Livro infantil “Òrun Àiyé: A Criação do Mundo” entra em pré-venda


orunaiye
Odùdùa [Crédito – Marcone Silva]

Uma narrativa lúdica da mitologia iorubá sobre as origens humanas, a partir da jornada dos Orixás. Assim é o livro da cineasta baiana, Jamile Coelho, que já está em pré-venda. “Òrun Àiyé: A Criação do Mundo” é um livro infantil distribuído pela editora Emôrio, e transita pela preservação da cultura afro-brasileira e o respeito aos mais velhos e a natureza.

A sinopse tem início no Òrun, plano espiritual onde vive Olorum, o senhor de todas as coisas. Ele confere ao filho Obatalá a missão de criar o mundo, o Àiyé. Mas é Odùdùa que espalha a magia do saco, criando a terra, diante da desobediência do irmão. A história é contada a partir da interação dos irmãos Antônio e Beth com o Vovó Jaime, enaltecendo a tradição africanista do saber transmitido entre gerações pela oralidade. O livro de 40 páginas tem ilustrações do artista visual Marcone Silva e contracapa do antropólogo baiano Vilson Caetano.

ebook, disponível para leitura em agosto, custa R$ 20 e o exemplar físico, com entrega em setembro, é R$ 49 mais frete. Há outros valores disponíveis, com opções de brindes. O livro é inspirado em animação homônima codirigida por Jamile Coelho e Cintia Maria, pela Estandarte Produções.

 

 

Para adquirir: 

Compra: catarse.me/orunaiyelivro

Classificação indicativa: 6 anos

Artista Inaê Moreira abre inscrições para projeto de dança “Èmí Wá”


 

Inaê Moreira

 

A artista Inaê Moreira realiza, via Zoom, o projeto de dança Èmí Wá. Serão encontros semanais que vão contar com rituais de cuidado, práticas de movimento, leituras e estudos sobrea cosmopercepção Iorubá sobre a natureza, os corpos e a ancestralidade

“Mergulharemos para dentro de nós mesmas em busca do elo que conecta intuição, espírito, e natureza, em uma mesma casa. A dança é o bálsamo curativo que nos levará aos diferentes estados de Èmí, presença. A lua nossa companheira não nos deixará esquecer: somos cíclicas”, destacou a artista.

Inaê Moreira é formada em Dança pela Universidade Federal da Bahia e desenvolve desde 2018 o projeto Dança Intuitiva, que tem o objetivo de reunir outras mulheres e despertar suas potências criativas através da Dança. O projeto terá participação de convidadas especiais e material didático disponível para as participantes. Vai contar também com fórum para troca de experiência e uma comunidade no Telegram.

Interessou? Acesse o site para se inscrever.

 

Serviço: 

Èmí Wá

Sinopse: Projeto de dança que vai contar com práticas de movimento, leituras e estudos, via Zoom

Gênero: Dança

Onde: www.inaemoreira.com

Edy Vox celebra 30 anos de carreira em live-show interativa no Youtube


 

 

Edy Vox
Foto Fernanda Maia

 

O cantor, músico e compositor Edy Vox comemora os seus 30 anos de carreira este domingo (01/08), às 18h30, com a “Live 3 Décadas”, no seu canal oficial no Youtube. 

De Bob Marley a Bezerra da Silva, passando por Jimmy Cliff, Raul Seixas, Jackson do Pandeiro, entre outras influências, o cantor e compositor Edy Vox transita entre seu trabalho autoral de reggae, intitulado “Reggae Popular Brasileiro”, e a releitura de clássicos nacionais e internacionais. Durante a live será feito uma espécie de chapéu virtual, para quem quiser contribuir como auxílio aos músicos, uma das classes mais afetadas durante a pandemia.

 

A “Live 3 décadas”, que comemora os 30 anos de carreira de Edy Voxconvida o público a interagir fazendo pedidos de música, durante a transmissão ao vivo no youtube. A ideia é fazer um show, uma grande festa com a participação afetiva e calorosa dos fãs e seguidores.
Domingo, (01/08), 18h30

Escola dedicada à arte negra promove cursos livres em agosto


 

Cachalotte

 

Uma escola dedicada às práticas e estéticas das artes negras. É o resultado da união entre um grupo de artistas de Teatro, Dança e Artes Visuais, que dá vida à Pele Negra – Escola de Teatro(s) Preto(s), concebida em Salvador em abril de 2020.

Em agosto, a escola promove um ciclo de cursos livres em formato on line, com temáticas como Teatro do Oprimido e Negritude, com Licko Turle e Cachalote Mattos, Dança de expressão negra: um novo olhar sobre o tambor, com Edileuza Santos e Bira Monteiro, Pintando sentimentos: a luz em cena Nando Zâmbia, A escrita do artigo científico, com Gustavo Cerqueira Melo e Escrita Criativa, com Mônica Santana.

“Os cursos livres fornecem ao estudante negro e/ou pesquisador da arte e cultura negra, instrumentos para preencher as lacunas que os sistemas educacionais eurocêntricos subtraíram” – Gustavo Cerqueira Melo, coordenador pedagógico da Escola Pele Negra.

 

A Pele Negra – Escola da de Teatro(s) Preto(s) é fruto da inquietação de artistas e pesquisadores negros, que observaram as lacunas na formação nas áreas de Teatro e Dança. A iniciativa foi idealizada pela encenadora Onisajé, o ator e Prof. Dr. Gustavo Melo, o Prof. Dr. Licko Turle, o encenador, dramaturgo e produtor cultural Luiz Antônio Jr e a pesquisadora e atriz Juliane Monique.

Monica Santana  Foto: Priscila Fulô

As atividades formativas integraram nomes da dramaturgia, performance, iluminação, arte drag, encenadoras e encenadores, que atuam no Brasil e exterior. Um expressivo volume de pessoas interessadas e cursos livres, aprofundando temáticas específicas, além de convidados das artes cênicas brasileiras, como Hilton Cobra, Lázaro Ramos, Taís Araújo, Grace Passô, Aldri Anunciação e Elísio Lopes Jr. Entre outros nomes. Os módulos já realizados e aulas-entrevistas estão disponíveis gratuitamente no Canal no Youtube Estudos em Teatro Negro.

Os Cursos Livres são voltados para pessoas interessadas nas artes cênicas e dança, bem como na pesquisa artística e escrita, também nos aspectos técnicos da cena. As inscrições estão abertas até o dia 05 de agosto e poderão ser feitas através do link: https://linktr.ee/escolapelenegra.

OS CURSOS

Curso: A escrita do artigo científico

Docente: Gustavo Melo Cerqueira

Período: 16 a 19 de agosto

Horário: 18h às 20h30min

Ementa: Estruturado em quatro encontros de duas horas e meia cada, o curso aborda estratégias para a escrita de artigos com vistas à publicação em periódicos acadêmicos. Voltado prioritariamente a estudantes e pesquisadores das artes negras da cena e de presença, o curso tem como eixo principal a importância da organização e estruturação de ideias. A publicação de artigos é um dos pilares para uma carreira acadêmica bem sucedida, tanto no Brasil quanto no exterior. Nos Estados Unidos, por exemplo, é comum que pesquisadores recordem uns aos outros sobre a importância da escrita e publicação de artigos acadêmicos através do ditado: “publish or perish”, quer dizer, “publique ou pereça”. Neste curso, abordaremos estratégias de escrita que vão desde a delimitação do tema até a estruturação geral de um artigo científico, com especial atenção às características fundamentais de cada uma de suas seções.

Curso: Teatro do Oprimido e Negritude

Docentes: Licko Turle e Cachalote Mattos

Período: 9 a 14 de agosto

Horário: 9h às 12h30min

Ementa: O curso pretende analisar pela perspectiva afro referenciada em um percurso teórico sobre a metodologia do Teatro do Oprimido desenvolvida pelo teatrólogo Augusto Boal e as suas possíveis aplicações na luta antirracista tendo como referências o grupo Cor do Brasil e o espetáculo O Pregador. Os principais conceitos e fundamentos do método serão abordados e cotejados com outros autores e autoras do Teatro Negro. Ainda, dentro do possível, serão propostos jogos e exercícios da estética do oprimido.

Curso: Dança de expressão negra: um novo olhar sobre o tambor

Docente: Edileuza Santos e Bira Monteiro

Período: 16 a 20 e 23 a 27 de agosto, das 16h às 18h.

Ementa: Estudos acerca do corpo em sua relação com a estética de matrizes negro africanas que visam à integrações teórico praticas, por meio de atividades de laboratórios (experimentações) e por meio de leituras e diálogos (entendimentos conceituais e críticos- interpretativos). Ênfase na investigação da dança de expressão negra propondo um novo olhar sobre o Tambor vinculado aos cincos sentidos, na escuta da embalada na perspectiva da ancestralidade africanas e afro-brasileiras.

Curso: Escrita Criativa

Docente: Mônica Santana

Período: 20, 21, 27 e 28 de agosto, das 19h às 20h30min

Ementa: Oficina de Escrita Criativa objetiva pensar a escrita como ato, como gesto, as pessoas participantes serão provocadas a exercitar a produção a partir do corpo e sua observação. Serão propostos exercícios de escrita a partir da observação do corpo, das águas e da respiração e tratar a escrita como performance.

Curso: Pintando sentimentos: a luz em cena

Docente: Nando Zâmbia

Período: às segundas, quartas e sextas-feiras, sendo de 25 de agosto a 6 de setembro no horário compreendido entre as 18h às 20h, e nos dias 8, 10 e 15 de setembro no horário de 18h às 21h.

Ementa: Voltada para atuantes, diretores, técnicos de luz, iluminadores e fotógrafos a ser realizada de forma virtual, explorará a realidade de criação diante de elementos e fontes de luz acessíveis nas casa dos atuantes, foco primordial para uma realização pratica da oficina em seu resultado. O universo da luz será discutido através de vídeos, fotografias, exemplos práticos e uma série de estratégias para uma fruição, entendimento e relação com a iluminação. A luz não funciona somente no universo proposto como ambientação, mas como interferência na construção da personagem, da voz, dos diálogos e das relações.

 

Artistas e técnicos das artes lançam o Instituto Forte


 

Artistas e técnicos residentes no Forte do Barbalho criaram o Instituto Forte e lançam entre 02 e 26 de agosto – de segunda a quinta – um ciclo de 16 oficinas de formação sobre práticas e técnicas artísticas chamado Aulas Forte, a serem transmitidas gratuitamente através da plataforma do Youtube da instituição.

O público assistirá aulas de artesanato, técnicas de grafite, chapelaria e mobiliário artesanal, miniatura, serralheria e pontos de solda, desenho Cenográfico, iluminação cênica, cenotecnia, serralheria artística, teatro e dança, rebú, desenho técnico e gravatas, medidas e perucas.

“Em 2020 iniciamos um novo caminho, onde unimos forças para criar uma identidade a partir das artes e do território. Somos artistas e técnicos em espetáculos e também somos Forte. O Instituto tem o objetivo de dar visibilidade a este conjunto de profissionais e também a este espaço que ocupamos – Forte do Barbalho, que é histórico e símbolo de resistência”, comenta Paquelet, que é integrante do Coletivo4, último grupo a chegar e se instalar em um dos pavilhões da fortificação, hoje cultural.

Programação de aulas:

Programação – Aulas Forte
I Semana

02/08 – (Seg) – Maria das Candeias – Artesanato
03/08 – (Ter) – Diógenes Neto – Grafite
04/08 (Qua) – Luciano Reis – Iluminação Cênica
05/08 (Qui) – Anderson Miranda – Cenotecnia

II Semana

09/08 – (Seg) – Lícia – Chapelaria Artesanal
10/08 – (Ter) – Almiro – Serralheria Artística
11/08 – (Qua) – Maurício Martins – Gravatas, Medidas e Perucas
12/08 – (Qui) – Levi Santis – Desenho Técnico

III Semana
16/08 – (Seg) – Rita – Rebú
17/08 – (Ter) – Léo – Miniatura
18/08 – (Qua) – Alan – Serralheria e Pontos de Solda
19/08 – (Qui) – João Teixeira – Desenho Cenográfico

IV Semana
23/08 – (Seg) – Fábio Viana – Teatro
24/08 – (Ter) – Tatiana – Caderno Artesanal
25/08 – (Qua) – Will – Sombreamento no Grafite
26/08 – (Qui) – Gringo – Mobiliário Artesanal

Ajuntamento musical baiano Cabokaji anuncia projeto “Original Caboks”


Você conhece o projeto Original Caboks?

É o resultado da união entre os músicos performers Caboclo de Cobre, Ejogbo Oni, ISSA e Mayale Pitanga. O projeto conta com o lançamento do primeiro álbum inédito do grupo e uma turnê por quatro estados nordestinos: Salvador (BA), Aracaju (SE), Olinda (PE)e Maceió (AL). Ele se inicia com as vivências Cabokaji em Tos’nese, que ocorre até 10 de agosto, com as aldeias Xucurus-Kariris e Fulni-ô, em Salvador (BA) e Águas Belas (PE). Original Caboks é resultado do caminho já percorrido em dois anos desde sua criação e das vivências e contatos com ajuntamentos indígenas.

 

Além do Prêmio Natura Musical 2019, para a produção do seu primeiro disco, Cabikaji coleciona o prêmio na categoria de “Melhor Arranjo para Música com Letra”, com o single “Chegança”, no 18º Festival de Música da Educadora FM, em 2020, em que teve contribuição de Dandê Bahia e Produção da AquaHertz Beats.

 

Outro produto que integra o projeto é um curta experimental, documento do processo de construção dos shows, videoclipes e até mesmo do próprio minidoc, como recurso-memória neste resgate à ancestralidade afro-ameríndia. O projeto  conta com patrocínio do Natura Musical e do Governo do Estado da Bahia – através do Fazcultura, Secretaria de Cultura e Secretaria da Fazenda.

Acompanhe: @cabokaji

Cantora Amanda Rosa lança EP de estreia: “Filha Revolta”


A cantora Amanda Rosa lança seu primeiro EP, fruto do projeto musical “A Filha Revolta”, pautando a coletividade e a ancestraldade. Ele traz vivências pessoais da artista, como na canção A Filha Revolta, um desabafo escrito para sua mãe no dia 26 de julho, aniversário da mesma e data que celebra-se o orixá Nanã. 

 

“A Filha Revolta foi um chamado para que eu pudesse cuidar da minha criança interior, que eu nem sabia que estaria tão machucada. Cada música foi feita em uma fase diferente de revolta, incerteza, dor e também amor, descoberta do que precisamos para nos curar”, explica Amanda. 

A obra ainda conta com as participações especiais de Candace, em “Oxe Não Se Bote”, feat que já nasce premiado pelo Festival de Música da Educadora FM, e de DelaRua, MC brutalmente assassinada do próprio bairro, local onde o clipe da faixa “Lama É Casa” foi gravado

 

Pré-save

 

Encontro musical entre Elinas & Riane une Salvador a Cachoeira


Elinas&Riane
Foto: Heraldo de Deus

 

A união entre a baixista e compositora cachoeirana Riane Mascarenhas e o compositor soteropolitano, Elinas resultou no show  “Elinas & Riane”, um encontro entre Cachoeira e Salvador. O show será transmitido pela da plataforma do Teatro Gamboa Nova, onde os ingressos serão vendidos a R$20,00 inteira e R$10 meia.

No repertório, os artistas apresentam composições originais entre versões especiais de artistas que são referências sonoras para ambos, e versões de influências e músicas autorais entre as linguagens da música afroamericana, como o samba, reggae music e MPB.

O show também conta com as contribuições e participações especiais em vozes da atriz Clara Paixão e dos escritores baianos Alex Simões e Vânia Melo.

 

SERVIÇO

ELINAS & RIANE

Quando: sábado (7), 19h

Ingresso: 20$ Inteira – 10$ Meia (Compras Via Plataforma do TGN – https://www.teatrogamboaonline.com.br)

Teatro Gamboa Nova (Transmissão Online)

Instituto Steve Biko comemora 29 anos e lança edital de estímulo à ciência para jovens negras e negros


 

oguntec

 

O Instituto Cultural Steve Biko (ICSB), na data do seu 29° aniversário, junto com o Instituto Serrapilheira e o Instituto Ibirapitanga lançam em parceria, no dia 31 de julho de 2021, o Edital de Seleção do Programa OGUNTEC – Edição 2021, que tem como objetivo fomentar o ingresso de jovens negros e negras em carreiras científicas e tecnológicas com vistas à redução da vulnerabilidade socioeconômica desse segmento no âmbito da atual sociedade tecnológica.

Para estimular o gosto pela Ciência, Tecnologia e Inovação entre a juventude negra baiana, o ICSB firma, esse ano, essa importante aliança com o Instituto Serrapilheira, instituição privada de fomento à ciência e à divulgação científica no Brasil, e com o Instituto Ibirapitanga, organização dedicada à defesa de liberdades e ao aprofundamento da democracia no Brasil. Esses novos parceiros trazem juntos para o programa Oguntec um aporte de R$ 1.000.000,00 (Um milhão de reais).

O curso preparatório do programa Oguntec, que conta com o patrocínio da empresa Dow desde o ano de 2017, ofertará 30 vagas, durante 24 meses, com a disponibilidade de 30 bolsas de Iniciação Científica Júnior para estudantes do Estado da Bahia.

“Parceiros como os Institutos Ibirapitanga e Serrapilheira são vitais no desenvolvimento e manutenção de projetos como o Oguntec, propiciando que meninos e meninas negros sonhem e realizem seus sonhos de sucesso nas áreas de tecnologias e ciências. Precisamos sim brigarmos para que todos os nossos estudantes possam ter sucesso na ciência, principalmente aqueles submetidos a séculos de marginalização promovida por estruturas sociais racistas que lhes roubam os sonhos”, destaca o diretor de Comunicação do Instituto Steve Biko, Ivo Ferreira.

A celebração desse consórcio de parceiros no aniversário do Instituto Cultural Steve Biko contará com uma “mesa virtual” que tratará do tema “Ciência, Tecnologia, Ações Afirmativas e Desenvolvimento Nacional” e terá como expositores a professora doutora Bárbara Carine Soares Pinheiro, do Departamento de Química da Universidade Federal da Bahia, a doutora em Genética e Biologia Molecular e coordenadora científica do Oguntec, Diana Matos, a diretora de Ciência do Instituto Serrapilheira, Cristina Caldas, os representantes da Dow Roberto Aragão e Marcelo Silva e o diretor-executivo do Instituto Steve Biko, Lázaro Cunha.

 

Serviço: 

O que: 29° aniversário do Instituto Cultural Steve Biko e Lançamento do Edital de Seleção do Programa OGUNTEC – Edição 2021 em parceria com os Institutos Serrapilheira e Ibirapitanga

Quando: 31 de julho de 2021(sábado)

Onde: Zoom – https://us02web.zoom.us/j/82382738692

Horário: 17h

Escritor Djavan Benin lança trilogia sobre prejuízos de utilização da crença como instrumento de controle coletivo


Djavan Benin

Uma crença sendo utilizada para o controle do coletivo. O prejuízo disso é trama da trilogia a “Ordem Macabra” que traz, entre seus livros, “Templo da Morte”, que já está em pré-venda no site da Editora Crystal Books. Escrita pelo designer, professor, quadrinista e ilustrador Djavan Benin, a obra é dividida em três volumes: “Ordem Macabra: “O Templo da Morte”, Sacerdote Oculto”, livro dois que será lançado no mês de março de 2022, e “Dimensão Vermelha”, desfecho da trilogia que está previsto para ser lançado no mês de outubro de 2022.

“Não é somente um ato de valorização da escrita e, consequentemente, da leitura, mas em se tratando de um país que não se reconhece como um ambiente de leitores, a difusão do tema é pertinente para alcançarmos o desenvolvimento intelectual dos indivíduos. A ideia é fazer um alerta de convivência aos que preferem regimes ditatoriais”, salienta Djavan Benin, que escolheu o terror como gênero literário de suas obras.

A Trama

Eduardo Torres, um advogado extremamente cético, e Cassiano Santos, místico e movido pelo ambiente familiar. Mesmo com as diferenças que apresentam, são amigos e se respeitam até o momento que a racionalidade de Eduardo não o deixa escapar do ambiente hostil no qual foi inserido pelo companheiro, comandado a punho de ferro por fanáticos religiosos.

Cassiano é muito espiritualista e Eduardo extremamente racional, porém a descoberta de um disco metálico desconhecido, revelado em um sonho – que prometia levá-los a uma outra dimensão – aproximou a visão do advogado com a do amigo.

A Editora Crystal Books é responsável pela venda e distribuição do livro em parceria com a Livraria Martins Fontes Paulista, na qual a obra já está disponível. O livro custa R$42,90 para todo o Brasil, com envio a partir do dia 18 de agosto de 2021.

O autor

Djavan Benin é designer, professor, quadrinista e ilustrador além de amante da literatura e de contos de mistérios e terror. Natural de Salvador na Bahia, sempre admirou o intercâmbio entre as variadas artes, principalmente as sequenciais, como cinema, animações e histórias em quadrinhos.

 

Editora Crystal Books

Instagram de Djavan Benin