Sede do CEAO recebeu lançamento da Revista Organismo sobre literatura brasileira


CEAO
Foto: Márzia Lima

A Revista Organismo lançou novas edições na quinta-feira (13), no Centro de Estudos Afro-Orientais da Universidade Federal da Bahia, no Largo Dois de Julho, em Salvador. Diferentes propostas ético-estéticas que constroem a cena contemporânea da literatura brasileira são a aposta do exemplar, que terá lançamento aberto ao público e contará com um bate-papo com Ana Carla Portela, Rita Santana e Nelson Maca e distribuição gratuita da revista.

Além de permitir a circulação dos escritos de diversos poetas brasileiros, a revista traz um conteúdo que busca repensar e propor novas bases para a compreensão de textos negros, periféricos, feministas, marginais e também os canônicos. Nesse caminho, serão lançados os números 6 e 7, sendo o primeiro com organização das poetas Marília Garcia e Rita Santana, e o segundo sob curadoria dos poetas Nelson Maca e Berimba de Jesus.

“A revista Organismo ambiciona cartografar as diversas cenas que compõe o contemporâneo da literatura brasileira”, explica o coordenador geral do projeto, poeta e editor, Jorge Augusto. Para isso, a revista, que estreou em 2015, tem uma curadoria diferente a cada número, o que permite que dois poetas e ou críticos de literatura, organizem a publicação de cada edição. Essa diversidade de agentes possibilita uma vista mais ampla e diversa da poesia contemporânea no Brasil.

A revista é estruturada de forma que todas as páginas sejam destacáveis. Assim, cada leitor pode, à sua vontade, reeditar os números ou a coleção inteira. Esse gesto, de reedição pelo leitor, visa estimular e popularizar a compreensão do leitor como crítico, atualizando de forma radical a edição da revista com as discussões sobre releituras do cânone, promovendo uma formação leitora.

Estudantes, professores, amantes da literatura e demais interessados poderão adquirir exemplares desta que é a única revista brasileira impressa sobre literatura. Após o lançamento, os interessados poderão comprá-la por R$ 30, via site da Amazon ou pelo Facebook.com/organismoeditora/

A Revista Organismo tem apoio financeiro do Governo do Estado, por meio do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda (Sefaz) e Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA) , através do edital Setorial de Literatura 2016-18/2016, da Fundação Cultural do Estado da Bahia (FUNCEB). A publicação ainda lançará novos números em 2019, sob a organização de nomes de destaque da literatura contemporânea, como Conceição Evaristo, Lívia Natália, Ricardo Aleixo, Evanilton Gonçalves.

SOBRE OS ORGANIZADORES 

Marília Garcia – É tradutora e publicou, entre outros, os livros Engano geográfico (7letras, 2012) e Câmera lenta (Companhia das letras, 2017), pelo qual recebeu o Prêmio Oceanos de Literatura. 

Rita Santana – Atriz, escritora e professora de Língua Portuguesa.  Premiadas no Braskem de Cultura e Arte para autores inéditos com o livro de contos Tramela. Publicou,também, Tratado das Veias e Alforrias (poesia). Em 2019, lançou Cortesanias, pela Caramurê. 

Nelson Maca – Poeta e professor de Literatura da Universidade Católica de Salvador, nasceu no Paraná, mas mora em Salvador desde 1989. É fundador do Coletivo Blackitude: Vozes Negras da Bahia, que realiza o Sarau Bem Black, o SlamLonan e outras ações artísticas e de formação sócio-racial através das linguagens da cultura hip hop e afins há quase 20 anos. Criou e coordenou o evento infantil Sarau Bem Legal, que aconteceu durante cinco anos e meio na Biblioteca Infantil Monteiro Lobato, em Salvador. Há mais de 30 anos promove e participa de eventos da negritude – seminários, workshops, cursos, shows – na Bahia e no Brasil. Publicou os livros afro-rismas, com Pablo Dinda (2014) e Gramática da Ira (2015).

Berimba de Jesus – É poeta, articulador cultural, editor, membro e fundador do Coletivo Poesia Maloqueirista (2002). Morou a primeira infância e parte da adolescência no sudoeste da Bahia, nas Fazendas Goiabeira e Lagoa da Pedra, distritos da cidade de Boa Nova, onde escreveu seus primeiros versos, influenciado pelas ladainhas produzidas pelo seu pai de criação, Aurelino F. Costa, para a Folia de Santo Reis. Publicou o livro “Encarna” (2008), além de muitos livretos, falou poesia em bares, palcos, praças, teatros, segue publicando jovens autores nos quais acredita, com o selo Edições Maloqueiristas. Junto com Marina Caires, idealizou a Confraria NossaCasa, um espaço de cultura provisória onde acontecem festas, shows, work shops, peças de teatros, saraus, entre outras atividades.

Exemplares: Vendida por R$ 30 no site Amazon ou pelo Facebook.com/organismoeditora/