Noite Preta: Dão convida Verciah, Manuela Rodrigues e Serginho (Adão Negro)!


verciah
Verciah   Foto: Adeloyá Magnoni

 

Vai rolar mais uma edição da “Noite Preta”, projeto idealizado pelo cantor e compositor Dão com um único objetivo: fazer as pessoas dançarem até o último momento! O show acontece no Groove Bar, a partir das 23h e vai contar com participação do cantor Verciah da banda Muriquins, a cantora Manuela Rodrigues  e Serginho, do Adão Negro.

Representante da musicalidade negra baiana e brasileira, Dão tem foco na Black Music universal, passando pelo rock n’ roll, soul funk, samba, reggae e blues. O mais recente trabalho do artista é o disco “Nobre Balanço”, que também passeia por elementos pulsantes da música africana, a exemplo do Kilapanga.

manuela_rodrigues
Manuela Rodrigues FtoJoão Milet Meirelles

A Noite Preta acontecerá neste sáabdo (07) e tem a intenção de  produzir encontros entre gerações musicais e reviver a era das Discotecas. O evento será  recheado de Samba-Soul, Samba-Funk, Samba-Reggae e muito Soul.  “Como diz Taíde e Dj Hum: “vamo que vamo, que o som não pode parar…”, diz Dão.

INGRESSOS!

Os ingressos estão sendo vendidos a R$20 reais NO SYMPLA  e R$30 reais na portaria.

Portal Soteropreta realiza II Edição da Festa Les’Pretas em abril!


lespretas

O Portal Soteropreta dá continuidade ao seu calendário de eventos culturais que propagam a marca pela cidade e, neste mês de abril, repetirá a dose de um de seus projetos de maior repercussão: a Festa Les’Pretas! Tendo reunido mais de 300 pessoas na primeira edição, em janeiro, a Festa ganha agora novo espaço e programação, e acontecerá no dia 14 de abril, sábado, no Pátio da Igreja do Santo Antônio. O esquema é Pague Quanto Puder!

Ocupando um lugar nada convencional, a segunda edição da Festa Les’Pretas terá co-realização da Junbai Comunicação e Estratégia, produção de Taimara Liz, apoio de produção de Beth Dantas, apoio financeiro dos Mandatos do Vereador Sílvio Humberto (PSB) e da Vereadora Marta Rodrigues (PT) e do Instituto de Beleza Essência dos Cachos (IBEC).

coletivo_zeferinas
Kuma França e Rool Cerqueira

A Festa Les’Pretas é um evento artístico criado pelo Portal Soteropreta no intuito de manter um espaço voltado para a celebração da mulher negra na Música, na Poesia, Artes Visuais e Performance, além da Gastronomia. A segunda edição terá a participação especial de poetas do Coletivo ZeferinaS, Rool Cerqueira e Kuma França.

Festa Les’Pretas terá Poesia Marginal do Coletivo Zeferinas e performance de Jenny Muller!

E nesta edição, a programação cresceu, veja as novidades:

 

lespretas
Dj Nai Sena

DJ Nai Sena

A preta vai abrir a festa, com um repertório especial de Discotecagem Afro, trazendo sua pesquisa musical de artistas negros, tendo em sua vertente principal a valorização da mulher negra. Esta é a primeira participação da DJ no Les’Pretas!

Jenny Muller

Jenny Müller é performer, atriz, produtora, diretora e diretora de arte, roteirista, modelo, maquiadora e o que surgir. Nascida na cidade mais energética e negra do país, ela busca em seus trabalhos discutir questões sociais como o transfeminicídio, a violência contra as minorias sociais e a liberdade da mulher. Transforma seu corpo na sua ferramenta amplificadora dos seus discursos e não teme debater política em seus trabalhos, afinal, arte é e deve ser política.

