Governo da Bahia muda nome de escola Victor Civita para Mestre Môa do Katendê!


moa_do_katende

Através de portaria publicada nesta quarta-feira (17), o secretário de Educação do Estado da Bahia, Jerônimo Rodrigues Souza, mudou o nome do Colégio Estadual Victor Civita para Colégio Estadual Mestre Môa Do Katendê. A escola fica na capital baiana, no bairro do Dique Pequeno, e  a mudança atende a uma solicitação da comunidade escolar, dos moradores do Engenho Velho de Brotas e do movimento negro.

 O mestre de capoeira e militante da cultura negra Romualdo Rosário da Costa, de 63 anos, conhecido como Moa do Katendê, foi esfaqueado e morto em um bar, em outubro do ano passado, na região do Dique do Tororó, em Salvador. O crime aconteceu logo após o capoeirista ter uma discussão sobre política com, segundo postagem de amigos e alunos nas redes sociais, “um eleitor do fascista ‘coiso’”, se referindo ao presidenciável Jair Bolsonaro (PSL).

Em nome da família do Mestre Moa, a sobrinha Renilda Costa, falou sobre a mudança. “A homenagem circulou rápido, todo mundo nos parabenizando. Estamos muito felizes e vibrando com isto que, para nós, tem um significado enorme pela importância que foi meu tio, não só para a comunidade local, mas para todo o país. É um orgulho danado ter a escola onde estudaram tantos parentes, filhos e sobrinhos com o nome dele. Sou muito grata à diretora da unidade escolar, Rodrenice Borges, e à Secretaria da Educação pela sensibilidade de atenderem ao pedido da comunidade”, declarou Renilda, emocionada.

A sua morte causou grande comoção mundial. O ex-Pink Floyd, Roger Waters, homenageou o capoeirista Moa do Katendê em sua apresentação em Salvador, na Arena Fonte Nova. Uma imagem no telão mostrou mestre Moa. O cantor foi ovacionado pela plateia. O cantor e compositor baiano gravou, na época, uma canção em homenagem ao capoeirista.

A diretora Rodrenice falou com entusiasmo sobre a mudança do nome da escola para Colégio Estadual Mestre Moa do Katendê. “Estou radiante, feliz demais. Ao contemplar uma solicitação da comunidade, a Secretaria da Educação está valorizando a mesma e enaltecendo a questão do pertencimento. Moa foi uma pessoa muito querida de todos nós e ele tinha uma ligação especial com o nosso colégio. Tanto que pouco tempo antes de morrer, ele veio aqui na escola para oferecer dar aula de capoeira gratuita para os estudantes. O colégio é um patrimônio dos estudantes e ao serem atendidos contribui para que eles se sintam ainda mais respeitados. Nossa unidade está passando por uma reforma geral, depois de 20 anos de existência, e isto também vai somar para a melhoria do ensino e aprendizagem”, ressaltou.

Mestre Moa do Katendê

 Mestre Moa do Katendê foi um compositor, percussionista, artesão, educador e mestre de capoeira brasileiro. Considerado um dos maiores mestres de capoeira de Angola da Bahia, começou a praticar capoeira aos oito anos de idade, no terreiro de sua tia, o Ilê Axé Omin Bain. Foi campeão do Festival da Canção do bloco Ilê Aiyê em 1977. Promoveu o afoxé, fundando em 1978 o Badauê, e em 1995 o Amigos de Katendê. Defendia um processo de “reafricanização” da juventude baiana e do carnaval, seguindo as propostas de Antonio Risério.

Victor Civita

 Victor Civita, que dava o nome anterior ao colégio, foi um empresário que fundou a Editora Abril, que publica, entre outras a Revista Veja.
Originado da Revista Fórum
Com informações da SEC

Carnaval – Grupo Opanijé faz show em homenagem a Moa do Katendê no Pelô!


Com repertório autoral, o grupo de rap baiano Opanijé subirá no palco do Largo Tereza Batista, Pelourinho, nesta terça de Carnaval (05). Durante o show o grupo fará homenagem ao Mestre Moa do Katendê, cantando “Moço Lindo do Badauê”, além de apresentar o projeto Coletivo Obi’Ebó” com músicas que fazem referência aos orixás Exú e Ogum.

O maestro Mestre Mario Pam do Ilê Aiyê irá comandar a percussão durante o show, que terá as participações dos rappers Vagabundo Prodígio, Fernandez, Aspri (RBF), Xarope Mc e Wall.

Formado por Lázaro Erê, Rone DumDum e Dj Chiba, o Opanijé inova ao unir o que existe de mais tradicional na cultura afrobaiana, como o uso de instrumentos percussivos, berimbaus e cânticos de candomblé. A galera une aos samples, efeitos e batidas eletrônicas, traçando uma encruzilhada entre as experiências musicais da diáspora, utilizando o rap como base.

 

SE LIGA!
O que:
 Show do OPANIJÉ com Mestre Mario Pam e participações de Vagabundo Prodígio, Fernandez, Aspri, Xarope Mc e Wall.

Onde: Largo Tereza Batista, Pelourinho

Quando: Dia 5 de março (terça-feira), 15h

Aberto ao público

Mestre Moa do Katendê será homenageado com a Comenda Câmara Cascudo!


moa_do_katende
Divulgação

Tem homenagem a Mestre Moa até sempre por aqui!

A deputada federal Lídice da Mata (PSB-BA) homenageará, neste sábado (23), às 10h30, o mestre de capoeira e artista Moa do Katendê, com a entrega da Comenda Câmara Cascudo. O evento será realizado no Colégio Estadual Vitor Civita, na comunidade de Dique Pequeno, no Engenho Velho de Brotas, em Salvador.  Comenda de Incentivo à Cultura Luís da Câmara Cascudo, é destinada a agraciar personalidades, instituições e grupos que tenham oferecido contribuição relevante ao registro e ao fortalecimento da cultura, do folclore e dos saberes tradicionais do Brasil.

Além de capoeirista, Romualdo Rosário da Costa, conhecido como Mestre Moa do Katendê, também acumulava outras habilidades na cultura. Foi compositor, percussionista, artesão e educador.

VAI LÁ…

O que: Entrega da Comenda Câmara Cascudo a Moa do Katendê

Quando: 23/02/19, 10h30

Onde: Colégio Estadual Vitor Civita,  Engenho Velho de Brotas

Aberto ao público

Mestre Moa do Katendê é assassinado em Salvador por apoiador de Bolsonaro!


 

Morreu, por volta da meia noite deste domingo (7), o compositor e capoeirista Romualdo Rosário da Costa, 63 anos, mais conhecido como Moa do Katendê, aos 63 anos. Ele foi assassinado com golpes de faca por  Paulo Sergio Ferreira, também morador da  na comunidade do Dique Pequeno, no Engenho Velho de Brotas, onde Moa morava. O crime ocorreu em um bar onde todos estavam e começaram a debater sobre a política, diante do pós eleições.

Testemunhas contaram que o crime ocorreu após Moa argumentar contra o candidato Jair Bolsonaro, que estava sendo defendido pelo autor do crime. O suspeito foi preso e confessou o crime à polícia.

 

Mestre Moa do Katendê nasceu em Salvador, em 29 de outubro de 1954, no Bairro Dique do Tororó, Vasco da Gama, próximo ao Estádio Fonte Nova. Foi aluno diplomado pelo mestre Bobó e se iniciou na Capoeira aos 8 oito anos de idade, na Academia Capoeira Angola 5 estrelas. 

 

Moa do Katendê desenvolveu trabalhos em grupos folclóricos, como o “Viva Bahia” e o “Katendê”. Como divulgador da Cultura Negra, Moa deu diversas palestras, workshops e cursos no Brasil e no exterior. Em maio de 1978, fundou o “Afoxé “Badauê”, que desfilou pela primeira vez no ano seguinte e tornou-se campeão do carnaval na categoria de afoxé.

O sepultamento do Mestre Môa do Katendê será nesta segunda- feira (8), às 16h, no cemitério na Baixa de Quintas, Ordem Terceira.

 

Cine Teatro Solar Boa Vista, celebra 35 anos com diversas atrações gratuitas este mês!


solar boa vista
:Foto: Elói Corrêa/GOVBA

 

Neste mês de julho, o Cine Teatro Solar Boa Vista, celebra 35 anos, brindando o público com mais uma edição do Julho + Solar.  Este ano, o projeto homenageará o compositor, percussionista, artesão, educador e mestre de capoeira Moa do Katendê, morto em outubro do ano passado.

As atividades gratuitas seguem todas terças e quartas-feiras, às 10h e 15h, com a apresentação dos documentários da 12ª Mostra de Direitos e Humanos, dentro do evento Cine Solar, proporcionando para comunidade local momentos de lazer, conhecimento e entretenimento. Em seu mês de aniversário, o Solar apresentará também para as crianças e os adolescentes filmes ligados aos documentários da referida mostra. Além dos filmes da Mostra, haverá produções brasileiras e internacionais, e um bate papo com o público ao final dos filmes.

Na quinta-feira (11), às 18h, na Sala Principal, a programação será aberta com muita poesia, lançamento do filme documentário Nossos Mortos tem Voz e uma Roda de conversa sobre violência contra a juventude. Já no sábado (13), às 17h, acontece o show da Banda de rock, “Os Sintéticos”, sempre com uma atração convidada. Este evento foi realizado pela primeira vez em maio de 2018, com três adições, no Espaço Buk Porão, no Santo Antonio Além do Carmo. O objetivo é ocupação e dinamização do espaço cultural, além de formação de público da banda. Ingressos a R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia).

Oficina_Iluminaca
Foto Aldren Lincoln

A Oficina de Iluminação Cênica e Espetáculo de Dança “Ilhas” vai  agregar na quinta-feira (18), das 9h às 18h, grupos e artistas da comunidade que desejem começar na área de iluminação cênica. Para fechar o dia, os próprios alunos irão realizar a montagem da iluminação para o espetáculo de dança “Ilhas”. O espetáculo da Escola de Dança da Funceb acontece às 16h, com entrada gratuita.

Quinta-feira (25) e sexta-feira (26), a partir das 9h,  acontece o projeto Julho das Pretinhas. Em sua primeira edição, o evento surge para apresentar possibilidades de inserção social de crianças e adolescentes a partir da ludicidade, conscientização e autoconhecimento. Em parceria com o Solar, a iniciativa pretende dar ênfase ao Julho+Solar e também ao Dia Internacional da Mulher Negra, Latino Americana e Caribenha. A programação inclui oficinas-ludo criativas, ciranda das palavras (Rodas de conversas), feira brincante, exposição, desfiles das mais belas pretinhas e apresentação do sarauzinho.  A entrada é gratuita.

Encerrando a programação especial Julho+Solar – 35 anos de resistência e cultura, no dia 28, a partir das 9h, acontece o evento Domingo no Parque, em parceria com a Feira das Festas. A Feira, que já circula os condomínios do bairro do Engenho Velho e Boa Vista de Brotas, promete alegrar toda comunidade do entorno do Solar e visitantes. O público ainda poderá ouvir gratuitamente boas músicas, assistir apresentações de forró, samba raiz do município de Irará, voz e violão, participar de aulas de boxe e dança, além de integrar oficinas de maquiagem e de slime, dentre outras atrações programadas pelo espaço.

De julho a dezembro, segundas, quartas e sextas, das 14h às 18h, o Espaço Solar Boa Vista também trará também gratuitamente para o público o Treino Autodidança -Kasa Rockers. A ideia da Companhia de Dança Kartola Rocker’s Crew(KRC) é por meio de uma proposta de residência artística, no Cine Teatro, desenvolver um trabalho de treino, ensaio, laboratório de pesquisa e composição coreográfica. A Companhia já atuou trabalhando no Brasil e exterior, em espaços de referência como a Escola de Dança da FUNCEB (Bahia), Escola e Faculdade de Dança Angel Vianna(Rio de Janeiro-RJ) e Instituto Nacional de Artes do Circo (Portugal).

 

Programação – Julho de 2019

Julho+solar

35 anos de resistência e cultura

Espaço: Cine Teatro Solar Boa Vista

 

Cine Solar

Linguagem: Cinema

Dia e Horário: Todas as terças e Quartas-feiras, 10h e 15h;

Quanto: Gratuito

Classificação: Livre

Local: Sala Principal

Lançamento do filme documentário “Nossos Mortos tem Voz”

Linguagem: Teatro

Dia e Horário: 11/07 – Quinta-feira, 18h;

Quanto: Gratuito

Classificação: Livre

Local: Sala Principal

Os Sintéticos

Linguagem: Música

Dia e Horário: 13/07 – Sábado, 17h;

Quanto: R$ 20,00 inteira / R$ 10,00 meia

Classificação: Livre

Local: Sala Principal

 

Oficina de Iluminação Cênica e Espetáculo de Dança “Ilhas”

Linguagem: Artes cênicas

Quanto: Gratuito

Classificação: Livre

Local: Sala Principal

 Julho das Pretinhas

Linguagem: Artes cênicas

Dia e Horário: 25 e 26/07 – Quinta e sexta-feira, a partir das 9 horas;

Quanto: Gratuito

Classificação: Livre

Local: Sala Principal

Domingo no Parque/Feira das Festas Solar

Linguagem: Multilinguagem

Dia e Horário:  28/07 – domingo, a partir das 9 horas;

Quanto: Gratuito

Classificação: Livre

Local: Sala Principal

Oficinas regulares FUNCEB – Núcleo Solar Boa Vista

Linguagem: Multilinguagem

Quanto: Gratuitas

Classificação: 06 a 12 anos

Local: Sala Multiuso

Treino Autodidança -Kasa Rockers

Linguagem: Dança

Dia e Horário: (Seg/Qua/Sex) – 14h às 18h – Julho a Dezembro;

Entrada: Gratuita

Classificação: 16 anos

Local: Sala Multiuso (Oficina)

Ensaios da Companhia de Teatro Solidário de Brotas

Linguagem: Teatro

Dia e Horário: Segundas e quartas-feiras, 19h às 21h30. Janeiro a abril;

Quanto: Gratuito

Classificação: Livre

Local: Sala de Ensaio

Coordenação Nacional de Entidades Negras (CONEN) realiza a XXXIX Marcha da Consciência Negra no Campo Grande !


Fto Ivone Bonfim

Na tradicional Marcha da Consciência Negra, em Salvador, as homenagens da Coordenação Nacional de Entidades Negras (CONEN) irão para as memórias de lideranças negras de importantes frentes políticas históricas e contemporâneas, a exemplo de Osvaldo Orlando da Costa (1938 – 1974) mais conhecido como “Osvaldão”, líder revolucionário da guerrilha do Araguaia; Marielle Franco;  Mestre Moa do Katendê, o jovem negro Charlione Lessa Albuquerque, assassinado a tiros em Pacajus no Ceará.

A CONEN se une ao Instituto Quilombo; o Coletivo Artivistas; Frente Povo Sem Medo; Frente Brasil Popular; Associação Cultural Aspiral do Reggae; dentre outras entidades. 

Durante o ato, artistas engajados nas discussões afro culturais também são convidados a integrar a ação, apresentando canções de protesto e que elevam a autoestima dos seguidores da Marcha, num repertório que canta as Revoltas e as lideranças negras na diáspora. 

SERVIÇO:

O Quê: XXXIX Marcha da Consciência Negra Zumbi dos Palmares

Quando: 20 novembro, a partir das 14h

Onde: Concentração no Campo Grande, encerramento na Praça da Sé

IV Balada Literária da Bahia homenageia Lazzo Matumbi com programação diversa!


lazzo no tca

A Balada Literária da Bahia chega à quarta edição, entre os dias 14 e 17 de novembro, celebrando a força dos encontros artísticos e o poder político e transgressor da arte. Realizada uma semana antes da edição paulista do evento – que está no 13º ano – a versão baiana elege como seu principal homenageado o cantor e compositor Lazzo Matumbi, mas também celebra as obras do cantor Itamar Assumpção e da escritora Alice Ruiz, os homenageados nacionais.

Nos quatro dias, a Balada baiana oferece uma programação que combina saraus, bate-papos, oficina, lançamentos e performances artísticas. Entre os destaques desta edição estão as presenças das cantoras Anelis Assumpção, Alzira E, da escritora Alice Ruiz e de Carlos Verçosa, escritor e pesquisador parceiro de Itamar Assumpção na juventude; o lançamento em Salvador de Bagageiro, novo livro do escritor Marcelino Freire; a presença do autor moçambicano Ungulani Ba Ka Khosa, pela primeira vez na Bahia; uma conversa musical com Lazzo; a edição especial do Sarau Bem Black; e uma conversa-oficina sobre produção literária em tempos digitais, que contará com a participação de Talita Taliberti, gerente de autopublicação da Amazon.

Este ano, todo o evento acontece na Casa do Benin, no Pelourinho.  E a programação começa na quarta (14) com uma edição especial e afetiva do Sarau Bem Black, que celebra o Novembro Negro e as obras essenciais de Lazzo Matumbi e Itamar Assumpção (1949-2003).

