Connect with us

Audiovisual

Associação dxs Profissionais do Audiovisual Negro terá núcleo baiano

Jamile Menezes

Publicado

on

nordesteLab

NordesteLab Foto: Emerson Dindo

Construir caminhos e estratégias que garantam a inserção e fortalecimento dos profissionais negros no audiovisual, em diálogo com agentes e parceiros indispensáveis ao setor. Este é o principal objetivo da Associação dxs Profissionais do Audiovisual Negro (APAN), que ganhará sua seção Bahia durante o NordesteLab, que acontece no Teatro do Goethe-Institute (Corredor da Vitória).  O lançamento será na sexta (2), às 15h30, com entrada gratuita.

Antes disso, a Associação dxs Profissionais do Audiovisual Negro marcará presença no NordesteLab nesta quinta-feira (01), às 9h30, com a mesa “Mulheres no Audiovisual – em busca da paridade de gênero”. As discussões sobre a presença feminina no cinema terão a participação de Débora Ivanov (Ancine), Milene Evangelista (Fundarpe), Malu Andrade (Mulheres no Audiovisual Brasil), Dênia Cruz (Trinca Audiovisual/ABD-RN) e Thamires Santos Vieira (Tela Preta/APAN-BA), mediadas por Daniela Fernandes.

apan bahia

Jamile Coelho Foto: Diane luz

A APAN-BA nasceu de diálogos e articulações de cineastas e produtoras negras baianas, que uniram-se no propósito de – não apenas fazer frente à hegemonia do eixo Rio-São Paulo na produção audiovisual – mas também marcar a presença e força do cinema negro na Bahia. A Associação Nacional nasceu em São Paulo, em 2016 e hoje já está em 10 estados.

“É necessário que, no momento em que o setor audiovisual no mundo se dispõe a crescer o bolo econômico sobre histórias e subjetividades negras, os profissionais negros façam parte desse processo de forma autônoma e participativa”, diz Viviane Ferreira, baiana e presidente da APAN.

Em março deste ano, projetos e profissionais negros de audiovisual da Bahia foram convidados pelo ator, Lázaro Ramos, curador da Rio Content Marketing para participar do evento – o maior encontro de negócios da América Latina entre produtores independentes e profissionais do audiovisual.

VIVIANE FERREIRA DA CRUZ

Viviane Ferreira – APAN

“Lá, vimos a atuação de Lázaro e de Viviane enquanto APAN, articulando o cinema negro com os canais, as Tvs, produtoras e daí conhecemos a Associação e sua intenção de se ramificar nos demais estados Quando regressamos começamos esta articulação e compusemos o núcleo da APAN Bahia. Nos organizamos para estar no NordesteLab enquanto APAN-BA, conseguimos inscrever alguns projetos e teremos um espaço da Associação para dialogar com os players lá. Precisamos nos apropriar disso, nosso cinema negro tem a capacidade de se comunicar com o mundo, traz questões comuns à Diáspora e o mercado do Audiovisual está entendendo isso. Portanto, precisamos dominar as ferramentas de acesso a estes recursos para darmos viabilidade às nossas ideias”, diz Renata Dias.

Integram a APAN-BA, as cineastas Urania Munzanzu, Jamile Coelho, Cintia Maria, Larissa Fulana de Tal, Thamires Santos e Davi Aynan, além da Relações Públicas e Produtora, Renata Dias e o Produtor Criativo, Emerson Dindo.

NordesteLab

No dia 2 (sexta), a programação contará com a mesa “Cinema Negro: Conexões na Diáspora”, com a presença do ator Antonio Pitanga, em cartaz com o documentário “Pitanga”, e das cineastas Urânia Munzanzu, Stella Zimmerman, Jamile Coelho e Viviane Ferreira.

“O NordesteLab se firma no cenário regional e nacional como um dos mais importantes espaços de aproximação entre os produtores, realizadores e os principais players do mercado. Por isso a APAN, em sua regional Bahia, acredita ser este o melhor espaço para realizar sua apresentação ao mercado”, explica David Aynan, membro do conselho fiscal da associação.

Quinta-feira (01), às 9h30, com a mesa “Mulheres no Audiovisual – em busca da paridade de gênero”.

Lançamento da APAN

Sexta-feira (02), às 15h30, com a mesa  “Cinema Negro: Conexões na Diáspora”.

Audiovisual

TV Pelourinho inscreve para cursos gratuitos no Audiovisual

Jamile Menezes

Publicado

on

No "Eu Sou a TV Pelourinho”, que oferece 40 vagas, as aulas começarão no segundo semestre e serão realizadas em dois turnos por semana.

A TV Pelourinho está com inscrições abertas para curso gratuito “Eu Sou a TV Pelourinho”, que durante nove meses, a partir de sete disciplinas, proporcionará formação em várias áreas do audiovisual a adolescentes e jovens com idades entre 15 e 29 anos de escolas ou universidades públicas.

No “Eu Sou a TV Pelourinho”, que oferece 40 vagas, as aulas começarão no segundo semestre e serão realizadas em dois turnos por semana. As disciplinas oferecidas são: Áudio, Edição, Fotografia e Novas Mídias, A Identidade no Cinema e Audiovisual Brasileiro, Linguagem do Audiovisual, Produção e Planejamento e Produção Audiovisual / Roteiro e Vodcast.

As inscrições devem ser feitas através do link (AQUI).

Saiba mais sobre o curso “Eu Sou a TV Pelourinho”

Áudio – Ensina os processos básicos de produção do som no cinema e no audiovisual, o emprego de som no filme, as funções da música no cinema e em outros produtos audiovisuais e introduz técnicas para o registro do som com o uso dos equipamentos de captação e processamento do som no audiovisual.

Edição – Dá noções básicas dos conceitos de edição e montagem no cinema, apresenta o estudo das principais teorias da montagem cinematográfica como elemento de construção da narrativa audiovisual e as técnicas de montagem e como utilizar softwares em computares e celulares para a construção da montagem.

Fotografia e Novas Mídias – Trata dos processos de produção em Cinema e Audiovisual relacionados à experimentação de linguagens através de produtos laboratoriais diversos, incluindo as novas mídias. Fala da História da fotografia, das técnicas de registro fotográfico e ensina operar a câmera e a usar celulares para produção de conteúdo audiovisual. Analisa a fotografia no cinema e no audiovisual e discute a direção de fotografia enquanto autoria.

A Identidade no Cinema e Audiovisual Brasileiro – Tem o objetivo de refletir e explorar o impacto e a representação da população negra na produção cinematográfica brasileira, com especial enfoque no protagonismo das mulheres negras. Através da análise de filmes, debates e atividades práticas, os participantes discutirão a auto-representação, combate ao racismo e políticas públicas para o cinema e audiovisual.

Linguagem do Audiovisual – Apresenta noções de estética e linguagens audiovisuais, as especificidades estéticas do Primeiro Cinema, a formação da gramática cinematográfica, o realismo cinematográfico, as convenções da linguagem clássica e as rupturas estéticas do cinema moderno.

Produção e Planejamento e Produção Audiovisual/Roteiro – Mostra o estudo dos processos da direção e produção em Cinema e Audiovisual relacionados à experimentação de linguagens através de produtos laboratoriais. Faz conceituação dos termos técnicos básicos empregados no planejamento, na organização e na operacionalização da produção de Cinema e Audiovisual. Estuda a lógica sequencial da produção, sua configuração e operacionalização. Apresenta as diversas etapas da produção cinematográfica, funções da equipe, terminologia técnica e equipamentos usados, estúdios e laboratórios.

Na Produção Audiovisual/Roteiro, analisa a técnica de roteiro, as estruturas e criação do roteiro cinematográfico e audiovisual, suas regras de formatação para a escrita do roteiro cinematográfico ou audiovisual original e adaptado e trata do desenvolvimento da narrativa.

Mostra também como realizar orçamentos, formação de equipe, elaboração do plano da produção,  mapa de locações e o controle de custos de produção. Trata também da captação de recursos, execução de orçamento e das leis de incentivo. Fala das estratégias de lançamento, distribuição, e estratégias de Marketing.

Vodcast – Oferece uma abordagem abrangente sobre a criação e produção de vodcasts, um formato de mídia em ascensão que combina elementos de áudio e vídeo. Os participantes serão guiados desde os conceitos básicos até técnicas avançadas de produção, com ênfase na criação de conteúdo envolvente e na construção de uma audiência. Através de aulas teóricas e práticas, os alunos terão a oportunidade de adquirir habilidades essenciais para iniciar seus próprios vodcasts.

Continue Reading

Audiovisual

Festival Ferrovias recebe inscrições até 20 de junho

Jamile Menezes

Publicado

on

Trem colorido está parado sobre trilhos de uma ferrovia no subúrbio, sinalizando o tema do Festival Ferrovias.

O Festival Ferrovias é o primeiro festival de cinema voltado para o Subúrbio Ferroviário de Salvador e recebe inscrições até o dia 20 de junho. Voltado para criador audiovisual, diretor ou cineasta do Subúrbio Ferroviário de Salvador, o festival é uma oportunidade de exibir a produção local.

O Ferrovias abre espaço para obras audiovisuais que pensam as questões do território e visa enfatizar a potência criativa dessa região histórica da capital baiana. As inscrições devem ser realizadas mediante o preenchimento de um formulário online, através do site do Festival. Os projetos serão avaliados por uma equipe de curadores com trajetória diversa no audiovisual da região do Subúrbio, da cidade de Salvador e da Bahia.

Podem ser inscritos curtas com até 30 minutos de duração e longas-metragem de até 60 minutos ou mais. Também vale ressaltar que cada cineasta ou produtor audiovisual selecionado no Ferrovias irá receber um prêmio de R$ 400.

O Festival Ferrovias recebe, prioritariamente, obras de nascidos ou moradores do Subúrbio. Entretanto, pessoas de outras regiões de Salvador também podem se inscrever, desde que os filmes submetidos tenham temática voltada para o território ou que tenham sido gravados no Subúrbio.

Da margem ao centro

O Festival Ferrovias estabelece sua relevância ao centralizar artistas e histórias deste território. Na primeira edição do projeto, 80% das obras inscritas contaram com a participação de pelo menos uma pessoa do Subúrbio.

“[A participação no festival] foi importante para mim porque representei parte da comunidade em que eu moro. É importante levar as pessoas daqui da comunidade e [mostrar] esse trabalho que é feito aqui”, destacou Ítalo Rodrigues, que é morador do bairro de Plataforma, sobre a importância do projeto em sua trajetória.

O curta documental “O peixe”, dirigido por Ítalo, foi uma das obras selecionadas na 1ª edição do Ferrovias e já foi exibida em outros festivais de cinema, como os festivais Felino Preta e Latinidades Negras.

INSCREVA-SE!

Continue Reading

Audiovisual

Circuito CINERÊ abre inscrições para novos cineastas negros

Jamile Menezes

Publicado

on

O Circuito CINERÊ está com inscrições abertas para o Lab Cinerê, edital que vai selecionar 10 jovens cineastas da Cidade Baixa, Subúrbio Ferroviário, Mussurunga, Cajazeiras e Brotas para uma formação audiovisual.

Circuito de produção audiovisual para novos cineastas negros, o Lab será dividido entre oficinas e workshops entre os meses de julho e agosto. As pessoas interessadas podem realizar suas inscrições para concorrer às vagas até o dia 10 de junho.

“Nosso principal objetivo é promover e ampliar o alcance de novos cineastas negros em regiões da cidade onde iniciativas como essa ainda são raras. Após a capacitação desses profissionais, que virão a partir da chamada pública, teremos mais duas etapas que resultarão em 15 produtos audiovisuais dos segmentos ficção, documentário e videoclipes”, explica Rafa Martins, gestor do Circuito CINERÊ.

Roteiro, direção de fotografia e direção cinematográfica serão os temas dos workshops, ministrados por nomes do segmento: Ana do Carmo, diretora, roteirista e sócia fundadora da Saturnema Filmes; Rogério Sagui, diretor, roteirista, cineasta e produtor com projetos assinados na Globo, Netflix e HBO e Fabíola Silva, diretora de fotografia que tem, entre seus principais trabalhos, a websérie “Punho Negro” (2021) e o videoclipe “Maré Kawô” (2018).

Já as oficinas contemplarão produção audiovisual, com cineasta, roteirista e fotógrafo Vinícius Eliziário; preparação e direção de atores, com ator, roteirista e diretor Heraldo de Deus, além de edição de montagem com o publicitário e artista visual Del Nunes.

Rafa Martins – Foto Amanda Chung

“Após a conclusão da formação, 10 diretores serão contemplados com um valor em dinheiro para realizar um curta, colocando em prática o que foi aprendido”, completa Martins.

Além das 10 vagas que serão preenchidas através do edital, 30 vagas serão disponibilizadas para o público externo e, para participar, é necessário apenas fazer inscrição através do formulário.

O Cinerê

É um circuito de produção audiovisual idealizado pela Pé de Erê Produções, produtora independente multicultural focada em produções negras que está dando início a sua vertente de produção de audiovisual por meio da Lei Paulo Gustavo. O Cinerê conta com a idealização e direção técnica de Rafa Martins, direção de produção de Juliana Sousa e produção executiva de Tati Gamboa.

Continue Reading
Advertisement
Vídeo Sem Som

EM ALTA