#OpiniãoPreta #OlhandoPraMimVejoNos – Por Larissa Fulana de Tal!


cineclube_tela_preta
Fto Fanny Oliveira

 

Como você se vê? Você se olha? São perguntas pra você que está lendo essas palavras! Mas aliás, você realmente se vê? Onde mesmo? Diante dessas questões que refletem como olhamos o mundo e a nós, e leia-se Nós, enquanto População Negra, lançamos o Cineclube Tela Preta com o propósito de provocar e inquietar os encontros de olhares de mundo que interligam o individual ao coletivo, o pessoal ao político e por fim, o cotidiano à história.

Cineclube Tela Preta promove sessões gratuitas de cinema negro!

Partimos do pressuposto que nossa cabeça é uma sala de cinema ambulante. Onde foi imposto as imagens de medos, negações violências… e nós, População Negra, com nossa existência, contrapomos com movimento de imagens de sonhos, desejos, vontades e futuros!

Nesta sala de cinema ambulante ainda há vídeos acumulados e envelhecidos com nossas imagens tão rasas. São todos esses vídeos que queimaremos e apagaremos o que nos é negado ao direito de existir em campo ou que nos empurra para o canto da tela, ou podemos dizer que extrapola a “margem da imagem”, mas é real e concreto. É necessário mover-se para desconstruir e olhar para construir.

E neste espaço que o criar re-existe, desta forma, temos como direito sim ao ensaioao erro, e por quê não, ao experimental? O Cineclube promove encontros de um espaço de reflexão sobre a nossa presença nas imagens e atrás das câmeras com o Cinema Negro, e o nosso processo criativo que parte da ruptura do sujeito que filma e o sujeito filmado. Provocando as reflexões da construção da imagem que queremos de nós, a partir do olhar de quem olha e de quem se ver, afinal somos “Nós por Nós”!

Referência:  O olhar opositivo – a espectadora negra , por Bell Hooks

larissa fulana de tal
Larissa Fulana de Tal

Larissa Fulana de Tal é Coordenadora do Cine Tela Preta e integrante do coletivo de cinema negro, Tela Preta, sócia da produtora Rebento Filmes, graduada em Cinema e Audiovisual na UFRB.