Connect with us

Literatura

Podcast literário do Recôncavo lança série de literatura afrodiaspórica!

Jamile Menezes

Publicado

on

Andressa dos Prazeres

No próximo dia 25 de fevereiro estreia a série “Tramas Atlânticas: verbo negro em travessia”, do podcast literário De Hoje a Oito. Com o total de sete episódios veiculados semanalmente, a série vai adentrar o universo literário de autoria negra baiana a partir de suas relações com o território ancestral africano.

Composto por leituras dramatizadas de crônicas, contos e poesia, sonoplastia original e entrevistas, a série dialoga com três escritores e quatro escritoras que trazem África no DNA de suas letras. São elas/es: Fred Aganjú que da poesia do rap às tramas do conto desvela os emblemas da rua para o corpo negro refletido no olho de Exu; Urânia Munzanzu e os segredos da insubmissão feminina que vão do matriarcado africano às insurgências afrodiaspóricas; Deisiane Barbosa e suas cerziduras poético-visuais entre Luanda e Recôncavo baiano para “alinhavar as bordas do Atlântico”; Davi Nunes e o sentimento do mundo negro na Bahia expresso no banzo da palavra poética e sua cadência; Fátima Trinchão com os passos acelerados do conto que se enreda pelas raízes da memória; Camillo César Alvarenga e sua poética ‘iorubaiana’ em busca do “tempo que tem dentro do tempo”, ritmo mestre de nossa cosmologia milenar; e Sued Nunes com sua voz de água profunda que, em música e poesia, relaciona ligações ancestrais com África e experiências negras desde o interior da Bahia. A série conta ainda com a interpretação de Léo Fernandes e Jamile Cazumbá.

A série “Tramas Atlânticas: verbo negro em travessia” vai ao ar toda quinta-feira, de 25 de fevereiro a 08 de abril, às 17h30, no podcast De Hoje a Oito, que pode ser acessado nas plataformas online Spotify,  Anchor e Google Podcasts.

O projeto “Tramas Atlânticas: verbo negro em travessia” tem apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultural do Ministério do Turismo, Governo Federal.

Sobre o Podcast

Vencedor do III Prêmio Select de Arte e Educação na categoria ‘Formadores’, De Hoje a Oito é o primeiro podcast literário produzido no Recôncavo da Bahia. Conheça a premiação aqui.

Com pesquisa e roteiro de Andressa dos Prazeres e Letícia Catete, produção de Eduarda Gama, projeto gráfico de Danilo Amaral e sonoplastia e montagem de Edelsio Lima, o podcast surgiu como um programa independente de rádio em setembro de 2018, transmitido semanalmente sempre às quintas-feiras (daí o nome) pela rádio web/poste Olha a Pititinga, em Cachoeira, município do Recôncavo da Bahia.

SERVIÇO

Podcast de De Hoje a Oito – Série “Tramas Atlânticas: verbo negro em travessia”

Quando: De 25 de fevereiro a 08 de abril de 2021 – Toda quinta-feira, às 17h30.

Onde: Spotify, Anchor, Google Podcasts, Pocket Casts e RadioPublic, e em   rádio/carro de som em Cachoeira e São Félix.

 

Literatura

Carol Barreto lança livro ‘Modativismo’ no Espaço Cultural Barroquinha

Amanda Moreno

Publicado

on

Carol Barreto lança livro ‘Modativismo’ no Espaço Cultural Barroquinha
Foto: Ana Reis

Carol Barreto lança livro ‘Modativismo’ no Espaço Cultural Barroquinha. Nesta quarta-feira, 10 de abril, acaba a espera de quem estava contando os dias para o lançamento presencial do livro Modativismo: quando a moda encontra a luta, da designer, professora e pesquisadora baiana Carol Barreto. O evento terá como cenário o Espaço Cultural da Barroquinha, onde a autora recebe a curadora Ana Paula Xongani para um bate-papo, com mediação de Adriele Regine, co-fundadora do projeto Lendo Mulheres Negras.

O encontro está marcado para as 18h30, com entrada franca. As pessoas interessadas em adquirir seu exemplar podem efetuar a compra no local e já garantir o autógrafo da autora. Depois de Salvador, Carol Barreto segue agenda de lançamentos também em Recife, São Paulo e Santo Amaro – sua cidade natal – entre os dias 17 de abril e 23 de maio.

O lançamento celebra a estreia de Carol Barreto como escritora, um mês após a chegada do livro às plataformas digitais, onde já figura entre os mais vendidos no segmento de design de moda. Editada pela Paralela, do grupo Companhia das Letras, a obra se debruça sobre a trajetória do movimento homônimo, criado pela autora há 10 anos a partir do propósito de refletir sobre os aspectos sociais que orbitam em torno da moda.

Ao longo de quatro capítulos, o livro questiona práticas de mercado que situam a moda como catalisadora de desigualdades e traça um paralelo com o Modativismo, que atua no enfrentamento aos preconceitos de raça e gênero por meio da criação artística. Antes mesmo da criação do movimento, o diálogo com esses propósitos já marcava o trabalho de Carol Barreto, que tem 20 anos de atuação profissional, incluindo experiências como artista visual, designer de moda autoral – já tendo circulado por mais de 10 cidades do mundo – e professora doutora do departamento de Estudos de Gênero e Feminismo da Universidade Federal da Bahia.