Alex Simões
Alex Simões – Foto Meredith Lackey

PROGRAMAÇÂO

QUARTA-FEIRA / 14.11

19h às 22h – SARAU BEM BLACK 
Homenagem a Lazzo Matumbi e Itamar Assumpção
:: Presença de Anelis Assumpção
:: Performance de Alex Simões
:: Participação de Jorjão Bafafé
:: Marcelino Freire lança “Bagageiro”
:: Exibição do clipe “Moço lindo do Badauê”
Saudação do rap baiano ao Mestre Moa do Katendê

caminhadareligiosaengenhovelho
Caminhada do Engenho Velho

QUINTA-FEIRA / 15.11

XIV CAMINHADA PELO FIM DA VIOLÊNCIA E DA INTOLERÂNCIA RELIGIOSA, PELA PAZ
Não haverá programação. Estaremos na caminhada.
14h – Concentração no Busto de Mãe Runhó
Final de linha do Engenho Velho da Federação

SEXTA-FEIRA / 16.11

10h às 12h – VIDA DE ARTISTA
Conversa sobre produção de livros e ideias
com Berimba de Jesus, Luciany Aparecida e Sarah Rebbeca Kersley
Mediação: Jorge Augusto

mariella santiago
Mariella Santiago

14h às 15:40 – EU E NEGO DITO, VULGO BELELÉU
Conversa com Carlos Verçosa e Mariella Santiago
Mediação: Nelson Maca

16h às 17:40 – QUEM CANTA SEUS MALES ESPANTA 
Conversa literomusical com Alice Ruiz e Alzira E
Mediação: Marcelino Freire

18h às 18h:30 – JURACI TAVARES – POCKET SHOW 1

18h:30 às 19h – MARIELLA SANTIAGO – Ella canta Itamar! – POCKET 2

19h às 21h – SARAU DA DIVERSIDADE
:: Apresentação Ed Marte e Bia Mathieu
– Performance de Bia Mathieu, Ed Marte e convidados

 

bia_mathieu
Bia Mathieu – Fto Divulgação

SÁBADO / 17.11 

10h às 13h – “SOCORRO” – O AUTOR QUANDO CAI NA REDE

Uma oficina/conversa sobre a escrita, a organização do livro, a auto-publicação. Como movimentar-se na rede. Mediação do curso com o escritor Marcelino Freire
e a participação da escritora Gisele Mirabai, Prêmio Kindle de Literatura, Talita Taliberti, gerente de autopublicação da Amazon, e Evanilton Gonçalves, escritor lançado pela Paralelo 13S, e do escritor Itamar Vieira Vieira Junior, Prêmio Leya de Literatura 2018

14h ÀS 16h – LAZZO: “O FILHO DA TERRA” 
Conversa com Lazzo Matumbi
Por: Ana Cristina Pereira, Dão e Lázaro Erê

16:10h às 17:40 – “NAVALHA NA LIGA” – POÉTICAS PERIFÉRICAS 
Convidados: Autores da coletânea Poética Periféricas: Novas Vozes da Poesia Soteropolitana
Mediação: Valdeck Almeida de Jesus

17:50h às 19h – “SEI DOS CAMINHOS” – MOÇAMBIQUE E BRASIL 
Conversa com o escritor moçambicano Ungulani Ba Ka Khosa
Por: Nelson Maca E Wesley Correia

:: 20h: SHOW POÉTICO MUSICAL (R$ 20|R$10)
Homenagem a Alice Ruiz e Itamar Assumpção
20h às 20h:20min- Este Tal Recital lê Alice Ruiz. Com Lúcia Santos, Luiza Gonçalves, Jamile Resende e Clara Barreto.
20:30 às 21h – Diálogo  entre poesias de Conceição Evaristo e Carolina Maria de Jesus, com Vera Lopes e Emillie Lapa
21:10h às 22h:30 – PARALELAS, show com Alice Ruiz e Alzira E – Participação de Luiz Waack

SERVIÇO

Evento: IV Balada Literária de Salvador

Quando: de 14 a 17 de novembro

Onde: Casa do Benin (Largo do Pelourinho)

Ingresso: Gratuito, com exceção do show Paralelas, com Alice Ruiz e Alzira E

Teatro Gamboa Nova tem programação negra especial este mês!


orquestra_de_berimbaus_afinados
Orquestra de Berimbaus Afinados

 

O Teatro Gamboa Nova (Aflitos) prepara uma vasta programação no novembro, com a presença negra na cultura e nas artes. A programação honrará a memória de Mestre Moa do Katendê e um viva ao sobrevivente Leno Sacramento.

Viva a criatividade latente! Viva a criação pulsante! Axé.

CINEGAMBOA

Nois vai te pegar –  Rajada de Consciência

01 a 30/11 

Antes das apresentações

Grupo de Rap formado por Gabriel Bispo, Julia Marquesa, Dj Maninho, Carlos Rafael e Polly Castro.  Teve início em 2017, ocupando o bairro do Engenho Velho de Brotas e aposta no conhecimento e arte como instrumentos para a transformação de um povo.

Exposição Enegrarte_CARVÃ
Exposição Enegrarte_CARVÃ – Fatima de Souza

EXPOSIÇÃO

Enegrarte –  Jorge Cammarano

01 a 30/11 – 16h às 19h (quarta a sábado) 15h às 17h (domingo) 

gratuito

Através de sua arte, registrar momentos de estranhamento, de seres escravizados, sonhos roubados, da pincelada do avesso. Humanizar a vida, vasculhar o tempo, escutar silêncios e discernir incômodos.

MÚSICA

Secretos Universos (ao Vivo) – George Christian

01, 08, 15, 22 e 29/11 (quintas) – 19h

R$ 20 e R$ 10 (meia)

Experimentação eletrônica ao vivo do álbum de mesmo título. Cada evento será uma experiência sonorovisual única e irrepetível, em que estarão presentes as projeções sonoras, de George, e visuais da artista plástica Isabela Seifarth.

 

CLASSIFICAÇÃO 14 ANOS

Uma Corda, Vários Sons – Orquestra de Berimbaus Afinados Dainho Xequerê 

02, 09, 16 e 23/11 (sextas) – 19h

R$ 20 e R$ 10 (meia)

A proposta do espetáculo da OBA DX é mostrar a riqueza harmônica e melódica dos berimbaus. Enriquecendo a pesquisa, o espetáculo traz poemas negros e uma bailarina especializada, tendo sempre participações especias.

 

Okwei Odili
Okwei Odili – Matias Traut

CLASSIFICAÇÃO LIVRE

AfrikaJump – Okwei Odili e banda Aweto

03, 10, 17 e 24/11 (sábados) – 19h

R$ 20 e R$ 10 (meia)

Uma homenagem ao passado e presente histórico da musica negra, com os estilos afrobeat, hip hop, soul, reggae e de raízes africanas, na companhia de músicos convidados e cantores como Vivi Akwaaba, Joh Ras, Teekay Tha Newborn e Fabiana Rasta.

CLASSIFICAÇÃO 16 ANOS

Capa_Medeia_Adeloyá Magnoni (2)
Medeia – foto Adeloya Magnoni

Africa Echoes – O som da África na Bahia – DNA Urbano

04, 11, 18 e 25/11 (domingos) – 17h

R$ 20 e R$ 10 (meia)

Primeiro álbum da banda, percorre os caminhos da afrodescendência em um trabalho de exaltação à negritude. Ritmos como ijexá, agabi, ilú, samba reggae em fusão com o jazz.

CLASSIFICAÇÃO LIVRE

Black Tudo – Denise Correia e Banda Naveiadanêga 

07 e 14/11 (quartas) – 19h

R$ 20 e R$ 10 (meia)

O soul, o jazz, o reggae, além da música black brasileira. Denise usa a sua voz para celebrar a cultura negra e provocar a discussão sobre preconceito e racismo dentro da música na Bahia

CLASSIFICAÇÃO LIVRE

TEATRO

V de Viado – Ubuntu

21 e 28/11 (quartas) – 19h

R$ 20 e R$ 10 (meia)  

Com direção de Leno Sacramento, no palco o ato poético de Vagner Jesus dá (re)existência à bixa preta, Victor. A cena é uma celebração à vida e a ancestralidade, suas rotas de luto e luta para ser quem se é, sem medo de sonhar.

CLASSIFICAÇÃO 15 ANOS

BATE-PAPO

Filósofxs Negrxs – pensamento e vida

30/11 (sexta) – 18h30

pague quanto puder

Alan de Barros, Celeste Costa, Fabrício Brito e Itana Santana, Ítalo Adriano, falam sobre filosofia africana, todxs negrxs da Bahia, com suas pesquisas, vivências e inquietações. A organização conta com a ativista Adeloyá Magnoni.

CLASSIFICAÇÃO 15 ANOS