Wanda Chase estreia roda de conversa e convida Tatau e Alan Cordeiro para falar de amor


Foto: Divulgação

Com a proposta de ser quinzenal, a primeira roda de conversa conduzida por Wanda Chase acontece no dia 05 de junho (quarta-feira), às 19h, no Restaurante Solar Café, no Palacete das Artes, na Graça. Com a ideia de circular por outros espaços e locais de Salvador, as edições serão temáticas, começando a falar sobre Amor, e os convidados desta vez serão Tatau e Alan Cordeiro. Haverá um pocket show e relatos do cantor e compositor e do psicanalista, explorando desde os seus aspectos conjugais, suas representações sociais e as maneiras de nutrir e lidar com esse sentimento em suas várias nuances. O amor sem preconceitos. O amor na diversidade. O amor livre. Nada mais adequado ao mês em que se comemora o Dia dos Namorados. Criar esse espaço de trocas e múltiplos olhares pode inspirar e motivar pessoas a reconfigurar o seu cotidiano. A produção é do ator e jornalista Arlon Souza. Couvert: R$ 15,00

As rodas de conversa terão sempre a presença de estudiosos das diversas áreas, a exemplo de psicólogos, psicanalistas, antropólogos, professores, entre outros estudiosos. Através de uma conexão entre as experiências dos artistas, do público e a visão mais aprofundada dos especialistas, os encontros vão abordar uma série de assuntos, formando um painel leve, divertido e provocador. A participação do público será muito bem-vinda nesse papo reto e aberto sobre o assunto, por meio de relatos, comentários e perguntas.

O público ainda poderá conferir o cardápio da Chef Andréa Nascimento, que tem sua marca reconhecida pela qualidade no atendimento e foi eleito pela Revista Veja Comer e Beber Salvador, por 8 anos consecutivos, como um dos destaques gastronômicos de Salvador; além de ser destaque no Guia 4 Rodas e no Bahia International Guide. No menu, criações exclusivas e deliciosas, como petiscos, frutos do mar, risotos, pastas, filés, saladas e crepes – além de sanduíches e deliciosas sobremesas. Como o cardápio é servido o dia todo, o Solar é o lugar ideal para toda ocasião: almoço, almoço tardio, happy hour, jantar e encontros pré-balada.

SERVIÇO

Roda de Conversa com Wanda Chase convida Tatau e Alan Cordeiro

Local: Restaurante Solar Graça

Horário: 19h

End.: Rua da Graça, n 284 – Palacete das Artes – Graça

Informações e reservas: (71) 3328-3444– Solar Graça

[email protected]

Couvert: R$ 15,00

Abertas inscrições para o edital Espaços Culturais Boca de Brasa – Ano II da Fundação Gregório de Mattos


Foto: Ted Ferreira

O Edital 004/2019 – Espaços Culturais Boca de Brasa da Fundação Gregório de Mattos (FGM) abriu inscrições para a concessão de aporte financeiro para propostas de aprimoramento a potencialização, dinamização, ampliação e/ou sustentabilidade de atividades desenvolvidas em espaços culturais. Serão contemplados até quatro projetos com R$150 mil cada.

No período de execução, eles passarão a ser identificados como Espaços Culturais Boca de Brasa. As propostas devem ser apresentadas exclusivamente por instituições de direito privado sem fins lucrativos, também conhecidas como organizações da sociedade civil, estabelecidas há pelo menos 01 (um) ano no Município de Salvador e que possuam finalidade cultural declarada em estatuto social, doravante denominadas proponentes.

As propostas apresentadas devem ser desenvolvidas, desde a pré-produção até a avaliação final, no período de 1º de novembro de 2019 a 31 de outubro de 2020. Serão priorizadas propostas oriundas de bairros localizados nas Zonas Especiais de Interesse Social do Município de Salvador (ZEIS) e oriundas de bairros onde não existam equipamentos culturais públicos em funcionamento.

