Connect with us

Música

Dom Marcus lança single e videoclipe de “Ô cabeça”

Amanda Moreno

Publicado

on

Dom Marcus lança single e videoclipe de “Ô cabeça”

Dom Marcus lança single e videoclipe de “Ô cabeça”. O verbo “convocar” é o ato de reunir. Uma ação coletiva em prol de um objetivo comum. E o chamado para a convocação é: “Ô cabeça!”, uma gíria popular baiana ouvida em todos os cantos da Baía de Todos os Santos. E é com essa expressão que o artista baiano Dom Marcus intitula o seu novo single “Ô cabeça”, a ser lançado a partir das 00h do próximo dia 01 de março em todas as plataformas de streaming (https://onerpm.link/dommarcus-ocabeca). A canção já virá acompanhada de um videoclipe, a ser disponibilizado no perfil do também compositor no YouTube (https://youtube.com/@dommarcuscantor?si=-FWzrZdPok8LI37y).

A música, escrita para todo e qualquer tempo, nos pede: “Olha agora para dentro e veja toda a sua beleza”. O single, lançado após Dom Marcus vencer o Festival Lapidando Talentos, organizado pela empresária Carol Chicre, em 2021, teve a sua versão final escrita e concluída durante a pandemia, nesse mesmo ano. Foi gravado e produzido em Goiânia na Pé de Amora Music em 2023 pelo produtor Willibaldo, para ser lançado agora em 2024.

“Tudo em seu tempo, com o seu propósito, como num verdadeiro ato atemporal por esperança a tudo que vivenciamos nos últimos anos, período em que mentes e cabeças foram muito abaladas. E é justamente aí que reside o duplo sentido desse título. A palavra “cabeça” sugere o nosso eu interior, a nossa mente e ao mesmo tempo é um chamado informal, tal qual uma gíria local, muito usada no dia a dia do nosso povo”, conta Dom Marcus.

Os primeiros versos da canção começaram a ser escritos pelo compositor há uns 5 anos. Marcus estava conhecendo uma pessoa que o chamava de “cabeça” e isso acabou servindo de inspiração para o nascimento da primeira versão da canção. A música tinha uma estrutura melódica diferente e uma outra letra. Com o tempo, o artista foi percebendo que aquela composição extrapolava uma paixão efêmera, e tinha um potencial muito maior do que aquele sentido inicial demonstrava. Foi aí que durante a pandemia, por conta do que foi vivido, a nova letra nasceu, uma nova mensagem surgiu.

A canção, que parece falar de um tempo pandêmico, extrapola os períodos e nos faz perceber que é preciso, em tempos de breu, isolamentos, dores e perdas, sermos resilientes, sabendo que tudo passa e uma hora o sol volta a brilhar. Após tantas vivências coletivas, Dom Marcus questiona: “Será que a gente aprendeu?”.

“Por mais ampla que a interpretação da letra seja, imagino que muitas pessoas vão entender de cara a questão da pandemia, a raiz da minha inspiração. “Ô cabeça” é um grito de esperança, para toda e qualquer situação de desesperança. Um manifesto à vida. Uma forma de entendermos que precisamos tirar alguma lição dos momentos bons e ruins, de breu e luz, ao longo de nossas vidas”, ressalta o cantor e compositor.

“Ô cabeça! / Agradeça!   O dia nasceu! / Com certeza a tristeza vai dizer “Adeus””.

A partir da compreensão dessa letra, o diretor Itabagi da Like Filmes, produziu um videoclipe que nos tira do isolamento, do estado de confinamento, da dor, para o convívio coletivo, para a troca de afetos, para a natureza urbana das cidades.  Todo o projeto está sendo conduzido pela Icomp, agência de marketing musical, na figura de Dhiego Bicudo.

Dom Marcus fala que “Ô cabeça” representa para ele uma maior maturidade musical em compreender que é possível fazer uma música que cause reflexão, que tenha qualidade de melodia, harmonia e letra, sem perder o sentido de ser ‘comercial’ e atrativa, abraçando diversos gêneros e tipos de públicos.

Do Samba ao Pop

Das brincadeiras musicais em sala de aula, ainda na adolescência, para sambas enredos escritos para Mangueira e agora o lançamento do seu primeiro single e videoclipe profissional “Ô cabeça “. O interesse em seguir a carreira musical começou ainda jovem, aos 17 anos, quando formou com amigos uma banda de Pop Rock, a Sunset Riser, na qual foram premiados em um Festival Intercolegial de Música.

Foi nesse período que, além de cantor, se descobriu compositor. A partir daí, desenvolveu um trabalho solo, se apresentando em bares e espaços culturais. “Enquanto estudava Publicidade e Propaganda na Católica, participei do Festival Universitário de Música, que ocorreu na Concha Acústica, onde fui premiado como melhor intérprete”, relembra Dom.

Após formado, o artista foi morar no Rio de Janeiro, onde realizou o sonho de fazer parte da ala de compositores da Estação Primeira de Mangueira. Depois de um período morando na cidade de São Paulo, ele retorna a Salvador e logo de cara é finalista do concurso “Música do Verão” realizado pela Rede Bahia e transmitido ao vivo no programa Bahia Meio-dia, com a sua composição “Povo Massa”, um samba reggae. A pluralidade musical e a versatilidade de poder navegar em diferentes gêneros, acaba sendo uma das suas maiores marcas.

No próximo dia 01 de março, Dom Marcus convoca a todes a ouvirem e assistirem ao resultado de toda essa trajetória, hoje representada por uma canção que promete entrar na cabeça da galera para nunca mais sair. Ô cabeça! Você está preparado?

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Formação

Fala, Preta: projeto traz oficina e talk show sobre luta de mulheres negras

Jamile Menezes

Publicado

on

projeto "Fala, Preta!" em comemoração ao "Dia da Liberdade de Pensamento" e ao "Dia Internacional da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha"

Em comemoração ao “Dia Internacional da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha”, nos dias 27 e 28 de julho, a Caixa Cultural Salvador sediará a edição do projeto “Fala, Preta! . Com uma oficina e um talk show, o projeto busca promover a valorização da cultura negra e a luta das mulheres negras, incentivando mudanças de pensamentos e atitudes na sociedade.

A oficina “Fala, Preta!”, conduzida por Mel Campos e Antônio Marques, ensinarão técnicas e estratégias de criação e divulgação de podcasts e videocasts, no dia 27 de julho, às 14h. A oficina tem como objetivo capacitar os participantes para utilizar mídias específicas como ferramentas de comunicação, educação e marketing.

O encontro abordará temas como equipamentos e softwares necessários, planejamento e estratégia, produção e edição, e distribuição e marketing. A troca visa empoderar os participantes a divulgar suas ideias e criar comunidades engajadas em torno de temas diversos e relevantes. As inscrições podem ser feitas pelo link https://forms.office.com/r/GNCVBTq2yc.

O talk show “Fala, Preta!”, apresentado pelas atrizes Denise Correia e Lívia França, no dia 28 de julho, às 15h, contará com a participação de convidadas especiais, como Dra. Laissa Rocha e Mabel Freitas, que compartilharão experiências e conhecimentos sobre o universo feminino negro. As musicistas Riane Mascarenhas e Beatriz Sena ainda realizarão intervenções musicais.

As convidadas discutirão temas relevantes, sobre a luta e resistência das mulheres negras ao longo da história do Brasil. As inscrições podem ser feitas pelo link https://forms.office.com/r/7iGsAfzqmF.

Serviço

Oficina “Fala, Preta!” com Mel Campos e Antônio Marques

Data: 27 de julho

Horário: 14h

Local: Caixa Cultural Salvador (R. Carlos Gomes, 57 – Centro)

Inscrições: https://forms.office.com/r/GNCVBTq2yc

Gratuito

Talk show “Fala, Preta!” com Denise Correia e Lívia França

Convidadas: Dra. Laissa Rocha e Mabel Freitas

Data: 28 de julho

Horário: 15h

Local: Caixa Cultural Salvador (R. Carlos Gomes, 57 – Centro)

Inscrições: https://forms.office.com/r/7iGsAfzqmF

Gratuito

Continue Reading

Formação

Instituto A Mulherada inscreve para curso de Iniciação e Percepção Musical

Jamile Menezes

Publicado

on

Instituto A Mulherada

Em sua segunda turma, o Instituto A Mulherada abre inscrições gratuitas para mulheres e pessoas LGBTQIAP participarem de oficinas de Iniciação e Percepção Musical por meio do projeto “Cultura Entrelaçada Preta”. As inscrições são online e abrem nesta sexta-feira (12/7) até o preenchimento das 30 vagas disponíveis.

O projeto cria um espaço de aprendizado, expressão artística e fortalecimento, promovendo uma conexão profunda com as tradições culturais afrodescendentes.  Com foco no empoderamento feminino, as aulas são voltadas para jovens, mulheres negras e pessoas LGBTQIAP+ interessadas em aprender teoria musical, buscando desenvolver a acuidade auditiva para a apropriação da linguagem musical, por meio de solfejos, atividades rítmicas com o corpo e ditados melódicos e rítmicos.

Ministrada pela professora Letícia Nascimento, que também lecionou a primeira turma, a experiência foi compensadora. “As alunas que vão terminar a primeira turma de Teoria e Percepção Musical são pessoas incríveis, alunas prestativas, disciplinadas e altruístas. Então, ver todas elas se ajudando e buscando sempre aprender mais e mais é o que toda professora quer. Espero que esse curso impulsione e estimule mais ainda a continuidade do aprendizado musical de todas elas”, diz Letícia.

Ela possui graduação em Licenciatura em Música pela Universidade Federal da Bahia (2023), m 2010, ingressou como professora de música na Filarmônica 30 de Junho de Serrinha- BA, lecionando nas turmas de iniciação musical e como regente da orquestra de flautas doce da instituição. Desde 2018, é professora de Arte do Ensino Fundamental II Anos Finais e Ensino Médio da Cooperativa Integral de Educação Serrinhense, em Serrinha-BA.

As aulas acontecerão a partir do dia 20 de julho, aos sábados, das 14h às 16h no Centro de Referência em Desenvolvimento e Humanidade (CRDH – UNEB), no Carmo, onde neste sábado (13), haverá, às 15h, show de encerramento da primeira turma, aberto ao público.

O projeto ainda prevê aulas práticas de percussão afro, cidadania empreendedorismo e redes digitais.

Mulheres cis, lésbicas, bissexuais, travestis, transsexuais e transgêneros, oriundos da comunidade do Centro Histórico e áreas adjacentes, bem como das periferias de Salvador são incentivadas a participar. Além de suas atividades formativas e reflexivas, o projeto oferece a suas participantes a chance de se apresentarem em eventos ao longo do ano em Salvador, e durante o carnaval, no Bloco Afro A Mulherada.

Este projeto foi fomentado pelo Programa Funarte de Apoio a Ações Continuadas 2023 e tem apoio da Fundação Gregório de Mattos e Centro de Referência em Desenvolvimento e Humanidade (CRDH – UNEB).

 

SERVIÇO

O que: aulas de Iniciação e Percepção Musical

Quando: a partir de 20 de julho de 2024

Quanto: Gratuito

Onde: Centro de Referência em Desenvolvimento e Humanidade (CRDH – UNEB)

Inscrição: https://forms.gle/pyNLUdcYxSjSzUjV8

+informações: @institutoamulherada

Continue Reading

Música

Juliana Ribeiro faz show “Elas por ELLA” no SESC

Jamile Menezes

Publicado

on

Juliana Ribeiro

O SESC Casa do Comércio promove uma programação de shows especiais com protagonismo de artistas negras no Julho das Pretas. A abertura desta celebração será com a cantora, compositora, historiadora e instrumentista Juliana Ribeiro, quinta-feira, 18 de julho, as 20h, com o show “Elas por ELLA”, criado especialmente para reverenciar o empoderamento feminino nos palcos.

O show com linguagem multiartística trará poemas de Juliana Ribeiro, suas composições, novos arranjos para clássicos do samba e MPB além da participação especial de uma das artistas do clipe da canção “ELLA”, criando uma nova coreografia para música ao vivo.

Movimento, arte negra, feminina, canções, poemas, beleza e empoderamento é o que o público irá vivenciar num show cheio de clássicos e memórias afetivas de Juliana Ribeiro.

Clementina de Jesus dividindo o palco com Carmen Miranda. Elza Soares cantando com Rita Lee, ou Elizeth Cardoso cantando com Iza. Todas ELAS fazem parte do set list do show “Elas por ELLA”; que propõe um encontro sonoro, afetivo e empoderado das divas do samba e da música popular em cena.

Um show autoral onde as canções de Juliana Ribeiro fazem a costura do repertório trazendo a intimidade da artista para o palco traçando uma linha direta com o público. Além das autorais como ELLA, Eu Vim das Águas, Lindomar, Dragão de Gaudí, Lição de Vida (Seu Regis) que não podem faltar, outras referências como D. Ivone Lara, Aracy de Almeida e Joana Batista Ramos, compositora pernambucana de “Vassourinhas”, hino de todos os carnavais, fazem parte do set list do show.

SERVIÇO
O que? Show “Elas por ELLA” de Juliana Ribeiro
Quando? Quinta, 18 de Julho 2024
Horas? 20H
Onde? SESC Casa Comércio
Ingressos: R$20 ( inteira ) e  R$ 10 (meia)
Crédito fotos: Tetê Marques
Participação especial : surpresa.

Continue Reading
Advertisement
Vídeo Sem Som

EM ALTA