shopping Bela Vista e Shopping Barra

               – ONLINE AQUI I Tel: 71 4004-1139

Grupo baiano WWL RAP lança seu segundo álbum, o “3X4”!


Dois anos após estrear com o EP intitulado “Tinha Que Ser Preto”, o grupo baiano WWL RAP lança seu segundo álbum, o ‘3X4’ nesta quarta-feira (12). A obra conta com 12
músicas, das quais 9 são inéditas. O repertório do novo CD inclui Direito de Vingança, música de trabalho do grupo, que conta com mais de 14 mil visualizações no YouTube,
site onde o álbum será lançado.

O mais novo trabalho do grupo foi produzido de forma independente durante os últimos sete meses e conta com participações de artistas do rap baiano e de outros gêneros musicais, a exemplo de Tayná Calmon, vocalista do bloco afro Malê Debalê. Formado por três soteropolitanos, o grupo trabalhou como conceito para o álbum a ideia de retratar as múltiplas identidades da capital baiana em suas letras de protesto.

QUANDO CHEGA?!

O álbum estará disponível a partir das 12h da quarta-feira (12) AQUI!

Batalha de MCs? Tá tendo! Projeto Heróis da Resistência vai movimentar São Caetano!


 

Acontece nos meses de setembro a novembro o projeto Heróis da Resistência, reunindo artistas locais e de adjacências. E a atração principal: batalhas de MC’s. O projeto acontecerá sempre as quintas-feiras, das 19h às 22h, com entrada gratuita, e será no Anfiteatro Espaço da Benção, localizado na Quadra de Esportes do bairro de São Caetano.

Na primeira quinta-feira, dia 6 de setembro, o projeto receberá os grupos Okaris e A Rua se Conhece, Flávia Gringa, Dj Belle, Dj Berlota, Dj Ivan e Dj Gilson Toots. Poesia, rima, break dance e grafite também farão parte da programação.

O projeto, contemplado pelo edital Arte Todo Dia Ano IV 2018, da Fundação Gregório de Matos, acontece há mais de 10 anos a partir da iniciativa do produtor cultural, cantor e arte educador Bruno Meireles, mais conhecido como “Bruno Suspeito” e do Coletivo São Caetano Resistência, que perceberam a necessidade de proporcionar cultura, arte e lazer de qualidade de forma acessível para os moradores de São Caetano.

“Sou nascido e criado no bairro de São Caetano e venho de uma escola alternativa de arte de rua. Dentro da realidade social e experiências que tive, decidi tentar transformar de forma positiva a mim mesmo, as pessoas ao meu redor, a minha comunidade e qualquer lugar que fosse possível alcançar. Percebi a necessidade de proporcionar cultura e lazer de forma gratuita”, diz Bruno.  

“Encontro Zózimo Bulbul Itinerante” chega a Salvador com programação especial na Sala Walter!


Haile Gerima

 

A Sala Walter da Silveira acolhe, nos dias 10 e 11 de setembro, o “Encontro de Zózimo Bulbul Itinerante”. A programação é gratuita e conta com master classes, debates e exibições de filmes de Haile Gerima, cineasta etíope radicado nos EUA, e da diretora norte-americana, Shirikiana Aina, que vão estar em Salvador durante a atividade. Outra convidada muito especial é a pesquisadora de Cinema Africano, Janaína Oliveira, responsável pela mediação dos bate-papos com o público. 

A realização do evento na capital baiana é resultado de uma parceria com a Fundação Cultural do Estado da Bahia (FUNCEB), através da sua Diretoria de Audiovisual (DIMAS). O “Encontro Zózimo Bulbul Itinerante” – que já é referencia de cinema no Brasil e na America Latina – é uma importante ação de fortalecimento e intercâmbio entre novos cineastas, promovendo a reunião de gerações e a valorização da ancestralidade.

Shirikiana Aina

Sobre os Convidados:

Haile Gerima: Professor e cineasta da Etiópia, vencedor inúmeros prêmios com o filme Sankofa (1993). Seu último longa-ficcional “Teza” (2008) foi indicado ao Festival de Veneza e ganhou o Etalón de Ouro, prêmio máximo do FESPACO (Festival Panafricano de Cinema e Televisão de Ouagadougou). 

 

Shirikiana Aina: Co-produziu “Sankofa” (1993), dirigido por seu marido, Haile Gerima, que recebeu críticas e prêmios por sua representação dos horrores da escravidão nas Índias Ocidentais e da busca da liberdade. Seu trabalho mais recente inclui “Through the Door of No Return” (1997), que documenta a jornada de Aina para Gana e a experiência de seus ancestrais. Esta característica foi mostrada no Festival de Cinema de Toronto em 1997. Ela também trabalhou como diretora de fotografia para vários documentários, como “Política do Cinema Africano” e “Em Tornar-se uma Mulher”.

 

Janaína Oliveira: Pesquisadora e curadora, Janaína Oliveira é doutora em História, professora no IFRJ (Instituto Federal do Rio de Janeiro), e Fulbright Scholar no Centro de Estudos Africanos na Universidade de Howard, em Washington D.C. nos EUA. Realiza pesquisas centradas na reflexão sobre Cinema Negro, no Brasil e na diáspora, e também sobre as cinematografias africanas, sempre buscando conexões que possam incidir também na área da educação das relações étnicorraciais.

 

Programação:

10/09 – Segunda-feira

 

·  09h – Abertura

·  09h15 às 12h – Master Class com Haile Gerima;

·  14h – Exibição de “The Maroons – Sampler I /Working in progress”. e “Teza”. Direção. Haile Gerima

·  18h30 – Roda de conversa com Haile Gerima e Shirikiana, mediada por Janaína Oliveira.


11/09 – Terça-feira

 

·  09h às 12h – Master Class com Shirikiana Aina;

·  14h – Exibição de “Bush Mama”. Direção Haile Gerima. E “The Footprints of Panafricanism” Direção. Shirikiana Aina

Jazz, samba, bloco afro, ijexá…tudo isso na Noite Di Vina, com Saravá Jazz!


O grupo Saravá Jazz Bahia apresenta show em 29 de setembro na Casa di Vina, em Itapuã. O grupo foi fundado em 2010 pelo guitarrista, violonista, compositor e arranjador Márcio Pereira, durante seu mestrado em Jazz Studies pela University of New Orleans em 2009.

Na composição: Ângelo Santiago (contrabaixo acústico), Carlos Careca (bateria), Mateus Aleluia (trompete), Bruno Nery (trombone) e Vinicius Freitas (saxofone).

O repertório autoral mistura desde elementos de gêneros oriundos da cultura afro-baiana como ijexá, samba-de-roda, ritmos de candomblé e ritmos criados pelos blocos afro, a elementos que caracterizam o jazz, em especial a improvisação e liberdade criativa.

SERVIÇO

O quê: Show Saravá Jazz Bahia

Onde: Restaurante Casa di Vina. Rua Flamengo, 44, Farol de Itapuã, em frente à Praça Vinicius de Moraes

Quando: sábado, 29 de setembro, 21h

Quanto: R$ 20

 

Virgínia Rodrigues e Luedji Luna recebem cantoras africanas no “Sons da África”!


Sayon_Bamba
Sayon Bamba

A Caixa Cultural Salvador apresenta, no mês de setembro, a edição 2018 do projeto Sons da África, uma série de encontros entre artistas africanas e afro-brasileiras. De 6 a 8 de setembro (quinta-feira a sábado), o público assistirá a shows em que a cantora Virgínia Rodrigues receberá como convidada a artista africana Kaloune, da Ilha Reunião.

O repertório da anfitriã inclui canções de três álbuns próprios: “Mama Kalunga” (2015), “Mares Profundos” (2004) e “Sol Negro” (1997).

“Estou muito feliz por poder cantar minhas canções negras ao lado de uma grande artista”, destacou Virgínia, que tem influências que vão do samba à música clássica, passando pelo jazz. A “grande artista” a que Virgínia Rodrigues se refere é Kaloune, uma das vozes mais singulares da Ilha Reunião e vencedora do 6º Prêmio de Música do Oceano Índico. Sua música se expressa por meio de orações, declamações e cantos, para abordar temas como mulheres, história e espiritualidade.

Lenna_Bahule
Lenna Bahule

TEM MAIS…

Já a segunda temporada de shows de Sons da África acontece de 13 a 16 de setembro, com Luedji Luna recebendo Sayon Bamba (Guiné Conacri) como convidada. Bamba, que vive em Bruxelas e se considera cidadã do mundo, mistura estilos e tradições em um canto que valoriza suas raízes e defende, especialmente, a mulher.

Para encerrar a edição 2018 do projeto, entre os dias 20 e 23 de setembro, a moçambicana Lenna Bahule divide o palco com Luizinho do Jeje, percussionista baiano que apresentará suas músicas autorais, em meio às artistas mulheres que integram a programação. Lenna vai apresentar canções do seu álbum “Nômade” (2016) e outras inéditas.

Os ingressos para as apresentações de Virgínia Rodrigues e Kaloune começam a ser vendidos na quinta-feira, 06/09, às 9h, na bilheteria da própria CAIXA Cultural Salvador, na Rua Carlos Gomes, 57, Centro.

 

Serviço


Música – “Sons da África”: 
Virgínia Rodrigues convida Kaloune

Período: de 6 a 8 de setembro de 2018 (quinta-feira a sábado)

Horário: às 20h (quinta-feira e sexta-feira) e às 17h e às 20h (sábado).

13 a 16/09(Quinta-feira a Domingo): Sayon Bamba (Guiné Conacri) e Luedji Luna

20 a 23/09 (Quinta-feira a Domingo): Lenna Bahule (Moçambique) e Luizinho do Jeje

Horário: De quinta a sábado, às 20h. Domingos, às 19h.

Local: CAIXA Cultural Salvador (Rua Carlos Gomes, 57, Centro)

Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)

Bilheteria: venda de ingressos a partir das 9h de quinta-feira (6), para todas as sessões.

Classificação indicativa: não recomendado a menores de 12 anos

Informações: (71) 3421-4200

Conveniência: estacionamento gratuito ao lado.

Vai ter Cinema na Praça este mês: Barroquinha, Santa Mônica, Pelô e Rio Vermelho!


ana_celia
Ana Célia – (foto: Angeluci Figueiredo)

 

Várias localidades de Salvador vão receber, de 02 a 23 de setembro, mais uma edição do Cinema na Praça, com exibição dos quatro episódios Saberes Passados, obra dirigida e roteirizada por Ducca Rio.

A série retrata a relação entre mestre e aprendiz na preservação da ancestralidade e perpetuação das manifestações culturais afro-brasileiras na cidade do Salvador/BA, e isso se dá através de quatro personagens, sinalizando a importância da oralidade na relação entre quem ensina e quem aprende.

A cada domingo será apresentado um episódio, seguindo de bate papo com os personagens, nas imediações onde foram gravados. O objetivo do projeto é levar até essas comunidades o resultado do trabalho realizado pela produção da série.

Tudo gira em torno dos conhecimentos de quatro personagens, abordando os ‘saberes do ferro e dos metais’, os ‘saberes das comidas’, os ‘saberes da mata e da madeira’ na confecção dos instrumentos da capoeira, e os ‘saberes da música, respectivamente.

O primeiro episódio ALAGBEDÉ – O FERREIRO, será exibido no dia 02/09, às 18h, Espaço Cultural Barroquinha, onde a figura central é “Zé Diabo”, falando sobre seu mestre, Ogum, senhor do ferro, como aprendeu o ofício e como faz para passá-lo adiante. Na sequência, acontece um bate papo com esse personagem da vida real.

No dia 09/09, às 18h, no bairro de Santa Mônica, será exibido o episódio OLOFÁ – O ARQUEIRO, no qual Mestre Olavo mostra o universo das cabaças, madeiras, facas, tintas, vime, beribas e outros “paus” que são a base espiritual da sua arte. Com efeito, esse ex-aluno de Mestre Valdemar, assim como seu professor tornou-se um dos maiores detentores dos segredos presentes na feitura do berimbau. Em seguida, o mestre promove uma roda de capoeira, bem em frente a sua casa.

No dia 16/09, às 18h, a Casa do Benin recebe o Cinema na Praça exibindo o episódio IYABASSÉ – A COZINHEIRA, com Ana Célia contando os segredos das comidas no Banquete dos Orixás. Em seguida, acontece uma edição especial do Ajeum, no qual serão servidos quitutes da culinária afro-baiana, durante um bate papo.

Dia 23/09, às 18h, no Largo da Mariquita, Rio Vermelho, será exibido o episódio com Matheus Aleluia, AKORIN – O CANTOR, no qual ele revela a presença sagrada do candomblé na sua obra musical.

SERVIÇO

Cinema na Praça apresenta a série Saberes Passados

  • Exibição do episódio ALAGBEDÉ – O FERREIRO – Com Zé Diabo

02/09 – Espaço Cultural Barroquinha – 18h

  • Exibição do episódio OLOFÁ – O ARQUEIRO – Com Mestre Olavo

09/09 – Rua Livia Maia, Santa Mônica (em frente à casa de Mestre Olavo, antes da roda de capoeira) – 18h

  • Exibição do episódio IYABASSÉ – A COZINHEIRA e Ajeum Especial saberes Passados com Ana Célia

16/09 – Casa do Benin – 18h

  • Exibição do episódio AKORIN – O CANTOR – Com Matheus Aleluia

23/09 – Largo da Mariquita, Rio Vermelho – 18h

GRATUITO