Arte Sintonia Cia de Teatro seleciona atrizes mirins para comporem novo elenco


Com estreia agendada para maio deste ano, o musical infantojuvenil “Dandara na Terra dos Palmares”, da Arte Sintonia Companhia de Teatro, seleciona atrizes mirins para comporem seu novo elenco. As candidatas (negras, entre 09 e 13 anos) devem enviar um vídeo de no máximo quatro minutos, falando nome, idade, recitando um texto ou um poema e cantando qualquer música de livre escolha, acompanhado de uma foto para a produção, até 24 de janeiro, pelo e-mail [email protected].

Dandara na Terra dos Palmares” tem texto inédito de Antônio Marques, sob a direção de Agamenon de Abreu e irá contar a história de Dandara, uma sábia criança negra, que não gosta de seu nome por sofrer bulling na escola, onde os colegas chamam-na de escrava. Revoltada com as piadas agressivas, Dandara simula estar doente para não ir à escola.

Sob os cuidados de sua avó, a menina pede um chá, para aplacar a sua enfermidade. Após insistência da neta, avó acaba cedendo e preparando-lhe a bebida com infusão de folhas. A força das ervas medicinais faz Dandara adormecer e sonhar com um lugar chamado Palmares, onde irá conhecer toda a luta dos seus antepassados e, principalmente, a história da nossa guerreira real Dandara dos Palmares. Este fato faz a menina amar o seu nome e as suas raízes.

Em pouco mais de duas décadas, a Arte Sintonia montou oito musicais, dos quais, três são dedicados ao público infanto-juvenil, com destaque para os infantis “H2òpera”, do autor baiano Luiz Sérgio Ramos, e “Legal, tchan, tchan, tchan!” (Indicada por duas vezes ao Prêmio Braskem de Teatro nas categorias ‘Melhor Espetáculo Infanto-Juvenil’ e ‘Revelação’ para Denise Correia), com texto e direção de Elísio Lopes Junior.

 

Mais informações (71) 99269-8274

Série “Eu, Minha House e a Minha Quebrada” estreia na Wolo TV


 

Xandy, um jovem cineasta de periferia, ganha R$500 milhões na loteria e ao invés de sumir com o dinheiro ele decide criar um reality show para investir nas personalidades da periferia. Esse é o enredo da série “Eu, Minha House e a Minha Quebrada”, criada por Diego Lisboa e dirigida por Helhão Sena e Licinio Januário.

A comédia estreia no dia 14 de janeiro na plataforma de streaming Wolo TV, é uma co-produção com os 10ocupados (10produtora) e tem no elenco grandes nomes da comédia baiana como Leozito Rocha, Dum Ice (Koskó), Cristian Bel; Lorena Rufis e Lukas Lelé (Sucrilho), Tânia Toko e Jorge Washington.

A Wolo TV é a primeira plataforma de streaming do Brasil e da América Latina com foco em produzir e distribuir para o mundo inteiro conteúdo audiovisual com protagonismo negro.

Acesse aqui.

Projeto Redes Alvorada inscreve até o próximo dia 10 de janeiro


 

As inscriçoes para o projeto Redes Alvorada seguem até o próximo dia 10 de janeiro, uma iniciativa do tradicional bloco carnavalesco de Samba que visa fortalecer e fomentar empreendedores, artistas e músicos com um curso virtual gratuito sobre redes sociais.

Assuntos como gestão, produção de conteúdo, estratégias de venda de produtos e serviços, além de ferramentas para melhoria da imagem da marca integram o projeto.

O cronograma da capacitação ainda inclui consultoria – com duração de 10 horas– sobre uso, reformulação ou atualizada de marca de forma personalizada. Uma equipe de especialistas irá selecionar os empreendimentos considerando os critérios: ser empreendedor ou artista negro/a baiano/a e uso das contas nas redes sociais Instagram e facebook. A lista dos selecionados será divulgada entre 15 e 19 deste mês.

A solenidade de abertura do Redes Alvorada irá acontecer no próximo dia 19, às 19h, na Casa de Angola.

As oficinas são: gerenciamento de redes sociais (10h), ferramentas e aplicativos virtuais (4h), comercialização na internet e atendimento/vendas online (8h), combate ao racismo (4h) e desenvolvimento sustentável de povos e comunidades tradicionais (4h).  A consultoria sobre uso, aplicação, atualização ou reformulação das marcas tem duração de 10 horas. Como resultado, as produções ao longo do curso e o perfil de cada empreendimento serão divulgados em um catálogo virtual.

As inscrições seguem até o próximo dia 10 pelo site www.blocoalvorada.org.br.

Projeto inicia polo de produtos agroecológicos em terreiros


 

Inclusão social e geração de renda. Estes são os objetivos da Associação AWA Ações Afirmativas, que lança na próxima sexta-feira (7), unidades de Produção Agroecolóogica, Integrada e Sustentável (Pais) em 20 terreiros localizados em nove municípios baianos.

O evento de lançamento acontece na Botica RHOL, rua Maciel de Cima, n°8, no Pelourinho.

“A meta é criar estratégia para que os terreiros possam desenvolver sua autonomia financeira gerando renda e, no futuro, construir o primeiro polo de produção e comercialização desses produtos em terreiros”, disse a mentora do projeto que está em fase de planejamento de atividades e tem como foco a produção de leguminosas, hortaliças e aves”, explica a bióloga e doutora em Desenvolvimento do Meio Ambiente, Sueli Conceição, que idealizou a iniciativa.

A AWA é uma organização que atua há 7 anos na Bahia, desenvolvendo projetos que visam a autonomia financeira e autogestão dos povos e comunidades tradicionais, pautados nos princípios da agroecologia, economia solidária e economia circular.

A associação foi contemplada em edital de chamamento público do governo do estado, por meio da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), empresa pública vinculada à Secretaria Estadual de Desenvolvimento Rural (SDR), em parceria com a Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi).

Segue a lista dos terreiros beneficiados:

Camaçari: Ilê Alaketu Axé Oju Omi, Terreiro Leci, Terreiro Toloya, Terreiro Omin Kushwenga e o Ilê Axé Nabeji Eruquere Adê

Candeias: Terreiro Oyá Tola

Lauro de Freitas: Terreiro Sítio de Paz, Terreiro Oyá Matamba, Ilê Axé Ópó Erinlé e Ilê Axé Obánã.

Mata de São João: Ilê Axé Oni Odé Tafarangi

Salvador: Terreiro Gantois, Ilê Axé Opô Afonjá, Terreiro Bate Folha e Terreiro Tafarodé

Barra de Pojuca: Casa do Mensageiro

Simões Filho: Ilê Axé Tombo Jitá

Vera Cruz:  Ilê Axé Gun Wtakun Uzerê

Itaparica: Terreiro Babá Tuntun e Terreiro de Oyá

Vai rolar primeiro Bailaum BLVCK BVNG do ÀTTØØXXÁ de 2022


ATTOOXXA
Foto: RONCCA

 

O ÀTTØØXXÁ está de volta com o Bailaum BLVCK BVNG no formato presencial, em uma edição especial, apresentada e patrocinada pela Natura Musical e Governo do Estado da Bahia, com o tema “Um culto Afrofuturista”. A tradicional festa da banda terá sua primeira edição de 2022, em pleno Verão da Bahia, no dia 8 de janeiro (sábado), a partir das 17h, no Trapiche Barnabé (Comércio).

Os ingressos custam R$25 (meia) e R$50 (inteira) e estão à venda no site da Sympla (https://bit.ly/IngressoBailaumBlvckBvng2022). O diferencial do Bailaum do ÀTTØØXXÁ é o formato de show com repertório extenso, três horas de música, sem pausas. A abertura do evento fica por conta da DJ Bruxa Braba e DJ Tia Carol encerra a noite.

O evento também contará com uma feira de empreendedores/as negros e negras.

Colunista do Soteropreta defende Mestrado sobre Economia Negra na UFBA


 

lucianereis

A nossa colunista Luciane Reis defende nesta quinta-feira, 23, sua dissertação de mestrado no Centro Interdisciplinar de Desenvolvimento e Gestão Social  (CIAGS), da Escola de Administração da UFBA (Universidade Federal da Bahia).

O centro tem como objeto de estudo  o desenvolvimento territorial. Conhecido como um centro de referência em gestão, este tem ao longo de sua existência orientado as políticas públicas das esferas estadual e federal, aprofundando assim as discussões sobre tecnologias sociais e inserindo-as de forma transversal em suas atividades de ensino, pesquisa e extensão.

Com o tema “MERCAFRO: PLATAFORMA DE SUPORTE AO DESENVOLVIMENTO DA INTELECTUALIDADE NEGRA”, o trabalho escrito por Luciane Reis pauta a  intelectualidade negra nos processos formativos empresariais e empreendedores brasileiros. A dissertação nasce como resultado de suas  inquietações diante dos  mais de  15 anos  transitando e atuando como técnica entre a  gestão pública e a política partidária.

Segundo a publicitária, em todos esses anos de atuação na esfera política, de gestora pública e ativista da pauta racial, ao acompanhar diferentes momentos da elaboração da política e de ações de combate ao racismo, pouco eram os momentos onde as reflexões trazidas pelos intelectuais e pensadores negros eram parte das análises sobre o que seria formulado.

