Afoxé Filhos do Congo realiza 37ª Feijoada


afoxe

O Afoxé Filhos do Congo realiza no próximo dia 30 (domingo), dua 37º Feijoada, na quadra do Afoxé, localizada no fim de linha da Boca da Mata, Cajazeiras. O Afoxé se constitui uma das manifestações culturais mais longevas do Carnaval da Bahia, cujas origens remontam o século XIX. O evento é aberto ao público e contará ainda com desfile infantil da Negrif.

Serviço
Quando: 30 de outubro, 12h
Onde: Quadra do Afoxé Filhos do Congo (Setor 7, caminho 48, Casa 03 Fim de linha da Boca da Mata, Cajazeiras, Salvador – BA) Quanto: GRATUITO

Workshop sobre toques sacros será ministrado por Gabi Guedes no CFA


Foto: Jamile Amine
Foto: Jamile Amine

O músico Gabi Guedes ministra o workshop Vivência Percussiva em Ritmos Afro Religiosos, no Centro de Formação em Artes (CFA) da Fundação Cultural do estado da Bahia (Funceb). A aula acontece no dia 25 de outubro, terça-feira, no período da manhã e no período da tarde. Serão disponibilizadas 20 vagas. “Trabalharemos as técnicas Open, Slap, Swip, Baixo e outras utilizadas para obter uma sonoridade limpa e dinâmica com os atabaques”, explica o professor.

Gabi Guedes é maître de percussão e Alabé Chefe do Ilê Omin Axé Iyá Massê e do Terreiro do Gantois. É também referência rítmica da Bahia na comunicação e transmissão de conhecimento dos tambores sacros afro-baianos. Trabalhou com Jimmy Cliff durante 10 anos. Em 2016 participou da cerimônia de encerramento das olimpíadas RIO2016, no estádio do Maracanã, como instrumentista e arranjador da apresentação do Hino Nacional Brasileiro ao som de atabaques.

No conteúdo do workshop, Gabi também inclui a fusão com toques de nação Jeje como: Savalu, Brawum, Avaninha, Agabi. O músico introduzirá toques da nação angolana, sem utilização de aguidavi para tocar os ritmos Barra-vento, Congo, Cabula Munjola, Samba de Caboclo, tendo a oralidade como base nos estudos rítmicos. De acordo com o músico, a proposta do workshop é “eternizar o legado que nos foi deixado pelo maior tocador de atabaques do Brasil (Vadinho Boca de Ferramenta), Alabe do terreiro Ile Iya Omi Axe Iyamasse (Mãe Menininha do Gantois ), além de trabalhar toques da nação Ketu como – Vassi, Ilu, Bruwum, Agere, Opanije, Sato, Hamunha, Awo. A ação no CFA tem coordenação de Edu Fagundes.

Conheça Gabi Guedes

Percussionista da Orkestra Rumpilezz há 10 anos, Gabi iniciou a trajetória artística aos 9 anos, quando participou da peça O espírito do menino do planeta Terra, dirigido pelo cineasta José Agripino de Paula. Em 1985 atuou na Orkestra de Emilia Biancardi. Participou do Fest Percusionale, Berlin (1989); do projeto Pata-Bahia com Norbert Stein (1998); do encontro de percussão em Berlin – Fest der Kontinente (2000); projeto Born to Samba, Munique, Hanburgo (2007); Afro Bossa Nova, com Armandinho e Paulo Moura (2008); encontro de percussionista da Ufba, na programação do PercPan (2008); Tudo é Percussão 2, homenagem à musicóloga Emilia Biancardi (2009).

Serviço:

Vivência Percussiva em Ritmos Afro Religiosos
Com: Gabi Guedes
Quando: 25 de outubro, terça-feira, no período da manhã e da tarde
Valor: R$ 70
Vagas: 20
Informações: 3117-6452

3Grãos realiza 4ª edição do Sotero Por Elas com debate e oficinas dia 29


soteroA 3Grãos realiza no próximo dia 29 (sábado), a 4ª edição do “Sotero Por Elas”, propondo diálogos sobre produção cultural feita pelas mulheres na cidade de Salvador.

