Connect with us

Literatura

Escritoras e poetas negras são destaque no Letra de Mulher – Festival Literário!

Jamile Menezes

Publicado

on

kuma_frança
dia_bonito_pra_chover_livia_natalia

Lívia Natália

O Letra de Mulher – Festival Literário acontece de 8 a 11 de março, na CAIXA Cultural Salvador e vai reunir nomes como Cidinha da Silva, Lívia Natália, as slammers Roberta Estrela D’Alva e Kuma França, entre outras escritoras brasileiras contemporâneas.

O Letra de Mulher é um evento literário dedicado ao debate e divulgação do trabalho de escritoras que atuam em diferentes plataformas, bem como uma pluralidade de gêneros literários e estéticos. A curadoria do Letra de Mulher leva a assinatura das jornalistas Dayse Porto e Paula Janay.

A programação do Letra de Mulher – Festival Literário é inteiramente gratuita e retirada de ingressos é realizada uma hora antes do início de cada atividade da programação, na bilheteria da CAIXA Cultural Salvador. É opcional a troca de ingressos por livros não-didáticos.

 

kuma_frança

Kuma França  Fto Dayse Cardoso

 

Mesas – De 08 a 11 de março, quinta a domingo:

  • DIA 08 às 20h- Mesa de abertura:  Outras Palavras, com Alice Ruiz e  Estrela Leminski
  • Dia 09 às 15h – Mercado, publicação e reconhecimento: os caminhos das escritoras, com Luisa Gleisler e Carol Bensimon.
  • DIA 09 às 17h30mim – Literatura, feminismo e produção independente na internet, com Clara Averbuck e Flávia Azevedo.
  • Dia 09 às 20h – O que faz uma escritora? com Mabel Veloso e Maria Valéria Rezende.
  • Dia 10 às 14h – Contação de Histórias, com Danielle Andrade (Atividade infantil)
  • Dia 10 às 15h – Ser Mulher, Ser negra, Ser Escritora, com Cidinha da Silva.
  • Dia 10 às 17h – Meu livro de cabeceira ou do YouTube para as prateleiras, com JoutJout.
  • Dia 10 às 18h30mim – Literatura Movimenta – Iniciativa que estimulam a formação e difusão da produção literária produzidas por mulheres,  com Juliana Gomes (Leia Mulheres) + Suzana Ventura (Mulheril das Letras).
  • Dia 10, às 20h – Outras Palavras – A relação da literatura e outras linguagens nas artes, com Zélia Duncan.
  • Dia 11 às 16h – Literatura das Bordas – Todas as palavras em evidência, com Livia Natália e Roberta Estrela D’alva.
  • Dia 11 às 19h – Outras Palavras – A relação da literatura e outras linguagens nas artes, com Roberta Estrela D´Alva, Karina Buhr e Ju França.

 Oficina – dias 10 e 11 de março, sábado e domingo, das 9h30 às 12h.

A poesia é uma festa, com Kátia Borges: Serão duas manhãs para aprender sobre poesia e contemporaneidade, especialmente a partir das vozes femininas que, no Brasil e na Bahia, mantém esta arte sempre em movimento.Serão lidos poemas de autoras como Angélica Freitas, Ana Martins Marques, Simone Teodoro, Adriane Garcia, Norma de Souza Lopes, Karina Rabinovitz, Angela Vilma, Mônica Menezes e muitas outras. Serão apenas 20 vagas.

Serviço:

Letra de Mulher – Festival Literário
Período:
 8 a 11 de março de 2018
Local: CAIXA Cultural Salvador (Rua Carlos Gomes, 57, Centro – Salvador)
Entrada franca

Informações: (71) 3421-4200

Fotos Divulgação

Cultura

Casa Preta 15×15 terá leitura dramática, performance e inauguração de biblioteca

Amanda Moreno

Publicado

on

Casa Preta 15x15 terá leitura dramática, performance e inauguração de biblioteca

Casa Preta 15×15 terá leitura dramática, performance e inauguração de biblioteca. O projeto “CASA PRETA QUINZE POR QUINZE” tem promovido o encontro de artistas do Distrito Cultural do Centro Histórico e Comércio para realização de 15 ações culturais desde janeiro, em comemoração aos seus 15 anos da Casa Preta, espaço cultural localizado no bairro Dois de Julho. Leituras dramáticas, performance e a inauguração de uma mini biblioteca com temas ligados à história da “cidade da Bahia” estão entre os destaques da programação de fevereiro e março.

O projeto tem apoio financeiro da Prefeitura Municipal de Salvador e Fundação Gregório de Mattos através do Edital Territórios Culturais.

Com direção de Caio Rodrigo, a leitura dramática do texto “Os Cachorros”, de Elena Garro, acontecerá 27/02 (terça), às 19h. Já no dia 29/02 (quinta), às 19h. o público confere a Leitura dramática do texto “Foro 4 Tiradentes”, de Mário Lago, com direção de Gordo Neto. No dia 01/03, o projeto realiza a Inauguração do acervo especial “História da Bahia, história do bairro Dois de Julho”, às 16h. No mesmo dia, será apresentada a “poeformance”, com Alex Simões, às 19h. Todos os eventos têm entrada gratuita. Casa Preta 15×15 terá leitura dramática, performance e inauguração de biblioteca.

“Há um caráter comunitário no projeto, por isso também a escolha de uma oficina de jardinagem, para juntar gente em torno do cuidado com as plantas, muito presentes nas casas e mesmo nas ruas e fachadas”, conta o co-gestor da Casa Preta, Gordo Neto.

Leitura dramática “Os Cachorros”, de Elena Garro 

com elenco convidado
27 de Fevereiro (terça), às 19h
Direção: Caio Rodrigo
Gratuito

Leitura dramática “Foro 4 Tiradentes”, de Mário Lago 

com elenco convidado

29 de Fevereiro (quinta), às 19h
Direção: Gordo Neto
Gratuito

Inauguração do acervo especial “História da Bahia, história do bairro Dois de Julho” Dia 01 de Março (sexta), às 16h.

Gratuito

poeformance, com Alex Simões

01 de Março (sexta), às 19h

Gratuito

Café da Manhã, palco aberto e mesa redonda

Dia  03 de Março (domingo) das 09:00 às 12:00.

Gratuito

Ingressos (linktr.ee/Casapreta)

Toda a programação do projeto Casa Preta 15 por 15 está incluída na ação promocional “A Casa Preta em Boa Vizinhança”. 

Moradores dos bairros do Distrito Cultural do Centro Histórico e Comércio pagam meia entrada em quaisquer eventos deste projeto!

+ Informações: https://casapreta.art.br

Continue Reading

Literatura

Circuito de contação de histórias negras está com inscrições abertas

Amanda Moreno

Publicado

on

Circuito de contação de histórias negras está com inscrições abertas
Circuito de contação de histórias negras está com inscrições abertas (Foto: Divulgação)

Circuito de contação de histórias negras está com inscrições abertas. Em sua segunda edição, o Literama Infantil continua a destacar a riqueza da literatura negra infanto-juvenil por meio da contação de histórias. Com um convite aberto para novas Unidades Escolares do ensino público e Organizações Não Governamentais (ONGs).

As inscrições estão abertas até  quinta-feira (29/02) e podem ser feitas através do formulário online: https://forms.gle/kgLQzJBWCXHJrgB97 

Sobre o Literama Infantil

Criado em 2022, o Literama Infantil propõe um envolvente circuito de contação de histórias negras, como forma de aproximar crianças e adolescentes da rica cultura afro-brasileira. O intuito é realizar uma celebração marcante, permeada por afeto, esperança e conhecimento por meio da apresentação de narrativas autênticas e representativas.

A produtora cultural Cris Santana, coordenadora geral do projeto, acredita que é uma oportunidade única para contribuir para o enriquecimento cultural das crianças e adolescentes. "Podemos ver no dia a dia a importância de fomentar uma cultura
mais inclusiva, representativa e diversa, principalmente quando se trata de crianças e adolescentes. O Literama Infantil tem esse propósito de incentivar o consumo da literatura negra infanto-juvenil; e aproximar cada vez mais estudantes de regiões desfavorecidas culturalmente da cidade. O despertar cultural e artístico de uma forma representativa tem capacidade de transformar vidas.

Para participar da seleção, é necessário que a instituição seja uma Unidade Escolardo ensino pú lico ou ONG que trabalhe com o público infantojuvenil (até 12 anos) do Ensino Fundamental I, e esteja localizada na Prefeitura-Bairro IV de Salvador. Os bairros abrangidos incluem Aeroporto, Alto do Coqueirinho, Areia Branca, Bairro da Paz, Boca do Rio, Cassange, Imbuí, Itapuã, Itinga, Jardim das Margaridas, Mussurunga, Nova Esperança, Patamares, Piatã, Pituaçu, São Cristóvão e Stella Maris.

Outras informações: literamainfantil@gmail.com ou @literamainfantiloficial.

O projeto Literama Infantil foi contemplado pelo edital Territórios Criativos, com recursos financeiros da Fundação Gregório de Mattos, Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, Prefeitura de Salvador e da Lei Paulo Gustavo, Ministério da Cultura, Governo Federal.

Continue Reading

Cultura

Bárbara Carine fez noite de autógrafos na Biblioteca Central

Amanda Moreno

Publicado

on

Bárbara Carine fez noite de autógrafos na Biblioteca Central

Bárbara Carine fez noite de autógrafos na Biblioteca Central. A chuva deu uma trégua no final desta quinta-feira (22) para o lançamento de mais um livro da educadora, escritora, pesquisadora e ativista, Bárbara Carine. Intitulado “Querido estudante negro” o evento foi realizado no Quadrilátero da Biblioteca Central, nos Barris. Após o sucesso de “Como ser um educador antirracista”, a ativista compartilha experiências pessoais repletas de tensões sociais e raciais.

No novo livro, Bárbara dialoga com dois estudantes negros que, independente das condições financeiras ou sociais, compartilham as experiências vividas em formato de cartas fictícias. “São histórias de ficção, mas, ao mesmo tempo, as histórias narradas pela jovem negra são todas histórias da minha vida, então, na realidade, é uma ficção que eu diria que é autobiográfica”, contou a educadora e influencer.

Bárbara Carine fez noite de autógrafos na Biblioteca Central

Bárbara Carine fez noite de autógrafos na Biblioteca Central (Foto: Henrique Santos)

Para Daudi Akil, estudante oriundo de escola pública e bolsista em escola particular de salvador, existe uma ansiedade de receber o autógrafo da autora e de ler o livro que segura firme nas mãos. “Já tô muito ansioso para ler esse livro. Eu tenho a certeza que vai ter muita batalha aqui dentro, porque hoje em dia viver numa sociedade dessa forma é horrível. Ser negro já é uma coisa difícil, imagina pra uma mulher negra? Aqui tem parte da história de vida dela, então deve ter sido muita batalha, inclusive, pra publicar o livro”, explicou o jovem estudante.

Com quase 400 mil seguidores nas redes sociais, a intelectual conversou com o público que lotou o Quadrilátero da Biblioteca. Ela explicou que no livro a ideia é mergulhar na complexidade da formação de subjetividades negras e que traz a perspectiva de uma psicopedagogia com leitura racial. Ao final Bárbara contou que já tem outro livro no forno, que parou para escrever “Querido estudante negro”, mas já retomou a escrita. Em breve, mais novidades!

Continue Reading
Advertisement
Vídeo Sem Som

EM ALTA