Jenny Muller – Fto Adeloyá Magnoni

 

Musicalidade de Preta

A Festa Les’Pretas se caracteriza por ser uma união de talentos do cenário musical independente de Salvador – representada por mulheres negras que atuam com trabalhos autorais. Nesta segunda edição, a banda base da primeira será mantida, com a percussionista, Juliana Almeida e a baterista, Line Santana, além da guitarrista, Verona Reis e a violonista Zinha Franco – ambas também cantoras com trabalhos autorais – e a baixista Gleise Reis. Além das vozes de Verona Reis e Zinha Franco, nesta edição a Les’Pretas terá a participação das cantoras e compositoras soteropolitanas, Jadsa Castro, Savannah Lima e Aline Lobo. Conheça as manas:

Jadsa Castro 

A compositora multi-instrumentista Jadsa Castro, é uma soteropolitana que traz em suas canções um apelo baiano com timbres experimentais ditados por poemas que saem da zona literal da escrita e escuta. Desde os seus primeiros passos como musicista (aos 13), já tem consigo a experiência de 3 bandas e um coletivo ditado por “Outros Diversos”.  Além de solista,  Jadsa Castro, sem apelo e apego, vive em busca da sua musicalidade 
perfeita a cada métrica quebrada, consertada, arrastada ou acelerada, sabe o quão delirante é viver evoluindo com os compostos sonoros se formando aos sentidos.

savannah_lima
Savannah Lima

Savannah Lima

Nascida e crescida no berço da cultura negra brasileira, a cantora e compositora revelação da música afro-alternativa baiana Savannah Lima desponta no cenário musical da música negra e alternativa de Salvador. Suas composições têm repertório diversificado, com canções no estilo Samba, Black Music, Black Soul, além de seu trabalho autoral. Savannah liderou os vocais da banda feminina Didá, já puxou o Bloco Filhas de Gandhy por três anos no carnaval de Salvador e, recentemente, excursionou pela Ásia e Europa.

 

Aline Lobo

Aline Lobo

Nascida em Salvador, Aline é cantora e compositora. Suas canções passeiam pelo reggae, blues , MPB e compartilham inquietações existenciais e sociais que marcaram diversas fases de sua vida. Já participou de algumas bandas em Salvador, como Ronco da Madrugada(MPB e Poesia), banda Massa Real(Música baiana) e Coisa Mandada(Samba). Já cantou músicas de Gilberto Gil , Djavan e atualmente, está voltada para um trabalho mais autoral.

PROGRAME-SE!

Les’Pretas II – A Festa

Onde: Pátio da Igreja do Santo Antônio

Quando: Dia 14 de abril (sábado), a partir das 19h

Quanto: Pague Quanto Puder.

Sarau “Ajuda A Mana” reunirá drag queens em prol de campanha para Jenny Muller!


Jenny Muller – Fto Adeloyá Magnoni

O sonho de Jenny Muller, estudante de Artes (Ufba) e ativista da causa de pessoas transexuais, está um passo de acontecer e  conta com sua participação nesta realização. No sábado 07 de Abril, às 16h , a Casa de Artes Sustentáveis (CAS), localizada na rua Democratas, nº 21, no Dois de Julho, recebe o Sarau Ajuda A Mana.O evento busca arrecadar recurso para a cirurgia de mamoplastia de Jenny.

Alguns amigos de vários setores artísticos me falaram que estavam querendo fazer um show. Eles então se reuniram e me falaram que fariam o evento para me ajudar a bater a meta da cirurgia. Pra mim, a maior significação é o fato de saber o quanto sou querida por essas pessoas que tem trabalhos maravilhosos, e estão entregues nessa campanha“, conta Jenny. 

O evento conta com a colaboração e parceria de drag queens renomadas na cena LGBT+ da cidade como Kaysha Kutnner, Aimée Lumière, Nágila Goldstar, Malayka SN, Ela Vargas, Maria Gabriela, Rainha Loulou, Mila kokaev, DesiRée Beck, Duda Johnson, Sasha Heels e Glenda Electra Jackson. O ator Gleisson Richelle e o poeta Pareta Calderash também estarão no palco do Sarau como colaboradores.

