Connect with us

Dança

Bailarina Hanna Sophia – um sonho que precisa de você pra se tornar real

Jamile Menezes

Publicado

on

hanna-sofia-bale2

hanna-sofia-bale2

O sonho dela é ser bailarina profissional, e pra realizá-lo ela precisa de R$34 mil para começar. Estamos falando da pequena Hanna Sofia, que mora em Simões Filho, Região Metropolitana de Salvador.  O valor é pra cobrir os custos da viagem para Portugal, onde Hanna já tem um endereço para começar a colocar esse sonho em prática: o Pallco Performing Arts School & Conservatory, o primeiro Conservatório de Dança e Música da cidade de Porto.

Após ser aprovada em uma audição, conseguindo chegar a Porto, Hanna estudará no Curso Básico de Educação em Dança do Conservatório. Para isso, ela pede ajuda a quem puder doar em sua Vakinha Online.

A meta é atingir R$34 mil, que custearão passagens aéreas (R$ 6.500), documentação (R$ 1.000), hospedagens (R$ 9.600 ou 500 euros mensais por 90 dias), alimentação (R$ 6.300,00 ou 330,06 euros mensais por 90 dias), seguro: R$ 9.000 e a matrícula de ingresso R$ 450). Os valores levarão Hanna e sua mãe até Porto, e arcarão com suas estadias por três meses, inicialmente.

“Pra mim é emocionante, é uma vitória sair de uma cidade com tão pouco recurso pra cultura e chegar tão longe assim, com apenas 10 anos. O Conservatório só dá a bolsa, as despesas pessoais são com a gente. Como faremos nesses cinco anos, Deus proverá. Procurarei emprego lá, meu esposo que ficará aqui também ajudará, com seu trabalho”, diz a mãe de Hanna, Elizete Medrado, que também não descarta realizar uma nova vaquinha pra manutenção de Hanna lá.

“Eu comecei a fazer balé só por fazer, porque gostava. Com o tempo, veio o sonho de me tornar uma bailarina profissional, me sinto feliz no palco”, diz a pequena e tímida Hanna, que faz balé desde os 5 anos de idade.

hanna-sofia-bale2

Um sonho também alimentado pela professora de Balé, Consuelo Cardoso, do Studio de Dança Arena Flor de Liz.  “Hanna é uma menina encantadora, desde o primeiro dia de aula, com toda timidez que apresentava, vi que tinha um mega potencial, além de físico. Nunca teve pressa nas aulas e fez tudo como manda o “figurino”, sem pular etapas. Ela cresceu tecnicamente e quando abri meu Studio, ela me acompanhou e continuou sua evolução. Hanna é uma menina cheia de vontade de aprender coisas novas, de uma família simples, mas muito apoiadora nesse sonho”, conta Consuelo.  Então, para que tudo isso torne realidade, sua contribuição pode fazer a diferença.

Que ajudar Hanna Sofia a estudar no Pallco Performing Arts School & Conservatory, em Portugal?

Acesse AQUI a vaquinha online e doe.     

Carnaval

BATEKOO abre oficialmente a Casa de Verão Salvador

Jamile Menezes

Publicado

on

BATEKOO - maior plataforma de festival pensando e propondo entretenimento

A BATEKOO – maior plataforma de festival pensando e propondo entretenimento, cultura e educação para e com a comunidade negra e LGBTQIAP+ do Brasil – abre oficialmente as portas de sua Casa de Verão Salvador. Dessa vez, a iniciativa tem programação ativa dividida entre dois espaços da cidade: o Centro Cultural Solar Ferrão, onde serão realizadas as ações artísticas e atividades da ESCOLA B, e a Praça das Artes, onde também acontecerão uma série de proposições que prometem agitar o território soteropolitano.

“Pelo terceiro ano, a BATEKOO se firma no verão de Salvador como um polo cultural negro. A partir da Casa, articulamos entretenimento, experiência, educação, construindo um espaço de afirmação negra que amplia e possibilita o fomento da cena cultural negra na cidade. Sendo um movimento global, que realiza eventos nacional e internacionalmente, queremos que a casa seja uma plataforma para a ascensão, profissionalização e desenvolvimento artístico de nossa comunidade”, explica Artur Santoro, agitador cultural e sócio da BATEKOO.

Toda a agenda, completamente gratuita, será divulgada semanalmente nas redes da Batekoo.

“Vamos ocupar e transformar esses espaços/patrimônios históricos em polos culturais vivos de cultura preta, educação, arte e empreendedorismo negro, proposto por jovens que visam um novo futuro através da felicidade negra. Nosso propósito é fazer com que a programação da casa transborde para as ruas e que ela seja um território de intercâmbio cultural, musical e artístico. Queremos, a partir dessa intensa agenda, contar a história desses 10 anos de BATEKOO – de maneira sensível, criativa e divertida”, completa Mauricio Sacramento, CEO, fundador e diretor criativo.

Continue Reading

Artes

Novembro Negro Sussuarana terá série de eventos na comunidade

Jamile Menezes

Publicado

on

Novembro Negro Sussuarana procura promover a expressão cultural nas comunidades periféricas de Salvador.

A comunidade de Sussuarana vai realizar mais uma edição do “Novembro Negro Sussuarana”, com destaque para a XXI Caminhada da Consciência Negra. Neste ano, a celebração virá com o projeto “Danças Negras e Periferia – Intersecção do Bicentenário e Suas Conexões”, iniciativa que visa fortalecer a cultura negra e promover o diálogo sobre questões sociais e raciais.

Sob o tema “Intersecções Ancestrais – Danças Negras e Periferia”, a Rede sociocultural de Sussuarana se prepara para uma série de eventos.

A XXI Caminhada da Consciência Negra, marcada para o dia 19 de novembro, às 9h30, terá início na Unidade de Saúde da Família (USF) Sussuarana Raimundo Agripino, na Av. Ulysses Guimarães, em Sussuarana Velha, e se estenderá até a Praça do Colégio Estadual Ruth Pacheco, em Nova Sussuarana. O desfile contará com a presença de rainhas, príncipes e princesas das Noites da Beleza Negra em Sussuarana.

Além disso, a caminhada será acompanhada por diversas apresentações culturais, incluindo capoeira, a tradicional ala das baianas e grupos de dança, transformando as ruas em um grande palco cultural.

A inovação deste ano do Novembro Negro Sussuarana é o projeto “Danças Negras e Periferia”, desenvolvido pelo Núcleo Artístico de Favela (NAF), em parceria com o Coletivo Negritude Sussuarana. O projeto busca dialogar sobre questões de conduta social e racial.

Uma das atrações mais aguardadas do projeto é a mostra artística itinerante que será realizada em novembro, coincidindo com a XXI Caminhada da Consciência Negra. A mostra exibirá os resultados das oficinas realizadas durante o projeto.

O Novembro Negro Sussuarana procura promover a expressão cultural nas comunidades periféricas da capital baiana e valorizar a cultura afro-brasileira.

O projeto “Danças Negras e Periferia” foi contemplado pelo Edital Diálogos Artísticos – Bicentenário da Independência na Bahia e conta com o apoio financeiro da Fundação Cultural da Bahia, unidade vinculada à Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (Funceb/SecultBa).

Continue Reading

Artes

Coletivo Afrobapho realizará o Circuito Afrobapho no Pelô

Jamile Menezes

Publicado

on

Coletivo Afrobapho se veste colorido
Nos dias 21 e 22 de outubro, o Coletivo Afrobapho realizará o Circuito Afrobapho: FERVO DE RESISTÊNCIA, no Espaço Cultural Makota Valdina. Serão dois dias com atividades formativas e culturais gratuitas, envolvendo dança, música, performance e outras artes integradas, além da promoção de rodas de diálogos sobre a importância de corpos dissidentes que produzem narrativas de resistência em mais de dois séculos de Independência Baiana.
“Historicamente, em mais de duzentos anos desde a Independência da Bahia, corpos dissidentes de raça, gênero e sexualidade estiveram também em luta e resistência nesse processo. Mesmo nos dias atuais, continuam a fazer coro durante todos os anos de celebração desse acontecimento político que é tão importante para a Bahia. Por isso, o Circuito Afrobapho: FERVO DE RESISTÊNCIA é uma edição celebrativa, que homenageará a presença e resistência da diversidade racial, sexual e de gênero no Bicentenário da Independência” – comenta Alan Costa, idealizador do Coletivo Afrobapho.
Todas as ações do Circuito Afrobapho: FERVO DE RESISTÊNCIA acontecerão no Espaço Cultural Makota Valdina, antigo Teatro VIII, um local que abrigou inúmeras propostas artísticas independentes, democratizando o acesso de arte e cultura para o público geral, principalmente grupos minoritários.
Este projeto foi contemplado pelo edital Diálogos Artísticos – Bicentenário da Independência na Bahia e tem apoio financeiro da Fundação Cultural do Estado da Bahia, unidade vinculada à Secretaria de Cultura (Funceb/SecultBa).

Serviço:
O que? Circuito Afrobapho: FERVO DE RESISTÊNCIA
Quando? 21 e 22 de outubro de 2023
Onde? Espaço Cultural Makota Valdina, R. Frei Vicente, 18 – Pelourinho
Quanto? Entrada Gratuita

Continue Reading
Advertisement
Vídeo Sem Som

EM ALTA