Movimentos sociais cobram aprovação do Estatuto da Igualdade Racial


Foto: Divulgação

O Estatuto da Igualdade Racial do Município será votado no plenário da Câmara Municipal de Salvador nesta quarta-feira, dia 29 de maio, às 14h. O projeto foi protocolado há dez anos pela então vereadora Olívia Santana e, somente agora, volta à ordem do dia das votações da casa legislativa. O debate em torno do novo texto foi feito em oito audiências públicas puxadas pelo vereador e relator do projeto, Silvio Humberto (PSB), porém, nenhuma delas contou com a participação de algum dos vereadores críticos e opositores do projeto. Estes, mesmo sem se dedicar ao debate, têm dirigido ataques ao texto da lei.

Diante dessa conjuntura, o movimento social negro constituiu a Frente em Defesa do Estatuto da Igualdade Racial do Município de Salvador. Esta conta com a assinatura de mais de 80 entidades, movimentos sociais de diversas pautas onde o racismo se faz presente como política de drogas, moradia, acesso à justiça, racismo ambiental, juventude, além de diversos parlamentares das duas casas legislativas, entre eles Marta Rodrigues (PT), Aladilce Souza (PCdoB) e Olívia Santana (PCdoB). O movimento ocupará o plenário da câmara durante a votação visando garantir a aprovação do estatuto.

“Reparação, retratação, igualdade racial e equidade precisam ser premissas de um Estado comprometido com seu povo. Para assegurar o combate as iniquidades, sobretudo as que interseccionam raça, gênero e classe, e que constroem distância social no Brasil entre negros, indígenas e brancos é necessário vontade política, compromisso com a história e com a justiça devida à população negra deste país,” afirma Naira Gomes, integrante da frente e da Marcha do Empoderamento Crespo.

“O estatuto está falando de 83% da população de Salvador, esta que não possui oportunidade e – muitas vezes – nem dignidade para viver na cidade considerada a mais desigual socialmente pelo IBGE. Esse projeto vêm para reparar essa dívida que a gestão municipal possui com os negros e negras soteropolitanos/as”, ressalta Sílvio Humberto (PSB).

O vereador Marcos Mendes (PSol) afirma que “na cidade mais negra fora da África, capital do Estado mais preto do país, o Estatuto da Igualdade Racial tem que ser aprovado na íntegra, sem interferências do pensamento conservador e dogmático da branquitude reacionária.” A frente convoca: “Traga seu corpo, sua voz, sua alma. Traga seu quilombo, seu coletivo, sua  instituição. Quarta-feira, dia 29, temos uma batalha contra o racismo, o machismo, o ódio religioso, a LGBTfobia e pela garantia das existências e a inviolabilidades das nossas vidas, dos nossos corpos, direitos, consciências e subjetividades”, completa.

 

Laços entre Bahia e África são fortalecidos através de ações da SecultBA


 

Foto: Divulgação

No último sábado (25) foi celebrado o Dia da África, e para marcar a data a Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBa) destaca ações desenvolvidas para o fortalecimento dos laços culturais entre o continente e a Bahia. Com recursos do Fundo de Cultura do Estado da Bahia (FCBA), diversos projetos de mobilidade cultural foram executados, nos últimos anos, por artistas e produtores culturais baianos em países africanos.

Uma dessas iniciativas é o documentário Nkenda, da cineasta Sabrina Andrade. O apoio do FCBA permitiu a viagem à Nigéria para realização das gravações do filme. “Realizei uma residência artística e cultural no Instituto de Arte e Cultura Yorubá, participei de alguns cursos e desenvolvi o projeto do documentário ‘Nkenda’ durante a residência. Todo o processo de roteiro, pesquisa e filmagens foi realizado na Nigéria, em 2018, e finalizado este ano aqui no Brasil” destaca a cineasta. O filme estreou no último mês de abril, na Sala Walter da Silveira, na capital baiana.

Foto: Divulgação

Já a proponente do projeto Griots: Circulação Artística e Educativas Bahia-Maputo, Tamires Lima, escolheu Maputo, capital de Moçambique, para realizar oficinas artísticas e educativas voltadas ao público infanto-juvenil negro, em parceria com Andressa Monique. “O objetivo foi discutir questões sobre a identidade afro-baiana, através de oficinas de grafite com temática das religiões afro-brasileiras”, relembra Tamires. As atividades aconteceram nas instalações do Centro Cultural Brasil Moçambique – Embaixada do Brasil, com apoio do Edital de Mobilidade Artística e Cultural 2018 – 3ª chamada.

A chamada pública da SecultBA também foi importante para o fotógrafo e artista visual Éder Muniz, que viajou para Senegal a fim de apresentar seu trabalho e criar um intercâmbio entre Brasil e África. Os painéis criados pelo artista se baseiam nos fundos decorativos de Senegal, assim como os criados em Salvador, no bairro de Castelo Branco, onde cresceu. “O Edital de Mobilidade é muito importante para nós artistas, pois cria pontes e fortalece o cenário artístico, inclusive, recebi convite para retornar ao continente africano e realizar novos trabalhos”, lembra Éder.

Foto: Divulgação

Dia da África – A data marca a assinatura, há 56 anos, em Adis Abeba, na Etiópia, da carta de fundação da Organização de Unidade Africana (OUA), por líderes de 30 dos 32 Estados africanos independentes. O objetivo do documento era defender e emancipar o continente. Em 2002 a OUA foi substituída pela União Africana, mas a celebração continua sendo realizada na mesma data.

Fundo de Cultura do Estado da Bahia (FCBA) – Criado em 2005 para incentivar e estimular as produções artístico-culturais baianas, o Fundo de Cultura em articulação com as Secretarias da Cultura e da Fazenda. O mecanismo custeia, total ou parcialmente, projetos estritamente culturais de iniciativa de pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado. Os projetos financiados pelo Fundo de Cultura são, geralmente, aqueles que apesar da importância do seu significado, sejam de baixo apelo mercadológico, o que dificulta a obtenção de patrocínio junto à iniciativa privada. Modelo de referência para outros estados da federação, o FCBA está estruturado em quatro linhas de apoio,: Ações Continuadas de Instituições Culturais sem fins lucrativos; Eventos Culturais Calendarizados; Mobilidade Cultural; Fomento Setorial.

 

Fortalecimento do projeto Escolas Culturais é discutido com dirigentes escolares e Secretarias de Cultura e Educação


 

As Secretarias Estaduais da Educação e da Cultura se uniram para debater mais uma agenda voltada para o fortalecimento do projeto Escolas Culturais. Marcaram presença o secretário da Educação, Jerônimo Rodrigues, a secretária de Cultura, Arany Santana, e técnicos dos respectivos órgãos. Dirigentes de unidades escolares onde o projeto é desenvolvido também participaram do encontro, que ocorreu no Instituto Anísio Teixeira (IAT), que faz parte da estrutura organizacional da SEC, em Salvador.

A atividade foi marcada pela apresentação de experiências exitosas desenvolvidas no âmbito do projeto que incrementa a arte e a cultura no currículo e alia a oferta de cursos de qualificação e formação profissional nas respectivas áreas. O projeto também abre as unidades escolares para a comunidade, além de reconhecer e requalificar a escola como um espaço de circulação e produção da diversidade cultural do Território de Identidade onde está inserida.

A iniciativa das Escolas Culturais é resultado de parceria entre as Secretarias da Cultura (SecultBA), e da Educação (SEC) de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS) e a Casa Civil.

O secretário Jerônimo Rodrigues falou sobre o papel estratégico do projeto Escolas Culturais no processo de ensino e aprendizagem dos estudantes. “Este é um projeto especial, que tem sido visto com muito carinho pelo governador. Para ele, as escolas precisam ter um leque de formas para dialogar com a comunidade e o governador enxerga na cultura uma dessas maneiras. Nossa ideia é fortalecer o projeto, que é transversal, com a participação de outras secretarias e na Educação, enxergamos o projeto como um fator de aprendizagem, da Educação de Tempo Integral, redutor de evasão escolar e de repetência. Precisamos garantir que estas 85 existentes possam atuar bem e as próximas, que com o aprendizado destas, possam ser bem executadas”, afirmou o secretário.

A secretária Arany Santana disse que o contato permanente com os gestores escolares e com os envolvidos no projeto contribui para a tomada de decisões voltadas para o aperfeiçoamento da ação governamental. “O governador foi muito feliz em lançar esse projeto e agora esta escuta é fundamental para que possamos ampliá-lo e qualificá-lo, ainda mais”, afirmou, ao destacar o impacto do projeto para a Educação e a Cultura. “Este projeto envolve a Educação e a Cultura e além de melhorar o ensino e aprendizagem, as relações entre aluno e professor, ele abre a escola para a comunidade e esta é uma construção muito rica”.

A diretora do Complexo Integrado de Educação de Ipiaú, unidade da rede estadual, Jordene Santos Silva, falou que o projeto fomentou o protagonismo estudantil, a arte e a cultura no Território. Para ela, este diálogo é fundamental para o fortalecimento do projeto. “Nossa experiência com as Escolas Culturais é muito válida, pois fortaleceu o traço cultural que a escola já possuía e abriu o diálogo da unidade escolar com a comunidade. Este encontro foi muito positivo para alinharmos e que a gente possa engrandecer e melhorar, cada vez mais, o projeto”, afirmou.

Wanda Chase estreia roda de conversa e convida Tatau e Alan Cordeiro para falar de amor


Foto: Divulgação

Com a proposta de ser quinzenal, a primeira roda de conversa conduzida por Wanda Chase acontece no dia 05 de junho (quarta-feira), às 19h, no Restaurante Solar Café, no Palacete das Artes, na Graça. Com a ideia de circular por outros espaços e locais de Salvador, as edições serão temáticas, começando a falar sobre Amor, e os convidados desta vez serão Tatau e Alan Cordeiro. Haverá um pocket show e relatos do cantor e compositor e do psicanalista, explorando desde os seus aspectos conjugais, suas representações sociais e as maneiras de nutrir e lidar com esse sentimento em suas várias nuances. O amor sem preconceitos. O amor na diversidade. O amor livre. Nada mais adequado ao mês em que se comemora o Dia dos Namorados. Criar esse espaço de trocas e múltiplos olhares pode inspirar e motivar pessoas a reconfigurar o seu cotidiano. A produção é do ator e jornalista Arlon Souza. Couvert: R$ 15,00

As rodas de conversa terão sempre a presença de estudiosos das diversas áreas, a exemplo de psicólogos, psicanalistas, antropólogos, professores, entre outros estudiosos. Através de uma conexão entre as experiências dos artistas, do público e a visão mais aprofundada dos especialistas, os encontros vão abordar uma série de assuntos, formando um painel leve, divertido e provocador. A participação do público será muito bem-vinda nesse papo reto e aberto sobre o assunto, por meio de relatos, comentários e perguntas.

O público ainda poderá conferir o cardápio da Chef Andréa Nascimento, que tem sua marca reconhecida pela qualidade no atendimento e foi eleito pela Revista Veja Comer e Beber Salvador, por 8 anos consecutivos, como um dos destaques gastronômicos de Salvador; além de ser destaque no Guia 4 Rodas e no Bahia International Guide. No menu, criações exclusivas e deliciosas, como petiscos, frutos do mar, risotos, pastas, filés, saladas e crepes – além de sanduíches e deliciosas sobremesas. Como o cardápio é servido o dia todo, o Solar é o lugar ideal para toda ocasião: almoço, almoço tardio, happy hour, jantar e encontros pré-balada.

SERVIÇO

Roda de Conversa com Wanda Chase convida Tatau e Alan Cordeiro

Local: Restaurante Solar Graça

Horário: 19h

End.: Rua da Graça, n 284 – Palacete das Artes – Graça

Informações e reservas: (71) 3328-3444– Solar Graça

[email protected]

Couvert: R$ 15,00

Abertas inscrições para o edital Espaços Culturais Boca de Brasa – Ano II da Fundação Gregório de Mattos


Foto: Ted Ferreira

O Edital 004/2019 – Espaços Culturais Boca de Brasa da Fundação Gregório de Mattos (FGM) abriu inscrições para a concessão de aporte financeiro para propostas de aprimoramento a potencialização, dinamização, ampliação e/ou sustentabilidade de atividades desenvolvidas em espaços culturais. Serão contemplados até quatro projetos com R$150 mil cada.

No período de execução, eles passarão a ser identificados como Espaços Culturais Boca de Brasa. As propostas devem ser apresentadas exclusivamente por instituições de direito privado sem fins lucrativos, também conhecidas como organizações da sociedade civil, estabelecidas há pelo menos 01 (um) ano no Município de Salvador e que possuam finalidade cultural declarada em estatuto social, doravante denominadas proponentes.