BOCA DE BRASA

O projeto Boca de Brasa é uma iniciativa da Prefeitura de Salvador, através da Fundação Gregório de Mattos (FGM), órgão vinculado a Secretaria de Cultura e Turismo (Secult). Boca de Brasa é um dos apelidos do poeta Gregório de Mattos que dá nome a instituição responsável por desenvolver as políticas culturas municipais.

Criado em 1986, o projeto Boca de Brasa visa fomentar a cultura na periferia, com foco na promoção da cidadania, por meio do incentivo às manifestações artísticas dos bairros da capital baiana.

Em 2013, a ação recebeu um novo formato, com oficinas gratuitas de diferentes áreas artísticas, bem como formação de gestores. Até 2016, foram realizadas 21 edições, com público total de 42 mil pessoas, 120 oficinas realizadas e 2.300 agentes culturais atendidos em 20 bairros. Em 2017, a FGM lança o edital Espaços Culturais Boca de Brasa, concedendo aporte financeiro a três propostas voltadas ao aprimoramento, dinamização e/ou ampliação das atividades artístico-culturais desenvolvidas em espaços culturais já existentes.

Em 2018, a Prefeitura de Salvador constrói e inaugura o Espaço Cultural Boca de Brasa – Subúrbio 360, em Vista Alegre, e o Espaço Cultural Boca de Brasa – CEU Valéria, em Valéria, desenvolvendo oficinas e diversas atividades artísticas e culturais gratuitas, como o Cine Clube Boca de Brasa, os Diálogos Boca de Brasa e o Palco Aberto.

Inscrições e informações até o dia 26 de junho. É importante ler todo o edital antes de realizar as inscrições. 

Sistema online de inscrição aqui

Salvador recebe a Mostra de Cinema Africano Espelhos d’África entre os dias 24 de maio e 01 de junho


Foto: Divulgação

Entre os dias 24 de maio e 01 de junho, Salvador recebe a primeira edição da Mostra de Cinema Africano – Espelhos d’África, em comemoração ao dia internacional da África (25 de maio). Serão exibidos longas, médias e curtas metragens de ficção, documentários e filmes experimentais, de diretores africanos ou realizados em algum país da África, muitos dos quais inéditos no Brasil.

Dirigidos por cineastas de países como Nigéria, Senegal, Serra Leoa, Congo, Burkina Faso, Marrocos e outros, ao todo serão selecionados cerca de 30 filmes, trazendo produções que fogem aos temas convencionais de representatividade do continente africano, apresentando olhares diferenciados sobre a realidade, a espiritualidade, a arte, o urbano e o pensamento contemporâneo.

O Dia Mundial da África é comemorado anualmente em 25 de maio, desde o ano de 1963, pela fundação da Organização de Unidade Africana (OUA).

A abertura da Mostra Espelhos d’África será no dia 24 de maio, às 19h, no Espaço Cultural da Barroquinha, com os filmes “Kaniama Show” (Congo, 2018), o primeiro filme do rapper congolês-belga Bajoji, que é uma sátira da televisão nacional em um país da África, espalhando a sua propaganda de poder suave entre as entrevistas complacentes e interlúdios musicais; e o filme documentário de Laure Malécot, “Iya Tunde – A Mãe Voltou” (SENEGAL 2018), um retrato da lendária dançarina Germaine Acogny, que explora o legado da prática de dança de Acogny, fundindo a dança ocidental e contemporânea, e a escola de dança fundada por ela na remota vila de pescadores no Senegal, onde mora.

A Mostra Espelhos d’África terá exibições no Espaço Cultural da Barroquinha, na Sala Walter da Silveira e em escolas da rede pública da cidade de Salvador. O evento tem realização da Aiocá Produções e foi contemplado através do Edital Arte Todo Dia – Ano IV, da Fundação Gregório de Mattos, Prefeitura de Salvador.

