Espetáculo “BIG CHOP: Uma Ebó Feminegra” ressignifica o cabelo crespo


 

Fabíola Nansurê

Atriz, pesquisadora, dançarina e preparadora corporal, Fabíola Nansurê criou a proposta BIG CHOP  – Uma Ebó Feminegra, com a contribuição poética de Onisajé, diretora e dramaturga. Composto pela narrativa teatral e quatro mesas temáticas, BIG CHOP – Uma Ebó Feminegra apresenta a importância da estética para as mulheres negras em uma programação virtual gratuita, no período de 26 de março a 10 de abril, às 19h, no canal Rosas Negras – Youtube.

No espetáculo BIG CHOP – Uma Ebó Feminegra, o cabelo crespo ganha protagonismo. Ele é mostrado com o corte black power, dreads, tranças, penteados e apliques. Para Fabíola Nansurê, o objetivo do espetáculo BIG CHOP – Uma Ebó Feminegra é realçar a beleza do cabelo crespo.

“Ele veio para falar de empoderamento a partir do cabelo crespo, da valorização e da validação desse cabelo crespo (…) Fala sobre a estética preta, sobre o cabelo, sobre os traços, sobre ser preta”, conclui Fabíola.

O espetáculo BIG CHOP – Uma Ebó Feminegra conta ainda com a participação de outros artistas. Márcia Lima, Denise Corrêa e Ariane Souza são intérpretes especiais, Jarbas Bittencourt e Tina Melo assinam a direção musical e direção artística, respectivamente, enquanto Nando Zâmbia está por trás da direção de fotografia. Mãe Rosa de Oyá, Yalorixá e incentivadora cultural, também aceitou o convite especial da equipe.

Mesas temáticas – Com uma abordagem acerca da transformação cultural e social pelo ativismo artístico, as mesas temáticas ocorrerão com profissionais do teatro baiano e nacional: A poética FEMINEGRA na concepção e criação artística (26/03), com Onisajé, Tina Melo e Márcia Lima, BIG CHOP uma ebó de empoderamento (02/04), com Mariana Desidério e Geisa Brunelle, A autoestima da mulher negra em relação ao cabelo crespo (08/03), com Naira Gomes e Sara Cristina, e o Empoderamento da mulher negra através da afirmação estética (10/03), com Gisele Soares e Jade Alves.

A programação virtual de BIG CHOP –  Uma Ebó Feminegra tem apoio financeiro da Secretaria de Cultura e Fundação Cultural do Estado da Bahia (programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.