“Ele foi o protagonista de um levante quilombola que salvou centenas de vidas.”


neguinho-do-samba-2jpgO Centro Cultural Solar Ferrão homenageará, nesta quarta-feira (16), a vida e obra de Neguinho do Samba e a trajetória do Samba Reggae.

Para falar da vida do criador do gênero musical que hoje embala fundamenta a musicalidade baiana, a jornalista Viviam Caroline fará a palestra “Quilombo de tambores: Neguinho do Samba e a criação do samba reggae como uma tradição negro baiana”.

“Neguinho do Samba era um homem sensível ao som, ao ritmo, ao tempo. Seu corpo captava as sonoridades do universo, ele era um tradutor, um portal criativo que recebia, decifrava e transmitia rítmicas para deleite do seu povo. O advento do samba-reggae foi tecido por suas belas mãos que, diariamente, realizava mudanças como quem tece uma grande colcha de renda”, diz Viviam.

Na ocasião, haverá apresentação de dança das alunas da Escola Didá e apresentação da Banda Didá, criada por Neguinho. Também haverá exposição de instrumentos criados por ele.

“Neguinho do Samba foi um Zumbi, seu legado segue vivo pelos vários cantos do mundo, afinal enquanto existir batida de Samba Reggae nosso mestre se fará presença” – Viviam Caroline.

 neguinho-do-samba-2jpgSobre Neguinho…

Nascido em 21 de junho de 1955, Antonio Luiz Alves de Souza – Neguinho do Samba – é da Ladeira do Jacaré, região do Dique do Tororó, mas foi criado no Tanque do Meio, por D. Nilza e S. Cici. Na infância, iniciou sua verve musical com as bacias de alumínio de sua mãe.

Apaixonou-se pelo Pelourinho e lá morou até o fim da vida, onde estava também sua grande missão. Integrou as principais escolas de samba da cidade, a exemplo da “Vai Levando” e “Diplomatas de Amaralina”.

Também tocou no Apaches, Comanche, Alvorada. Era mestre no Ilê Aiyê, foi diretor do Olodum e tem em nomes como Jimmy Cliff, David Board, Paul Simon e Michel Jackson, algumas das celebridades o show biz que beberam de sua inventividade rítmica.

A homenagem do Centro Cultural Solar Ferrão será na praça Tereza Batista, no Pelourinho, a partir das 15h e é aberta ao público.  

Fotos: Banco de Imagens