Inscrições abertas para curso Teatro do Oprimido que será ministrado no Teatro Castro Alves!


d
O Teatro do Oprimido, fundado pelo diretor e dramaturgo Augusto Boal (1931-2009), entende que todos os seres humanos fazem teatro mesmo de forma inconsciente, em suas ações cotidianas no mundo real prático.
Para conhecer mais o legado desse teatro, O GESTO – Grupo de Estudos em Teatro do Oprimido, com apoio da Fundação de Cultural do Estado da Bahia (Funceb/SecultBa), abre inscrições para o Curso Prático de Formação Básica de Multiplicadores no método Teatro do Oprimido.
O curso  será dividido em quatro módulos práticos independentes, e serão realizados na Sala da Companhia de Teatro, no Teatro Castro Alves, no período de 7 a 31 de janeiro, de segunda a sexta-feira, das 9h às 12h, com carga horária de 60 horas para quem fizer os 4 módulos e 15 horas para cada módulo independente. As inscrições são online e acontecem através deste link.
“A proposta essencial do método é democratizar os meios de produção teatral para que o oprimido possa, através da sua própria estética, enxergar a realidade opressora em que está inserido e assim poder transformá-la a partir da sua perspectiva ideológica”, explica Licko Turle, realizador do curso e doutor em Artes Cênicas.
d
Investimento
Até a data de 15 de dezembro, o investimento para o curso integral, incluindo os 4 módulos, será no valor de R$ 800,00. Até esta data, quem tiver interesse em fazer os módulos separadamente, investirá o valor de R$ 250,00 em cada módulo. Após 16 de dezembro, o custo será de R$ 1.000,00  para o Curso Integral com 4 módulos e, de R$  300,00 para os módulos individuais.
 
Programa
O Módulo I, que acontecerá de 7 a 10 de janeiro, Introdução ao Teatro do Oprimido com Licko Turle, pretende introduzir o pensamento ético-estético de Augusto Boal e ampliar a visão crítica das influências que a metodologia absorve desde o Teatro de Arena (1956), até as novas concepções que levam a teoria da Estética do Oprimido.
Vale ressaltar que Licko fundou, com Augusto Boal, o Centro de Teatro do Oprimido do Rio de Janeiro (1986) e participou do Mandato de Teatro Legislativo (1993-1995).
Teatro das Oprimidas com Bárbara Santos contido no Módulo II, constitui a revolução dentro da revolução, uma metodologia que surgiu de dentro de outra metodologia com o objetivo de aprofundá-la, ampliá-la e questioná-la. Esta metodologia de trabalho procura desenvolver a perspectiva artística e a abordagem estrutural em produções teatrais por meio de estéticas feministas. O módulo será ministrado de 13 a 17 de janeiro.
Bárbara, além de autora do livro Teatro das Oprimidas, tem 29 anos de experiência ininterrupta com o Teatro do Oprimido em mais de 40 países.
s
A  Estética do Oprimido com Cachalote Mattos, do Módulo III, ministrado de 20 a 24 de janeiro, pretende sensibilizar os participantes para o uso do método como meio de expressão e reflexão sobre o contexto em que vivem e trabalham.
Cachalote é mestre em Artes Cênicas pela UNIRIO e cenógrafo pela UFRJ. Consultor de imagem do Centro de Teatro do Oprimido, trabalhou com Augusto Boal entre 1998/2009.

O Teatro-fórum e a função do Curinga com Licko Turle, do Módulo IV, que aconrecerá de 27 a 31 de janeiro, parte do princípio onde o próprio espectador é convidado pelo Curinga a “entrar em Cena” substituindo o protagonista “oprimido(a) e propor alternativas para a situação de “opressão” apresentada na obra. Esta função não é uma tarefa que possa ser executada sem um treinamento específico e ético. O módulo irá demosntrar alguns conceitos e práticas do Curinga.

Serviço:
Curso Prático de Formação Básica de Multiplicadores no método Teatro do Oprimido
Quando: 7 a 31 de janeiro 2020, das 9h às 12h
Onde: Sala da Companhia de Teatro do Teatro Castro Alves
Investimento: Até 15 de dezembro: R$ 800,00 (4 módulos) ou R$ 250,00 (cada módulo) | Após 16 de dezembro:  1000,00 (4 módulos) e R$ 300,00 (por cada módulo)
Inscrições: através deste link
Informações: e-mail: [email protected] | Telefone: 71 2132-6934