Susan Kalik lança docs sobre Transgeneridade e Candomblé em Salvador


SUSAN KALIK
Susan Kalik

A diretora de teatro e audiovisual Susan Kalik, exibe, este mês em Salvador, seus documentários Cores e Flores para Tita” e “Do que aprendi com as minhas mais velhas, nos próximos dias 18 e 21 de maio, respectivamente.

DOC CORES E FLORES PARA TITA
Diego Nascimento – “Flores para Tita”

Tita
Cores e Flores para Tita, que será exibido na noite de abertura da Mostra 10 anos do CUS – Grupo de Pesquisa Cultural e Sexualidade (UFBA), às 18h30, no Teatro do Goethe-Institut (Corredor da Vitória).

Ele fala, especialmente, de um homem trans, do jovem Renato Tita, suicidado “pela sociedade” aos 15 anos de idade na década de 70. Traz ainda depoimentos de outras pessoas trans que também sofreram com a violência, preconceito e transfobia.

No dia seguinte ao CUS, Cores e Flores para Tita será exibido na Casa Preta, localizada no bairro Dois de Julho, às 19h, na programação LGBT da ocupação artística Enxurrada na Aldeia, do Aldeia Coletivo Cênico. No espaço as pessoas poderão visitar a exposição fotográfica homônima da foto-ativista Andrea Magnoni,  inspiração para o documentário.

do que aprendi com minhas mais velhas

Do que aprendi com minhas mais velhas
O doc traz, em seu enredo, a religião do Candomblé e evidencia sua peculiaridade de ser uma religião baseada nos princípios de senioridade e ancestralidade, ou seja, uma crença que valoriza a experiência e o conhecimento dos mais velhos. É dirigido por Susan Kalik em parceria com Fernanda Júlia Onisajé.

O média-metragem será exibido pela segunda vez na Bahia na 11° Mostra de Cinema e Direitos Humanos, realizada pelo Ministério dos Direitos Humanos no dia 21 de maio, às 16h, na Sala Walter Silveira.

Programe-se:

Cores e Flores para Tita – Dia 18 de maio, 18h30

Onde: Mostra 10 anos do CUS, no Teatro do Goethe-Institut (Corredor da Vitória)

Do que aprendi com minhas mais velhas – Dia 21 de maio, 16h

Onde: Sala Walter Silveira (Barris)

Gratuito

Em oito cidades: Preta, vem de bike!


La Frida Bike

Um projeto feminino de cicloativistas negras que roda a cidade, unindo a bicicleta com inclusão social, igualdade étnica e igualdade de gênero. Assim se define o La Frida Bike que, de Salvador, agora vai ganhar o Brasil, depois de já ter ensinado a arte do pedalar a mais de 100 mulheres.

Com o projeto “Preta, vem de bike!” – no mês de maio – as minas vão levar a mobilidade urbana, além da orla, fazendo-a chegar também nas periferias. Serão aulas de bike para meninas da periferia, fazendo-as ocupar espaços com confiança, segurança e autoestima.

“O Preta, vem de bike!” tem a função de abraçar nós mulheres, trazendo-nos de forma gradativa para o mundo da mobilidade urbana consciente.” 

La Frida Bike

O projeto – que tem o apoio do Banco Itaú e parceira com a Bike Anjo – começa este mês, e estará em oito cidades pelo Brasil: São Paulo-SP, Rio de Janeiro-RJ, Belo Horizonte-MG, Fortaleza- CE, Aracaju-SE, Recife-PE, Florianópolis-SC e Porto Alegre- RS.

Quer ser voluntária neste projeto? Saiba como aqui. 

Além  das aulas, terá também coleta de bikes para restauração ou doação para as meninas que não possuam uma. O projeto que já ensinou mais de 100 mulheres a pedalar tem como objetivo criar  uma rede de mulheres negras que pedalam e melhorar a mobilidade das mulheres da periferia.

O La Frida Bike foi capa da última edição da revista Bicicleta, ganhou Menções Honrosas na Categoria Ação Educativa e de Sensibilização do Prêmio Mobilidade 2017 e o Prêmio Frida Found.



Inscreva-se para as aulas | PRETA, VEM DE BIKE! |

Fotos: Divulgação

Casa do Benin celebra Dia da África com formação em escolas e exposição


Foto: PalomaCarvalho

A Casa do Benin vai celebrar o Dia da África – celebrado no próximo dia 25 de maio, quinta-feira. No dia 24, o projeto “A Casa vai à Escola” realiza a sua segunda edição na Escola Municipal Amélia Rodrigues, localizada no Bairro Tororó. A ação, que começa a partir das 14h, fará uma abordagem especial na temática Salvador Cidade da Música.

Sob a coordenação da arte-educadora Régia Ribeiro, o projeto vai a debater a valorização da autoestima da identidade afro-brasileira através do repertório do cantor Lazzo Matumbi.

A Casa do Benin também abriga a Exposição Fotográfica Agudás “Os brasileiros no Benin” que traz painéis com fotos e textos de Milton Guran. A mostra tem abertura nessa terça-feira (16), às 18h, e visitação gratuita de segunda a sexta, das 9h às 17h, até o dia 30 de junho.

dia da África foi instituído em 1963 com a fundação da Organização de Unidade Africana.

 

SERVIÇO

A Casa vai à Escola

Data: 24 de maio, às 14h.

Local: Escola Municipal Amélia Rodrigues (Rua Amparo do Tororó, nº 329, Tororó).

 

Exposição Fotográfica Agudás “Os brasileiros no Benin”

Data: 16 de maio, às 18h (abertura).

Visitação: de segunda a sexta, das 9h às 17h, até o dia 30 de junho.

Local: Casa do Benin (Rua Padre Agostinho Gomes, n º 17, Pelourinho).

Mostra CUS 10 anos terá Mc Linn da Quebrada, Malayka SN, TransBatukada e muito mais!


Mc Linn da Quebrada,
Mc Linn da Quebrada,

Os 10 anos do grupo de pesquisa Cultura e Sexualidade (CUS) da Universidade Federal da Bahia serão comemorados em grande estilo. A Mostra CUS 10 anos vai trazer talk shows, oficinas e outras novidades nos dias 18, 19 e 20 de maio.

Todas as atividades acontecerão no ICBA (Corredor da Vitória), em Salvador. Mas um grande destaque da programação já está confirmado: a presença de Mc Linn da Quebrada, que fará show na Praça Pedro Arcanjo, Pelourinho – dia 20 de maio.

Mc Linn declarou para a Folha de S Paulo que vai trazer para o evento do CUS sua “mensagem de bicha travesti da zona leste” de São Paulo. Os ingressos serão vendidos a R$ 20/10 durante o evento no ICBA.

Malayka
Malayka

Além do show, terá ainda a performance de Malayka SN, Estranhas Marujo 2017, Nina Codorna, TransBatukada e Alan CostaUma das presenças confirmadas também é a da drag Ah Teodoro, vencedora do concurso Estranha Marujo 2017.

Em 2015, no Seminário Internacional Desfazendo Gênero, o CUS  trouxe a filósofa, Judith Butler para Salvador.

Veja programação da Mostra completa! 

Vai ter Puxadinho MassaLarica este domingo (21)!


Foto_Filipe Louzado_Divulgalção

Imagine uma galera reunida em uma casa compartilhando e desfrutando de arte urbana, arte transformista, samba de primeira, canções afro suburbanas e poesia? vai rolar tudo isso na sétima edição do Puxadinho MassaLarica.

O evento cultural, que ocorre uma vez ao mês, reúne nesta edição, a cantora Dinha Dórea, a drag queen Rosa Morena, o DJ Jack Nascimento, o artista visual Pedro Magalhães e a poetisa Maiara Silva.