SERVIÇO

Carol Barreto lança livro ‘Modativismo’ no Espaço Cultural Barroquinha

Quando: 10 de abril (quarta-feira), às 18h30

Onde: Espaço Cultural da Barroquinha (Rua do Couro, s/n – Barroquinha)

Quanto: R$ 49,90

Vendas: O livro estará disponível para aquisição no local

Continue Reading

Literatura

Scholastique Mukasonga, de Ruanda, estará na Bienal do Livro Bahia

Amanda Moreno

Publicado

on

Scholastique Mukasonga, de Ruanda, estará na Bienal do Livro Bahia.
Scholastique Mukasonga, de Ruanda, estará na Bienal do Livro Bahia (Foto: Juliana Lubini)

Scholastique Mukasonga, de Ruanda, estará na Bienal do Livro Bahia. A escritora ruandesa Scholastique Mukasonga, sobrevivente dos massacres ocorridos em seu país na década de 1990, irá apresentar o painel “Entre afetos e lutas”, no próximo dia 27 de abril, no Centro de Convenções Salvador, como parte da programação cultural da Bienal do Livro Bahia.

Hoje radicada na França, Scholastique tem chamado a atenção do mundo ao recontar acontecimentos extremamente difíceis da história colonial de Ruanda e dos conflitos étnicos que vitimaram parte da população, o que inclui uma grande parcela de sua família. A participação da autora na Bienal conta com o apoio da Embaixada da França no Brasil e, para dialogar com ela no painel, foi escolhida a jornalista e apresentadora baiana Denny Fingergut.

Nascida em 1956, Scholastique Mukasonga foi deportada com a sua família e muitos outros membros da etnia tutsis para uma região inóspita de Ruanda, onde era difícil manter as condições mínimas de sobrevivência e as opressões políticas eram corriqueiras e violentas.

A aprovação para uma dessas vagas em um prestigioso liceu católico foi o que permitiu a mudança de Scholastique para a cidade de Quigali, capital do país, oportunidade que ela não desperdiçou.

Mukasonga seguiu seus estudos na área de Assistência Social, pois pretendia voltar à região em que viveu para trabalhar com as pessoas de lá e ajudá-las. Em 1973, porém, ano de intensos conflitos no país, exilou-se no Burundi, país vizinho, onde deu continuidade à formação universitária e estabeleceu uma nova vida.

Em 1992, dois anos antes do genocídio que vitimou 37 pessoas de sua família, a autora chegou à França, onde vive atualmente. Ao combinar oralidade, memória e invenção, a ela tem recebido diversos prêmios e, principalmente, tem contribuído para que se possa pensar a própria ideia de humanidade.

A Bienal do Livro Bahia é uma realização da GL events Exhibitions – divisão da multinacional francesa GL events – e acontece entre os dias 26 de abril e 1º de maio, no Centro de Convenções Salvador.

Continue Reading

Literatura

Amanda Julieta lança o livro ‘Tem poeta na casa?’ na Casa do Benin

Amanda Moreno

Publicado

on

Amanda Julieta lança o livro 'Tem poeta na casa?' na Casa do Benin
Amanda Julieta lança o livro 'Tem poeta na casa?' na Casa do Benin (Foto: Divulgação)

Amanda Julieta lança o livro ‘Tem poeta na casa?’ na Casa do Benin. O livro Tem poeta na casa? Mulheres negras, poetry slam e insurgências, da escritora e pesquisadora Amanda Julieta, é um convite para refletir sobre a poesia slam e seus entrecruzamentos com a Literatura Marginal/Periférica no Brasil.

Em um estudo que examina as intersecções entre arte, política, raça e gênero, a autora observa como as artistas da palavra vêm subvertendo a lógica do fazer poético tradicional, promovendo rasuras estéticas e epistemológicas com seus corpos, sotaques e performances poéticas.

O livro mostra como a força da palavra tem sido usada como uma ferramenta de resistência pelas mulheres negras ao longo da história.

Em 4 capítulos, a autora apresenta a poesia slam, mapeia suas origens até chegar no contexto brasileiro e analisa as expressões de negritude dessa poética, desde as especificidades estéticas que as compõem às performances grafadas nas batalhas de slam.

O livro é um testemunho das vozes que desafiam a norma, que resistem, que celebram e reescrevem e subvertem a narrativa hegemônica. Amanda Julieta nos convida a celebrar essas vozes, a se inspirar em suas histórias de luta, e a reconhecer a contribuição vital que as mulheres negras têm feito à cultura e à história, rasurando os resquícios do discurso colonial e forjando novos caminhos de expressão, sabedoria, beleza, estética e ética.

Amanda Julieta lança o livro 'Tem poeta na casa?' na Casa do Benin

Amanda Julieta lança o livro ‘Tem poeta na casa?’ na Casa do Benin

Sobre a autora_Amanda Julieta (1991, São Paulo) é escritora, jornalista e pesquisadora literária que há muito tempo constrói sua trajetória acadêmica, artística e de vida na cidade de Salvador. É mestra e doutoranda em Literatura e Cultura pela Universidade Federal da Bahia, onde desenvolve pesquisa sobre a poesia e a performance de mulheres negras na literatura marginal/periférica. Também é autora do livro Dandara (2021), publicado pelo selo editorial ParaLeLo13S.

Lançamento: 06/04/2024 (sábado), às 16h, na Casa do Benin – Rua Pe. Agostinho Gomes, 17, Pelourinho, Salvador. – Lançamento do livro, sessão de autógrafos com a autora & batalha de poesia apresentada pelas Slam Masters Ludmila Singa e NegaFyah.

Continue Reading
Advertisement
Vídeo Sem Som

EM ALTA