Rebeca Tárique lança primeiro single autoral “Entregando-me”


Foto Italo Soares

Uma trajetória musical que passa pela MPB e por canções sobre a cultura afro-brasileira. Esse é o tom do primeiro single autoral de Rebeca Tárique, que surge com uma participação internacional: o compositor e multi-instrumentista Jasper Myers (EUA).

Rebeca é conhecida pelas performances que destacam o seu contralto e sua interpretação. No dia 19 de novembro a música já estará disponível em todas as plataformas digitais de áudio.

“É uma música diferente de tudo que já fiz. É, desta vez, um resgate do amor próprio, das relações afetivas que também fazem parte do nosso universo. Passei por um processo emocional que me abalou. Refleti em diversas áreas da minha vida: profissional, social, amorosa e as relações interpessoais. Essa retomada, principalmente nesse processo de criação do single, foi muito importante para minha vida”, ressalta Rebeca. 

“Entregando-me” foi feita em parceria com o compositor e multi-instrumentista Jasper Myers, de Chicago, nos Estados Unidos, que além de contribuir na composição, também participou da criação dos arranjos e fez duo com Rebeca Tárique.

Para Rebeca, a dupla com Jasper fez com que “revivesse” a sua paixão em relação à música. “Nós nos conhecemos em um intercâmbio musical on-line, com artistas afro- brasileiros e afro americanos. Criamos afinidade e, quando veio a proposta de escrever essa música em parceria, fluiu muito tranquilamente. Foi uma retomada de paixão”, lembra Rebeca.

Sobre Rebeca

Rebeca Tárique é cantora, compositora, produtora cultural, formada em História e mãe solo. Em sua trajetória como artista defende pautas sociais voltadas ao contexto afro-diaspórico e feminino. Além disso, Rebeca também é embaixadora do projeto Women’s Música Event Brasil (WME), uma das maiores plataformas de música, negócios e tecnologia focada no protagonismo feminino; e do projeto Favela, um hub de educação e aprendizagem empreendedora, com objetivo promover a diversidade e o desenvolvimento social, econômico e ambiental por meio do empoderamento de grupos e territórios vulnerabilizados.

 

Serviço:
Lançamento do Single “Encontrando-me”, de Rebeca Tárique e Jasper Myers
Quando: 19 de Novembro de 2021
Onde: Em todas as plataformas digitais de áudio

PRÉ- SAVE

Jornalista e compositora Luana Assiz lança clipe “Espelho de Oxum”


 

Foto: Domi Meirelles

 

Uma exaltação à ancestralidade negra no dia 20 de novembro – é o intuito do clipe “Espelho de Oxum“, da jornalista e compositora, Luana Assiz. O clipe será lançado neste sábado – Dia da Consciência Negra. A letra reverencia a yabá associada às águas doces, conhecida pela vaidade, beleza e riqueza, mas também revela uma Oxum empoderada, guerreira, dona dos caminhos da diplomacia e de uma maternidade real: que cuida, protege e prepara os filhos para o mundo.

A inspiração para a música surgiu em fevereiro deste ano, na semana do aniversário da autora, a partir de leituras sobre a cultura afro-brasileira.

“Essa música é a expressão de uma busca pela minha ancestralidade e ao mesmo tempo o efeito dos impactos da arte que consumo. Lendo “Um Defeito de Cor”, de Ana Maria Gonçalves, me deparei com as batalhas que Kehinde atravessa desde que é arrancada do reino de Daomé, em África, até a sua chegada no Brasil, para ser escravizada. E nesse período, tem um momento em que ela é salva por Oxum, falando de forma bem ampla para evitar spoiler (até porque esse é um livro que todo brasileiro deveria ler). Aquela cena foi muito marcante e ecoou em mim de tal forma que fui buscar mais informações sobre essa yabá e me conectei com ela de um jeito que desaguou nessa música. Então essa composição tem um afeto especial pra mim e eu espero que possa alcançar quem escutar de um jeito bonito também”, diz Luana.

 

De 2010 a 2015, Luana Assiz foi violonista e backing vocal do grupo de samba Sasminina, que se apresentou em bares e eventos de Salvador e região metropolitana e em 2014 lançou um EP com três músicas autorais, uma delas, “Conversa de Amiga”, composta por Luana Assiz, Laurisabel Assil e Lule Britto. Em 2016, ano de sua transição capilar, descobriu no bojo de suas raízes ancestrais a própria voz e lançou o single “Encrespei”, composta durante o processo de naturalização dos cabelos.

Faça o pré-save aqui. 

 

VEJA “ENCRESPEI”:

Filme “Terras que Libertam – histórias dos Cupertinos” coleciona prêmios


 

A liderança dos irmãos Júlio Cupertino e Jaime Cupertino no território negro quilombola na Chapada Diamantina (Bahia) é o fio condutor do filme “Terras que Libertam – histórias dos Cupertinos”. O trabalho, que lança luz sobre os conflitos e as resistências pelo direito às terras ancestrais negras, foi premiado no mês de outubro como Melhor Documentário do FIVE CONTINENTS INTERNATIONAL FILM FESTIVAL – FICOCC 5-8  (Venezuela) e em julho foi premiado  Melhor Documentário Sul Americano no International Documentary Film Awards (Eslováquia). Além da conquista de Melhor Documentário, o FICOCC premiou o filme nas categorias Melhor Documentário com Trilha Original, assinada pelo multi-instrumentista Mauricio Lourenço e Menção Especial no Prêmio de Melhor Cinematografia ao diretor de fotografia Chico Soares.

   O filme “Terras que Libertam – histórias dos Cupertinos” (veja trailer no final) conquistou também indicações em outros concursos internacionais: foi finalista do  Boden International Film Festival (BIFF) e semifinalista no Stockholm Film & Television Festival (SFTF), ambos na Suécia. Em outubro, o documentário foi selecionado para participar do 7º  FestiFrance Brasil (Festival Internacional de Cinema de Belo Horizonte).

Quando o geógrafo Diosmar Filho, pesquisador e roteirista do filme, pisou pela primeira vez no Território Quilombola de Vazante, em 2007, mergulhou na trajetória da família dos Cupertinos na defesa da comunidade contra a construção da Barragem Baraúnas e como a consciência negra sustentou essa luta territorial e social.  Anos depois, com o falecimento de Seu Júlio Cupertino, em 21 de novembro de 2014, aos 74 anos, Diosmar Filho deu início em 07 de fevereiro de 2015 às gravações do documentário com seu parceiro cinegrafista Chico Soares, fazendo o registro da memória que tem como horizonte central a história dos Cupertinos e a luta quilombola. A direção de “Terras que Libertam – histórias dos Cupertinos” é de Harisson Araújo e Diosmar Filho, com realização da Ajayô Filmes.

Narrado por Seu Jaime Cupertino, familiares de Seu Julio Cupertino, amigas e amigos da luta negra, o documentário traz também às memórias dos quilombolas em vida e luta nas terras dos territórios de Vazante, Baixão Velho, Agreste e Mocambo e Cachoeira (Seabra-BA), rompendo com a ideia de disputa silenciosa pela qual negros e negras travam para manter a ancestralidade negra e os direitos de permanecer no território. “Esse documentário não é o primeiro registro sobre quilombola no país, mas sua ideia avança na forma de memorizar a história em contemporaneidade da luta por liberdade negra quilombola no país, sendo uma importante contribuição para nosso cinema negro, ressalta Diosmar Filho.

Juliana Ribeiro homenageia a Música Preta Popular do Mundo em show no Gamboa


 

música negra juliana ribeiro
Foto: Mariana de Paula

 

No dia 20 de novembro, a cantora e compositora Juliana Ribeiro realiza uma homenagem à música preta popular do mundo (MPPM).  O show reunirá o som do Brasil, América do Norte, África do Sul e Angola

“A nossa Realeza está na nossa cultura, no samba que é a identidade nacional, no Semba de Angola, nos Spirituals Norte- Americanos, na nossa forma de compartilhar e cantar o cotidiano, no nosso suingue”, nos conta entusiasmada Juliana Ribeiro.

O lado compositora de Juliana Ribeiro será visto nas autorais do CD “Preta Brasileira”, recém lançado, em músicas como “ELLA, Dragão de Gaudí, Prá Matar Preconceito”. Além disso, a artista apresentará repertório cuidadosamente pesquisado com nomes como o angolano Paulo Flores, Elza Soares, Dona Ivone Lara, Baden Powell, Paulinho da Viola, Tom Jobim, Clementina de Jesus, Edu Lobo,  Noel Rosa, Leci Brandão, Zé Ketti, entre outrxs.

Para este show com transmissão ao vivo às 19h, Juliana Ribeiro estará acompanhada do maestro Estevam Dantas com seu Piano e Acordeon, e do multi-instrumentista Rafael Bolota.

O show será ao vivo e para adquirir o ingresso basta acessar www.teatrogamboaonline.com.br e comprar quantos ingressos quiser.

Serviço

O Quê? Show ” Suingue da Realeza” com Juliana Ribeiro

Quando: 20/11

Que horas? 19h

Ingressos: R$ 20  inteira e 10 meia

Transmissão ao vivo no  www.teatrogamboaonline.com.br

Plataforma Diálogos Insubmissos lança primeiro livro como editora


Dayse Sacramento

A plataforma literária Diálogos Insubmissos lança, no Dia da Consciência Negra (20 de novembro), o livro “Insubmissão Intelectual de Mulheres Negras Nordestinas”, reunindo nove ensaios de mulheres negras dos estados do Nordeste, escritos no contexto atual da pandemia da Covid-19. A obra marca a estreia da plataforma Diálogos Insubmissos enquanto editora de livros e é fruto de parceria com a Fundação Rosa Luxemburgo.

Organizado por Dayse Sacramento (doutoranda, professora e editora), Manoela Barbosa (doutoranda, pesquisadora e consultora) e Nubia Regina (professora e doutora), “Insubmissão Intelectual de Mulheres Negras Nordestinas” é o primeiro livro a ser lançado pelo projeto no formato impresso, já que a mesma obra foi publicada em E-Book anteriormente.

A distribuição será gratuita e uma cota dos exemplares será doada para organizações de mulheres negras e uma escola pública de cada estado indicada pelas autoras do livro.

“Nos interessa, com a publicação, romper com os estereótipos regionais e raciais, trazendo para a cena imagens positivadas de pessoas negras, sobretudo de mulheres negras e suas intelectualidades em movimento”, explica Dayse Sacramento, idealizadora do Diálogos Insubmissos.

O evento de lançamento é para convidados e está marcado para o dia 20 de novembro (sábado), às 16h, no Teatro do Goethe-Institut e no pátio do Goethe-Institut Salvador-Bahia (Corredor da Vitória). O acesso se dará a partir da entrega de um pacote de absorvente, que será doado para pessoas que menstruam, beneficiárias do Corra pro Abraço, programa que tem como objetivo promover cidadania e garantir direitos de pessoas em contextos de vulnerabilidade social.

SERVIÇO:

Lançamento do livro “Insubmissão Intelectual de Mulheres Negras Nordestinas”, da editora Diálogos Insubmissos

Data/Hora: 20/11

Local:  Goethe-Institut Salvador-Bahia (Corredor da Vitória)

Acesso limitado (convidados)

Distribuição gratuita para instituições e bibliotecas parceiras

Corra pro Abraço realiza intervenções urbanas pra marcar 20 anos da Conferência de Durban


 

Para marcar os 20 anos da Conferência de Durban – Terceira Conferência Mundial contra o Racismo, a Discriminação Racial, a Xenofobia e Formas Correlatas de Intolerância, acontecerá, em Salvador, uma ação sociocultural com jovens negros e negras entre os dias 16 e 19 de novembro.

A iniciativa é fruto da campanha Vidas Negras, das Nações Unidas, e conta com mobilização local do Programa Corra pro Abraço, da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social da Bahia (SJDHDS).

A atividade, denominada “Cores e Vozes das Periferias” conta com uma programação de quatro dias, sendo dois no Aquidabã (16 e 17/11) e dois na Praça Nova República, no Beiru/Tancredo Neves (18 e 19/11), envolvendo oficina de grafite, intervenções urbanas e apresentações artístico-culturais.

O objetivo é reafirmar os compromissos firmados em Durban, em 2001, bem como marcar a atualidade da agenda de combate ao racismo e às discriminações.


SERVIÇO

O QUÊ? Intervenção urbana “Cores e Vozes das Periferias” – 20 anos da Conferência de Durban
QUEM? Corra pro Abraço, Unicef, UNFPA, Unodc, Sepromi, Semur
QUANDO? 16 a 19/11 – 9h às 17h
ONDE? 16 e 17/11 (Aquidabã) 18 e 19/11 (Beiru/Tancredo Neves)

Soprano Irma Ferreira lança EP “Cantos e Rezas” no Gamboa


 

Foto: Ítalo Rodrigues

 

O show “Cantos e Rezas” marca o lançamento do EP “Cantos e Rezas”, de Irma Ferreira no próximo dia 14, domingo, às 17h. No palco do Teatro Gamboa, a cantora estará ao lado do maestro Fred Dantas e do alabê Luan Badaró, interpretando Itãs (histórias), àdúràs (cantigas) e oríkìs (orações) que reverenciam os orixás Omolu, Oxumaré, Ossanha, Nanã, e Ewa, pertencentes à família Unjí.

A apresentação vai incluir os cinco cantos e rezas que compõem o EP e mais algumas releituras já apresentadas na série de vídeos denominada “Em Cantos de Orixás”.

O show “Cantos e Rezas” pretende aproximar mais uma vez o público do universo artístico relacionado ao culto do candomblé. Ingressos estão sendo vendidos online por R$20/10.

 

Irma Ferreira

Natural de Salvador-Bahia, Irma Ferreira é graduada em Canto Lírico, Mestra em Performance musical pela UFBA e pós-graduanda em História e cultura Afro-brasileira, pelo Instituto Nacional de Ensino. Atuou como protagonista da “Ópera dos Terreiros” de Aldo Brizzi e Jorge Portugal, e da ópera “Lídia de Oxum”, de Lindembergue Cardoso e Ildazio Tavares. É solista do Laboratório de Ópera da UFBA, do Núcleo de Ópera da Bahia, da Orquestra Fred Dantas e da Orquestra São Salvador.

Vêm atuando no ramo de produção cultural desde 2010, estando a frente da produção como Ópera no museu, ópera na Bahia, Gafieira na Bahia, encontro de filarmônica do dois de julho, axé orquestrado, entre outros eventos particulares dentro e fora do município. Em 2021 realizou o show Àjòdún, no Teatro Gamboa nova e no Teatro do Sesc Pelourinho, lançou a serie de vídeos Em Cantos de Orisà, o EP Cantos e rezas, o recital Espírito Negro no Sesc Virtualidades, a show Líricas Negras no projeto Sonora Brasil, participou do show Do Camarim do Coração de Jarbas Bitencout, além de lives-shows.

 

INGRESSOS AQUI

Cantor Bruno Barroso lança música e videoclipe “Gato Preto”


Foto Wendel Assis

 

O cantor Bruno Barroso promove o lançamento de sua música e videoclipe Gato Preto. O título autoral mistura o samba reggae com o funk carioca em forma de poesia, que busca enaltecer a autoestima de todo o povo negro. A estreia do single nas plataformas digitais será no dia 19 de novembro, às 20h, no bar Malembe (Pelourinho). No dia seguinte, a partir das 11h, o videoclipe pode ser conferido através do canal do cantor no Youtube.

“A sociedade espera que a pessoa negra esteja na condição de subserviência, por isso nós deveríamos nos diminuir para se encaixar nas expectativas do outro. A música é muito mais que um conjunto de notas e melodias, ela é capaz de comunicar, acolher, transformar nossa autoestima e valores”, frisa o cantor.

Em março de 2021, Bruno Barroso estreou seu trabalho autoral com a música Pelas Sementes, uma canção que traz na letra a atmosfera de Salvador e a ancestralidade africana. Entretanto, sua carreira se iniciou em 2018, quando virou residente no Projeto Encontro da Cultura, no Teatro Eva Herz. No ano seguinte, junto com a banda Ligação 70, ele cantou no Grito de Carnaval do Aconchego da Zuzu.

SERVIÇO

O quê: Estreia do videoclipe e da música Gato Preto de Bruno Barroso.

Quando e Onde:  19 de novembro de 2021, às 20h, no Malembe (Ladeira do Carmo, 7 – Santo Antônio, Salvador.

20 de novembro, às 11h, no canal do cantor no Youtube e nas plataformas digitais de música (Spotify, Deezer, Apple Music).

Quanto: Gratuito.

Instagram: @oficialbrunobarroso

 

Casarão 17 recebe show stand-up comedy Especial Dia da Consciência Negra


Tiago Banha Foto Marcos Musse

 

Um Especial Dia da Consciência Negra com muito humor é o que promete o encontro de comediantes no Casarão 17 no próximo dia 20. O show de stand-up comedy reunirá os comediantes Tiago Banha, Juninho Brandão, Danrlei Carvalho, Samuel Belmonte e João Pimenta numa apresentação única.

 

A gente vai falar sobre o dia a dia, até para sair daquele estereótipo de que a vida da pessoa preta é só racismo, que a gente só vive para sofrer racismo, que a gente tem que passar o tempo inteiro militando. Às vezes a gente só quer rir. Todos os comediantes pretos do Brasil têm algum tipo de engajamento social. Hoje eu acredito muito que a comédia tem muito a contribuir, porque a gente fala verdades e faz o outro rir. Quando você diverte a pessoa e passa uma informação fica mais fácil dela absorver aquilo que você está dizendo”, afirma Tiago Banha.

Os ingressos podem ser adquiridos por meio da plataforma Sympla, no valor de R$ 35.

 

SERVIÇO

Stand-up reúne João Pimenta, Tiago Banha e comediantes baianos em apresentação especial no Dia da Consciência Negra

Quando – 20 de novembro, sábado, às 20h.

Onde – Casarão 17 – Largo Terreiro de Jesus, N. 100 Primeiro Andar – Pelourinho.

Ingressos: R$ 35

Nara Couto lança single e clipe de “Retinta”


A cantora Nara Couto lança novo single, “Retinta”, faixa que nomeia e disco de estreia da cantora baiana, com lançamento previsto para novembro. Composta pela própria Nara em parceria com Elen Oléria, que também assina a produção, a faixa ganhou um clipe dirigido por Edvaldo Raw e Preta Ferreira com a presença de grandes personalidades negras do Brasil, como Ana Paula Xongani, Adriana Quilombo, Nina Silva e Olívia Araujo.

“Retinta é a mensagem mais genuína de convocação para o auto amor e apreciação das mulheres negras com tons da última paleta de cores. É um grito e o clamor da mulher que tem menos visibilidade na sociedade. É força e bênção. É mais do que a pura militância, é vivência para produzir o futuro. É uma celebração à nossa própria existência e o entendimento que quando as retintas tiverem sua beleza admirada, todas as mulheres negras, de todos os tons, também serão. É o momento que a exaltação sucumbida pelo racismo irá cair por terra, e trará a promoção da mulher linda e preta”, torce a artista”, define Nara Couto.

O álbum tem patrocínio da Natura Musical e do Governo da Bahia Natura, através do Fazcultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura e conta com a parceria do selo Alá e distribuição da Altafonte.

ASSISTA: