Encontros & Africanidades traz Tássia Reis, Mc Soffia e Dream Team do Passinho


dreamAproveitando o mês da Consciência Negra, nos 01 e 02 de novembro, o Desabafo Social com direção artística de Monique Evelle e a relações públicas, Ítala Herta, realizará em Salvador o projeto Encontros & Africanidades, evento que reunirá artistas nacionais e locais para show, debates e feira empreendedora.

Com apoio da Secretaria de Políticas para as Mulheres do Estado da Bahia (SPM-BA), do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), da Universidade Salvador (UNIFACS), TV Aratu, Hotel São Salvador, U-Report Brasil e outros parceiros, a iniciativa busca celebrar o protagonismo da juventude negra, sobretudo, mulheres negras.

O primeiro dia de evento acontece na Praça Tereza Batista, Pelourinho, a partir das 19h com o show da rapper MC Soffia (SP), o funk carioca do Dream Team do Passinho (RJ) e abertura das djs Ovelhas Negras (BA) com o 1º lote no valor de R$ 40 (inteira) R$ 20 (meia). O segundo dia será no Candyall Guetho Square com debates, feira e mais show. Marcarão presença: Tássia Reis (SP), Juliana Ribeiro (BA) e Mel Duarte (SP). Visando o fortalecimento da iniciativa do Desabafo Social em seu trabalho com educação em direitos humanos, o valor arrecado com a venda de ingressos será revertido para o desenvolvimento dos projetos da organização durante o primeiro semestre de 2017.

Foto: lacry Amanda Divagreen
Foto: lacry Amanda Divagreen

PROGRAMAÇÃO:

DIA 01/11: Show com Ovelhas Negras, Dream Team do Passinho e MC Soffia às 19h na Praça Tereza Batista

Dia 02/11: Feira, #NaRoda com Lellezinha, MC Soffia, Tássia Reis, Mel Duarte e Juliana Ribeiro, Sarau Poético e Dj Cris Fernandes e Luma Nascimento das 10h às 19h, Candyall Guetho Square.

Ingressos:
1º Lote Promocional – Inteira R$ 40 e Meia Entrada R$ 20
2º Lote – Inteira R$ 60 e Meia Entrada R$ 30
Censura: 14 anos acompanhado [email protected] responsável

PASSAPORTE PROMOCIONAL (Dia 01 e 02/11)
1º Lote – Inteira R$ 50 e Meia Entrada R$ 25
2º Lote – Inteira R$ 70 e Meia Entrada R$ 35
Censura: Livre
Vendas: http://bit.ly/VendasAfricanidades

Fonte: Desabafo Social

Desabafo Social prepara abertura do Novembro Negro com encontros musicais, feiras e oficinas


dream_team_do_passinho_bob2-1-1024x683
Dream Team do Passinho

Nos dias 01 e 02 de novembro, o Desabafo Social realizará, em Salvador, o projeto Encontros & Africanidades, evento que reunirá artistas nacionais e locais pra shows, debates e feira empreendedora. Com apoio da Secretaria de Políticas para as Mulheres do Estado da Bahia, UNFPA, UNIFACS, TV Aratu, Hotel São Salvador, UNICEF e outros parceiros, a iniciativa busca celebrar o protagonismo da juventude negra, sobretudo, mulheres negras. O projeto tem direção artística de Monique Evelle e a relações públicas Ítala Herta,

O primeiro dia de evento acontece na Praça Tereza Batista, Pelourinho, a partir das 19h com o show da rapper MC Soffia (SP), o funk carioca do Dream Team do Passinho (RJ) e abertura das djs Ovelhas Negras (BA) com o 1º lote no valor de R$ 40 (inteira) R$ 20 (meia). O segundo dia será no Candyall Guetho Square com debates, feira e mais show. Marcarão presença: Tássia Reis (SP), Juliana Ribeiro (BA) e Mel Duarte (SP). Terá  ainda oficinas, debates, feiras e oportunidades de reunir coletivos, negócios criativos e todos aqueles que se interessam pelas iniciativas da juventude negra, em especial das mulheres.

Visando o fortalecimento da iniciativa do Desabafo Social em seu trabalho com educação em direitos humanos, o valor arrecado com a venda de ingressos será revertido para o desenvolvimento dos projetos da organização durante o primeiro semestre de 2017. Ingressos aqui.

PROGRAMAÇÃO

DIA 01/11: Show com Dream Team do Passinho e MC Soffia às 19h na Praça Tereza Batista

Dia 02/11: Feira, #NaRoda com Lellezinha, MC Soffia, Tássia Reis, Mel Duarte e Juliana Ribeiro, Sarau Poético e Dj Cris Fernandes e Luma Nascimento das 10h às 19h, Candyall Guetho Square.

Sarauzinho da Calu volta aos palcos de Lauro de Freitas


Foto: Divulgação

O Sarauzinho da Calu chega a Lauro de Freitas, para única apresentação no dia 19 de maio, às 17h, no Cine Teatro Lauro de Freitas, e utiliza a ferramenta da poesia, música e literatura infantil para falar de representatividade, tradição, memória e identidade.

Foto: Divulgação

Baseado no livro “Calu, uma menina cheia de histórias”, que tem prefácio do ator e escritor Lázaro Ramos e foi vencedor do prêmio APCA – São Paulo em 2017, o livro serviu de inspiração para o espetáculo que é dirigida pela atriz, escritora e dramaturga Cássia Valle do Bando de Teatro Olodum.

O Sarauzinho é um espetáculo que aborda a narrativa de uma menina negra, que a partir das suas histórias contadas no bloquinho cria um universo alternativo carregado de símbolos, afirmando a importância de falar dos sonhos. De forma lúdica, criativa e transformadora, a Performance Literária retrata a transmissão de conhecimento através da oralidade, como contação de histórias, poemas e canções infantis compostas especialmente para o sarauzinho.

O elenco conta com Kelly Ribeiro, Clara Cardoso, Naira da Hora, Juliana Luz, Vagner de Jesus e a atriz mirim Ayana Dantas, além dos artistas colaboradores Merry Batista, Marquinhos Dede, Shirley Sanveja, Nine Vieira. A direção do Sarauzinho é de Cássia Valle, codireção Leno Sacramento, produção da DiPreta, direção musical de Cell Dantas, iluminação Rivaldo Rio e Fotografia de Fafá.

SERVIÇO:

O que: “Sarauzinho da Calu”

Quando: 19 de maio de 2019.

Onde: Cine teatro Lauro de Freitas

Quanto: R$10,00 (inteira) / R$ 5,00 (meia) disponível na bilheteria do teatro.

Classificação: Livre

Realização: Moinhos Giros de Arte Cultura e Comunicação

Livraria Cultura prepara Festival #VivaCultura com tema “Cultura Negra – Identidade e Resistência”!


festival_viva_cultura
Foto Adeloya Magnoni

 

Vinte horas de programação com música, teatro, literatura, atividades infantis e performances especiais. As atrações serão gratuitas, exceto os teatros, que terão ingressos a preços populares.

O que é isso tudo? Nos dias 6 e 7 de abril, a Livraria Cultura de Salvador abrirá suas portas para o Festival #VivaCultura. Será em todo o Brasil, mas Salvador terá uma temática especial, valorizando os artistas negros e a rica cultura regional. “Cultura Negra – Identidade e Resistência” foi escolhido como tema para os dois dias de festival em Salvador.

cassia_valle_calu_livro_infantil
Cassia Valle

Tem papos como “A influência africana no Universo Geek”, uma reflexão sobre “Os blocos afros e a literatura; Para as crianças, haverá um bate papo sobre a importância da representatividade étnica na literatura infantil, com a poeta Ana Fátima, a escritora Lorena Ribeiro e o escritor Adilson Passos…roda de conversa sobre “A comida ancestral na identidade da cidade”. E no Teatro terá a apresentação da Peça infantil Sarauzinho da Calu, da escritora e atriz Cassia Valle, com preços populares (única apresentação paga).

Várias coisas….tudo preto! Programe-se!

:: PROGRAMAÇÃO ::

************************* SÁBADO, 06/04 ********************************

13h – Roda de conversa “A INFLUÊNCIA AFRICANA NO UNIVERSO GEEK” com Alexandre Santos, Ícaro Rodrigues, Zezé Olukemi, Marcelo Vitz, e Lee27. Demonstrações dos jogos, Graffiti e cosplay.

14h30 – Conversa sobre a “IMPORTÂNCIA DA REPRESENTATIVIDADE ÉTNICA NA LITERATURA INFANTIL” com Adilson Passos, Lorena Ribeiro e Ana Fátima. Teremos também contação de História e oficinas infantis.

15h30 – Bate papo sobre “OS BLOCOS AFROS E A LITERATURA” com o Ilê Ayê, Didá e bloco afro Bankoma, seguida de apresentação musical.

17h – Apresentação Musical BaviAiá com Duo B.A.V.I. – Berimbau Aparelhado Violão Inventável e a cantora Aiace

19h – Bate papo sobre “ESCRITA PRETA E IDENTIDADE” com Ryane Leão, Rita Santana e Lívia Natália

20h30 – Apresentação Musical Nara Couto e a banda Pantera Negras.

********************* DOMINGO, 07/04 **********************************

13h00 – Narrativas e diálogos: O saber ancestral com o Coletivo RISOMAR.

14h30 – Roda de conversa “A COMIDA ANCESTRAL NA IDENTIDADE DA CIDADE” com Rita Maria da ABAM, Tairine Ceuta, apresentadora do programa “Com Sabor” , Angelica Moreira do Ajeum da Diáspora e Lilian Almeida da Casa Dona Lili.

15h30- Sarauzinho da Calu

16h – Bate papo sobre “HOMENS PRETOS NA MODA” com Renato Carneiro, George Oliveira e Wander da Black, seguido de desfile de moda com as marcas Madame Nalwango, Katuka, Agudá e Black Atitude ao som do cantor Seu Verciah.

18H – Apresentação do grupo Sarau do onça e o Coletivo Zeferinas

19H- Apresentação da Drag Negra- Dandara Show

19H30 – Samba de roda do Grupo Barlavento e Samba de Oyá

Durante os intervalos de cada atração teremos oficina de Bandanas com a marca Madame Nalwango

Dicas de maquiagem para a pele negra com a Juliana Calleia

* Programação sujeita à alteração sem aviso prévio.

SERVIÇO

FESTIVAL #VIVACULTURA
Onde: Livraria Cultura – Salvador
Quando: 6 e 7 de abril de 2019
Classificação Etária: Livre (algumas atrações podem ter restrição de idade, verifique em nosso site)
Local sujeito à lotação

TRANSMISSÃO – Carla Akotirene lança livro “O que é Interseccionalidade?” em Salvador!


carla_akotirene
Foto: Antonio Terra

Na noite do dia 21 de novembro, às 19 horas, a pesquisadora baiana Carla Akotirene lança seu primeiro livro autoral, intitulado “O que é Interseccionalidade?”, o quinto volume da Coleção Feminismos Plurais. As primeiras 200 pessoas ganharão o livro.

VEJA AQUI TRANSMISSÃO DO LANÇAMENTO E COLETIVA COM DJAMILA RIBEIRO E CARLA NA FANPAGE DO SOTEROPRETA!

A Coleção Feminismos Plurais apresenta conceitos e debates fundamentais articulados por pensadoras e pensadores negras/os numa linguagem acessível e pedagógica. Impulsionada e coordenada pela filósofa Djamila Ribeiro, foi inaugurada com o best-seller “O que é lugar de fala?”, da própria Djamila Ribeiro, obra indicada ao Prêmio Jabuti em 2018. Os livros seguintes: “O que é empoderamento?”, de Joice Berth; “O que é encarceramento em massa?”, de Juliana Borges; e o “O que é racismo estrutural?”, de Silvio Almeida; já firmaram a Coleção como uma referência de produção intelectual negra no Brasil.

Carla atravessa o Atlântico, propondo uma encruzilhada discursiva para a interseccionalidade. Apresenta sete críticas ao conceito, dialogando com Angela Davis, Ochy Curiel, Gilza Marques, Jasbir Puar, Sueli Carneiro, Patrícia Hill Collins e Houria Bouteldja. Filiando-se ao método diásporico, ela busca explicar como esta “sensibilidade analítica”, cunhada pela estadunidense Kimberlé Crenshaw, no âmbito das leis antidiscriminação e pensada pelas feministas negras, está sofrendo maus usos pelas branquitudes acadêmicas, especialmente do Norte Global.

Temas como homonacionalismo, matripotência iorubá, racismo religioso, LGBTfobia e colonialismo moderno são enunciados centrais deste volume.

VEJA AQUI TRANSMISSÃO DO LANÇAMENTO E COLETIVA COM DJAMILA RIBEIRO E CARLA NA FANPAGE DO SOTEROPRETA!

 

QUEM É ELA

Doutoranda pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), Carla Akotirene é referência nacional em estudos sobre gênero, raça e feminismo e sua obra foi a quarta mais vendida da FLICA – Festa Literária de Cachoeira.  O livro conta com escritas consagradas no campo acadêmico, como a doutora em sociologia, Ângela Figueiredo, responsável pelo texto de orelha, e a doutora em estudos étnicos e africanos, Zelinda Barros, que assina a nota introdutória.

No lançamento, serão distribuídos 200 (duzentos) exemplares, uma cortesia da Lola Cosmetics. A noite contará com a participação da coordenadora da Coleção Feminismos Plurais, Djamila Ribeiro, e também com a arquiteta e escritora Joice Berth.

Joice Berth, Djamila Ribeiro, Carla Akotirene, Rita Batista e Lívia Natália – JUNTAS!

Serviço

O que? Lançamento do livro “O que é interseccionalidade?”, de Carla Akotirene.

Quando? Dia 21 de novembro, às 19 horas.

Onde? TCA – Teatro Castro Alves.

“Sarauzinho da Calu” estreia no mês da Consciência Negra em Salvador!


 

cassia_valle_calu_livro_infantil
Cassia Valle

O premiado livro “Calu, uma menina cheia de histórias”, primeiro livro da atriz, escritora e dramaturga, Cassia Valle – em parceria com Luciana Palmeira – , virou Sarauzinho e ganha os palcos da cidade. A Performance literária “Sarauzinho da Calu”, estreia no dia 10 de novembro, com apelo para o imaginário infantil e a necessidade de salvaguarda da memória. No mesmo dia, haverá o lançamento do Bloquinho de Poesias e Músicas da Calu. Os ingressos para o Sarauzinho, bem como o Bloquinho, poderão ser adquiridos no local.

O livro, que tem prefácio do ator e escritor Lázaro Ramos e foi vencedor do prêmio APCA – São Paulo em 2017 na categoria literatura infanto-juvenil, inspirou a performance que é dirigida pela autora. “O Sarauzinho, utiliza a ferramenta da poesia, música e literatura infantil para falar de representatividade, tradição memória e identidade. Em um dos lançamentos do Livro, uma mãe me disse que representatividade cura e sendo assim, o Sarauzinho chega para trazer uma performance literária recheada de afetos através de músicas e poesias cantadas por atores negras e negros” disse a diretora.

A direção do Sarauzinho é de Cássia Valle, codireção Leno Sacramento, produção da DiPreta, direção musical de Cell Dantas, iluminação Rivaldo Rio e Fotografia de Fafá Araújo. No elenco a performance conta com Kelly Ribeiro, Clara Cardoso, Naira da Hora, Juliana Luz, Wagner de Jesus e a atriz mirim Yayana Dantas, além dos artistas colaboradores Merry Batista, Marquinhos Dede, Shirley Sanveja Nine Vieira.

 

SERVIÇO

O que: Estreia do “Sarauzinho da Calu” e Lançamento do “Bloquinho”

Quando: 10 de novembro de 2018, sábado, às 16h

Onde: Teatro Vila Velha – Av. Sete de Setembro, s/n – Passeio Público – Campo Grande – Salvador/BA

Quanto: R$20/10

 

 

Culinária Musical apresenta Wilson Carvalho, Inaicyra Falcão e Brena Gonçalves


O cantor, compositor e instrumentista Wilson Carvalho, as cantoras Inaicyra Falcão e Brena Gonçalves são ‘ingredientes’ especiais na mistura do próximo Culinária Musical que acontece no dia 7 de abril, além das participações do violonista Maurício Lourenço e do percussionista Gabi Guedes.