As propostas apresentadas devem ser desenvolvidas, desde a pré-produção até a avaliação final, no período de 1º de novembro de 2019 a 31 de outubro de 2020. Serão priorizadas propostas oriundas de bairros localizados nas Zonas Especiais de Interesse Social do Município de Salvador (ZEIS) e oriundas de bairros onde não existam equipamentos culturais públicos em funcionamento.

BOCA DE BRASA

O projeto Boca de Brasa é uma iniciativa da Prefeitura de Salvador, através da Fundação Gregório de Mattos (FGM), órgão vinculado a Secretaria de Cultura e Turismo (Secult). Boca de Brasa é um dos apelidos do poeta Gregório de Mattos que dá nome a instituição responsável por desenvolver as políticas culturas municipais.

Criado em 1986, o projeto Boca de Brasa visa fomentar a cultura na periferia, com foco na promoção da cidadania, por meio do incentivo às manifestações artísticas dos bairros da capital baiana.

Em 2013, a ação recebeu um novo formato, com oficinas gratuitas de diferentes áreas artísticas, bem como formação de gestores. Até 2016, foram realizadas 21 edições, com público total de 42 mil pessoas, 120 oficinas realizadas e 2.300 agentes culturais atendidos em 20 bairros. Em 2017, a FGM lança o edital Espaços Culturais Boca de Brasa, concedendo aporte financeiro a três propostas voltadas ao aprimoramento, dinamização e/ou ampliação das atividades artístico-culturais desenvolvidas em espaços culturais já existentes.

Em 2018, a Prefeitura de Salvador constrói e inaugura o Espaço Cultural Boca de Brasa – Subúrbio 360, em Vista Alegre, e o Espaço Cultural Boca de Brasa – CEU Valéria, em Valéria, desenvolvendo oficinas e diversas atividades artísticas e culturais gratuitas, como o Cine Clube Boca de Brasa, os Diálogos Boca de Brasa e o Palco Aberto.

Inscrições e informações até o dia 26 de junho. É importante ler todo o edital antes de realizar as inscrições. 

Sistema online de inscrição aqui

Salvador recebe a Mostra de Cinema Africano Espelhos d’África entre os dias 24 de maio e 01 de junho


Foto: Divulgação

Entre os dias 24 de maio e 01 de junho, Salvador recebe a primeira edição da Mostra de Cinema Africano – Espelhos d’África, em comemoração ao dia internacional da África (25 de maio). Serão exibidos longas, médias e curtas metragens de ficção, documentários e filmes experimentais, de diretores africanos ou realizados em algum país da África, muitos dos quais inéditos no Brasil.

Dirigidos por cineastas de países como Nigéria, Senegal, Serra Leoa, Congo, Burkina Faso, Marrocos e outros, ao todo serão selecionados cerca de 30 filmes, trazendo produções que fogem aos temas convencionais de representatividade do continente africano, apresentando olhares diferenciados sobre a realidade, a espiritualidade, a arte, o urbano e o pensamento contemporâneo.

O Dia Mundial da África é comemorado anualmente em 25 de maio, desde o ano de 1963, pela fundação da Organização de Unidade Africana (OUA).

A abertura da Mostra Espelhos d’África será no dia 24 de maio, às 19h, no Espaço Cultural da Barroquinha, com os filmes “Kaniama Show” (Congo, 2018), o primeiro filme do rapper congolês-belga Bajoji, que é uma sátira da televisão nacional em um país da África, espalhando a sua propaganda de poder suave entre as entrevistas complacentes e interlúdios musicais; e o filme documentário de Laure Malécot, “Iya Tunde – A Mãe Voltou” (SENEGAL 2018), um retrato da lendária dançarina Germaine Acogny, que explora o legado da prática de dança de Acogny, fundindo a dança ocidental e contemporânea, e a escola de dança fundada por ela na remota vila de pescadores no Senegal, onde mora.

A Mostra Espelhos d’África terá exibições no Espaço Cultural da Barroquinha, na Sala Walter da Silveira e em escolas da rede pública da cidade de Salvador. O evento tem realização da Aiocá Produções e foi contemplado através do Edital Arte Todo Dia – Ano IV, da Fundação Gregório de Mattos, Prefeitura de Salvador.

