Connect with us

Artes

Projeto “NOSSA ARTE” inscreve para oficinas artístico-culturais

Jamile Menezes

Publicado

on

Foto: Acervo/Divulgação

 

Iniciativa da Enter Projetos Socioculturais e Esportivos e a Propono Consultoria Cultural, o projeto “NOSSA ARTE” propõe formações culturais em duas etapas: oficinas artísticas entre outubro de 2021 e janeiro de 2022 e  Mostra de Encerramento com apresentações de dança, música, teatro e mostra de vídeo, fotografia, artesanato e artes visuais.

As inscrições para as oficinas estão prorrogadas até o dia 20 de outubro. No total, são 10 oficinas de diversas linguagens artísticas que serão realizadas em bairros do Subúrbio Ferroviário – Praia de Tubarão, Alto do Tororó e São Tomé de Paripe. Serão ofertadas 160 vagas gratuitas para uma formação de 4 meses nas áreas de música, artes cênicas (teatro e dança), audiovisual (foto e vídeo), artes visuais, artesanato, capoeira, produção literária e folclore (Bumba Meu Boi). Os interessados poderão se inscrever através do link: https://bit.ly/inscricoesnossaarte. As aulas começam a partir do dia 25 de outubro e seguem até janeiro de 2022.

Todas as oficinas terão aulas práticas e serão ministradas por professores que moram e/ou cresceram no Subúrbio.

 

O NOSSA ARTE tem patrocínio da M. Dias Branco e do Governo do Estado, através do Fazcultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura do Estado da Bahia, em parceria com a Enter Projetos Socioculturais e Esportivos e a Propono Consultoria Cultural.

SERVIÇO

Projeto NOSSA ARTE: Oficinas Criativas gratuitas
Aulas de artesanato, pintura, folclore, música, teatro, capoeira, dança, audiovisual, fotografia e literatura

Período das oficinas: 25 de outubro de 2021 a janeiro de 2022
Inscrições gratuitas prorrogadas até 20 de outubro através  do site: https://bit.ly/inscricoesnossaarte
160 vagas (limite de até 20 pessoas por oficina)

Em casos excepcionais, os horários e locais de realização podem sofrer alterações*

 

CONFIRA:

Artesanato

Nome da oficina: Oficina de Artesanato de diferentes técnicas

Professora: Rose Leite

Dia: Quartas

Hora: À tarde (de acordo com as marés)

Local: Ilha de Maré

Resumo: Fortalecer uma integração e socialização com oficinas de quadros decorativos, porta retrato, relógios decorados, colares, brincos e pulseiras. As aulas serão teóricas e práticas, desde captura de matérias primas, higienização, uso de equipamentos de segurança, montagem, custos, precificação, fornecedores, como divulgar e comercializar.

Pintura

Nome da oficina: Oficina de Pintura e Audiovisual

Professor: Filipi Vianna

Dia: segunda e quarta

Hora: 18h às 20h

Local: Escola João Caribé

Resumo: Aprendizado de pintura e audiovisual, com abordagem em conscientização social para o desenvolvimento das pinturas e vídeos.

Folclore

Nome da oficina: Oficina de Folclore

Professora: Angélica Silva

Dia: segundas e terças

Hora: 15h às 17h

Local: Alto do Tororó

Resumo: O objetivo desse projeto é levar ao reconhecimento da importância do folclore na história de um país. Utilizar a linguagem oral, escrita e artística através de textos folclóricos. Estimular o gosto pela música, dança folclórica e pela cultura brasileira. Desenvolver o habito de pesquisa. Trabalhar reciclagem dentro da cultura nordestina. Conhecer a importância de trabalhar de forma lúdica a cultura brasileira através do folclore mostrando cantigas, dança, lendas, brincadeiras, par lendas, brinquedos e receitas. Incentivar o gosto pela leitura.

