Connect with us

Música

Timbaleiros planejam ato em frente ao Museu du Ritmo este domingo (18)

Jamile Menezes

Publicado

on

nova vocalista timbalada

Banco de Imagens

Com a “enxaguada” de críticas recebidas nos últimos dias diante da contratação da cantora Millane Hora (ex-The Voice) como nova vocalista, a banda Timbalada encontra um cenário complicado junto aos fãs. As críticas não ficaram apenas na s redes sociais, como muitos imaginavam e até torciam. Elas ganharão, no próximo domingo (18), dia do segundo Ensaio no Museu du Ritmo, uma verdadeira demonstração do poder destas mesmas redes.

Será realizado um Ato, que está sendo chamado #DEVOLVAMNOSSATIMBALADA, que pretende reunir timbaleiros do lado de fora do Museu, antes do Ensaio. “Permaneceremos concentrados do lado de fora. Quando iniciar o show, soltaremos balões pretos na praça, faremos também um apitaço e estamos alinhando um Twitaço no dia 18 com os demais timbaleiros do Brasil”, afirma Sabina Henriette Possidônio, uma das organizadoras da mobilização.

“Nós timbaleiros já estávamos notando a derrocada da banda faz algum tempo e esse primeiro ensaio culminou nessa avalanche de críticas. O que mais pesa é o número de timbaus que foram reduzindo. Uma banda originalmente percussiva que já teve 40 timbaus no início de sua trajetória resume – se hoje a somente dois. Entendemos que as mudanças e adaptações são necessárias, mas queremos que a Timbalada mantenha a sua raiz percussiva”, diz Sabina.

Com isso, eles reafirmam que não é apenas a escolha – segundo eles – equivocada de uma artista que não dialoga com o “perfil timbaleiro”, mas tantas outras pautas que vem deixando os seguidores da banda desgostosos. Quanto a isso, são enfáticos a dizer que não foram a favor das vaias, mas que a escolha da artista foi o epicentro da mobilização. “O que colocamos desde o início, e foi entendido de outra forma pela imprensa e fãs da cantora Milane, é que ela não tem a cara da Timbalada. O que qualificamos como “cara”? Energia. Entrosamento. Pegada”, pontua Sabina.

timbalada ensaios

Banco de Imagens

Uma série de críticas são elencadas para a não aceitação da Timbalada como está hoje. “Observamos algumas apresentações privadas da Banda e o último show em Recife e não queremos uma Timbalada tocando sertanejo em seus shows. Aceitamos até um repertório diferente no Carnaval onde a mistura de ritmos e estilos se faz necessária para atender a diversidade cultural da festa. Contudo, nos nossos ensaios de Verão queremos repertório TIMBALEIRO. Músicas da banda que resgatam e trazem toda a energia e emoção que nos fez TIMBALEIROS”, reinvidica.

whatsapp-image-2016-12-13-at-11-20-09

A mobilização está sendo organizada por meio dos grupos de fãs da Timbalada no Facebook e grupos de Whatsapp. Para tanto também estão sendo usadas as hastags #publicozero #devolvamminhatimbalada e #naosomosracistas.

Lá no domingo (18), na praça das Mãozinhas, em frente ao Museu, os fãs prometem organizar  um “varal” de cartolinas com as reivindicações. São elas:

1- Espaço justo para os ensaios e público presente;
2 – Cobrança justa por ensaio;

3 – seguranças dignos e respeitosos e em número suficiente pra quantidade de gente;
4-Volta dos instrumentos que fizeram ser o que é (o novo não pode desmerecer o passado da mesma);
5- Retorno do Timbal de Denny;
6-Respeito a carga horária de trabalho dos músicos;
7-Respeito aos fãs clube da banda e abertura de um canal de diálogo com a diretoria;
8 – audições para escolha dos vocalista com o voto da plateia tendo o maior peso ( pode ser cobrado esse evento até 40 reais).As músicas cantadas pelos candidatos só podem ser da Timbalada;
9-Evitar a predominância do estilo pop que descaracteriza nossa banda;
10- Resgate das musicas antigas da Timbalada;
11- Construção de uma carteira de associado para a nação Timbaleira;
12 – Retorno dos timbais como instrumento central;
13 Trio de qualidade e espaço que não destrate os timbaleiros no bloco;

Veja aqui artigo sobre a polêmica envolvendo a Timbalada nos últimos dias. 

Gastronomia

Afrochefe Jorge Washington celebra 7 anos do Culinária Musical

Amanda Moreno

Publicado

on

Afrochefe Jorge Washington
Afrochefe Jorge Washington celebra 7 anos do Culinária Musical

Afrochefe Jorge Washington celebra 7 anos do Culinária Musical. De volta à Casa do Benin após o Carnaval, o Afrochefe Jorge Washington vai celebrar os 7 anos do Culinária Musical, projeto que vem se tornando um dos eventos mais cobiçados de Salvador. Depois de mais de 100 edições, com a participação de mais de 10 mil pessoas em sete anos, o projeto Culinária Musical já chegou em 2024 se estabelecendo na agenda cultural da cidade.

O encontro será no dia 10 de março (domingo), das 12h às 17h, na Casa do Benin (Pelourinho), e terá como atração principal Dão Black. Esta edição terá duas convidadas especiais: a cantora de jazz Alissa Sanders e a nova voz soteropolitana, Ayana Amorim.

Radicada no Brasil há 23 anos, a cantora estadunidense Alissa Sanders usa sua voz para se reconectar com suas raízes ancestrais africanas, transformando-a na base instrumental de seu trabalho. Em Salvador, Alissa se aproximou da música baiana contemporânea, dos sons de matriz africana e do samba-de-roda. Ayana Amorim é uma multiartista que utiliza diversas linguagens, mostrando as potências de sua corporeidade como corpo político. Com uma voz ancestral, ela traz a nordestinidade em suas pesquisas e musicalidade.

Os pratos do dia serão a premiada Maxixada de Carne Seca, Arrumadinho de Fumeiro e Casquinha de Siri. Pra quem não come proteína animal, o Afrochefe vai preparar uma Moqueca de Maxixe com Banana da Terra e Castanha.

Neste dia, também terá Literatura Negra, com tarde de autógrafos do livro “Que seja mais”, primeira obra solo de Renata Lima, professora, poeta e contista soteropolitana. Graduada em História, é especializada em História e Cultura Afro Brasileira e Mestra em Educação, com participação em antologias poéticas, livros, e-books e revistas digitais.

No Cantinho da Empreendedora, o Afrochefe convia a marca “Beti a Crespa”, linha capilar vegana que utiliza ativos naturais sem química para uma rotina de afroestima e autocuidado. A marca tem a missão de reintegração da autoestima negra, trazendo o empoderamento capilar como simbolo identitário. E terá ainda o lançamento da coleção “Restinga-SE”, da estilista Negra Luz, de Aracaju. A coleção é produto da Casa Negra Luz, e é o resultado da pesquisa de Tatiane Costa, das suas vivências, trocas de saberes e tradições sergipanas.

SERVIÇO
O que: Culinária Musical
Quando: 10 de março (domingo), das 12h às 17h
Onde: Casa do Benin (Pelourinho)
Quanto: entrada R$30 (em espécie); pratos R$70/duas pessoas
Ingressos antecipados: Pix para (71) 99241-7068 (envio de comprovante)

Continue Reading

Formação

Instituto A Mulherada lança oficinas de percussão gratuitas

Amanda Moreno

Publicado

on

Instituto A Mulherada lança oficinas
Instituto A Mulherada lança oficinas

Instituto A Mulherada lança oficinas de percussão gratuitas. O Instituto A Mulherada está com inscrições abertas para oficinas gratuitas de percussão e música afro, com o intuito de capacitar jovens mulheres e LGBTQIAPN+ na arte, além de fomentar o debate sobre violência doméstica e empoderamento. As Oficinas começam nesta segunda-feira (26), na sede do Instituto no Centro Histórico, às 17h. Inscrições limitadas.

A iniciativa visa a equidade de gênero, engajando mulheres, lésbicas, bissexuais, transsexuais, travestis e pessoas não-binárias, promovendo a união de diferentes identidades de gênero. Ela integra as ações da 5ª edição do projeto “Tambores pelo Fim da Violência – Tocar Pode Bater Não”, nos Territórios Criativos do Centro Histórico de Salvador. Com o projeto, o Instituto utiliza a música, a arte como instrumentos de conscientização e empoderamento para combater a violência doméstica e familiar contra mulheres, além de promover sua inclusão no mercado de trabalho.

O projeto, que se inicia com as Oficinas, ainda prevê a realização de rodas de conversa sobre temas relacionados à violência doméstica, direitos das mulheres, igualdade de gênero e cultura afro-brasileira. Esses espaços proporcionarão diálogos abertos, compartilhamento de histórias e troca de experiências.

No encerramento das ações, a banda A Mulherada, formada por mulheres, apresentará show musical gratuito na cidade com a presença de convidadas. O show reforçará a mensagem do Instituto no combate à violência e o fortalecimento das mulheres, atraindo a atenção da comunidade nessa campanha. A abrangência do projeto visa unir pessoas que compartilham o compromisso com a causa e tem como o objetivo criar uma rede de apoio poderosa e eficaz para enfrentar as violências. Todas as ações ocorrem no mês de março.

O Instituto
O Instituto A Mulherada tem por missão lutar pela defesa dos direitos das mulheres vítimas de violência, sem oportunidade de emprego e pela inclusão educacional e profissional das mesmas. Criado em 2001, a partir da identificação das demandas e necessidades da população feminina de Salvador, especialmente mulheres negras em situação de vulnerabilidade, o Instituto vem intervindo na realidade do cotidiano, colaborando para que as mulheres rompam com o ciclo do silêncio que se inicia com a submissão e dependência, culminada muitas vezes no óbito dessas vítima. Por meio da arte e da cultura.

Instituto A Mulherada lança oficinas de percussão gratuitas. Este projeto foi contemplado pelo edital Territórios Criativos, com recursos financeiros da Fundação Gregório de Mattos, Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, Prefeitura de Salvador e da Lei Paulo Gustavo, Ministério da Cultura, Governo Federal.

SERVIÇO
Oficinas de Percussão
Quando: 26 de fevereiro, das 17h às 19h
Onde: Sede do Instituto A Mulherada (Rua do Tesouro, 39 – Centro, Salvador) | Em frente à Secretaria Municipal da Fazenda
Quanto: Gratuito | Inscrições online limitadas: https://forms.gle/hMNA7k7RNWA3Bfvz6 
Mais informações: (71) 98820-9529 | Instagram: @institutoamulherada @bandaamulherada

Continue Reading

Carnaval

Quabales e Aila Menezes fazem ressaca do Carnaval

Amanda Moreno

Publicado

on

Quabales e Aila Menezes fazem ressaca do Carnaval
Quabales e Aila Menezes fazem ressaca do Carnaval (Foto: Rafael Paixão)

Quabales e Aila Menezes fazem ressaca do Carnaval. O Pelourinho vai receber neste fim de semana a Ressaca de Carnaval da cantora Aila Menezes. O evento será neste sábado (24), a partir das 19h, no Largo Quincas Berro D’água. O show de abertura será da Quabales Banda. A entrada é gratuita.

Aila, que ganhou projeção nacional ao participar do The Voice Brasil e se firmou como uma das representantes femininas do pagode baiano, vai levar para o público o pagodão pesado e consciente do papel da mulher na cena musical baiana. Ela promete agitar o público com música e dança.

Já a Quabales Banda, que acumula mais de 79 mil execuções em suas músicas só no Spotify, irá misturar no palco música, performance, percussão baiana, hip hop, pagotrap, canto e batida eletrônica. O grupo tem direção do multi-instrumentista baiano Marivaldo dos Santos, único brasileiro no elenco do STOMP, em cartaz há mais de 20 anos na Broadway.

Quabales e Aila já se apresentaram juntos no Festival de Verão deste ano. Quabales e Aila Menezes fazem ressaca do Carnaval. A banda e a artista fizeram a abertura do evento, no dia 27 de janeiro, no Parque de Exposições. No mesmo palco também se apresentaram artistas como Ivete Sangalo, IZA e Ceelo Green.

Continue Reading
Advertisement
Vídeo Sem Som

EM ALTA