Campanha arrecada fundos para documentário sobre a trajetória de uma mestra de capoeira


 

Foto Fernando Gomes

 

A vida da capoeirista Cleonice Damasceno Silva, mulher negra, mãe, trabalhadora, conhecida como Mestra Preguiça, será protagonista do documentário “Preguiça é história: a trajetória de uma mestra”.

Para a produção audiovisual ser realizada, o coletivo idealizador do projeto, formado por profissionais de diferentes áreas do conhecimento e regiões do país, também capoeiristas, irão lançar a Campanha “Preguiça é História” de financiamento coletivo para cobrir todos os custos da pré-produção e produção  do documentário.

A meta de arrecadação é de   R$110.000,00 (cento e dez mil reais) e as doações poderão ser feitas a partir do dia 23 de maio, através da plataforma Vakinha: www.linktr.ee/docmestrapreguica.

Nascida no Nordeste da Amaralina, em Salvador/BA, onde mora até hoje, Mestra Preguiça (46 anos), inicia sua história na capoeira quando criança na década de 1980. Sua história se concretiza em uma trajetória de ancestralidade viva, marcada pela força feminina, pela ocupação de diversos lugares e diversas funções no universo predominantemente masculino da capoeira na Bahia, no Brasil e no mundo. A partir de seus estudos, trabalho e dedicação, a Mestra Preguiça formou-se em Capoeira Regional e concluiu processos de especialização na Filhos de Bimba Escola de Capoeira. Há mais de três décadas desenvolve diversas atividades relacionadas à capoeira no Brasil, nos  EUA e diversos países da Europa.

O documentário que recebe o nome de “Preguiça é história: a trajetória de uma mestra” foi idealizado por Silvonilson Souza Santos (Biriba). A organização, pesquisa, pré-produção e produção estão sendo realizadas pelo coletivo de diversos profissionais, também capoeiristas, formado por Christine Zonzon; Claudia Prestes (Tropicana); Cleonice Damasceno Silva (Mestra Preguiça); Juliana Costa Santos Dias (Caneta); Manoel Nascimento Machado (Mestre Nenel); Matheus Araújo dos Santos (Calango); Renata Fonseca (Coração) e Rodrigo Tanze Brancaleão (Pavaroti). Todas as etapas do documentário foram construídas com a participação e predominância das vozes e perspectivas femininas, marcando assim a presença e o valor da mulher na capoeira, a partir da história de uma mulher negra.

CAMPANHA 

A campanha “Preguiça é História” pretende arrecadar R$110.000,00 (cento e dez mil reais) do dia 23 de maio até 23 de julho. O valor será utilizado para cobrir os custos de prestadores de serviço, produção, captação e edição do documentário. As contribuições podem de qualquer valor a partir de R$25 (vinte e cinco reais), através da plataforma virtual Vakinha (www.linktr.ee/docmestrapreguica). As formas de pagamento são PIX, cartão de crédito ou boleto. As pessoas que fizerem doação acima de R$100, terão como recompensa uma vaga para (o/um) aulão especial com a Mestra Preguiça, que terá data e horário a serem definidos e informados com antecedência.

SERVIÇO
Campanha: “Preguiça é história –  a trajetória de uma mestra”
Período: de 23 de maio a 23 de julho
Vakinha: www.linktr.ee/docmestrapreguica

Maurício Ramos estreia novo show solo de stand-up comed “Ramos com Tudo”


Foto Cristóbal Fraga

 

O ator comediante e roteirista baiano Maurício Ramos estreia, no dia 27 de maio, às 20h, seu mais novo show solo de stand-up comedy, “Ramos com Tudo”, na The Comedy House, casa de espetáculos localizada no Rio Vermelho, em Salvador. Os ingressos já estão disponíveis, e podem ser garantidos de forma antecipada pelo Sympla.

“Ramos com Tudo” reúne o melhor da performance de Maurício, que faz parte do Preto Básico, grupo de stand-up. O comediante, que tem atuação marcada por seu humor inteligente e imitações hilárias, também já atuou em dois outros solos autorais: “Mais Humor, Por Favor” e “Mau Humor – A Comédia Diária”, espetáculo indicado ao Prêmio Braskem 2015.

 “Novas estreias são sempre emocionantes, e levar para o palco novas experiências em formato de stand-up comedy, misturando reflexões necessárias sobre família, envelhecimento, paternidade, entre outras questões contemporâneas, é sempre um prazer e uma honra”, conta Maurício.

“Ramos com Tudo” – stand-up comedy com Maurício Ramos

Quando: Dia 27 de maio, às 20h

Onde: The Comedy House: Rua Conselheiro Pedro Luiz, 117 – Rio Vermelho

Ingressos à venda no Sympla: https://bityli.com/gDofL

Literatur homenageia o poeta e compositor, Capinan


Camilla França | Divulgação

Acontece de 26 a 28 de maio Circuito Literário da BahiaLiteratur, que visa fomentar a importância da literatura para a difusão da cultura e do turismo de diferentes destinos no estado. A primeira fase acontece no Museu de Arte Moderna (MAM), em Salvador.

Com programação gratuita, o evento tem como curadores o escritor Edgard Abbehusen e a jornalista Camilla França.

“A literatura ajuda na difusão de identidade cultural, despertando no leitor o desejo de ter a experiência ou de instigar a descoberta de novos locais a serem conhecidos através da experiência literária e turística”, disse Camilla França.

primeira edição faz homenagem ao poeta, cantor, compositor e músico, José Carlos Capinan. A programação conta com apresentações musicais, recitais, lançamento de livros, contação de histórias e mesas de conversas sobre diferentes temas ligados à proposta da Literatur. Nomes como Eliana Alves, Mariana Guimarães, Malu Fontes, Cássia Vale, Hugo Canuto, Ramon Cruz, Aldri Anunciação e Luana Souza falam sobre suas experiências literárias nas mesas que acontecem nos três dias.

O evento, promovido pela Mais Ações Integradas, contará com espaço reservado para promoção do livro e incentivo à leitura, e nele está planejado a participação de editoras baianas a exemplo de Caramurê, LDM, Solisluna e Edufba. A grade contará com show de Alexandre Leão, Pedro Pondé e Paroano Sai Milhó. Outras cidades da Bahia receberão o projeto itinerante.

Agenda
Circuito Literário da BahiaLiteratur
Quando: 26 a 28 de maio
Onde: Museu de Arte Moderna (MAM)
Horário:
Quinta e Sexta- Feira – 17h
Sábado – 9h30
Aberto ao público

Foto destaque: Jamile Coelho

Coletânea erótica que reúne 80 poetas LBTs é lançada em Salvador


Adriele do Carmo

 

A coletânea “Erótica – Versos Lésbicos”  será lançada em Salvador no sábado (28) , no restaurante Roma Negra (Pelourinho). O livro é inspirado no texto “Usos do erótico: o erótico como poder” da escritora, ativista lésbica e negra Audre Lorde. A coletânea “Erótica – Versos lésbicos” reúne poesias de 80 poetas LBTs do Brasil (79) e da Argentina (01).  A partir de uma chamada para a qual a princípio seriam selecionadas 30 escritoras, as organizadoras acabaram decidindo incluir todas as inscritas.

 

A produção do livro é 100% sapatão, sendo organizada pela poeta e editora carioca Daniela Wainer e pela poeta e produtora cultural baiana Adriele do Carmo. A publicação é realizada pelo selo feminista Cassias Imperiais, da editora Tucum. A identidade visual é assinada pelas designers Laryssa Ramos e Eduarda Nieto, com ilustrações de Gabriela Kalix.

“Esta coletânea é um marco não somente na história das poetas envolvidas, mas também na história do movimento lésbico brasileiro. São 80 poetas das mais diversas trajetórias em um livro. O Erótica: versos lésbicos é um panorama da produção literária de mulheres que amam mulheres no Brasil”, diz Adriele do Carmo, poeta e organizadora do livro.

O evento começará às 16hs, contando com o sarau “Erótica”, às 18hs  e  o show “Territóriamente”, da cantora e compositora soteropolitana Iane Gonzaga, às 20hs.

O que: Lançamento do livro “Erótica: versos lésbico” em Salvador

Quando: Sábado, 28.05

onde: Restaurante Roma Negra. Largo do Cruzeiro de São Francisco 7 Primeiro andar – Pelourinho, Salvador – BA.

Em cartaz o espetáculo infantojuvenil “Dandara na Terra dos Palmares” da Arte Sintonia Companhia de Teatro


O espetáculo infantojuvenil “Dandara na Terra dos Palmares”, que aborda racismo na escola e resgata ancestralidade dos negros no Brasil, será apresentado aos sábados e domingos do mês de maio, às 16h, no Teatro Sesi Rio Vermelho. A obra marca os 23 anos da Arte Sintonia Companhia de Teatro. O texto é de Antônio Marques, sob a direção de Agamenon de Abreu.

A montagem conta a história de Dandara, uma sábia criança negra, que não gosta de seu nome por sofrer bullying na escola, onde os colegas lhe chamam de escrava. Revoltada com as piadas agressivas, Dandara simula estar doente para não ir às aulas. A força das ervas medicinais faz a criança adormecer e sonhar com um lugar chamado Palmares, onde conhecerá a luta dos seus antepassados e, principalmente, a história da guerreira Dandara dos Palmares, que a faz amar o seu nome e as suas raízes.

Com canções originais de Emille Lapa e Natalyne Santos, o espetáculo conta, no elenco, com as atrizes mirins Maria Alice Xavier (ex-The Voice Kids) e Yandra Góes; os atores da companhia, Denise Correia, Gilson Garcia e Leonardo Freitas além dos atores convidados Diogo Lopes Filho e Natalyne Santos.

Os ingressos poderão ser adquiridos por meio do Sympla ou no local, no dia da apresentação, por R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia).

Com a flexibilização dos protocolos de segurança, o uso de máscara é opcional dentro do teatro, sendo obrigatória e indispensável a comprovação vacinal com o mínimo de duas doses para maiores de 11 anos.

 

Serviço
Espetáculo “Dandara na Terra dos Palmares”
Data
: 7 a 29 de maio (sábados e domingos)
Horário: 16h
Local: Teatro Sesi Rio Vermelho
Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)
Vendas: Sympla (https://www.sympla.com.br/dandara-na-terra-dos-palmares__1551438) ou no local, no dia da apresentação
Classificação: Livre
Informações: (71) 99269-8274

Power Trio Trinca de Paz lança primeiro EP homônimo em maio


 

Elinas, Lucas e Saulo | Foto Diney Araújo

 

O power trio afrobrasileiro Trinca de Paz lança no próximo dia 30 de maio – com o patrocínio da Bahiagás – o seu primeiro EP, de título homônimo e composto por 05 músicas autorais – Obá Aganju, Flecha Certeira, MarANil, Nã Ndanda (Afrodengo) e Xaxará. O álbum estará disponível nas plataformas digitais de música (Deezer, Spotify, Amazon Music e Youtube), pela distribuidora CDBABY. Em sua formação clássica de Power Trio – guitarra e efeitos, baixo e bateria/percussão e vocais, a Trinca também flerta musicalmente com os elementos de Trap, Rap, Pagotrap além das ambientações sonoras construídas pelo grupo ao vivo.

Trinca de Paz é um grupo formado em Salvador no ano de 2018, reunindo 3 músicos de trajetórias diversas na cena soteropolitana: Lucas Diniz, Saulo Viana e Elinas. A banda propõe através de suas composições, uma reflexão sobre os aspectos da ancestralidade na contemporaneidade, na perspectiva da diáspora africana nas américas e dos povos originários no Brasil.

“Todas as canções são assinadas por nós três. As composições contam histórias individuais de cada um, sendo pessoas negras em diáspora, em seus tons de pele, em suas vivências, ancestralidade e religiosidade. Algumas contam nossas histórias de relação com algum Orixá; ou mesmo uma história pessoal que é compartilhada e tem diversos atravessamentos; ou mesmo uma composição individual que já existia e que foi transportada para esse universo da Trinca”, conta Elinas.

Show

Além do lançamento do álbum intitulado, o power trio Trinca de Paz apresenta gratuitamente em junho – nas datas 04, 11 e 18, sempre às 19h – três shows no Galpão Wilson Mello, no Forte do Barbalho. A direção cênica e artística das apresentações é de Fernanda Paquelet, encenadora que faz parte da trajetória da banda.

Serviço

O quê – Trinca de Paz, lançamento de EP

Quando – 30 de maio

Onde – disponível nas plataformas digitais de música (Deezer, Spotify, Amazon Music e Youtube), pela distribuidora CDBABY.

O quê – show Trinca de Paz

Quando – 04, 11 e 18 de junho, às 19h

Onde – Galpão Wilson Mello, Forte do Barbalho

Inaicyra Falcão celebra 50 anos de carreira nas danças e nos cantos afrodiaspóricos


 

Com 50 anos de carreira nas danças e nos cantos afrodiaspóricos, a professora doutora em educação, pesquisadora do corpo em dança e intérprete soprano dramática Inaicyra Falcão, 72 anos, ocupa de 23 a 29 de maio o Teatro Molière, em Salvador, com roda de conversa (23), oficina (27 a 29) e encerra com apresentação do Concerto 3 Tempos (28), show com a multiartista e convidados.

A programação comemorativa se inicia com o bate-papo de abertura no dia 23 de maio, às 19h, intitulado “Corpo e Ancestralidade”, inspirado em título de livro homônimo de Inaicyra Falcão – “Corpo e Ancestralidade: uma proposta pluricultural de dança-arte-educação”, escrito durante tese de doutorado. O bate papo contará com mediação de Nadir Nóbrega, doutora em dança e mestra em artes cênicas pela UFBA e terá participação do coreógrafo e bailarino baiano Negrizu – mais de 40 anos de carreira.

Na programação terá a oficina Corpo em Diáspora, que ocorre de 27 a 29 de maio, de 10h às 14h, ministrada pela doutora em artes da cena Luciane Ramos Silva, no Espaço Silvestre (Praça da Sé – Centro Histórico).

“O culto ao orixá me leva desde criança a ter contato com as tradições africanas, na música, dança, comida, figurino. Era tudo integrado e já aprendi assim. Lembro que criava histórias enquanto dançava nos xirês e nos palco. Sempre fui muito dramática, sempre tive um subtexto. Inaicyra. Comemoro o ponto fora da curva que represento: mulher, negra, artista, acadêmica, inovadora nessa sociedade etnocêntrica e ter podido abrir possibilidades para pluralidades de vozes e caminhos. Comemoro o privilégio em contribuir em outras formas de constituir conhecimento, de questionar e desmistificar estereótipos socialmente intrínsecos na estruturação de racistas e colonialistas que são invisibilizados”, recorda Inaicyra

Negrizu

 

Por fim, a apresentação do Concerto 3 Tempos, em que Inaicyra Falcão estará acompanhada dos instrumentistas Gabi Guedes e Maurício Lourenço, no dia 28 de maio, às 20h. O show conta ainda com as performances de dança do consagrado dançarino e mestre griô Negrizu, da dançarina e pesquisadora Luciane Ramos Silva e da cantora e dançarina Nara Couto.

Contemplado pelo Edital Setorial de Dança 2019, OJO ODUN tem apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda, Fundação Cultural do Estado da Bahia e Secretaria de Cultura da Bahia.

Os ingressos que serão vendidos a preços acessíveis – R$20 (inteira) e R$10 (meia) – podem ser adquiridos exclusivamente pelo WhatsApp (71) 99921-2368 ou através de link no perfil do projeto @projetoojoodun.

 

Nadir Nóbrega

Serviço
O quê – projeto OJO ODUN – Bate-papo “Corpo e Ancestralidade” – com Inaicyra Falcão e o coreógrafo e bailarino baiano Negrizu – mediação de Nadir Nóbrega
Quando – 23 de maio, às 19h
Onde – Teatro Molière
Mais informações – através de link na BIO do Instagram @projetoojoodun

O quê – projeto OJO ODUN – Concerto 3 TEMPOS, com Inaicyra Falcão e os músicos Gabi Guedes e Maurício Lourenço
Quando – 28 de maio, às 20h
Onde – Teatro Molière
Ingressos – adquiridos exclusivamente pelo WhatsApp (71) 99921-2368
Mais informações – através de link na BIO do Instagram @projetoojoodun

Revista Organismo lança números 10 e 11 no Instituto Cervantes


 

Carlos Arouca

A revista de literatura brasileira contemporânea Organismo chega aos números 10 e 11 e celebra os lançamentos no próximo dia 18, às 18h, no Instituto Cervantes, na Ladeira da Barra, em Salvador. O evento, com entrada gratuita, terá a participação dos poetas organizadores, Carlos Arouca e Lubi Prates, em modalidade remota e presencial, do poeta Jorge Augusto e da intelectual negra Ana Carla Portela. O bate-papo abordará a organização da revista e a literatura contemporânea. 

Estreada em 2015, a revista Organismo tem curadoria itinerante e, a cada edição, dois poetas e/ou críticos de literatura organizam a publicação. A publicação é estruturada de forma que todas as páginas sejam destacáveis, assim, cada leitor pode, à sua vontade, reeditar os números ou a coleção inteira. 

Lubi Prates – Foto Mayara Barbosa

Serviço:

O que? Lançamentos dos números 10 e 11 da revista Organismo

Quando: dia 18 de maio, às 18h.

Onde: Instituto Cervantes, na Ladeira da Barra, Salvador.

Entrada: Gratuita

Apoio: Via Edital Setorial de Literatura 2016, com apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda, Fundação Cultural do Estado da Bahia e Secretaria de Cultura da Bahia.

Casa Rosa leva o Cortejo Afro para o Rio Vermelho


 

O projeto Cortejo Afro na Casa Rosa acontecerá todas as sextas-feiras, de 20 de maio a 17 de junho no Pátio Viração da Casa Rosa, no Rio Vermelho. A Banda Cortejo Afro traz uma batida percussiva com uma mistura de ritmos africanos mesclados às batidas eletrônicas e ao pop, intitulada de “revolução musical afro-baiana”. .

O público encontrará a programação da Casa Rosa em suas redes sociais (@casarosasalvador https://m.facebook.com/CasaRosaSSA/) e no site www.casarosasalvador.com.br

Situada em uma casa construída na primeira metade do Séc. XX, a Casa Rosa foi idealizada e viabilizada pela Associação Viração como um espaço para estimular livre criação e produção cultural, que proporciona ambientes adaptados para receber a diversidade artística-cultural da cidade: Teatro Cambará, Pátio Viração, Galeria-Foyer, Sala Rosa e Café-Bar.

 

Serviço:

Cortejo Afro na Casa Rosa

Endereço: Praça Colombo, 106 – Rio Vermelho

Data: De 20 de maio a 17 de junho, sextas-feiras, às 21h.

Ingressos: R$ 80,00 (inteira) e R$ 40,00 (meia-entrada)

Vendas – https://www.sympla.com.br/cortejo-afro-na-casa-rosa__1581059

III Mostra de Cinema Negro de São Félix está de volta com edição presencial


 

Entre os dias 19 e 22 de maio, acontece a III Mostra de Cinema Negro de São Félix com programação gratuita e presencial. Com o tema “Reescrevendo o Futuro”, a mostra traz filmes que apresentam os novos olhares e perspectivas de futuro refletidos através do audiovisual.

Além dos 15 filmes selecionados pela curadoria para a mostra competitiva, haverá mostra infantil, apresentações musicais, homenagem ao Samba de Roda do Recôncavo e masterclass com a cineasta Everlane Moraes.

O evento começa no dia 19 de maio às 18h com uma exibição especial de filmes convidados e debate no Centro Estudos dos Povos Afro-Índio-Americanos (Cepaia), em Salvador – BA. A abertura oficial acontece no dia 20 de maio, às 19h, na orla de São Félix – BA. Durante o período da mostra, os filmes poderão ser assistidos no site www.cinemanegrosf.com, onde também será possível votar.

A III Mostra de Cinema Negro de São Félix é uma produção da Corvo Vermelho e Odé Produções, com apoio da CNA Net, Departamento de Turismo e Cultura e Prefeitura Municipal de São Félix.

 

Programação completa

 

Dia 19

Sessão Especial no CEPAIA – Centro Estudos dos Povos Afro-Índio-Americanos

Local: Rua do Passo, 4 – Santo Antônio Além do Carmo, Salvador – BA

Sessão seguida de debate

 

Filmes convidados:

Adé (BA) | Direção: Marcelo Ricardo

Marvin.gif PART II (BA) | Direção: Marvin Pereira

Via Láctea (BA) | Direção: Thiago Almasy

Tempos Verbais (BA) | Direção: Ema Ribeiro

Voyá (BA) | Direção: Fanny Oliveira

 

Dia 20

Local: Orla de São Félix

19h – Abertura da Mostra

19h20 – Entrega dos troféus aos homenageados da edição

19h40 – Mostra Competitiva 01

20h30 – Shows: Nathan Gomes e A Réstia

 

Dia 21

Local: Orla de São Félix

09h – Masterclass: Experiências, Olhares e Registros com Everlane Moraes

18h – Mostra Infantil

19h – Mostra Competitiva 02

20h – Shows: MC Jayne e Grupo Afrodescendentes

 

Dia 22

15h – divulgação dos filmes premiados pelas redes sociais.