O evento idealizado pelo afrochef Jorge Whashington retorna ao Casarão Barabadá (Rua Direita do Santo Antônio, 65), no Santo Antônio Além do Carmo, a partir das 13h, com os pratos maxixada e moqueca de carne seca. A entrada custa R$15 (em espécie) e o prato R$30 (em espécie e no débito).

brena_gonçalves
Brena Gonçalves

Com um repertório composto por MPB, samba, funk, salsa e blues. O repertório de Wilson Carvalho é composto com criações de nomes como Caetano Veloso, João Bosco, Gilberto Gil, Chico Buarque e Adriana Calcanhoto. A assinatura do artista fica por conta da interpretação e arranjos que conquista o público, sem contar as canções autorais que incrementam seus shows.

“Fiquei muito feliz com o convite de Jorge Washington. A minha primeira vez no Culinária foi maravilhosa e alegre. Espero que seja mais uma tarde mágica”, disse Wilson.

CulinariaMusical
Foto: divulgação

Intérprete soprano Inaicyra Falcão também estará na próxima edição do Culinária, acompanhada pelo violonista Maurício Lourenço e do percussionista Gabi Guedes. E, a cantora e multi-instrumentista Brena Gonçalves, que participou do The Voice Brasil, também estará no palco do Casarão Barabadá.

Neste encontro, o afrochef Jorge Whashington irá apresentar e preparar dois pratos: maxixada e moqueca de carne seca. Tudo aprendido com base no aprendizado desde a infância nos almoços em família – daqueles que ficam eternizados na memória afetiva– quando recebia as notas para ir à feira comprar os ingredientes para a mãe, Georgina Rodrigues da Silva.

 

SERVIÇO
O que:  Culinária Musical
Quando: 7 de abril de 2018, das 13h às 17h
Onde: Casarão Barabadá, Rua Direita do Santo Antônio 65
Quanto: R$15 (entrada em espécie) e prato R$ 30 (em espécie e no cartão de débito)
Atrações: Wilson Carvalho, Inaicyra Falcão, Brenda Gonçalves, Maurício Lourenço e Gabi Guedes
Cardápio: moqueca de carne seca e maxixada

#NegrasVisíveis – Projeto mapeia profissionais negras de diferentes campos de norte a sul do Brasil


Giovana Xavier
Giovana Xavier

“Intelectuais Negras Visíveis”, uma pesquisa que tem como principal objetivo conferir visibilidade ao trabalho de profissionais negras atuantes em diferentes campos de norte a sul do Brasil”. Este é o projeto da pesquisadora Giovana Xavier que mapeia mulheres negras protagonistas em todo Brasil, em diferentes áreas, que vem produzindo saberes, ações, ativismos em todo canto.

É uma ampla pesquisa que registra estas produções negras, levando em conta a diversidade etária, regional, de classe, de gêneros e sexualidades e as transformações das últimas décadas. A busca é por “profissionais negras com trabalhos relevantes dentro e fora da comunidade”. A Bahia está bem representada, veja a lista abaixo.

jamile menezes
Jamile Menezes – Portal SoteroPreta

O primeiro resultado desse trabalho é o Portfólio no qual estão dados biográficos e profissionais de 129 Intelectuais Negras, atuantes nos campos: Academia e Pesquisa, Afroempreendedorismo, Artes Visuais, Cinema, Dança, Teatro e TV, Coletivos de Mulheres Negras, Coletivos de Mulheres Negras, Comunicação e Mídias, Direitos Humanos, Educação Básica, Intelectualidade Pública, Literatura, Música, Saúde.

Confira todo projeto AQUI.

No projeto, estão previstas ainda entrevistas individuais com as integrantes do catálogo e a publicação de novos títulos por campos profissionais específicos, dentre outras iniciativas.