Confira a programação:

25/05 (sábado)

Espaço Cultural da Barroquinha

 17h

Mama Bobo, dir. Robin Andelfinger et Ibrahima Seydi, 15’, França/Senegal/Bélgica, 2017

Beyond that Wall, dir Aisha Jabour 13’, Marrocos, 2017 (Além desse muro)

Tithes & Offering, dir. Tony Koros 17’, Kenya, 2018 (Dízimos e Oferta)

Still Water Runs Deep, dir. Abbesi Akhamie, 15’, Nigéria/Canada, 2017 (A água ainda corre profundamente)

Bastien, dir. Welket Bungué, 20’, Guine-Bissau/Portugal

19h

My Beloved co-wife, dir. Angèle Diabang, 15’, Senegal, 2018

Les deux visages d’une femme Bamileke, dir. Rosine Mbakam, 76’, Camarões, 2016 (Os dois rostos de uma mulher Bamileke)

 

26/05 (domingo)

Espaço Cultural da Barroquinha

17h

L’absence, dir. Hawa N’diaye 9’, Mali/ Senegal, 2016 (A ausência)

Entre Deus e Eu, dir. Yara Costa, 59’, Moçambique, 2018

19h

Kora, dir. Jorge Correia Carvalho, 70’, Guiné-Bissau, Portugal, 2014

 

27/05 (segunda-feira)

Sala Walter da Silveira

 17h

Take Light, dir. Shasha Nakhai, 78’, Nigeria, 2018 (Leve Luz)

19h

Ce qu’il reste de la folie, dir. Joris Lachaise, 76’, Senegal, 2014 (O que resta da loucura)

 

28/05 (terça-feira)

Sala Walter da Silveira

 17h

New Voices in a old Flower, dir. Quino Piñero, 69’, Etiópia/Espanha, 2016 (

Novas vozes em uma flor antiga)

19h

Fifiire en pays cuballo, dir. Mame Woury Thioubou, 81’, Senegal, 2018 (Fifiire em país cuballo)

 

29/05 (quarta-feira)

Sala Walter da Silveira

 17h

‘Daani Doolé’ – “Payer de sa sueur pour gagner sa vie”, dir. Bole Thiaw, 12’, Senegal, 2017 (Pagar pelo suor para ganhar a vida)

SEGA, dir. Idil Ibrahim, 24’, Senegal, 2018

Tahiti, dir. Latifa Said, 17’, Argélia, 2018

O lá e o aqui, dir. Sandro Lopes, 22’, Brasil, 2017

19h

Vivre Riche, dir. Joel Akafou, 53’, Costa de Marfim, 2017 (Viver Rico)

SOJU, dir. Oluwaseun Babalola, 32’, EUA/Botswana/Nigéria/Sierra Leoa, 2016

 

30/05 (quinta-feira)

Sala Walter da Silveira

17h

Étincelles, dir. Bawa Kadadé, 62’, Niger, 2019 (Faíscas)

19h

Ganda le dernier griot, dir. Ousmane Diagana, 62’, Mauritânia/Mali/Senegal/França, 2019 (Ganda, o último Griot)

 

31/05 (sexta-feira)

Sala Walter da Silveira

17h

Golden fish, African fish, dir. Thomas Grand & Moussa Diop, 62’, Senegal, 2018

Fazer pela vida na estação Seca, dir. Inês Ponte, 35’, Angola/Portugal, 2016

19h

Lendemains incertains, dir. Eddy Munyaneza, 70’, Burundi, 2018 (Amanhãs incertos)

 

01/06 (sábado)

Sala Walter da Silveira

17h

Zombies, dir. Baloji, 14’, Congo, 2019

Le griot du Métal, dir. Ata Messan Koffi, 27’, Togo/Senegal, 2015 (O griot do metal)

Kedougou, dir. Mamadou khouma Gueye, 23’, Senegal, 2017

FIN, dir. Lara Sousa, 17’, Cuba/Moçambique, 2018

19h

Le Cimetières des éléphants, dir. Éléonore Yaméogo, 71’, Burkina Faso/França, 2019 (O cemitério dos elefantes)

 

                                                PROGRAMAÇÃO DA MOSTRA ESPELHOS NAS ESCOLAS

 

Colégio Teodoro Sampaio (Pirajá)

Dia: 27/05

Horários: 10h e 14h

Filmes: Mama Bobo, dir. Robin Andelfinger et Ibrahima Seydi, 15’, França/Senegal/Bélgica, 2017 e Tithes & Offering, dir. Tony Koros 17’, Kenya, 2018 (Dízimos e Oferta)

(Paripe)

Dia: 28/05

Horários: 10h e 14h

Filmes: Zombies, dir. Baloji, 14’, Congo, 2019 e SOJU, dir. Oluwaseun Babalola, 32’, EUA/Botswana/Nigéria/Sierra Leoa, 2016

Dia: 29/05

Horários: 10h e 14h

Filmes: Mama Bobo, dir. Robin Andelfinger et Ibrahima Seydi, 15’, França/Senegal/Bélgica, 2017 e Tithes & Offering, dir. Tony Koros 17’, Kenya, 2018 (Dízimos e Oferta)

Dia: 30/05

Horários: 10h e 14h

Filmes: Zombies, dir. Baloji, 14’, Congo, 2019 e SOJU, dir. Oluwaseun Babalola, 32’, EUA/Botswana/Nigéria/Sierra Leoa, 2016

Slam das Minas Bahia agita a Casa Rosada no dia 31 de maio


Foto: Divulgação

A próxima edição do Slam das Minas Bahia promete agitar a Casa Rosada (Travessa dos Barris, 30) dia 31 de maio (sexta-feira), a partir das 18h, com ingressos a R$10,00. Os poetas e poetisas que irão competir não pagam ingresso. A banda Panteras Negras fará um pocket show com convidadas. Nomeada em homenagem ao movimento revolucionário que surgiu no fim da década de 60 nos EUA contra a opressão dos negros, o grupo é formado por quatro mulheres negras que tem uma relação técnica e autodidata com a música e trazem diversas influências em seus trabalhos. Músicas nas vertentes afro, afoxés, samba reggae, rock, blues, psicodelia e afro cubanas.

 

Confira o line up:

• Discotecagem com DJ Helena Vieira;
• Pocket Show da Banda Panteras Negras
+ Convidadas (Amanda Rosa, Kainná Tawá, Ludmila Laísa e Pollyanna Menezes);
• Expositoras

Premiação

1° lugar: Uma ensaio fotográfico com Andreza Mona;
2° lugar: Um kit ecológico Flor de Maio Bio;
3° lugar: Uma camisa da Agô Nilê.

SERVIÇO
Quando: 31 de maio (sexta-feira)
Horário: 18 horas
Ingresso: R$10,00
Onde: Casa Rosada (em frente à Biblioteca Central dos Barris)

Pelourinho recebe diversas atrações na última semana de maio


capoeira_regional
Foto: Juliana Linhares

O Pelourinho recebe, na segunda (27) e na quinta-feira (30), a Oficina de Capoeira Angola Mestre Raimundo Noronha no Largo Tereza Batista, às 16h, com entrada gratuita. Na terça-feira (28), no mesmo largo, só que às 19h, a banda percussiva Swing do Pelô irá promover o lançamento do seu CD com participação de O Pretinho com batida afro baiana. As entradas custam R$20 e R$ 10

No mesmo dia, o ‘Projeto Encontro dos Amigos’ arrastará uma galera para o largo Quincas Berro d’Água. A apresentação é comandada pela Banda Faz com Samba. O evento começa às 20h e tem entrada franca. Na quinta (30), a Roda de Samba Prá Lá de Especial, promete agitar o largo Tereza Batista, às 19h, com Bira Negros de Fé, prestando homenagem a J Zô. Entrada franca.

Serviço 

 

Oficina de Capoeira Angola – Mestre Raimundo Noronha 

Largo Tereza Batista 

Quando: 27 de maio (Segunda- feira) 16h
Ingresso: Gratuito

 

Banda Swing do Pelô – Lançamento do cd

Largo Tereza Batista

Quando: 28 de maio (Terça- feira) 19h
Ingresso:20, 10

Projeto Encontro dos Amigos – Banda Faz com Samba

Largo Quincas Berro D’Água 

Quando: 28 de maio (Terça- feira) 20h
Ingresso: Gratuito

 

Oficina de Capoeira Angola – Mestre Raimundo Noronha 

Largo Tereza Batista 

Quando: 30 de maio (Quinta- feira) 20h
Ingresso: Gratuito

Roda de Samba Prá Lá de Especial – Bira Negros de Fé

Largo Tereza Batista 

Quando: 30 de maio (Quinta- feira) 19h
Ingresso: Gratuito

Exposição e documentário ‘Candomblé – um Legado Africano’ é exibido na Casa do Benin aberto ao público


Foto: Divulgação

Candomblé – um Legado Africano terá exibição de documentário e exposição até o dia 19 de junho na Casa do Benin. Produzido pela Universidade Católica de Lili na França, o longa, com autoria e criação do pai de santo Baba Leo, faz parte de uma trilogia produzida pelos diretores Erika & Bernardo Thomás, onde revelando a importância social, cultural e etnológica desse Legado para a nosso povo. O objetivo da obra é explicar os fundamentos da religião, além de apresentar formas de resistência, mostrando o hino à natureza e à vida como um legado africano.A atividade é gratuita e aberta ao público.

Totalmente gravado no Brasil, especificamente no terreiro de Candomblé Igbá Asé Ominolá (Casa das Águas da Prosperidade), em Fortaleza/CE, aberta em 2010, o audiovisual é baseado na vivência do Babalorixá Leonardo Ty Osun, nordestino, brasileiro e adepto do Candomblé. O pai de santo relata sua trajetória, os desafios de liderar um templo de matriz africana no Brasil e de manter viva as raízes afro-descendentes em meio a tanto preconceito e intolerância.

SERVIÇO

O quê: Exibição do documentário e abertura da exposição Candomblé – um Legado Africano

Quando: Exposição em cartaz até 19/06, de terça a sábado, das 9h às 17h

Onde: Casa do Benin – Rua Padre Agostinho Gomes, 17, no Pelourinho

GRATUITO

Roda no Bahia Outlet Center debate o protagonismo da mulher em DIÁLOGOS SUBVERSIVOS


Foto: Quereres Fotografia

Uma série de encontros mensais gratuitos foi idealizada para a troca de experiência sobre, com e para mulheres, em celebração à construção coletiva de experiências entre mulheres. As atividades saúdam o protagonismo feminino ao trazer luz às ações e iniciativas comandadas por mulheres. A estreia acontece no dia 01 de junho, a partir das 16h, no Shopping Bahia Outlet Center (no Uruguai), e traz como mote central o debate “SER MÃE É UM ATO POLÍTICO”.

“O nosso maior desejo ao difundir o conhecimento é instrumentalizar mulheres, sobretudo negras, mães e periféricas. As mulheres têm muito a dizer, a contribuir e fortalecer. Acreditamos no diálogo como uma rede colaborativa, espaço de troca de experiências e fomento de saberes, onde elas poderão, inclusive, ser acolhidas entre suas iguais”, ressalta Sâmara Azevedo, professora da rede pública, educadora social e ativista.

Ela, que também é fundadora do Coletivo de Cacheadas e Crespas de Salvador ao lado da fotógrafa Ana Paula Couto, lidera a produção dos DIÁLOGOS SUBVERSIVOS junto com a jornalista e diretora da Agência Arruda, Chris Sacramento, que pontua: “É o momento de fortalecer cada iniciativa nossa. Como Comunicóloga entendo que o lugar e a hora de fala das mulheres precisam ser assegurados e exaltados socialmente, e é justamente esse o mérito e principal objetivo, em essência, dos Diálogos”.

VOZ AMPLIFICADA – Os presentes na estreia da série, no dia 01 de junho, no Shopping Bahia Outlet Center, no Uruguai, irão acompanhar o desenrolar emblemática conversa sobre como “SER MÃE É UM ATO POLÍTICO”. Assim a primeira roda trará calorosa e consistente troca principalmente acerca das questões que atingem as mães negras e periféricas. A moderadora, Sâmara Azevedo, recebe no primeiro dia dos DIÁLOGOS SUBVERSIVOS: Cibele Marina (atriz, roteirista e pesquisadora), Lorena Conceição (instagramer e digital consciente), Marron Paulilo (diretora e atriz) e Tayane Souza (tatuadora e arteterapeuta). Em cena, a trajetórias delas enquanto mães-políticas. Aberto ao público, sujeito à capacidade do local.

AGENDA >>>> Nos próximos meses as discussões giram em torno do empreender feminino e do empoderamento negro, em alusão ao Julho das Pretas.

SERVIÇO

SÉRIE DIÁLOGOS SUBVERSIVOS –– “SER MÃE É UM ATO POLÍTICO”.

Quando | 01 de junho, a partir das 16h

Onde | Shopping Bahia Outlet Center

Endereço: Rua do Uruguay, 753 – Uruguai

Gratuito

Informações: @AgenciaArruda e @Cachecrespas_ssa

TOMATEAMO discute soropositividade no ato performático de Luiz Antônio Sena Jr.


 

Foto: Fred Soares

O solo performático TOMATEAMO, apresentado pelo ator, cantor, diretor, produtor, dramaturgo e performer Luiz Antônio Sena Jr. acontece nos dias 29, 30 e 31 de maio, às 16h, em três pontos da cidade de Salvador: Praça Dois de Julho/ Largo do Campo Grande, Praça da Piedade e Praça da Sé, respectivamente. A performance nasce da ideia de discutir questões atribuídas a comunidade LGBTQIA+, com foco na soropositividade, entendendo o espaço urbano como potência para inserir essas discussões no cotidiano das pessoas e de ativação de ações artísticas.

A rua como lugar rico em narrativas. Esta ação é a terceira etapa do projeto É SÓ AMOR³, contemplado pelo edital Arte Todo Dia – Ano IV, Bairro a Bairro, da Fundação Gregório de Mattos – Prefeitura de Salvador. “O TOMATEAMO é um ato em que a poética brota da cidade, na cidade, com a cidade. É uma poética que venho experimentando desde o Música de Quinta e o Ruínas de Anjos, espetáculos desenvolvidos em parceria com A Outra Companhia de Teatro, em que assumo a direção e provocação artística”, declara Luiz Antônio, ao acrescentar que o ato cruza teatro, dança e performance.

Foto: Fred Soares

É a cidade e o encontro com as pessoas. É o debate in loco em que se irá esgaçar, tencionar a questão do amor, da morte e da soropositivade, com o objetivo de transformar o olhar do espectador, que também é agente da ação. “O TOMATEAMO vem para deixar na cidade uma rasura disso que é manchado, atravessado, que é alvo e que vai estar ali vivo como uma reflexão para a posterioridade”. Sob a provocação do ator, bailarino e transformista baiano Anderson Danttas, que também é integrante d’A Outra Companhia, TOMATEAMO tem a seguinte pergunta “Como o amor pode ser um disparador de morte?”. Luiz Antônio quer contribuir para o esgarçamento do imaginário social de que a soropositividade é um problema da comunidade LGBTQIA+.

“Isso não é uma realidade. É uma questão de saúde pública que precisamos discutir, desconstruir esse tabu. É um debate que não é falado nem dentro da comunidade LGBTQIA+, nem na sociedade geral. Entendo que essa seja a grande potência: falar na rua, de modo poético e artístico. Deixar pessoas soropositivas no escuro é também uma forma de preconceito, de necropolítica”, defende o multiartista.

Terceira etapa do projeto É SÓ AMOR³, TOMATEAMO chegará aos pontos de encontro, com lambes em preto e branco e tomates prontos para serem atirados pelos transeuntes que decidirem. Sem uma dramaturgia definida, o ato é aberto, poroso, riscado, pronto para o inusitado e traz uma sequência de dispositivos que serão utilizados ou não conforme a interação da plateia. O projeto É SÓ AMOR³ nasce com objetivo de discutir amor e morte. Atravessado por diversas linguagens artísticas, ele é baseado na arte documental. A primeira etapa foi a exposição urbana homônima, que, um dia após a colagem dos lambes, foi atingida por atos de vandalismo homofóbico, tema foco do trabalho.

A segunda fase foi o show #ComproVendoTrocoAMOR, que perpassa questões relativas ao amor – finalizações, partidas e das relações que se constroem e se desconstroem. A morte nesse lugar mais metafórico, mais simbólico.  Luiz Antônio Sena Jr. expõe que a performance é também “uma alusão ao que está ocorrendo política-socialmente no país”. “Estamos na iminência da liberação do porte de armas e do tiro desportivo para jovens e adolescentes. Vamos colocar nas mãos das pessoas o poder do tiro. O que acontece frente a um corpo gay que se declara, que se expõe, que dança e indaga (Você é positivo?), tendo a possibilidade de lhe atirar? Até onde as pessoas estão abertas a dialogar nesse sistema agressivo, preconceituoso, machista, homofóbico que vem sendo alimentado pelo então presidente?”, questiona o ator.

O tiro é o tomate, o alvo é o performer em estado de metáfora frente as ameaças a cultura, a liberdade de expressão, aos direitos humanos, a educação, a saúde, a possibilidade de existir. E aí? Tomate, amo! Toma, te amo! Tô, mate, amo!

Concurso para Escritores Escolares de Poesia e Redação está com inscrições abertas


estudantes-cotas
Foto: Divulgação

Procurando estimular a escrita, a Fundação Pedro Calmon (FPC/SecultBa), por intermédio da Diretoria do Livro e da Leitura (DLL), lançou o Concurso de Poesia e Redação para Escritores Escolares, que já está na quinta edição. O concurso visa sensibilizar e mobilizar jovens a escreverem e revelar talentos. A iniciativa é da Diretoria do Livro e da Leitura da Fundação Pedro Calmon – instituição vinculada à Secretaria de Cultura do Estado da Bahia. O objetivo é estimular a prática da escrita criativa entre crianças e jovens estudantes do Ensino Fundamental I (1º ao 5º ano) e II (6º ao 9º ano), e do Ensino Médio e Médio Técnico por meio da sensibilização e premiação de textos em prosa e verso.

Em sua última edição, o Concurso teve aproximadamente 1.200 inscritos em mais de 60 cidades da Bahia, envolvendo 232 escolas distribuídas por 26 dos 27 Territórios de Identidade do estado. Como consequência desta ação, espera-se não apenas dar visibilidade e revelar novos talentos, mas que esta também seja uma forma de reconhecer, direta ou indiretamente, a convergência de ideais nos esforços de estímulo à escrita, e à leitura também, já que ambas andam juntas, postos em prática pela comunidade escolar e por familiares.

Além disso, o Concurso promove a integração entre estudantes de escolas das redes de ensino, pública e privada, do Estado da Bahia. Para participar, o candidato deve estar matriculado em uma escola do Estado da Bahia, podendo se inscrever em apenas UMA das categorias previstas, POESIA ou REDAÇÃO – com ficcional ou não – apresentando texto inédito. O tema é livre. Gabriel da Silva Bastos (19), vencedor da última edição sob o tema Violência doméstica e abandono ao idoso, conta que na época estudava no 3º ano do Ensino Médio no Instituto Federal da Bahia (IFBA), em Feira de Santana, e foi incentivado pela professora de Língua Portuguesa a participar do concurso. Hoje, está na Universidade.

Segundo Gabriel, é muito importante que as pessoas participem do concurso, pois qualquer um pode ser um escritor. “O concurso estimula a gostar de literatura, e desejo que muitos se inscrevam e se animem, pois é uma ótima oportunidade para os estudantes dizerem o que pensam”, incentiva. Este pensamento também é compartilhado pela estudante Lara Ferraz (15), vencedora da categoria redação do ensino Fundamental II. Lara escreveu sobre a valorização dos trens enquanto estudava no 8º ano, no Colégio Nossa Senhora da Soledade.

Para a estudante, estimulada pelo professor de Redação a participar, o concurso é um bom incentivo para os alunos escreverem. “É importante dizer às pessoas o que a gente pensa. Além disso, estimula a imaginação e contribui para explicar o pensamento com mais clareza”, conclui. O diretor da FPC, Zulu Araújo, diz que os pais também podem estimular os filhos não apenas a ler, mas a escrever levando-os “às bibliotecas, comprando livros, estimulando a leitura e fazer disto um hábito saudável, e não uma obrigação”.

Para participar não é necessário limite de idade, basta estar matriculado nas redes públicas ou particulares de ensino. 

Quem quiser pode ainda se inscrever presencialmente nas Bibliotecas Públicas do Estado ou via postal, no endereço: Edifício Brasilgás, Avenida Sete de Setembro, 282, Dois de Julho, Salvador-BA, CEP: 40060-000. Os vencedores receberão, em conformidade com a sua classificação, prêmios tais como: tablete; kits contendo livros; pôster ilustrado em tamanho A2 do texto selecionado; leitor de e-book; entre outros.

A Diretoria do Livro e da Leitura (DLL) da FPC tem por finalidade incentivar a leitura, a formação de mediadores de leitura e fomentar e divulgar a produção de livros. Esta política é desenvolvida mediante apoio a instituições e através de editais específicos; a organização de concursos literários; e a realização de campanhas que visem incentivar a leitura, sobretudo de crianças e adolescentes. A DLL participa de festas literárias pelo Estado da Bahia com o objetivo de democratizar o acesso a leitura contemplando sua diversidade de expressões manifestadas em todos os territórios de identidade.

Serviço:

O que: Inscrições para o V Concurso de Poesia e Redação para Escritores Escolas

Quando: Até o dia 19 de junho

Onde: Site da Fundação Pedro Calmon, presencialmente nas Bibliotecas Públicas do Estado ou via postal no endereço: Edifício Brasilgás, Avenida Sete de Setembro, 282, Dois de Julho, Salvador-BA, CEP: 40060-000.

 

INSCRIÇÕES AQUI

 

Vídeo gravado no Museu Nacional da Cultura Afro-Brasileira será lançado pelo poeta Lucas de Matos


Foto: Divulgação

O poeta Lucas de Matos interpreta em seu novo vídeo do projeto #QuartasPoéticas, videos de poesia, com 1 minuto de duração, divulgados no Instagram e legendados para serem acessíveis às pessoas com surdez. O vídeo foi gravado no Museu Nacional da Cultura Afro-Brasileira (MUNCAB), em Salvador. “Musa eu, sou seu museu aberto pra visitação” é um dos versos de Chico César recitados por ele.

“O MUNCAB, além de ser um belíssimo prédio do início do sec. XX, abriga um valioso acervo sobre a história negra que edificou esse país”, salienta Lucas, poeta baiano que escolheu o espaço como cenário para interpretar ‘Museu’, música de Chico César. “Chico é um artista negro, e o Muncab traz a história da negritude ancestral, que não esgota de descobertas. Toda essa potência cultural atravessa meu fazer artístico e me inspira. E em um vídeo de apenas 1 minuto, podem-se apreender diversas leituras”, completa o poeta.

A ideia do projeto #QuartasPoéticas surgiu em 2018, quando Lucas publicou dois vídeos, sendo um deles gravado no Pelourinho. Retomando neste ano, a segunda temporada traz o amor e suas vertentes como temática norteadora dos textos poéticos, autorais e de outros, ilustrados por meio de vídeos que contam com a edição do cineasta Roger Ghil (Vila Velha-ES).

Foto: Roger Ghil

Com direção do tropicalista José Carlos Capinam, o Muncab fica localizado na Rua do Tesouro, centro histórico de Salvador. “Estamos no mês em que é comemorado o Dia Internacional dos Museus, e a ideia de gravar neste espaço é fazer com que mais pessoas se interessem em visitá-lo”, pontua Lucas. “Espero que o vídeo possa despertar esse interesse”, conclui.

Confira o resultado desse projeto no Instagram @_lucasdematos (https://www.instagram.com/_lucasdematos/), ou em seu canal no YouTube (https://www.youtube.com/channel/UC8NFqhXlwzGJDGDfcj3m9-Q).

Confira o vídeo Museu: