Lane Silva fotografa amores possíveis em ensaio contra preconceitos


lane
Hisan e Pedro

“Antes de tudo, amor”. Esse é o nome do projeto da fotógrafa e poetisa Lane Silva, que reuniu casais amigos, mais próximos dela, pelos quais nutre admiração. A poesia que Lane expressa no Grupo Ágape pode ser sentida, literalmente, nas 10 imagens disponibilizadas em sua Rede Social, nas quais se podem ver heteros, gays, lésbicas, idosos, jovens…todos expressando um elemento que os une: o amor. “Em minha militância, sempre questiono nossos direitos e o mais forte deles, pra mim, é o amor. Vi isso no ensaio, que todos têm o amor em comum, que transborda e é lindo”, reflete Lane.

A fotografia é uma das paixões desta jovem fotógrafa, além de seu amor, Ricardo, que também entra no projeto. São 10 imagens que trazem o explícito ato de amar, traz carícias, trocas, olhares, beijos, em especial entre casais negros. “Como sou de periferia, todos meus amigos também moram lá, são negros, são eles que mais sofrem – não só com a homofobia, mas com o racismo”, diz Lane.

Um destes casais escolhidos é Hisan Silva e Pedro Batalha que, em se tratando de expor seu relacionamento, o enfrentamento e a militância estão à frente. “Eu nunca pensei que conseguiria desenvolver um relacionamento e muito menos tê-lo exposto como obra de arte. Após diversas fases de repreensão, repressão e luta, eu encontrei o amor, entre os passos com pulinhos que ele dá, no toque, no afeto, no carinho e cuidado. E o amor foi algo tão ardente e lindo que mantê-lo escondido seria uma violência pior que manter-se na defensiva contra a sociedade e na luta pela felicidade”, desabafa Hisan. Confira o artigo de Hisan Silva sobre esse amor fotografado. 

Rafaela e Polly
Rafaela e Polly

Outro casal é Rafaela e Polly, duas jovens negras que representam uma das mais belas fotos nesta série. “A fotografia de Lane é algo que vem da alma, é como se ela fotografasse de todo coração, lembro que falei isso pra ela, assim que vi as fotos. Fiquei muito feliz como lésbica e como mulher em participar desse ensaio, que trouxe visibilidade total à diversidade. Daniela Mercury já disse: Qualquer maneira de amor vale a pena, qualquer maneira de amor vale amar”, acredito que foi isso que Lane retratou, uma quebra de paradigmas”, afirma Rafaela.

Uma das razões que motivaram Lane neste projeto foi a tristeza de ver seus amigos serem silenciados e discriminados ao expressarem seus amores. “Se tem sentimentos essenciais em nossas vidas, o maior deles é o amor, mas por que ainda tem gente sofrendo preconceito pelo simples fato de amar? Porque colocam regras e padrões para viver um sentimento tão puro? Adoro fotografar, me sinto realizada com o projeto. Ele me fez perceber o quanto é grandioso o amor, ele mora em um sorriso, em um olhar acolhedor com o seu parceiro(a), em um beijo…”, desabafa Lane.

As fotos podem ser conferidas em sua Fanpage! Quem sabe um book com seu amor enfrentador? #Ficadica