Cantora e compositora Savannah Lima concorre no Festival da Educadora com a canção “Odara”!


“Odara traz a ligação com os costumes construídos a partir da comunidade familiar ancestral, que resultam em memórias da infância, que são importantes para a preservação da afetividade”. Assim define sua nova composição a cantora soteropolitana, Savannah Lima. A multiartista (ela também é poetisa e atriz) transforma letras em canções desde os 12 anos e se apresenta nos palcos desde os 15, tendo pertencido à ala de canto da Banda Feminina Didá.

Durante sua trajetória de 17 anos de carreira, além da Banda Didá, a cantora dividiu o palco com artistas consagrados como: Margareth Menezes, Carlinhos Brown, Ilê Aiyê, Daniela Mercury, Ivete Sangalo e Arlindo Cruz. Também cantou com nomes da nova geração da música preta brasileira, como Majur, Bia Ferreira e a banda instrumental baiana Panteras Negras.

Sobre sua nova composição, “Odara”, ela explica que a mesma parte da sua relação com uma criança negra de nome Odara, que brincava, crescia e construía valores e afetos dentro dos laços familiares de uma família negra candomblecista. Em ioruba, o nome deriva da expressão “o dara” que significa “é bom”. Iorubá é um dialeto africano utilizado principalmente pelas religiões de matriz africana, entre elas o Candomblé. “Odara são todas as meninas e meninos negros, de pés descalços, simplicidade e amor das comunidades negras baianas”, diz.

Já começando com muita energia, a nova composição foi selecionada para participar do Festival da Educadora FM 2020, maior premiação da música na Bahia, cuja 18ª edição já é a recorde: 1.216 fonogramas registrados por 962 candidatos. Odara é uma delas e enche a compositora de orgulho. “Participar do Festival é a realização de um querer muito grande, que sempre me acompanhou. É a certeza de que a minha arte preta tem valor e qualidade de alto nível e que ela reverencia a história de minha gente. A expectativa, sem falsa modéstia, é ter a canção como a vencedora do Festival. Estou feliz e confiante”, diz Savannah.  A música está dentre as finalistas para passar pelo voto popular na categoria “Música com Letra”.  Para votar, acesse aqui.

Sobre ela

SAVANNAH LIMA viajou o Brasil com o espetáculo “Guerreiro”, do Circo Picolino; já comandou o Bloco Afoxé Filhas de Gandhy; apresentou-se no TedX São Paulo e no festival Universo Paralelo; formou-se atriz na Oficina de Performance Negra do Bando de Teatro Olodum; e atuou na peça Sortilégio II, com direção do premiado Ângelo Flávio, sendo o texto de Abdias do Nascimento. Idealizou, dirigiu e produziu o show “Oferendas”, exaltando a natureza, os Orixás e fortalecendo a luta no combate à intolerância religiosa, realizando apresentações em Salvador e São Paulo e atuou no filme ADA, da cineasta Rafaela Uchoa, pelo qual foi eleita como melhor atriz coadjuvante no Festival Palma Cine 2020.

Quer ouvir “Odara”?

OUÇA E VOTE AQUI.