Música

Em breve as informações desta oficina serão divulgadas no Instagram @nossaarteprojeto

Teatro

Nome da oficina: Iniciação Teatral

Professor: Marco Calil

Dia: terças

Hora: 14h às 18h

Local: Lar Pérolas de Cristo – Unidade Coutos

Resumo: Uma vivência prática de atividades teatrais com o intuito de oportunizar um contato artístico-cultural, através da linguagem do teatro, a fim de explorar as potencialidades existentes nos alunos e resgatar valores e princípios cidadãos, éticos e morais por meio da linguagem teatral.

Capoeira

Nome da oficina: Oficina de Capoeira Angola “Angoleiros do Sertão”

Professor: Thomaz Neto

Dia: segundas e quartas

Hora: 18h às 20h

Local: Escola da Base Naval de Aratu

Resumo: Aulas de Capoeira Angola, uma modalidade tradicional da capoeira que trabalha além de atividade física, a cultura e a musicalidade presentes no mundo capoeira. A oficina vai permitir trocas artísticas culturais importantes para os envolvidos através do conhecimento do mundo da Capoeira Angola, bem como dos elementos que lhe transformam numa herança africana diaspórica, o que deve ser considerado de fundamental importância para a valorização, manutenção, fortalecimento e crescimento de nossa cultura.

Dança

Nome da oficina: Dança Afro Brasileira na diáspora

Professor: Álvaro Oliveira

Dia: sábado

Hora: 9h às 13h

Local: Centro Cultural Mamulengo

Resumo: A oficina visa proporcionar o conhecimento, a valorização, a conscientização e a visibilidade da cultura afrobrasileira através do resgate e criação de uma memória corporal e ancestral que promova a autoestima da criança e do adolescente afro-descendente e pertencente a diferentes culturas e etnias. Traz a dança dos orixás como uma ligação direta com a natureza propondo levar a para reflexão os diversos preconceitos sobre essa manifestação que foi trazida há muito tempo pelos nossos antepassados, e que é uma herança ancestral de direito nosso.

Audiovisual

Nome da oficina: Oficina de Introdução ao Audiovisual

Professor: Roberjan Magalhães

Dia: sábados

Hora: 8h às 12h

Local: Centro Cultural Nós por Nós

Resumo: A oficina vai levar conhecimento aos jovens e adultos do subúrbio de Salvador, tornando o audiovisual uma ferramenta de trabalho e entretenimento, em que o aluno aprenda a desenvolver esses conteúdos através do próprio celular.

Fotografia

Nome da oficina: Fotografia para Iniciantes

Professor: Matheus Len’s

Dia: terças e quintas

Hora: 9h às 11h

Local: Centro Cultural Nós por Nós

Resumo: Meu intuito é fazer uma oficina de fotografia voltada ao conhecimento, abordar como a fotografia pode ser usada como canal de conhecimento e qual a importância de mesclar o conhecimento com a prática, indo além da estética e dos estereótipos, e promovendo auto estima.

Literatura 

Nome da oficina: Escrita Poética e Performance

Professora: Marina Lima

Dia: Quintas

Hora: 14h às 18h

Local: Associação de Paripe (bairro Felicidade)

Artes

Festival Photothings abre convocatória a fotógrafos e artistas visuais do Brasil

Jamile Menezes

Publicado

on

Para essa edição do Festival Photothings, há um compromisso de 60% das vagas serem destinadas a artistas do norte,

O Festival Photothings 2024, que acontece em sua 4ª edição, retorna com a proposta de estimular a produção fotográfica nacional, proporcionando uma plataforma inclusiva e diversificada para artistas visuais de todo o Brasil. A convocatória é aberta a todos os fotógrafos e artistas visuais brasileiros com idade igual ou superior a 18 anos.

Com data marcada para o evento final e premiação para os dias 14 e 15 de setembro na Associação Comunitária Monte Azul, em São Paulo, o Photothings abre as inscrições entre os dias 10 e 23 de junho, com o objetivo de destacar talentos emergentes e promover a arte fotográfica como um meio de expressão cultural.

Para essa edição do Festival Photothings, há um compromisso de 60% das vagas serem destinadas a artistas do norte, nordeste, centro-oeste e sul do país, bem como mulheres, pessoas negras, indígenas, comunidades tradicionais, LGBTQIAPN+, pessoas com deficiência e outros grupos em situação de vulnerabilidade.

Sem um tema pré-estabelecido, a iniciativa busca delinear um panorama plural da fotografia autoral, revelando uma geração de artistas que enfrentam dificuldades de acesso ao mercado – este ainda concentrado em poucas galerias e feiras de arte. Dessa forma, o objetivo do Photothings é “furar a bolha” e mostrar a riqueza da produção fotográfica de diversas regiões do Brasil.

A curadoria deste ano no Festival Photothings está a cargo do fotógrafo Léu Britto e da historiadora Marly Porto. A comissão de seleção que vai selecionar os premiados inclui tanto artistas consagrados como talentos emergentes, com um foco significativo na diversidade e inclusão.

A premiação será composta por três categorias distintas. O primeiro prêmio consiste em cinco fotolivros bilíngues, com 40 páginas no formato 15x19cm, que integrarão a Coleção Photothings, atualmente com 20 títulos. A comissão de seleção para este prêmio inclui Angélica Dass, fotógrafa premiada; Ina Henrique Dias, pedagoga, professora e fotógrafa; Juh Almeida, cineasta e fotógrafa; Marcelo Reis, artista visual e curador; Rogério Reis, fotógrafo; Léu Britto e Marly Porto.

O segundo prêmio é um fotolivro artesanal, cujo projeto gráfico será desenvolvido pelo designer Julio Matos em parceria com o autor selecionado e executado pelo Yume Ateliê, de Eliana Yukawa. A comissão de seleção deste prêmio inclui Eliana Yukawa, Julio Matos, Léu Britto e Marly Porto.

Já o terceiro prêmio é um curso online que resultará na produção de um fotolivro artesanal. Este curso é realizado pelo projeto M.A.L.A. (Morada Andarilha de Livros de Artista) e, ao final, o livro produzido será exposto na França, em 2025. A seleção do participante para este prêmio será definida pela equipe formada por Estela Vilela, integrante do coletivo M.A.L.A, Léu Britto e Marly Porto.


SERVIÇO
Festival Photothings 2024
Abertura das inscrições: 10 a 23 de junho
Divulgação dos selecionados: segunda quinzena de julho
Entrega dos prêmios: 14 e 15 de setembro na Associação Monte Azul
Local: Associação Comunitária Monte Azul (Rua Francisco Xavier de Abreu, 483, Jardim Monte Azul – SP, 05836-180)
Horário: das 14h às 19h
Entrada gratuita
Continue Reading

Artes

“Arte de Rua nas Escolas” leva inspiração e criatividade para o ambiente educacional

Jamile Menezes

Publicado

on

Arte de Rua nas Escolas

O Coletivo Arte Marginal Salvador e cinco grupos parceiros se reuniram para realizar o projeto “Arte de Rua nas Escolas”. A iniciativa acontece entre junho e novembro, em duas etapas. Na primeira, os coletivos visitam seis escolas públicas com suas produções artísticas, e na segunda, os estudantes são convidados a participarem da programação na Casa do Museu Popular da Bahia, localizada no bairro Fazenda Grande do Retiro.

O projeto reivindica a expressividade da Arte de Rua e difunde a ideia de uma educação cidadã e libertadora.

A primeira etapa do projeto Arte de Rua nas Escolas acontece entre 12 de junho e 14 de agosto e contará com apresentações do Coletivo SOMA (música), Coletivo Arte Marginal Salvador (performance),  Grupo de Arte Popular A Pombagem (teatro), Coletivo Pixo Rua (arte urbana), Click Coletivo (fotografia) e Coletivo da Casa do Museu Popular da Bahia (museu). Todas as apresentações serão seguidas de roda de conversa com os estudantes.

Na segunda etapa, os seis coletivos irão produzir uma exposição colaborativa intitulada “O Museu é a Rua”, na Casa do Museu Popular da Bahia. Todas as linguagens artísticas apresentadas nas escolas também estarão presentes nessa exposição. A ideia é aproximar ainda mais os jovens de uma ideia descentralizada de museu, incentivar a formação artística e combater os estigmas sociais ligados à arte de rua.

PROGRAMAÇÃO Arte de Rua nas Escolas (1ª ETAPA DO PROJETO)

Acompanhe em: @apombagem

12 de junho, às 14h – Coletivo SOMA (música) visita o Colégio Estadual Professor Rômulo Almeida;

19 de junho, às 14h – Coletivo Arte Marginal Salvador (performance) visita o Colégio Estadual de Aplicação Anísio Teixeira;

3 de julho, às 14h – Grupo de Arte Popular A Pombagem (teatro) visita o Colégio Estadual Santa Rita de Cássia;

17 de julho, às 14h – Coletivo Pixo Rua (arte urbana) visita o Colégio Estadual Nelson Mandela;

31 de julho, às 14h – Click Coletivo (fotografia) visita o Colégio Estadual Cesare Casalli;

14 de agosto, às 14h – Coletivo da Casa do Museu Popular da Bahia (museu) visita o Colégio Estadual Dom Avelar.

Continue Reading

Artes

Festival FADAS promove a cultura LGBTQIAPN+ em Valéria

Jamile Menezes

Publicado

on

O Coletivo Banto de Artes Integradas lança nos dias 6, 7 e 8 de junho a Mostra Fotográfica Fios da Memória: Tranças como Resgate Identitário, no Parque São Bartolomeu, Subúrbio Ferroviário de Salvador. A exposição, que é aberta ao público, será o resultado de um editorial fotográfico de 12 fotos, onde serão reproduzidos os penteados de origem Fulani, Banto e Mbalantu, etnias africanas, em contraponto com seu uso contemporâneo, presente no cotidiano das populações negras e periféricas.

O Festival FADAS conta com artistas jovens com gana para ocupar todos os palcos,  mostrando a arte periférica produzida pela comunidade LGBTQIAPN+, no principal espaço cultural de Valéria.

Pela primeira vez reúne no mesmo palco Virus Carinhos; Evylin; Jade Lu; DJ Moura; Raíssa Nizah e o grupo de dança UZARTE. O FADAS tem música, dança, artes visuais, audiovisual e hip-hop em um só lugar de fruição artística. A direção artística é de Fabíola Aquino, cineasta e documentarista da identidade e da diversidade cultural da Bahia.  FADAS é uma celebração à diversidade e à inclusão de artistas LGBTQIAPN+. É uma proposta que inclui a juventude LGBTQUIAPN+ em todas as etapas de produção, desde a concepção, à produção e participação de artistas do meio no palco, a maioria residentes em Valéria.

O Festival FADAS acontece no Espaço Cultural Boca de Brasa de Valéria, dia 01 de junho, sábado, às 16h, com entrada gratuita. As apresentações ocorrem presencialmente e com transmissão ao vivo no Canal Obá Cacauê no Youtube, onde ficará disponível por tempo indeterminado.

Serviço:

O que: FADAS II – FESTIVAL ARTES na DIVERSIDADE SEXUAL

Quando: 01 de junho; às 16 horas, GRATUITO

Onde: Espaço Cultural BOCA DE BRASA – CEU – Centro de Artes e Esportes Unificados – CEU, Rua B, Nova Brasília de Valeria, s/n. VALERIA.

Link ao vivo: https://youtube.com/live/nSmO_v0Q9aY?feature=share  

Continue Reading
Advertisement
Vídeo Sem Som

EM ALTA