Mulheres negras instalam Fórum Permanente no Fórum Social Mundial


Benedita_da_Silva
foto: banco de imagens

Amanhã, 14 de março, às 9h, será instalado em Salvador, Bahia, o Fórum Permanente de Mulheres Negras: Avaliação dos 30 anos do I Encontro Nacional de Mulheres Negras. Os debates ocorrerão em tenda armada na quadra da Coordenação de Desenvolvimento Agrário (CDA), em frente ao Campus da Ufba.

O Fórum Permanente de Mulheres Negras integra a programação do Fórum Social Mundial 2018, sendo realizado por entidades mobilizadoras da Marcha das Mulheres Negras contra o Racismo e a Violência e pelo Bem Viver, com organização do comitê Mulheres Negras Rumo a um Planeta 50-50 em 2030 e da Articulação de ONGs de Mulheres Negras Brasileiras. As atividades têm o apoio da ONU Mulheres Brasil e da Embaixada do Reino dos Países Baixos.

Cerca de 400 lideranças locais, nacionais e internacionais de movimentos de mulheres negras vão deliberar importantes questões da agenda de posicionamento político. Entre elas, a deputada federal Benedita da Silva (PT-RJ), que participa quarta-feira, às 9h, do Painel 1: ‘Avaliação dos 30 anos de organização do movimento de mulheres negras contemporâneo: Do I Encontro Nacional de Mulheres Negras à Marcha de 2015’. No dia 15, também às 9h, haverá o Painel 2 – ‘Conjuntura Política de Mulheres Negras no Brasil, América Latina e Caribe’, com participação de Vicenta Camusso, da Rede de Mulheres Afrodescendentes do Cone Sul.

Vicenta_Camusso
foto: banco de imagens

Este é o primeiro grande momento público de caráter nacional pós-Marcha das Mulheres Negras contra o Racismo e a Violência e pelo Bem Viver – ocorrida com 50 mil ativistas, no ano de 2015, em Brasíia – com diferentes forças políticas do movimento. Acirramento do racismo, aprofundamentamento das desigualdades e concentração de riquezas, feminicídio de mulheres negras, assassinato de jovens negros, encarceramento e precarização do trabalho são questões que se agravaram, nos últimos três anos, quando aconteceu a marcha que já reivindicava um novo pacto civilizatório para o Brasil.

Os 30 anos da rearticulação política contemporânea das mulheres negras trazem o histórico e os desafios da mobilização, para afirmação do protagonismo na luta política. As três décadas de ativismo e a sua ação presente e futura são temas de encontros regionais e estaduais previstos para a organização do encontro nacional, a ser votado, em 15 de março, na plenária Rumo ao Encontro Nacional de Mulheres Negras.

Perfil das mulheres negras – As mulheres negras no Brasil são 55,6 milhões, chefiam 41,1% das famílias negras e recebem, em média, 58,2% da renda das mulheres brancas. Os dados são do Retrato das Desigualdades de Gênero e Raça, estudo feito com base em séries históricas de 1995 a 2015 da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), do IBGE.

 

Serviço

O que: Fórum Permanente de Mulheres Negras no Fórum Social Mundial

Quando: 14 e 15 de março de 2018

Horário: das 9h às 16h

Onde: Coordenação de Desenvolvimento Agrário (CDA), que fica na Avenida Adhemar de Barros, 986 – Ondina, Salvador- Bahia, em frente ao Campus da Ufba.

 

 

Programação:

Dia 14/03/2018, 9h às 13h

 Abertura: Mulheres de Alagados

 Painel 1 – Avaliação dos 30 anos de organização do movimento de mulheres negras contemporâneo: Do I Encontro Nacional de Mulheres Negras à Marcha de 2015.

Mediadora:

Kátia de Melo – pedagoga

 Painelistas:

  1. Benedita da Silva – Deputada Federal (PT-RJ)
  2. Benilda Brito – N’Zinga Coletivo de Mulheres Negras de BH – MG
  3. Lúcia Dutra – Grupo Mãe Andresa – São Luiz do Maranhão
  4. Iêda Leal – Coordenadora Nacional do MNU
  5. Wânia Sant’Anna – historiadora e feminista negra do Ìrohìn
  6. Graça Santos – Frente de Mulheres Negras do Distrito Federal e Entorno

 

Dia 15/03/2018, 9h às 12h

Painel 2 – Conjuntura Política de Mulheres Negras no Brasil, América Latina e Caribe

Mediadora:

Dulce Maria Pereira – feminista, ambientalista, ativista do movimento negro

Painelistas:

  1. Heliana Hemetério – Movimento de Mulheres Negras e Rede Nacional de Lésbicas Negras e Bissexuais, Candaces e ABGLT
  2. Mônica Oliveira – Rede de Mulheres Negras de Pernambuco
  3. Ana Paula Rosário – Articulação Nacional de Negras Jovens Feministas
  4. Clátia Vieira – Fórum Nacional de Mulheres Negras
  5. Zaylin Leydi Powell Castro – Doutoranda do Programa Multi-institucional e Multidisciplinar em Difusão do Conhecimento
  6. Vicenta Camusso – Rede de Mulheres Afrodescendentes do Cone Sul
  7. Paola Yañez – coordenadora da Sub-região Andina da Rede de Mulheres Afroamerianas, Afro-Caribenhas e da Diáspora.
  8. Eunice Borges – associada de Programas da ONU Mulheres

Plenária: Rumo ao Encontro Nacional de Mulheres Negra