II Pré-Balada Literária homenageia Noémia de Souza na Biblioteca dos Barris


noemiadezouza
Noémia de Souza

Balada Literária. Esse é o conceito de um evento que já rola em São Paulo e que, pela segunda vez terá uma prévia aqui na Bahia. A II Pré-Balada Literária é organizada pelos curadores Marcelino Freire e Nelson Maca, escritores que, este ano, irão homenagear a poeta moçambicana Noémia de Sousa (1926-2002).

A Pré-Balada da Bahia acontece nos dias 11 e 12 de novembro, no Quadrilátero da Biblioteca Pública dos Barris e também terá lançamento da edição brasileira de Sangue Negro, único livro publicado por Noémia em vida. O conterrâneo de Noémia, Aldino Muianga, é um dos convidados da Pré Balada.

A obra seguirá pelo Brasil iniciando em terras soteropolitanas neste evento. O livro conta com ilustrações da artista Mariana Fujisawa, prefácio da brasileira Carmen Tindó e estudos dos moçambicanos Fátima Mendonça, Francisco Noa e Nelson Saúte.

Editora responsável pela primeira publicação brasileira, Rosana Morais Weg destaca que o conjunto oferece uma seleção de poemas, ao mesmo tempo “doces e fortes”. Ela afirma que um dos desafios da edição brasileira foi a formalização ortográfica. “A Kapulana optou por manter a grafia original dos textos, sem atualizações, de forma a que as particularidades da poesia de Noémia não se perdessem”.

Quem foi Noémia de Sousa

“Haja emoção. Ver o livro da Noémia finalmente lançado no Brasil. E ver este lançamento nacional acontecer na Bahia. Terra que a poeta moçambicana amou. Onde teve amigos como Jorge Amado. Onde ouviu samba. Encheu de música ainda mais a sua poderosa poesia. Grande acontecimento literário do ano este, que devemos celebrar”, diz Marcelino freire, divulgador da poesia de Noémia de Sousa no Brasil.

Considerada uma das vozes mais importantes da literatura africana de Língua Portuguesa, Noémia de Sousa, que chegou a morar no Brasil, é conhecida como a mãe dos poetas moçambicanos. Sangue Negro reúne 46 poemas escritos entre 1948 e 1951 e foi publicado, originalmente, em 2001, pela Associação dos Escritores Moçambicanos. No Brasil, seus poemas só tinham sido publicados em poucas antologias. na ocasião o livro Sangue Negro estará disponível para compra, no valor de R$ 39,90.

Além do lançamento de Sangue Negro, a Pré-Balada conta ainda com mesas de bate-papo e performances poéticas. Por exemplo: a mesa “Palavra e Corpo em Movimento”, mediada pela professora Milena Brito (UFBA), que conversará com os escritores Alex Simões, Jocélia Fonseca e Mc Aspri, do grupo de rap RBF. 

sanguenovonoemiadesouzabaladaliteraria

Após os debates no evento, os organizadores preparam a leitura de poemas da autora pelas jovens Lúcia Santos e Luíza Santos, que integram o Sarau Bem Black e a equipe do Slam Lonan. A sessão contará com a presença da editora Rosana Morais Weg, responsável pela Editora Kapulana, que editou o livro. Completando a homenagem, o grafiteiro Zezé Olukemi e o artista plástico Pablo Dinada pintam a imagem e versos de Noémia de Sousa.

Sarau Bem Black Especial

No dia 11, em homenagem à Independência de Angola, o Sarau Bem Black de novembro prestará  homenagem à Independência de Angola, comemorada neste dia. Haverá recital e exibição do filme “Papa Cèsaire”, da cineasta guadalupense Sarah Maldoror. O documentário narra sobre a vida e obra do escritor e militante martiniquense Aimè Cèsaire, criador do conceito Negritude.

Depois da exibição, a programação poética e musical da noite segue com  o lançamento do livro Por Onde Começar – Antologia de Verso e Prosa (Cogito), do poeta baiano Jairo Pinto. Permeando o sarau como um todo, a discotecagem ficará por conta do Dj André Lopes, que traz expoentes da música angolana.  O sarau será encerrado com  pocket- show da artista soteropolitana Alexandra Pessoa.

Vai ter muito mais, confere a programação completa aqui!