Afrobox: Primeira rede multimarcas Afro do Brasil inaugura novo ponto de vendas!


afrobox

Acontece nesse sábado, 21/04, às 18h, no Rio Vermelho, a inauguração do novo ponto de vendas da Rede AFROBOX, a primeira loja multimarcas Afro do Brasil. Localizado em um dos bairros mais populares de Salvador, o Espaço Cultural Mercadão. CC (Criativo e Colaborativo), será a nova sede de vendas da AFROBOX e contará com a realização do evento “Dos Afros Pro Mundo” como abertura oficial da loja, com atrações artístico-culturais, que envolvem música, poesia e moda.

As atrações confirmadas para o evento são: DJ Nai Sena, DJMôpa, Peluzu e os cantores Fashion Piva e MR.Armeng, além da realização do Desfile de Moda AFROBOX com os produtos e os produtores das marcas parceiras. Para este ponto de vendas, a AFROBOX firmou parceria com empreendimentos como: KatukaAfricanidades, Noostilo, GRV Modas, Dress Coração, MalikÁfrica, AdajoAworan, Chato Music Style, Abebé Cosméticos, Black Pim, Dandelion, Produto Dugueto

 

SERVIÇO: Dos Afros Pro mundo: Inauguração da loja AFROBOX no Mercadão. CC

DATA: 21/04/2018 (Sábado), 18h

LOCALIZAÇÃO: Mercadão. CC:Rua Guedes Cabral, nº20 – Rio Vermelho – Salvador/ Bahia (Área interna do antigo Idearium)

NATA realiza oficinas de percussão feminina e história do teatro negro brasileiro!


IYA ILU FOTO ANDREA MAGNONI
FOTO ANDREA MAGNONI

Dando continuidade às atividades de formação do projeto OROAFROBUMERANGUE em Salvador, o Núcleo Afro Brasileiro de Teatro de Alagoinhas – NATA realiza, no mês de maio, as oficinas de percussão feminina e história do teatro negro no Brasil e na Bahia. As atividades serão ministradas no Teatro Vila Velha pelos integrantes do grupo e as inscrições podem ser realizadas online.

Percussão Feminina

A oficina Mulheres, Tambores e Poéticas Futuristas, proposta por Sanara Rocha, pretende, através de exercícios rítmico práticos, iniciar mulheres no universo da percussão. As aulas ocorrerão dias 04, 05 e 06 de maio, sendo que, na sexta-feira e no domingo o horário é das 14h às 18h, e no sábado, das 09 às 13h.

As oficinas são gratuitas, mas é cobrada uma taxa de manutenção do uso do espaço do Teatro Vila Velha no valor de R$ 30 para cada formação.

“Esta atividade é como uma estratégia de empoderamento e serve para construção de novas poéticas cênicas femininas”, explica a atriz, musicista e diretora de teatro, que em 2016 estreou o espetáculo solo IYÁ ILU, um ritual afro futurista de saudação a Ayan – a deusa do tambor.

Teatro Negro

O ator Antônio Marcelo e a diretora do grupo Fernanda Júlia Onisajé através de uma oficina expositiva promoverão uma reflexão histórica e teórica a respeito do Teatro de Grupo e Teatro Negro no Brasil. “Visamos o amadurecimento do discurso estético e político dos artistas que participarão da atividade. Além disso, o objetivo é fortalecer o indivíduo através do conhecimento da história e da memória, buscando na teoria o embasamento para a prática”, descreve Onisajé.

Antônio Marcelo expõe que serão trabalhados os seguintes conteúdos: a história do teatro de grupo e do teatro negro brasileiro; além das poéticas de encenação do Teatro Experimental do Negro – TEN, do Teatro do Bando de Teatro Olodum e do NATA. A oficina ocorrerá nos dias 09, 11 e 12 de maio, das 19h às 22h.

 OROAFROBUMERANGUE

O projeto conta com o apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura da Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura do Estado da Bahia, aprovado no Edital de Apoio a Grupos e Coletivos Culturais da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb).

 

Serviço

O quê: Oficinas Oroafro – Salvador

– Mulheres, Tambores e Poéticas

4 e 6 de maio – das 14h às 18h

5 de maio – das 9h às 13h

– Teatro de Grupo e Teatro Negro no Brasil

9, 11 e 12 de maio – das 19h às 22h

Inscrições: https://www.natateatro.com.br/oficinasoroafrosalvador

Festa Les’Pretas terá Poesia Marginal do Coletivo Zeferinas e performance de Jenny Muller!


Jenny Muller – Fto Adeloyá Magnoni

A Festa Les’Pretas é  um evento que reúne Música, Poesia, Performance e Discotecagem protagonizadas por mulheres negras do cenário independente de Salvador. Um projeto do Portal Soteropreta dando continuidade ao seu calendário de eventos na cidade. que São cantoras e compositoras com trabalhos autorais e com larga estrada na Música de variados gêneros, acompanhadas de musicistas também negras, que formam uma banda única pra Les’Pretas.

Para fortalecer seu conceito artístico pautado na Diversidade e na força das mulheres negras, a Festa contará com a participação da mulher trans, atriz e estudante de Artes na UFBA, Jenny Muller, que apresentará sua Performance “Lilith, Mãe de Todes Nós” para o público. Esta será a primeira apresentação desta Performance. A Festa contará ainda com recital da poeta Rool Cerqueira e do poeta Kuma França, do Coletivo Zeferinas.

DJ Nai Sena levará Discotecagem especial para Festa LesPretas!

coletivo_zeferinas
Kuma França e Rool Cerqueira

O ZeferinaS é um grupo afro-feminino formado por jovens do bairro de Cajazeiras, em Salvador, que visam o protagonismo das mulheres negras enquanto artistas marginais e produtoras de conhecimento. O Coletivo vem re-significando e elaborando ações comunitárias/ projetos na própria localidade, trazendo à tona o combate ao racismo e formas de opressões.

Espaço democrático, a Festa Les’Pretas também terá microfone aberto durante alguns minutos do evento para a participação do público presente.

A segunda edição da Festa Les’Pretas conta com apoio dos mandatos do vereador Silvio Humberto (PSB) e Marta Rodrigues (PT), do Instituto de Beleza Essência dos Cachos (IBEC), da Secretaria de Promoção da Igualdade (Sepromi), da Secretaria de Política para as Mulheres (SPM) e da Hilo Fotografias.

 

Les’Pretas II – A Festa

Quando: Dia 14 de abril, sábado – 19h

Onde: Pátio da Igreja do Santo Antônio (Santo Antônio Além do Carmo)

Quanto: Pague Quanto Puder

Festa Les’Pretas reúne Música, Poesia, Discotecagem e Performance de mulheres negras


lespretas
lespretas

No próximo sábado (14), às 19h, a Festa Les’Pretas – projeto do Portal Soteropreta – chegará a sua segunda edição, se consolidando por ser uma união de talentos do cenário musical independente de Salvador – representada por mulheres negras que atuam com trabalhos autorais. A Festa reunirá música, poesia, performance e gastronomia protagonizadas por mulheres negras. A entrada é no formato Pague Quanto Puder, e acontece no Pátio da Igreja do Santo Antônio.

Nesta segunda edição, a banda base será mantida com as percussionistas, Juliana Almeida e Deise Fatuma, a baterista, Line Santana, além da guitarrista, Verona Reis e a violonista/baixista Zinha Franco – ambas também cantoras com trabalhos autorais – e a baixista/violinista Gleise Reis. Além das vozes de Verona Reis e Zinha Franco, nesta edição a Les’Pretas terá a participação das cantoras e compositoras soteropolitanas, Jadsa Castro, Savannah Lima e Aline Lobo.

Intercâmbio e Diversidade

A Festa Les’Pretas fortalece, mais uma vez, uma de suas características principais: o intercâmbio artístico-musical entre cantoras/compositoras soteropretas e artistas de outras partes do Brasil. Nesta edição, a cantora e compositora, Bia Ferreira, apresentará ao público sua versatilidade e potência que, recentemente, viralizou nas redes sociais  com o vídeo

“Cotas não é esmola”.

A segunda edição repetirá a dose poética, com as jovens poetas do Coletivo ZeferinaS, oriundo do bairro de Cajazeira, e inovará com a inclusão da Discotecagem Afro, liderada pela DJ Nai Sena.  Com o formato de acesso Pague Quanto Puder, o público será estimulado a contribuir com o trabalho artístico das convidadas.

A segunda edição da Festa Les’Pretas conta com apoio dos mandatos do vereador Silvio Humberto (PSB) e Marta Rodrigues (PT), do Instituto de Beleza Essência dos Cachos (IBEC), da Secretaria de Promoção da Igualdade (Sepromi), da Secretaria de Política para as Mulheres (SPM) e da Hilo Fotografias.

Les’Pretas II – A Festa

Quando: Dia 14 de abril, sábado – 19h

Onde: Pátio da Igreja do Santo Antônio (Santo Antônio Além do Carmo)

Quanto: Pague Quanto Puder

 

Banda Zuhri lança EP em mais uma edição da festa Classudos RapJazz!


banda_Zuhri
Foto Fernando Gome

A banda Zuhri se prepara para lançar o primeiro EP intitulado de “Andamento” e vai ter show de lançamento em mais uma edição da festa Classudos RapJazz, dia 15 de abril (domingo), no largo Quincas Berro D’Água, no Pelourinho, a partir das 16h. Neste mesmo dia, o EP estará disponível nas principais plataformas digitais (Spotify, Deezer, YouTube) para ser ouvido e baixado gratuitamente.

A festa foi criada por Mc Cosca, que também é o idealizador da Zuhri, com a ideia de ser uma vitrine para a banda. O nome do evento diz muito sobre a proposta do grupo que é, principalmente, a união de dois gêneros musicais tão peculiares: o Rap e o Jazz. O EP de estreia traz cinco faixas que apresentam, de maneira geral, sua identidade musical e artística.

Os ingressos custam R$ 20 (inteira), R$ 10 (meia) e R$ 15 (com nome na lista – no mural do evento no Facebook). O público vai curtir ainda Faustino Beats que fará o show de abertura. A banda anfitriã convidou também o mc Hiran para uma participação especial. No comando da pista, estão os dois Dj’s residentes: Jarrão e Sica.

 

SERVIÇO

LANÇAMENTO DO EP “ANDAMENTO” DA ZUHRI, NA CLASSUDOS RAPJAZZ

Atrações: Zuhri – participação especial do MC Hiran. Abertura: Faustino Beats. Dj’s residentes Jarrão e Sica.

Local: Largo Quincas Berro D’Água (Pelourinho)

Data/Hora: 15 de abril (domingo), a partir das 16h

Ingresso:  R$ 20 (inteira), R$ 10 (meia) e R$ 15 (com nome na lista – no mural do evento no Facebook https://bit.ly/2Eerf1L).

Vendas no local e dia do evento

 

Cordelista Bule-Bule lança livro que une Cultura do Cordel e Panteão Africano!


bule_bule
Fto Eric Machado

 

A literatura de cordel e o panteão africano estarão juntos no livro “BULE BULE – ORIXÁS EM CORDEL”, de autoria do mestre da cultura popular nordestina, Antônio Ribeiro da Conceição, artisticamente conhecido como Bule-Bule. Maior repentista da Bahia, Bule Bule tem mais de 100 títulos publicados e essa não é a primeira vez que o mestre se debruça sobre temas religiosos. É de sua autoria os cordéis “Adeus a Mãe Menininha – a nossa Ialorixá Maria Escolástica da Conceição Nazareth” e “Irmã Dulce da Bahia: Santa Mãe de Todos Nós”.

“Muitos grandes mestres conviverem com temas variados, mas ninguém tinha escrito, levando a sério, um trabalho sobre a religiosidade de matriz africana. Alguns tinham criado em tom de brincadeira e gozação. Então, acredito que esse livro é um elemento mágico para abastecer essa lacuna”, avalia o mestre baiano.

