Connect with us

Artes

Tem programação preta no Festival Literário Nacional, em Cajacity!

Jamile Menezes

Publicado

on

Larissa Luz

 

Durante os quatro dias de Festival Literário Nacional (Flin): Diversas Leituras & Novos Caminhos, no Ginásio Poliesportivo de Cajazeiras, a Tenda Cultural recebe os mais importantes nomes da literatura contemporânea do cenário nacional. Um espaço dedicado à diversidade, a Tenda acolhe debates contemporâneos, que acontecem em seis mesas, com escritores de várias regiões do Brasil; apresentações de Luedji Luna, MV Bill, Larissa Luz, Mangue de Cajazeiras e Grupo Bambeia; humor com Tia Má, João Pimenta e Na Rédea Curta, entre outras atrações.

No dia 12, o festival é aberto com o projeto O Violão e A Palavra, com a cantora Luedji Luna e o ator Lázaro Ramos, pensando criação, trajetórias pessoais no campo da música e da literatura. No mesmo dia, uma conversa sobre cinema acontece na mesa “Rupturas que fizeram da minha vida um filme”, com Joel Zito Araújo (MG), Larissa Fulana de Tal (BA), Tuca Siqueira (PE) e mediação de Wesley Correia.

Tom Correia, curador do Festival Literário Nacional (Flin) frisa que a própria realização de um festival nacional de literatura em um bairro fora do centro de Salvador já promove uma grande ruptura. “Para escritores e artistas autênticos de todas as linguagens, há uma necessidade permanente e orgânica de rompimento com estruturas excludentes e com convenções sociais. Tanto na Tenda Cultural, quanto no Espaço Futura, o público vai ter a oportunidade de conhecer o percurso de cada artista, de interagir de uma forma mais próxima e estabelecer conexões para refletir sobre suas rupturas”. 

MV Bill

O rapper, ator e escritor carioca MV Bill (RJ) também estará presente, dividindo mesa com o cofundador do Instituto Mí­dia Étnica e do Portal Correio Nagô, Paulo Rogério Nunes (BA) e com o mediador Renato Cordeiro, para falar da importância das mídias periféricas em tempos de fake news e a possibilidade de empreender no nosso contexto.

Os ilustradores e quadrinistas Shiko e Hugo Canuto falam de linguagem dos quadrinhos e dos seus trabalhos autorais na mesa “Releituras visuais de paisagens da terceira margem”. Mais tarde o rapper compartilha o palco com o grupo de mulheres baianas Panteras Negras, mesclando rap com música instrumental no encerramento das atividades. Também estarão na Tenda, Tia Má, com um bate-papo crítico e engraçados sobre situações cotidianas e pocket show de Larissa Luz, com músicas autorais.

Confira aqui a programação completa.

Artes

Kalunga: performance leva drag queens pretas à Casa do Benin

Jamile Menezes

Publicado

on

kalunga

Protagonizado pela Afro Drag Diaspórika Barbárie Bundi, “Kalunga” é um convite a um rito performativo para abrir os caminhos através de um percurso pelas instalações da Casa do Benin. Gratuita, a apresentação acontece nesta sexta-feira (17), 19h, e contará no elenco com as drags baianas Malayka SN, Mamba, Ah Teodoro e Dandara.

Na performance, Barbárie Bundi conduz o público a uma imersão em busca da ancestralidade das bixas pretas, falando sobre as kiandas, ninfas aquáticas do Atlântico, e fazendo paralelo entre seu último trabalho musical lançado, o álbum “Aquátika”. A apresentação Kalunga marca também a abertura do projeto “Kiandas Ocupam o Centro”, que celebra o trabalho artístico de drag queens negras, pardas e indígenas de Salvador  e realiza diversas ações gratuitas entre apresentações, atividades formativas e de afroempreendedorismo de maio até o segundo semestre de 2024.

O projeto “Kiandas Ocupam o Centro” foi contemplado pelo edital Territórios Criativos, com recursos financeiros da Fundação Gregório de Mattos, Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, Prefeitura de Salvador e da Lei Paulo Gustavo, Ministério da Cultura, Governo Federal.

Serviço:
“Kalunga” – um rito para abrir os caminhos
Com: Barbárie Bundi, Malayka SN, Mamba, Ah Teodoro e Dandara
Local: Casa do Benin
Data: 17 de maio (sexta-feira)
Horário: 19h
Entrada Gratuita

Continue Reading

Artes

Festival Movimenta Cajazeiras movimenta a dança na região

Jamile Menezes

Publicado

on

Festival Movimenta Cajazeiras trará uma terceira ação, a roda de conversa “Futuros Criativos”,  dia 26 de maio, a partir das 10h.

O Festival Movimenta Cajazeiras realiza no dia 25 de maio a “Mostra Movimenta”, com 13 coreografias do bairro de Cajazeiras e região – solos, duos, grupos e Cia(s) -, escolhido através de uma convocatória. O evento ocorre a partir das 19h, com entrada gratuita, sujeita à lotação.

A Mostra Movimenta ocorrerá no Centro Cultural Boca de Brasa de Cajazeiras e o público poderá assistir a coreografias de diversos ritmos e estilo de dança – pagode, Jazz, hip hop, Valsa, contemporânea, ballet, etc..

A programação é formada pelas seguintes coreografias: “Ori”, da Ensaio Cia de Dança; “Maré mansa”, do Balé Jovem de Cajazeiras; “Colab das Yabás”, do Balé da Comunidade; “Expressar o corpo através da Dança”, do Grupo de Valsa Amor Eterno; “Samba das Meninas”, do Corpo de Baille; “Comunidança”, do Balé Clovis Soares; “Dança do Ventre”, da Luciana Bellydence; “Não reaja”, solo da dançarina Maira Rodrigues; “Kota Diami”, da solo da artista Geórgia Santos; “Solitude”, do grupo Lótus Dancing; “A rua existe e resiste”, espetáculo do bailarino circense Ivo Gabriel; “Esquentando tudo”, Duo do coletivo “Casal Ritmo Quente”; e o espetáculo “Não temo mais o escuro”, da Cia Renato Torres.

“Tem sido lindo ver o envolvimento de tanta gente, criando e construindo seus corres para está no nosso Festival. Por isso, criamos um processo de seleção cuidadoso, que primou pela formação e afetividade, que é a maneira que acreditamos que as políticas de acesso precisam ser”, reforça a diretora de produção do Festival Movimenta Cajazeiras, Tyara Gomes.

O Festival Movimenta Cajazeiras trará uma terceira ação, a roda de conversa “Futuros Criativos”,  dia 26 de maio, a partir das 10h, no Centro Cultural Boca de Brasa, com o propósito de se formar o Fórum de Dança de Cajazeiras, para a construção de políticas de acesso, permanência e fomento de produções artísticas do bairro-cidade. O bate-papo é aberto ao público.

O projeto Movimenta Cajazeiras foi contemplado pelo edital Territórios Criativos, com recursos financeiros da Fundação Gregório de Mattos, Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, Prefeitura de Salvador e da Lei Paulo Gustavo, Ministério da Cultura, Governo Federal.

 

Serviço

O quê: Festival Movimenta Cajazeiras

Quando: 25 de maio, às 19h

Onde: Centro Cultural Boca de Brasa de Cajazeiras

Entrada: Gratuita

 

O quê: Fórum “Futuros Criativos”,

Quando: 26 de maio, às 10h

Onde: Centro Cultural Boca de Brasa de Cajazeiras

Entrada: Gratuita

Continue Reading

Artes

Arte drag queen negra de Salvador é tema de projeto artístico

Jamile Menezes

Publicado

on

arte drag queen negra

Para celebrar a arte drag queen negra, pardas e indígenas de Salvador, vai rolar o projeto “Kiandas Ocupam o Centro”, encabeçado pela Afro Drag Barbárie Bundi. Ele reúne diversas ações gratuitas entre apresentações, atividades formativas e de afroempreendedorismo que começam em maio e seguem até o segundo semestre de 2024. Entre as atividades mais aguardadas está a quarta edição da Escola de Drags, projeto que se consolida na cena da arte drag baiana como uma iniciativa potente de formação e capacitação de artistas drags queens. É realizado pela DAN Território de Criação.

“É um projeto sobre encontro, procurei trazer para perto artistas pretes da cena drag de Salvador. E, para além de celebrarmos nossa existência, pensarmos em nossos caminhos enquanto afro drags. A cada atividade convocarei minhas irmãs para trocarmos e celebrarmos juntes”, destaca Barbárie Bundi, afro drag idealizadora do projeto.

A performance “Kalunga” lança o projeto no dia 17 de maio, às 18h. Em um passeio performático pela Casa do Benin, Barbárie Bundi conduz o público a uma viagem em busca da ancestralidade bixas pretas, falando sobre as kiandas, ninfas aquáticas de África, e fazendo um paralelo entre os seu último trabalho musical lançado, o álbum “Aquátika” e o “Kitanda”, show e seu novo EP que encerra esse projeto no segundo semestre.

Nessa performance, as drags baianas Malayka SN, Mamba, Ah Teodoro e Dandara são convidadas da noite, que vai celebrar a arte drag queen negra da cidade.

A iniciativa traz ainda “Musoni”, uma Noite Preta de performance drag estrelada pelas artistas Dandara e Barbárie Bundi, recebendo outras artistas convidadas, e reunindo, além do show, uma mostra afroempreendedora e a premiação Rainha Afrodrag. Acontece no dia 31 de maio, às 19h, na Casa Sankofa, no bairro do Dois de Julho.

Escola

Esta será a quarta edição da Escola de Drags, projeto autoral produzido pela DAN Território de Criação, que já mobilizou mais de 100 artistas baianas, entre estudantes e professoras, em atividades formativas teóricas e práticas sobre as ferramentas de construção de uma drag queen.

Em 2024, a Escola integra o projeto “Kiandas Ocupam o Centro” e ganha um recorte especial, sendo destinada a drag queens pretas na sua versão “Kiandas nadam em cardume”. Serão quatro encontros híbridos de mentorias teóricas e práticas focadas na qualificação das participantes. As inscrições são gratuitas e vão de 6 a 19 de maio.

Os encontros formativos acontecem, presencialmente, nos dias 21 e 23 de maio, no Boca de Brasa Centro, e remotamente, nos dias 28 e 19 de maio. Podem participar, prioritariamente, pessoas pretas, pardas e indígenas, que já tenham algum projeto a ser desenvolvido  em arte drag queen.

Ainda como ações do projeto, no segundo semestre, acontece uma temporada do show “Kitanda”, performance musical da afro drag Barbárie Bundi em que canta ao vivo um repertório de sambas e de canções de seus últimos trabalhos lançados. E ainda, o lançamento de um livro de sua autoria, que traz uma narrativa sobre o centro de Salvador e a arte drag queen negra, em um mapeamento poético da realização dessa arte no contexto urbano central da cidade.

Continue Reading
Advertisement
Vídeo Sem Som

EM ALTA