Madalena Negrif - Fto Alex Dantas
Madalena Negrif – Fto Alex Dantas

As baianas Intelectuais Visíveis:

Academia
Juliana Barreto Farias: São Francisco do Conde – Professora de História

Afroempreendedorismo

Madalena Negrif: Salvador

Artes Visuais

Camila Moraes: Salvador – Cineasta e Jornalista

Cinema, dança, teatro e TV

Jamile Coelho: Salvador – Diretora, Diretora de arte e Produtora.

Larissa Fulana de Tal: Salvador – Criação, direção, montagem e desenvolvimento de projetos no campo de Cinema e Audiovisual

Onisajé: Alagoinha – Diretora Teatral

larissa fulana de tal
Larissa Fulana de Tal

Comunicação e Mídias

Geise Oliveira: Salvador – Produtora Cultural e Mestre em Cultura e Sociedade.

Jamile Menezes: Salvador – Jornalista

Larissa Santiago: Salvador – Publicitária

Luciane Reis: Salvador – Publicitária

Literatura

Mel Adún: Salvador – Escritora, editora e produtora de textos

Música

Nara Couto: Salvador – Pesquisadora, bailarina, cantora, atriz E produtora cultural

Saúde

Denize Ribeiro: Santo Antônio de Jesus – Nutricionista, Doutora em Saúde Coletiva; Professora.

Emanuelle Góes: Salvador – Enfermeira e Coordenadora do Programa de Saúde do Odara – Instituto da Mulher Negra.

#TerçasPretas – “Se Deus fosse preto – o Legado de LHOID” em cartaz no Vila Velha


se deus fosse preto
Foto: Max Fonseca

O ator Sérgio Laurentino (Bando de Teatro Olodum) volta aos palcos do Teatro Vila Velha com seu solo,“Se Deus Fosse Preto – O Legado de LHOID”, que tem como personagem central Lhutam Omí Imbó do Dendê -LHOID, homem negro preso injustamente pelo assassinato de sua filha e de sua esposa.

Ao longo do solo, Lhoid escreve textos baseando e fundamentando uma nova religião universal. Entre ficção e realidade, sua escrita chega aos anos 3 mil, um futuro que prenuncia a queda das religiões vigentes e o surgimento de um novo messias. Em pouco tempo, as ideias de LHOID ganham repercussão absurda e tornam-se a nova religião universal.

Confira aqui crítica sobre o solo, por Ricardo Gonzaga. 

 

O espetáculo integra a programação do projeto “Terças Pretas” do Bando de Teatro Olodum, ocupando o Teatro Vila Velha, em Salvador, com poesia, literatura e espetáculos teatrais.

 

Chegue lá…

Dia 30/05 | terça | 19h

R$ 20 e R$ 10

Sala Principal – Teatro Vila Velha

Classificação indicativa: 16 anos

Duração: 60min

 

#TerçasPretas – Jack Elesbão leva solo “Entre Linhas” ao Teatro Vila Velha


jack elesbao

No dia 23 de maio, o solo “Entre Linhas”, interpretado por Jaqueline Elesbão será a presentado no Teatro Vila Velha. A obra tem como temática central as diversas expressões da violência contra a mulher, interpretadas através de movimentos do corpo e sons.

Na performance, Elesbão expõe a violência de ordem psicológica, emocional e sexual, e denuncia o processo cultural de silenciamento do discurso feminino desde sua formação até os dias atuais.

Ao longo do espetáculo, a coreógrafa Jack Elesbão inverte os papéis de vítima e algoz. Em sua atuação, ela traz elementos históricos, a exemplo da máscara de flandres – usada pela lendária escrava Anastácia nas sessões de tortura pelo seu senhor –, o sutiã (utensílio simbólico da liberdade feminina na década de 60) e o salto alto, símbolo de poder e independência da mulher na contemporaneidade, são alguns exemplos).

O espetáculo integra a programação do projeto “Terças Pretas” do Bando de Teatro Olodum, ocupando o Teatro Vila Velha, em Salvador, com poesia, literatura e espetáculos teatrais.

Chegue lá…

23/05 | terça | 19h

R$ 20 e 10

Sala Principal Teatro Vila Velha