Confira a programação:

25/05 (sábado)

Espaço Cultural da Barroquinha

 17h

Mama Bobo, dir. Robin Andelfinger et Ibrahima Seydi, 15’, França/Senegal/Bélgica, 2017

Beyond that Wall, dir Aisha Jabour 13’, Marrocos, 2017 (Além desse muro)

Tithes & Offering, dir. Tony Koros 17’, Kenya, 2018 (Dízimos e Oferta)

Still Water Runs Deep, dir. Abbesi Akhamie, 15’, Nigéria/Canada, 2017 (A água ainda corre profundamente)

Bastien, dir. Welket Bungué, 20’, Guine-Bissau/Portugal

19h

My Beloved co-wife, dir. Angèle Diabang, 15’, Senegal, 2018

Les deux visages d’une femme Bamileke, dir. Rosine Mbakam, 76’, Camarões, 2016 (Os dois rostos de uma mulher Bamileke)

 

26/05 (domingo)

Espaço Cultural da Barroquinha

17h

L’absence, dir. Hawa N’diaye 9’, Mali/ Senegal, 2016 (A ausência)

Entre Deus e Eu, dir. Yara Costa, 59’, Moçambique, 2018

19h

Kora, dir. Jorge Correia Carvalho, 70’, Guiné-Bissau, Portugal, 2014

 

27/05 (segunda-feira)

Sala Walter da Silveira

 17h

Take Light, dir. Shasha Nakhai, 78’, Nigeria, 2018 (Leve Luz)

19h

Ce qu’il reste de la folie, dir. Joris Lachaise, 76’, Senegal, 2014 (O que resta da loucura)

 

28/05 (terça-feira)

Sala Walter da Silveira

 17h

New Voices in a old Flower, dir. Quino Piñero, 69’, Etiópia/Espanha, 2016 (

Novas vozes em uma flor antiga)

19h

Fifiire en pays cuballo, dir. Mame Woury Thioubou, 81’, Senegal, 2018 (Fifiire em país cuballo)

 

29/05 (quarta-feira)

Sala Walter da Silveira

 17h

‘Daani Doolé’ – “Payer de sa sueur pour gagner sa vie”, dir. Bole Thiaw, 12’, Senegal, 2017 (Pagar pelo suor para ganhar a vida)

SEGA, dir. Idil Ibrahim, 24’, Senegal, 2018

Tahiti, dir. Latifa Said, 17’, Argélia, 2018

O lá e o aqui, dir. Sandro Lopes, 22’, Brasil, 2017

19h

Vivre Riche, dir. Joel Akafou, 53’, Costa de Marfim, 2017 (Viver Rico)

SOJU, dir. Oluwaseun Babalola, 32’, EUA/Botswana/Nigéria/Sierra Leoa, 2016

 

30/05 (quinta-feira)

Sala Walter da Silveira

17h

Étincelles, dir. Bawa Kadadé, 62’, Niger, 2019 (Faíscas)

19h

Ganda le dernier griot, dir. Ousmane Diagana, 62’, Mauritânia/Mali/Senegal/França, 2019 (Ganda, o último Griot)

 

31/05 (sexta-feira)

Sala Walter da Silveira

17h

Golden fish, African fish, dir. Thomas Grand & Moussa Diop, 62’, Senegal, 2018

Fazer pela vida na estação Seca, dir. Inês Ponte, 35’, Angola/Portugal, 2016

19h

Lendemains incertains, dir. Eddy Munyaneza, 70’, Burundi, 2018 (Amanhãs incertos)

 

01/06 (sábado)

Sala Walter da Silveira

17h

Zombies, dir. Baloji, 14’, Congo, 2019

Le griot du Métal, dir. Ata Messan Koffi, 27’, Togo/Senegal, 2015 (O griot do metal)

Kedougou, dir. Mamadou khouma Gueye, 23’, Senegal, 2017

FIN, dir. Lara Sousa, 17’, Cuba/Moçambique, 2018

19h

Le Cimetières des éléphants, dir. Éléonore Yaméogo, 71’, Burkina Faso/França, 2019 (O cemitério dos elefantes)

 

                                                PROGRAMAÇÃO DA MOSTRA ESPELHOS NAS ESCOLAS

 

Colégio Teodoro Sampaio (Pirajá)

Dia: 27/05

Horários: 10h e 14h

Filmes: Mama Bobo, dir. Robin Andelfinger et Ibrahima Seydi, 15’, França/Senegal/Bélgica, 2017 e Tithes & Offering, dir. Tony Koros 17’, Kenya, 2018 (Dízimos e Oferta)

(Paripe)

Dia: 28/05

Horários: 10h e 14h

Filmes: Zombies, dir. Baloji, 14’, Congo, 2019 e SOJU, dir. Oluwaseun Babalola, 32’, EUA/Botswana/Nigéria/Sierra Leoa, 2016

Dia: 29/05

Horários: 10h e 14h

Filmes: Mama Bobo, dir. Robin Andelfinger et Ibrahima Seydi, 15’, França/Senegal/Bélgica, 2017 e Tithes & Offering, dir. Tony Koros 17’, Kenya, 2018 (Dízimos e Oferta)

Dia: 30/05

Horários: 10h e 14h

Filmes: Zombies, dir. Baloji, 14’, Congo, 2019 e SOJU, dir. Oluwaseun Babalola, 32’, EUA/Botswana/Nigéria/Sierra Leoa, 2016

Slam das Minas Bahia agita a Casa Rosada no dia 31 de maio


Foto: Divulgação

A próxima edição do Slam das Minas Bahia promete agitar a Casa Rosada (Travessa dos Barris, 30) dia 31 de maio (sexta-feira), a partir das 18h, com ingressos a R$10,00. Os poetas e poetisas que irão competir não pagam ingresso. A banda Panteras Negras fará um pocket show com convidadas. Nomeada em homenagem ao movimento revolucionário que surgiu no fim da década de 60 nos EUA contra a opressão dos negros, o grupo é formado por quatro mulheres negras que tem uma relação técnica e autodidata com a música e trazem diversas influências em seus trabalhos. Músicas nas vertentes afro, afoxés, samba reggae, rock, blues, psicodelia e afro cubanas.

 

Confira o line up:

• Discotecagem com DJ Helena Vieira;
• Pocket Show da Banda Panteras Negras
+ Convidadas (Amanda Rosa, Kainná Tawá, Ludmila Laísa e Pollyanna Menezes);
• Expositoras

Premiação

1° lugar: Uma ensaio fotográfico com Andreza Mona;
2° lugar: Um kit ecológico Flor de Maio Bio;
3° lugar: Uma camisa da Agô Nilê.

SERVIÇO
Quando: 31 de maio (sexta-feira)
Horário: 18 horas
Ingresso: R$10,00
Onde: Casa Rosada (em frente à Biblioteca Central dos Barris)

Pelourinho recebe diversas atrações na última semana de maio


capoeira_regional
Foto: Juliana Linhares

O Pelourinho recebe, na segunda (27) e na quinta-feira (30), a Oficina de Capoeira Angola Mestre Raimundo Noronha no Largo Tereza Batista, às 16h, com entrada gratuita. Na terça-feira (28), no mesmo largo, só que às 19h, a banda percussiva Swing do Pelô irá promover o lançamento do seu CD com participação de O Pretinho com batida afro baiana. As entradas custam R$20 e R$ 10

No mesmo dia, o ‘Projeto Encontro dos Amigos’ arrastará uma galera para o largo Quincas Berro d’Água. A apresentação é comandada pela Banda Faz com Samba. O evento começa às 20h e tem entrada franca. Na quinta (30), a Roda de Samba Prá Lá de Especial, promete agitar o largo Tereza Batista, às 19h, com Bira Negros de Fé, prestando homenagem a J Zô. Entrada franca.

Serviço 

 

Oficina de Capoeira Angola – Mestre Raimundo Noronha 

Largo Tereza Batista 

Quando: 27 de maio (Segunda- feira) 16h
Ingresso: Gratuito

 

Banda Swing do Pelô – Lançamento do cd

Largo Tereza Batista

Quando: 28 de maio (Terça- feira) 19h
Ingresso:20, 10

Projeto Encontro dos Amigos – Banda Faz com Samba

Largo Quincas Berro D’Água 

Quando: 28 de maio (Terça- feira) 20h
Ingresso: Gratuito

 

Oficina de Capoeira Angola – Mestre Raimundo Noronha 

Largo Tereza Batista 

Quando: 30 de maio (Quinta- feira) 20h
Ingresso: Gratuito

Roda de Samba Prá Lá de Especial – Bira Negros de Fé

Largo Tereza Batista 

Quando: 30 de maio (Quinta- feira) 19h
Ingresso: Gratuito

Exposição e documentário ‘Candomblé – um Legado Africano’ é exibido na Casa do Benin aberto ao público


Foto: Divulgação

Candomblé – um Legado Africano terá exibição de documentário e exposição até o dia 19 de junho na Casa do Benin. Produzido pela Universidade Católica de Lili na França, o longa, com autoria e criação do pai de santo Baba Leo, faz parte de uma trilogia produzida pelos diretores Erika & Bernardo Thomás, onde revelando a importância social, cultural e etnológica desse Legado para a nosso povo. O objetivo da obra é explicar os fundamentos da religião, além de apresentar formas de resistência, mostrando o hino à natureza e à vida como um legado africano.A atividade é gratuita e aberta ao público.

Totalmente gravado no Brasil, especificamente no terreiro de Candomblé Igbá Asé Ominolá (Casa das Águas da Prosperidade), em Fortaleza/CE, aberta em 2010, o audiovisual é baseado na vivência do Babalorixá Leonardo Ty Osun, nordestino, brasileiro e adepto do Candomblé. O pai de santo relata sua trajetória, os desafios de liderar um templo de matriz africana no Brasil e de manter viva as raízes afro-descendentes em meio a tanto preconceito e intolerância.

SERVIÇO

O quê: Exibição do documentário e abertura da exposição Candomblé – um Legado Africano

Quando: Exposição em cartaz até 19/06, de terça a sábado, das 9h às 17h

Onde: Casa do Benin – Rua Padre Agostinho Gomes, 17, no Pelourinho

GRATUITO

Roda no Bahia Outlet Center debate o protagonismo da mulher em DIÁLOGOS SUBVERSIVOS


Foto: Quereres Fotografia

Uma série de encontros mensais gratuitos foi idealizada para a troca de experiência sobre, com e para mulheres, em celebração à construção coletiva de experiências entre mulheres. As atividades saúdam o protagonismo feminino ao trazer luz às ações e iniciativas comandadas por mulheres. A estreia acontece no dia 01 de junho, a partir das 16h, no Shopping Bahia Outlet Center (no Uruguai), e traz como mote central o debate “SER MÃE É UM ATO POLÍTICO”.

“O nosso maior desejo ao difundir o conhecimento é instrumentalizar mulheres, sobretudo negras, mães e periféricas. As mulheres têm muito a dizer, a contribuir e fortalecer. Acreditamos no diálogo como uma rede colaborativa, espaço de troca de experiências e fomento de saberes, onde elas poderão, inclusive, ser acolhidas entre suas iguais”, ressalta Sâmara Azevedo, professora da rede pública, educadora social e ativista.

Ela, que também é fundadora do Coletivo de Cacheadas e Crespas de Salvador ao lado da fotógrafa Ana Paula Couto, lidera a produção dos DIÁLOGOS SUBVERSIVOS junto com a jornalista e diretora da Agência Arruda, Chris Sacramento, que pontua: “É o momento de fortalecer cada iniciativa nossa. Como Comunicóloga entendo que o lugar e a hora de fala das mulheres precisam ser assegurados e exaltados socialmente, e é justamente esse o mérito e principal objetivo, em essência, dos Diálogos”.

VOZ AMPLIFICADA – Os presentes na estreia da série, no dia 01 de junho, no Shopping Bahia Outlet Center, no Uruguai, irão acompanhar o desenrolar emblemática conversa sobre como “SER MÃE É UM ATO POLÍTICO”. Assim a primeira roda trará calorosa e consistente troca principalmente acerca das questões que atingem as mães negras e periféricas. A moderadora, Sâmara Azevedo, recebe no primeiro dia dos DIÁLOGOS SUBVERSIVOS: Cibele Marina (atriz, roteirista e pesquisadora), Lorena Conceição (instagramer e digital consciente), Marron Paulilo (diretora e atriz) e Tayane Souza (tatuadora e arteterapeuta). Em cena, a trajetórias delas enquanto mães-políticas. Aberto ao público, sujeito à capacidade do local.

AGENDA >>>> Nos próximos meses as discussões giram em torno do empreender feminino e do empoderamento negro, em alusão ao Julho das Pretas.

SERVIÇO

SÉRIE DIÁLOGOS SUBVERSIVOS –– “SER MÃE É UM ATO POLÍTICO”.

Quando | 01 de junho, a partir das 16h

Onde | Shopping Bahia Outlet Center

Endereço: Rua do Uruguay, 753 – Uruguai

Gratuito

Informações: @AgenciaArruda e @Cachecrespas_ssa