Giovani Cidreira lança disco e álbum visual Nebulosa Baby


 

Foto Alex Oliveira

O afrofuturismo está em alta no trabalho do cantor Giovani Cidreira, que assina esta nova fase como GIO. Ele lança disco e álbum visual Nebulosa Baby, dia 22 de julho, que estarão disponíveis no Youtube, Spotify e Vimeo (https://tratore.ffm.to/nebulosababy). O disco, que conta com 13 faixas inéditas e é lançado pelo selo RISCO, chega com um curta-metragem que representa visualmente a obra.

No álbum, os trabalhos contam com participações diversas e com o protagonismo feminino de intérpretes como: Ava Rocha, Alice Caymmi, Jadsa, Josyara, Luiza Lian, Luê, Obirin Trio, Jup do Bairro e ainda Dinho (Boogarins) e Vandal.

“É sobre não esquecer que somos pessoas iluminadas, detentoras de um poder ancestral, de um potencial que o  sistema racista, que nos mata todos os dias e nos entrega sobras, descarta e nos faz esquecer, retirando o direito de existir na memória, na musicalidade e nas experiências culturais desse país”, afirma GIO.

SERVIÇO 

O QUE? Disco e álbum visual Nebulosa Baby

QUANDO? 22 de Julho de 2021

ONDE: AQUI

Fabíola Nansurê lança primeiro catálogo digital de atrizes negras baianas


 

Foto Jan Souza

No Dia Internacional da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha (25), a artista Fabíola Nansurê lança o site de Rosas Negras, onde o público poderá ter acesso ao primeiro catálogo de atrizes negras baianas. Ele servirá como banco de dados, e as interessadas em depositarem suas informações profissionais nele poderão fazer isso através de um cadastramento on-line.

O site integra o “O Eu Vejo Você – Ipadê das Rosas Negras”, rede de contatos de mulheres negras baianas que são protagonistas em narrativas cênicas, com a intenção de propagar as produções artísticas realizadas por elas.

Em uma homenagem póstuma, Auristela Sá (1969-2013) é a primeira atriz negra baiana mencionada neste catálogo. Nascida em Alagoinhas (BA), Auristela é conterrânea de Fabíola Nansurê, e impulsionou a arte alagoinhense em parceria com o Teatro Vila Velha através do projeto Teatro de Cabo a Rabo, que incentivava os artistas do interior da Bahia. A trajetória de Auristela no teatro é destacada por sua colaboração com o Bando de Teatro Olodum.

Auristela Sá – Foto Acervo do Bando de Teatro Olodum

Live

Como marco do início do catálogo digital de atrizes negras baianas, ocorrerá uma live com Fabíola Nansurê e as convidadas: Mel Campos, designer responsável pelas artes gráficas do site e das redes sociais de Rosas Negras, Manu Moraes, intérprete em produções teatrais e cinematográficas, e Márcia Lima, atriz, cantora, e pesquisadora de artes cênicas, no Instagram de Rosas Negras, 25 de julho, às 19h.

 

O projeto Eu Vejo Você – Ipadê das Rosas Negras tem apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.

#25JUL – Arte Sintonia Companhia de Teatro celebra Dia da Mulher Negra com bate-papo e musical


 

Foto Fabio Bouzas

 

A Arte Sintonia Companhia de Teatro (Grupo de Teatro Musical Negro) vai promover duas atividades para celebrar o Dia Internacional da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha, dia 25 de julho.

A primeira delas acontece no dia 20 (terça-feira), às 20h, pelo canal do Youtube da Cia. O “Fala, Preta!” é um bate-papo descontraído conduzido pelas atrizes Denise Correia, Lívia França e Clara Paixão. 

Manuela Rodrigues, cantora e compositora; Cristiane Florentino, dançarina e coreógrafa; e Elenia Cardoso, professora e escritora, são as convidadas para conversar com as atrizes.

Já no dia 25 (domingo), será exibido na internet, pela TV Sonata, o musical “Se Acaso Você Chegasse – Uma homenagem a Elza Soares”, escrito por Elísio Lopes Jr. (Dona Ivone Lara), com direção-geral de Antônio Marques (Xô Xuá – Um Samba para Riachão). 

Savannah Lima lança concurso para escolher estrelinha do videoclipe “Odara”


 

A cantora e compositora Savannah Lima lança o Concurso “Odara”, que vai escolher  uma menina negra para estrelar seu primeiro videoclipe. As inscrições estão abertas até 30 de julho e podem ser feitas por meio dos perfis de @savannahlima_ e @estacaozinha, no Instagram. Podem se inscrever meninas entre 7 e 10 anos. As gravações serão em agosto. 

“ODARA é uma canção dedicada a uma criança negra com o mesmo nome, mas que pode representar qualquer outra criança que cresce ou cresceu em famílias negras que mantiveram os costumes e as tradições em suas comunidades”, diz a artista.

A multiartista (ela também é poetisa e atriz) transforma letras em canções desde os 12 anos e se apresenta nos palcos desde os 15, tendo pertencido à ala de canto da Banda Feminina Didá.

Durante sua trajetória de mais de 20 anos, além da Banda Didá, a cantora dividiu o palco com artistas consagrados como: Margareth Menezes, Carlinhos Brown, Ilê Aiyê, Daniela Mercury, Ivete Sangalo e Arlindo Cruz. Também cantou com nomes da nova geração da música preta brasileira, como Majur, Bia Ferreira e a banda instrumental baiana Panteras Negras.

“Odara são todas as meninas e meninos negros, de pés descalços, simplicidade e amor das comunidades negras baianas”, diz Savannah.

O Concurso “Odara” é uma realização da Produtora EstaçãoZinha.

 

SERVIÇO:

O que: Concurso Odara seleciona menina negra para videoclipe

Quando: inscrições abertas até 30/7

Como: nos perfis de @savannahlima_ e @estacaozinha, no Instagram

Quanto: gratuito

Lilica Rocha, de apenas sete anos, lança seu primeiro álbum “O sol reflete”


 

A pequena Lilica Rocha, de apenas sete anos, vai lançar seu primeiro álbum “O sol reflete” este mês em todas as plataformas digitais. O disco vem com 11 faixas, sendo 8 inéditas autorais, além de 3 regravações de grandes artistas da música brasileira.

Entre elas, está a canção “Me Abraça e Me Beija” que tem participação especial de Lazzo Matumbi. Entre as 3 regravações está também “Tigresa” do cantor e compositor Caetano Veloso. Além disso, o álbum traz também o grande sucesso de Chico César, “Mama África”.

O álbum já está disponível como pré-save nas plataformas de streaming. Em breve Lilica lançará seu primeiro videoclipe, da canção “Black Power eu Sou”. 

Quem faz acontecer:

Produção – Coletivo Cacos

Produção musical/arranjos  – Leo Rocha e Richard Meyer

Músicos – Julio Caldas (guitarra), Dainho Xequerê (percussão), Kekedy Lucie (backing vocal), Daniel Gomes (sanfona), Leo Rocha (cavaquinho), Maurício Lourenço (pianos) e Danilo Santana (baixo).

PRÉ-SAVE AQUI.

 

Culinária Musical tem segundo encontro de julho neste sábado (17)


 

Lari Lima

 

Em mais um encontro do Culinária Musical este mês, o Afrochefe Jorge Washington vai preparar uma especial Moqueca de Fato, com toda sua gastronomia afetiva. Será neste sábado (17), a partir das 12h no Youtube da Casa do Benin.

Já o encontro musical será com o cantor e compositor Alexandre Leão, que vai dividir a tela com a cantora Lari Lima, direto de Aracaju.  Quem quiser desfrutar da Moqueca de Fato enquanto assiste o Culinária, poderá encomendar com o Afrochefe por telefone a R$60 – porção pra duas pessoas.

Pedidos até as 10h serão entregues até as 12h. Já pedidos feitos após as 10h serão entregues após a transmissão ao vivo do Culinária.

Alexandre Leão

 

Edital – O projeto Culinária Musical, idealizado pelo afrochefe Jorge Washington,  com gestão de projeto da Simples Produções e produção da Mil Produções, foi contemplado pelo edital de Ocupação e Dinamização dos Espaços Culturais da Fundação Gregório de Mattos, Prefeitura de Salvador para ocupar a Casa do Benin até junho de 2021.

 

 

 

 

SERVIÇO

Quando: 17/7 (sábado – 12h)

Onde: Youtube da Casa do Benin

Quanto: encomendas são de uma porção para duas pessoas; pedidos pelo zap do Afrochefe 71 99332-7096.

Coletivo Jangada de Arteducação lança curta-metragem sobre histórias e vivências de mulheres soteropolitanas


Foto Anlu Abreu

 

Fruto de pesquisas sobre as expressões do patriarcado nas relações amorosas, o filme “Sobre nós dois ninguém nunca vai saber de tudo” estreia neste domingo (18), no Canal do ‘’JA – Jangada de Arteducação’’ no Youtube. Ele é um curta-metragem, com roteiro e direção feitos de forma colaborativa e que usa a dança como forma de expressão das memórias, histórias e vivências de mulheres soteropolitanas.

O projeto foi idealizado por  Carolina Miranda, com co-idealização de Haíssa Brandão e Paula Marinho, três dançarinas, naturais de Salvador, na capital baiana. Assumindo o papel de proponentes e de “intérpretes-pesquisadoras-criadoras”, dividiram o projeto em ciclos para compreender as diferentes fases de uma relação.

“Escolhemos trabalhar por ciclos, pois, assim como os arquétipos e os papéis estipulados para homens e mulheres se repetem na sociedade, eles também se fazem confundir em meio às suas repetições. E para enxergar a raiz do que nos afeta, precisamos olhar com minuciosidade, por sessões. Precisamos voltar alguns passos pra trás, precisamos analisar as nossas próprias escolhas, mas antes de tudo, precisamos querer enxergar, pois toca no mais profundo de cada um de nós. É preciso encarar os processos de tomadas de consciência ou os boatos de que esses são os jeitos naturais de ser, de tanto se repetir, vão ser tidos como verdade, como se conviver em violência fosse vida”, defendem as intérpretes.

Novo espaço cultural no Subúrbio

Além das intérpretes, um elemento que se sobressai como personagem do curta-metragem é a casa escolhida como locação. O filme foi gravado em uma residência antiga, situada na Rua Paraná, no bairro de Paripe. A residência, que já foi lar de uma família, agora é o Ninho da Águia, novo espaço de cultura no subúrbio ferroviário. É a atual sede do coletivo “Nagote Negaça”, da ‘’Calanga Djucurê’’  e do mais recente coletivo formado pelas intérpretes: “JA – Jangada de Arteducação’’.

COOXIA Coletivo Teatral estreia musical infanto-juvenil “ZUMBINDO”


 

O musical infanto-juvenil ZUMBINDO, do COOXIA Coletivo Teatral estreia nesta sexta (16) no canal do grupo no Youtube e fica disponível até 25 de julho, com acessibilidade em libras voltada a surdos e mudos. O musical traz a relação entre o fictício quilombo urbano do Ferreiro ao real Quilombo dos Palmares, em Alagoas.

A trama se inicia a partir da trajetória de Flor, uma menina negra, tal qual Dandara, que conhece Palmares através das histórias contadas por sua mãe. Através da ludicidade e do saber compartilhado, a protagonista da história transforma o guerreiro Zumbi no seu amigo imaginário. É com esta companhia que a garota compartilha momentos especiais em que dança, canta e inventa.

“Histórias da tradição bantu foram importantes para a construção dramatúrgica, mas o que veremos em cena é o que Palmares se tornou, uma grande mistura de povos, etnias e troncos linguísticos”, descreve Guilherme Hunder, que assina a dramaturgia, ao lado de Denisson Palumbo.

Quem faz:

Os atores e atrizes que brincarão de dar vida ao texto de Palumbo e Guilherme Hunder são Larissa Libório, Leno Sacramento, Denise Correia, Igor Nascimento, Natalie Souza e Sidnaldo Lopes. A assistência de direção, conta com Letícia Aranha e Lucas Oliveira. Na ficha técnica de Zumbindo estão ainda nomes como Ray Gouveia e Felipe Pires, que comandam a Direção Musical; Erick Saboya e Jéssica Marques, à frente do Cenário; enquanto Diego Moreno elabora a Programação Visual e  Diney Araújo comanda a fotografia.

Com realização do COOXIA Coletivo Teatral, após as apresentações do espetáculo, os atores estarão disponíveis para um bate-papo com interação online para discutir sobre o processo criativo. As exibições serão gratuitas, no Youtube do Cooxia Coletivo, mas poderão ser feitas contribuições através de QRCode e chave pix: [email protected]

Serviço
O quê: Espetáculo infantil – “Zumbindo”
Quando: a partir das 20h do dia 16 a 22 de Julho
Onde: Canal do COOXIA  Coletivo Teatral no YouTube 
Quanto: Gratuito

Fotos: Diney Araújo

Terceira edição do Julho das Pretinhas reúne diversas ações culturais até 31 de julho


A atriz Cássia Valle lança a terceira edição do Julho das Pretinhas, reunindo ações voltadas para o empoderamento de meninas negras através de atividades culturais e educativas. O festival vai contar com bate-papos, oficinas criativas e apresentações artísticas. A programação deste ano tem como tema “Representatividade cura” e acontece virtualmente durante todo mês, até 31 julho, através das redes sociais  @julhodaspretinhas e é voltada para crianças, adolescentes, ativistas e educadores de todo o Brasil.

A programação conta com oficinas de teatro, podcast e maquiagem, voltadas para crianças e adolescentes negras, além de apresentações de teatro, música, dança e poesia. Todas as atividades são gratuitas, exceto as oficinas que custam R$ 50 cada.

“Também teremos todas as segundas o Conto das Pretas com histórias de escritoras negras baianas e às sextas o Fala Pretinhas com meninas falando de sua perspectiva sobre representatividade. Para criarmos mulheres negras empoderadas precisamos plantar a semente desde cedo e os meninos também estão convidados a entrar nessa roda, porque contribuímos na formação de homens mais conscientes no tratamento com essas mulheres”, conta Cássia Valle.

Toda a programação é produzida e conduzida por mulheres e meninas negras, tendo em vista a inclusão dessas narrativas para influenciar processos artísticos e educativos.

 

SERVIÇO

Julho das Pretinhas

Lives e Apresentações Artísticas Gratuitas

No instagram @julhodaspretinhas

até 31 de julho

 

PROGRAMAÇÃO – Acompanhe em @julhodaspretinhas

 

12 (segunda) 10h Conto das Pretas (IGTV) com Paula Brito

 

14 (quarta) 10h Apresentações artísticas das pretinhas selecionadas na Chamada Artística | 17h Bate-papo com artistas

 

16 (sexta) 17h Falas Pretinhas (LIVE no INSTAGRAM)

 

Convidadas: Maria Flor, Brenda Black – mediação Ayana Dantas

 

16 e 17 (sexta e sábado) – 14h às 16h – Oficina de podcast para crianças com Francis Cardoso | Inscrições: Sympla

 

19 (segunda) 10h – Conto das Pretas (IGTV) Kalypsa Brito

 

20 (terça)  10h – apresentações artísticas das pretinhas selecionadas | 17h Bate papo com artistas

 

21 (quarta) – Ocupação da página Julho das Pretinhas por Lorena Passos da Entrelinhas e encerramento com LIVE às 17h

 

22 (quinta) –  10h Apresentações artísticas das pretinhas selecionadas na Chamada Artística | 17h Bate-papo com artistas

 

23 (sexta) – Ocupação da página Julho das Pretinhas por Clube de Leitura Arte e Identidade e encerramento com LIVE  às 17h

 

24 (sábado) – Ocupação da página por Ana Fátima – Escritora

 

24 (sábado) – Oficina de Maquiagem com Natália Cavalcante

 

Inscrições: Sympla

 

25 (domingo) – 10h – Matinê com coletivo teatral Os Crespos (SP)

 

16h – Sarau Julho das Pretinhas

 

26 (segunda) 10h – Conto das Pretas (IGTV) com Cássia Valle

 

28 (quarta) –  17h LIVE Falas Pretas (tema: empreendorismo infantil e crianças pretas)

 

30 (sexta) –  17h Falas Pretinhas (LIVE no INSTAGRAM)

 

31 (sábado) – Sarauzinho dendicasa

Rapper Udi Santos lança o single “A NOITE”


Comemorando um ano de carreira solo, a rapper Udi Santos lança o single A NOITE, que estará disponível em todas as plataformas digitais da artista no dia 25 de julho – Dia Internacional da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha.  A escolha da capa do novo single teve a contribuição do público através das redes sociais da artista. 

Udi Santos nasceu e mora no subúrbio ferroviário de Salvador, é rapper, cantora, compositora e iniciou sua carreira musical em 2017. 

Em julho de 2021 a artista comemora um ano de lançamento do seu primeiro single solo, trazendo nessa sua trajetória um lyric vídeo, quatro vídeoclipes, três podcasts, com dois singles e um EP contendo três faixas. Em seus projetos Udi sempre abordou temas como empoderamento feminino negro, saúde mental, saúde física e fé.  

“A música me mantém viva e a minha música pode manter outras pessoas vivas, esse é o meu propósito!” diz a artista.

PRÉ-SAVE AQUI!