Editado pela Pinaúna Editora, a obra tem ilustração de Klévisson Viana, prefácio do compositor, cantor e instrumentista Mateus Aleluia. O livro será apresentado ao público nesta quarta (11), em noite de autógrafos, às 18h30, no foyer do Teatro Castro Alves.

 

“A escolha desse tema foi uma oportunidade ao descobrir que há cento e tantos anos que o Cordel circula no Brasil e, mesmo com muitos grandes mestres que conviveram com os temas variados e viveram dessa arte majestosa de criar títulos e personagens, ninguém ainda tinha escrito, levando a sério, um trabalho de matriz africana, como esse. Alguns tinham feito tipo brincadeira, gozação… Mas levando a sério, a religiosidade, ninguém tinha feito. Eu acho que vai ser um elemento mágico para abastecer essa lacuna que o mercado ainda tem.”

SERVIÇO

O QUE: Lançamento livro “BULE BULE – ORIXÁS EM CORDEL”

QUANDO: 11 de abril (quarta-feira), 18h30

ONDE: Foyer Teatro Castro Alves

Aberto ao público

 

#LesPretasII – Cantora e compositora, Bia Ferreira (SP), estará em Salvador!


bia ferreira

 

Compositora, com potente trabalho autoral, brasileira sem clichê, moderna sem forçar a barra, batuqueira natural, de musicalidade profunda, suavidade jazzística, e devota suprema do balanço. Bia é artista do ghetto e sua voz é dissonante e ativista.

Assim se define a cantora e compositora Bia Ferreira (SP), que estará em Salvador no próximo dia 14 de abril, participando como convidada especial da Festa Les’Pretas, evento do Portal Soteropreta que já se consolida como um dos espaços mais cobiçados para se curtir novas vozes e talentos pretos femininos do cenário alternativo de Salvador e de outras cidades.

A Les’Pretas chega a sua segunda edição este mês e fortalece uma de suas características principais: intercâmbio artístico-musical entre cantoras/compositoras soteropretas e artistas de outras partes do Brasil. Nesta edição, a cantora Bia Ferreira apresentará ao público sua versatilidade e potência que, recentemente, viralizou nas redes sociais  com o vídeo “Cotas não é esmola”.

Bia Ferreira se unirá às vozes de outras mulheres negras jovens da cidade, Savannah Lima, Jadsa Castro, Aline Lobo, Verona reis e Zinha Franco, que formarão uma banda especial de mulheres da Festa junto às percussionistas Juliana Almeida e Deise Fatuma, e a baterista, Line Santana.

Festa Les’Pretas terá Poesia Marginal do Coletivo Zeferinas e performance de Jenny Muller!

A segunda edição da Festa Les’Pretas conta com apoio dos mandatos do vereador Silvio Humberto (PSB) e Marta Rodrigues (PT), do Instituto de Beleza Essência dos Cachos (IBEC), da Secretaria de Promoção da Igualdade (Sepromi), da Secretaria de Política para as Mulheres (SPM) e da Hilo Fotografias.

 

Les’Pretas II – A Festa

Quando: Dia 14 de abril, sábado – 19h

Onde: Pátio da Igreja do Santo Antônio (Santo Antônio Além do Carmo)

Quanto: Pague Quanto Puder

 

Cantoras Jadsa Castro, Savannah Lima e Aline Lobo estarão na II edição da Festa Les’Pretas!


Jadsa Castro

A Festa Les’Pretas – projeto do Portal Soteropreta que chega a sua segunda edição no dia 14 de abril (sábado) –  se caracteriza por ser uma união de talentos do cenário musical independente de Salvador – representada por mulheres negras que atuam com trabalhos autorais. Nesta segunda edição, a banda base da primeira será mantida, com a percussionista, Juliana Almeida e a baterista, Line Santana, além da guitarrista, Verona Reis e a violonista Zinha Franco – ambas também cantoras com trabalhos autorais – e a baixista Gleise Reis. Além das vozes de Verona Reis e Zinha Franco, nesta edição a Les’Pretas terá a participação das cantoras e compositoras soteropolitanas, Jadsa Castro, Savannah Lima e Aline Lobo. Conheça as manas:

Jadsa Castro 

A compositora multi-instrumentista Jadsa Castro, é uma soteropolitana que traz em suas canções um apelo baiano com timbres experimentais ditados por poemas que saem da zona literal da escrita e escuta. Desde os seus primeiros passos como musicista (aos 13), já tem consigo a experiência de 3 bandas e um coletivo ditado por “Outros Diversos”.  Além de solista,  Jadsa Castro, sem apelo e apego, vive em busca da sua musicalidade perfeita a cada métrica quebrada, consertada, arrastada ou acelerada, sabe o quão delirante é viver evoluindo com os compostos sonoros se formando aos sentidos.

 

Festa Les’Pretas terá Poesia Marginal do Coletivo Zeferinas e performance de Jenny Muller!

 

Savannah

Savannah Lima

Nascida e crescida no berço da cultura negra brasileira, a cantora e compositora revelação da música afro-alternativa baiana Savannah Lima desponta no cenário musical da música negra e alternativa de Salvador. Suas composições têm repertório diversificado, com canções no estilo Samba, Black Music, Black Soul, além de seu trabalho autoral. Savannah liderou os vocais da banda feminina Didá, já puxou o Bloco Filhas de Gandhy por três anos no carnaval de Salvador e, recentemente, excursionou pela Ásia e Europa.

 

 

 

 

 

 

 

Aline Lobo

Aline Lobo

Nascida em Salvador, Aline é cantora e compositora. Suas canções passeiam pelo reggae, blues , MPB e compartilham inquietações existenciais e sociais que marcaram diversas fases de sua vida. Já participou de algumas bandas em Salvador, como Ronco da Madrugada(MPB e Poesia), banda Massa Real(Música baiana) e Coisa Mandada(Samba). Já cantou músicas de Gilberto Gil , Djavan e atualmente, está voltada para um trabalho mais autoral.

 

A segunda edição da Festa Les’Pretas conta com apoio dos mandatos do vereador Silvio Humberto (PSB) e Marta Rodrigues (PT), do Instituto de Beleza Essência dos Cachos (IBEC), da Secretaria de Promoção da Igualdade (Sepromi), da Secretaria de Política para as Mulheres (SPM) e da Hilo Fotografias.

 

Les’Pretas II – A Festa

Quando: Dia 14 de abril, sábado – 19h

Onde: Pátio da Igreja do Santo Antônio (Santo Antônio Além do Carmo)

Quanto: Pague Quanto Puder

 

Portal Soteropreta realiza II Edição da Festa Les’Pretas em abril!

Gilberto Gil, Letieres Leite & Orkestra Rumpilezz juntos em show


Letieres_e_Gil
foto: divulgação

 

Essa é pra tocar no rádioBalafon, Aqui e agora, A Raça Humana, e Professor Luminoso, são algumas das canções que Gilberto Gil e Maestro Letieres Leite e a Orkestra Rumpilezz apresentarão na 4ª edição do Show Música e Direitos Humanos. O evento acontece no próximo 14 de abril, no Teatro Castro Alves, a partir das 21 horas. Os ingressos já estão a venda aqui, nos postos do SAC e na bilheteria do Teatro (Campo Grande).

Esta é quarta edição do projeto e o início das comemorações pelos 45 anos de fundação da CESE – Coordenadoria Ecumênica de Serviço, entidade baiana que já beneficiou mais de 11 milhões de pessoas de projetos sociais em todo o Brasil. Toda renda do espetáculo será revertida para os projetos sociais que a CESE apoia.

As apresentações de Gil e da Orkestra Rumpilezz vão emocionar o público, ao mostrar o repertório de grandes sucessos que marcaram a carreira do artista aliado à genialidade do compositor e arranjador Letieres Leite, que criou a Rumpillezz em 2006. O grupo orquestral reúne percussão e sopros, dando protagonismo à música ancestral baiana, vindas dos terreiros de candomblé, acrescentando uma roupagem harmônica, sob influência do jazz moderno. Além de produzir composições primorosas, a Orkestra Rumpilezz trabalha ativamente na valorização da cultura afrobaiana e em ações sociais, criando o grupo Rumpilezzinho, especificamente voltando para inclusão sócia ativa de crianças e jovens, através da música.

 

Serviço

Show: “Música e Direitos Humanos” – 4ª EDIÇÃO

Gilberto Gil, Letieres Leite & Orkestra Rumpilezz

Local: Sala Principal do Teatro Castro Alves

Horário: 21h

Vendas www.ingressorapido.com.br

Postos do SAC e na bilheteria do Teatro

Ingressos de R$ 50,00 a R$ 200,00

Informações: 71 21045457 I www.cese.org.br

I Mostra Itinerante de Cinema Negro celebra produção brasileira e africana!


mohamed_bamba
Mohamed Bamba   Foto Virginia Yunes

 

Entre os dias 11 e 15 de abril de 2018, acontece, em Salvador, a I Mostra Itinerante de Cinema Negro – Mahomed Bamba, que terá exibições regulares na Sala Walter da Silveira (Barris), e itinerantes nos bairros do Pelourinho, Cabula, Uruguai e Garcia. A Mostra reunirá mais de 35 obras de longas e curtas metragens produzidos por cineastas negra(o)s do Brasil e de países africanos de língua portuguesa entre 2015 e 2017. Com uma equipe formada por mulheres negras, o evento pretende visibilizar, difundir e debater a produção audiovisual realizada por cineastas negras(o)s de África e de sua diáspora. São obras de países como Guiné-Bissau, Moçambique, Angola, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe e Guiné Equatorial. Em sua primeira edição, além da exibição de filmes de diversos gêneros–ficções, documentários, animações e experimentais.


A programação contará com mesas de debates, oficinas de animação e audiovisual para crianças, minicurso de cinema africano e oficina de elaboração e desenvolvimento de projetos audiovisuais. Diálogos sobre gênero e sexualidade também estarão presentes, a fim de estimular processos afirmativos de identificação.

O evento homenageia o professor e pesquisador de Cinema da Faculdade de Comunicação (FACOM/UFBA), Mahomed Bamba. Doutor em Cinema, Estética do Audiovisual e Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo (ECA-USP), o estudioso, nascido na Costa do Marfim, propunha em seus ensaios uma nova leitura sobre as narrativas fílmicas produzidas nas periferias globais, sobretudo as realizadas no continente africano.

A Mostra é realizada por cineastas e produtoras audiovisuais tendo como idealizadora, Coordenadora geral e de produção Daiane Rosário; na Coordenação de Curadoria de Filmes Nacionais e Produção Julia Morais e Tais Amor Divino; na Coordenação de Curadoria de Filmes Africanos e Produção Kinda Rodrigues; Coordenação de Produção Loiá Fernandes e na Coordenação de Comunicação e Produção Inajara Diz.

Tem como parceiros, a Fundação Cultural do Estado da Bahia (FUNCEB), por meio de sua Diretoria de Audiovisual da Bahia (DIMAS), a Diretoria de Espaços Culturais, o Espaço Cultural de Alagados, a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo de Salvador, o Centro Cultural Casa de Angola na Bahia, o Ponto de Cultura Boiada Multicor (UNIRAAM), a Aliança Francesa e Centro de Comunicação Democracia e Cidadania.

 

PROGRAMAÇÃO MOSTRA ITINERANTE DE CINEMA NEGRO – MAHOMED BAMBA

11/04 – Quarta I 1° Dia – 17h I Abertura

Apresentação da Mostra

-Sessão de filmes africanos  62 min

  • Os Pestinhas e os Ladrões de Brinquedos – 13min / 2017  | Animação | Realização: Nildo Essá | País: Moçambique
  • A Boneca – 8min / 2015 | Ficção| Realização: Hélder Doca | País: Cabo Verde
  • A Carta – 26min / 2010 | Ficção | Realização: Michelle Mathison | País: Moçambique
  • Bom dia África! – 9min / 2009 | Ficção | Realização: Zezé Gamboa | País: Angola
  • A pegada de todos os tempos – 5min / 2009 | Ficção | Realização: Flora Gomes | País: Guiné-Bissau

Show de Luedji 20h

12/04 – Quinta I 2° Dia – DIMAS

 Minicurso de Cinema Africano (Dimas)  

  1° sessão às 14h

  • Sujeito Objeto – 14 min – Ficção Z Direção: Djalma calmon – BA
    Cabeças Falantes – 20  min – Documentário | Direção:Natasha Rodrigues -SP
  • Em Busca de Lélia – 15 min – Documentário | Direção: Beatriz Vieirah -BA
  • O lá e o aqui – 22 min – Documentário | Direção: Sandro Lopes  – RJ
  • Afripedia (Angola) – 30min |  Documentário |  Realizador: Teddy Goittom | País: Angola / Suécia | Legendado

2° sessão às 16:30h

  • Cabelo bom – 15 min – Documentário | Direção: Swahili Vidal; co-direção: Claudia Alves – RJ
  • Desaparecidos – 15 min – Ficção/Drama | Direção: Danddara – SP
  • Anamnese – 15 min – Documentário | Direção: Clementino Junior- RJ
    Deus – 25 min – Híbrido| Direção: Vinícius Silva – SP
  • Peripatético – 15 min – Ficção | Direção: Jessica Queiroz – SP

3° sessão às 18:30h (longa convidado)

  • Filhas do Vento – 85 min – Ficção | Direção: Joel Zito Araújo

12 / 04 Quinta l 2° Dia – Garcia 17h30

Show de Lucas – 17h30 –  Duração: 30 min

Fala de representante da Mostra – 18h10 – Duração: 10 min

Sessão das 18h30 às 20h

  • Travessia – 5 min – Documentário | Direção: Safira Moreira – RJ
  • Deus – 25 min – Híbrido| Direção: Vinícius Silva – SP
  • O vendedor de estórias (Bindidurdi passada) – 11 min / 2017 | Ficção | Dir: Flora Gomes | País: Guiné-Bissau
  • Peripatético – 15 min – Ficção | Direção: Jessica Queiroz – SP
  • Afronte – 16min – Documentário | Direção: Bruno Victor e Marcus Azevedo – DF
  • Do que aprendi com minhas mais velhas – 26 min – Doc | Onisajé e Susan Kalik – BA
  • Òrun Àiyé – A criação do mundo – 12 min – Anim | Direção: Jamile Coelho e Cintia Maria – BA
  • 13/04 – Sexta I 3° Dia  – DIMAS

Minicurso de Cinema Africano (Dimas)

4° Sessão às 14h

  • A pequena luz – 15min | Ficção | Realizador: Alain Gomis | País: Senegal / França
  • O lá e o aqui – 22 min – Documentário | Direção: Sandro Lopes  – RJ
  • Quimera – 14 min – Ficção – Bruno César – SP
  • Retrato sem retoques – A África na UFPE – 11 min – Docu| Direção: Leandro Wagner e Edmilton Hora – PE
  • Jesus Bird – 10min – Experimental | Direção: Mayara Mascarenhas – MG
  • Mãe(s) – 20min | Ficção | Realizadora: Mamouna Docouré | País: França

5° Sessão às 16:30h

  • Casca de Baobá – 12 min – Ficção | Direção:  Mariana Luiza – RJ
  • Travessia – 5 min – Doc | Direção: Safira Moreira – RJ
    Tia Ciata – 25 min – Doc| Direção: Mariana Campos e Raquel Beatriz – RJ
  • Hic – 14 min – Ficção | Direção:  Alexander S. Buck – ES
  • Do que aprendi com minhas mais velhas – 26min – Doc| Onisajé e Susan Kalik – BA
  • O Olhar Das Estrelas – 26min / 1997 | Ficção | Realizador: João Ribeiro |  País: Moçambique

Roda Mulher Negra em Foco: Narrativas Construídas por Mulheres Pretas 19:30h

Larissa Fulana, Solange Lima, Fabíola Silva e Ana do Carmo

 

13/04 – Sexta I 3° Dia  – Alagados

Apresentação – 17h

 

1° Sessão das 17h30 às 20h

A Bola – 5min / 2001 | Ficção | Realizador: Orlando Mesquita |País: Moçambique
Desaparecidos – 15 min – Ficção/Drama | Direção: Danddara – SP
Deus – 25 min – Híbrido| Direção: Vinícius Silva – SP
Hic – 14 min – Ficção | Direção:  Alexander S. Buck – ES
Nascida para matar – 5min – Drama |  Direção: Rogério Henrique Gonçalves – SP
Raízes –  70min – Documentário | Direção: Simone Nascimento e Wellington Amorim – SP

14/04 – Sábado I 4° Dia  – DIMAS

Curso de Elaboração de projetos das 9h as 17h

6° Sessão às 14h

  • Afronte – 16min – Doc | Direção: Bruno Victor e Marcus Azevedo – DF
  • Bicha preta –  23min – Doc | Direção: Thiago Rocha – RJ
  • Raízes – DIÁSPORA – 70min – Doc | Direção: Simone Nascimento e Wellington Amorim – SP

 7° Sessão às 16:30h

O Caso do homem errado –  77min – Documentário | Direção: Camila de Moraes – BA

Tatana – 14min / 2005 | Direção: João Ribeiro |  País: Moçambique

8° Sessão às 18:30h

  • Pele suja minha carne – 13min – Ficção/drama | Direção: Bruno Ribeiro – RJ
  • Nascida para matar – 5min – Drama |  Direção: Rogério Henrique Gonçalves – SP
  • Teto – 15min – Experimental | Direção: Darwin Marinho – CE
  • A pequena vendedora do Sol – 44min | Realizador: Djibril Diop Mambety | País: Senegal
  • Bom dia África! – 9min / 2009 | Ficção | Realização: Zezé Gamboa | País: Angola

14/04 Sábado I 3° Dia – Cabula

Oficina de audiovisual para crianças – 13h às 16h

1 sessão das 17h30 às 20h

Phatyma – 10min | Ficção |  Realizador: Luiz Chaves | País: Moçambique
Deus – 25 min – Híbrido / Direção: Vinícius Silva – SP
Òrun Àiyé – A criação do mundo – 12 min – Animação / Direção: Jamile Coelho e Cintia Maria – BA

Maestrina da Favela –  80min – Documentário | Direção: Falani Afrika – BA

14/04 l 4° Dia  – Pelourinho ( Espaço Ponto de Cultura Boiada Multicor)

Oficina para crianças 14h

15/04 – Domingo l 5° Dia – DIMAS

9° Sessão Mostrinha às 10h

  • A pegada de todos os tempos – 5min | Ficção | Realização: Flora Gomes | País: Guiné-Bissau
  • Os Pestiinhas e os Ladrões de Brinquedos – 13min| Animação | Realizador: Nildo Essá
  • Nana & Nilo e os animais – 22 min – Animação | Direção: Sandro Lopes – RJ
  • A piscina de Caíque – 15 min – Ficção | Direção: Raphael Gustavo da Silva – GO
  • A câmera de João – 21 min – Drama |  Direção: Tothi Cardoso – GO
  • Òrun Àiyé – A criação do mundo – 12 min – Animação | Direção: Jamile Coelho e Cintia Maria – BA

10° Sessão longa convidado às 14h

A Cor do Trabalho – 75 min l Direção: Antonio Olavo – BA

Roda de Conversa: Cinema Negro: Trajetórias, resistência e positivação 16h00

Urânia Munzanzu, Emerson Dindo, Ailton Pinheiro, Cintia Maria

Premação 17:30

Festa de Encerramento às 19h – ZEFERINAS