Festival Nêgo Nagô comemora o Novembro Azeviche na Liberdade


ulissescastroonireproducoesfestivalnagoA Onirê Produções, produtora formada por alunos do 4º Semestre do Curso de Gestão em Eventos da UNIFACS, realiza o FESTIVAL NEGO NAGÔ no dia 4 de novembro. O Festival será a partir das 17h no Centro Social Urbano da Liberdade (CSU) e será uma celebração ao “Novembro Azeviche” – mês da Consciência Negra.

Terá Roda da Capoeira, Cortejo, Dança Afro, Samba de Roda – Samba São Gonçalo,Ilê Aiyê – Band’Aiyê, Ulisses Castro, Espaço da Beleza Afro e Culinária do Tabuleiro da Baiana. Ingressos serão de R$20.

O Festival contará com a inclusão dos projetos sociais de Capoeira e Dança Afro desenvolvidos no CSU – Liberdade, a exemplo da Campanha “CSU LINDO DE SE VER”, com mutirão de pintura e limpeza do espaço com participação da comunidade. Serão recebidas, ainda, doação de alimentos não perecíveis e produtos de beleza para o grupo de Terceira Idade.

A Onirê Produções é uma produtora de eventos culturais da cidade de Salvador, focada em preservar, valorizar e expandir a cultura afro-brasileira.

Estudantes debateram questões raciais no Parque Costa Azul


novembronegro“Poder ao povo negro”, este é o nome do evento que reuniu cerca de 70 jovens para debater a temática Juventude e Empoderamento Negro. A roda de conversa foi produzida e organizada por jovens da área de Educação e Cidadania – Grêmio Estudantil do Colégio Estadual Thales de Azevedo. O evento ocorreu no Parque Costa Azul, neste sábado (29).

A Lei 10.639 obriga a instituição do debate sobre cultura afrobrasileira nas instituições educacionais, no entanto, ela ainda não é posta em prática pela maioria. A diretora de Educação e Cidadania do Grêmio Estudantil, Laís Santos, após saber de um caso de racismo que aconteceu no colégio em que estuda, decidiu unir forças com seus colegas e fomentar por conta própria o debate. Teve perguntas e colocações, pois como disse Laís “precisamos e queremos falar sobre isso”.

A abertura do evento se deu com as poesias do Grupo Recital Ágape, já conhecidos por levarem sua poesia marginal aos mais variados espaços. Com um repertório de versos que, em sua maioria, denunciam o racismo, o machismo e outras formas de opressão, a poesia de Gleise Souza, por exemplo, definiu bem o quão difícil é chegar num espaço, ouvir os versos e “sair do mesmo jeito que entrou”.

novembronegroNo sarau, diversos estudantes recitaram seus poemas ressaltando questões raciais, o que faz aumentar a percepção para uma nova forma de combate, no qual as armas, dessa vez, são as palavras.

Raissa Calmon do Coletivo Nacional de Juventude Negra (Enegrecer) e Lissandra Pedreira, uma das produtoras do Sarau da Onça, foram as convidadas para compor o debate. Raissa iniciou explicando o motivo pelo qual o treze de maio não libertou ninguém. “Não nos foi concedido o mínimo, que era educação, trabalho e saúde, permanecemos escravos” disse. Lissandra Pedreira trouxe questões a cerca do empoderamento, atentando ao fato de que “só dá pra gente se empoderar coletivamente”.

Outros temas abordados foram intolerância religiosa, colorismo, violência policial e mulheres negras. As redes sociais também foram debatidas, e vistas como fonte de aprendizado. “Descobri que era mulher negra através das redes sociais” acrescentou Raissa.

A estética negra foi uma das questões mais presentes entre o público, visando entender a necessidade de se libertar dos padrões impostos e percebê-la como política e forma de protesto.

Débora Santos, empreendedora negra, contribuiu dizendo que “nunca existiu e nunca vai existir a ditadura do cabelo crespo”. Segundo ela, é importante sim ter um pensamento politizado, no entanto, isso não é pré-requisito para ter o cabelo black, visto que, a estética negra, por si só já é política e ninguém questiona o branco por ser o que ele é, e preservar seu cabelo liso natural.

grupoagapepoesia
Joyce Melo

“Poder ao povo negro”, sim, certamente todos os negros que ali estavam saíram mais reflexivos e mais empoderados.Enquanto todos aqueles, lidos socialmente como brancos, saíram também mais conscientes dos seus privilégios e, certamente, mais impulsionados a abdicar deles.

