Voz potente do jazz, Jonathan Ferr faz show na Casa da Mãe


 

Foto Renan Oliveira

Garoto porta-estandarte do Jazz carioca. Assim é reconhecido o artista Jonathan Ferr, que fará show na Casa da Mãe (Rio Vermelho), nesta quinta-feira (3). Em outubro de 2021 Jonathan foi um dos artistas convidados a homenagear Djavan no importante Prêmio UBC ( União Brasileira de Compositores) . E no mesmo mês foi anunciado pelo YouTube, como um dos quatro artistas brasileiros selecionados para o programa YouTube Black Voices.

Entre o Hip Hop, Rock, R&B, Eletrônico e outras sonoridades urbanas, suas produções são baseadas no afrofuturismo, que que se expressa em percepções e projeções dos negros no mundo futurista, colocando-se sempre em protagonismo.

A abertura da Casa da Mãe, que fica na  Rua Guedes Cabral, 81, no Rio Vermelho, é às 19h. É prudente preciso fazer reserva pelo telefone 71 98732-5803. O bar e restaurante segue todas as normas e diretrizes dos órgãos de saúde com o uso obrigatório de máscara, apresentação de comprovante de vacinação e distanciamento entre mesas, entre outros.

Quinta-feira – Show de Jonathan Ferr, dia 03.02, às 21h – couvert R$ 45,00

#LGBTQIA+ – Vai rolar “Paulilo Paredão” no Santo Antônio Além do Carmo


Foto João Lima

Já ouviu falar no “Paulilo Paredão”?

Vai rolar neste sábado (5), na na Casa Cultural do Reggae (Santo Antônio). Evento dedicado ao público LGBTQIA+, pretende reunir artistas independentes da cidade para celebrar sua existência e a diversidade na cena underground de Salvador.

“Nosso intuito é introduzir pessoas trans no mercado artístico. Vamos dar a aula de como usar o equipamento, seguir um repertório, criar identidade musical e de como vender seu trabalho”, explica Paulilo.

O público terá disponível, dentre outras ações, o Ciclo de Oficinas gratuitas, voltado exclusivamente para pessoas trans no mercado artístico. As inscrições estão abertas até às 23h59 desta quarta-feira (2), as oficinas acontecem na quinta-feira (3), na Casa Charriot às 15h e 16h. A primeira será a Oficina de Vogue, realizada pela Haus of Tremme e em seguida, a Oficina de DJ Set Iniciante, realizada por Paulilo e Tia Carol.

Nascido em Pernambués, o evento é reconhecido como o primeiro paredão 120% LGBTQIA + da Bahia. O Paulilo Paredão é um movimento de rua, que fortalece a rua e fomenta o comércio local, artistas da cena underground e corpos dissidentes que sentem neste espaço conforto e representatividade.

Os convidados para a comemoração de três anos são: Paulilo (part. Robb e Theon), Tia Carol, Fresh Prince da Bahia, Wari, Yuri Andrew (PE), Salira, Belle, Evylin, Mary Jane Beck, Nininha Problemática e Miguella Magnata, artistas já conhecidos na cena LGBTQIA+ de Salvador.

Serviço:

Aniversário de três anos do Paulilo Paredão
Data: 5 de fevereiro
Horário: 15h

Local: Casa Cultural Reggae,Rua do Passo, n° 30, Santo Antônio Além do Carmo.

Ingressos: R$10 e R$15 no Sympla https://tinyurl.com/2yzd7a4f

Atrações: Paulilo (part. Robb e Theon), Tia Carol, Fresh Prince da Bahia, Wari, Yuri Andrew (PE), Salira, Belle, Evylin, Mary Jane Beck, Nininha Problemática e Miguella Magnata.

Mostra de documentários evidencia o fazer de realizadores negros e suas comunidades


 

Apresentar e difundir histórias de artistas e realizadores periféricos por meio do Audiovisual. Esse é o intento do projeto Ideia.Doc – Mostra Periférica de Documentários, que acontece de 03 a 10 de fevereiro. 

“Registrar a memória e compartilhá-las com nossos pares é fomentar a valorização dos espaços invisibilizados pela lógica racista que silencia as comunidades negras e estimular que mais narrativas surjam”, diz Claudio Nyack, um dos idealizadores do projeto.

O público poderá acompanhar e interagir com as exibições dos documentários, que trazem perspectivas em torno da realidade sócio-cultural na Bahia, como também valorizar e potencializar a memória e história das comunidades. 

A programação conta com os documentários: A Outra Salvador, Um Olhar (Nuance), Que Mata Escura é essa? e Nossas mestras e nossos mestres. Todos serão exibidos e reexibidos pelos canais da CiaElementos e da Panela de Barro, sempre às 20h e os bate-papos acontecem no Instagram onde os realizadores apresentarão seus processos de produção e a importância dos registros e memórias da comunidade. 

O projeto tem apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura (Prêmio Cultura na Palma da Mão/PABB) via Lei Aldir Blanc, redirecionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.

Serviço

 

O quê: Ideia.Doc – Mostra Periférica de Documentários 

Quando: 03 a 10 de Fevereiro de 2022 – 20:00

Onde: Canal do Youtube (CiaElementos e da Panela de Barro)  

Quanto custa: Gratuito

Informações? https://linklist.bio/ciaelementos

Escritora, intérprete e cantora Zeferina lança o livro de poesias “Rio Vermelho” 


 

A escritora, intérprete e cantora Zeferina lança o livro de poesias Rio Vermelho no próximo dia 03 de fevereiro, às 20h, na Casa Preta Espaço de Cultura, no bairro Dois de Julho. A multiartista apresentará a sonoridade de suas poesias acompanhada do músico Caio Zan. O livro conta através das poesias as fases da vida de Zeferina: menina, mulher, mãe solo, candomblecista, casada, divorciada e bissexual.

“Quando falamos de literatura de mulheres negras e LGBTQ+ precisamos construir argumentos que ampliem e agreguem tal comunidade. Nas poesias habitam várias faces de mim, em vozes distintas e unicelulares. Uma busca para encontrar a cura da alma de todas elas. Feito rio que encontra o mar, que carrega histórias de vidas passadas no ontem, que já não é o presente no instante, ao que sublinha o possível despertar no amanhã”, fala Zeferina.

Serviço:
O quê: Lançamento de Livro e Pocket Show Rio Vermelho
Quando: 03 de fevereiro, às 20h
Onde: Casa Preta Espaço de Cultura
Ingressos: R$ 20,00 – pelo Sympla e no local
Uso obrigatório de máscara e apresentação de carteira de vacinação

 

#Denúncia – Cineasta e diretora Andreza Mona sofre atropelamento no Rio de Janeiro


 

A cineasta e diretora de fotografia Andreza Mona foi atropelada em São Gonçalo, região metropolitana do Rio de Janeiro, no último dia 7. O motorista fugiu sem prestar socorro, mas o acidente foi registrado por uma câmera de vídeo do condomínio Novas Cores, bairro Neves, em frente ao local do acidente.

O atropelamento deixou sequelas e, mesmo com elas, a jovem foi negligenciada em dois hospitais da região. Negra, de Salvador (BA), ela diz que foi tratada como louca – embora as imagens não deixem dúvida sobre a gravidade do acidente. “Eu supostamente não tive fraturas, mas ainda estou com muitas dores, mais de duas semanas depois, e não sei se são normais”, diz a vítima.

Segundo ela, seu plano de saúde – do convênio Hapvida – também está atrapalhando. “Eles estão burocratizando o atendimento desde que estive no Rio. Tenho medo de ficar com sequelas permanentes por causa disso.”

E ainda resta a questão do criminoso. Ele não foi identificado, mas poderia ter sido, se houvesse uma investigação adequada. Por incrível que pareça, entretanto, o atropelamento e fuga não foi registrado pela polícia, embora a notificação por parte do hospital seja compulsória. “Eles não registraram nada”, disse Andreza.

O vídeo do atropelamento pode ser assistido no instagram @dezzamona, no qual também encontram-se informações para colaboração da vakinha para recuperação da mesma.

 

Ajude Mona a se reerguer, clicando aqui. 

