Casa Preta receberá espetáculo “Rebola Celebrate” nesta sexta (26)


rebolathiagoalmasy

Nesta sexta (26), o Teatro da Queda apresentará o espetáculo “Rebola Celebrate”, no “Enxurrada Casa Preta”, às 20h. Será na Casa Preta (bairro Dois de Julho). A entrada é gratuita.

Rebola Celebrate é inspirado em um dos grupos de teatro mais importantes do Brasil na década de 70, os Dzi Croquettes, trazendo à tona a história do fechamento de um estabelecimento gay em que Lobo, o proprietário, em meio ao difícil cenário do segmento, está desacreditado do espaço.

Inconformados, jovens atores transformistas bolam uma noite dançante e cheia de números cômicos, com muito rebolado, para convencer a Lobo de não fechar o bar. “Rebola foi resultado de um processo vivido no Beco dos Artistas e nasce como um ato político a favor do amor, do respeito e da cidade”, pontuou Romero, que dirige a peça. O texto é de Daniel Arcades e a direção musical de Jarbas Bittencourt.

O ENXURRADA CASA PRETA é um projeto aprovado pelo Edital Setorial de Dinamização de Espaços Culturais 2016, realizado pelo Aldeia Coletivo Cênico, em parceria com Ateliê Cenográfico Maurício Pedrosa, Casa Preta, Grupo Vilavox, BM&G Consultoria Advogacia, Nzazi produções e com apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura da Bahia.

SERVIÇO

Espetáculo Rebola Celebrate, no Enxurrada Casa Preta

Data/Hora: 26 de maio (sexta), às 20h

Local: Casa Preta (rua Areal de Cima, bairro Dois de Julho)

Entrada Gratuita

Vai rolar a Iª Mostra Cine Dendê em Cajazeiras de 26 a 28 de maio!


cinema negro

Vai rolar a Iª MOSTRA CINE DENDÊ, de 26 a 28 de maio, em Cajazeiras. Com inscrições encerradas no início do mês, a mostra tem como objetivo criar um diálogo com realizadores e produtores das periferias de Salvador.

Além da Mostra de Curtas, vão rolar os Dendebates, Oficinas de Vídeo e Sarau Poético. A mostra tem apoio do JACA – Juventude Ativista de Cajazeiras, do Coletivo ZeferinaS, com produção do CACINBA e do Copecine. Vai ter ainda oficina pra ensinar as etapas do fazer audiovisual, discutir o processo técnico e criativo.

A oficina será dividida em dois dias (sábado e domingo), com a duração de 04 horas para cada dia, resultando no total de carga horária de 08 horas e com direito ao certificado no final.

O resultado final será 04 filmes de 01 minuto feitos de maneira coletiva pelos participantes. A oficina será ministrada pelo Coletivo Ambulante de Cinema Baiano – CACINBA. O/A interessado/a deve preencher a ficha de inscrição

As Oficinas acontecerão nos dias 20 e 21 de maio, das 13h às 17h, na sede do JACA em Cajazeiras V. Serão 20 vagas para um público com faixa etária a partir de 12 anos.

Veja a programação da Mostra:

Sexta – 26 de maio:
-18:00 – Mostra dos Filmes
Local: Quadra Cajazeiras 5
Sábado – 27 de maio:
–  9:00 – Dendebate: O que é Cinema Periférico?
Local: Sede do JACA
 -13:00 – Oficina de Realização de Vídeos Nós por Nós
Local: Sede do JACA
-18:00 – Mostra dos Filmes
Local: Praça de Cajazeiras 5
Domingo – 28 de maio:
–  9:00 – Dendebate: O que é Cinema Periférico?
Local: Sede do JACA
 -13:00 – Oficina de Realização de Vídeos Nós por Nós
Local: Sede do JACA
-18:00 – Mostra dos Filmes
Local: Praça de Cajazeiras 5

 

Dendebates

1º O que é Cinema Periférico?

2º Cinema de auto-representação, quem somos?

| SERVIÇO |

O que: Iª MOSTRA CINE DENDÊ
Quando: De 26 a 28 de maio
Onde: Sede do JACA (Juventude Ativista de Cajazeiras) – Cajazeiras 5
Quanto: Entrada Gratuita

Mercado Negro – Feira de empreendedorxs negrxs comemora 1 ano do OCUPA PRETO


ocupa preto
Foto: Kawe N. Nzangi

Em parceria com o SLAM da Quadra, o Ocupa [email protected], inicia seu projeto  “Mercado Negro”- Feira da resignificação, que busca dialogar com empreendedores negros e negras, por meio de uma feira multicultural, onde se debaterá estratégias de driblar o racismo e as diversas identidades. Será na quadra do São Caetano, dia 25 de maio (quinta-feira), a partir das 14h e é aberto ao público.

A partir de uma nova forma de se fazer o discurso, através das diferentes narrativas, o Ocupa [email protected], realizará desfiles plus-size,oficinas, rodas de conversas e as artes, através de um sarau da quadra.

Segundo Ícaro Jorge, diretor do Ocupa Preto, a ideia surgiu a partir de uma pesquisa do Data Favela, que diz que negros cada vez mais estão empreendendo.

“Eu como empreendedor, militante e movimentador, não posso deixar de dizer que feiras como essas são formas de fazer o nosso dinheiro rodar entre os nossos.” disse.

Além disso, a feira da resignificação, tem a perspectiva de comemorar o aniversário de um ano do Ocupa Preto, que se iniciou em 20 de maio de 2016 e, desde então, vem fazendo ações como os #OCUPAECONVERSAs, o Aulão de redação A favela Vive, o Luau Empretou e o canal do youtube.

 

#Residência – III Chá da Diversidade discute a não-binaridade de gênero


malayka
Malayka SN

O Grupo de Dissidência Sexual e de Gênero das Residências (GDR) da UFBA organiza o III Chá da Diversidade no dia 27 de maio, na Residência Universitária (R1) localizada no Corredor da Vitória.

Lá, o grupo propõe a discussão sobre a não-binaridade de gênero. O Chá da Diversidade é um projeto anual do GDR e esse ano se apresenta com o formato de um talk-show que tem como tema “nem um, nem outra, todes”.

Chá da Diversidade
Kiki e os Amores Clandestinos

Vai ter..

Ícaro Stos Amancio, Integrante do Grupo de Estudos FEMPOS/PósColonialidade, Feminismos e Epistemologias Anti-Hegemônicas – UNILAB e Colunista da Revista Flor de Dendê na pasta gêneros e diversidade; e, Be Brustolim, Ativista Não-Binária de Gênero Fluído do Coletivo N-Bonde e AnarcoPunk. Elxs vão apresentar ao público um diálogo aberto entre as teorias desenvolvidas na academia e de grupos e coletivos de pessoas não-binárias.

Vai ter também a performer Malayka SN e Yuretta Santanna, Cantora e Poetisa Transgênera. Ambas abordam o processo de generificação dos corpos e suas performatividades a partir de suas produções de arte. A música fica por conta de Kiki e os Amores Clandestinos.

“O evento discutirá uma temática que é nova e ainda pouco discutida, é a oportunidade de por em prática o que vemos na academia, tirar dúvidas e conhecer melhor nosso universo, que é a proposta da nova cara do grupo”, aposta Junior Silva, Presidente do GDR.

Chegue!

O QUE: III Chá da Diversidade

DIA: 27 de maio

HORÁRIO: 18hrs

ONDE: Av. Sete de Setembro, nº 2382 – Corredor da Vitória, Residência Universitária (R1)

QUANTO: Entrada Franca

#TerçasPretas – Jack Elesbão leva solo “Entre Linhas” ao Teatro Vila Velha


jack elesbao

No dia 23 de maio, o solo “Entre Linhas”, interpretado por Jaqueline Elesbão será a presentado no Teatro Vila Velha. A obra tem como temática central as diversas expressões da violência contra a mulher, interpretadas através de movimentos do corpo e sons.

Na performance, Elesbão expõe a violência de ordem psicológica, emocional e sexual, e denuncia o processo cultural de silenciamento do discurso feminino desde sua formação até os dias atuais.

Ao longo do espetáculo, a coreógrafa Jack Elesbão inverte os papéis de vítima e algoz. Em sua atuação, ela traz elementos históricos, a exemplo da máscara de flandres – usada pela lendária escrava Anastácia nas sessões de tortura pelo seu senhor –, o sutiã (utensílio simbólico da liberdade feminina na década de 60) e o salto alto, símbolo de poder e independência da mulher na contemporaneidade, são alguns exemplos).

O espetáculo integra a programação do projeto “Terças Pretas” do Bando de Teatro Olodum, ocupando o Teatro Vila Velha, em Salvador, com poesia, literatura e espetáculos teatrais.

Chegue lá…

23/05 | terça | 19h

R$ 20 e 10

Sala Principal Teatro Vila Velha

Vovó Cici e Mateus Aleluia abrem Festival de Música nas Escolas


vovo cici
Vovó Cici

“Áfricas na Gente” é um projeto de democratização cultural, musicalização e cultura afro-brasileira criado pela “Rede Somus – Música Bahia”. O projeto vai e realizar festivais de música com atividades de arte educação em 20 escolas públicas estaduais de Cajazeiras e entorno.

O projeto acontece durante o segundo semestre de 2017, mas será lançado nesta segunda (22), a partir das 15h30 no Espaço Xisto Bahia, nos Barris. Lá terá Roda de Conversa com Vovó Cici e Mateus Aleluia, com acesso ao público no sistema “Pague Quanto Quiser”.

O projeto “Áfricas na Gente – Festival de Música nas Escolas” tem como propósito maior enaltecer a cultura afro-brasileira e trazer reflexão sobre a importância do povo negro para a cultura.

“Propõe a todos os envolvidos um mergulho em seu próprio cotidiano para descobrir e valorizar a influência afro cultural em suas vidas. Com isso também busca fortalecer a relação de pertencimento das crianças e jovens com seus ancestrais”.

Neste projeto a “Rede Somus” apresentará aos jovens parte de seus artistas que passeiam por diversos estilos musicais para despertar conhecimento e novas possibilidades de enxergar o mundo. Para isso, além dos shows musicais, também acontecerão oficinas artísticas e rodas de conversa.

O projeto ocupará cada escola durante um dia,com oito oficinas (ex: quadrinhos; canto; iniciação a teoria musical; som, ritmo e movimento; contrabaixo básico; criação de histórias; rádio web e violão básico), uma Roda de Conversa sobre Cultura Afro-brasileira com um estudioso da área e shows com artistas da Rede Somus.

Mateus Aleluia
Mateus Aleluia

 

Show e festivais  

O show de abertura do “Áfricas na Gente” para a comunidade de Cajazeiras está previsto para o dia 8 de julho, na Praça Regina Guimarães – Fazenda Grande III. Os festivais nas escolas (com oficinas artísticas, rodas de conversa e shows) serão realizados entre os meses de julho a novembro.

Já o encerramento do projeto culminará em um grande show no Ginásio Poliesportivo de Cajazeiras com o lançamento da coletânea musical de artistas de Rede Somus, no dia 25 de novembro.

SERVIÇO

Lançamento do projeto “Áfricas na Gente – Festival de Música nas Escolas”

Dia 22 de maio (segunda-feira), a partir das 15h30

Local: Espaço Xisto – Barris

Aberto ao público, pague o que quiser. 

Susan Kalik lança docs sobre Transgeneridade e Candomblé em Salvador


SUSAN KALIK
Susan Kalik

A diretora de teatro e audiovisual Susan Kalik, exibe, este mês em Salvador, seus documentários Cores e Flores para Tita” e “Do que aprendi com as minhas mais velhas, nos próximos dias 18 e 21 de maio, respectivamente.

DOC CORES E FLORES PARA TITA
Diego Nascimento – “Flores para Tita”

Tita
Cores e Flores para Tita, que será exibido na noite de abertura da Mostra 10 anos do CUS – Grupo de Pesquisa Cultural e Sexualidade (UFBA), às 18h30, no Teatro do Goethe-Institut (Corredor da Vitória).

Ele fala, especialmente, de um homem trans, do jovem Renato Tita, suicidado “pela sociedade” aos 15 anos de idade na década de 70. Traz ainda depoimentos de outras pessoas trans que também sofreram com a violência, preconceito e transfobia.

No dia seguinte ao CUS, Cores e Flores para Tita será exibido na Casa Preta, localizada no bairro Dois de Julho, às 19h, na programação LGBT da ocupação artística Enxurrada na Aldeia, do Aldeia Coletivo Cênico. No espaço as pessoas poderão visitar a exposição fotográfica homônima da foto-ativista Andrea Magnoni,  inspiração para o documentário.

do que aprendi com minhas mais velhas

Do que aprendi com minhas mais velhas
O doc traz, em seu enredo, a religião do Candomblé e evidencia sua peculiaridade de ser uma religião baseada nos princípios de senioridade e ancestralidade, ou seja, uma crença que valoriza a experiência e o conhecimento dos mais velhos. É dirigido por Susan Kalik em parceria com Fernanda Júlia Onisajé.

O média-metragem será exibido pela segunda vez na Bahia na 11° Mostra de Cinema e Direitos Humanos, realizada pelo Ministério dos Direitos Humanos no dia 21 de maio, às 16h, na Sala Walter Silveira.

Programe-se:

Cores e Flores para Tita – Dia 18 de maio, 18h30

Onde: Mostra 10 anos do CUS, no Teatro do Goethe-Institut (Corredor da Vitória)

Do que aprendi com minhas mais velhas – Dia 21 de maio, 16h

Onde: Sala Walter Silveira (Barris)

Gratuito

Em oito cidades: Preta, vem de bike!


La Frida Bike

Um projeto feminino de cicloativistas negras que roda a cidade, unindo a bicicleta com inclusão social, igualdade étnica e igualdade de gênero. Assim se define o La Frida Bike que, de Salvador, agora vai ganhar o Brasil, depois de já ter ensinado a arte do pedalar a mais de 100 mulheres.

Com o projeto “Preta, vem de bike!” – no mês de maio – as minas vão levar a mobilidade urbana, além da orla, fazendo-a chegar também nas periferias. Serão aulas de bike para meninas da periferia, fazendo-as ocupar espaços com confiança, segurança e autoestima.

“O Preta, vem de bike!” tem a função de abraçar nós mulheres, trazendo-nos de forma gradativa para o mundo da mobilidade urbana consciente.” 

La Frida Bike

O projeto – que tem o apoio do Banco Itaú e parceira com a Bike Anjo – começa este mês, e estará em oito cidades pelo Brasil: São Paulo-SP, Rio de Janeiro-RJ, Belo Horizonte-MG, Fortaleza- CE, Aracaju-SE, Recife-PE, Florianópolis-SC e Porto Alegre- RS.

Quer ser voluntária neste projeto? Saiba como aqui. 

Além  das aulas, terá também coleta de bikes para restauração ou doação para as meninas que não possuam uma. O projeto que já ensinou mais de 100 mulheres a pedalar tem como objetivo criar  uma rede de mulheres negras que pedalam e melhorar a mobilidade das mulheres da periferia.

O La Frida Bike foi capa da última edição da revista Bicicleta, ganhou Menções Honrosas na Categoria Ação Educativa e de Sensibilização do Prêmio Mobilidade 2017 e o Prêmio Frida Found.



Inscreva-se para as aulas | PRETA, VEM DE BIKE! |

Fotos: Divulgação

Casa do Benin celebra Dia da África com formação em escolas e exposição


Foto: PalomaCarvalho

A Casa do Benin vai celebrar o Dia da África – celebrado no próximo dia 25 de maio, quinta-feira. No dia 24, o projeto “A Casa vai à Escola” realiza a sua segunda edição na Escola Municipal Amélia Rodrigues, localizada no Bairro Tororó. A ação, que começa a partir das 14h, fará uma abordagem especial na temática Salvador Cidade da Música.

Sob a coordenação da arte-educadora Régia Ribeiro, o projeto vai a debater a valorização da autoestima da identidade afro-brasileira através do repertório do cantor Lazzo Matumbi.

A Casa do Benin também abriga a Exposição Fotográfica Agudás “Os brasileiros no Benin” que traz painéis com fotos e textos de Milton Guran. A mostra tem abertura nessa terça-feira (16), às 18h, e visitação gratuita de segunda a sexta, das 9h às 17h, até o dia 30 de junho.

dia da África foi instituído em 1963 com a fundação da Organização de Unidade Africana.

 

SERVIÇO

A Casa vai à Escola

Data: 24 de maio, às 14h.

Local: Escola Municipal Amélia Rodrigues (Rua Amparo do Tororó, nº 329, Tororó).

 

Exposição Fotográfica Agudás “Os brasileiros no Benin”

Data: 16 de maio, às 18h (abertura).

Visitação: de segunda a sexta, das 9h às 17h, até o dia 30 de junho.

Local: Casa do Benin (Rua Padre Agostinho Gomes, n º 17, Pelourinho).

Mostra CUS 10 anos terá Mc Linn da Quebrada, Malayka SN, TransBatukada e muito mais!


Mc Linn da Quebrada,
Mc Linn da Quebrada,

Os 10 anos do grupo de pesquisa Cultura e Sexualidade (CUS) da Universidade Federal da Bahia serão comemorados em grande estilo. A Mostra CUS 10 anos vai trazer talk shows, oficinas e outras novidades nos dias 18, 19 e 20 de maio.

Todas as atividades acontecerão no ICBA (Corredor da Vitória), em Salvador. Mas um grande destaque da programação já está confirmado: a presença de Mc Linn da Quebrada, que fará show na Praça Pedro Arcanjo, Pelourinho – dia 20 de maio.

Mc Linn declarou para a Folha de S Paulo que vai trazer para o evento do CUS sua “mensagem de bicha travesti da zona leste” de São Paulo. Os ingressos serão vendidos a R$ 20/10 durante o evento no ICBA.

Malayka
Malayka

Além do show, terá ainda a performance de Malayka SN, Estranhas Marujo 2017, Nina Codorna, TransBatukada e Alan CostaUma das presenças confirmadas também é a da drag Ah Teodoro, vencedora do concurso Estranha Marujo 2017.

Em 2015, no Seminário Internacional Desfazendo Gênero, o CUS  trouxe a filósofa, Judith Butler para Salvador.

Veja programação da Mostra completa!