Texto de Joyce Melo, poetisa, integrante do Grupo Ágape, estudante de Jornalismo na Faculdade Unijorge.

Quer escrever pra nós?

Disponibilize-se, traga-nos sua pauta, faça como Joyce:

[email protected]

Sábados de novembro serão de encontros na Casa 14


Som de Crioulas
Som de Crioulas

Está chegando perto! O mês de novembro está chegando com muito evento, projeto, ações que já estão bombando nas redes sociais e muitas já no calendário da galera. Uma delas, que tem apoio do Portal SoteroPreta é o evento “O Poder da Minha Cor”, que vai rolar todos os sábados de novembro, na Casa 14, Pelourinho.

Serão encontros multi-artísticos, multi-linguísticos, com debates, exposições, gastronomia, intervenções poéticas, rappers, shows, e feira afroempreendedora.  Algumas das confirmações nessa grade preta: Dj Elton Santos , a Banda Lama, o Grupo Militância Poética, o fotógrafo Edgar Azevedo, dentre outras atrações que vão ocupar a Casa 14 ao longo do mês.

Elton Santos
Elton Santos

Além da parceria com uma rede de afroempreendedores, o evento também vai proporcionar outros presentes para o público: no primeiro sábado (5), quem estiver por lá e levar o panfleto para a festa Afro Rave – que acontece no mesmo dia no casarão do Lord (Pelourinho também!) – carimbado com “Passaporte de Meia Festa Afro Rave”, garantirá desconto de R$10 no valor do ingresso. A Afro Rave é uma realização do DJ Elton Santos, será uma noite de ritmos africanos (saiba mais desta festa).

O que elas querem (sim, duas mulheres negras à frente deste evento: a designer Maíra Vilas Boas e a produtora cultural Cris Rodrigues): abordar o papel do negro no cenário atual, especialmente entre os jovens, na busca por seu espaço em voz e imagem, sobretudo a mulher negra. Vai ser um encontro de várias artes, debates e reflexões sobre representatividade e empoderamento.

nadjaO evento “O Poder da Minha Cor”  conta com apoio da Sole Produções, do Portal SoteroPreta, do grupo Desabafo Social e da Marcha do Empoderamento Crespo. Deste último, no dia 5, junto à editora Chefe do Portal SoteroPreta, Jamile Menezes, estará a atriz, artesã, empreendedora, especialista em Instituições de Ensino Superior Nadja Santos. Também irá compor a o debate a superintendente de Políticas para as Mulheres do município, Monica Kalile, que conversará sobre  violência contra mulher, direitos humanos e empoderamento feminino. Tudo a partir das 17h, aberto ao público.

 

PROGRAMAÇÃO:

DIA 5

17h tem diálogo empoderocriativo com Jamile Menezes (Portal SoteroPreta), Nadja Santos (Marcha do Empoderamento Crespo) e Monica Kalile (SPM Salvador).

19h acontecerá o show de abertura da Banda Lama, e logo depois, às 20h, a pista será de Djs.

A noite termina com a Banda Som de Crioulas, só de mulheres. Haverá cobrança de valor popular, apenas para os shows, de R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia).

TODOS OS SÁBADOS

Exposições fotográficas de diversos artistas como Helemozão, Juh Almeida, Edgar Azevedo e Maiara Cerqueira.

Ensaios das Bandas Lama e Som de Crioulas (e convidados), além de Djs.

E vai ter ainda Grupos Militância Poética e Ágape, Programa Jovem Negro Vivo, as mulheres do La Frida e muito mais. O Portal SoteroPreta vai divulgar toda programação!

Pérolas Mistas retorna com Ellen Oléria, Larissa Luz, Lazzo e Brown em novembro


ellenO  Concerto Pérolas Mistas retorna aos palcos de Salvador, desta vez na Concha Acústica nos dias 5 e 6 de novembro, trazendo as cantoras Ellen Oléria, Larissa Luz, além de lazzo Matumbi e Carlinhos Brown. A partir das 19h, o espetáculo  – definindo como “Um caleidoscópio musical” – propõe uma viagem pela música afro-baiana e terá ingressos a R$15 (meia) e R$ 30 (inteira).

Nomes como Mirian Makeba e Tony Osanah serão referências do Concerto, que será regido pelo Maestro Angelo Rafael e a Orquestra de Câmara de Salvador, além de um trio de alabês. O projeto trará a mús noica de matriz africana representada pelos blocos Afros e Afoxés, além de elementos cenográficos, iluminação e figurinos apropriados à estética que traduz as origens da narrativa musical.

Blocos confirmados:

Bankoma

Didá

Filhos de Gandhy

Malê DeBalê

Ingressos já estão à venda online em http://bit.ly/perolasmistas2016 , nos balcões SAC Bela Vista e Shopping Barra e bilheteria do Teatro Castro Alves e Concha Acústica do Teatro Castro Alves.

larissaluzSERVIÇO
Serviço – Pérolas Mistas 2016
Data: 5 e 6 de novembro
Horário: 19h
Local: Concha Acústica do Teatro Castro Alves
Ingressos: R$15 (meia) e R$ 30 (inteira)

Evento celebrará Dia Mundial do Hip Hop no Espaço Cultural da Barroquinha


Rima Mina
Rima Mina

Um movimento multilinguístico surgido no Bronx (EUA), periferia nova-iorquina, na década de 70, o Hip Hop é uma cultura influenciada por uma diversidade de estilos musicais, a maioria de origem negra, como o funk, o rock, o blues e o reggae. Em Salvador, esta cultura é viva, forte e também com a mesma diversidade de linguagens.

diamundialdohiphopsalvador-2

Para celebrar o Dia Mundial do Hip Hop – 12 de novembro –, será realizado no Espaço Cultural da Barroquinha o Salvador HipHop – um grande encontro desta cultura nos dias 11 e 12/11, com programação aberta ao público. Além de shows musicais, vai ter debates, oficinas, feira afro-empreendedora e apresentações das linguagens artísticas do Hip Hop: rodas Break Dance, Grafite, DJ’s e muito mais. Tem Mr. Armeng, Dj Daganja, Rima Mina, vários expositores, oficinas, debates e muita música! O Salvador HipHop é uma realização da Prefeitura de Salvador através da Empresa Salvador Turismo (Saltur).

diamundialdohiphopsalvador-3
Mr. Armeng

 

“O Hip Hop pinta, dança e canta a cidade do Salvador. Com isso,celebrar o Dia Mundial dessa cultura universal é fortalecer esse movimento e mostrar a sua grandiosidade para quem não conhece” – Mr. Armeng

Confere abaixo toda a aprogramação:

Dia 11/11

16h Abertura da Feira Hip Hop

17h Mesa de Abertura

18h30 Troca de Ideia “Hip Hop em Salvador e empreendedorismo no Hip Hop”

19h30 Coquetel e Discotecagem com Dj Tau Brasil

 

Dia 12/11

15h Abertura da Feira / Oficina de Marketing Digital

16h DJ Indio + Roda de Break Dance

17h SHOW A Rua Se Conhece & Convidados

18h SHOW Rima Mina & Convidados

19h SHOW Mr.Armeng & Convidados

20h SHOW Daganja & Convidados

21h Sessão de Freestyle (Encerramento)

 

Apresentação: Dj Branco

Expositores: Afreeka , AfroBox, Jack Hip Hop Style, Freedom Soul, Rede Pan AfroH2

Fotos: Divulgação

ONG baiana “TamoJuntas” lança primeiro Curso EAD sobre aspectos da violência de gênero


tamosjuntasTrês advogadas, há três meses, resolveram atuar juntas para prestar assistência gratuita a mulheres vítimas de violência em Salvador. A atuação se multiplicou e hoje já reúne um histórico de serviços prestados em mutirões sociais na cidade, envolvendo profissionais de diversas áreas. Este é o trabalho da ONG TamoJuntas, que agora nacionaliza sua atuação realizando, a partir do dia 14 de novembro, o primeiro Curso EAD Multidisciplinar voltado para advogadas, assistentes sociais, psicólogas e pedagogas que atuam no atendimento a estas mulheres, bem como estudantes destas áreas. O Curso “Violência de Gênero: aspectos jurídicos, sociais e psicológicos” tem inscrições abertas de 26 de outubro a 10 de novembro, é gratuito e tem carga horária de 45h, com certificação.

“Conhecer as normas nacionais e internacionais que protegem as mulheres de modo a saber como cobrar dos órgãos responsáveis seus deveres no combate à violência de gênero praticada contra as mulheres”, explica a presidenta da TamosJuntas, a advogada, Laina Crisóstomo. Com apoio financeiro da Fundação Heinrich Boll, o Curso inaugura a atuação nacional da ONG, além de sua Plataforma EAD, criada pelo Desabafo Social, que pretende se tornar espaço de formação nesta área. A capacitação unirá, não apenas estudos sobre a Lei Maria da Penha, como feminismos, gênero, violência, legislações nacional e internacional e atuação multidiscplinar na violência, com normas técnicas de cada área de atuação.

Laina Crisóstomo
Laina Crisóstomo

“A ideia é que seja ampliado enquanto curso de especialização, com certificação acadêmica, estamos em busca de apoio para que isso aconteça e seja uma forma de multiplicar a capacitação de profissionais para atuarem em defesa destas mulheres”, diz Laina. Ela complementa que também serão tratados assuntos como conjuntura política, influência da religião nos direitos das mulheres, descriminalização do aborto, prostituição e questões que envolvam mulheres trans.

Inscrições

Das 500 inscrições que serão disponibilizadas no Curso EAD, a prioridade será dada a profissionais e estudantes negras, de diferentes cidades, e aquelas que já tenham realizado o curso do Senado “Dialogando sobre a Lei Maria da Penha”, que aconteceu em agosto. Para se inscrever basta preencher o Formulário Online TamoJuntas, a seleção será divulgada em 12 de novembro, quando a Plataforma EAD será lançada.

SERVIÇO

Curso EAD “Violência de Gênero: aspectos jurídicos, sociais e psicológicos”

Quem: ONG  TamosJuntas

Inscrições: De 26 de outubro a 10 de novembro, online (Formulário Online TamoJuntas), 500 vagas

Quando: A partir de 14 de novembro, 45h

Gratuito, com certificado.

Saiba mais sobre o TamosJuntas: http://www.tamojuntas.org.br/

MV Bill chega a Salvador na próxima sexta (4)


MVBILLSALVADORSalvador recebe, no próximo dia 4 de novembro, o rapper MV Bill, com seu show “Dia da Favela: o show”. E é pra celebrar este dia mesmo que ele convida ao palco os soteropretos Alan Da Ganja (MC DaGanja) e Dj Branco, além da rapper Janaína Noblat (NOBLAH). Será na Praça Pedro Arcanjo, Pelourinho, 20h. Ingressos já à venda.

Escritor, ator, cineasta, ativista social e fundador da Central Única das Favelas (CUFA), o rapper tem 29 anos de carreira, já lançou oito álbuns e hoje, em todo Brasil, Bill é reconhecido no cenário hip-hop como um ícone do empoderamento sociocultural das favelas e periferias. Sua história e a do hip-hop se encontram e se misturam.

Mvbilldjbrancofavelasoteropreta


Para Dj Branco, ativista da cena rap, integrante do CMA HIPHOP – Comunicação, Militância e Atitude, produtor e apresentador do programa Evolução Hip Hop (Rádio Educadora), Bill é uma das maiores referências. “No momento em que todo mundo criticou e disse que o Rap não poderia ir à Rede Globo, ele foi e mostrou o potencial da Favela, sem mudar o discurso e nem o comportamento. Ali ele deu um recado pro Brasil, mostrou que é possível e importante estar em todos os espaços sem perder sua identidade”, enfatiza o idealizador do primeiro programa de rádio dedicado à cultura hip-hop na Bahia.

Além dele, o público sentirá a verve musical de MC DaGanja, articulador do rap baiano que já dividiu palco com grandes nomes como KL Jay, Blitz The Ambassator, Flora Matos, Lazzo Matumbi, DBS e a quadrilha, Xis & Dj Rm entre outros. Terá também a força feminina nas rimas, com NOBLAH, grupo formado por Janaína Noblat, campeã nacional da Liga Feminina de MC’s 2016, e a Dj Belle.

MV Bill ficou conhecido mundialmente com o documentário “Falcão – Meninos do Tráfico”, que EM 2016 completa 10 anos. O doc retrata a vida de jovens de favelas brasileiras envolvidos no tráfico de drogas.

 

Serviço: Praça Pedro Arcanjo – Pelourinho 04/11/2016 | 20h Ingressos:

2° Lote: R$ 30 (inteira) e R$15 (meia)

3° Lote: R$40 (inteira) e R$20 (meia)

À venda no www.sympla.com.br

Pontos de venda (Apenas inteira): Afreeka (Barris) e no Espaço 116° (Rio Vermelho)

O Poder da Minha Cor continua este sábado (12) com Portella Açúcar


 

 

portellaacucar
Banco de Imagens

O “O Poder da Minha Cor” – encontro multilinguístico que iniciou no último sábado (5) – receberá neste (12), o cantor Portella Açucar, convidado da Banda Som de Crioulas, que irá homenagear a Cultura Afro-brasileira. O evento contará ainda com os sons da Banda Lama, o  Dj Elton Santos (Festa Afro Rave) e o grupo Militância Poética monstrando toda sua sonoridade do rap e influência do reggae, ragga, dub e samba.

Quem for também vai conferir a exposição fotográfica da fotopoetisa Helemozão, além de palestra com Grassyela Nobre (Campanha Jovem Negro Vivo Salvador) e as exposições dos artistas Thaís Medeiros, Emanuel Maciel e Rebeca Moreira.

Eles retratam – através de seus desenhos – o empoderamento negro. Terá ainda gastronomia, moda, feira afroempreendedora.

Os ingressos serão cobrados apenas para os shows, que começam a partir das 19h. Valores: R$ 20/10, e podem ser adquiridos no local, a partir das 17h.

PROGRAMAÇÃO:

DIA 12/11:

17h – Conversas Empoderocriativas com Grassyela Nobre (Campanha Jovem Negro Vivo), e poesias em rimas com o grupo Militância Poética.

19h – Show da Banda Lama

20h – Dj Elton Santos e a Festa Afro Rave

20h40 – Show da Banda Som Crioulas e Convidados

Saiba mais sobre o evento aqui. 

Encontros & Africanidades traz Tássia Reis, Mc Soffia e Dream Team do Passinho


dreamAproveitando o mês da Consciência Negra, nos 01 e 02 de novembro, o Desabafo Social com direção artística de Monique Evelle e a relações públicas, Ítala Herta, realizará em Salvador o projeto Encontros & Africanidades, evento que reunirá artistas nacionais e locais para show, debates e feira empreendedora.

Com apoio da Secretaria de Políticas para as Mulheres do Estado da Bahia (SPM-BA), do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), da Universidade Salvador (UNIFACS), TV Aratu, Hotel São Salvador, U-Report Brasil e outros parceiros, a iniciativa busca celebrar o protagonismo da juventude negra, sobretudo, mulheres negras.

O primeiro dia de evento acontece na Praça Tereza Batista, Pelourinho, a partir das 19h com o show da rapper MC Soffia (SP), o funk carioca do Dream Team do Passinho (RJ) e abertura das djs Ovelhas Negras (BA) com o 1º lote no valor de R$ 40 (inteira) R$ 20 (meia). O segundo dia será no Candyall Guetho Square com debates, feira e mais show. Marcarão presença: Tássia Reis (SP), Juliana Ribeiro (BA) e Mel Duarte (SP). Visando o fortalecimento da iniciativa do Desabafo Social em seu trabalho com educação em direitos humanos, o valor arrecado com a venda de ingressos será revertido para o desenvolvimento dos projetos da organização durante o primeiro semestre de 2017.

Foto: lacry Amanda Divagreen
Foto: lacry Amanda Divagreen

PROGRAMAÇÃO:

DIA 01/11: Show com Ovelhas Negras, Dream Team do Passinho e MC Soffia às 19h na Praça Tereza Batista

Dia 02/11: Feira, #NaRoda com Lellezinha, MC Soffia, Tássia Reis, Mel Duarte e Juliana Ribeiro, Sarau Poético e Dj Cris Fernandes e Luma Nascimento das 10h às 19h, Candyall Guetho Square.

Ingressos:
1º Lote Promocional – Inteira R$ 40 e Meia Entrada R$ 20
2º Lote – Inteira R$ 60 e Meia Entrada R$ 30
Censura: 14 anos acompanhado [email protected] responsável

PASSAPORTE PROMOCIONAL (Dia 01 e 02/11)
1º Lote – Inteira R$ 50 e Meia Entrada R$ 25
2º Lote – Inteira R$ 70 e Meia Entrada R$ 35
Censura: Livre
Vendas: http://bit.ly/VendasAfricanidades

Fonte: Desabafo Social

Lane Silva fotografa amores possíveis em ensaio contra preconceitos


lane
Hisan e Pedro

“Antes de tudo, amor”. Esse é o nome do projeto da fotógrafa e poetisa Lane Silva, que reuniu casais amigos, mais próximos dela, pelos quais nutre admiração. A poesia que Lane expressa no Grupo Ágape pode ser sentida, literalmente, nas 10 imagens disponibilizadas em sua Rede Social, nas quais se podem ver heteros, gays, lésbicas, idosos, jovens…todos expressando um elemento que os une: o amor. “Em minha militância, sempre questiono nossos direitos e o mais forte deles, pra mim, é o amor. Vi isso no ensaio, que todos têm o amor em comum, que transborda e é lindo”, reflete Lane.

A fotografia é uma das paixões desta jovem fotógrafa, além de seu amor, Ricardo, que também entra no projeto. São 10 imagens que trazem o explícito ato de amar, traz carícias, trocas, olhares, beijos, em especial entre casais negros. “Como sou de periferia, todos meus amigos também moram lá, são negros, são eles que mais sofrem – não só com a homofobia, mas com o racismo”, diz Lane.

Um destes casais escolhidos é Hisan Silva e Pedro Batalha que, em se tratando de expor seu relacionamento, o enfrentamento e a militância estão à frente. “Eu nunca pensei que conseguiria desenvolver um relacionamento e muito menos tê-lo exposto como obra de arte. Após diversas fases de repreensão, repressão e luta, eu encontrei o amor, entre os passos com pulinhos que ele dá, no toque, no afeto, no carinho e cuidado. E o amor foi algo tão ardente e lindo que mantê-lo escondido seria uma violência pior que manter-se na defensiva contra a sociedade e na luta pela felicidade”, desabafa Hisan. Confira o artigo de Hisan Silva sobre esse amor fotografado. 

Rafaela e Polly
Rafaela e Polly

Outro casal é Rafaela e Polly, duas jovens negras que representam uma das mais belas fotos nesta série. “A fotografia de Lane é algo que vem da alma, é como se ela fotografasse de todo coração, lembro que falei isso pra ela, assim que vi as fotos. Fiquei muito feliz como lésbica e como mulher em participar desse ensaio, que trouxe visibilidade total à diversidade. Daniela Mercury já disse: Qualquer maneira de amor vale a pena, qualquer maneira de amor vale amar”, acredito que foi isso que Lane retratou, uma quebra de paradigmas”, afirma Rafaela.

Uma das razões que motivaram Lane neste projeto foi a tristeza de ver seus amigos serem silenciados e discriminados ao expressarem seus amores. “Se tem sentimentos essenciais em nossas vidas, o maior deles é o amor, mas por que ainda tem gente sofrendo preconceito pelo simples fato de amar? Porque colocam regras e padrões para viver um sentimento tão puro? Adoro fotografar, me sinto realizada com o projeto. Ele me fez perceber o quanto é grandioso o amor, ele mora em um sorriso, em um olhar acolhedor com o seu parceiro(a), em um beijo…”, desabafa Lane.

As fotos podem ser conferidas em sua Fanpage! Quem sabe um book com seu amor enfrentador? #Ficadica