Carnaval – Blocos de samba do Ouro Negro tomam conta da quinta-feira na avenida!


Alerta Geral – Foto fafá Araújo
Com chapéu panamá na cabeça e muito rebolado, os blocos do Carnaval Ouro Negro, promovido pelo Governo do Estado, estão entre os mais tradicionais desta categoria, movimentando o circuito Osmar (Campo Grande) nesta quinta-feira.

 

Com saídas marcadas para as 20h30, os blocos de samba que abrem os desfiles apoiados pelo Ouro Negro são Na Moral e o Alerta Geral. O bloco Na Moral, que sai no contra-fluxo, traz como tema Samba Negritude, e os comandantes do trio elétrico serão Bira Negros de Fé, Jeito de Ser e Genny Dantas. Com o tema “Alerta, mocidade! Alerta está na avenida”, o Alerta Geral, referência em inovação nos desfiles, convoca a nova geração para curtir ao som dos cantores e compositores cariocas Xande de Pilares e Délcio Luiz e do grupo soteropolitano Miudinho.

Às 21h, estão marcadas as saídas dos blocos Fogueirão e Pagode Total. Com Jorge Fogueirão e Samba Comunidade, o primeiro bloco traz para o carnaval 2020 o tema “Asé Yê – Samba Para Oxumaré”. O segundo bloco desfila com o tema “Pagode Total traz o fogo de Xangô para a Avenida”, o trio vem comandado por É O Tchan, a banda Pagode Total, o cantor Salgadinho (Molejo) e convidados.

Os blocos Proibido Proibir e Rodopiô tem saídas agendadas para 22h. O tema do Proibido Proibir para 2020 é “Samba, um ritmo de fé e resistência”, exaltando o gênero musical ao som de Banda Fuzilada e Terra Samba. E pela primeira vez compondo o time de agremiações do Carnaval Ouro Negro, o bloco Rodopiô adota como tema “O respeito à diversidade na religião de matriz africana Candomblé”. Suas atrações serão Banda Rodopiô, Gang do Samba e Gang Ê.

Para fechar, às 23h é a vez do bloco Samba e Folia. O tema da agremiação para 2020 será “Samba de Roda”, exaltando as raízes do recôncavo. O comando do trio será da banda Samba Trator.

Carnaval Ouro Negro – O Governo do Estado segue fortalecendo o carnaval dos blocos de matrizes africanas através do edital Carnaval Ouro Negro, que completa 13 anos estimulando a participação de agremiações oriundas das diversas comunidades de Salvador, que tem na folia o ápice para as diversas atividades sociais que são desenvolvidas ao longo do ano. Indumentárias, toques percussivos, danças, performances e cantos fazem parte dos espetáculos, que trazem em si a força da ancestralidade e da tradição. 49 blocos, das categorias afro, afoxé, samba e reggae desfilam este ano com o apoio.