Puxadinho Massalarica
Foto Filipe Louzado

Em sua performance, a drag queen Rosa Morena, apresentará o show “Divas Negras”, com a participação das drags Euvira e Malayka SN. Já o artista visual Pedro Magalhães realizará um lambe-lambe nas dependências da casa e a poetisa Maiara Silva, integrante do Coletivo Poético Grupo Ágape, recitará poemas de sua autoria e de outros poetas da capital baiana.

Já a cantora Dinha Dórea levará um repertório de sambas dos grandes compositores da Bahia e do Brasil. Em seguida, entra em cena a batida afro de canções suburbanas brasileiras, como o “fank”, do DJ Jack Nascimento – um dos criadores da festa BATEKOO.

Juliana_Dias. Foto FilipeLouzado_Divulgação
Foto Filipe Louzado

Puxadinho!?

Tá rolando desde novembro de 2016, idealizado pela jornalista Juliana Dias, que abre as portas de sua casa das 14h às 21h, na Rua Ari Pereira de Oliveira, nº 34 (Rio Vermelho), com entrada gratuita.

O encontro cultural ocorre uma vez por mês e a cada edição reúne um coletivo de artistas produtores para compartilhar arte, cultura e entretenimento e gastronomia. Desde então, mais de 30 artistas da Bahia e do Brasil já participaram.

Serviço

O que: Puxadinho Massalarica 7ª edição

Onde: Rua Ari Pereira de Oliveira, nº 34, Rio Vermelho (próximo ao quartel de Amaralina)

Quando: 21 de maio (domingo), das 14h às 21h

Atrações: Música – Dinha Dórea e DJ Jack Nascimento; Poesia – Joyce Melo; Arte visual – Pedro Magalhães; Performance – Drag Queen Rosa Morena

Entrada gratuita

#DiadoMuseu – Exposição, culinária e artes gratuitas na Casa do Benin


agudas do benin milton guran

Ao longo da 15ª Semana Nacional de Museus, a Casa do Benin (Pelourinho) terá  programação especial e gratuita a partir desta terça -feira, 16 de maio.  

A abertura oficial, às 18h, será com a Exposição Fotográfica Agudás “Os brasileiros no Benin” que traz painéis com fotos e textos de Milton Guran. A visitação acontece de segunda a sexta, das 9h às 17h, até o dia 30 de junho.

No mesmo dia, o público poderá ver, ainda, duas apresentações: do Musical de Cânticos de origem Ewe-Fon entoado pelos Alabés da Casa Kwe Vodun Zo, a partir das 18h30; e a Aula Inaugural de Capoeira, realizada pelo grupo Gangara, também, a partir das 18h30.

Ana Célia
Ana Célia

Já na quinta-feira (18), a professora Régia Ribeiro ministra a Oficina de Artes Visuais com uma releitura das Tapeçarias Ideográficas do Benin para introduzir as crianças na linguagem das artes visuais. A ação educativa acontece das 14h às 16h.

A arte gastronômica ganha espaço na sexta-feira (19), das 15h às 17h, com a Oficina de Culinária Beninense realizada pela chef de cozinha Ana Célia, que vai trabalhar com doce de goiaba e cocada.

 

SERVIÇO

Local: Casa do Benin (Rua Padre Agostinho Gomes, nº 17, Pelourinho. Próximo a ladeira do Pelourinho)

Programação:

Exposição Fotográfica Agudás “Os brasileiros no Benin”

Abertura oficial dia 16 de maio (terça-feira), às 18h.

Visitação de segunda a sexta, das 9h às 17h, até dia 30 de junho.

Musical de Cânticos de origem Ewe-Fon com Alabés da Casa Kwe Vodun Zo

Dia 16 de maio, das 18h30 às 19h30

Aula Inaugural de Capoeira com grupo Gangara

Dia 16 de maio, das 18h30 às 19h30

Oficina de Artes Visuais com professora Régia Ribeiro

Dia 18 de maio, das 14h às 16h.

Oficina de Culinária Beninense com chef de cozinha Ana Célia

Dia 19 de maio, das 15h às 17h.

Últimos dias para inscrições no Prêmio Laureate Brasil Jovem Empreendedor Social


mulher negra estudando

Termina no próximo dia 31 de maio o prazo para as inscrições da 10º Prêmio Laureate Brasil Jovem Empreendedor Social. Podem concorrer pessoas com idade entre 18 e 29 anos, com projetos sociais ativos há mais de seis meses e que tenham resultados positivos comprovados. Para participar, basta entrar no site www.premiolaureatebrasil.com.br, acessar o formulário de inscrição e o edital do concurso.  O candidato também precisa ser autor ou coautor da iniciativa.

Os selecionados para a etapa final ganharão uma capacitação em Empreendedorismo Social, presencial e on-line com o intuito de prepara-los para a condução de seus projetos. Além disso, também receberão US$2mil para aplicar no desenvolvimento das suas iniciativas. A Laureate Brasil oferece, ainda, a oportunidade de integração com os programas Laureate Global Fellows e ao YouthActionNet® – rede internacional de empreendedores sociais da International Youth Foundation (IYF), que reúne mais de 1.300 jovens, em 90 países.

Alexandra Pessoa lança primeiro álbum “VISITA” no Espaço Cultural da Barroquinha


Alexandra Pessoa
Foto: Natália Miranda

Como percussionista ela já tem 19 anos de trajetória, mas o trabalho autoral começou mesmo em 2008. Nove anos depois, ela lança seu primeiro álbum “VISITA”. Estamos falando de Alexandra Pessoa, que se prepara para o grande dia, nesta sexta (19), no Espaço Cultural da Barroquinha.

O show começa às 19h e será uma mostra do que constitui o trabalho da artista: “uma memória musical afro baiana e nordestina, aliada a uma linguagem cotidiana particular”.

“É um álbum que fala muito da minha trajetória como percussionista. Pesquisas, fragmentações de células rítmicas…debruçar sobre o cotidiano da cidade, das pessoas, o comportamento das pessoas, questões sociais, existenciais e espirituais. A minha forma de cantar anda muito junto da percussão, formando uma conversa com os instrumentos”, define Alexandra, em entrevista ao SoteroPreta.

Alexandra Pessoa
Foto – Mariana Marin

Na grande noite, terá convidados especiais: Mauricio Lourenço, Jefferson Luis e Nelson Maca. Este último, autor do poema “Baba”, musicado por Alexandra e que está no CD, com o piano de Lourenço.  “VISITA” conta ainda com as participações de Gabi Guedes e Orlando Costa.

No CD, Alexandra assume a direção musical, traz viva a percussão que a acompanha. Já no show, ela será acompanhada pelos músicos Francisco Cerqueira, na Bateria, Roberto Cândido no Baixo, Daniel Neto na Sanfona e Vitor Amazonas na Guitarra.

“Penso percussivamente. Decidi assumir a direção musical do disco porque já fazia isso durante toda a construção dos arranjos que são de base meus, com colaboração dos músicos. Falo muito sobre minha memória afro baiana e nordestina com influências do soul,do jazz…tudo sintetizado no álbum”, conta.

Quantos às participações, ela enfatiza: “Todos que fizeram parte da banda base estão tocando comigo neste lançamento. Dar esse título Visita, é ver que toda essa pesquisa, olhar/ visitar os “outros”, faz hoje eu me ver mais”. O CD vai estar à venda no dia do show, por R$20.

Então, tá marcado?

Lançamento do CD “VISITA”, de Alexandra Pessoa

Quando: Dia 19 de maio, 19h (sexta-feira)
Onde: Espaço Cultural da Barroquinha
Ingresso: R$20/10

Promoção: Compre inteira + $10 reais = ingresso + CD.

