No Mês da Consciência Negra, Sala do Coro do TCA destaca criação de negros e negras da Bahia!


Medeia_Negra
foto: Caio Lírio

 

Iniciada em setembro, a programação especial de retomada da Sala do Coro do Teatro Castro Alves (TCA) segue até dezembro. Neste mês, o foco está no Novembro Negro, com pautas que se engajam na negritude e na criação de negros e negras da Bahia.

 

CONFIRA PROGRAMAÇÃO (sujeita a alterações)

Informações completas em www.tca.ba.gov.br

DIAS 2, 3, 4, 9, 10 e 11, às 20h

TEATRO: MEDEIA NEGRA

A tragédia grega atualizada na voz e no corpo de uma mulher negra. Medeia Negra é um grito, épico, lírico e musical. A releitura traz a personagem trágica em um corpo bárbaro, atemporal, negro e sua relação com a versão mais conhecida do mito, do trágico Eurípides. Medeia representa as mães ancestrais que expressam a morte como transformação e reconstrução e não como o fim da vida. Nesta montagem, o mito grego é revisitado pelo processo de descolonização do pensamento patriarcal e, através dele, questiona o condicionamento social que marginaliza, julga e condena corpos considerados inadequados, estrangeiros, estranhos. Medeia Negra é o mais novo espetáculo do grupo Vilavox, primeiro solo da atriz Márcia Limma, com direção de Tânia Farias (Oi Nóis Aqui Traveiz/RS) e dramaturgia de Marcio Marciano (Coletivo de Teatro Alfenim/PB) e Daniel Arcades (Grupo NATA – Núcleo Afrobrasileiro de Teatro de Alagoinhas/BA).

Quanto: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia)

Classificação indicativa: 16 anos

 

DIA 6, às 20h

TERÇA DA MÚSICA: AIACE

Aiace apresenta o show de lançamento de “Dentro Ali”, seu primeiro disco solo. A noite conta com a participação especial do cantor Lazzo Matumbi. O álbum foi lançado digitalmente em 2017 e pode ser escutado na íntegra nas principais plataformas digitais. No show, Aiace vai apresentar as músicas que fazem parte disco, que conta com participações de nomes importantes da música brasileira como Luiz Melodia e Lazzo, além de regravações de clássicos como a música “Na Primeira Manhã”, de Alceu Valença. No palco, a cantora terá companhia da banda formada pelos músicos Alexandre Vieira (baixo), Sebastian Notini (bateria), Bruno Aranha (teclado), Théo Silva (Guitarra) e Gabi Riddim (programações eletrônicas). A direção musical fica sob o comando do multi-instrumentista Jorge Solovera.

Quanto: 20 (inteira) e R$ 10 (meia)

Classificação: Livre

DIAS 7 e 14, às 20h

issonaoeumamulatamonicasantanaubuntu
Isso Não é uma Mulata – Mônica Santana

TEATRO: ISTO NÃO É UMA MULATA

Vencedor do Prêmio Braskem de Teatro 2015, na categoria Revelação, o solo teatral “Isto Não É Uma Mulata” é uma obra que provoca reflexões sobre a representação da mulher negra, além de apontar as fragilidades do mito da democracia racial brasileira, com ironia e humor. Com criação e atuação de Monica Santana, a obra ganhou ressonância na cena teatral de Salvador por trazer uma perspectiva de discussão sobre as questões raciais, com uma linguagem aproximada com a performance, mas também incorporando elementos de cultura pop, ironia, depoimento pessoal e apontamentos de teatro épico. Partindo da famosa frase proferida por Gilberto Freyre “Branca para casar. Mulata para fornicar. Negra para trabalhar”, a artista Mônica Santana tece obras que questionam as formas de representação da mulher negra: seja a mestiça hipersexualizada, de formas exuberantes e sempre disponível para o sexo, seja a negra escura para o serviço braçal.

Quanto: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)

Classificação: 14 anos

DIA 13, às 20h

TERÇA DA MÚSICA: IGOR GNOMO GROUP

O Igor Gnomo Group, natural da cidade de Paulo Afonso (Bahia), apresenta em sua sonoridade influências do jazz rock em simbiose com a música brasileira (ijexá, baião, maracatu). Com dois trabalhos autorais lançados, passando por diversos festivais pelo Brasil e Argentina, participações ao lado de Armandinho Macêdo, Luciano Magno, André Neiva, Gabriel Pensador, Coutto Orchestra, o trio é liderado pelo guitarrista Igor Gnomo ao lado do percussionista Gildo Madeira e o baixista André Jumper. Eles trazem a Salvador o show “Afrontar”, recém-lançado em turnê na Argentina, apresentando composições autorais e releituras que passeiam por Jackson do Pandeiro, Dominguinhos, Hermeto Pascoal e Chico Science. O Igor Gnomo Group convida o violinista Marcelo Fonseca e o baterista Igor Galindo para o espetáculo.

Quanto: 20 (inteira) e R$ 10 (meia)

Classificação: 14 anos

DIA 15, às 19h

Pedro Morais Foto Divulgação
Pedro Morais Foto Divulgação

TERÇA DA MÚSICA: PEDRO MORAIS

No show “As Rosas Não Falam – Uma homenagem a Cartola”, estreado em 2009, Pedro Morais busca resgatar a irreverência que o sambista mostrava ao interpretar a singularidade da vida cotidiana e amorosa dos morros, expressa nos sambas-canções composto pelo autor e criador da Escola de Samba da Mangueira. Cartola não apenas foi um grande compositor, como também um ótimo intérprete: sua obra conseguia imprimir a marca do cronista dos morros cariocas. Nesta nova formação, Pedro Morais é acompanhado pelos músicos Maurício Azevedo (violão, cavaquinho e flauta), Eduardo Brandão (violão 7 cordas e bandolim), Ilma Nascimento (violoncelo) e Alexandre Lins (percussão).

Quanto: R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia)

Classificação indicativa: Livre

DIA 28, às 20h

Aloísio Menezes
Aloísio Menezes

 

MÚSICA: MOVIMENTO BLACK AFRO POP

Show de mistura das vozes inconfundíveis de Cida Martinez (Samba), Aloisio Menezes (Afro- Pop) e Portella Açúcar, verdadeiros representantes da cultura negra da Bahia, com repertório vasto nas músicas mais populares e contagiantes.

Quanto: A divulgar

Classificação indicativa: A divulgar