Sheweeeeeeell …vai rolar show de Guiguio no Pelô, afro!


Guiguio
Foto: Fernando Borges

 

No dia 3 de novembro (sábado), o cantor e compositor Guiguio, se apresenta na praça Quincas Berro D´Agua – Pelourinho e no repertório ele leva sucessos de sua autoria e de outros parceiros que o fizeram um dos cantores de blocos afro mais aclamado da história da música brasileira.

Guiguio Shewell – como é conhecido – reúne histórias por suas passagens pelas alas de cantores dos Badauê, Apaches do Toróró, Olodum e Ilê Aiyê (por onde ficou 27 anos e ganhou o nome artístico de Guiguio do Ilê). As vivências nesses blocos refletiram-se nas composições do músico: “O Mais Belo dos Belos”, “Por Amor ao Ilê”, “Pérola Negra” e “Musa Calabar”, sucessos gravados por Daniela Mercury; “Adeus Bye Bye”, que está em um dos primeiros discos de Ivete Sangalo ainda na Banda Eva; “Candelária”, “Tequila” e “Valente Nordeste”, gravados pelo Olodum. São canções que marcaram grandes momentos da história da música baiana.

Será às 20h, com ingressos a R$20. mas tem promo-meia na página do evento, lá no Facebook (acesse aqui). Para colocar o nome na lista, basta publicar o nome no mural do evento que automaticamente pagará meia – mas só até 2 de Novembro, às 20h.

 

PROGRAME-SE

O que: Guiguio e Convidados

Quando: 3/11, 20h

Onde: Praça  Quincas Berro D´Agua – Pelourinho

Acesso: R$20 – R$10 pela Fanpage.

Jogo Revolta dos Búzios – 220 anos será lançado em novembro!


jogo_revolta_dos_buzios

 

A Strike Games, desenvolvedora de games de cunho pedagógico, lança no próximo dia 3 de novembro (sábado) o jogo Revolta dos Búzios – 220 anos. Esse é o terceiro jogo da empresa que busca resgatar nos jogos a cultura do povo preto baiano e conta com músicas de Tonho Matéria.

O aplicativo gamificado alterna entre o virtual e o real. É do gênero point and Click, com influencias de Graphic Novel, é produzido pela Strike Games em parceria com a Nix Gamelab. A idealização é do game designer Alexandre Santos.

HISTÓRIA NO JOGO

Em 1798, ocorreu uma revolta separatista. Ela teve diversos nomes: Revolução dos Alfaiates, Revolta das Argolinhas, Conjuração Baiana e aqui vamos chamá-la de Revolta dos Búzios. Influenciada pela Revolução Francesa, a revolta baiana teve como lema os dizeres “Igualdade, Liberdade e Fraternidade”.

O fato envolveu seis soldados da tropa paga, cinco alfaiates, três oficiais militares, dois ourives, um pequeno negociante, um bordador, um pedreiro, um professor, um cirurgião e um carpinteiro. Ao todo, 33 pessoas foram processadas por tentarem promover o levante na cidade de Salvador contra a dominação Portuguesa.

Play Store para Android!

Itch.io para Windows!

 

Serviço

O que? Lançamento jogo Revolta do Búzios – 220 anos.

Quando? Sábado – 03 de novembro de 2018.

Horário? Das 14 horas até 16 horas.

Local? Museu Nacional de Cultura Afro Brasileira – Muncab. Rua do Tesouro, 61-127 – Centro, Salvador – BA.

“Sarauzinho da Calu” estreia no mês da Consciência Negra em Salvador!


 

cassia_valle_calu_livro_infantil
Cassia Valle

O premiado livro “Calu, uma menina cheia de histórias”, primeiro livro da atriz, escritora e dramaturga, Cassia Valle – em parceria com Luciana Palmeira – , virou Sarauzinho e ganha os palcos da cidade. A Performance literária “Sarauzinho da Calu”, estreia no dia 10 de novembro, com apelo para o imaginário infantil e a necessidade de salvaguarda da memória. No mesmo dia, haverá o lançamento do Bloquinho de Poesias e Músicas da Calu. Os ingressos para o Sarauzinho, bem como o Bloquinho, poderão ser adquiridos no local.

O livro, que tem prefácio do ator e escritor Lázaro Ramos e foi vencedor do prêmio APCA – São Paulo em 2017 na categoria literatura infanto-juvenil, inspirou a performance que é dirigida pela autora. “O Sarauzinho, utiliza a ferramenta da poesia, música e literatura infantil para falar de representatividade, tradição memória e identidade. Em um dos lançamentos do Livro, uma mãe me disse que representatividade cura e sendo assim, o Sarauzinho chega para trazer uma performance literária recheada de afetos através de músicas e poesias cantadas por atores negras e negros” disse a diretora.

A direção do Sarauzinho é de Cássia Valle, codireção Leno Sacramento, produção da DiPreta, direção musical de Cell Dantas, iluminação Rivaldo Rio e Fotografia de Fafá Araújo. No elenco a performance conta com Kelly Ribeiro, Clara Cardoso, Naira da Hora, Juliana Luz, Wagner de Jesus e a atriz mirim Yayana Dantas, além dos artistas colaboradores Merry Batista, Marquinhos Dede, Shirley Sanveja Nine Vieira.

 

SERVIÇO

O que: Estreia do “Sarauzinho da Calu” e Lançamento do “Bloquinho”

Quando: 10 de novembro de 2018, sábado, às 16h

Onde: Teatro Vila Velha – Av. Sete de Setembro, s/n – Passeio Público – Campo Grande – Salvador/BA

Quanto: R$20/10

 

 

Mostra do Filme Marginal chega a Salvador em novembro!


Se prepara que novembro será mês da Mostra do Filme Marginal, evento de cinema que busca dar visibilidade à produção audiovisual independente. Criada no Rio de Janeiro (2017), em sua primeira edição foram exibidos 38 filmes em um final de semana, com oficinas e shows. Expandindo para outras cidades este ano ela chega a Salvador – Edição Soterópolis – de 5 a 11 de novembro, ocupando a Sala Walter da Silveira (Barris).

Na Edição Soterópolis não serão cobrados ingressos, para facilitar e garantir o acesso da população. Foram 520 filmes inscritos e 106 selecionados pela Distopia Filmes, Corpo Fechado Produtora e Hannah Cavalcanti Produções. Confira mais sobre a Mostra AQUI!

Confira aqui programação de abertura:

14:00 – Sessão de Abertura
01 – Notícias de uma Tragédia Racial Subnotificada
Documentário, 14 min, BA, 2017. 18 anos.
Sinopse: Memórias abafadas por coreografias ritmadas ao som de repiques que se confundem com o rá-tá-tá de macaquinhas. Memórias fotográficas traumáticas da mistura de massa encefálica com pólvora. Memórias operantes e insurretas tomando os becos, vielas e muros da cidade-túmulo (mais conhecida como Salvador). Na terra onde o acaso é cria do cinismo, a situação é colonial, o que está no quadro e fora dele também é: “Notícias de uma Tragédia Racial Subnotificada” é o primeiro de uma série de filmes-panfletos sobre o caso que ficou conhecido como Chacina do Cabula.
02 – Uma semana
Documentário, 12 min, CE, 2017. Livre.
Sinopse: Após o assassinato do jovem Weverton surge um movimento autônomo que pediu justiça.
03 – Coração do Mar
Ficção, 20 min, SP, 2018. Livre.
Sinopse: Cercado pela violência da região metropolitana de São Paulo, onde no Brasil a cada 23 minutos um jovem negro é assassinado. Cadu, filho de Teresa, aos 10 anos, ele sonha conhecer o mar.
04 – Nossos Mortos Tem Voz
Documentário, 28 min, RJ, 2018. 12 anos.
Sinopse: A narrativa do documentário se dá a partir do depoimento dos familiares e vítimas da violência de estado da Baixada Fluminense. Tendo como ponto de partida, mas não se limitando à crueza da violência praticada, o curta pretende trabalhar com as histórias atravessadas por essas perdas. A partir do depoimento dos familiares e imagens de arquivos pretende-se resgatar a memória dessas vidas interrompidas trazendo uma visão crítica sobre a atuação da polícia na Baixada Fluminense, sobretudo no que diz respeito a violência contra jovens negros.
18:30 – Marginal I
01 – Pele de Monstro
Documentário, 20 min, Juiz de Fora/MG, 2017. 12 anos.
Sinopse: Estudantes da Universidade Federal de Juiz de Fora (U.F.J.F.), em 2016, comparam situações de racismo com filmes clássicos de terror dos anos 60.
02 – Entoado Negro 
Documentário, 9 min, Ingá/PB, 2017. Livre.
Sinopse: A luta pela garantia de direitos e celebrando o dia 20 de novembro, dia da consciência negra, a comunidade quilombola de Pedra D’Água, localizada no município de Ingá, na Paraíba, realiza uma festa singular. Da sua produção até o seu acontecimento, toda a comunidade participa da preparação e comemora sua cultura africana que se faz presente nas danças, na capoeira, nas comidas e na pele dos remanescentes de quilombolas.
03 – Amor de Ori
Ficção, 7 min, Brasília/DF, 2017. Livre.
Sinopse: Oxum todos os dias vai ao rio encher sua talha com água. Um dia, uma mulher de roupas vermelhas cruza seu caminho e muda sua vida para sempre.
04 – A alma do cinema não tem cor
Documentário, 18 min, PA, 2017. Livre.
Sinopse: A missão da vez é potencializar as vozes de pretos e pretas que clamam por um cinema diverso, igualitário e que dê a devida representação ao povo preto. O silêncio foi quebrado. A luta tá só começando. Relatos pessoais sobre consequências de anos de ausência da representatividade negra no cinema.

 

20:00 – Marginal II
01 – As Crianças do Lixão
Documentário, 78 min, RJ, 2018. Livre.
Sinopse: “As Crianças do lixão” trata de uma realidade há muito tempo escondida da sociedade. No seio da comunidade do Jardim Gramacho nossas lentes capturaram uma situação impressionante. Com depoimentos sinceros e imagens impactantes, “As Crianças do Lixão” é um filme que ressalta as perspectivas de gerações que simplesmente foram ignoradas por uma nação e do futuro que espera outras tantas nas estradas de um lixão.

Oportunidade! Inscrições abertas de Oficinas de Grafite pra jovens [email protected]!


Coletivo_Cultural_Ibomin
Coletivo Cultural Ibomin
Estão abertas até 26 de outubro as inscrições para oficinas de grafite do Projeto Ancestralidade e Novas Narrativas.  A oficina de 20 horas é reservada para jovens negros, entre 15 e 24 anos, residentes em bairros periféricos de Salvador.
O projeto é uma realização do Coletivo Cultural Ibomin e foi contemplado  pelo edital ARTE TODO DIA – ANO IV, da Fundação Gregório de Mattos, Prefeitura de Salvador. Além das oficinas, também serão realizadas rodas de diálogos sobre  a relação entre as artes contemporâneas e as referências iconográficas das religiões de matriz africana.
“Promover o diálogo entre as linguagens da juventude contemporânea e as tradições africanas e afrobrasileiras é uma estratégia fundamental para fortalecer a identidade de jovens na cidade de maior população negra fora de África”, explicou Leandro Vilas Verde, coordenador do Projeto.
Como resultado da oficina, os/as jovens produzirão peças de arte visual, utilizando como inspiração a iconografia do candomblé e como suporte os objetos e utensílios cotidianos do ambiente religioso. Essas obras de artísticas comporão uma exposição que será levada para 03 locais diferentes da cidade.
SAIBA TUDO:
O Quê? Inscrições para oficina de grafite do Projeto Ancestralidade e Novas Narrativas
Quando? 22 a 26 de outubro através do link (https://goo.gl/forms/2i0kg8w0z7TN2Z7M2) ou 22, 24 e 26 presencialmente
Onde? Ilê Axé Ifá Olorum Babá Omi, Avenida Suburbana, Escada (próximo da delegacia)
Informações: 9 9275-8751 / [email protected]

Projeto “Contos e Cantadores” homenageia Mestre João Pequeno!


mestre_joao_pequeno
Mestre João Pequeno – Divulgação

 

Mestre João Pequeno será o próximo homenageado do projeto Contos e Cantadores, que realiza sua terceira edição nesta sexta-feira (26), 10h, no Museu Tempostal, no Pelourinho. Com o tema “Rituais e Musicalidade: as Lições do Mestre João Pequeno”, o encontro irá reunir Mestre Sabiá, Mestre Jogo de Dentro, a mestre mandingueira Patrícia Mascarenhas, Nane (neta do homenageado) e Jurandir Santos, filho de Mestre João Grande.

Com total de quatro edições, em diferentes museus da cidade, o projeto convida o público a participar de rodas de conversas e música para conhecer a identidade histórica do povo brasileiro a partir do cancioneiro da capoeira.

Referência mundial na Capoeira Angola, Mestre João Pequeno é um dos grandes propagadores da capoeira no mundo, tendo sido, ao lado de João Grande, discípulo do Mestre Pastinha, que é um dos principais mestres de capoeira da história. Frequentador da capoeiragem na sua forma mais original, João Pequeno deu seguimento ao Centro Esportivo de Capoeira Angola (CECA) no Forte Santo Antônio Além do Carmo (1982), fundado por Mestre Pastinha, onde constituiu a nova base de resistência, tornando possível que a Capoeira Angola despontasse para o mundo.

“De voz tranquila e ensinamentos profundos, João Pequeno é um grande exemplo de humildade, muito importante para a Bahia e para capoeira do mundo. Ele considerava a capoeira como um alicerce para todos os outros campos da vida do capoeirista. A partir de valores como o respeito ao próximo, ele lutou para que a capoeira fosse mais respeitada pela sociedade”, realça Mestre Sabiá, idealizador do projeto e diretor do Projeto Mandinga.

O Circuito Contos e Cantadores tem realização assinada pelo Projeto Mandinga e Aú Marketing com Propósito e apoio financeiro apoio financeiro do Estado da Bahia, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura da Bahia.

 

SERVIÇO:

Contos e Cantadores – 3º encontro

Quando: 26 de setembro (sexta-feira)

Horário: 10h

Onde: Museu Tempostal – R. Gregório de Matos, 33 – Pelourinho, Salvador

Entrada franca

Seletiva para o Afro Fashion Day 2018 chega ao bairro de Itapuã!


Afro-Fashion-Day-2017
Divulgação

 

Acontece na próxima quinta, 25, em Itapuã, a última seletiva para o Afro Fashion Day 2018. Na busca por modelos não profissionais que componham o casting da maior iniciativa de moda afro do Brasil, as seletivas valorizam a identidade baiana, evidenciando a beleza negra, a diversidade e a revelação de novos talentos para as passarelas.

Com mais de 400 jovens já inscritos, a seletivas percorreram os bairros da Liberdade, Plataforma, Tancredo Neves e Pelourinho, sempre de olho em evidenciar novos perfis e revelar a beleza negra do estado.

Para participar, o(a) candidato(a) precisa realizar inscrição prévia e gratuita através do link bitly.com/seletivasitapua. Aos interessados, não é necessário residir no bairro para se inscrever. Podem participar jovens de 13 a 24 anosmoradores de Salvador e Região Metropolitana.

A grande final será realizada em 12 de novembro, no Salvador Shopping (Teatro Eva Herz, na Livraria Cultura), juntamente com um bate papo sobre afro-empreendedorismo. Os vencedores vão desfilar em 24 de novembro, na quarta edição do evento.

Realizado pelo Jornal Correio, com apoio do Salvador Shopping, Casa Salvador e Califórnia Media House, o Afro Fashion Day celebra o Mês da Consciência Negra dando visibilidade para modelos negros, cultura afrobrasileira e os trabalhos de marcas locais.

SELETIVA

Quinta (25), entre as 14h e às 17h, na Villa Bahiana – Rua Prof. Souza Brito, s/n, Itapuã.

Projeto “Mulher com a Palavra” reunirá Tia Má, Daniela Mercury e Rita Batista!


tia_ma
Maíra Azevedo

 

Na próxima segunda-feira (22), o projeto Mulher com a Palavra chega a sua terceira edição em 2018 e convida a cantora Daniela Mercury e a jornalista Maíra Azevedo, Tia Má. O diálogo vai ser sobre o tema #feminismos, sob a mediação da jornalista Rita Batista. A iniciativa é da Maré Produções Culturais, em parceria com a Secretaria de Políticas para as Mulheres, com o patrocínio da Avon e da Bahiagás.

O bate papo ainda contará com a participação da cantora e compositora Lei Di Dai, criadora do projeto Gueto pro Gueto – Sistema de Som, de São Paulo e selecionada pelo Red Bull Amaphiko Academy. 

#feminismos –  Feminismo não é “um”. São vários. Diversos movimentos políticos, ideologias, filosofias que visam a igualdade de direitos entre homens e mulheres. “Vivemos a chamada Terceira Onda do feminismo desde os anos 1990” diz Dayse Porto, uma das roteiristas do projeto e diretora artística do Mulher com a Palavra. A intenção de pautar o tema #feminismos ao longo do ano parte da compreensão de que há uma diversidade das perspectivas de luta e de busca por igualdade se evidenciam, especialmente pelo uso da internet e das redes sociais como uma arena pública, onde todos emitem opiniões, compartilham experiências e posicionamentos.

rita_batista_tve
Rita Batista Fto Divulgação

 

Serviço
Mulher com a Palavra – Daniela Mercury e Tia Má
Dia 22 de outubro, às 20h
Palco Principal do Teatro Castro Alves
Ingressos: R$10/5 (disponíveis nas bilheterias do Teatro Castro Alves, Balcões SAC e no site http://www.ingressorapido.com.br

 

 

“Agradecer e Abraçar”: jantar colaborativo celebrará 70 anos da quituteira Alaíde do Feijão!


ALAÍDE_DO_FEIJAO
Foto Mila Cordeiro (A Tarde)

 

Uma das mais famosas quituteiras baianas, Alaíde do Feijão comemora, na próxima terça feira (30\10), 70 anos de idade. Para celebrar essa data tão especial, a cozinheira e empresária recebe em seu restaurante, localizado no Pelourinho, artistas, formadores de opinião e convidados para um jantar colaborativo em reverência àqueles que têm cantado em versos e prosas a sua trajetória, seus pratos e quitutes da culinária baiana.

“Esse não é um momento somente de comemoração de um legado, é, acima de tudo, a continuidade de uma história que tem início com a cozinha e continuidade com um legado que constrói quem sou. Cozinhar é alimentar almas. É transformar alimentos em felicidade e proximidade familiar”, conclui Alaíde.

BORA?!

O que: Jantar colaborativo ‘Agradecer e Abraçar’: 70 anos de Alaíde do Feijão;
Quando: Terça-feira (23/10), às 19h
Local: Restaurante Alaíde do Feijão – Pelourinho
Adquira seu ingresso no restaurante ou pelos telefones:  Daniela: 98847-5607 / Jaqueline: 98712-1440

Vai ter Afrocidade e OQuadro no Pelô, afrooo!!


Afrocidade
Afrocidade

 

O Largo Tereza Batista (Pelourinho) vai ser palco de encontro entre as bandas Afrocidade e OQuadro. Os grupos vão apresentar o repertório já conhecido do público, no dia 27 de outubro (sábado), a partir das 20h. Os ingressos custam R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia) e estão sendo vendidos online pelo site do Sympla.

SERVIÇO
OQuadro e Afrocidade
Data/hora: 27 de outubro (sábado), a partir das 20h
Local: Largo Tereza Batista – Pelô
Ingressos: R$ 10 (meia) R$ 20 (inteira)
Vendas: Sympla
Horário dos shows: 20h30 às 21h40 Afrocidade 21h50 às 23h OQuadro