“Mesmo quando os gestores  e políticos  ouviam os pensadores e intelectuais negros, em praticamente nenhum momento suas produções, entrevistas, falas e conhecimentos na pauta ou tema eram consideradas  vozes com a solução para as vulnerabilidades sociais e econômicas que pautam a realidade negra no Brasil”, afirma a pesquisadora.

A gestão pública e o Estado brasileiro sempre escutaram mas nunca ouviram o que os intelectuais negros tem produzido ao longo da história. “Não é à toa que na área corporativa o debate de diversidade, ainda que incorporado, não alterou a cor de quem tem acesso”, afirma a futura mestra. O estudo dela, ao  trazer a ausência do componente racial  nas interpretações discursivas econômicas, administrativa e de gestão, e ao analisar como essa ausência acaba impactando na forma como se constrói os processos formativos e de entendimento sobre o empreendedorismo negro, não só reflete sobre as lacunas históricas e teóricas na área empresarial, empreendedora e econômica presente nas plataformas digitais, como também apresenta uma tecnologia social capaz de estruturar informações relacionadas às temáticas e conteúdos identificados como relevantes para o ecossistema corporativo e  empreendedor negro.

A defesa da dissertação será online e acontecerá diretamente da Casa do Olodum, organização onde Luciane Reis é conselheira.

 

Confira as contribuições de Luciane reis ao Portal. 

ÀTTØØXXÁ vai selecionar cinco participantes para a Batalha de Dança


ATTOOXXA
Foto: RONCCA

O ÀTTØØXXÁ abre inscrições para selecionar cinco participantes  para a Batalha de Dança que acontecerá durante a edição especial do Bailaum BLVCK BVNG, no dia 08 de janeiro, no Trapiche Barnabé (Comércio), a partir das 17h. Os interessados em participar do concurso têm até sexta-feira, dia 24, para gravar um vídeo dançando uma música do grupo, postar no feed do Instagram e marcar o @attooxxa.

A equipe da banda escolherá 10 vídeos para participar da primeira eliminatória, que acontecerá nos stories do Instagram do ÀTTØØXXÁ, no dia 28 de dezembro. Com participação dos internautas, os cinco vídeos mais votados serão selecionados para a Batalha de Dança durante o Bailaum BLVCK BVNG. Os três mais votados pelo público no evento ganharão prêmio total de R$1 mil: primeiro lugar: R$500, segundo lugar: R$300 e terceiro lugar: R$200.

Para participar do concurso é necessário ter idade igual ou superior a 18 anos e perfil aberto no Instagram. Os mais votados na primeira eliminatória serão contactados via Instagram no dia 30 de dezembro. Os selecionados deverão comparecer ao Trapiche Barnabé (Comércio) no dia 8 de dezembro de 2022 para participar da Batalha durante o show do ÀTTØØXXÁ.

Com o objetivo de visibilizar e celebrar a música da Bahia que está fora do circuito comercial, o ÀTTØØXXÁ realiza a primeira edição do projeto Bailaum BLVCK BVNG em formato presencial após quase dois anos. Será no dia 8 de janeiro, a partir das 17h, no Trapiche Barnabé (Comércio). Os ingressos estão à venda no site da Sympla: https://bit.ly/IngressoBailaumBlvckBvng2022 e custam R$25 (meia) e R$50 (inteira).

Diaspora.Black abre inscrições para iniciativas de Afroturismo em todo o país


mulher_negra_empreendedora

 

Estão abertas até dia 26 de janeiro as inscrições para o Edital Percursos Negros, realizado pela start up Diáspora Black. A iniciativa vai mapear e apoiar com recursos técnicos e financeiros até 10 iniciativas em todo o país.

O objetivo é ampliar as narrativas negras do turismo em todas as regiões brasileiras, desenvolvendo novos roteiros de passeios e vivências focados nas memórias e culturas afro-brasileiras.

“Esse é um momento histórico para consolidar um novo turismo no Brasil, em que a gente possa se ver e se reconhecer nos principais destinos do país, a partir da nossa própria narrativa”, explica o fundador da Diaspora.Black, Carlos Humberto Silva Filho. “É a primeira iniciativa desse tipo no país e nosso objetivo é fortalecer o Afroturismo, que está em franca expansão no País nesta retomada do setor”, completa.

Em março de 2022, o Laboratório Criativo de Roteiros vai realizar oficinas abertas a partir dos principais desafios apontados pela pesquisa, como gestão financeira; construção de roteiros; storytelling e comunicação.

Também serão selecionadas até 10 iniciativas e propostas de roteiros para receber recursos financeiros, mentorias especializadas e apoio para produção de material promocional das iniciativas. A seleção será feita por uma comissão externa de curadoria, formada por profissionais de referência e associações do segmento. A previsão é que a partir de maio, os novos roteiros já estejam disponíveis para reserva.

Podem se inscrever coletivos, microempreendedores, agências ou comunidades tradicionais que já atuem ou tenham projetos para desenvolver roteiros turísticos e culturais de valorização da cultura afro-brasileira em seus territórios. O foco do mapeamento é nos territórios com potencial turístico, com abrangência nacional.

Para participar, basta preencher o formulário e encaminhar um vídeo com a descrição da iniciativa que já realiza ou que pretende desenvolver. A organização não precisa estar formalizada ou mesmo possuir MEI ou Cadastur. Serão apoiadas iniciativas novas ou já existentes, em territórios urbanos ou comunidades tradicionais de todas as regiões.

Inscrições:
https://bit.ly/LabCriativodeRoteiros

Cortejo Afro recebe o grupo Àttøøxxá no ensaio da próxima segunda-feira (20)


 

cortejo_afro

A banda Cortejo Afro recebe o grupo Àttøøxxá no Ensaio da próxima segunda-feira (20). O show acontece a partir das 20h, no Largo da Tieta (Rua das Laranjeiras – Pelourinho). Os ingressos antecipados já estão à venda no www.sanfolia.com .

ÀTTØØXXÁ – nasce da farta obsessão em atingir uma sonoridade que atenda às expectativas sobre a nova música pop baiana. A intenção é romper barreiras, dando destaque a questões que envolvem respeito e liberdade, que dizem muito sobre a necessidade de incluir a MASSA como protagonista em um novo contexto dentro das manifestações da música baiana, como o Carnaval.

PROTOCOLOS DE SAÚDE OBRIGATÓRIOS:

Para cumprimento do art. 3º do Decreto nº 20.658 de 20/08/2021, do Governo do Estado da Bahia, o certificado de ciclo de vacinação completo será cobrado na entrada (duas doses ou dose única da vacina) com, no mínimo, 15 dias de antecedência. É obrigatória a apresentação da Carteira de Vacinação (versão Impressa ou Digital).

Serviço:

Ensaio do Cortejo Afro

Ingressos: R$ 50,00 (1º lote – meia / promocional) / R$100,00 (inteira)

Convidado: Àttøøxxá

Abertura: DJ

Quando: Segunda-feira, 20/12/2021

Horário: 20h

Onde: Largo da Tieta – Rua das Laranjeiras – Pelourinho – Salvador/BA

Realização: Entidade Cultural Cortejo Afro

Parceria: Grupo San Sebastian

Apoio Institucional: PROCULTURA

Vendas: www.sanfolia.com/cortejoafro e no local do evento.

Ativista George Oliveira lança livro “Denegrir: Educação e Relações Raciais”


O Centro Cultural Casa de Angola na Bahia receberá, na próxima segunda-feira, dia 20, às 18hs, o lançamento do livro “Denegrir: Educação e Relações Raciais”, de autoria do ativista do movimento negro e escritor, George Roque Braga Oliveira. 

A obra é uma coletânea de textos que abordam a (re)construção de uma identidade negra no Brasil. Escritos ao longo de dez anos, os textos foram selecionados dentre os já publicados pelo autor em jornais, blogs e sites e conta, também, com textos inéditos. O intuito é auxiliar e orientar o debate acerca da realidade das conquistas, desafios e possíveis avanços presentes nas causas e consequências dos dilemas direcionados às experiências das populações negras.

“Diante das (in)certezas que o racismo nos provoca, dentre as diversas estratégias para mitigar as sequelas das desigualdades raciais, escrever e publicar artigos de opinião fez com que essa trajetória resiliente fosse fortalecida ao passo em que ousamos organizar e registar o pensamento como uma arma contra as opressões”, diz George.

A construção do livro segue algumas dimensões que estão consonantes com a lei 10639/03 e a importância do estudo da História da África e dos Africanos, a luta dos povos negros no Brasil, a cultura negra brasileira e a população negra na formação da sociedade nacional, resgatando a contribuição desses povos nas áreas social, econômica e política pertinentes à História do Brasil. 

 

SERVIÇO:

O que: Lançamento do livro “Denegrir” de George Oliveira;

Quando: Dia 20 de dezembro (segunda-feira), às 18h 

Onde: Casa de Angola na Bahia (Praça Veteranos, 05, Baixa dos Sapateiros, Salvador-BA  – próximo ao Corpo de Bombeiros)

Aberto ao Público  – Para participar, basta confirmar, exclusivamente, por meio do link.