Connect with us

AfroEmpreendedorismo

Afroconsumo: população negra brasileira movimenta aproximadamente 800bi ao ano

Jamile Menezes

Publicado

on

afroconsumo1

São Paulo, por ser uma cidade multicultural e globalizada, apesar das desigualdades sociais evidentes, proporciona a seus habitantes a possibilidade de acessos diversificados e qualitativos, inerentes ao tipo de construção social da localidade. Assim, este ambiente influenciador, seguido do processo de ascensão social, aumento do poder aquisitivo, políticas públicas direcionadas e ações afirmativas favoráveis às consideradas minorias sociais, provocou um forte investimento no capital intelectual.

O que teve como um de seus desdobramentos a mudança perceptível do comportamento de uma parcela significativa da população negra em diversos campos do consumo. Esta democratização, oriunda do empoderamento de uma parcela maior de afro-brasileiros, deu início a um processo de construção de um novo perfil de consumidor.

CONCEITO

Na consultoria ETNUS, entendemos por Afroconsumo um movimento de contracultura, que considera a influência direta ou indireta das características étnico-raciais nas experiências do consumo, consciente ou inconscientemente, protagonizando a estética e as características raciais e culturais intrínsecas aos afrodescendentes.

Esta disruptura surge como expressão das demandas de sujeitos ainda invisíveis aos olhos do mercado em sua totalidade (comunicação, produção industrial etc), que passam a exigir que suas individualidades e especificidades sejam consideradas e respeitadas. Esta união de pessoas pela identidade e necessidade potencializa o surgimento de um novo nicho de consumo, colocando os afro-brasileiros no centro dos estudos.

afroconsumo1

BRASIL DO FUTURO: EUA E NIGÉRIA, MODELOS DE UM AFROCONSUMO MADURO

Semelhante ao contexto contemporâneo brasileiro, nos Estados Unidos, durante o período da segregação racial institucionalizada, quase que por uma questão de sobrevivência, criou-se uma sociedade de consumo alternativa para contemplar essa procura pulsante por representação. Moda, cinema, música e educação foram alguns dos segmentos mais marcantes na formação dessa nova produção de consumo norte-americana, iniciada no final dos anos 60.

Hoje, os afro-americanos, assistidos pelas lutas sociais, políticas afirmativas e empoderamento econômico, apesar de configurarem apenas 12% da população estadunidense, atuam com força representativa relevante na sociedade de consumo americana. Conforme estudo realizado pela Nielsen Company, estima-se que atualmente os afro-americanos consumam por ano, aproximadamente, 1,1 trilhões de dólares e, até 2017, esse valor alcançará a casa dos 1,3 trilhões de dólares.

Movimento parecido acontece na Nigéria, onde o principal exemplo é o da segunda maior indústria cinematográfica do mundo, a Nollywood, surgida a partir de uma ausência de representatividade dos nigerianos, que consumiam apenas filmes de pessoas brancas sem relação étnico-racial. Além disso, uma crise financeira na década de 80 alavancou o olhar à indústria local, induzindo um processo de produção representativa da população desse país africano. Atualmente, esse consumo direcionado é responsável por uma receita de 800 milhões de dólares ao ano.

afroconsumo3

Foto: Afropop – Cine Nollywood

Ambos os movimentos de afroconsumo anteriormente citados têm em comum o surgimento por uma questão de necessidade social ou identitária – o reconhecimento estético – que acarreta uma mudança de comportamento de consumo, proveniente dos avanços das lutas sociais, empoderamento intelectual e econômico, culminando no surgimento de novos mercados direcionados, produzidos ou não pela comunidade negra. Outra marca extremamente interessante é o crescimento desse nicho de mercado, que com o passar dos anos se consolida significativamente.

Nos Estados Unidos, por exemplo, projeta-se um aumento de 2 bilhões de dólares no período de 2015 a 2017.
No Brasil, a TBWA fez uma das primeiras estimativas sobre rendimento anual da classe média negra brasileira, no ano de 1998, chegando a um valor de R$ 46 bilhões ao ano. Ainda, apareceram informações  importantes a respeito do comportamento de consumo dessas pessoas: 36% dos entrevistados queriam sabonetes especiais, 31%, roupas com motivos africanos, enquanto 27% reclamaram que não existiam temperos mais fortes no mercado.

Naquele momento, a gerente de marketing da primeira empresa nacional a lançar uma linha exclusiva para negros, a Nazca Cosméticos, Veronica Wolff, em entrevista para a Revista Época, creditava a este público a responsabilidade por 13% de todo o faturamento da corporação.

Em outro levantamento, a pesquisa feita pelo Data Popular aponta que já em 2007 o rendimento anual dessa classe econômica específica estava em torno de R$ 337 bilhões, passando a R$ 554 bilhões em 2010, com crescimento de 38%. Atualmente, os últimos números apontam para uma movimentação rente à R$ 800 bilhões ao ano.

afroconsumotabela
Fonte: ETNUS | Afroconsumo, Data Popular e TBWA.

Portanto, uma vez aceita a mudança geral no comportamento do consumidor de massa, que deixou a passividade e passou a buscar pertencimento, e colocando como coadjuvante as diferenças de classes, podemos interpretar o afroconsumo sob o viés do conceito de “cauda longa”, bem difundido por Chris Anderson em seu livro “A Cauda Longa (2006)”, que afirma que nichos/demandas personalizadas são características deste novo momento de consumo.

Parafraseando a professora norte-americana, Sonya Grier, especialista em raça e etnia no mercado “O marketing direcionado é a base de uma estratégia de marketing eficaz e é movido pelo reconhecimento de que uma abordagem “indiferenciada” não funciona mais entre consumidores diversificados e sofisticados”. Este novo consumidor anseia por uma construção de relação.

Fonte: Mundo Negro

AfroEmpreendedorismo

Brasil Mais Empreendedor abre vagas no Subúrbio Ferroviário

Amanda Moreno

Publicado

on

Brasil Mais Empreendedor abre vagas

Brasil Mais Empreendedor abre vagas no Subúrbio Ferroviário. Após circular por 10 diferentes bairros de Salvador, desenvolvendo mais de 300 empreendedores com cursos e consultorias gratuitas, o projeto Brasil Mais Empreendedor abre mais 35 vagas para nova turma no bairro de Praia Grande (Subúrbio Ferroviário). As inscrições podem ser realizadas até dia 02 de março, através do site brasilmaisba.conaje.com.br. As aulas começam dia 04 de março, na Comunidade Evangélica de Salvador (Av. Afrânio Peixoto, 53e – Praia Grande). Mais informações podem ser acompanhadas em @ajebahia

Voltado para para pequenos empreendedores de áreas periféricas, o projeto conta com aulas presenciais abordando diferentes áreas do negócio e acompanhamento com especialistas, além de desenvolver a logomarca dos empreendedores selecionados. O projeto é realizado pela Confederação Nacional de Jovens Empresários (Conaje) em parceria, por meio de termo de fomento, com a Secretaria da Micro e Pequena Empresa e Empreendedorismo, vinculada ao Ministério do Empreendedorismo, da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte (MEMP) e conta com a coordenação técnica da Associação de Jovens Empreendedores da Bahia (Aje-Ba)

O Brasil Mais Empreendedor visa contribuir na formação daqueles que estão no estágio inicial de seus negócios ou que possuem uma ideia para empreender e desejam iniciar essa jornada. O público-alvo são jovens entre 17 e 39 anos, preferencialmente mulheres, que residem em áreas periféricas. Para participar não é necessário residir no bairro onde as aulas ocorrerão, mas é fundamental que o candidato atenda aos requisitos apresentados no edital.

SOBRE A CONAJE

A Conaje é uma entidade sem fins lucrativos que atua desde o ano 2000 no fomento do empreendedorismo, fortalecimento, criação e manutenção de novas empresas dirigidas por jovens. Composta por 27 movimentos empresariais presentes em 20 estados brasileiros, a Conaje tem como propósito “Cultivar lideranças que gerem prosperidade para o nosso Brasil”. E para alcançar esse propósito, proporciona aos jovens empresários que fazem parte da sua rede um ambiente de compartilhamento de experiências, capacitação empresarial e networking.

Por meio dessas iniciativas, busca inspirar e capacitar os jovens empresários a alcançarem novos patamares de sucesso em suas trajetórias empresariais. Com uma visão voltada para o futuro, a Conaje entende a importância do desenvolvimento de habilidades empreendedoras e do estabelecimento de conexões e aprendizados sólidos no mundo dos negócios. A Conaje capacita e inspira jovens empresários a serem líderes de transformação para o futuro.

SERVIÇO:

Projeto Brasil Mais Empreendedor

Turma 11 – Praia Grande

Inscrições até 02 de Março no site:brasilmaisba.conaje.com.br

Local: Comunidade Evangélica de Salvador (Av. Afrânio Peixoto, 53e – Praia Grande).

Período de aulas: De 04/03/2024 a 08/03/2024 das 13h às 17h.

Vagas: 35

Realização: Conaje em parceria com Ministério do Empreendedorismo, da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte

Informações: 71 99264-1837 ou @ajebahia

Continue Reading

AfroEmpreendedorismo

Vagas abertas para Curso de empreendedorismo para jovens negros

Amanda Moreno

Publicado

on

Vagas abertas para Curso
Vagas abertas para Curso (Foto: Divulgação)

Vagas abertas para Curso de empreendedorismo para jovens negros. Estão abertas as inscrições para a 2ª edição do curso ORI Empreendedorismo, que desta vez vai destinar 40 vagas para jovens negros de 18 a 29 anos de Salvador.

O projeto é voltado para aqueles que têm interesse em desenvolver o lado empreendedor. Os encontros terão início no dia 19 de fevereiro, no auditório da Biblioteca Central do Estado da Bahia, nos Barris. O curso, com duração de 2 meses de conhecimentos teóricos e práticos.

As inscrições são gratuitas e por sem feitas neste formulário online. Os interessados podem obter mais informações sobre vagas, aulas e turmas entrando em contato pelo WhatsApp: 71 9684-7342 ou pelo telefone (71) 3350-5526.

As aulas acontecerão de segunda a sexta-feira, das 14h às 18h. São oito módulos que oferecerão não apenas conhecimento acadêmico, mas também orientações práticas para a criação de negócios sustentáveis e com impacto social. Dentre as disciplinas estão Gestão Financeira, Economia Criativa e Afroempreendedorismo, Marketing Digital e Inserção do Jovem no Mundo do Trabalho.

Os participantes terão acesso a dicas de negócios, complementada por oficinas de preparação para os pitchs finais. Além disso, será fornecido auxílio transporte e alimentação para facilitar a participação dos alunos. Vagas abertas para Curso de empreendedorismo para jovens negros.

O projeto é uma iniciativa do Instituto de Responsabilidade e Investimento Social – IRIS, em parceria com a Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte – SETRE, o Fundo de Promoção do Trabalho Decente – FUNTRAD, o Centro Público de Economia Solidária – CESOL e o Governo do Estado da Bahia.

Continue Reading

AfroEmpreendedorismo

Projeto Brasil Mais Empreendedor

Jamile Menezes

Publicado

on

O Brasil Mais Empreendedor visa contribuir na formação daqueles que estão no estágio inicial de seus negócios ou que possuem uma ideia para empreender.

O Projeto Brasil Mais Empreendedor abre mais 35 vagas para nova turma no bairro de Cosme de Farias. As inscrições podem ser realizadas até dia 25 de janeiro, através do site brasilmaisba.conaje.com.br. As aulas começam dia 29 de janeiro, no Colégio Estadual Doutor João Pedro dos Santos (Rua Av. Mário Leal Ferreira, 30 – Cosme de Farias).

Voltado para para pequenos empreendedores de áreas periféricas, o projeto conta com aulas presenciais abordando diferentes áreas do negócio e acompanhamento com especialistas, além de desenvolver a logomarca dos empreendedores selecionados.

O Projeto Brasil Mais Empreendedor visa contribuir na formação daqueles que estão no estágio inicial de seus negócios ou que possuem uma ideia para empreender e desejam iniciar essa jornada. O público-alvo são jovens entre 17 e 39 anos, preferencialmente mulheres, que residem em áreas periféricas. Para participar não é necessário residir no bairro onde as aulas ocorrerão, mas é fundamental que o candidato atenda aos requisitos apresentados no edital.

Mais informações podem ser acompanhadas em @ajebahia

SERVIÇO:

Projeto Brasil Mais Empreendedor

Turma 10 – Cosme de Farias

Inscrições até 22 de Janeiro no site:brasilmaisba.conaje.com.br

Local: Colégio Estadual Doutor João Pedro dos Santos (Rua Av. Mário Leal Ferreira, 30 – Cosme de Farias)

Período de aulas: De 29/01/2024 a 02/02/2024 das 13h às 17h.

Vagas: 35

Realização:Conaje em parceria com Ministério do Empreendedorismo, da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte

Informações: 71 99264-1837 ou @ajebahia

Continue Reading
Advertisement
Vídeo Sem Som

EM ALTA