Exposição “Arte de Preto” resgata memórias negras e ancestralidade através da arte!


 

Arte de Preto Afrikas
Arte de Preto Afrikas

A fim de provocar a análise reflexiva sobre a negritude e as artes negras, o Coletivo Arte em Si apresenta – até 15 de dezembro -, no Ateliê Sergio Amorim Artes – Shopping Barra, L1 Sul, Loja 20, a mostra Arte de Preto. Com entrada franca e aberto ao público, o tema “Arte e Ancestralidade” inspira fotografias, poesias, esculturas, pinturas acrílico sobre tela, mosaicos, aquarelas e pinturas óleo sobre tela de 24 artistas: Advany Figueredo, Adinelson Kambundo, André Fernandes, Ary Bastos, Cris Firpo, Edmundo Reis, Edson Souza, Fernanda  ValentimIzabel AndionJô NascimentoJosmara FragonezeLuzimar Azevedo, Magali Abreu, Margarita Arize, Maria Simões, Osmar Barreto, Salvador Filgueiras, Sérgio Amorim, Sulivam Brazão, Rosa Rocha, Tânia Amorim, Thais Gabarron, Vicente Amaral e Yara Guedes.

Restaurando através das telas a memória ancestral, familiar e cotidiana dos negros na diáspora brasileira, a mostra – que também acontece em ambiente virtual – visa o reconhecimento e valorização do continente africano na formação do povo regional e nacional.

Expondo mais de 20 obras autorais, integram o corpo da 1ª ediçãoSenhor do Tempo; Afrikas; O Abre Alas — Exu; Obadiná; Carta Africana dos Direitos Humanos e dos Povos; Dádiva da Vida; Maria Felipa de Oliveira a Heroína Negra da Independência; De ponta a cabeça; Ora Yê iê, ô!; Oxum e a dança afro-brasileira; Penteados Africanos; Beija-flor; Obadiná; Boa Morte; A Fé; Princípios e Permanências Negras; Iaô; Menino do Pelô; O Povo Dogon; Obínrìn L’ewa; O Valor Tonal do Dendê; Mestre Bimba; Mukixi Mwana; O Jogo da Capoeira e AmarrAção: Cabeça Feita.

Quando convidada para o projeto ‘Arte de Preto’, me remeti à foto de uma cunhada que sempre me chamou a atenção. Logo, pensei em expressar artisticamente um rosto de uma linda mulher. Uma africana. Pesquisando sobre as histórias de povos africanos, observei que eles produziram uma arte bastante livre, mas ainda assim, preservando essências e traços que suas tradições prezavam na busca de um entendimento do mundo, conectado a espiritualidade e ancestralidade”, afirma Yara Guedes, autora do mosaico AmarrAção: Cabeça Feita.

RESPONSABILIDADE SOCIAL

“Coletivo Arte em Si” — composto por mais de 20 artistas da cena baiana, lançou outro desafio pela frente: ajudar comunidades carentes através da arte. Em virtude disso, o “Grupo Étnico Cultural da Bahia” (liderado por Sidney Argolo) e a “Baixa do Dendê” — instituição de apoio a crianças da comunidade localizada dentro do Bairro de Itapuã, receberão uma porcentagem em doação das obras vendidas, divididas em partes iguais.

As duas comunidades serão incentivadas por meio do Coletivo Arte em Si a visitarem a exposição e vivenciarem o projeto. Lá, serão ouvidos a respeito de projetos ligados às artes e promoção de oficinas criativas. Além de visibilizar as comunidades através das redes sociais, o Coletivo concederá uma bolsa de estudos durante 3 (três) meses na arte da pintura em “óleo sobre tela” para cada comunidade, no Ateliê Sérgio Amorim Artes.

SERVIÇO

Exposição “Arte de Preto — Coletivo Arte em Si”;
Quando: ATÉ 15 de dezembro de 2020, das 11h às 21h;
Onde: Ateliê Sérgio Amorim Artes, Shopping Barra, L1 Sul, Loja 20;
Entrada Franca;