Na ocasião, os debates ocorrerão na Roda de conversa “Mulheres na produção cultural de Salvador.”, com a participação da Gordiva, Vegan, Feminista, Graffiteira, Youtuber, Sista Katia; a graduanda em Jornalismo (UFBA) Val Benvindo, que atua há oito anos na área de produção, integrando a equipe de produção do Bloco Afro Ilê Aiyê e do Coletivo Criativo N. Tem também a DJ Nai Sena, do Coletivo Boom Clap, que vem se destacando no cenário com seus sets baseados em vertentes da música jamaicana como raggamuffin, dancehall e reggaeton.

Além do papo, terá também Oficinas de Stencil, realizada por Ramsestencil, com um bate papo sobre produção de estampas (inscrições no email [email protected]) e de Turbantes, com a Turbante.se. Esta será gratuita, com exposição de tecidos exclusivos, nacionais e internacionas, e ambas começarão 13hs.A Oficina de Stencil tem o custo de R$70.

Mais informações: [email protected]

Encontro sobre amores negros baseará novo livro de Cidinha da Silva


cidinhaNo dia 28 de outubro, uma sexta-feira, todos os caminhos de quem entende a relação entre Amor e Literatura guiarão para o Centro de Estudos Afro Orientais (CEAO/UFBA), no Dois de Julho. A partir das 18h, a escritora, prosadora e dramaturga Cidinha da Silva realiza a Roda de Conversa “Me conte a história do seu negro amor”, que pretende recolher e recontar histórias de amor protagonizadas por pessoas negras. O evento é aberto ao público.

Serão encontros presenciais, momentos virtuais, recepção de narrativas escritas de próprio punho, digitadas e até datilografadas, tudo será subsídio para Cidinha criar histórias de seu novo livro. Cidinha explica a iniciativa de falar de amor neste momento. “As juventudes negras, principalmente o segmento das mulheres, têm demonstrado interesse (e necessidade) crescente de discutir as relações afetivo-sexuais entre pessoas negras. Precisamos de espaços públicos, abertos e protegidos para expressar nossos afetos e para falar sobre eles”, ela diz.

“O Amor sempre demandou de nós muitas dores: a dor de perder, de não poder, de não saber… Mas, nós existimos para além do racismo (Graças a Deus); o Amor entre nós, por nós é o que nos salva todos os dias!” (Urânia Munzanzu – poeta e jornalista). 

O evento criado no Facebook já está bombando e não é pra menos. A expectativa neste assunto tem sido alvo de muitas reflexões em encontros sucessivos na cidade. Para Sheu Nascimento, há lacunas, por exemplo, quanto a narrativas sobre o amor lésbico preto. “Eu, como uma mulher negra e lésbica, sinto falta de histórias que envolvem o nosso dia a dia e que é onde se faz presente os afetos e amor entre mulheres. O racismo e a lesbofobia não tem economizado estratégias pra deslegitimar e apagar a existência de nós que somos negras e amamos outras mulheres. Isso se configura em algo muito violento, pois cria um substrato social onde é negado a nós essa possibilidade de amar”, diz.

Sheu Nascimento
Sheu Nascimento

“Espaços como este vem, justamente, quebrar essa lógica, visando romper com o silêncio que abafa as nossas relações e, também, com caricaturas que giram em torno das afetividades LGBTs.” (Sheu Nascimento – negra, lésbica e militante LGBT)

De acordo com Cidinha, é preciso demarcar territórios para os amores pretos na(s) cidade(s). “Muito tem se falado sobre a solidão da mulher negra de diferentes gerações, mas existem também histórias de amor a serem contadas. Histórias de mulheres lésbicas, de mulheres trans, de mulheres cis; de homens gays, trans, cis; todos negros e negras. Histórias que emocionarão a todas as pessoas quando conhecidas”, diz.

