Larissa Luz lança terceiro álbum solo “Trovão”!


Foto: Breno Galtier

A cantora baiana, Larissa Luz, lança seu mais novo álbum, “Trovão”, disponível a partir do dia 17 nos aplicativos de música através da Natura Musical e a Altafonte. Com produção de Rafa Dias, seu terceiro disco solo traz 13 faixas que conta com convidados de peso como a brasiliense Elen Oléria e representantes da Bahia como Lazzo Matumbi, Luedji Luna, Letieres Leite e o alabê Gabi Guedes.

Larissa Luz antecipou para seus fãs a faixa “Gira” – composta por ela em parceria com Bia Ferreira e Doralyce – com direito a clipe conceitual e impactante dirigido por Heitor Dhalia, que assim como a canção, faz uma abordagem moderna e pop da magia original africana. Os shows de lançamento de “Trovão” acontecem nos dias 9 e 16 de maio, na Praça Tereza Batista, em Salvador e na Marina da Glória – Shell Open Air, Rio de Janeiro; e dia 5 e 13 de junho na Agulha, em Porto Alegre e Casa Natura, em São Paulo, respectivamente.

“Esse disco nasceu da necessidade de trazer para nosso cotidiano de forma simples e contemporânea traços da nossa conexão ancestral com os ritos e práticas das religiões de matriz africana. Queria vir com uma abordagem sob uma perspectiva atual, urbana, crítica, divertida, não tão óbvia, não tão direta e com muito respeito, numa releitura tecnológica de ritmos tribais para tirar o público do lugar de conforto e provocar uma percepção interna da nossa ancestralidade”, conta a cantora baiana radicada no Rio, que brilhou como Elza Soares no Musical Elza.

Larissa lembra que este ano, Mãe Stella de Oxóssi e Makota Valdina, duas importantes ialorixás na luta contra o racismo religioso, seguiram para o Orun. Que uma lei discriminalizando o sacrifício de animais nos ritos gerou uma série de polêmicas que para ela evidenciaram a falta de conhecimento de grande parte da população sobre história e práticas dos negros. Um ano com tragédias que demonstraram a importância da valorização da natureza e a aproximação dos elementos sagrados.

Foto: Breno Galtier

“Em tempos difíceis, senti a relevância de evocarmos a nossa fé e fazer dela instrumento de sobrevivência e resistência. Produzir uma música impulsionadora, energizante e eletrizante, que sugere a dança, que é elemento de transe e uma via para alcançarmos lugares elevados espiritualmente. Xirê! Os ritos africanos são grandes celebrações e assim é ‘Trovão'”, define Larissa.

 

Mais sobre o álbum

“Sou de Iansã com Ogum e ideias do mal eu derrubo e corto com a minha espada”, proclama Larissa Luz cheia de axé em “Aceita”, canção de abertura que já determina a força que esse “Trovão” tem. Em seguida, ela deságua em “Lama”, a segunda do disco e a coerência da ordem faz com que “Nanã” – a orixá que veio da lama e ajudou a modelar o ser humano – venha como terceira faixa.

O ritual baile continua com “Macumba”, que tem os atabaques do alabê Gabi Guedes se misturando à modernidade eletrônica, uma assinatura característica de Rafa Dias, líder do grupo “Àttooxxá” que além de produzir, ajudou Larissa na criação de melodias e letras. “Passei para ele o conceito sobre o universo e abordagem do disco, ele foi construindo os beats, fomos colocando letras e vozes”, lembra Larissa.

A “Gira” (faixa cinco) continua com Larissa batendo forte nos pensamentos retrógados e une essa força com Luedji Luna em “Climão” num encontro que reluz como o ouro de Oxum. “Me jogo no rio e deixo ele me levar…”, diz um trecho.

 

 

Assista o vídeo da música GIRA.