Juuuuuuuuuuuuuuuuuuunioooooo…!! Tem espetáculo “Na Rédea Curta” em cartaz esse fim de semana!


JunioreMainha
Foto_ShaiAndrade_TCA

 

A comédia cotidiana b encenada pelos hilários Junior (Thiago Almasy) e Mainha (Sulivã Bispo) poderão ser vistas ainda nos dias 22, 23 e 24 (sexta-feira, sábado e domingo), com uma novidade: estarão presentes no palco, alternando-se nas sessões, Meire (Genário Neto), amiga de Mainha, e Bisteca (Rodrigo Villa), que passou a integrar a webserie em setembro do ano passado.

Fala, Junio!

“A gente vem trabalhando para que o Na Rédea Curta seja uma plataforma de lançamento de artistas, assim como foi com a gente. O YouTube vem subvertendo a lógica de trabalho para o artista, afinal sempre penamos muito para ter público, cachê e visibilidade, e o canal vem e passa por cima disso tudo. O sucesso dos vídeos acaba chamando público que quer ver a gente tanto na montagem do Na Rédea Curta, quanto em outras peças. Incluir os atores Genrio e Rodrigo também é uma forma de sentir a receptividade da plateia, porque queremos montar uma segunda peça, desta vez com a família e agregados, incluindo, além de Junior e Mainha, Keylane, Bisteca e Meire”, comenta Thiago Almasy.

 

 

SE LIGA…

Dias 22 e 23/2 – 20h; 24/2 – 19h

Onde: Teatro Jorge Amado

Ingressos: R$ 40 e R$ 20

Vendas: Bilheteria do teatro e IngressoRápido.com

Classificação: Livre

 

2 anexos

 

 

Mestre Moa do Katendê será homenageado com a Comenda Câmara Cascudo!


moa_do_katende
Divulgação

Tem homenagem a Mestre Moa até sempre por aqui!

A deputada federal Lídice da Mata (PSB-BA) homenageará, neste sábado (23), às 10h30, o mestre de capoeira e artista Moa do Katendê, com a entrega da Comenda Câmara Cascudo. O evento será realizado no Colégio Estadual Vitor Civita, na comunidade de Dique Pequeno, no Engenho Velho de Brotas, em Salvador.  Comenda de Incentivo à Cultura Luís da Câmara Cascudo, é destinada a agraciar personalidades, instituições e grupos que tenham oferecido contribuição relevante ao registro e ao fortalecimento da cultura, do folclore e dos saberes tradicionais do Brasil.

Além de capoeirista, Romualdo Rosário da Costa, conhecido como Mestre Moa do Katendê, também acumulava outras habilidades na cultura. Foi compositor, percussionista, artesão e educador.

VAI LÁ…

O que: Entrega da Comenda Câmara Cascudo a Moa do Katendê

Quando: 23/02/19, 10h30

Onde: Colégio Estadual Vitor Civita,  Engenho Velho de Brotas

Aberto ao público

#OuroNegro – Divulgadas as entidades habilitadas para o Carnaval Ouro Negro 2019!


Foram divulgados na edição desta quarta-feira (20), do Diário Oficial do Estado, os blocos de matrizes africanas que participarão do Carnaval Ouro Negro 2019.  Dentre as organizações habilitadas para o recebimento dos recursos, estão os afoxés Filhos de Gandhy e Filhos do Congo, e os blocos Olodum, Cortejo Afro, Ilê Aiyê, Didá, Alerta Geral, Alvorada, Bloco da Capoeira, Amor e Paixão, Pagode Total, etc.

As organizações habilitadas devem comparecer, nos dias 21 e 22 de fevereiro de 2019, na sede da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (Palácio Rio Branco, Praça Thomé de Souza, s/n, Centro), das 8h30 às 12h e das 14h às 17h, para a assinatura dos Termos de Fomento e Convênios. O edital é promovido pelas secretarias da Promoção da Igualdade Racial (Sepromi) e de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA).

 CONFIRA AQUI O RESULTADO

Ouro Negro – Chegando à sua 12ª edição, o Ouro Negro oferece importantes subsídios para o apoio a agremiações de matrizes africanas e tradicionais dentro dos circuitos do Carnaval de Salvador. Desta forma, é promovida a preservação e valorização a presença destes blocos, com o desfile em alas e indumentárias tradicionais, assim como a maior participação da juventude, transmitindo o legado para as novas gerações.

“A VOAR” – Curta tem narração de Lazzo, música de Don L e atuações de Heraldo de Deus e Isabelle Cruz!


a_voar_curta
Divulgação

A motivação para a luta contra o racismo e o cansaço que esse enfrentamento gera dão o tom de A VOAR, o mais novo curta do fotógrafo baiano Matheus Leite, colocando a negritude em primeiro plano.

No YouTube, o curta conta com narração do cantor Lazzo Matumbi, música do rapper Don L e atuações de Heraldo de Deus e Isabelle Cruz, cada um dos dois representando o desgaste e a esperança frente ao futuro. Nascido em Salvador, Matheus Leite tem 28 anos, é historiador em formação e trabalha como fotógrafo e cinegrafista.

Faz isso há quatro anos e em seu trabalho autoral revela a diversidade étnica e estética da sua cidade, se instrumentalizando da História como sua principal lente.

Fala, Matheus!

“Um dia você vê um homem negro sendo tratado como um ladrão porque comprou dois tênis à vista para os filhos, no outro você vê um colega que foi baleado pela polícia enquanto ia de bicicleta para o trabalho. Por mais que você lute, o racismo não para e atinge desconhecidos, pessoas próximas ou mesmo alguém de destaque”, diz Leite, ao lembrar que o despertar para a realização do curta foi o caso envolvendo o ator do Bando de Teatro Olodum, Leno Sacramento, baleado pela polícia em Salvador, em junho do ano passado.

PQ Heraldo, Lazzo, Don L?

“A escolha de Heraldo para interpretar esse papel veio pelo fato de ele ser um ator baiano, negro, amigo de Leno, e que também ficou muito mal com o caso. De início, pensei em contar tudo isso somente com imagens e com a música ‘Aquela Fé’, de Don L, que foi a grande inspiração para tudo isso acontecer. Foi ouvindo ela que consegui expurgar e transformar todo sentimento em imagem. “Pensei que a voz que narraria esse texto seria de uma pessoa mais velha e me veio Lazzo, a voz poderosa dele, a história dele, que há anos canta os versos ‘E apesar de tanto não/ Tanta dor que nos invade/ Somos nós a alegria da cidade’. – Matheus

ASSISTA, AFRO!

 

 

 

#OuroNegro – Reveja o “Circuito Negro” do Bankoma – o Ouro Negro da RMS!


O Ouro Negro da Região Metropolitana de Salvador!

O bloco afro Bankoma surgiu a partir das oficinas de arte-educação desenvolvidas no Terreiro São Jorge Filho da Goméia, voltadas para os jovens e comunidade local. O bloco surgiu como uma forma de apresentar para a população o que era produzido dentro do terreiro. O bloco tem relações com 350 terreiros de candomblé, que participam do desfile no Carnaval. Desde 2000, o bloco realiza oficinas de tecelagem, confecção de instrumentos musicais, dança afro, capoeira e percepção musical.

Assista, mais uma vez, o programa Circuito Negro, produzido pelo Portal Soteropreta em 2018, com apresentação de Fabiana Mascarenhas e Poesia Preta de Rool Cerqueira! 

 

#OuroNegro- Reveja o “Circuito Negro” sobre o Ilê Aiyê: “O TEMPO PASSA, MAS NÃO PASSA A VONTADE DE DIZER…”


2019-02-16-deusa-do-ebano-ile-aye-foto-max-haack-ag-haack-271-
Foto Max Haak

 

O TEMPO PASSA, MAS NÃO PASSA A VONTADE DE DIZER…TE AMO ILÊ….!
O Ilê Aiyê, ou Ilê, é o mais antigo bloco afro do carnaval de Salvador. Fundado em 1974 por moradores do bairro do Curuzu, é um grupo cultural que promove a expansão da cultura de origem africana no Brasil. O bloco afro elegeu a ‘Deusa do Ébano’ 2019 em festa na Senzala do Barro Preto, no último sábado (16) e elegeu a secretária e empreendedora Daniele Nobre, de 33 anos, que participou da seleção pela oitava vez. O concurso contou com 15 finalistas, no total.