Lembrando: as histórias lá compartilhadas servirão como base para as que serão criadas. “Não há, portanto, qualquer compromisso de fidelidade ao real (que pode também ser algo inventado pelas pessoas que resolverem partilhar conosco seus afetos”, explica Cidinha. Na ocasião, o escritor Fábio Mandingo (autor de “Muito como um rei”) irá compartilhar com o público o processo criativo de suas histórias de amor.

Se liga:

Roda de ConversaMe conte a história do seu negro amor”

Dia: 28/10 (sexta-feira), 18h

Local: CEAO (Dois de Julho)

Entrada Gratuita

Inaicyra Falcão realiza evento cultural aberto ao público dia 25


Foto: Renato Cândido
Foto: Renato Cândido

 

A professora doutora e cantora lírica Inaicyra Falcão realiza no dia 25 de outubro, às 19h, no CEAO (Centro de Estudos Afro-orientais da UFBA), o evento “Olhares Encontro Etnolírico-Destino SP”, a programação será composta por um Pocket show da artista, que estará acompanhada da musicista Sanara Rocha.O evento é gratuito e trata-se de uma contrapartida do Projeto Encontro Etnolírico-Destino São Paulo que celebrou, em setembro, seus 30 anos de carreira.

Na sequência será feita a primeira exibição de um curta documentário produzido pelo cineasta Ailton Pinheiro no qual o público poderá conferir momentos do intercâmbio cultural realizado entre Inaicyra e o Grupo Paulista Runsó, em São Paulo, no último mês.

Já o encerramento será marcado por um bate-papo com a plateia. Este projeto foi contemplado no Edital de Mobilidade Artística e Cultural 2016, conta com o apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura da Bahia.

Ela

Inaicyra é cantora lírica, professora doutora, livre-docente, pesquisadora das tradições africano-brasileiras, na educação e nas artes performáticas. Graduada em Dança pela Universidade Federal da Bahia, com mestrado em Artes Teatrais pela Universidade de Ibadan na Nigéria, doutora em Educação pela USP e livre docente na área de Práticas Interpretativas pela Universidade Estadual de Campinas.

SERVIÇO

O QUÊ: Olhares Encontro Etnolírico- Destino SP (Pocket show/ Vídeo/BatE-papo)

QUANDO: 25 de outubro de 2016 (Terça-feira)

HORÁRIO: 19h

Local: CEAO-UFBA (Praça Gen. Inocêncio Galvão, 42 – Dois de Julho, Salvador – BA)

INGRESSO: entrada franca

CONTATO: 9.93702929 (Josi Acosta-Produtora Executiva)

Marcha do Empoderamento Crespo realiza Encontrão neste sábado (22)


13094125_1701558176776717_362797128583597992_n“Seguiremos em marcha até que todas sejamos livres de imposições racistas.” Com essa convicção, a Marcha do Empoderamento Crespo (MEC) convida geral para o Encontrão de Crespas e Cacheadas neste sábado (22), às 14h na Uneb (Cabula), que se encontra ocupada por estudantes mobilizados contra a PEC 241. As organizadoras propõem um momento de solidariedade, troca e fortalecimento entre mulheres negras neste Encontrão, que é uma Pré-Marcha, uma oportunidade também de discutir a realização da II Marcha este ano.

Em 2015, a I MEC reuniu mais de quatro mil pessoas nas ruas do centro de Salvador e, neste Encontro amanhã o intuito é proporcionar às crespas e cacheadas uma manhã de força coletiva, em formato de roda de conversa, onde mulheres serão convidadas a contar suas histórias e trajetória crespa/cacheada através da transição capilar. “É um acolhimento de mulheres negras que se reconhecem umas às outras, trocam experiências sobre racismo, feminismos, elas trabalham essa auto estima que revoluciona, empodera e as engaja nos círculos políticos. O Encontro nos fortalece e nos lembram que estamos juntas”, diz Naira Gomes, uma das articuladoras da MEC (veja artigo de Naira Gomes aqui no Portal sobre o tema).

Estão nesta lista, Sâmara Azevedo, moderadora do grupo “Cacheadas e Crespas de Salvador”, Rose Hapuque, blogueira e youtuber do “Meu cabelo tipo 4”, Tainnã Sousa, moderadora do “Seu cabelo nossa identidade”, dentre outras. O convite está feito nas redes sociais: “Venha com seu maior turbante, seu cabelo trançado, raspado, em transição, com sua juba colorida, ou descolorida, mas venha!”. É só chegar!

Empodera, Cidade Nova!
Empodera, Cidade Nova!

Estudantes da UFBA realizam aulão PRÉ ENEM dias 22 e 29


estudantes-cotas
Foto: Pragmatismo Político

Estudantes da Universidade Federal da Bahia realizam, nos dias 22 e 29 de outubro, um aulão pré-Enem com o intuito de criar uma nova perspectiva para a educação, defendendo um maior acesso à universidade. A iniciativa partiu do estudante Matheus de Morais, graduando do Bacharelado Interdisciplinar em Artes na Universidade, quando visualizou diversos amigos no Facebook se disponibilizando para tirar dúvidas, até aulas presenciais. O aulão acontecerá na Universidade Federal da Bahia (espaço a definir), das 8h às 17h, com limite de vagas e ajuda de custo de R$2.

A partir de uma corrente realizada na rede social, e em parceria com o estudante Ìcaro Jorge, graduando do Bacharelado em Humanidades, que perceberam a oportunidade de utilizar o espaço da universidade para realizar ocupações por aqueles que ainda não se encontram neste espaço, objetivando a integração entre Universidade e sociedade civil. O projeto tem como base os três eixos principais: o corpo, as técnicas e a mente, pelo entendimento de que muita das vezes o que atrapalha as e os estudantes são as dificuldades de lidar consigo mesmo na hora da prova.

O evento Pré ENEM na UFBA é voltado para os estudantes das escolas públicas de Salvador, trazendo a perspectiva de dialogar com a comunidade externa, propondo uma nova visão educacional, apresentando o projeto pedagógico do Bacharelado Interdisciplinar e auxiliando as e os estudantes na preparação para a prova. Diante disso, os estudantes de vários cursos se uniram para realizar diversas aulas, desde as mais tradicionais como Redação, Língua Portuguesa, História, Matemática, Física, Química, até as mais contemporâneas como as aulas de corpo. Nesse período acontecerá aulas, reforços e apresentações artísticas. Inscreva-se aqui!

Sarau Enegrescência relança livro na Casa de Angola este sábado (22)


evaristpjpgO Sarau Enegrescência convida soteropretos e pretas pra mais uma edição poética na Casa de Angola (Baixa dos Sapateiros), no próximo dia 22 (sábado), às 15h. Nesta edição, além dos recitais de poetas presentes, terá exibição de entrevista com a escritora Conceição Evaristo no Programa Espelho, de Lázaro Ramos e será relançado o livro Enegrescência – coletânea poética. O evento é aberto ao público.

O livro, composto por poemas de 19 poetas da Bahia e de várias regiões do Brasil, foi publicado pela Editora Ogum’s Toques, com patrocínio do Edital Arte em Toda Parte, da Fundação Gregório de Mattos, contando com prefácio da antropóloga Érica Peçanha do Nascimento (autora de Vozes Marginais na Literatura) e pósfácio da professora Ana Lúcia Silva Souza (autora de Letramentos de Reexistência – poesia, grafite, música, dança, hip-hop). O livro poderá ser adquirido a R$20. 

Enegrescência

O Projeto é um coletivo interessado em enunciar as culturas negras através da educação, da literatura e das artes em geral, através de uma proposta intercultural, entendendo-as como pilares principais para a construção de uma sociedade menos desigual e menos hierarquizada, principalmente no que tange aos seus princípios e valores. O coletivo foi criado em 2014 pelos/as poetas David Alves, Lidiane Ferreira, Gonesa Gonçalves e Fábio Cunha, que se conheceram no curso de Letras Vernáculas da Universidade Federal da Bahia.

O Sarau Enegrescência, que ocorre desde o ano de 2014 no Centro Cultural Casa de Angola na Bahia, é uma das principais atividades do Projeto, no qual visamos difundir obras de autores/as negro-brasileiros/as e africanos/as.

enegrescencia

Música negra agita Pelô neste fim de semana


Foto: André Frutuoso
Foto: André Frutuoso

Roda de conversa, oficinas de percussão e muita música movimentam a agenda cultural do Pelô durante a semana. Em destaque o show da dupla Juan e Ravena, a batida percussiva do Ilê Aiyê e o projeto Rock de Batom. A programação é apoiada pela Secretaria de Cultura do Estado da Bahia, através do Centro de Culturas Populares e Identitárias (CCPI).

Na sexta-feira (21), no Largo Pedro Archanjo, às 19h, a banda Samba Trator promove uma noite animada com muita música e ritmo contagiante. Entrada franca. Já no Largo Tereza Batista, às 19h30, quem faz a festa é o bloco afro Ilê Aiyê em mais um ensaio para o próximo carnaval. O show de abertura fica por conta da banda Negros de Fé.  Ingressos R$ 40 e 20.

Sábado (22), o projeto O Pelô Que Toca e Dança retorna ao Largo Tereza Batista, às 10h. A iniciativa idealizada pela banda Tambores do Pelô reúne jovens do Centro Histórico e adjacências em oficinas e ensaios nos quais serão trabalhados ritmo e expressão corporal. Gratuito. Mais tarde, às 14h, no Largo Pedro Archanjo, os mestres Marivaldo Paim e Vinicius Silva realizam a oficina de percussão Outubro Afro. Gratuito. A banda Samba do Pretinho sobe ao palco do Largo Pedro Archanjo, às 19h para divertir o público com um repertório que mistura diversos estilos e nuances da música baiana. Entrada franca. No Largo Tereza Batista, às 19h, tem o Encontro de Samba, que reúne as bandas Bagagem de Mão e Samba da Vizinha. Ingressos R$ 10.

No domingo (23), no Largo Pedro Archanjo, às 15h, a banda Samba de Verdade esquenta o clima com muita música e faz todo mundo dançar ao som do autêntico samba de raiz. Entrada franca. No Largo Quincas Berro D’Água, às 16h, acontece o show da banda Pagode do Pretinho. Gratuito.

Mais Pelô

Terça-feira (25), o cantor Gerônimo comanda mais uma noite no Largo Pedro Archahjo, com o show Pagador de Promessa e na ocasião o artista recebe convidados especiais para completar a festa, que se inicia às 21h. Ingressos R$ 20 e R$ 10.

Serviço

Samba Trator

Onde: Largo Pedro Archanjo

Quando: Sexta-feira, 21 de outubro, 19h

Quanto: Gratuito

Ilê Aiyê

Onde: Largo Tereza Batista

Quando: Sexta-feira, 21 de outubro, 19h30

Quanto: R$ 40 e 20

O Pelô Que Toca e Dança

Onde: Largo Tereza Batista

Quando: Sábado, 22 de outubro, 10h

Quanto: Gratuito

Outubro Afro – Oficina de Percussão

Onde: Largo Pedro Archanjo

Quando: Sábado, 22 de outubro, 14h

Quanto: Gratuito

Samba do Pretinho

Onde: Largo Pedro Archanjo

Quando: Sábado, 22 de outubro, 19h

Quanto: Gratuito

Encontro de Samba – Samba da Vizinha, Bagagem de Mão

Onde: Largo Tereza Batista

Quando: Sábado, 22 de outubro, 19h

Quanto: R$ 10

Samba de Verdade

Onde: Largo Pedro Archanjo

Quando: Domingo, 23 de outubro, 15h

Quanto: Gratuito

Pagode do Pretinho

Onde: Largo Quincas Berro D’Água

Quando: Domingo, 23 de outubro, 16h

Quanto: Gratuito

Gerônimo

Onde: Largo Pedro Archahjo

Quando: Terça-feira, 25 de outubro, 21h

Quanto: R$ 20 e R$ 10

Cia de Dança Robson Correia apresenta “Leque de Oxum” no Xisto


lequeA Cia de Dança Robson Correia apresenta nos dias 25 e 26/10, às 20h, no Espaço Xisto Bahia, sua mais nova produção “O Leque de Oxum”, em comemoração aos 12 anos da Companhia.Os ingressos terão o valor de R$ 20 ( inteira) e R$ 10 ( meia).

O Leque de Oxum levanta o questionamento sobre como dar conta de tantas facetas que envolvem o orixá Oxum, tida por religiosos de matriz africana como “a senhora dos grandes feitiços, protetora dos oráculos e guardiã dos mistérios femininos”. Talvez o mais cultuado e amado dos Orixás no Brasil e em todos os lugares atingidos pelo processo civilizatório africano na diáspora, Oxum é símbolo focal do panteão afro-brasileiro, “a grande mãe, protetora das gestantes, crianças, Yabá sedutora e vaidosa”.

A coreografia de “O Leque de Oxum” promete movimentos sutis, fortes e com forte carga de dramaticidade, o que pretende levar os espectadores a um embarque no universo de Oxum, propondo sensualidade nos corpos dos intérpretes, aspecto explorado no processo de criação.

“As investigações das movimentações deram vazão ao corpo dos dançarinos e possibilitou a releitura das faces dessa deusa do candomblé”, afirma o coreógrafo Robson Correia, que além de diretor da Cia é professor e coordenador dos Cursos Livres da Escola de Dança da FUNCEB.

Foto: André Frutuôso
Foto: André Frutuôso

A Companhia

A Cia de Dança Robson Correia nasceu em 2004 a partir do projeto carnavalesco Mata Borrão, para o carnaval do Centro Histórico de Salvador, onde continua atuando com os subprojetos a cada festa momesca. Foi oficializada em 2009 e é composta por 18 artistas de diversos segmentos da arte. Em 12 anos de existência, promove o acesso a seus espetáculos,que têm circulado por praças públicas e espaços culturais de Salvador e outras localidades, formando plateias e levando artes ao longo deste tempo.

Robson Correia

É diretor, coreógrafo e dançarino sob DRT: 2889.Iniciou sua carreira artística no ano de 1999 no projeto “Viver com Arte” da Fundação Cultural do Estado da Bahia, onde estudou técnicas de Teatro Convencional, Teatro de Rua, Dança Afro, Dança Moderna e Dança Contemporânea. Produtor, Diretor e Coreografo da Cia de Dança Robson Correia, formou-se na Escola de Dança da FUNCEB e atualmente esta cursando Licenciatura em Dança Na Universidade Federal do Estado da Bahia e é professor da Escola de Dança da Funceb desde 2008 ensinando Dança Afro e Dança Moderna.

rodson
Robson Correia

Serviço:

Espetáculo “O Leque de Oxum”

Quando: 25 e 26 de outubro, 20h

Onde: Espaço Xisto Bahia

Quanto: $20 (inteira) e $10 (meia)

Ficha Técnica:

Direção Geral e Coreografia: Robson Correia

Interpretes Co-Criadores: Cristhiane de Jesus, Estevam Costa, Luana França, Joeli silva, Willians Ferreira

Produção: Robson Correia

Assistência de Produção: Leandro Pereira

Figurino: Cid Brito

Cenografia: Jorge Alberto

Iluminação: Anderson Rodrigo

Trilha Sonora: Robson Correia

Edição de Trilha Sonora: Mauricio Daltro ( Chokito)

Revisão de Trilha Sonora e Operação de Som: José Maia

Filmagem e Edição de Vídeo: Hélio Oliveira

Operação de Projeção: Helio oliveira

Assessoria de Comunicação: Monique Reis

Fotografia: André Frutuoso e Hélio Oliveira