Abertas inscrições para a 10ª Edição do Julho das Pretas


Foto Lis Pedreira

 

Organizações e coletivos de mulheres negras; organizações de movimentos negros e organizações sociais em geral que tenham o antirracismo e o combate ao sexismo como perspectiva central de sua atuação; instituições de ensino; grupos de pesquisa, associações de categorias trabalhistas; grupos de empreendedoras negras e empreendedoras negras individuais. Este é o público alvo da Rede de Mulheres Negras do Nordeste para articular as ações da 10ª edição do Julho das Pretas. Este ano o tema será Mulheres Negras no Poder, construindo o Bem Viver. 

O formulário para inscrição de atividades na Agenda Coletiva do Julho está disponível até o dia 15 de junho. AQUI.

“Queremos disputar o poder. Chega de migalhas! Precisamos radicalizar para tomar o poder!”, enfatizou Valdecir Nascimento, fundadora do Odara – Instituto da Mulher Negra e representante da Coordenação da Rede de Mulheres Negras do Nordeste. Com a retomada das atividades presenciais depois de um longo período de isolamento por conta da pandemia, a chamada agora é para ocupar as ruas de forma estratégica e mostrar o potencial de transformação política das mulheres negras.

“O momento é de falar sobre as insurgências das mulheres negras, formar alianças e voltar às ruas depois de inúmeras atividades online”, convocou Suely Santos, da Rede de Mulheres Negras da Bahia.

Sobre o Julho das Pretas

Criado em 2013, pelo Odara – Instituto da Mulher Negra, o Julho das Pretas é uma ação de incidência política e agenda conjunta e propositiva com organizações e movimentos de mulheres negras do Brasil, voltada para o fortalecimento da ação política coletiva e autônoma das mulheres negras nas diversas esferas da sociedade brasileira.

A edição de 2022 é histórica, pois marca os 10 anos de realização do Julho das Pretas e 30 anos desde que o movimento de mulheres negras da América Latina e Caribe declarou o 25 de Julho como o Dia Internacional da Mulher Negra Afro Latina americana e Caribenha.