Assista, mais uma vez, o programa Circuito Negro, produzido pelo Portal Soteropreta em 2018, com apresentação de Fabiana Mascarenhas e Poesia Preta de Kuma França! 

 

Atenção artistas, grupos, coletivos e pesquisadores: inscrições abertas pra Residência Artística!


casa_das_caldeiras
Divulgação

A Casa das Caldeiras – um dos primeiros espaços autônomos a lançar um programa de Residência Artística no Brasil – está com inscrições abertas para selecionar artistas e portadores de projetos interessados na dialética entre Arte e Patrimônio até 12 de março. O Programa “Obras em Construção 2019” será realizado de 9 de abril até 1 de Novembro de 2019. Para se inscrever, os interessados devem acessar o portal da Casa das Caldeiras, ler o edital e acessar as inscrições.

Podem se inscrever artistas, grupos, coletivos e pesquisadores portadores de projeto, vivendo e trabalhando no Brasil ou no exterior. Os selecionados vivendo fora da cidade de São Paulo poderão contar com Hospedagem, Alimentação e Transporte local, oferecidos pelo Programa.

O Programa consiste em viabilizar espaços de Residências Artísticas propondo acompanhamento logístico, administrativo e de estruturação do projeto, fomentando um contexto de troca de conhecimentos, métodos e impressões entre os artistas residentes. O objetivo é dar condições para que os participantes possam desenvolver seus projetos e seu processo de criação, se relacionando com o patrimônio, com o território, com os demais residentes e experimentando ações com o público frequentador da Casa das Caldeiras. A interação das obras com a cidade e a relação afetiva com a memória coletiva.

casa_das_caldeiras
Foto – Nego Junior

Ao final do período de residência, os residentes serão convidados a expor seus experimentos em uma grande mostra de processo a ser realizada na Casa das Caldeiras intitulada TEMPO FORTE, que além de visibilidade aos projetos, cria um espaço-tempo para diálogos, intercâmbios e transferência de conhecimentos entre os artistas residentes, profissionais da área da cultura e o público.

Obras em Construção é destinado a pessoas que estejam trabalhando no campo da arte contemporânea, da cidadania e desejando desenvolver seu projeto através de um processo de residência artística e de pesquisa em espaços não tradicionais, abertos a pluridisciplinaridade, aos encontros e aos Intercâmbios multiculturais. A candidatura pode vir acompanhada de propostas de oficinas, workshops e palestras.

A data limite para o recebimento dos documentos de inscrição para o Programa Obras em Construção 2019 é dia 12 de março. O resultado será enviado por email aos inscritos, no dia 29 de março. Mais informações aqui. 

Projeto Samba Vivo traz Gang do Samba, Patrulha do Samba, Samba do Pretinho e Samba Mocidade…….e +!


samba_do_pretinho
Samba do Pretinho – Divulgação

 

Gang do Samba, Patrulha do Samba, Samba do Pretinho e Samba Mocidade! São estes os grupos que prometem agitar a semana da 6ª Edição do Projeto Samba Viva no Shopping Piedade.

Mas tem também, viu…

Também fazem parte da programação das rodas de conversa “Nossas Raízes Conectadas” a presença de produtores culturais, analista de marketing, figurinistas e especialistas em vendas de eventos no entretenimento baiano. Programação gratuita na praça de alimentação, piso L4, começando a partir das 15h30.

Confira a programação:

Segunda-Feira (18/02)

15h30 – “Nossas Raízes Conectadas – Economia Criativa nos Blocos de Matriz Africana” com participação das figurinistas  Siry Brasil e Rosangela Nascimento.

17h – Oficina de Adereços

Terça- Feira (19/02)

15h30 – “Nossas Raízes Conectadas- Tecnologia em Eventos” com participação Uasden Ferreira – CEO DA SAFETICKET e Ariane Barreto, representante Pagode Total.

17h – Apresentação Cultural: Banda Mocidade

Quarta-Feira (20/02)

15h30 – “Nossas Raízes Conectadas – Marketing e Comunicação nos Blocos de Matriz Africana” com a presença de Nina Mamdin, analista de Marketing Digital.

17h – Apresentação Cultural: Banda Roda Elétrica

Quinta-Feira (21/02)

15h30 – “Nossas Raízes Conectadas – Rodas de Samba nas Comunidades” com a presença do produtor e gestor cultural Edvaldo  Bolagi .

17h – Apresentação Cultural: Gang do Samba

Sexta-Feira (22/02)

15h30 – “Nossas Raízes Conectadas – Desafios dos Grupos de Samba no Mercado” com a presença dos produtores de eventos Renilce Barbosa e Clécio Barreto.

17h – Apresentação Cultural: Samba do Pretinho

Sábado (23/02)

15h30 às 17h – Bailinho Infantil de Carnaval do Bloco Ibéji e banda Patrulha do Samba

“Ancestralidade e Representação” é uma das categorias da 7ª edição do Prêmio Pierre Verger!


premio_pierre_verger
Foto Pierre Verger

O que pode haver de ancestral e de representativo num
ensaio fotográfico de reconstrução histórica?

Esta é a dúvida que os fotógrafos brasileiros e residentes no Brasil terão que responder na Categoria 1 – Ancestralidade e Representação, da 7ª edição do Prêmio Nacional de Fotografia Pierre Verger, promovido pela Fundação Cultural do Estado, em parceria com a Fundação Pierre Verger.

Na categoria vão concorrer ensaios fotográficos autorais que tragam abordagens de caráter histórico ou etnográfico brasileiro. As milhares de imagens espalhadas no mundo, registradas em preto e branco, por Pierre Fatumbi Verger (1902-1996), homenageado com esse Prêmio, podem servir de inspiração para o tema Ancestralidade e Representação.

E TEM PRÊMIO…
A Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb/SecultBa) vai premiar três fotógrafos, um em cada categoria, com o valor de R$ 30.000,00, através do Prêmio Nacional de Fotografia Pierre Verger. O Prêmio foi instituído em 2002 e busca dar destaque aos trabalhos fotográficos que tenham se destacado no cenário nacional. Além dos três premiados nas categorias, serão selecionados ainda 12 ensaios fotográficos, sendo 4 em cada uma das categorias, que juntamente com os premiados, participarão de uma exposição coletiva e do catálogo do Prêmio 2019.

O edital, lançado a cada dois anos pela Funceb, traz mudanças nesta 7ª edição, nas categorias de premiação. Confira aqui o edital completo!

Em 2019, as categorias vão atravessar temas diversos, são eles: ensaio fotográfico de reconstrução histórica, com o tema Ancestralidade e Representação; ensaio de Inovação e Experimentação Fotográfica de tema livre; e ensaio fotográfico Documental, também de tema livre.

Inscrições – As inscrições são gratuitas e acontecerão entre os dias 22 de março e 30 de maio de 2019. As inscrições serão realizadas por meio postal, via SEDEX ou serviço similar de entrega, com Aviso de Recebimento. Os ensaios fotográficos devem ser inéditos, e não podem ter sido premiados no Brasil ou no exterior.

Ilê Aiyê e Gab Ferreira no Música no Parque?! É sábado (23) agora, afro!


Ile Aiye
Divulgação

 

O Música no Parque deste sábado (23) terá a banda Ilê Aiyê no Parque Costa Azul, e a abertura será com a Gab Ferreira. Conhece a preta? 

Destaque nos programas Superstar (2016) e The Voice (2017), a cantora traz no seu primeiro trabalho solo toda baianidade musical e conta com releitura da música “Baiana”, do Rapper Emicida. A baianidade é uma forte presença no trabalho musical, que traz na bagagem influências de nomes como Gilberto Gil, Caetano Veloso, Ivete Sangalo, Daniela Mercury, além de Ilê Aiyê, Olodum e Timbalada.

SE LIGUE…

Música no Parque 2019

Quando: 23 de fevereiro (sábado)
Atração:  Ilê Aiyê

Abertura de Gab Ferreira
Horário: a partir das 17 horas
Onde: Parque Costa Azul
Endereço: Rua Adelaide Fernandes da Costa – Costa Azul
Aberto ao Público