Coro Oyá Igbalé está com inscrições abertas para para 20 cantores!


Coro Oyá Igbalé

O Departamento de Educação do Campus I da UNEB abre vagas para o Coro Oyá Igbalé, projeto vinculado ao Grupo de Estudos em Estética e Contracultura (GEEC) e ao Grupo de Estudos e Pesquisas da Memória Afro-baiana (GEEPMAB). Serão selecionados 20 cantores voluntários (homens e mulheres), que serão integrados ao grupo a partir do dia 1º de março. As inscrições são gratuitas e poderão ser realizadas até dia 17 de fevereiro. A participação no Coro é voluntária.

A seleção será coordenada pela professora Julice Oliveira será realizada em três etapas: pré-seleção mediante análise dos formulários, entrevista e audição. Os selecionados na primeira etapa terão a possibilidade de participar de oficina de canto.

Podem se inscrever pessoas com idade mínima de 18 anos – professores, alunos e funcionários da Uneb, além de integrantes da comunidade. Os candidatos não precisam ter experiência em canto ou ter participado de outros corais.

Oportunidades

Em 2018, o Coro Oyá Igbalé montará os espetáculos: Águas de Flor (dezembro), Encantados: Amor e Devoção (maio) e O Coro Oyá Igbalé canta os Ticoãs (setembro). O Coro Oyá Igbalé também fará uma apresentação em março no Fórum Mundial Social, dia 14 de março.

Quando

Os ensaios regulares acontecerão sempre às quintas-feiras, das 13h30 às 17h. Os ensaios extras e demais atividades nos outros dias da semana. A inscrição é gratuita e pode ser realizada aqui. 

O Coro

O Coro Oyá Igbalé é uma ação afirmativa que defende a difusão e popularização da música sacra afro-brasileira. Atua nas áreas de educação e cultura e, desde a sua fundação, integra a comunidade acadêmica da UNEB e a comunidade externa, em especial pessoas das comunidades tradicionais do Candomblé e docentes da educação básica.

I Sarau De Boa leva música, artistas e a Feira Yá Elegbara pra Lagoa do Abaeté!


sarau_de_boa

Neste domingo (18), a partir das 15h, a Lagoa do Abaeté, em Itapoan, receberá a primeira edição do Sarau De Boa, uma iniciativa do Ilê Axé Abassá de Ogum e da cantora Savannah Lima.

O Sarau tem o objetivo de chamar a atenção das autoridades para o abandono cultural e social do local a partir de uma ocupação artística. Na ocasião, estarão presentes as cantoras Savannah Lima, Carla Lis e os cantores e musicistas, Jubiraci Bastos, Amadeu Alves, Jonga Lima, Vérciah, e Jakaré Batera, além da participação do palhaço Raphael Ruvenal. O convite é pra toda família, terá música e mais uma edição da Feira Yá Elegbara, projeto da ialorixá Jaciara Ribeiro que reúne artesãs e empreendedoras da região.

“O intuito é realizar o Sarau a cada 15 dias em pontos de Salvador que julgamos ser importantes e carentes de incentivo à manifestação cultural por parte dos órgãos de cultura, da Prefeitura e Estado”, diz a cantora Savannah Lima. 

savannah_lima
Savannah Lima

Se ligue!

O que: Sarau de Boa no Abaeté

Onde: Lagoa do Abaeté – Itapoan

Quando: Dia 18 de fevereiro (domingo), a partir das 15h

Gratuito

Rolê “Bonde Preto” mobiliza ativistas e cinéfilos pra estreia de “Pantera Negra”!


pantera_negra
O Coletivo Pantera Negras, em parceria com o Espaço Glauber Rocha de Cinema, realiza, nesta quinta-feira (15), o
Bonde Preto na Estreia Do Filme Pantera Negra, em Salvador. Será um rolezinho para a estréia do filme Pantera Negra, que traz a história de T’Challa, príncipe do reino de Wakanda, que perde o seu pai e viaja para os Estados Unidos, onde tem contato com os Vingadores. Entre as habilidades do herói, estão a velocidade, inteligência e os sentidos apurados.
Em SP, no último dia 6, a iniciativa ganhou o Cinépolis JK Iguatemi. Veja aqui análise de Dominique Azevedo sobre o evento, no Portal Correio Nagô.
Em Salvador, o rolê será no Glauber Rocha, ali na Castro Alves. Será às 20h e ingressos estão sendo vendidos com condições especiais pra quem está no Grupo do Facebook.
“Dessa forma, apesar de obviamente ainda não podermos construir uma crítica consistente ao filme Pantera Negra, sabemos que o fato de ser construído colocando negrxs nos mais diferenciados papéis e nas mais diversas etapas de construção, ou seja, na condição de sujeito, faz dessa produção um diferencial de extrema relevância sobretudo para a população soteropolitana que é majoritariamente negra. Ir de forma lúdica, porém, ideologicamente e simbolicamente organizada, para a estreia de Pantera Negra é se posicionar sobre a relevância de preencher uma lacuna no que tange a disputa por narrativas e de que a representatividade importa!”, dizem as organizadoras.
O Coletivo Panteras Negras foi criado pelas ativistas: Paula Nascimento, Alessandra Novaes, Mariana Queiroz, com a colaboração de Aline Silva.

 

COMO VAI SER EM SSA:
Quem vai pro Rolê tem que prestar atenção no Grupo criado no Facebook para organizar. Clique aqui!

Larissa Luz convida Pitty, Karina Buhr, Baco Exu do Blues e Emicida neste Carnaval!


larissa_luz
Foto David Campbell

A cantora Larissa Luz chega ao segundo ano em cima do trio na carreira solo junto com Pitty, Karina Buhr, Baco Exu do Blues e Emicida. A proposta da cantora para o Carnaval de 2018 é levar para as ruas, em apresentações gratuitas, um discurso afiado para trazer a tona o empoderamento negro e feminismo.

No repertório, músicas dos seus dois álbuns mais recentes, Território Conquistado e Mudança, além de canções dos convidados. Ela ainda apresenta releituras de clássicos dos blocos afros em novos arranjos e homenageia grandes cantoras brasileiras e internacionais.

Agenda

O Carnaval da cantora começa no sábado (10) com o projeto De Ketu ao Gueto, no trio sem cordas que desfila no Circuito Dodô (Barra/Ondina), a partir das 19h30, junto com Baco Exu do Blues e Emicida. 

Logo depois do trio, à 0h30, ela apresenta um show na Casa Skol (Barra), com as participações de Pitty e Karina Buhr. A apresentação também desfila na segunda (12), a partir das 17h15, no circuito Osmar (Campo Grande) no trio Respeite As Minas, também sem cordas.

“Escolhi essas duas mulheres, porque elas se destacam numa cena machista, como a do rock, com trabalhos que apresentam um engajamento e uma atitude visceral no palco”, explica Larissa Luz.

Para encerrar o Carnaval, a cantora faz um show na terça (13), às 20h30 em homenagem ao Ilê Aiyê na Praça Nelson Mandela, na Liberdade.  “Para mim, o pilar essencial da história musical da Bahia são os blocos afros, que surgem justamente com o Ilê no bairro da Liberdade. Então, para mim é muito importante fazer essa reverência ao Ilê Aiyê”, afirma.

ACOMPANHE LARISSA:

DE KETU AO GUETO

Larissa Luz, Baco Exu do Blues e Emicida

Trio no Circuito Dodô (Barra/Ondina)

Sábado (10), a partir das 19h30

Sem cordas

RESPEITE AS MINAS

Larissa Luz, Pitty e Karina Buhr

Casa Skol (Barra)

De domingo (11) para segunda (12), à 0h30

Gratuito

 

RESPEITE AS MINAS

Larissa Luz, Pitty e Karina Buhr

Trio no Circuito Osmar (Campo Grande)

Segunda (12), às 17h15

Sem cordas

 

HOMENAGEM AO ILÊ AIYÊ

Larissa Luz

Praça Nelson Mandela – Liberdade

Terça, às 20h30

Gratuito

 

#CircuitoNegro – Riachão convida Ana Paula Albuquerque e grupo Paulinho Timor e Os Bambas de Sampa!


Neste Carnaval, Riachão vai subir ao palco do Largo do Pelourinho na terça-feira (13) às 17h30. Aos 96 anos, o artista promete surpreender o público.

Riachão irá se apresentar ao lado da cantora Ana Paula Albuquerque e do grupo paulista Paulinho Timor e Os Bambas de Sampa. No show que preparou para o Carnaval, Riachão leva ao palco canções gravadas por nomes de peso da música brasileira, de Beth Carvalho a Cássia Eller.

SERVIÇO

Show – Riachão: Patrimônio do Samba

Com: Ana Paula Albuquerque e grupo Paulinho Timor e os Bambas de Sampa

Local: Largo do Pelourinho

Quando: Terça-feira (13), 17h30

#CircuitoNegro – Olodum desfila nos três circuitos oficiais homenageando as mulheres


Foto: Magali Moraes

Olodum mais uma vez vai homenagear a força das mulheres com o tema Deusas das Águas – Oceanos, Rios e Lagos.  Na sexta-feira, dia 9, o bloco inicia o desfile no circuito Batatinha, Pelourinho, e na sequência, no Campo Grande. No domingodia 11, vai para a Barra, sendo o primeiro a desfilar abrindo o circuito.

saída no Pelourinho acontece às 16 horas.  Em frente à casa do Olodum, ocorrerá a apresentação do grupo de dança da Escola Olodum, que fará evoluções ilustrando os movimentos das águas doce e salgada.

“Vamos celebrar também os 30 anos do desfile na Barra em 1988, quando saímos ao lado de Gilberto Gil. Vamos festejar também, três décadas de desfile a beira mar. Tudo isso, com a rubrica dos 30 anos das canções Faraó, Protesto Olodum, Madagascar e Ranavalona, grandes músicas que o Olodum produziu e deu para o Carnaval de Salvador e do ritmo criado pelo saudoso mestre Neguinho do Samba, chamado de samba-reggae”, disse João Jorge.

Carnaval 201​8​

Ø    Dia 09 de fevereiro – Bloco Olodum – Circuito Batatinha  – concentração 15 horas​;​

Ø    Dia 09 de fevereiro – Bloco Olodum – Circuito Osmar – Campo Grande  – concentração 19 horas​;​

Ø    Dia 11 de fevereiro – Bloco Olodum – Circuito Dodô – Barra  – concentração 15 horas​.​