Contar uma nova narrativa sobre si é o que está por trás do processo de transição da estudante. “É bem bacana ver que muitos artistas são empáticos às demandas de pessoas trans. Sabemos que o Brasil lidera o ranking de país que mais mata pessoas trans e travestis, assim fica evidente que as políticas públicas para esse tipo de cirurgia serão precárias. Por isso,  vejo essa união como pulsão mobilizadora. Hoje, ser noticiada na cidade por essa campanha me coloca em uma moldura diferente da visão marginalizadas“, aponta.

SERVIÇO

O QUE: SARAU AJUDA A MANA

QUANDO: 7 de Abril, às 16h;

ONDE: Casa de Artes Sustentáveis (CAS), rua democrátas, nº 21 – Dois de Julho;

INGRESSO: R$ 5 (valor será revertido na cirurgia de mamoplastia de Jenny)

Espaço Cultural Alagados recebe I Mostra Negra de Artes Cênicas!


sobejofestivalacenatapreta
Sobejo Foto: Andréa Magnoni

 

O Espaço Cultural Alagados receberá, de 10 a 15 de abril, a I Mostra Negra de Artes Cênicas, que trará espetáculos produzidos, encenados por negros e negras. Será de terça a domingo, sempre às 18h.

se deus fosse preto
Se Deus Fosse Preto Foto: Max Fonseca

 

Na programação estarão os espetáculos “GRILO GRIÔ”, com Raimundo Moura, “EN(CRUZ)ILHADA”, com Leno Sacramento, “SOBEJO”, com Eddy Verissimo,  “MULHERES DE ALAGADOS”, com o Grupo Biogênese, “MALOQUERO”, com Jhoilson de Oliveira e “SE DEUS FOSSE PRETO”, com Sergio Laurentino. Também haverá apresentações de artistas e grupos locais. A classificação é de 12 anos e os ingressos serão vendidos – no local – a R$4/2. 

encruzilhada
Encruzilhada Fto Rodrigo Veloso

Programe-se – sempre às 18h!

 

Dia 10/4
GRILO GRIÔ, com Raimundo Moura;
Dia 11/4
EN(CRUZ)ILHADA, com Leno Sacramento;
Dia 12/4
SOBEJO, com Eddy Verissimo;
Dia 13/4
MULHERES DE ALAGADOS, com o Grupo Biogênese – Apresentação gratuita!
Dia 14/4
MALOQUERO, com Jhoilson de Oliveira;
Dia 15/4
SE DEUS FOSSE PRETO, com Sergio Laurentino.
Local: Espaço Cultural Alagados – Rua Direta do Uruguai S/N – Uruguai
Informações: (71) 3317-6518 / 71 98826 8061

Jornalista Rita Batista é a nova apresentadora do TVE Revista!


rita_batista_tve
Fto Divulgação

Uma comunicadora antenada com a população baiana: Rita Batista é a nova apresentadora da TVE. Uma jornalista reconhecida em todo estado pela qualidade do trabalho, pelo carisma e por representar as mulheres negras.

Rita estará à frente do TVE Revista, veiculado diariamente às 12h15. A estreia da preta no canal será nesta segunda-feira (26).

Rita já passou pelos mais importantes veículos de comunicação do estado como a TV Aratu (SBT), Band Bahia, BandNews FM e no Grupo Metrópole. Depois do sucesso de sua atuação na cobertura da emissora pública no Carnaval deste ano, Rita recebeu o convite e levará informação e cultura ao vivo na TVE e nas redes sociais – direto para a casa dos baianos  na hora do almoço.

“A TVE é a TV da Década Afro-Descendente. Acho que estou no lugar e hora certos”, disse a apresentadora.

TVE REVISTA com Rita Batista

De segunda a sexta, às 12h15

Acompanhe a TVE nas redes sociais:

www.facebook.com/tvebahia

www.twitter.com/tvebahia

www.instagram.com/tvebahia

www.youtube.com/tvebahia

#OpiniãoPreta #OlhandoPraMimVejoNos – Por Larissa Fulana de Tal!


cineclube_tela_preta
Fto Fanny Oliveira

 

Como você se vê? Você se olha? São perguntas pra você que está lendo essas palavras! Mas aliás, você realmente se vê? Onde mesmo? Diante dessas questões que refletem como olhamos o mundo e a nós, e leia-se Nós, enquanto População Negra, lançamos o Cineclube Tela Preta com o propósito de provocar e inquietar os encontros de olhares de mundo que interligam o individual ao coletivo, o pessoal ao político e por fim, o cotidiano à história.

Cineclube Tela Preta promove sessões gratuitas de cinema negro!

Partimos do pressuposto que nossa cabeça é uma sala de cinema ambulante. Onde foi imposto as imagens de medos, negações violências… e nós, População Negra, com nossa existência, contrapomos com movimento de imagens de sonhos, desejos, vontades e futuros!

Nesta sala de cinema ambulante ainda há vídeos acumulados e envelhecidos com nossas imagens tão rasas. São todos esses vídeos que queimaremos e apagaremos o que nos é negado ao direito de existir em campo ou que nos empurra para o canto da tela, ou podemos dizer que extrapola a “margem da imagem”, mas é real e concreto. É necessário mover-se para desconstruir e olhar para construir.

E neste espaço que o criar re-existe, desta forma, temos como direito sim ao ensaioao erro, e por quê não, ao experimental? O Cineclube promove encontros de um espaço de reflexão sobre a nossa presença nas imagens e atrás das câmeras com o Cinema Negro, e o nosso processo criativo que parte da ruptura do sujeito que filma e o sujeito filmado. Provocando as reflexões da construção da imagem que queremos de nós, a partir do olhar de quem olha e de quem se ver, afinal somos “Nós por Nós”!

Referência:  O olhar opositivo – a espectadora negra , por Bell Hooks

larissa fulana de tal
Larissa Fulana de Tal

Larissa Fulana de Tal é Coordenadora do Cine Tela Preta e integrante do coletivo de cinema negro, Tela Preta, sócia da produtora Rebento Filmes, graduada em Cinema e Audiovisual na UFRB. 

Projeto “Terças Pretas” terá feira, performance e “As Feministas de Muzenza no Vila!


terças_pretas_feministas_de_muzenza
Foto Divulgação

O Bando de Teatro Olodum está ação com o projeto ‘Terças Pretas’, ocupando o Teatro Vila Velha, em Salvador, com poesia, literatura e espetáculos teatrais. Na próxima terça-feira (27) – Dia Mundial do Teatro – vai ter de novo, com feira afro, performance e espetáculo de dança, a partir das 18h.

No Vila vai ter diversos artistas e afro-empreendedores expondo e vendendo roupas, acessórios e artesanatos e a performance será com a Banda Los Perífas, que tocará ritmos afro-cubanos, brasileiros e africanos.

Já na Sala Principal, terá o espetáculo “As feministas de Muzenza – Uma Comédia Afro-Baiana”, às 19hs, um espetáculo da Cia Gente de Teatro da Bahia. A história se passa na cidade de Muzenza, onde um grupo de mulheres se une para fazer um movimento feminista. Nele, elas avaliam o comportamento machista no crescimento turístico da cidade, porém encontram resistência de outras mulheres da própria comunidade que defendem os homens.

Chegue Lá….

O que: Projeto Terças Pretas – Bando de Teatro Olodum
Onde: Teatro Vila Velha

Quando: Dia 27 (terça-feira), 18h
Valor: R$20 inteira e R$ 10 meia..

Livro com poesias de adolescentes da Case Feminina será lançado no TCA!


pessoanegraescrevendo

“Força Feminina, a Poesia que liberta” é o nome da obra, resultado da produção poética de socioeducandas da Fundação da Criança e do Adolescente – Fundac, em parceria com a Editora Galinha Pulando. O livro reúne 53 poesias que contam a trajetória de vida das adolescentes e será lançado na próxima terça-feira (27), no Foyer do teatro Castro Alves, em cerimônia aberta ao público.

As poesias relatam vidas interrompidas por atos infracionais, falam sobre os laços familiares, projetam perspectivas positivas para o futuro, a busca da liberdade, além de traduzir sentimentos de amor, amizade e companheirismo.

“Ao longo desses anos, vi meninas super talentosas e com uma longa bagagem passarem pela Case e, a partir do contato com a escrita, entenderem que é possível refletir, contar e reescrever sua história, entender o que é garantia de direitos, despertar o senso crítico, e quebrar uma série de estereótipos que a sociedade faz questão de emplacar” – Evanilson Alves, instrutor das oficinas. 

case_feminina_fundac

As autoras cumprem medidas socioeducativas na Comunidade de Atendimento Socioeducativo – Case Feminina, em Salvador e foi lá que se deram oficinas de produção de texto desde 2015, resultando na publicação. As oficinas tiveram como intuito também fortalecer a autoestima, a capacidade de expressar ideias e sentimentos e de utilizar a palavra para a resolução de conflitos, além do engajamento político social.

A iniciativa é da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social – SJDHDS, e a primeira edição do livro “Força Feminina, A Poesia que Liberta” tem a produção e direção editorial do jornalista, poeta e escritor Valdeck Almeida e da Editora Galinha Pulando (Vitória da Conquista/BA).

O desenho gráfico da capa é da autoria do designer, Hugo Carvalho, e conta com o prefácio elaborado pelo ator e dramaturgo, Aldri Anunciação. A orelha do livro foi escrita pela poeta e professora da Universidade Federal da  Bahia (Ufba), Lívia Natália e a organização final dos textos foi feita pelo instrutor das oficinas de produção textual, Evanilson Alves e da gerente da Case Feminina, Luciana Lima.

“A partir das produções literárias, elas melhoram sua leitura e conhecimento, nas aulas da educação regular, e de outras oficinas. É muito positivo vê-las apostando no diálogo, e resolvendo diversas situações através da palavra. o conhecimento é a única coisa que ninguém será capaz de tirar de qualquer pessoa, sou feliz em poder ser esse instrumento que fez cada uma delas compreender o poder dos versos, o poder do papel e caneta. Não há dinheiro que pague vê-las escrevendo e falando de si mesmas nas dependências da unidade feminina. Esse lançamento é um marco na história, é pra dizer a outras instituições que é possível replicar esta e outras ações, alias esse é o meu desejo”, Diz Evanilson. 

Serviço:

O quê: Lançamento do livro, Força Feminina: A Poesia que Liberta, 1ª edição, Editora Galinha Pulando.

Onde: Foyer do Teatro Castro Alves – TCA, Salvador – Bahia

Quando: Dia 27 de março, às 17h

Aberto ao público

Instituto Sagrado Coração de Jesus reúne artistas no projeto “Negritude Folia: PAPSagrado no TJA”!


savannah_lima
Savannah Lima Fto Jamile Coelho

 

Nesta segunda (26), o Teatro Jorge Amado recebe o “Negritude Folia: PAPSagrado no TJA”, evento que marca a conclusão de duas turmas do Curso de Arte e Cultura do programa de aprendizagem realizado pelo Instituto Sagrado Coração de Jesus. O programa é vinculado ao Ministério do Trabalho Emprego e Renda e tem como finalidade formar jovens negros profissionais na condição de Assistentes Culturais.

O evento, organizado pelos Educadores Janaína Costa (Produção Cultural) e Thiago Romero (Diretor de Teatro), conta com alunos do curso Arte e Cultura como assistentes de produção. Na programação – que envolverá alunos e educadores do Instituto – terá Meditação, Dança, Moda, Capoeira, Teatro, Música, além da presença dos artistas Sulivã Bispo (Frases de Mainha) e das cantoras Savannah Lima e Michaela Harrison (EUA).

michaela harrison
Michaela Harrison

Em parceria com o Teatro Jorge Amado, o   Instituto Sagrado Coração de Jesus estimula a doação de 1Kg de alimento, que serão entregues à unidade do Instituto localizada na Ilha de Itaparica.

 

SERVIÇO:

O que: Negritude Folia: PAPSagrado no TJA

Quando: Dia 26/3 (segunda), 14h

Onde: Teatro Jorge Amado (Pituba)

Quanto: aberto ao público. Doação voluntária de 1kg de alimento.