PIX: [email protected]

Inscrições abertas para oficinas do projeto Crioula Laboratório de Artes Integradas


 

Monica Santana

O projeto Crioula Laboratório de Artes Integradas, iniciativa idealizada pela dramaturga e educomunicadora Mônica Santana, em parceria com a fotógrafa Priscila Fulô e a arte-educadora e produtora cultural Ramona Gayão vai oferecer, em formato remoto e síncrono, uma série de oficinas gratuitas em linguagens artísticas e do campo da produção cultural para jovens artistas e produtores culturais, bem como pessoas interessadas em ter vivências e ferramentas nas linguagens artísticas.

Pessoas interessadas podem se inscrever para as oficinas gratuitas Escrita Criativa e Performativa, Desenvolvimento de Ensaios Fotográficos com Celular, Comunicação para projetos artísticos, Elaboração de Projetos Culturais. Serão 40 vagas, preferencialmente  para jovens artistas periféricos, estudantes e adultos que desejem vivenciar processos artísticos de modo prático e conhecer as dinâmicas de comunicação e produção para iniciativas culturais. Inscrições serão online no site https://www.crioulaartesintegradas.com.br/.

Os produtos gerados nas oficinas serão disponibilizados no site do projeto, possibilitando acessar textos, imagens e dicas de conteúdos dadas pelas ministrantes.

Serviço

Inscrições abertas para Oficinas Crioula Laboratório de Artes Integradas (Escrita Criativa, Fotografia, Elaboração de Projetos Culturais e Comunicação para Projetos Culturais)

Inscrições no site: https://www.crioulaartesintegradas.com.br/

 

Websérie “Na Rédea Curta” tem nova temporada pelo Fundo Vozes Negras do YouTube


 

Com esse primeiro episódio, a segunda temporada da websérie Na Rédea Curta terá novos conteúdos e episódios lançados semanalmente nas redes sociais do programa. Será sempre às quartas-feiras, 20h, ficando exclusivo para o YouTube durante uma semana. Isso acontecerá por, pelo menos, 12 meses, período de duração do Fundo Vozes Negras do Youtube.

O fundo é iniciativa mundial promovida pelo YouTube para apoiar criadores e artistas negros, que recebem recursos para investir em produção de conteúdo nos seus canais.

A dupla Júnior e Mainha também estreia nos cinemas com um longa-metragem – Na Rédea Curta – O Filme, com lançamento previsto para o segundo semestre.

Com o investimento, a produção contará com mais na qualidade audiovisual dos episódios, com filmagem em 4K, elenco do núcleo alternativo expandido, com mais de 30 novas participações de artistas e influencers, e muitas gravações em locações externas.

“Os convites contemplam a nossa vontade tanto de reconhecer o talento de profissionais que estão no teatro há um tempo e buscam novos espaços para divulgar seu trabalho, quanto de dialogar com a galera que está no rolê da Internet e que irá contribuir para a nova temporada reverberar entre seus seguidores, num alcance cruzado. As parcerias de afeto também são sempre um critério para a seleção do elenco”, comenta Thiago Almasy.

A nova fase contará ainda com uma Lojinha Virtual e a criação do Clube de Membros, por meio do qual assinantes poderão ter acesso a conteúdos exclusivos, como vídeos, posts, transmissões ao vivo e até emojis. “Além dos episódios da websérie, iremos realizar lives com a intenção de aproximar nossos fãs dos personagens de Júnior e Mainha através dos recursos de interação do Super Chat”, adianta Sulivã.

Coletivo Surdarte lança a primeira edição da Mostra Negra de Arte Surda LGBTQIA+ (Monas+)


 

Elinilson Soares

Oficinas de dança, poesia e outras ações em Libras (Língua Brasileira de Sinais). Assim será a I edição da Mostra Negra de Arte Surda LGBTQIA+ (Monas+), que vai acontecer entre os meses de fevereiro e março. A Monas+ abordará acessibilidade e religiosidade afro-brasileira para tratar da comunidade surda e como ela acessa e exerce a sua ancestralidade em terreiros de candomblé, espaços que ainda encontram dificuldades na comunicação em Libras.

 

“Quando vejo a oportunidade de desenvolver esse projeto, lembro da minha trajetória no Teatroescola, onde tive acesso à arte e a possibilidade de discutir acessibilidade como professor de Libras. Nessa época, eu tive contato com a proposta de poesia surda no formato de Slam, por meio do artista paulistano Edinho Poesia. De lá pra cá, fundei o projeto “Mãos Axé”, que incentiva a poesia em nossa comunidade surda, e agora em parceria com outros artistas surdes e ouvintes, criamos o projeto Monas+ com o objetivo de propagar para o maior número de pessoas que tem interesse em um mundo mais acessível e com autonomia para todes”, conta Elinilson Soares, um dos idealizadores do projeto.

Serão as oficinas “Libras Básica”, para pessoas ouvintes de religião de matriz africana; “Poesia Surda”, com foco em surdos e ouvintes fluentes em Libras, e “Vibra Dança”, que propõe ao público surdo uma nova experiência de percepção e entendimento do som por meio da vibração utilizando a dança dos orixás.  Além de debates sobre estudos em torno da terminologia afro-brasileira e os processos de tradução do Iorubá para a Libras culminarão o mês de fevereiro por meio das plataformas digitais do projeto.

Para mais informações é possível entrar em contato por meio do perfil do coletivo no Instagram (@surdarte). As inscrições podem ser realizadas gratuitamente até o dia 5 de fevereiro por meio do formulário on-line acessível em libras (https://bit.ly/3KMFJd4) e o resultado das inscrições ocorre no dia 6 de fevereiro. Os inscritos terão direito a certificado emitido pelo Teatroescola.

Afrocidade estreia seu primeiro álbum “Vivão”


 

O grupo Afrocidade estreia seu primeiro álbum “Vivão”, trazendo a música como instrumento pedagógico, trazendo uma mistura de ritmos das variadas expressões da música negra.

“Nossas influências vem do pagode, o arrocha, a música afro, do rap, do dub Jamaicano, o reggae, o ragga e o afrobeat, que resulta em uma música afro-baiana politizada, popular e contagiante”, explica Eric Mazzone, diretor musical do projeto.

O álbum que conta com 08 faixas inéditas e duas vinhetas, tem a produção musical do Afrocidade em parceria com Mahal Pita, que também assina a composição da faixa Topo do Mundo junto com MCDO. Já Luedji Luna participa da música Lua BrancaNildes Bonfim na vinheta “Canoeiro” e Léo Mendes na guitarra na música 304 cantada e composta por Nanda.

A banda é formada por Eric Mazzone (voz, bateria e direção musical), José Macedo (voz), Fernanda Maia (voz e percussão), Rafael Lima (percussão), Marley Lima (baixo), Sulivan Nunes (teclado), Fal Silva (Guitarra) e a dupla de bailarinos Ghuto Cabral e Deivite Marcel.

Ouça aqui: https://links.altafonte.com/vivao

Quantas vezes você já foi amado? Baco Exu do Blues em seu 3º álbum!


 

O cantor e compositor Baco Exu do Blues desponta nas paradas musicais com seu 3º álbum “Quantas vezes você já foi amado?” (QVVJFA). Já são mais de 2.1M de plays em menos de 24h do lançamento e tem todas as faixas no TOP 200.

O disco fala da forma de um homem preto receber e dar afeto. O álbum traz feats com Gal Costa, Vinicius de Moraes (em samples), Gloria Groove e Muse Maya. E ainda trechos de Batatinha e Originais do Samba, além de áudios de personalidades da música da Bahia como Ravi Lobo do Rap Nova Era, JF e Polêmico da Banda O Metrô e o ator Leandro Ramos.

“‘Quantas vezes você já foi amado’ é uma pergunta que deixa todo mundo desconfortável. No meu caso, eu fui amado várias vezes, mas fui pouco ensinado a receber esse amor. Isso fez parecer que quase nunca fui amado porque o amor é um ciclo que só se completa quando uma pessoa está te entregando aquilo e você consegue receber e passar de volta de alguma forma. Comigo foi sempre diferente. Eu sentia que as pessoas estavam jogando aquele amor, aquele afeto em mim, mas eu não conseguia sentir 100%. Ficava desconfiado pela trajetória de vida que tenho”, desabafa o artista.

 

ASSISTA: