Sussuarana prepara sua XVI Caminhada da Consciência Negra!


caminhada_consciencia_negra_sussuarana
O bairro de Sussuarana chega com força mais uma vez! No dia 26 de novembro, vai rolar a XVI Caminhada da Consciência Negra em Sussuarana – parte das atividades que a Comissão Organizadora e Rede Ègbè realizam no bairro. A concentração será em frente à Mansão do Caminho, de onde partirão atravessando a Sussuarana Velha e o Novo Horizonte. O destino: fim de linha de Sussuarana Nova. Chegando lá tem apresentações e abraço coletivo.
O cortejo é formado por grupos de jovens, estudantes, poetas, capoeiristas, religiosos, músicos, dançarinos e todos e todas que defendem a vida, a paz, a afirmação e o respeito às diferenças, principalmente em defesa da vida de jovens negros, vítimas constantes de todo tipo de preconceito.
caminhada_consciencia_negra_sussuarana2
Evelly Vitoria
“A juventude sofre com problemas sociais, sente a precariedade de atividades governamentais no bairro por falta de visibilidade e oportunidade”, aponta Ronald Castro, dançarino do grupo Orô Dance e graduando em Dança na Escola de Dança da UFBA, um dos organizadores.
SERVIÇO
O quê: XVI Caminhada da Consciência Negra em Sussuarana
Quando: 26/11, das 8h30 às 11h30h
Onde: Concentração em frente à Mansão do Caminho, Avenida Ulisses Guimarães, 5000, Sussuarana
Informações: (71) 99219-1777 (Danúbia Santos) ou (71) 98124-6554 (Ronald Castro)
Com informações do site Galinha Pulando

Tacun Lecy ministra a palestra “Fotoetnografia: A Fotografia e o Sagrado Afro-Brasileiro”,!


tacun lecy
Foto: João Alvarez

Na próxima segunda-feira (20 de novembro – Dia da Consciência Negra), às 17h, o fotodocumentarista Tacun Lecy ministra a palestra “Fotoetnografia: A Fotografia e o Sagrado Afro-Brasileiro”, na IX Jornada das Relações Étnicas e Raciais (JRER), do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia (IFBA). Na ocasião, Tacun Lecy também apresentará o projeto fotográfico “Ìyèfun: Farinha dos Humanos, Alimentos dos Deuses”.

“Feliz de participar de um evento com uma dimensão tão grande! Discutir questões étnicas e raciais dentro de uma instituição educacional como o IFBA tem importância fundamental na formação e na reconstrução das relações entre esses estudantes e o mundo”, falou Tacun Lecy.

O evento, com entrada gratuita, tem como tema “Descolonizando os Estudos das Relações Étnicas e Raciais: cultura, educação e gênero” e, neste ano de 2017, homenageia o antropólogo Kabengele Munanga – professor e pesquisador na área da antropologia das populações afro-brasileiras.

Aberta ao público, a JRER 2017 oferece aos participantes uma programação diversa, composta por mesas-redondas, oficinas, rodas de conversa, sessões de filmes e atividades artísticas.

 

SERVIÇO

O que: Palestra “Fotoetnografia: A Fotografia e o Sagrado Afro-Brasileiro”

Quando: 20 de novembro (segunda-feira), às 17h

Onde: Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia – IFBA

Endereço: Rua Emídio dos Santos, s/n, Barbalho, Bloco D, Auditório 1

Quanto: Gratuito

Documentário angolano “As Cores da Serpente” estreia em Salvador!


as_cores_da_serpente

No dia 29 de novembro (quarta-feira), às 19hs, no Cinema do Museu (Corredor da Vitória), terá sessão de pré-estreia do documentário “As Cores da Serpente”, filme que acompanha a trajetória de grafiteiros de Angola em busca da própria ancestralidade. No roteiro, eles realizaram na Serra da Leba, no sul do país, a maior intervenção artística do continente africano, cobrindo com grafite cerca de seis mil metros quadrados de murais.

A pré-estreia contará com a presença do artista plástico angolano Thó Simões – criador do coletivo com grafiteiros da periferia de Luanda e das províncias da Huíla e do Namibe. O longa “As Cores da Serpente” foi realizado pelo jornalista e cineasta baiano Juca Badaró e pela produtora de cinema Renata Matos, que moraram e trabalharam por dois anos no país.

“Nossa maior preocupação foi fazer um registro afetivo do processo de criação destes grafiteiros que sempre estiveram em busca da sua própria ancestralidade, tantas vezes marginalizada e condenada pelo colonizador. Nas obras eles retratam esse sentimento”, afirma Juca Badaró, que assina o roteiro e a direção do filme.

as_cores_da_serpente

O trabalho de intervenção nos murais da Leba é um projeto idealizado pelo artista Thó Simões e pelo jornalista angolano Vladimir Prata, que criaram o coletivo com grafiteiros.

“Esse trabalho que realizamos nos murais é importante porque faz um diálogo com a arte, a história, as tradições ancestrais e o meio ambiente”, afirma Thó Simões.

Pré-Estreia!

O evento, que acontece em parceria com a Defensoria Pública do Estado da Bahia e a Estandarte Produções, vai contar com a presença de lideranças do movimento negro e do candomblé, entre elas a educadora e líder religiosa, Makota Valdina, e a socióloga e ouvidora-geral da Defensoria Pública da Bahia, Vilma Reis.

Após a exibição, haverá uma roda de conversa sobre intolerância religiosa e ancestralidade entre as convidadas e o público. O documentário “As Cores da Serpente” foi realizado pela produtora Cinepoètyka Filmes e o Coletivo Murais da Leba com distribuição da Salvador Filmes e apoio da Estandarte Produções.

Só chegar – sujeito à lotação do espaço!

Dia 29 (quarta-feira), às 19hs, no Cinema do Museu (Corredor da Vitória)

Fotos: Divulgação

#NegrasRepresentam – Renata Dias, preparada para repensar a Cultura!


renata_dias_nova_diretora_fundação_cultural_bahia

Renata Dias é uma destas mulheres que nasceu para levantar voo e garantir a vida para as gerações futuras. Relações Públicas de profissão, já foi gestora social em diversos programas de responsabilidade social, como na Petrobras, Refinaria Landulfo Alves, Braskem, VIABAHIA, dentre outras.

Atualmente, à frente da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb), cujo propósito é fomentar e promover a diversidade cultural baiana em suas várias linguagens, Renata vem contribuindo para diminuir o racismo institucional que ainda existe em vários setores públicos, em especial quando se fala de cultura. A Funceb é uma instituição vinculada à Secretaria Estadual da Cultura. Vamos conhecer Renata Dias:

Portal Soteropreta – Qual a história, momento, que mais marcou sua trajetória até hoje?

Renata Dias – Percorri caminhos profissionais que me marcaram muito, e por motivos diversos. Guardo com muito carinho os encontros que fiz realizando eventos na região semiárida do Nordeste do país. Eu tinha 25 anos, recém-formada, e de Nordeste só conhecia, para além do estado da Bahia, Recife e Aracaju – pontualmente. Então, ao percorrer o interior de estados como o Ceará e o Rio Grande do Norte, guardei encontros e histórias tão importantes como as entregas técnicas, profissionais. Eram eventos de culminância de projetos desenvolvidos pelo Programa Petrobras Fome Zero, entregas estruturantes para comunidades localizadas em áreas de influência da empresa, como formaturas de alfabetização para jovens e adultos, ou projetos de descentralização da estrutura de abastecimento de água de comunidades rurais por meio da construção de cisternas. Então, por oito anos, pude desenvolver eventos que guardavam grande relação com o que eu de fato defendo. Que, para além das considerações macropolíticas, as atuações corporativas devem estar calcadas em um compromisso com o desenvolvimento do território, das comunidades, de quem está ao lado.

#NegrasRepresentam – Major Denice Santiago, a segurança das mulheres, sua escolha de vida!

Portal Soteropreta – Como é estar à frente da Fundação Cultural do Estado da Bahia?

Renata Dias – Desafiador. Primeiro, pela importância da cultura e do fazer artístico neste momento político do Brasil e do mundo. Segundo, pelo potencial do alcance das ações que competem à Funceb, que tem a missão de implementar, em articulação com a sociedade, as políticas públicas para as artes, que estão definidas na política cultural em sete linguagens artísticas: artes visuais, audiovisual, circo, dança, literatura, música e teatro. Meu diagnóstico é que, ampliar a atuação nos territórios e valorizar os mecanismos de participação da sociedade civil ainda são questões a serem aprimoradas.

renata_dias

Portal Soteropreta –  Como é ser mulher e negra em uma vaga historicamente branca como esta na Funceb?

Renata Dias – Essa pergunta me remete a uma frase atribuída a Luiza Bairros: “venham preparadas, ou não venham de jeito nenhum”. Minha consciência racial se alimenta de fontes muito sólidas. Determinadas reações eram absolutamente previsíveis. Posso lhe afirmar que não foi a primeira vez que vivi isso, e o exercício é o mesmo que faço todos os dias, porque frequentemente estou em lugares onde as pessoas estranham a minha presença: seguir em frente sendo uma mulher negra, tocar o barco sendo uma mulher negra, fazer o que deve ser feito até o dia em que a sociedade se acostume com nossas presenças.

#NegrasRepresentam – Campanha homenageia mulheres no Novembro Negro

Portal Soteropreta – Na sua visão, quais são as principais metas e desafios para os empreendimentos culturais negros em 2018?
Renata Dias – Acredito que os empreendimentos culturais negros precisarão ampliar sua capacidade de atuar em redes colaborativas cada vez mais globais. Neste sentido, as conexões entre comunidades da diáspora africana são, ao meu ver, um grande vetor para o desenvolvimento das narrativas sociais comprometidas com o futuro da humanidade.

Fotos: Ludmilla Cunha

Aceleradora Vale do Dendê investe R$ 200 mil no fortalecimento de startups em Salvador!


Vale_do_Dende
Foto: Mário Clafa

Salvador sediará no próximo dia 23 de novembroentre as 13h e às 18h30, no Palácio Rio Branco – Praça Municipal / Centro Histórico, o Seminário para Lançamento do Edital da Aceleradora Vale do Dendê, fruto da união entre o publicitário Paulo Rogério Nunes, o Prof. Dr. Hélio Santos, a relações públicas Ítala Herta e o jornalista Rosenildo Ferreira.

Aceleradora surge com a missão de impulsionar startups nas áreas de design de moda, gastronomia artes (música, literatura e audiovisual) e tecnologia, por meio de investimentos – diretos e indiretos – de até R$ 200 mil reais, oriundos de parcerias e financiamentos do setor privado.

“Salvador, por questões estruturais, ainda não faz parte do cenário internacional quando o assunto é economia criativa. Inspirado em iniciativas que usam esta economia como vetor de desenvolvimento – a exemplo de Cartagena, Medellin e Nova Orleans – acreditamos que o desenvolvimento das cidades (e aqui nos referimos especialmente a Salvador), acontecerá quando esses ativos culturais de viés econômico forem valorizados de verdade”, afirma Paulo

O evento contará ainda com a palestra “Fazendo o melhor, da melhor maneira em Salvador”, proferida pelo Prof. Dr. Hélio Santos (chefe das mentorias e responsável pela articulação com o poder público e a academia na Vale do Dendê), além de visita técnica à sede do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (IPAC-BA) e apresentação do grupo Duo B.A.V.I.

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas no local. Para conhecer mais sobre a Vale do Dendê e a Aceleradora acesse www.valedodende.org.

AGENDA

O que: Lançamento do Edital da Aceleradora Vale do Dendê

Quando: 23/11 (quinta-feira)

Local: Palácio Rio Branco (Praça Municipal/Tomé de Souza – Centro Histórico – Salvador)

Horário: das 13h às 18h30

PROGRAMAÇÃO

10h –  Saída para o Centro Histórico e visita à sede do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (IPAC-BA), com patrocinadores e parceiros

12h – Almoço livre (Pelourinho)

13h – Credenciamento

13h20 – “Fazendo o melhor, da melhor maneira em Salvador” – Prof. Dr. Hélio Santos

13h50 – Lançamento do Edital de Aceleração de Negócios (Método de trabalho, inspirações, parcerias e contrapartidas sociais) – Ítala Herta, Paulo Rogério Nunes e Rosenildo Ferreira

15h30 – Por que Salvador?

(Apresentação dos patrocinadores, parceiros estratégicos e conselheiros)

16h30 – Coquetel e networking

17h –  Apresentação do grupo Duo B.A.V.I.

18h30 – Encerramento

Coletivo De Transs Pra Frente pauta as “Re-existências trans negras numa perspectiva decolonial”!


DE_TRANSS_PRA_FRENTE (1)
Aline Lobo

A 16ª edição do De Transs Pra Frente, que acontece no próximo dia 22 de novembro, no histórico Espaço Cultural da Barroquinha, destaca as “Re-existências trans negras numa perspectiva decolonial”. O intuito é fortalecer as redes ativistas e solidárias e na ocupação de novos espaços por pessoas trans de cor.

O evento começa às 18h, com um pocket show da cantora e compositora Aline Lobo; exposição e venda de obras da artista aquarelista Annie Ganzala; venda das camisas de Kawe Nazangi, da K’Nazangi Estamparia Afro; e encerramento com a dupla musical Théo e Yuna.

Nesta edição, a mesa será atravessada por vivências de ancestralidades afro-brasileiras, de pessoas trans e travestis na universidade e no ativismo, em uma reflexão sobre a potência dos corpos trans negros e vivos nesses espaços.

O debate será mediado pelo ativista trans negro e educador Bruno Santana e composto por Leonardo Peçanha, mestre em Ciências da Atividade Física (PGCAF/UNIVERSO) e especialista em Gênero e Sexualidade (IMS/UERJ); e Thiffany Odara, mulher trans

VAMOS TODES?!

O quê: 16ª edição do De Transs Pra Frente — “Re-existências trans negras numa perspectiva decolonial”.

Quando: Dia 22/11, às 18h.

Onde: Espaço Cultural da Barroquinha (Praça Castro Alves, ao lado do Cine Glauber Rocha).

Quanto: Sistema Pague Quanto Puder.

TV Pelourinho oferece vagas para negros em curso gratuito de vídeo!


TV_pelourinho

O projeto TV Pelourinho, voltado para profissionalização de jovens no mercado de vídeo e televisão, abriu inscrições até dia 25 de novembro para curso gratuito de edição de vídeo. O curso destina-se a jovens negros entre 17 e 29 anos que estejam matriculados na rede pública de ensino.

Temas como “Participação do Negro no Audiovisual” e “Diálogos sobre Racismo” estarão na grade curricular do curso, que tem o apoio da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial e celebra os 10 anos de Políticas Públicas de Igualdade Racial na Bahia. Inscrições na sede da TV Pelourinho, na Rua das Laranjeiras,16 (Pelourinho/Centro Histórico).

A TV Pelourinho é um centro de referência em audiovisual para a juventude no Estado da Bahia. Foi criado pela ong Ação Pela Cidadania para promover a inclusão social de jovens do Centro Histórico de Salvador no mercado de trabalho por meio da capacitação técnica em audiovisual. Funciona, assim, como instrumento de fomento à inclusão sociocultural de jovens que residem em uma área afetada por diversos problemas, como exploração sexual, tráfico de drogas e violência generalizada. Ao todo, o projeto já beneficiou mais de mil jovens.

Para se inscrever, os interessados devem declarar-se negro ou negra, levar comprovante de matrícula em escola pública, xerox da carteira de identidade e duas fotografias 3×4. Além disso, é necessário ter renda familiar per capita mensal de até meio salário mínimo e estar inscrito no CAD único (bolsa família).

Informações: Tels. 3561-6265 e 991095930.

 LOCAL DE INSCRIÇÃO

TV PELOURINHO

Rua das Laranjeiras, 16 1º andar – Pelourinho

Tel.: (71) 3561-6265 e 991095930.

Horário: das 09 às 18h, de segunda a sexta-feira

Período de Inscrição: até 25 de novembro de 2017

Desfile do Afro Fashion Day terá direção artística de Nara Couto!


Nara_couto

O Afro Fashion Day (AFD) chega a sua terceira edição em 2017 no próximo sábado, dia 18, e vem maior, com uma programação que começa às 9h e termina depois do esperado desfile, marcado para as 18h. O evento criado pelo jornal CORREIO celebra o mês da Consciência Negra e acontecerá no Porto Salvador Eventos (Comércio). A entrada é apenas 1 kg de alimento não-perecível e está sujeita à lotação do espaço. As doações serão destinadas ao Mesa Brasil Sesc.

O público terá acesso a exposição fotográfica, bate-papos, palestra e shows. Uma praça de alimentação e uma loja colaborativa com 16 marcas de moda, arte e decoração completam a lista de atrativos.

O Afro Fashion Day 2017 terá como tema “Os Quatro Elementos da Natureza. Água, Fogo, Terra e Ar”. Destaque especial para o Desfile, tão esperado e que neste ano conta com a direção artística da produtora cultural, dançarina e cantora, Nara Couto. Um desafio inovador para ela que, recentemente, vem aprimorando uma de suas vertentes – o canto, com a gravação do seu segundo single, “Fósforo”, com direção de Elísio Lopes. Agora ela começa a voar na direção artística também.

Afro Fashion Day – Beleza negra e moda afro-brasileira no Porto de Salvador!

afro_fashion_day

Nara comanda a apresentação do tema com um show fashion que vai unir o VJ Gabiru, o DJ Telefunksoul, o produtor de moda Fagner Bispo e a companhia de dança Lekan Dance, coordenada pelo bailarino Ed Cruz. No currículo, Nara destaca os quatro anos junto a Elísio Lopes, na assistência de suas direções artísticas pela Bahia e Brasil.

“Estes quase quatro anos me deram a possibilidade de, hoje, poder ampliar meu olhar par as diversas áreas, algo que á está internalizado. Uma visão ampla de tudo – a dança, a música, a coreografia, o vídeo, a luz, figurino, esse olhar eu levo e trago do meu trabalho na produção cultural. Neste desfile, teremos a sensibilidade em cena, em tudo. Tudo muito contemporâneo. Além dos elementos, vamos resignificar a estética destas matérias primas como os elementos da natureza, trazendo um conceito artístico afro-futurista”, explica Nara.

 

Serão 100 looks neste desfile, envolvendo 41 marcas baianas, e modelos selecionados em nove agências da cidade.

 

 

Programação Afro Fashion Day 2017

18 de novembro, no Porto Salvador Eventos (Comércio) (acesso: um quilo de alimento não-perecível

Exposição fotográfica Asas Urbanas (térreo) – 9h às 20h

PAPO AFD (piso 2)

10h50 – Fashionismo com Tradição e Identidade

11h40 –  Sustentabilidade na moda e o Fashion Revolution

12h30 – A Indústria da Maquiagem Entende Mesmo desse Riscado?

13h20 – Moda, Afroempreendedorismo e Economia Criativa

14h10 – Particularidades da Pele Negra

15h – A Interseção da Arte e Moda na Contemporaneidade

 

AVON APRESENTA (piso 2)

16h – Empoderamento e Empreendedorismo Feminino

SOM AFD (piso 1)

13h – DJ Jack Nascimento (Batekoo)

14h40 – Banda Rua 06

17h – DJ Raiz

AFD STORE (piso 1)

9h às 20h

DESFILE AFD (piso 2)

18h

 

Sarau da Onça debate o “Combate à cultura do estupro” neste sábado (18)!


sarau_da_onca

Neste sábado (18), o Sarau da Onça vai pautar o “Combate à cultura do estupro”, com facilitação de e educadora popular e assistente de projetos de Koinonia.

Como atração artística desta noite, o Sarau vai receber o grupo “Diáspora: Núcleo Negro de Pesquisa Artística”, apresentando o Experimento Artístico: Negras Utopias. A pesquisa discute questões de identidades de gênero, raça e sexualidade projetando ações artísticas, educacionais e culturais.

 VAMOS?!

O que: Sarau da Onça – Novembro Negro – Roda de conversa com Naiara Soares sobre combate a cultura do estupro

Quando: 18 de Novembro de 2017, 19h

Onde: Cenpah – Centro de Pastoral Afro. – Anfiteatro Abdias do Nascimento I Novo Horizonte I Sussuarana

Entrada Gratuita e microfone aberto

Grupo de Teatro Novos Arteiros remonta espetáculo O Cidadão de Papel!


Grupo_de_Teatro_Novos_Arteiros

O Grupo de Teatro Novos Arteiros realiza remontagem do espetáculo O Cidadão de Papel, nos dias 17 e 18 de novembro às 19h, no Centro Cultural Plataforma. O espetáculo O Cidadão de Papel tem direção de Marcos Oliveira e texto de Filinto Coelho, livremente inspirado no livro homônimo de Gilberto Dimenstein.

São diversos esquetes que buscam ampliar a compreensão e a consciência do publico sobre questões fundamentais para o exercício da cidadania, como: respeito, tolerância, direitos humanos, desigualdade social, distribuição de renda, educação, saúde, violência, impunidade, prostituição infantil e desemprego.

Há cinco anos, o grupo de Teatro Novo Arteiros vem desenvolvendo um trabalho de arte-educação nos bairros de Marechal Rondon e Campinas de Pirajá, onde se fundou e se estruturou o grupo teatral, com jovens adolescentes. O espetáculo conta com 14 atores e atrizes.

Serviço:
O Quê: Espetáculo O Cidadão de Papel.
Local: Centro Cultural Plataforma. Endereço: Praça São Braz, s/n Plataforma, Salvador – BA, 40710-530. Telefone: (71) 3117-8106
Quando: 17 e 18 de novembro (sexta e sábado)
Horário: 19h
Ingressos: R$ 10/5