Connect with us

Dança

VIVADANÇA 2019 traz como destaque o corpo negro em movimento!

Avatar

Publicado

on

Tears
Tears

Foto Edivaldo Ernesto

A abertura oficial da 13ª edição do VIVADANÇA Festival Internacional movimentou a noite desta terça-feira (16), no Teatro Vila Velha, que é o palco principal do evento que celebra o Mês Internacional da Dança. Entre os dias 16 e 29 de abril, o VIVADANÇA 2019 ocupa 10 espaços de Salvador, com uma programação intensa e diversificada. Ao todo são 450 profissionais envolvidos em 30 espetáculos, 18 oficinas, Rodada de Negócios, Batalha de Break, workshops de danças urbanas, além de mesas de debate.

O espetáculo escolhido para abrir a programação do Festival foi o solo “Tears”, criado em 2015 pelo coreógrafo Edivaldo Ernesto, moçambicano radicado na Alemanha, que vem se destacando mundialmente pela criatividade nas coreografias e pelas colaborações com artistas de alto prestígio na dança contemporânea, como a alemã Sasha Waltz e o venezuelano David Zambrano.

“Tears” é um espetáculo de dança contemporânea, que traz um personagem incomodado por medos irracionais e reflete sobre o que você pode ou não fazer quando exige liberdade. Ernesto afirma que utiliza a dança como principal forma de expressão na sua luta contra o racismo: “Fui alvo de muito preconceito pelo fato de ser negro e de ter saído da África. Então, uso a dança para fazer com que as pessoas compreendam que não podem criar falsa impressão, pela aparência. Através da dança, busco uma saída para tudo isso, busco uma liberdade”.

Tears

Foto: Monique Feitosa

Além do artista moçambicano, que é dançarino, professor, coreógrafo e especialista em improvisação, o VIVADANÇA 2019 destaca outras trajetórias negras na dança. “Nós estamos completando 13 anos, e durante todo esse tempo o Festival vem se pautando pela diversidade, mas este ano os solos negros, que abordam questões relevantes são os grandes destaques”, explica a coreógrafa Cristina Castro, que assina a Direção Geral e a Curadoria do Festival.

A diretora enfatiza a necessidade de trazer reflexões sobre questões raciais e sociais vividas pelo negro na história da dança: “Abrir o festival com um artista negro, africano, moçambicano que se destaca no cenário da dança contemporânea atual é não somente trazer um bom espetáculo ou um excelente workshop, mas também marcar a presença do pensamento negro, que bebe da tradição e ocupa o seu espaço de interlocução e posicionamento com o mundo na atualidade”.

Na quinta-feira (18), na Sala do Coro, às 17h, logo após a apresentação de “Atlântico”, coreografia de Paullo Fonseca, que trata sobre as vivências do dançarino enquanto artista negro, a mesa “Dança e Emancipação – Trajetórias Negras pela Dança” reunirá Fonseca, James Carlès e Hugo Rojas (Paraguai), com mediação do diretor da Aliança Francesa Mamadou Gaye, como parte da primeira edição do ano do projeto “Conversas Plugadas”, promovido pelo Teatro Castro Alves.

vivadanca-atlantico

Foto Maurício Serra

Outro destaque da programação é o francês de origem camaronesa James Carlès, coreógrafo importante por sua constante pesquisa sobre a diáspora negra, que interpreta “Happi, La Tristesse du Roi”, coreografia de Heddy Maalem, às 20h, da quarta-feira (24), no Teatro Vila Velha. “James tem uma formação que une tradição e modernidade. Um mestre da dança aberto à criação de pontes entre culturas”, conta a curadora.

O VIVADANÇA Festival Internacional é uma realização da Baobá Produções Artísticas com o apoio financeiro do Goethe-Institut e Ministério das Relações Exteriores da República Federal da Alemanha e Governo do Estado, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura da Bahia e com o patrocínio do Fundo Iberescena/Funarte – Ministério da Cidadania, Governo Federal. A programação completa está disponível no site www.festivalvivadanca.com.br.

 

 

 

Texto de Vanessa Diana – Musicista, estudante de Jornalismo, selecionado no Programa Soteropreta de Jornalismo 2018, em parceria com a UNIME.

Dança

Instituto A Mulherada realiza diálogo sobre violência doméstica e familiar

Jamile Menezes

Publicado

on

Instituto A Mulherada

Na próxima quarta-feira (24), às 14h, o Instituto A Mulherada convida a Tenente Coronel e Comandante do Batalhão de Policiamento de Proteção à Mulher, Roseli de Santana Ramos e a Secretária Municipal de Políticas para as Mulheres, Infância e Juventude, Fernanda Lordêlo para roda de diálogo aberta ao público sobre “Violência doméstica e familiar contra as mulheres: avanços e superações”.

O evento integra o projeto “Tambores pelo Fim da Violência – Tocar Pode Bater Não”, nos Territórios Criativos do Centro Histórico de Salvador. Com o projeto, o Instituto A Mulherada utiliza a música, a arte como instrumentos de conscientização e empoderamento para combater a violência doméstica e familiar contra mulheres, além de promover sua inclusão no mercado de trabalho.

Fernanda Lordêlo

O Instituto

O Instituto A Mulherada tem por missão lutar pela defesa dos direitos das mulheres vítimas de violência, sem oportunidade de emprego e pela inclusão educacional e profissional das mesmas. Criado em 2001, a partir da identificação das demandas e necessidades da população feminina de Salvador, especialmente mulheres negras em situação de vulnerabilidade, o Instituto vem intervindo na realidade do cotidiano, colaborando para que as mulheres rompam com o ciclo do silêncio que se inicia com a submissão e dependência, culminando muitas vezes no óbito dessas vítimas.

Este projeto foi contemplado pelo edital Territórios Criativos, com recursos financeiros da Fundação Gregório de Mattos, Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, Prefeitura de Salvador e da Lei Paulo Gustavo, Ministério da Cultura, Governo Federal.

 

SERVIÇO

Local: CDRH -UNEB situado na Ladeira do Carmo – Santo Antônio

Dia 24 de abril de 2024

Horário: das 14 às 17 horas

Entrada gratuita mediante inscrição:  https://forms.gle/EfRb9dGFNkrxmie27

Haverá certificado de participação.

 

Continue Reading

Dança

Cia. de Dança Robson Correia celebra mês da dança com exposição

Amanda Moreno

Publicado

on

Cia. de Dança Robson Correia celebra o mês da dança com exposição e apresentação
Cia. de Dança Robson Correia celebra o mês da dança com exposição e apresentação (Foto: André Frutuôso)

Cia. de Dança Robson Correia celebra o mês da dança com exposição. A Cia. de Dança Robson Correia, que integra o Instituto de Formação em Arte (IFA), para celebrar as duas décadas de trabalho no meio artístico leva, a partir desta sexta-feira (19/04), ao foyer do Espaço Xisto Bahia, no bairro dos Barris, em Salvador, a exposição: Passos da Cia Ano VI – Circuito da Dança. A mostra, gratuita, fica aberta para visitação das 9h às 19h e apresenta imagens das obras coreográficas Triscou-Pegou, Nac-Horuc, Almejo e Homens de Ogum, dos fotógrafos André Frutuôso, Cadu Freitas e Fafá Araújo.

O primeiro dia do evento contará ainda, no palco do Teatro Xisto, com a apresentação do espetáculo Homens de Ogum. A partir deste sábado (20/04), a coreografia passará a ser apresentada, por meio do Projeto Circuito da Dança, em cinco praças de Salvador, nos bairros: Bairro da Paz, Rio Vermelho (21/04), Pelourinho (27/04), Resgate (28/04) e Ribeira (29/04), sempre a partir das 16h30.

“Celebramos o Mês da Dança promovendo este ‘circuito’ de atividades artísticas com exposição de fotos dos espetáculos da Cia. que já foram apresentados para mais de 10 mil pessoas, em diversas praças públicas da capital e no interior do estado. Um dos nossos lemas é ir aonde o povo está, então retornaremos às praças de Salvador, com: Homens de Ogum, uma coreografia baseada na história de uma divindade africana, que representa garra, força, coragem, tecnologia, desenvolvimento e trabalho”, explicou Robson Correia, diretor da Cia. e doutorando em Dança, pela Universidade Federal da Bahia (UFBA).

O projeto Circuito da Dança foi contemplado nos Editais da Paulo Gustavo Bahia e tem apoio financeiro do Governo do Estado da Bahia, via Secretaria de Cultura, por meio da Lei Paulo Gustavo, do Ministério da Cultura, Governo Federal. A Lei Paulo Gustavo Bahia (PGBA) foi criada para a efetivação das ações emergenciais de apoio ao setor cultural, visando cumprir a Lei Complementar nº 195, de 8 de julho de 2022.

SERVIÇOS
O quê: Exposição Passos da Cia. Ano VI – Circuito da Dança.
Onde: Espaço Xisto Bahia.
Período: De 19 a 30 de abril.
Horário: Das 9h às 19h.
Entrada: Gratuita.

O quê: Circuito da Dança – Espetáculo Homens de Ogum
Quando:
20 de Abril – Fim de linha do Bairro da Paz
21 de Abril – Brigadeiro Faria Rocha – Rio Vermelho
27 de Abril – Cruz Caída – Pelourinho
28 de Abril – Fim de Linha do Resgate/Cabula
29 de Abril – Praça da Madragoa/Ribeira
Horário: Às 16h30

Continue Reading

Dança

Festival realiza Batalha de Rap e Concurso de Dança em Pirajá

Amanda Moreno

Publicado

on

Festival realiza Batalha de Rap e Concurso de Dança em Pirajá
Festival realiza Batalha de Rap e Concurso de Dança em Pirajá (Foto: Mário Sérgio)

Festival realiza Batalha de Rap e Concurso de Dança em Pirajá. No próximo dia 28 de abril (domingo), o bairro de Pirajá vai se tornar um ponto de encontro para jovens artistas durante a primeira edição do Festival Cultural Talentos de Bairros, que acontece no Colégio Alberto Santos Dumont, a partir das 9h. Dividida entre dois palcos principais, a programação inclui Batalha de Rap e Concurso de Dança de diversas modalidades, além das Performances LGBT, da Mostra de Poesia e de Pocket Shows que vão garantir o entretenimento do público até mesmo nos intervalos, momento em que se apresentam as atrações do Palco Aberto.

Todas as atividades do Festival são realizadas mediante a inscrição dos participantes de forma online e gratuita. As vagas para o Palco Aberto seguem abertas até domingo (14), às 23h59, e os interessados podem se inscrever através do formulário online: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSf4DrgTg8MmzQjMN5uOEylS5q3AN9_8JbPaWJ2mTPRr8sA7rA/viewform

Os portões abrem às 9h e 9h30 é quando iniciam as Batalhas de Rap com 39 MC’s inscritos de todo o Brasil e o Concurso de Dança com três categorias: Pagode Baiano, Valsa e Estilo Livre. Entre duelos de rimas, passos sincronizados e muita energia, os intervalos no Palco Aberto prometem Performances LGBT icônicas, Mostra de Poesia e Pocket Shows. Todas as competições são julgadas por uma banca de jurados formada por três membros para cada categoria, e os grandes vencedores levarão para casa premiações que variam desde troféus até quantias em dinheiro.

O Instituto Talentos de Bairros é uma iniciativa de valorização de artistas e atletas que desenvolvem trabalhos nas regiões periféricas das cidades baianas, contribuindo para a difusão do protagonismo de jovens talentos. O projeto “Talentos de Bairros – Festival Cultural” foi contemplado pelo edital Territórios Criativos, com recursos financeiros da Fundação Gregório de Mattos, Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, Prefeitura de Salvador e da Lei Paulo Gustavo, Ministério da Cultura, Governo Federal.

O Festival é uma realização do Instituto Talentos de Bairros que, apesar de anunciar pela primeira vez um evento neste formato, já vem assinando outras iniciativas culturais e sociais desde o seu surgimento em 2019.  Reconhecido como Ponto Cultural pelo Governo do Estado da Bahia, o Instituto busca auxiliar na profissionalização dos talentos dos bairros e periferias baianas em campos como dança, música, teatro, grafite, poesia, esportes e artes circenses, colocando estas comunidades no mapa cultural e esportivo de forma definitiva nas ações estaduais e municipais.

PROGRAMAÇÃO

Festival realiza Batalha de Rap e Concurso de Dança em Pirajá

Abertura dos Portões: 09:00

 

PALCO 01 – Batalha de Rap

09:30 – Batalha de Rap com 39 MC’s

12:00 – Intervalo – Mostra de Poesia e Pocket Show MC’s

13:30 às 17:00 – Finais Batalha de Rap

 

PALCO 02 – Concurso de Dança

09:30 às 11:00 – Concurso Pagode Baiano (09 Apresentações – média de 90 Bailarinos)

11:00 às 11:30 – Intervalo (Palco Aberto Performances LGBT)

12:00 às 13:30 – Concurso Valsa (08 Apresentações – média de 120 Bailarinos)

13:30 às 14:00 – Intervalo (Palco Aberto)

14:00 às 17:00 – Concurso Estilo Livre (29 Apresentações – média de 158 Bailarinos)

17:00 às 18:00- Cerimônia de Premiação das Categorias

PREMIAÇÕES 

Concurso de Dança

1º Lugar: R$ 1.500,00 + Troféu

2º Lugar: Troféu

3º Lugar: Troféu

Destaque da Categoria (Melhor Dançarino ou Dançarina): Troféu + R$ 200,00

Batalha de Rap

1º Lugar: R$ 1.000,00 + Troféu + Certificado

2º Lugar: R$ 500,00 + Troféu + Certificado

Obs: Todas as competições são julgadas por uma banca de jurados formada por 03 membros diferentes entre as categorias.

 

SERVIÇO

Talentos de Bairros – Festival Cultural

Data: 28/04 (Domingo)

Abertura dos Portões: 9h

Início da Programação: 9h30

Local: Colégio Alberto Santos Dumont – Pirajá

Link de Inscrições Palco Aberto (Prazo 14/04): https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSf4DrgTg8MmzQjMN5uOEylS5q3AN9_8JbPaWJ2mTPRr8sA7rA/viewform

Continue Reading
Advertisement
Vídeo Sem Som

EM ALTA