Instituto Steve Biko promove debate sobre Movimentos Negros e Políticas Públicas


 

No próximo dia 23 de maio, o Instituto Steve Biko convida [email protected] para participar de uma aula especial do Curso “Processos Educacionais e Travessias Negras: Formação para o Ensino de História da África e de História e Cultura Afro-brasileira”. Será na sede do Instituto, no Largo do Carmo, Pelourinho, às 13h30.


Realizado pelo CEPAIA/UNEB, em parceria com a Biko e outras organizações, o Curso já está em seu segundo módulo e abre as portas para receber pesquisadores e interessados no tema – além dos educadores já inscritos. 

Neste dia (23), uma terça-feira, o tema será “Movimentos negros no Brasil: Legislação e políticas públicas para populações negras; saúde e empoderamento”, com a participação do presidente de honra do Instituto, vereador e economista, Silvio Humberto Passos Cunha e a pesquisadora, mestra em Antropologia Social (USP), Taynar Pereira. 

A iniciativa tem por objetivo formar educadores(as), amparada nas determinações da Lei nº 10.639/03 e DCNs para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africanas. A Biko integrou equipe que formulou o projeto, e também tem alguns de seus professores no corpo docente do Curso.

A aula começa a partir das 13h30 e é aberta ao público. É necessário se inscrever no formulário online (acesse aqui). Nesta aula, a Biko fornecerá certificado online aos participantes. Já no dia 8 de junho, último encontro presencial deste módulo, a aula será na sede do CEPAIA, também no Largo do Carmo, em mesmo horário. O tema será “Literatura Negra: África e Diáspora; populações negras: gênero e sexualidades”. 

 

INSCREVA-SE AQUI.

Coletivo debate “Acolhimento da Transgeneridade no Cristianismo e no Candomblé”


de transs pra frente
Foto: Andreia Magnoni

O coletivo De Transs Pra Frente promoverá debate sobre “Acolhimento da Transgeneridade no Cristianismo e no Candomblé”. Os debates serão nesta quarta (17), no Espaço Cultural da Barroquinha, aberto ao público.

Acreditamos que a informação pode trazer a compreensão e naturalização das identidades trans e travestis e a partir disso ampliar o debate e quiçá o acolhimento dessas pessoas que ao existirem perdem tudo, inclusive o direito de professar a sua fé.

O De Transs Pra Frente é um evento mensal, que acontece há um ano e nasceu para suprir a necessidade de se falar das estratégias e urgências do movimento trans e travesti em primeira pessoa.

É necessário falar sobre o assunto, é necessário se questionar sobre todos os espaços que são negados à mulheres trans, travestis e homens trans, e o espaço religioso/espiritual é um deles. Que sejamos mais amor!

TRANSbatucada
TRANSbatucada – Foto: Andreia Magnoni

Debates:

 

Às 14h30: “O Acolhimento da Transgeneridade no Cristianismo”

Com mediação do pesquisador e cristão, Ailton Da Silva Santos, estarão nessa mesa o Padre Anglicano Bruno Almeida, o Pastor Tárcito Fernando, e a Advogada feminista Laina Crisóstomo.

Às 18h: “O Acolhimento da Transgeneridade no Candomblé”

Com mediação da pesquisadora e Egbomi Fernanda Júlia Onisajé,terá as presenças do Pesquisador Claudenilson Dias, o Babalorixá Gilson Ajunkesi do Ilê Asé Ibá Ajunkesy e da Mametu Allana Dandaramazi do Unzo de Ungunzo Kessimbi Amazi, raiz de Giderecy Indangi de Corromim, é Psicóloga, Educadora Social na Fundação Cidade Mãe.

Apresentação da TransBatukada, com regência de Antenor Cardoso.

ONDE: Espaço Cultural da Barroquinha – gratuito