Sulivã bispo lança espetáculo gravado na sede do Ilê, no Curuzu


Doú-Alabá-Suliva-Bispo

O público vai conhecer a histórias dos personagens Edileusa e Claudionor, através do olhar ficcional dos erês, que vão falar da sua saudade do tempo de “vir em terra”, comer caruru e brincar no terreiro. A montagem inovadora, traz o estilo vídeo arte, e conta o cotidiano das novas vidas de quem abandona suas raízes ancestrais.

A interpretação dessas divindades infantis será vivida por Natalyne Santos e Sulivã Bispo, sobre o que significa não respeitar a natureza e as tradições dos seus ancestrais.

Doú Alabá (os Erês) é um espetáculo que evidencia ainda conflitos das facilidades tecnológicas do mundo contemporâneo, onde muitas crianças negras se afastam de suas tradições afro-brasileiras, para imergir boa parte do tempo em culturas virtuais e midiáticas que em nada se assemelham com suas potências identitárias em diáspora, sobretudo desde 2020, quando as aulas também passaram a ser virtuais.

O espetáculo é dirigido por Ângelo Flávio Zuhale, ator, roteirista, dramaturgo e diretor.

suliva-bispo

Doú Alabá foi contemplado no Prêmio das Artes Jorge Portugal, e tem apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.

O espetáculo será exibido no canal do Bloco Ilê Aiyê no Youtube, a partir do dia 05 de julho e fica disponível durante 7 dias na plataforma digital. Entre os dias 03 e 05 de julho serão realizadas lives no perfil do Instagram do ator Sulivã Bispo, sempre às 20h, com a participação de Rodrigo França, Babá Rodney William, e Iana Marucha cantora do Ilê, que teve sua formação musical na Banda Erê e fará uma live show.

SERVIÇO

O quê? 
Espetáculo Doú Alabá
Aonde? Canal do Bloco Ilê Aiyê no Youtube
Quando? De 5 a 11 de julho

Lives de lançamento
Instagram Sulivã Bispo @sulivabispo

Dia 05/07, às 20h com Iana Marucha, cantora da Banda Ilê Aiyê
Dia 07/07, às 20h com Rodrigo França
Dia 09/07, às 20h com Babá Rodney William

Denise Correia protagoniza o show “Afrodescendentes” no Youtube


A atriz e cantora Denise Correia vai protagonizar o show “Afrodescendentes”, dia 1º de julho, a partir das 20h, em seu canal no YouTube

A cantora, que neste novo trabalho estará acompanhada dos músicos Felipe Guedes (violão) e dos percussionistas Jean  Cerqueira e Dainho Xequerê, sob a direção musical de Levi Santos, traz no repertório toda a musicalidade negra, com canções  conhecidas do público e também autorais.

 

Você conhece Denise?

Denise Correia nasceu no Paraná, na cidade de Alvorada do Sul, e adotou Salvador desde 1988. A atriz é integrante da Arte Sintonia Companhia de Teatro. Participou de vários espetáculos musicais, sob a direção de Antônio Marques, e também atuou com outros diretores da cena teatral da capital baiana, como Fernando Guerreiro, Elísio Lopes Jr., Gil Vicente Tavares, Ângelo Flávio, Onisajé (Fernanda Júlia), Thiago Romero e Daniel Arcades. 

Na televisão, atuou na novela “Velho Chico”, da Rede Globo de Televisão, e fez parte do elenco dos filmes “Besouro”  e “Ada”. Ela também participou de séries como “Deu a Louca na Copa” e “Pequeno Gigante. Denise Correia é fundadora e vocalista da Banda Naveiadanêga e iniciou a carreira em festivais escolares na cidade onde nasceu, no Paraná.

Serviço

O que: Show “Afrodescendentes”

Quando: 1° de julho de 2021

Horário: 20h

Onde: Canal do YouTube de Denise Correia

 

Margareth Menezes reunirá novos nomes no Festival AfroPop


 

 

Vem aí o Festival AfroPop, on-line e gratuito, nos dias 10 e 11 de julho, às 19h, pelo YouTube. Terá também transmissão simultânea pela TVE Bahia, unindo artistas de diferentes gerações em um só palco.

Tendo como anfitriã a artista Margareth Menezes, o Festival AfroPop reúne nomes como Olodum, Dão, Panteras Negras feat Tulani Masai e Cronista do Morro. Margareth Menezes convida também Márcia Short para uma participação especial no primeiro dia de evento. Além dos shows musicais, o festival contará com participações em registros audiovisuais de depoimentos de grandes artistas brasileiros fundamentais na formação das referências afro-urbanas atuais.

“O AfroPop é um movimento que promove a beleza e a riqueza ancestral junto à contemporaneidade e que acolhe todos que lutam pela igualdade de direitos. É o abraço entre o tambor e o computador”, explica Margareth.

Realizado pela Giro Planejamento Cultural em parceria com a Pedra do Mar Produções, o Festival AfroPop tem apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal. O festival conta com apoio da TVE Bahia.

Serviço:
Festival AfroPop
Atrações: Margareth Menezes feat Márcia Short, Olodum, Dão, Panteras Negras feat Tulani Masai e Cronista do Morro
Data: 10 e 11 de julho de 2021 (sábado e domingo)
Horário: 19h
Exibição: YouTube Margareth Menezes (youtube.com/margarethmenezes), TVE Bahia (youtube.com/tvebahia) e pelo canal aberto de televisão TVE Bahia (canal 10).

Inscrições abertas para o 5º Slam Insubmisso, que será online


slam-insubimissos
Foto Lis Pedreira

 

Na 5ª edição, a primeira online, o Slam Insubmisso tem como tema a “Perspectivas futuras para mulheres negras nordestinas: Nossos passos vêm de longe e para onde vamos?”. O evento é uma parceria com a Fundação Rosa Luxemburgo, faz parte da programação do Julho das Pretas e completa o ciclo de atividades propostas pelo Diálogos, focadas em protagonizar artistas da palavra, pretas e nordestinas.

“Idealizamos essa ação pensando em uma perspectiva geopolítica do conhecimento e da distribuição de recursos, que hoje não é igualitária. Quando chegamos no campo artístico isso se acentua, porque as produções nordestinas são referência para todo Brasil, porém poucas vezes fortalecidas e remuneradas. Então o Slam vem para fazer essa redistribuição”, pontua Dayse Sacramento, doutoranda e idealizadora do Diálogos Insubmissos. 

A premiação em dinheiro será financiada unicamente pelo Diálogos Insubmissos, R$ 1.000,00 para o 1º lugar, R$ 500,00 para o 2º lugar e R$ 300,00 para o 3º lugar. Dentre as outras premiações estão ter trabalhos divulgados em um e-book autoral ilustrado, produzido em português e inglês e participar de uma live artística de lançamento do e-book. 

As selecionadas ainda terão participação obrigatória nas Oficinas Insubmissas, de Escrevivências de mulheres negras: abordagens epistemológicas e insubmissas como perspectiva para letramentos crítico-literários com Manoela Barbosa e Palavra – Ritual: Evocação da escrita com Stella Carvalho,  09 e 14 de julho. 

Para participar do Slam Insubmisso

Para a competição todas as inscritas serão avaliadas pelo corpo de juradas, composto por Dayse Sacramento, Manuela Barbosa, Stella Carvalho. Dessas, 7 serão selecionadas para a 1ª fase, sendo a equidade entre os 9 estados do Nordeste um fator relevante nesta escolha. Apenas 5 batalham pelo pódio final.

A participação no Slam Insubmisso é gratuita e para o ato, as artistas deverão enviar um vídeo recitando uma poesia autoral, gravado na vertical com até três minutos. Além disso, informações solicitadas no formulário de inscrição, que podem ser consultadas em detalhes no edital do Slam Insubmisso 2021

 

Para se inscrever no Slam Insubmisso 2021. 

 

Cronograma 

 

05 de julho: Encerramento das inscrições

07 de julho: Divulgação das selecionadas

19 de julho: Divulgação das selecionadas para semifinal

26 de julho: Divulgação das selecionadas para final

31 de julho: Resultado final divulgado no canal no YouTube do Diálogos Insubmissos de Mulheres Negras

Websérie de super-heroína negra será lançada neste dia 2 de julho


 

websérie-Punho-Negro

A websérie Punho Negro está de volta. Casada e mãe de dois filhos, uma heroína negra é a protagonista da obra, que será lançada neste dia 02 de julho, às 19h, no Youtube. Em cinco episódios, mais uma vez Punho Negro traz a representatividade e discute e as pressões sociais que a mulher sofre no dia a dia.

