Empreendedoras negras lançam single e videoclipe da marca Pretinha do Bronze


 

No dia 26 de novembro, a Pitaya Productions, em parceria com a EUMELANINA Produções, da rapper soteropolitana Udi Santos, lança videoclipe e outros produtos para Pretinha do Bronze, título que nomeia o SPA destinado ao bronzeamento de fita natural e a jato localizado no Largo de Roma/Cidade Baixa. O projeto conta com apoio da plataforma de difusão musical baiana Frequências Preciosas, da qual Udi Santos é integrante.

O single Pretinha do Bronze estará disponível em todas as plataformas de streamings de música e no canal do Youtube da Frequências Preciosas no dia 26 de novembro. Às 12 horas do mesmo dia, o videoclipe será lançado no canal do youtube da artista. Além disso, todos os produtos sonoros serão lançados nas redes sociais da laje de bronzeamento Pretinha do Bronze (@pretinhadobronze), empreendimento idealizado pela empresária Bárbara Sacramento. Para acessar pré-save clicar AQUI.

“Vemos que é difícil para artistas negras independentes firmarem seu espaço de atuação. Assim, trazemos o serviço de Sound Branding, para que essas artistas além de difundirem sua arte possam gerar renda e se conectar com marcas. Sendo também positivo para as  marcas por utilizarem o recurso da música como um ativo de marketing, criando personalidade sonora, humanizando e fortalecendo sua relação com os clientes”, diz Viviane Pitaya.

 

 

Preta Comunicação lança projeto de aceleração para afroempreendedores


 

mulher_negra_pesquindo

Estão abertas as inscrições para o “Eu quero poder também”, projeto de aceleração para afroempreendedores criado pela agência Preta Comunicação com o objetivo de compartilhar conhecimentos que poderão ser aplicados no dia a dia dos negócios comandados por pessoas negras.  O programa, que é gratuito, acontecerá entre os dias 27 de novembro e 18 de dezembro, sempre aos sábados, a partir das 9h, através da plataforma Zoom.

 

“O intuito não é oferecer formação profissional, mas dar a essas pessoas noções básicas para que possam tocar as suas iniciativas de forma correta porque, apesar de sermos a maioria entre os empreendedores, ainda somos os que menos faturam, os que menos conseguem crédito e os que menos têm capacitação”, explica Haron Soares, sócio da Preta Comunicação.

Planejamento de comunicação, gestão de anúncios para redes sociais, aplicativos e ferramentas para produção de conteúdo para a internet são os temas das oficinas que serão comandadas pela equipe da agência, além do storymaker Alisson Brito e do criador de conteúdo digital Ismael Carvalho. As pessoas interessadas em participar devem fazer a inscrição através do link https://bit.ly/euqueropodertambem até o dia 25 de novembro. As vagas são limitadas.

Confira a programação completa do programa:

27/11: Planejamento de comunicação: Jamily Silva, Giuliana Brandão e Anderson Sena – Equipe Preta comunicação

04/12: Noções básicas de gestão de anúncios para redes sociais: Haron Soares – Equipe Preta Comunicação

11/12: Aplicativos para produção de conteúdo para internet: Alisson Brito – storymaker e designer gráfico

18/12: Roteirização e produção de vídeos para a internet: Ismael Carvalho – criador de conteúdo digital

Abertas inscrições para Batalha de Pagode Baiano


 

Já está aberta a convocatória para a Batalha de Pagode Baiano da 5ª edição do EPA! Encontro Periférico de Artes, que acontece entre os dias 17 e 19 de dezembro.  O EPA! selecionará 12 participantes cisgêneros e transgêneros, que batalharão no último dia de programação.

As inscrições, individuais, estão abertas até o dia 30 de novembro e devem ser realizadas via formulário, no link disponível no Instagram do festival https://www.instagram.com/epa.ba/. Não são aceitas participações de duplas, trios ou grupos.

Critérios: dançar Pagode Baiano, qualidade na realização dos movimentos de dança, entrosamento com músicas instrumentais e percussivas deste gênero musical, criatividade e originalidade. A divulgação dos nomes dos candidatos escolhidos acontecerá no Instagram @epa.ba, a partir de 2 de dezembro.

EPA!

Dedicado à valorização e difusão de manifestações populares, da arte negra e de periferia, o EPA! É uma plataforma de pluralidade artística, que intercruza as linguagens da dança, teatro, música, literatura e cinema. Neste ano, acontece de forma online, entre 17 e 19 de dezembro, via Zoom, Google Meet, YouTube e Instagram.

O festival articula pesquisas sobre ancestralidade e manifestações populares em dança com a atuação e produção dos artistas idealizadores jovens negros baianos, Bruno de Jesus e Inah Irenam, no cenário do estado, assumindo um olhar crítico às tensões e paradoxos do seu povo como inspiração.

Associação Cultural Quilombo Aldeia Tubarão realiza webinário sobre o Subúrbio


A Associação Cultural Quilombo Aldeia Tubarão com o apoio da Pró Reitoria de Extensão Universitária da Universidade Federal da Bahia (UFBA), realiza, no dia 30 de novembro o webinário Periferia é o Centro: O Subúrbio Ferroviário de Salvador e a Cidade Educadora, em comemoração ao Dia Internacional da Cidade Educadora (30/11).
 
O evento será exibido nas plataformas do Quial Tubarão (Facebook e Youtube) e pretende reunir cinco potencialidades educativas do Subúrbio Ferroviário e Ilha de Maré, em Salvador, que exercem através de suas práticas, princípios reconhecidos na carta das Cidades Educadoras.

O projeto consiste em dar visibilidade à destacadas referências do Subúrbio Ferroviário, por suas contribuições para as comunidades e coletivos envolvidos ao vincular artes, memória, patrimônio cultural e educação por meio de experiências e expressões das identidades culturais que compõem o patrimônio material e imaterial do Subúrbio Ferroviário. 
 
As iniciativas participantes são o Acervo da Laje (São João do Cabrito), o Quintal Sensorial (Itacaranha), o Coletivo Água da Fonte CAF (Coutos), o Quilombo Aldeia Tubarão (Paripe) e a ONG Maresom (Ilha de Maré).
 
Durante o webinário serão exibidos cinco mini documentários produzidos nos respectivos bairros, para apresentação das iniciativas e do território onde estão situadas, bem como suas contribuições para a promoção de uma Cidade Educadora.
SERVIÇO
O quê? A Periferia é o Centro: O Subúrbio Ferroviário de Salvador e a Cidade Educadora
Quando? 30/11/2021, terça-feira, das 14h às 17h
Onde? 
YouTube Quial Tubarão | Facebook Quial Tubarão

#Barco – Documentário retrata a memória dos navios negreiros a partir das religiões de matriz africana


Marcelo Ricardo – Foto Edvaldo Raw

 

“Barco: Do outro lado da memória”, documentário dirigido por Marcelo Ricardo, passará a integrar o acervo digital do museu Casa do Benin, no próximo dia 19 de novembro.

Símbolo da migração forçada dos povos africanos, os navios negreiros figuram na tragédia que acometeu tais sociedades. No entanto, os povos de terreiros mantêm a simbologia da navegação, através da expressão “barco de iniciados”, para representar a reconexão com suas origens a partir da espiritualidade.

Ao longo de sua investigação teórica, o documentarista encontrou fortes indícios de que a hipótese de que a expressão surgiu como forma de resgatar e dar significado à trágica memória dos navios negreiros.

“A história negra é marcada pela transmigração forçada de povos africanos, mas para a tradição do candomblé, o barco é quem faz o retorno à sua origem. Os nossos mais velhos contam nossa história diferente de como aprendemos, foi com esse intuito que produzi esse trabalho para apontar outros olhares desta memória. ”, aponta Marcelo. 

A partir da memória do babalorixá Rychelmy Imbiriba (Esutobi) do Ilé Asé Ojisé Oludumaré, Doté Amilton Costa, do Hunkpame Vodun Zo Kwe, e do Tatá Anselmo Santos, do Terreiro do Mokambo o projeto buscou contemplar as três nações que remanescem na tradição do Candomblé ampliando o entendimento da expressão, a partir de suas semelhanças e diferenças. A obra também traz a narração de Vovó Cici.

“Meu desejo era que o filme fizesse parte da Casa [Benin], pois acredito que este é um documento da memória negra e africana que urge fazer parte do imaginário coletivo, sobretudo de nossos ideais de nacionalidade. Eu acredito que obras como esta estão inteiramente comprometidas com a educação e a diversidade, sendo também minha forma de colaborar com a Lei 10.639/03”, enfatiza. 

O filme está disponível para ser visto através das plataformas digitais do museu.

Ficha técnica

Direção e Argumento: Marcelo Ricardo

Produção Executiva: Bruno Rodrigues

Câmera e Fotografia: Edvaldo Santos Junior

Som Direto: Lane Costa

Montagem e Finalização: Igor Moura

Vocais: Thiago Romero

Serviço 

Lançamento de “Barco – do outro lado da memória”

QUANDO: 19 de novembro de 2021

ONDE: Disponível no canal do YouTube da Casa do Benin

Gratuito

Rebeca Tárique lança primeiro single autoral “Entregando-me”


Foto Italo Soares

Uma trajetória musical que passa pela MPB e por canções sobre a cultura afro-brasileira. Esse é o tom do primeiro single autoral de Rebeca Tárique, que surge com uma participação internacional: o compositor e multi-instrumentista Jasper Myers (EUA).

Rebeca é conhecida pelas performances que destacam o seu contralto e sua interpretação. No dia 19 de novembro a música já estará disponível em todas as plataformas digitais de áudio.

“É uma música diferente de tudo que já fiz. É, desta vez, um resgate do amor próprio, das relações afetivas que também fazem parte do nosso universo. Passei por um processo emocional que me abalou. Refleti em diversas áreas da minha vida: profissional, social, amorosa e as relações interpessoais. Essa retomada, principalmente nesse processo de criação do single, foi muito importante para minha vida”, ressalta Rebeca. 

“Entregando-me” foi feita em parceria com o compositor e multi-instrumentista Jasper Myers, de Chicago, nos Estados Unidos, que além de contribuir na composição, também participou da criação dos arranjos e fez duo com Rebeca Tárique.

Para Rebeca, a dupla com Jasper fez com que “revivesse” a sua paixão em relação à música. “Nós nos conhecemos em um intercâmbio musical on-line, com artistas afro- brasileiros e afro americanos. Criamos afinidade e, quando veio a proposta de escrever essa música em parceria, fluiu muito tranquilamente. Foi uma retomada de paixão”, lembra Rebeca.

Sobre Rebeca

Rebeca Tárique é cantora, compositora, produtora cultural, formada em História e mãe solo. Em sua trajetória como artista defende pautas sociais voltadas ao contexto afro-diaspórico e feminino. Além disso, Rebeca também é embaixadora do projeto Women’s Música Event Brasil (WME), uma das maiores plataformas de música, negócios e tecnologia focada no protagonismo feminino; e do projeto Favela, um hub de educação e aprendizagem empreendedora, com objetivo promover a diversidade e o desenvolvimento social, econômico e ambiental por meio do empoderamento de grupos e territórios vulnerabilizados.

 

Serviço:
Lançamento do Single “Encontrando-me”, de Rebeca Tárique e Jasper Myers
Quando: 19 de Novembro de 2021
Onde: Em todas as plataformas digitais de áudio

PRÉ- SAVE

Jornalista e compositora Luana Assiz lança clipe “Espelho de Oxum”


 

Foto: Domi Meirelles

 

Uma exaltação à ancestralidade negra no dia 20 de novembro – é o intuito do clipe “Espelho de Oxum“, da jornalista e compositora, Luana Assiz. O clipe será lançado neste sábado – Dia da Consciência Negra. A letra reverencia a yabá associada às águas doces, conhecida pela vaidade, beleza e riqueza, mas também revela uma Oxum empoderada, guerreira, dona dos caminhos da diplomacia e de uma maternidade real: que cuida, protege e prepara os filhos para o mundo.

A inspiração para a música surgiu em fevereiro deste ano, na semana do aniversário da autora, a partir de leituras sobre a cultura afro-brasileira.

“Essa música é a expressão de uma busca pela minha ancestralidade e ao mesmo tempo o efeito dos impactos da arte que consumo. Lendo “Um Defeito de Cor”, de Ana Maria Gonçalves, me deparei com as batalhas que Kehinde atravessa desde que é arrancada do reino de Daomé, em África, até a sua chegada no Brasil, para ser escravizada. E nesse período, tem um momento em que ela é salva por Oxum, falando de forma bem ampla para evitar spoiler (até porque esse é um livro que todo brasileiro deveria ler). Aquela cena foi muito marcante e ecoou em mim de tal forma que fui buscar mais informações sobre essa yabá e me conectei com ela de um jeito que desaguou nessa música. Então essa composição tem um afeto especial pra mim e eu espero que possa alcançar quem escutar de um jeito bonito também”, diz Luana.

 

De 2010 a 2015, Luana Assiz foi violonista e backing vocal do grupo de samba Sasminina, que se apresentou em bares e eventos de Salvador e região metropolitana e em 2014 lançou um EP com três músicas autorais, uma delas, “Conversa de Amiga”, composta por Luana Assiz, Laurisabel Assil e Lule Britto. Em 2016, ano de sua transição capilar, descobriu no bojo de suas raízes ancestrais a própria voz e lançou o single “Encrespei”, composta durante o processo de naturalização dos cabelos.

Faça o pré-save aqui. 

 

VEJA “ENCRESPEI”:

Filme “Terras que Libertam – histórias dos Cupertinos” coleciona prêmios


 

A liderança dos irmãos Júlio Cupertino e Jaime Cupertino no território negro quilombola na Chapada Diamantina (Bahia) é o fio condutor do filme “Terras que Libertam – histórias dos Cupertinos”. O trabalho, que lança luz sobre os conflitos e as resistências pelo direito às terras ancestrais negras, foi premiado no mês de outubro como Melhor Documentário do FIVE CONTINENTS INTERNATIONAL FILM FESTIVAL – FICOCC 5-8  (Venezuela) e em julho foi premiado  Melhor Documentário Sul Americano no International Documentary Film Awards (Eslováquia). Além da conquista de Melhor Documentário, o FICOCC premiou o filme nas categorias Melhor Documentário com Trilha Original, assinada pelo multi-instrumentista Mauricio Lourenço e Menção Especial no Prêmio de Melhor Cinematografia ao diretor de fotografia Chico Soares.

   O filme “Terras que Libertam – histórias dos Cupertinos” (veja trailer no final) conquistou também indicações em outros concursos internacionais: foi finalista do  Boden International Film Festival (BIFF) e semifinalista no Stockholm Film & Television Festival (SFTF), ambos na Suécia. Em outubro, o documentário foi selecionado para participar do 7º  FestiFrance Brasil (Festival Internacional de Cinema de Belo Horizonte).

Quando o geógrafo Diosmar Filho, pesquisador e roteirista do filme, pisou pela primeira vez no Território Quilombola de Vazante, em 2007, mergulhou na trajetória da família dos Cupertinos na defesa da comunidade contra a construção da Barragem Baraúnas e como a consciência negra sustentou essa luta territorial e social.  Anos depois, com o falecimento de Seu Júlio Cupertino, em 21 de novembro de 2014, aos 74 anos, Diosmar Filho deu início em 07 de fevereiro de 2015 às gravações do documentário com seu parceiro cinegrafista Chico Soares, fazendo o registro da memória que tem como horizonte central a história dos Cupertinos e a luta quilombola. A direção de “Terras que Libertam – histórias dos Cupertinos” é de Harisson Araújo e Diosmar Filho, com realização da Ajayô Filmes.

Narrado por Seu Jaime Cupertino, familiares de Seu Julio Cupertino, amigas e amigos da luta negra, o documentário traz também às memórias dos quilombolas em vida e luta nas terras dos territórios de Vazante, Baixão Velho, Agreste e Mocambo e Cachoeira (Seabra-BA), rompendo com a ideia de disputa silenciosa pela qual negros e negras travam para manter a ancestralidade negra e os direitos de permanecer no território. “Esse documentário não é o primeiro registro sobre quilombola no país, mas sua ideia avança na forma de memorizar a história em contemporaneidade da luta por liberdade negra quilombola no país, sendo uma importante contribuição para nosso cinema negro, ressalta Diosmar Filho.

Juliana Ribeiro homenageia a Música Preta Popular do Mundo em show no Gamboa


 

música negra juliana ribeiro
Foto: Mariana de Paula

 

No dia 20 de novembro, a cantora e compositora Juliana Ribeiro realiza uma homenagem à música preta popular do mundo (MPPM).  O show reunirá o som do Brasil, América do Norte, África do Sul e Angola

“A nossa Realeza está na nossa cultura, no samba que é a identidade nacional, no Semba de Angola, nos Spirituals Norte- Americanos, na nossa forma de compartilhar e cantar o cotidiano, no nosso suingue”, nos conta entusiasmada Juliana Ribeiro.

O lado compositora de Juliana Ribeiro será visto nas autorais do CD “Preta Brasileira”, recém lançado, em músicas como “ELLA, Dragão de Gaudí, Prá Matar Preconceito”. Além disso, a artista apresentará repertório cuidadosamente pesquisado com nomes como o angolano Paulo Flores, Elza Soares, Dona Ivone Lara, Baden Powell, Paulinho da Viola, Tom Jobim, Clementina de Jesus, Edu Lobo,  Noel Rosa, Leci Brandão, Zé Ketti, entre outrxs.

Para este show com transmissão ao vivo às 19h, Juliana Ribeiro estará acompanhada do maestro Estevam Dantas com seu Piano e Acordeon, e do multi-instrumentista Rafael Bolota.

O show será ao vivo e para adquirir o ingresso basta acessar www.teatrogamboaonline.com.br e comprar quantos ingressos quiser.

Serviço

O Quê? Show ” Suingue da Realeza” com Juliana Ribeiro

Quando: 20/11

Que horas? 19h

Ingressos: R$ 20  inteira e 10 meia

Transmissão ao vivo no  www.teatrogamboaonline.com.br

Plataforma Diálogos Insubmissos lança primeiro livro como editora


Dayse Sacramento

A plataforma literária Diálogos Insubmissos lança, no Dia da Consciência Negra (20 de novembro), o livro “Insubmissão Intelectual de Mulheres Negras Nordestinas”, reunindo nove ensaios de mulheres negras dos estados do Nordeste, escritos no contexto atual da pandemia da Covid-19. A obra marca a estreia da plataforma Diálogos Insubmissos enquanto editora de livros e é fruto de parceria com a Fundação Rosa Luxemburgo.

Organizado por Dayse Sacramento (doutoranda, professora e editora), Manoela Barbosa (doutoranda, pesquisadora e consultora) e Nubia Regina (professora e doutora), “Insubmissão Intelectual de Mulheres Negras Nordestinas” é o primeiro livro a ser lançado pelo projeto no formato impresso, já que a mesma obra foi publicada em E-Book anteriormente.

A distribuição será gratuita e uma cota dos exemplares será doada para organizações de mulheres negras e uma escola pública de cada estado indicada pelas autoras do livro.

“Nos interessa, com a publicação, romper com os estereótipos regionais e raciais, trazendo para a cena imagens positivadas de pessoas negras, sobretudo de mulheres negras e suas intelectualidades em movimento”, explica Dayse Sacramento, idealizadora do Diálogos Insubmissos.

O evento de lançamento é para convidados e está marcado para o dia 20 de novembro (sábado), às 16h, no Teatro do Goethe-Institut e no pátio do Goethe-Institut Salvador-Bahia (Corredor da Vitória). O acesso se dará a partir da entrega de um pacote de absorvente, que será doado para pessoas que menstruam, beneficiárias do Corra pro Abraço, programa que tem como objetivo promover cidadania e garantir direitos de pessoas em contextos de vulnerabilidade social.

SERVIÇO:

Lançamento do livro “Insubmissão Intelectual de Mulheres Negras Nordestinas”, da editora Diálogos Insubmissos

Data/Hora: 20/11

Local:  Goethe-Institut Salvador-Bahia (Corredor da Vitória)

Acesso limitado (convidados)

Distribuição gratuita para instituições e bibliotecas parceiras