Semana de Valorização do Trabalho Doméstico acontece até este sábado (28)!


Até este sábado (28), a Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre) realiza, na Praça de Eventos do Shopping Center Lapa, em Salvador, a 9ª Semana de Valorização do Trabalho Doméstico, uma programação com palestras, serviços e atividades culturais – tudo gratuito. As atividades são voltadas para o público em geral, mas com foco nos trabalhadores domésticos.  Sempre das 9h às 20h.

O evento é uma verdadeira maratona pela valorização do trabalho doméstico, que inclui 45 atividades, ao longo de três dias. Nosso objetivo é contribuir para que trabalhadoras e trabalhadores do segmento sejam adequadamente remunerados, exerçam suas atividades em condições de liberdade, equidade e segurança e, dessa forma, tenham sua dignidade garantida”, destacou a Chefe de Gabinete da Setre, Ângela Guimarães. 

A secretária geral da Federação Nacional das Trabalhadoras Domésticas, Creuza Oliveira, ressalta que o evento é único no país: “É um marco histórico para nossa categoria, uma experiência positiva que temos apresentado em outros estados e até fora do Brasil. Infelizmente, grande parte da sociedade ainda não vê o trabalho doméstico como uma profissão, então, essa programação oferece visibilidade e possibilita que as pessoas tenham outra visão sobre a nossa atividade”, explicou.

APP

Um dos destaques da programação da manhã foi o lançamento do aplicativo Laudelina. Desenvolvido pela ONG Themis – Gênero, Justiça e Direitos Humanos, está disponível para ser baixado gratuitamente em aparelhos com sistema Android, oferecendo uma série de facilidades para as empregadas domésticas, como: informações sobre direitos trabalhistas, cálculo de salários, benefícios e rescisão, lista de instituições de proteção, e uma rede de contatos de profissionais do segmento que atuam na mesma região.

Atendimentos

No local, estão sendo oferecidos serviços como emissão de Carteira de Trabalho e Previdência Social; intermediação e cadastramento de mão de obra; informações sobre temas como segurança no trabalho, violência contra a mulher e combate ao trabalho infantil, além de orientação previdenciária, jurídica e psicológica.

marinalva_barbosa

Marinalva Barbosa: dedicação à luta das Trabalhadoras Domésticas!

Marinalva já foi presidenta do Sindicato dos Trabalhadores Domésticos do estado da Bahia por duas vezes, já passou pelo Setor Jurídico e hoje está na Secretaria de Serviço Social do Sindicato. Por muitos anos, dedica sua trajetória à valorização do trabalho doméstico e à formação da categoria. Hoje ela estuda Direito e sobre conquistas, avanços e desafios, Marinalva tem muito a dizer:

 

Neste dia de luta, temos muito o que comemorar. Se olharmos pra 20 anos atrás, não tínhamos direito nenhum e através de nossa luta, buscamos nossos direitos, um trabalho incansável das trabalhadoras domésticas no país. Uma conquista enorme foi a carga horária de trabalho, que hoje é definida por lei, além do Tempo de Serviço, Licença Maternidade e Estabilidade e o Seguro Desemprego. Hoje desfrutamos de Adicional Noturno, Hora Extra, Carteira Assinada.

Mas temos muito a conquistar ainda, em especial o respeito e a dignidade por parte dos empregadores. Um grande desafio é a formalização das companheiras, cerca de 70% ainda trabalha sem Carteira Assinada, sem direitos, na informalidade. Me alfabetizei com 20 anos apenas, trabalhei dois anos sem saber ler ou escrever, busquei minha educação e hoje busco terminar minha faculdade de Direito.

Esta Faculdade não é um projeto só meu, é um projeto coletivo pra mulheres negras, LGBTs, moradoras de rua, para todos que precisam. Pretendo atuar em vários movimentos sociais e isso já é uma expectativa das pessoas. Espero que sirva de exemplo para que outras companheiras tenham ânimo para buscar uma graduação”.

Você pode ajudar Marinalva – uma representante da luta pelos direitos dos Trabalhadores Domésticos a se tornar uma advogada e ampliar o acesso destes direitos a mais trabalhadores e movimentos sociais:

 

Cia Teatro Griôt promove sessões de histórias, oficinas de narração e mais, com Vovó Cici e Vanda Machado!


vovo_cici
Vovó Cici

A Cia Teatro Griô realiza o projeto “HISTÓRIAS AFRO-BRASILEIRAS – Ações de leitura e literatura oral” de 23 a 29 de abril com sessões de histórias, oficinas de narração e outras ações artísticas do grupo. São histórias da cultura afro-brasileira que serão contadas nas bibliotecas comunitárias Bety Coelho e Jorge Amado. Além de apresentações das escritoras e narradoras Vanda Machado e Vovó Cici, e do espetáculo “Minha Aldeia – Sessão de histórias e cantigas do Teatro Griô”, no Teatro Eva Herz, da Livraria Cultura – Salvador Shopping.

Toda programação tem ações gratuitas como a Oficina A Arte de Narrar histórias, com os Fundadores e Coordenadores do grupo Teatro Griô – Rafael Morais e Tânia Soares (Narradores, Diretores e Professores de Teatro, Mestres em Artes Cênicas-UFBA) para educadores, mediadores de leitura e a comunidade em geral. Uma Oficina acontecerá no dia 23 de abril, das 14h às 17h, na Biblioteca Jorge Amado – Fundação Pierre Verger; e outra Oficina no dia 26 de abril, das 14h às 17h, na Biblioteca Betty Coelho. As inscrições para as oficinas poderão ser realizadas através do e-mail [email protected]

vanda_machado
Vanda Machado

O público de todas as idades poderá assistir ao espetáculo Minha Aldeia, que traz mitos e contos populares de tradições africanas, afro-brasileira, indígenas e ibérica, entremeadas de cantigas. Ancestralidade e sabedoria popular são os fios condutores da montagem “Minha Aldeia”. As fábulas recheadas de magia trazem à cena os contos de autores como Mãe Beata de Yemonjá, Ruy do Carmo Póvoas e Vanda Machado. Dias 28 e 29 de abril, às 16 horas, com entrada franca, no Teatro Eva Herz (Livraria Cultura do Salvador Shopping).

Ainda no sábado e no domingo, 28 e 29 de abril, antes do espetáculo Minha Aldeia, o público poderá chegar mais cedo, às 15 horas, para escutar as sessões de histórias das narradoras Vanda Machado (Escritora, Doutora em Educação, Criadora do Projeto Irê Ayó na Comunidade de Terreiro Ilê Axê Opo Afonja), no sábado; e de Vovó Cici (Narradora de contos populares de tradição oral; Escritora, pesquisadora na Fundação Pierre Verger).

Todas as atividades do projeto Histórias Afro Brasileiras têm entrada franca e classificação livre para todos os públicos e são voltadas para crianças, adolescentes, adultos, educadores, mediadores de leitura e a comunidade em geral de todas as idades. O projeto tem o apoio financeiro do Governo do Estado da Bahia, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura da Bahia.

Serviço/Programação:

Projeto Histórias Afro-Brasileiras – Ações de leitura e literatura oral;

Dia 23 de abril, segunda-feira – Ação na Biblioteca Jorge Amado – Fundação Pierre Verger

Dia Mundial do Livro

Das 14 às 17 horas: Oficina A Arte de Narrar histórias – com Rafael Morais e Tânia Soares;

Às 17 horas: Sessão de Histórias com o Grupo Teatro Griô

Local: Biblioteca Jorge Amado, Espaço Cultural Pierre Verger, Ladeira da Vila América, 18, Engenho Velho de Brotas

Dia 26 de abril, quinta-feira, Ação na Biblioteca Betty Coelho:

Das 14 às 17 horas: Oficina A Arte de Narrar histórias – com Rafael Morais e Tânia Soares;

Às 17 horas: Sessão de Histórias com o Grupo Teatro Griô

Local: Biblioteca Infanto Juvenil Betty Coelho, Rua Lavínia Magalhães, 42, Boca do Rio

Dia 28 de abril, sábado, no Teatro Eva Herz:

Às 15 horas: Sessão de histórias com Vanda Machado;

Às 16 horas: Apresentação do espetáculo Minha Aldeia – Sessão de histórias e cantigas do Teatro Griô

Local: Teatro Eva Herz, Livraria Cultura, Salvador Shopping.

Dia 29 de abril, domingo, no Teatro Eva Herz:

Às 15 horas: Sessão de histórias com Vovó Cici;

Às 16 horas: Apresentação do espetáculo Minha Aldeia – Sessão de histórias e cantigas do Teatro Griô

Local: Teatro Eva Herz, Livraria Cultura, Salvador Shopping.

Ingresso: aberto ao público

Inscrições:  via ficha de inscrição solicitada através do e-mail [email protected]

ONG Bahia Street abre as portas para exibição de “Travessias Negras” e debates!


Travessias Negras
A Bahia Street – uma ONG com 22 anos de atuação na formação de jovens-  abre seu espaço sócio-politico cultural nesta sexta-feira (27) para debates e exibição do primeiro capítuloda série “Travessias Negras”, de Antonio Olavo. O objetivo é construir uma ponte direta com as comunidades e, na ocasião, a ONG será apresentada pela sua diretora/fundadora, Rita Cliff.
Tudo começa às 17h, é aberto ao público o terá encerramento com voz e violão de Lucas Motta e Rafael Almeida. A ONG tem como objetivo o empoderamento de meninas entre 5 a 10 anos – meninas em situação de maior vulnerabilidade social. Lá são realizados aulas de canto, dinâmicas de grupo, brincadeiras, e aulas como requisitos para a formação dessas meninas.
 Bahia Street fica na Rua do Sodré – 435, bairro do Dois de Julho, em Salvador.

Documentário sobre o genocídio da juventude negra entra em cartaz em Salvador!


Um filme sobre extermínio da população negra:o longa-metragem “O Caso do Homem Errado” inicia seu circuito comercial na capital baiana a partir desta sexta-feira (27), na Sala de Arte Cinema do Museu, localizado no Corredor da Vitória.

O documentário iniciou o circuito comercial nacional em Porto Alegre no mês de março e com grande público permaneceu em cartaz por duas semanas. Segundo a equipe, a intenção desta produção independente é conseguir, no ano de 2018, entrar em cartaz em mais algumas cidades brasileiras para que mais pessoas tenham acesso a essa produção audiovisual.

Entenda o caso…

O Caso do Homem Errado” conta a história do jovem operário negro Júlio César de Melo Pinto, que foi executado pela Brigada Militar, em 1987, em Porto Alegre/RS. O crime ganhou notoriedade  após  a imprensa divulgar fotos  de Júlio sendo colocado com vida na viatura e chegar, 37 minutos depois, morto a tiros no hospital. O filme traz o depoimento de Ronaldo Bernardi, o fotógrafo que fez as imagens que tornaram o caso conhecido, da viúva do operário, Juçara Pinto, e de nomes respeitados da luta pelos direitos humanos e do movimento negro no Brasil. .

Em agosto 2017, o documentário fez a sua estreia nacional no 45º Festival de Cinema de Gramado. Em novembro, na sua primeira participação internacional em festivais, ganhou o prêmio de melhor filme no 9º Festival Internacional de Cine Latino, Uruguayo y Brasileiro, em Punta del Este. No início deste mês participou da I Mostra Itinerante de Cinema Negro Mahomed Bamba (MIMB) que ocorreu em Salvador.

Realizado pela produtora de cinema gaúcha Praça de Filmes, o documentário tem a coordenação de duas mulheres negras,  Camila de Moraes que assina a direção e Mariani Ferreira que faz a produção executiva, ambas jornalistas.

SERVIÇO

O Quê: Documentário “O Caso do Homem Errado” – Circuito Comercial em Salvador

Quando: 27.04.2018 a 02.05.2018

Horário: 19h30

Local: SaladeArte Cinema do Museu (Av. Sete de Setembro, 2.195, Corredor da Vitória – Museu Geológico)

Valor do Ingresso: Segunda-Feira e Terça-Feira, R$20,00 (inteira) e R$10,00 (meia) / Quarta-Feira, R$19,00 (inteira) e R$9,50 (meia) / Quinta-Feira a Domingo e Feriados, R$25,00 (inteira) e

R$12,50 (meia) / Alunos secundarista de escola pública pagam R$6,00.

Classificação: 10 anos

Bule Bule levará seu livro “Orixás em Cordel” a quatro Terreiros de Candomblé!


O Terreiro Ilê Axé Odé Yeyê Ibomin, em Lauro de Freitas, será a primeira casa de culto de matriz africana, a receber o cordelista e repentista Bule Bule com o projeto “Orixás em Cordel – Contação de Histórias em Terreiros”, no próximo domingo, dia 29 de abril. O encontro com o povo de santo será uma extensão do projeto do livro “Orixás em Cordel” (Pinaúna Editora, 2018), lançado pelo cordelista, no último dia 11. Até o mês de junho, Bule Bule fará rodas de conversas sobre o tema, em alguns terreiros de Candomblé da Região Metropolitana de Salvador e do Recôncavo baiano.

O repentista visitará quatro terreiros de Candomblé e, em alguns dos espaços, serão realizadas ações literárias educativas nas bibliotecas comunitáriaspara fortalecer a literatura de cordel, as referências africanas a integração destes pilares da cultura baiana.

Este projeto, “Orixás em Cordel – Contação de Histórias em Terreiros”, é apoiado por meio da 1a Chamada do Edital Calendário das Artes 2017, da Fundação Cultural do Estado da Bahia – FUNCEB, entidade vinculada à Secretaria de Cultura do Estado – SecultBA.

 

Programação das visitas

Ilê Axé Odé Yeyê Ibomin

Portão / Lauro de Freitas

29/04/18, domingo, às 13:30

 

Ilê Axé Icimimó Aganjú Didê

Cachoeira

12/05/18, sábado, às 14h

 

Unzó Tumbenci

Lauro de Freitas

19/05/18, sábado, às 10h

 

Unzó Tatetô Lembá

Camaçari

10/06/18, domingo, às 10h

 

Portella Açúcar, Aspiral do Reggae, Bambeia…e muito mais no Pelô!


pelourinho_fim_de_semana
Portella Açúcar

A agenda deste fim de semana nos Largos do Pelourinho traz como destaque os ensaios do Bambeia e do Olodum e shows da Banda Aspiral do Reggae. Ainda no sábado tem Samba do Pretinho no evento Sábado Black, às 20h no Largo Pedro Archanjo, com ingressos a R$ 10. Também às 20h, no Largo Quincas Berro dÁgua, tem o show gratuito da banda Negro Lindo e convidados,.

No domingo (29), o ensaio do Olodum traz a festa temática ‘’Tributo a Ravalona III’’. No repertório, o bloco traz o samba reggae e músicas que marcaram a trajetória da banda ao longo de quase quatro décadas embalando os fãs e turistas de todo o mundo. O show é no Largo Pedro Archanjo, às 14h, com ingresso a R$ 50. Já o grupo de samba Bambeia celebra a sua trajetória recebendo como convidados o Burugundun, Banda Trivial e Samba de Cozinha, além da participação especial do grupo Swing do Fora da Mídia e das cantoras Carla Liz e Gal do Beco. O evento acontece às 16h no Largo Pedro Archanjo, com ingresso a preço único no valor de R$ 10.

Pra encerrar o domingo, às 21h, acontece no Largo Tereza Batista o show de Açucar Improviso Latino, que bota o público para dançar ao som da salsa afro brasileira, com a marca e o estilo irreverente do cantor Portella Açucar. O samba entra nessa mistura com a participação da cantora Gal do Beco. Evento aberto ao público.

REGGAE!

Também na terça-feira os amantes da música reggae curtem com o projeto Bob Marley Vive, que realiza neste mês de maio uma série de shows, palestras, mostras de vídeos, com objetivo de celebrar o dia 11 de maio, que foi constituído como o Dia Nacional do Reggae. Nesta primeira edição, o projeto apresenta show de Kamaphew Tawá & Banda Aspiral do Reggae e convidados. O evento começa às 19h no Largo Quincas Berro D’Água, aberto ao público. Já às 20h no Largo Pedro Archanjo a Banda Caçamba Azul segue embalando o público ao som da salsa, merengue e zouk com show gratuito.

Sábado Black – Samba do Pretinho

Local: Largo Pedro Archanjo

Quando: 28 de abril (sábado) às 20h

Ingresso: R$ 10,00

Banda Negro Lindo

Local: Largo Quincas Berro D´Água

Quando: 28 de abril (sábado) às 20h

Aberto ao público

Ensaio do Olodum

Local: Largo Pedro Archanjo

Quando: 29 de abril (domingo) das 14h às 17h

Ingresso: R$ 50,00

Bambeia e Convidados

Local: Largo Pedro Archanjo

Quando: 29 de abril (domingo) às 16h

Aberto ao público

Açucar Improviso Latino e Gal do Beco

Local: Largo Tereza Batista

Quando: 29 de abril (domingo) às 17h

Aberto ao público

 

Bob Marley Vive

Local: Largo Quincas Berro D’Água

Quando: 01 de maio (terça) às 20h

Aberto ao público

Cineclube Tela Preta retorna com programação no Centro Cultural de Plataforma!


cineclube_tela_preta

Os próximos programas  do Cineclube Tela Preta, entre os dias 2 e 3 de maio, às 15h e 18H no Centro cultural de Plataforma terão exibições seguidas de debates e a participação das (os) realizadoras (os). O intuito é refletir sobre a relação que as mulheres negras estabelecem com a presença e a ausência, o desafio de manter os laços familiares e a forma como elasse percebem. Tudo gratuito!

Na próxima quarta (2),  às 19h, terá o programa Ausências Presentes que conta com a exibição do  longa O dia de Jerusa (2014) de Viviane Ferreira e  o curta  Aquém das Nuvens (2011), de Renata Martins  Já na quinta (3)  teremos logo às 15h,  a roda de conversa sobre Políticas  Afirmativas no campo do audiovisual  e, às 19h, é a vez do programa Gestando Narrativas que traz as telas os curtas: Travessia (2017)Tia Ciata (2017) e  Mulheres Negras Projeto de Mundo (2017).

O projeto é mais uma idealização do Coletivo de Cinema Negro Tela Preta, uma organização que pauta a representatividade negra no campo do cinema e audiovisual, aprovado pelo Edital Setorial de Audiovisual – Desenvolvimento e Difusão do Fundo de Cultura, da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia e produzido pela Rebento Filmes, uma produtora de mulheres negras.

SERVIÇO:

O QUÊ: CINECLUBE TELA PRETA TRAZ ÀS TELAS O PROTAGONISMO  DA MULHER NEGRA

QUANDO: 2 e 3 de MAIO, às 19h;

COMO: Exibição com debate e formação de público e uma roda de conversa sobre Politicas afirmativas no Campo do audiovisual;

ONDE: CENTRO CULTURAL DE PLATAFORMA;

QUANTO CUSTA?: #0800.

Festival promete reunir fãs do reggae e do rap na Arena Fonte Nova!


DHZ Festival acontece no próximo dia 5 de maio (sábado), a partir das 21h, na Arena Fonte Nova, em Salvador. O evento irá trazer à capital baiana as bandas Israel Vibration, Ponto de Equilíbrio, Haikaiss, Cacife Clandestino e Nkulee Dube, filha do lendário cantor de Reggae Lucky Dube. Mesmo com a pouca idade, Nkulee Dube, de 29 anos, vem conquistando o mundo com todo seu carisma e sua voz suave. Mesclando ritmos como soul e jazz ao reggae, a cantora e compositora apresenta, pela primeira vez para o público baiano, o tributo ao pai, o lendário cantor sul-africana de Reggae Lucky Dube. A artista, que intregrava a bando do pai, já se apresentou em grandes festivais na Austrália, Papua Nova Guiné, Guiana Francesa, Suriname, Estados Unidos e em toda a Europa.

Outra atração do DHZ Festival são os cariocas da banda de Rap Cacife Clandestino. Eles sobem ao palco para apresentar as canções que abordam em infinitos temas e melodias a realidade do grupo nascido nas ruas do Rio de Janeiro.

Os ingressos para o festival custam R$ 40 para pista e R$70 para o Lounge (meia entrada) e podem ser adquiridos nas lojas do Pida no Shopping Salvador; no Balcão de Ingressos, nos shoppings da Bahia, Salvador e Salvador Norte; ou pelo site www.sympla.com.br/sd.

Serviço
Evento: DHZ Festival

Atrações: Israel Vibration, Ponto de Equilíbio, Nkulee Dube, Haikaiss e Cacife Clandestino

Data: 5 de maio (sábado)

Local: Arena Fonte Nova

Ingressos: R$ 40 – Pista e R$ 70 – Lounge (meia entrada)

Pontos de venda: lojas do Pida no Shopping Salvador; no Balcão de Ingressos, nos shoppings da Bahia, Salvador e Shopping Salvador Norte; ou pelo sitewww.sympla.com.br/sd.

Recital Político Cultural Pelas Vidas Negras’ homenageia Marielle Franco


marielle_franco
A vereadora carioca Marielle Franco (PSOL-RJ), assassinada a tiros há 40 dias, ao lado do motorista Anderson Gomes, será a homenageada da próxima edição do ‘Recital Político Cultural Pelas Vidas Negras’, que acontecerá no próximo sábado, 28 de abril, a partir das 14h, na Praça Pastores da Noite, no Pelourinho.
O evento, promovido pelo grupo Vitrine Cultural e pelo Coletivo de Entidades Negras (CEN), contará com a apresentação de poetas, músicos, grupos de dança e outras manifestações culturais voltadas para o debate do direito da juventude negra à vida.
Ao mesmo tempo, explica o produtor cultural John Billys, idealizador da ação, a oportunidade servirá para denunciar as violências do estado contra esses jovens da periferia. “Eles podem buscar desesperadamente silenciar as vozes de quem atua na defesa dos direitos humanos, a exemplo do que aconteceu com Marielle, uma mulher negra, periférica, jovem e lésbica. Mas nós estaremos sempre na luta, para expor a violência do Estado e apontar as nossas demandas”, afirma Billys.
A expectativa, contou ele, é de um público jovem que enxerga nas artes e na cultura o canal para falar das dores do racismo e lutar pela própria existência. Entre as apresentações programadas, está um pocket-show com o cantor Jamm Brito, filho da Ladeira da Preguiça; uma peça teatral em tributo a Marielle Franco; além de oficinas de poesia com o poeta Luck Bahia e a poetisa Winnie Lorena.
A programação também inclui um desfile de moda da grife Nayam Bing Afro, a apresentação do grupo de dança Ballet Movimento Envolvente, seguido de um bate-papo sobre política e a conjuntura da luta antirracista com uma das coordenadoras de juventude do CEN, Suzany Varela, e com a militante do PSOL Isadora Salomão.

GRATUITO – Funceb promove Oficinas Abertas em celebração ao Mês da Dança!


Foto Elói Correia/SecomBA

Neste mês comemora-se o Dia Internacional da Dança (29 de abril), por isso, a Fundação Cultural do Estado (Funceb/SecultBA) está realizando uma série de atividades artísticas, formativas e de entretenimento em homenagem à arte do movimento. Dentre as ações, estão as Oficinas Abertas para a Comunidade, oferecidas pelo Centro de Formação em Artes (CFA) para qualquer um que queira participar.

De segunda a sexta-feira (23 a 27 de abril), das 18h30 às 20h30, qualquer pessoa: homens, mulheres, jovens, idosos, pessoas em geral com experiência em dança, ou não, poderão participar de qualquer uma das 35 aulas ofertadas pelos Cursos Livres da Escola de Dança da Funceb – instituição integrada ao CFA. As vagas serão disponibilizadas de acordo com a disponibilidade de cada aula, por ordem de chegada.

As aulas acontecem na Escola de Dança da Funceb, localizada na Rua da Oração, nº 1, Pelourinho. Opções não faltam: Balé Clássico, Dança Afro, Dança de Salão, Jazz Dance, Pilates, Sapateado, Dança do Ventre, Yoga, Dança Moderna, e muito mais. Confira a lista completa dos Cursos Livres! 

Serviço:

Oficinas abertas para a comunidade (Cursos Livres)

Quando: 23 a 27 de abril, das 18h30 às 20h30

Quanto: Gratuito

Vagas disponibilizadas por ordem de chegada

 

Fotos: Jeferson Vieira