Além dos vídeos, acontecerão dez oficinas com tema “Filma AÊ – Por uma produção audiovisual sem limite”, ministradas aos sábados, de forma on-line e gratuitas, pelo Coletivo Êpa Filmes.

Nanova temporada, a heroína mostra que as dificuldades estão maiores com a pandemia. Uma protagonista diferente para o universo dos heróis, majoritariamente masculino e branco. Nela, Tereza é uma mulher que passa o dia enfrentando vilões ao se transformar na justiceira Punho Negro, mas ser uma heroína e ter super força não elimina as cobranças para cuidar da casa, do marido e dos filhos.

A tecnologia é muito presente nesta fase da websérie, como tem sido usada no dia a dia pandêmico, com vídeo chamadas e demandas de heroína via aplicativo.

Em 2018, a Websérie foi selecionada para a quarta edição do Rio WebFest, o maior festival de webséries do Hemisfério Sul, concorrendo a três categorias: Melhor Ideia Original, Melhor Atriz de Ação e Júri Popular. Sendo vencedora do prêmio de Melhor Ideia.

Edital – A segunda temporada da websérie Punho Negro, um projeto do Coletivo Êpa Filmes e realização da Mil Produções Artísticas, tem apoio da Oi Futuro e Patrocínio da Oi e do Governo do Estado, por meio do Fazcultura, Secretaria de Cultura e Secretaria da Fazenda.

Artista e professor baiano, Marcos Marinho estreia arte-fato ‘Aura’


marcos-marinho
Foto Filipe Rocha

Depois da faixa AKAI ITO, o cantor e professor Marcos Marinho entrega o seu primeiro disco solo. ‘Aura’, já disponível em todas as plataformas digitais, é música popular brasileira, completamente autoral.

 “Esse é um registro criado por uma pessoa simples, da classe trabalhadora e que, sem muitos recursos artísticos e financeiros, buscou valorizar a autenticidade e a originalidade na sua produção. Nele, expresso sentimentos e visões de mundo críticos e autocríticos, conscientes das minhas contradições próprias”, diz. 

Composto por 8 faixas que nasceram de reflexões feitas com o violão no colo, o álbum narra uma tentativa real de compreender a vida e seus altos e baixos emocionais, expondo – além de questões politicas e sociais – sensibilidade, memórias, angústia, verdades e amor. 

Nessa viagem, samba, blues, trap, reggae e uma seresta anticapitalista, cantada num flow típico de rap, se misturam. 

Para essa construção, Marcos Marinho se inspira na obra de grandes artistas da música brasileira, como Gilberto Gil, Ponto de Equilíbrio, Aldir Blanc, Cássia Éller, Milton Nascimento e tantos outros, evidenciando a natureza eclética (e sincrética) do seu trabalho.

“Não considero AURA um disco criado para agradar eruditos ou colecionadores de música. É um disco feito para pessoas de diferentes contextos sociais e estilos de vida, onde me expresso de forma simples, de modo semelhante ao que ocorre nas músicas comerciais que cresci ouvindo no rádio de minha mãe. Isso é algo de que me orgulho muito em minhas músicas”, diz. 

 

Festival Rumpilezz traz programação online e gratuita de 06 a 11 de julho


 

rumpilezz
Foto Jefferson Dias

 

O Festival Rumpilezz – Música e Pensamento retorna com a sua 1ª edição nos dias 06 a 11 de julho, com programação gratuita e transmissão no YouTube da Rumpilezz, reunindo, entre outros nomes, Larissa Luz, Baco Exu do Blues, Lazzo Matumbi, Márcia Short, Mou Brasil e artistas internacionais “sob a batuta” do maestro Letieres Leite, idealizador do evento.

O objetivo é difundir o Método de ensino musical UPB (Universo Percussivo Baiano), criado pelo maestro, e destacar o legado dos ritmos de matriz africana na constituição da música brasileira.

Serviço:

Festival Rumpilezz – Música e Pensamento 2021

06 a 11 de julho

Gratuito

Programação:

  • Oficina UPB Petrobras – Como identificar fundamentos rítmicos para execução musical?: dia 06 de julho, das 14h às 17h

  • Oficina UPB Petrobras II – Como pensar arranjo e composição a partir dos fundamentos rítmicos?: dia 07 de julho, das 14h às 17h

    • Ministrante: Letieres Leite

    • Aberta ao público

  • Lançamento do clipe “Cante pra Chamar”, do Laboratório experimental Rumpilezzinho com Larissa Luz: dia 08 de julho, às 20h

  • Lançamento do clipe “Oração à Vitória”, do Laboratório experimental Rumpilezzinho com Baco Exu do Blues: dia 09 de julho, às 20h

  • Concerto Instalação: Letieres Leite, Junix, Szabolcs Bognár (Hungria) e Hock Ernő (Hungria), com produção de Edbrass – dia 10 de julho, às 20h

  • Show Letieres Leite Quinteto convida Mou Brasil: dia 11 de julho, às 20h

  • Show Orkestra Rumpilezz convida Lazzo Matumbi e Márcia Short: dia 11 de julho, às 21h

  • Websérie:

    • Episódio 01: “Clementina – Nosso passos vêm de longe” (O machismo e a misoginia na música): dia 06 de julho

    • Episódio 02: “Eunice – Racismo x Axé Music”dia 07 de julho

    • Episódio 03: “Amina – UPB – a Escola, o Método e o Legado”dia 08 de julho

    • Episódio 04: “Zenzile – Perspectivas e Caminhos de futuro” (Orquestra Rumpilezzinho)dia 09 de julho

Transmissão: Youtube da Rumpilezz (https://www.youtube.com/c/Rumpilezz)

Abertas inscrições para Edital Jovens Embaixadoras 2021


saúde mulher negra

O processo seletivo para a escolha das 17 novas Jovens Embaixadoras ECOWOMEN está  aberto até 10 de julho. O projeto, que é realizado pela organização PEACE (Paz, Educação Ambiental e Consciência Ecológica), em parceria com o MudArt (Movimento Universidade Arte Transformática), selecionará mulheres com idade de 15 a 21 anos que estejam cursando o ensino médio na rede pública.

As jovens selecionadas participarão de oficinas e orientações para estruturação de projetos sociais em suas comunidades, que, ao final, estarão prontos para submissão em editais nacionais e internacionais de apoio.

A inscrição será gratuita e a seleção ocorrerá através de três etapas, sendo a primeira composta por preenchimento do formulário de cadastro, pelo qual serão enviados: (a) os documentos solicitados; (b) o link de apresentação da candidata e de seu projeto; e (c) prova de redação tratando sobre seu projeto proposto. A segunda etapa da seleção será através de 04 encontros síncronos, que serão tanto classificatórios quanto eliminatórios. Por último, a terceira etapa será uma entrevista virtual.

Os projetos propostos pelas jovens devem estar alinhados com os 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas. Durante o programa, as jovens deverão cumprir uma carga horária durante 03 meses, período no qual elas participarão de aulas, oficinas, lives e outras atividades afins. Informações mais detalhadas estarão disponíveis no site www.ecowomen.com.br.

Serviço
O QUÊ:  Seleção de Jovens Embaixadoras ECOWOMEN 2021
QUANDO: Até 10 de julho
ONDE: Site www.ecowomen.com.br

Ilê Aiyê realiza 2ª FEIRAIYÊ de 28 de junho a 1º de julho


 

mulher_negra_pesquindo

Feira de Empreendedoras Criativas – FEIRAIYÊ, realizada pelo Ilê Aiyê, entra na sua segunda edição, desta vez online.  e em contexto de pandemia, o que fortalece o seu propósito de capacitar e promover oportunidades de negócios para mulheres negras, indígenas e ciganas.

A programação vai de 28 de junho a 1º de julho com sete atividades, entre mentoria, oficinas e painéis, que abordam temas que vão desde a presença digital até gestão financeira, passando por gestão do tempo e sustentabilidade. (ver abaixo programação completa)

Para a mentoria “Presença Digital” e as oficinas “Jornada de Acolhimento às Empreendedoras” e “Gestão Financeira”, as interessadas devem se inscrever no link https://linktr.ee/feiraiye. Já os painéis, cujos temas são “Empreendedorismo e Identidade – Transformando sonhos”, “Empreendendo na Pandemia – Case Kit Glossy”, “Autocuidado e Gestão do Tempo” e “Empreendedorismo e Sustentabilidade, terão transmissão com acesso livre no YouTube.

O público que a FEIRAIYÊ pretende atingir – mulheres negras, indígenas e ciganas – é um dos critérios da seleção para a mentoria e oficinas, que têm vagas limitadas.

PROGRAMAÇÃO:

  • Mentoria: Presença Digital

Dias: 28, 29, 30/06 e 01/07 (segunda a quinta)

Sobre: O principal objetivo desta Mentoria é ajudar a construir caminhos e diálogos online, estimulando o processo criativo e dando visibilidade ao perfil profissional a fim de atrair conexões importantes para promover networking em rede e divulgação estratégica do trabalho.

Assuntos abordados na Mentoria: Mentalidade Empreendedora; Marketing de Atração; Mídias Sociais;

Com: Juliana Almeida @pretapretinhaart

Afro miscigenada, mulher negra, percussionisya e capoeirista. Possui formação em Comunicação Publicidade e Propaganda, empreende desde 2015 no projeto autoral Preta Pretinha Comunicação & Art como caminho independente e impulsor de experimentações com a comunicação, marketing e gestão artística. Possui também experiência em técnicas corporais com a capoeira, samba de roda, maracatu e hatha yoga.

  • Oficina: Jornada de Acolhimento

Dias: 29 e 30/06 (terça e quarta), 8h às 12h

Sobre: A atividade busca estimular a reflexão sobre o autocuidado, diante de uma jornada tão exaustiva como a da mulher empreendedora. A partir da autopercepção e autoanálise, as empreendedoras terão acesso a técnicas e ferramentas para uma atuação empreendedora mais leve e mais saudável.

Com: Nara Peixoto @_narapeixoto

Nara Peixoto é arteterapeuta junguiana com especialização em Psicologia e Relações Raciais pelo Instituto Amma Psique e Negritude. Atua em atendimentos clínicos individuais e em grupo voltados para saúde mental da população negra. Atua também facilitando processos de aceleração de negócios e desenvolvimento profissional de afroempreendedores e empreendedores da periferia. Já atuou profissionalmente junto ao Instituto Feira Preta/Afrolab, a Vale do Dendê, a Rede CenAfro, ao Empreende Aí, entre outras organizações.

  • Painel: Empreendedorismo e Identidade – Transformando sonhos

Dia: 29/06 (terça), às 14h

Sobre: Luakam Anambém teve sua infância roubada pelo trabalho infantil, mas resignificou suas dores através das Bonecas Anaty, uma valorização da etnia Anambé e outros povos originários de sua região, no Pará. As origens de Luakam estão presentes em suas bonecas e em toda sua história de vida. Através das bonecas artesanais reafirma sua identidade e também fortalece outras mulheres com o projeto Mãos de Fadas.

Com: Luakam Anambé

Empreendedora, inspirada por sua neta e seu povo da etnia Anambé criou a linha de bonecas artesanais Anaty. Hoje, com o seu trabalho, ajuda as crianças de sua aldeia a terem o direito de brincar.

  • Painel: Empreendendo na Pandemia – Case Kit Glossy

Dia: 29/06 (terça), às 16h

Sobre: Como mecanismo de autocuidado durante a pandemia, Iajima Silena abraçou o lema SUAR O CORPO ALIVIA A MENTE, um convite ao movimento como estratégia de bem viver. Em parceria com Jennifer Bomfim, traçou a estratégia de lançamento do Kit Glossy, composto por body, copo personalizado e alta dose de estímulo à experimentação e valorização do corpo real. O kit esgotou em uma semana.

 

Com: Iajima Silena @iajima

Comunicadora de formação e tem pós graduação Marketing e Branding. Atua como gestora de marca e redes sociais de pequenos empreendimentos e projetos culturais. Na cultura e no cinema, tem experiência com produção, assistência de direção e produção de elenco. É produtora e diretora artística do espetáculo Somos Todas Clandestinas (2015). É a idealizadora da marca SUAR O CORPO ALIVIA A MENTE que já impactou dezenas de mulheres desde 2020.

Com: Jennifer Bomfim @jennifer.mktbranding

Gestora de marketing com passagem no varejo, online e offline, com vivência na gestão e experiência de marca, que acredita ser o caminho para construir um elo com os novos consumidores. Usa sua expertise para fomentar pequenos negócios da economia criativa, também através da Feira Criativa Sul Baiana que acontece em Itabuna, na qual é produtora executiva.

  • Painel: Autocuidado e Gestão do Tempo

Dia 30/06 (quarta), às 14h

Sobre: Hundira Cunha traz uma reflexão sobre planejamento a partir do pensamento acolhedor. Compreendendo a carga de trabalho exaustiva das mulheres que empreendem, principalmente as mães, propõe estratégias de autocuidado e gestão do tempo.

Com: Hundira Cunha @comadredindinha

É matrigestora da Comadre Dindinha, criadora da linha de carregadores de bebê Na Kakunda, Terapeuta Corporal, Doula e Educadora Perinatal. Realiza mentorias de negócios para mulheres . Guia vivências para o autocuidado; Oferece suporte físico, emocional e organizacional para mulheres puérperas; Articula uma rede de mais de 200 mulheres que se apoiam e se cuidam.

  • Painel: Empreendedorismo e Sustentabilidade

Dia: 30/06 (quarta), às 16h

Sobre: Cada vez mais urgente pensarmos nos impactos promovidos pelos empreendimentos e pensarmos em soluções sustentáveis. Hellen Nzinga fala sobre suas experiências à frente de projetos sustentáveis e sobre a plataforma de empreendedorismo sustentável recém-lançada.

 

Com: Hellen Nzinga @ecociclooficial

Gestora de projetos sustentáveis, premiada por projetos de educação e tecnologia foi reconhecida pelo fundo internacional Baobá como uma das lideranças 2020-2021 negras mais influentes do Brasil.  Hoje Hellen é co-fundadora e executiva em EcoCiclo, marca que desenvolveu o absorvente brasileiro 100% biodegradável, e que expandiu seu impacto através de sua plataforma que investe no empreendedorismo sustentável, geração de renda e educação de mulheres.

  • Oficina: Gestão Financeira

Dias: 01/07 (quinta), 8h às 12h e 14h às 18h

Sobre: Na oficina, a administradora e Ludmyla Oliveira apresenta ferramentas de desenvolvimento e crescimento para negócios, a partir de uma boa gestão financeira.

Com: Ludmyla Oliveira @ludmylaaoliveira

Administradora, Empreendedora Social, Consultora Financeira especialista em Gestão Financeira. Pesquisadora e Ativista em Educação Financeira para construção da emancipação Financeira feminina e periférica. Palestrante, Mentora e Facilitadora em projetos de Impacto Social com foco no desenvolvimento de negócios e empreendedorismo Feminino, Afrocentrado e Periférico, realizando workshops e treinamentos.

 

 

Com produção audiovisual demulheres pretas, Larissa Alves lança seu novo clipe


.

Foto Fabiola Silva

 

“Eu Queria Que Fosse Leve” marca a volta de Larissa Alves para Bahia, sua terra natal, depois de 8 anos em diáspora paulista. O single saiu em todas as plataformas de música nesta sexta-feira, 25 de junho, e terá seu clipe lançado no YouTube na próxima terça, 29. 

Em uma produção audiovisual realizada por uma equipe de seis mulheres negras, a artista, que é também Relações Públicas, estreia como diretora audiovisual. A música “Eu Queria Que Fosse Leve” fala de amor e pandemia, o suspiro de relações passageiras que deixam saudade do que ainda não foi vivido por conta do contexto. 

“A canção foi escrita no início da pandemia, em um apartamento no centro de São Paulo, por essa mulher se percebendo adulta, cheia de incertezas e montanha russa de sentimentos. O refrão surgiu como uma súplica por dias melhores, melhores relacionamentos, melhores trocas com outras pessoas.E ter uma equipe  de mulheres negras, trouxe leveza a todo processo”, reflete Larissa.

Perfis nas redes sociais:

Instagram / Facebook / YouTube / Twitter: @larissaalvesok