Black Lives Matter! – Por Jaime Sodré


FOTO: CHANDAN KHANNA/AFP

 

Amai-vos uns aos outros, que dificuldade extrema para aplicarmos esta máxima, e o racismo é o descompromisso atrevido e doloroso a esta máxima. A morte do segurança negro George Floyd por um policial branco gerou uma indignação global, provocando a maior manifestação antirracista desde da década de 60.

A passeata de caráter pacifico, em alguma oportunidade resultou em conflitos fruto, segundo manifestantes, da infiltração de baderneiros, distantes da finalidade da manifestação, que objetivava demonstrar as autoridades americanas e ao mundo que precisamos mudar esta visão de inferioridade do povo negro, submetido a agressões de toda ordem, culminando com o assassinato do cidadão norte americano, negro.

Em função da ação dos manifestantes, num protesto que unem negros e brancos, com gestos simbólicos e pacíficos, a ação policial tronou-se agressiva, com toque de recolher, e o presidente Trump prometeu usar o exército, quando momento pedia diálogo.

O Chefe de Polícia do Texas dissera que se o presidente não tinha nada para falar o melhor era ficar calado, e completara “AQUI NÃO É ´HOLLYWOOD, ISTO É VIDA REAL”. O Presidente foi até uma igreja e exibiu uma Bíblia aos manifestantes, estes jogaram-se no chão entoando a frase dita por Floyd antes da sua morte – “não consigo respirar”. Em vários locais esta postura era repetida, colocando-se um joelho ao chão. O irmão de Floyd, presente à manifestação, emocionado, dissera que sempre há manifestações, mas o problema de assassinato de negros continuam ocorrendo, cobrando mudanças. BLACK LIVES MATTER diziam os cartazes soando, para todo o mundo, e o nosso racismo de todo dia? Que faremos ou o que estamos fazendo?

Amamos uns aos outros? O racismo, a sua extinção, é o compromisso de todos nós.

À frente das manifestações americanas estavam jovens negros e brancos, pedindo um outro mundo, quando será? Estamos ávidos para o dia em que a cor da pele seja apenas uma questão de detalhe desprezível, pois o que importa é o caráter.

Prof. Dr.Jaime Sodré,  historiador.